Emprego do sinal indicativo de crase

Crase é uma palavra de origem grega e significa "mistura", "fusão". Nos estudos de língua portuguesa, é o nome dado à fusão ou contração de duas letras "a" em uma só. A crase é indicada pelo acento grave (`) sobre o "a". Assim, apesar do uso corrente, crase não é o nome do acento, mas do fenômeno representado através do acento grave. A crase pode ser a fusão da preposição a com: 1) o artigo feminino definido a (ou as): Fomos à cidade e assistimos às festas. 2) o pronome demonstrativo a (ou as): Irei à (loja) do centro. 3) os pronomes demostrativos aquele(s), aquela(s), aquilo: Refiro-me àquele fato. 4) o a dos pronomes relativos a qual e as quais: Existem comunidades às quais não é possível enviar mensagens. Observe as frases: Encontrei a menina. Gostei da menina. Conversei com a menina. Agradei à menina.

Veja que a crase só ocorreu na última frase. No primeiro caso (Encontrei a menina), o verbo encontrar não exige a preposição a, já que é transitivo direto; por isso, o substantivo menina é precedido apenas de artigo. Nos dois casos seguintes (Gostei da menina e Conversei com a menina), os verbos gostar e conversar, transitivos indiretos, exigem preposição que se contrai (de+a=da) ou não (com a) com aquele artigo. No último caso (Agradei à menina), o verbo agradar, na acepção de "ser gentil", "ser agradável", é transitivo indireto e exige a preposição a, que se contrai com o artigo a resultando em crase.

1ª Regra Prática: Substituia a palavra feminina por uma masculina, de mesma natureza. Se aparecer a combinação ao, é certo que ocorrerá crase antes do termo feminino: y Amanhã iremos ao colégio / à escola. y Prefiro o Corinthians ao Palmeiras / à Portuguesa. y Resolvi o problema / a questão. y Vou ao campo / á praia. y As crianças foram ao largo / à praça.

aquela. Tudo às avessas. aquiloutro. Se essas preposições não se contraírem com o artigo. Acho que o método de ensinar é que deveria ser revisto. . O aluno aprende a recitar os macetes na ponta da língua e continua errando na prática. Vou à Roma dos Césