Você está na página 1de 12

A proposta de Planificaçã o Anual (PA) aqui apresentada tem como

referência as Aprendizagens Essenciais (AE) para o 3.º Ciclo do Ensino Bá sico,


homologadas em julho de 2018, em articulaçã o com o Perfil dos Alunos à Saída da
Escolaridade Obrigatória (2017), e contempla os “conhecimentos, capacidades e
atitudes” definidos para o 9.º ano.
Esta sugestã o de PA está organizada em funçã o dos cinco domínios do
conhecimento, conforme as AE. Relativamente à Oralidade, à Leitura e à Educaçã o
Literá ria, sã o indicados os textos de acordo com os critérios compreendidos nas
AE. Para os domínios da Escrita e da Gramá tica, constam de igual modo as
atividades/os exercícios trabalhados no Novas Leituras 9.
Em alguns casos, a planificaçã o mobiliza conhecimentos de anos de
escolaridade anteriores (destacados a laranja) e outros decorrentes do
Programa e Metas Curriculares de Português (PMC) do Ensino Básico (2015) que
as AE suprimiram (a azul). Há , também, situaçõ es que correspondem à
introduçã o de conteú dos nas AE (a verde) que o PMC nã o integrava e que, por
isso, nã o sã o contemplados neste manual escolar.
A autora,
Alice Amaro
NOVAS LEITURAS 9 | ASA

ESCOLA ______________________________________________________________________________________________________________________

PLANIFICAÇÃO ANUAL – 9.º Ano de Escolaridade

1.º Período: __________________ Aulas 2.º Período: __________________ Aulas 3.º Período: __________________ Aulas

SEQUÊNCIA 1 – Texto Narrativo e Outras Leituras


Calendarização/
PERÍODO Descritores do
Textos/Atividades Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Perfil dos alunos
TESTE DIAGNÓSTICO (págs. 12-17) – Aferir os conhecimentos consolidados e/ou cujo reforço deve ser realizado nas primeiras
5 semanas do início do ano letivo.

Compreensão ORALIDADE Comunicador (A, B, D, E, H)


• Poema: “Receita de Ano Novo”, Carlos Compreensão
Drummond de Andrade (pág. 20) AE – Analisar a organização de um texto oral tendo em conta o género (diálogo argumentativo, Conhecedor/sabedor/culto/
• Entrevista: “Aprender a estudar” (pág. 21) exposição e debate) e o objetivo comunicativo. informado (A, B, G, I, J)
• Reportagem: “Feira de Espinho” (pág. 31) – Avaliar argumentos quanto à validade, à força argumentativa e à adequação aos objetivos
• “História Comum” (excerto), Machado de Assis comunicativos. Sistematizador/organizador
(pág. 57) AE (A, B, C, I, J)
• Notícia: “Sem-abrigo vai a tribunal por roubar
chocolate” (pág. 73) Respeitador da diferença/do
outro (A, B, E, F, H)
Expressão Expressão
• A Ilha, curta metragem de Alê Camargo – – Fazer exposições orais para apresentação de temas, ideias, opiniões e apreciações críticas. Participativo/colaborador
explicação de sentidos figurados (pág. 22) – Intervir em debates com sistematização de informação e contributos pertinentes. (B, C, D, E, F)
• Tira de BD, Viagem com Quino e Mafalda – – Argumentar para defender e/ou refutar posições, conclusões ou propostas, em situações de
exposição oral (pág. 26) debate de diversos pontos de vista. Leitor(A, B, C, D, F, H, I)
1.º • Debate (pág. 54) – Estabelecer contacto visual e ampliar o efeito do discurso através de elementos verbais e não-
verbais.
– Avaliar discursos orais com base em critérios definidos em grupo.
• Grelha de avaliação da oralidade (GP, pág. 90)
PLANIFICAÇÃO ANUAL | NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 1 – Texto Narrativo e Outras Leituras


Calendarização/
PERÍODO Descritores do
Textos/Atividades Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Perfil dos alunos
• Nota biobibliográfica: António Lobo Antunes LEITURA
(pág. 22); Maria Judite de Carvalho (pág. 27); – Ler em suportes variados textos dos géneros: textos de divulgação científica, recensão crítica Comunicador (A, B, D, E, H)
Vergílio Ferreira (pág. 31); Eça de Queirós (pág. e comentário.
47); Gabriel García Márquez (pág. 64) – Realizar leitura em voz alta, silenciosa e autónoma, não contínua e de pesquisa. Conhecedor/sabedor/culto/
• Nota biográfica de José Mauro de Vasconcelos & – Explicitar o sentido global de um texto. informado (A, B, G, I, J)
apreciação crítica de (pág. 40) – Identificar temas, ideias principais, pontos de vista, causas e efeitos, factos e opiniões.
• Texto expositivo: “Desigualdade social” (pág. 44) – Reconhecer a forma como o texto está estruturado (diferentes partes e subpartes). Sistematizador/organizador
• Carta aberta: “Carta a Henrique Chaves” – – Compreender a utilização de recursos expressivos para a construção de sentido do texto. (A, B, C, I, J)
identificação das ideias principais (pág. 55) – Expressar, de forma fundamentada, pontos de vista e apreciações críticas motivadas pelos
• Nota biográfica de Machado de Assis (pág. 56) textos lidos. Respeitador da diferença/do
• Recensão crítica: “Livro das Contas e dos – Utilizar métodos do trabalho científico no registo e tratamento da informação. outro (A, B, E, F, H)
Contos”, José Vaz (pág. 62)
• Paratextos: “A Sesta de Terça-Feira” – inferências Participativo/colaborador
(pág. 64) (B, C, D, E, F)

Leitor(A, B, C, D, F, H, I)
• “Receita de Ano Novo”, Carlos Drummond de
Andrade (pág. 20) AE EDUCAÇÃO LITERÁRIA
• “A Consequência dos Semáforos”, António Lobo – Ler e interpretar obras literárias portuguesas de diferentes autores e géneros: [...] narrativa
1.º Antunes (pág. 23) AE (uma) e poemas (nove poemas de oito autores).
• “História Sem Palavras”, Maria Judite de – Relacionar os elementos constitutivos do género literário com a construção do sentido da obra
Carvalho (pág. 27) AE em estudo.
• “A Galinha”, Vergílio Ferreira (pág. 31) AE – Identificar e reconhecer o valor dos seguintes recursos expressivos: perífrase, eufemismo,
• Meu Pé de Laranja Lima, José Mauro de ironia.
Vasconcelos (excerto, pág. 41) AE – Reconhecer os valores culturais, éticos, estéticos, políticos e religiosos manifestados nos
• “Retrato de uma Fidalga de Lisboa”, Maria Teresa textos.
Horta (pág. 46) – Expressar, através de processos e suportes diversificados, o apreço por livros e autores em
• “A Aia”, Eça de Queirós (pág. 46) AE função de leituras realizadas.
• “História Comum”, Machado de Assis (pág. 57) – Debater, de forma fundamentada e sustentada, pontos de vista suscitados pelos textos lidos.
AE – Desenvolver um projeto de leitura que implique reflexão sobre o percurso individual
• “A Sesta de Terça-Feira”, Gabriel García enquanto leitor (obras escolhidas em contrato de leitura com o(a) professor(a)).
Márquez (pág. 64) AE

• Contrato Pedagógico de Leitura (GP, pág. 94)


NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 1 – Texto Narrativo e Outras Leituras


Calendarização/
PERÍODO Textos/Atividades/ Descritores do
Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Exercícios Perfil dos alunos
ESCRITA
• Comentário crítico (págs. 26; 63) – Elaborar textos de natureza argumentativa de géneros como: comentário, crítica, artigo de opinião. Conhecedor/sabedor/culto/
• Texto argumentativo (pág. 30) – Elaborar resumos (para finalidades diversificadas). informado (A, B, G, I, J)
• Carta informal – opinião (pág. 39) – Planificar, com recurso a diversas ferramentas, incluindo as tecnologias de informação e a Web,
• Pesquisa (págs. 43; 56) incorporando seleção de informação e estruturação do texto de acordo com o género e a finalidade. Indagador/Investigador (C, D, F,
• Texto expositivo (pág. 45) – Utilizar diversas estratégias e ferramentas informáticas na produção, revisão, aperfeiçoamento e edição de H, I)
• Carta formal – opinião (pág. 73) texto.
– Redigir textos coesos e coerentes, com progressão temática e com investimento retórico para gerar Sistematizador/organizador
originalidade e obter efeitos estéticos e pragmáticos. (A, B, C, I, J)
• Grelha de avaliação da escrita – Escrever com correção ortográfica e sintática, com vocabulário diversificado e uso correto dos sinais de
(GP, págs. 92-93) pontuação. Criativo (A, C, D, J)
– Reformular o texto de forma adequada, mobilizando os conhecimentos de revisão de texto.
– Respeitar princípios do trabalho intelectual como explicitação da bibliografia consultada de acordo com Comunicador (A, B, D, E, H)
normas específicas.
Responsável/autónomo (C, D, E,
GRAMÁTICA F, G, I, J)
– Identificar processos fonológicos de inserção (prótese, epêntese e paragoge), supressão (aférese, síncope e
• Funções sintáticas (págs. 25; 29;
apócope) e alteração de segmentos (redução vocálica, assimilação, dissimilação, metátese). Respeitador da diferença/do
53; 61)
– Identificar arcaísmos e neologismos. outro (A, B, E, F, H)
1.º • Frase ativa vs. Frase passiva (pág.
– Reconhecer traços da variação da língua portuguesa de natureza diacrónica.
27)
– Utilizar apropriadamente os tempos verbais na construção de frases complexas e de textos. Participativo/colaborador
• Pronome em adjacência verbal
– Analisar frases simples e complexas para: identificação de constituintes; identificação de funções sintáticas; (B, C, D, E, F)
(pág. 29)
divisão e classificação de orações.
• Discurso direto vs. Discurso
– Reconhecer os contextos obrigatórios de próclise e de mesóclise. Questionador (A, F, G, I, J)
indireto (pág. 38)
– Distinguir frases com valor aspetual imperfetivo e com valor aspetual perfetivo.
• Orações subordinadas substantivas
– Explicar relações semânticas entre palavras.
completivas (págs. 38; 61)
– Usar de modo intencional diferentes valores modais atendendo à situação comunicativa (epistémicos,
• Variação da língua de natureza
deônticos e apreciativos).
geográfica (pág. 43)
– Utilizar, com confiança, formas linguísticas adequadas à expressão de discordância com respeito pelo
• Orações subordinadas adverbiais
princípio da cooperação.
(pág. 43)
• Orações subordinadas substantivas
relativas (pág. 61)
Recursos complementares: Suporte Gramatical, Caderno de Exercícios, Guia do Professor (GP),

Para saber: Texto narrativo, Texto Expositivo, Texto Argumentativo: texto de opinião, comentário, crítica, crónica (págs. 74-77)
PLANIFICAÇÃO ANUAL | NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 2 – Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente


Calendarização/
PERÍODO Descritores do
Textos/Atividades Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Perfil dos alunos
Compreensão ORALIDADE Comunicador (A, B, D, E, H)
• Entrevista virtual a Gil Vicente Compreensão
(pág. 88) – Analisar a organização de um texto oral tendo em conta o género (diálogo argumentativo, exposição e debate) Conhecedor/sabedor/culto/
• Canção: “Parva que sou”, e o objetivo comunicativo. informado (A, B, G, I, J)
Deolinda (pág. 108) – Avaliar argumentos quanto à validade, à força argumentativa e à adequação aos objetivos comunicativos.
• Conto tradicional: “O Tesouro Sistematizador/organizador
do Enforcado”, Teófilo Braga Expressão (A, B, C, I, J)
(pág. 139) – Fazer exposições orais para apresentação de temas, ideias, opiniões e apreciações críticas.
• Canção: “Aquele Inverno”, – Intervir em debates com sistematização de informação e contributos pertinentes. Respeitador da diferença/do
Delfins (pág. 108) – Argumentar para defender e/ou refutar posições, conclusões ou propostas, em situações de debate de diversos outro (A, B, E, F, H)
pontos de vista.
Expressão – Estabelecer contacto visual e ampliar o efeito do discurso através de elementos verbais e não-verbais. Participativo/colaborador
• O Mercador de Veneza, Michael – Avaliar discursos orais com base em critérios definidos em grupo. (B, C, D, E, F)
Radford (excerto do filme) –
LEITURA
opinião (pág. 101) Indagador/ Investigador (C, D,
– Ler em suportes variados textos dos géneros: textos de divulgação científica, recensão crítica e comentário.
• Exposição oral – argumentação F, H, I)
– Realizar leitura em voz alta, silenciosa e autónoma, não contínua e de pesquisa.
para defesa de posição (pág. 119;
– Explicitar o sentido global de um texto.
134; 135; 139) Criativo (A, C, D, J)
1.º – Identificar temas, ideias principais, pontos de vista, causas e efeitos, factos e opiniões.
– Reconhecer a forma como o texto está estruturado (diferentes partes e subpartes).
• Texto expositivo/informativo: Responsável/autónomo (C, D,
– Compreender a utilização de recursos expressivos para a construção de sentido do texto.
“Vida de Gil Vicente”, “O autor E, F, G, I, J)
– Expressar, de forma fundamentada, pontos de vista e apreciações críticas motivadas pelos textos lidos.
dramático Gil Vicente”, Paul
– Utilizar métodos do trabalho científico no registo e tratamento da informação.
Teyssier, e “Gil Vicente na corte Leitor (A, B, C, D, F, H, I)
de D. Manuel”, Chagas Franco & EDUCAÇÃO LITERÁRIA
João Soares (pág. 84); – Ler e interpretar obras literárias portuguesas de diferentes autores e géneros: […] um auto de Gil Vicente […]. Crítico/Analítico (A, B, C, D,
• Texto expositivo/informativo: – Relacionar os elementos constitutivos do género literário com a construção do sentido da obra em estudo. G)
Caracterização do Auto da Barca – Identificar e reconhecer o valor dos seguintes recursos expressivos: perífrase, eufemismo, ironia.
do Inferno (pág. 89) – Reconhecer os valores culturais, éticos, estéticos, políticos e religiosos manifestados nos textos.
• Texto informativo (págs. 92; – Expressar, através de processos e suportes diversificados, o apreço por livros e autores em função de leituras
105; 114; 120; 124; 127; 128; realizadas.
140) – Debater, de forma fundamentada e sustentada, pontos de vista suscitados pelos textos lidos.
– Desenvolver um projeto de leitura que implique reflexão sobre o percurso individual enquanto leitor (obras
• As Pequenas Memórias, José escolhidas em contrato de leitura com o(a) professor(a)).
Saramago (excerto, pág. 112)
• Auto da Barca do Inferno, Gil
Vicente (págs. 92; 101; 106; 109;
NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 2 – Auto da Barca do Inferno de Gil Vicente


Calendarização/
PERÍODO Textos/Atividades/ Descritores do
Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Exercícios Perfil dos alunos
ESCRITA Conhecedor/sabedor/culto/
• Texto dramático (pág. 100) – Elaborar textos de natureza argumentativa de géneros como: comentário, crítica, artigo de opinião. informado (A, B, G, I, J)
• Texto narrativo (pág. 123) – Elaborar resumos (para finalidades diversificadas).
• Resumo (pág. 127) – Planificar, com recurso a diversas ferramentas, incluindo as tecnologias de informação e a Web, incorporando Indagador/Investigador (C, D,
• Comentário (pág. 134) seleção de informação e estruturação do texto de acordo com o género e a finalidade. F, H, I)
• Texto argumentativo (pág. 138) – Utilizar diversas estratégias e ferramentas informáticas na produção, revisão, aperfeiçoamento e edição de texto.
– Redigir textos coesos e coerentes, com progressão temática e com investimento retórico para gerar originalidade e Sistematizador/organizador (A,
obter efeitos estéticos e pragmáticos. B, C, I, J)
– Escrever com correção ortográfica e sintática, com vocabulário diversificado e uso correto dos sinais de pontuação.
– Reformular o texto de forma adequada, mobilizando os conhecimentos de revisão de texto. Criativo (A, C, D, J)
– Respeitar princípios do trabalho intelectual como explicitação da bibliografia consultada de acordo com normas
específicas. Comunicador (A, B, D, E, H)

GRAMÁTICA Responsável/autónomo (C, D,


– Identificar processos fonológicos de inserção (prótese, epêntese e paragoge), supressão (aférese, síncope e apócope) E, F, G, I, J)
• Arcaísmos (pág. 91) e alteração de segmentos (redução vocálica, assimilação, dissimilação, metátese).
• Processos fonológicos (pág. 91) – Identificar arcaísmos e neologismos. Respeitador da diferença/do
1.º – Reconhecer traços da variação da língua portuguesa de natureza diacrónica.
• Neologismos (pág. 99) outro (A, B, E, F, H)
• Variação da língua de natureza – Utilizar apropriadamente os tempos verbais na construção de frases complexas e de textos.
diacrónica (pág. 100) – Analisar frases simples e complexas para: identificação de constituintes; identificação de funções sintáticas; divisão Participativo/colaborador
• Derivação afixal e não-afixal e classificação de orações. (B, C, D, E, F)
(pág. 104) – Reconhecer os contextos obrigatórios de próclise e de mesóclise.
• Pronome em adjacência verbal – Distinguir frases com valor aspetual imperfetivo e com valor aspetual perfetivo. Questionador (A, F, G, I, J)
(pág. 113) – Explicar relações semânticas entre palavras.
• Funções sintáticas (pág. 118) – Usar de modo intencional diferentes valores modais atendendo à situação comunicativa (epistémicos, deônticos e
• Orações subordinadas adverbiais apreciativos).
(pág. 127) – Utilizar, com confiança, formas linguísticas adequadas à expressão de discordância com respeito pelo princípio da
cooperação.

Recursos complementares: Suporte Gramatical, Caderno de Exercícios, Guia do Professor (GP),

Para saber: Gil Vicente – temas, linguagem, tipos sociais, tipos de cómico; Auto da Barca do Inferno – estrutura externa e interna (págs. 144-145)

TESTE FORMATIVO (págs. 146-149)


PLANIFICAÇÃO ANUAL | NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 3 – Os Lusíadas de Luís de Camões


Calendarização/
PERÍODO Descritores do
Textos/Atividades Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Perfil dos alunos
Compreensão ORALIDADE
• Texto expositivo: “Vida e obra de Luís de Compreensão Comunicador (A, B, D, E, H)
Camões” (pág. 153) – Analisar a organização de um texto oral tendo em conta o género ( diálogo argumentativo,
• Documentário: “Camões e Os Lusíadas” (pág. exposição e debate) e o objetivo comunicativo. Conhecedor/sabedor/culto/
160) – Avaliar argumentos quanto à validade, à força argumentativa e à adequação aos objetivos informado (A, B, G, I, J)
• Documentário: “Inês de Castro” (pág. 175) comunicativos.
• Filme (excerto): 1492. Cristóvão Colombo Sistematizador/organizador
(excerto), Ridley Scott (pág. 176) (A, B, C, I, J)
• Canção: “Ela foi para a guerra”, Azeitonas (pág.
180) Respeitador da diferença/do
• Documentário: “Tempestade no Mar. Planeta outro (A, B, E, F, H)
em Fúria” (pág. 188) Expressão
– Fazer exposições orais para apresentação de temas, ideias, opiniões e apreciações críticas. Participativo/colaborador
Expressão – Intervir em debates com sistematização de informação e contributos pertinentes. (B, C, D, E, F)
• Exposição oral (págs. 167; 168; 181; 195) – Argumentar para defender e/ou refutar posições, conclusões ou propostas, em situações de debate
• Reconto (pág. 187) de diversos pontos de vista. Indagador/ Investigador (C, D,
– Estabelecer contacto visual e ampliar o efeito do discurso através de elementos verbais e não- F, H, I)
2.º verbais.
– Avaliar discursos orais com base em critérios definidos em grupo. Criativo (A, C, D, J)

Responsável/autónomo (C, D,
LEITURA E, F, G, I, J)
– Ler em suportes variados textos dos géneros: textos de divulgação científica, recensão crítica e
comentário. Leitor (A, B, C, D, F, H, I)
– Realizar leitura em voz alta, silenciosa e autónoma, não contínua e de pesquisa.
• Texto expositivo/informativo: “A época dos – Explicitar o sentido global de um texto. Crítico/analítico (A, B, C, D,
Descobrimentos. Renascimento, Humanismo e G)
– Identificar temas, ideias principais, pontos de vista, causas e efeitos, factos e opiniões.
Classicismo” (pág. 154) – Reconhecer a forma como o texto está estruturado (diferentes partes e subpartes).
– Compreender a utilização de recursos expressivos para a construção de sentido do texto.
– Expressar, de forma fundamentada, pontos de vista e apreciações críticas motivadas pelos textos
lidos.
– Utilizar métodos do trabalho científico no registo e tratamento da informação.
PLANIFICAÇÃO ANUAL | NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 3 – Os Lusíadas de Luís de Camões


Calendarização/
PERÍODO Descritores do
Textos/Atividades Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Perfil dos alunos
Poemas:
• “Luís, o poeta, salva a nado o poema”, José EDUCAÇÃO LITERÁRIA Comunicador (A, B, D, E, H)
de Almada Negreiros (pág. 152) AE – Ler e interpretar obras literárias portuguesas de diferentes autores e géneros: Os Lusíadas, de Luís
• “Camões e a tença”, Sophia de Mello de Camões […] e poemas (nove de oito autores). Conhecedor/sabedor/culto/
Breyner Andresen (pág. 153) AE – Relacionar os elementos constitutivos do género literário com a construção do sentido da obra em informado (A, B, G, I, J)
• “Inês de Castro”, Miguel Torga (pág. 168) estudo.
• “Mar Português”, Fernando Pessoa (pág. – Identificar e reconhecer o valor dos seguintes recursos expressivos: perífrase, eufemismo, ironia. Sistematizador/ organizador
179) AE – Reconhecer os valores culturais, éticos, estéticos, políticos e religiosos manifestados nos textos. (A, B, C, I, J)
• “O Mostrengo”, Fernando Pessoa (pág. 212) – Expressar, através de processos e suportes diversificados, o apreço por livros e autores em função
AE de leituras realizadas. Respeitador da diferença/do
– Debater, de forma fundamentada e sustentada, pontos de vista suscitados pelos textos lidos. outro (A, B, E, F, H)
Os Lusíadas de Luís de Camões: – Desenvolver um projeto de leitura que implique reflexão sobre o percurso individual enquanto
• “Proposição”: Canto I, est. 1-3 (pág. 157) AE leitor (obras escolhidas em contrato de leitura com o(a) professor(a)). Participativo/colaborador (B, C,
• “Viagem para a Índia e Consílio dos Deuses”: D, E, F)
Canto III, est. 118-135 (pág. 161) AE
• “Despedidas em Belém”: Canto IV, est. 84-93 Indagador/investigador (C, D, F,
(pág. 176) AE H, I)
2.º • “Adamastor”: Canto V, est. 37-60 (pág. 182)
AE Criativo (A, C, D, J)
• “Tempestade e Chegada à Índia”: Canto VI,
est. 70-94 (pág. 188) AE Responsável/autónomo (C, D, E,
• “A Ilha dos Amores”: Canto IX, est. 18-29 F, G, I, J)
(pág. 196) AE, est. 75-84 (pág. 198)
• “Despedidas de Tétis e Regresso a Portugal”: Leitor (A, B, C, D, F, H, I)
Canto X, est. 142-144 (pág. 204) AE
• “Lamentações do Poeta. Exortação a D. Crítico/analítico (A, B, C, D, G)
Sebastião e referência a futuras glórias”: Canto
X, est. 145-146 (pág. 205), est. 154-156 (pág.
205) AE
NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 3 – Os Lusíadas de Luís de Camões


Calendarização/
PERÍODO Textos/Atividades/ Descritores do
Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Exercícios Perfil dos alunos
• Texto narrativo (págs. 160; ESCRITA
187) – Elaborar textos de natureza argumentativa de géneros como: comentário, crítica, artigo de opinião. Conhecedor/sabedor/culto/
• Guião texto dramático (pág. – Elaborar resumos (para finalidades diversificadas). informado (A, B, G, I, J)
195) – Planificar, com recurso a diversas ferramentas, incluindo as tecnologias de informação e a Web, incorporando
• Texto expositivo (pág. 202) seleção de informação e estruturação do texto de acordo com o género e a finalidade. Indagador/investigador (C, D,
• Texto argumentativo (pág. – Utilizar diversas estratégias e ferramentas informáticas na produção, revisão, aperfeiçoamento e edição de texto. F, H, I)
207) – Redigir textos coesos e coerentes, com progressão temática e com investimento retórico para gerar originalidade e
obter efeitos estéticos e pragmáticos. Sistematizador/organizador
– Escrever com correção ortográfica e sintática, com vocabulário diversificado e uso correto dos sinais de pontuação. (A, B, C, I, J)
– Reformular o texto de forma adequada, mobilizando os conhecimentos de revisão de texto.
– Respeitar princípios do trabalho intelectual como explicitação da bibliografia consultada de acordo com normas Criativo (A, C, D, J)
• Pronome relativo (pág. 159; específicas.
206) Comunicador (A, B, D, E, H)
• Orações subordinadas GRAMÁTICA
adjetivas relativas (pág. 159; – Identificar processos fonológicos de inserção (prótese, epêntese e paragoge), supressão (aférese, síncope e apócope) Responsável/autónomo (C, D,
206) e alteração de segmentos (redução vocálica, assimilação, dissimilação, metátese). E, F, G, I, J)
• Orações subordinadas – Identificar arcaísmos e neologismos.
2.º adverbiais (págs. 159; 174) – Reconhecer traços da variação da língua portuguesa de natureza diacrónica. Respeitador da diferença/do
• Processos fonológicos (pág. – Utilizar apropriadamente os tempos verbais na construção de frases complexas e de textos. outro (A, B, E, F, H)
167) – Analisar frases simples e complexas para: identificação de constituintes; identificação de funções sintáticas; divisão
• Variação da língua de e classificação de orações. Participativo/colaborador (B,
natureza diacrónica (pág. 167) – Reconhecer os contextos obrigatórios de próclise e de mesóclise. C, D, E, F)
• Orações coordenadas (pág. – Distinguir frases com valor aspetual imperfetivo e com valor aspetual perfetivo.
174) – Explicar relações semânticas entre palavras. Questionador (A, F, G, I, J)
• Orações subordinadas – Usar de modo intencional diferentes valores modais atendendo à situação comunicativa (epistémicos, deônticos e
substantivas completivas apreciativos).
(pág. 174) – Utilizar, com confiança, formas linguísticas adequadas à expressão de discordância com respeito pelo princípio da
• Pronome em adjacência cooperação.
verbal (pág. 194; 202)
Recursos complementares: Suporte Gramatical, Caderno de Exercícios, Guia do Professor (GP),

Para saber: Epopeia – modelo clássico de epopeia; Os Lusíadas – fontes históricas e fontes literárias; estrutura interna e externa; episódios

TESTE FORMATIVO (“O Mostrengo”, Fernando Pessoa AE, págs. 210-213)


PLANIFICAÇÃO ANUAL | NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 4 – Texto Poético


Calendarização/
PERÍODO Textos/Atividades Descritores do
Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Perfil dos alunos
Compreensão ORALIDADE
• Documentário: “José Gomes Ferreira. Um Compreensão Comunicador (A, B, D, E,
homem do tamanho do século” (pág. 216) – Analisar a organização de um texto oral tendo em conta o género (diálogo argumentativo, H)
• Canção: “Ó sino da minha aldeia”, Maria
exposição e debate) e o objetivo comunicativo.
Bethania (pág. 220)
• Canção: “Horas do tempo”, João Pedro Pais – Avaliar argumentos quanto à validade, à força argumentativa e à adequação aos objetivos Conhecedor/sabedor/culto/
(pág. 224) comunicativos. informado (A, B, G, I, J)
• Canção: “Problema de Expressão”, Clã (pág.
224) Expressão Sistematizador/organizador
• Canção: “Estou além” de António Variações, – Fazer exposições orais para apresentação de temas, ideias, opiniões e apreciações críticas. (A, B, C, I, J)
Humanos (pág. 232) – Intervir em debates com sistematização de informação e contributos pertinentes.
– Argumentar para defender e/ou refutar posições, conclusões ou propostas, em situações de debate de Respeitador da diferença/do
Expressão diversos pontos de vista. outro (A, B, E, F, H)
• Exposição oral (pág. 222) – Estabelecer contacto visual e ampliar o efeito do discurso através de elementos verbais e não-verbais.
• Declamação de poemas (pág. 236) – Avaliar discursos orais com base em critérios definidos em grupo. Participativo/colaborador (B,
• Tira de BD: Viagem com Quino e Mafalda C, D, E, F)
LEITURA
(pág. 228)
• Trabalho de pesquisa (pág. 236) – Realizar leitura em voz alta, silenciosa e autónoma, não contínua e de pesquisa. Indagador/investigador
– Identificar temas, ideias principais, pontos de vista, causas e efeitos, factos e opiniões.
3.º (C, D, F, H, I)
– Expressar, de forma fundamentada, pontos de vista e apreciações críticas motivadas pelos textos
• “III (O tempo parou)”, José Gomes Ferreira lidos. Criativo (A, C, D, J)
(pág. 216) AE – Utilizar métodos do trabalho científico no registo e tratamento da informação.
• “XIX (Errei as contas no quadro)”, José
Gomes Ferreira (pág. 216) AE Responsável/autónomo
• “Recreio”, Mário de Sá-Carneiro (pág. 218) (C, D, E, F, G, I, J)
EDUCAÇÃO LITERÁRIA
AE
• “Ó sino da minha aldeia”, Fernando Pessoa – Ler e interpretar obras literárias portuguesas de diferentes autores e géneros: poemas (nove de oito
Leitor (A, B, C, D, F, H, I)
(pág. 220) AE autores).
• “E tudo era possível”, Ruy Belo (pág. 222) – Relacionar os elementos constitutivos do género literário com a construção do sentido da obra em
Crítico/analítico (A, B, C, D,
AE estudo. G)
• “Quando voltei encontrei os meus passos”, – Identificar e reconhecer o valor dos seguintes recursos expressivos: perífrase, eufemismo, ironia.
Camilo Pessanha (pág. 225) AE – Reconhecer os valores culturais, éticos, estéticos, políticos e religiosos manifestados nos textos.
• “Não sei como dizer-te”, Herberto Helder
– Expressar, através de processos e suportes diversificados, o apreço por livros e autores em função de
(pág. 226) AE
• “As pessoas sensíveis”, Sophia de Mello leituras realizadas.
Breyner Andresen (pág. 228) AE – Debater, de forma fundamentada e sustentada, pontos de vista suscitados pelos textos lidos.
• “Uma pequenina luz”, Jorge de Sena (pág. – Desenvolver um projeto de leitura que implique reflexão sobre o percurso individual enquanto
231) AE leitor (obras escolhidas em contrato de leitura com o(a) professor(a)).
• “Se estou só, quero não ‘star”, Fernando
NOVAS LEITURAS 9 | ASA

SEQUÊNCIA 4 – Texto Poético


Calendarização/
PERÍODO Textos/Atividades/ Descritores do
Domínios / Conhecimentos, capacidades e atitudes
Exercícios Perfil dos alunos
ESCRITA
• Texto narrativo (pág. 219) – Elaborar textos de natureza argumentativa de géneros como: comentário, crítica, artigo de opinião. Conhecedor/ sabedor/ culto/
• Texto de opinião (pág. – Elaborar resumos (para finalidades diversificadas). informado (A, B, G, I, J)
223) – Planificar, com recurso a diversas ferramentas, incluindo as tecnologias de informação e a Web, incorporando seleção de
informação e estruturação do texto de acordo com o género e a finalidade.
• Texto com características Indagador/ Investigador
– Utilizar diversas estratégias e ferramentas informáticas na produção, revisão, aperfeiçoamento e edição de texto.
poéticas (pág. 235) – Redigir textos coesos e coerentes, com progressão temática e com investimento retórico para gerar originalidade e obter (C, D, F, H, I)
• Trabalho de pesquisa (pág. efeitos estéticos e pragmáticos.
236) – Escrever com correção ortográfica e sintática, com vocabulário diversificado e uso correto dos sinais de pontuação. Sistematizador/ organizador
– Reformular o texto de forma adequada, mobilizando os conhecimentos de revisão de texto. (A, B, C, I, J)
– Respeitar princípios do trabalho intelectual como explicitação da bibliografia consultada de acordo com normas
específicas. Criativo (A, C, D, J)

• Funções sintáticas (págs. GRAMÁTICA


Comunicador (A, B, D, E,
217; 221; 227) – Identificar processos fonológicos de inserção (prótese, epêntese e paragoge), supressão (aférese, síncope e apócope) e
H)
• Campo semântico (pág. alteração de segmentos (redução vocálica, assimilação, dissimilação, metátese).
– Identificar arcaísmos e neologismos.
219) Responsável/ autónomo (C,
3.º – Reconhecer traços da variação da língua portuguesa de natureza diacrónica.
• Composição (pág. 221) – Utilizar apropriadamente os tempos verbais na construção de frases complexas e de textos. D, E, F, G, I, J)
• Sinais de pontuação (pág. – Analisar frases simples e complexas para: identificação de constituintes; identificação de funções sintáticas; divisão e
223) classificação de orações. Respeitador da diferença/ do
• Pronome em adjacência – Reconhecer os contextos obrigatórios de próclise e de mesóclise. outro (A, B, E, F, H)
verbal (pág. 227) – Distinguir frases com valor aspetual imperfetivo e com valor aspetual perfetivo.
• Orações subordinadas – Explicar relações semânticas entre palavras.
– Usar de modo intencional diferentes valores modais atendendo à situação comunicativa (epistémicos, deônticos e Participativo/ colaborador
substantivas completivas (B, C, D, E, F)
apreciativos).
(pág. 227) – Utilizar, com confiança, formas linguísticas adequadas à expressão de discordância com respeito pelo princípio da
• Classes de palavras (pág. cooperação. Questionador (A, F, G, I, J)
235)
Recursos complementares: Suporte Gramatical, Caderno de Exercícios, Guia do Professor (GP),

Para saber: Texto Poético – verso, estrofe e rima

TESTE FORMATIVO (“Os estivadores”, Ruy Belo AE, págs. 238-241)

NOTA:
Em 2020/2021, esta planificaçã o poderá ser ajustada de modo a incluir o plano de recuperaçã o e consolidaçã o das aprendizagens relativas a 2019/2020 definido pela
Escola/Agrupamento.

Você também pode gostar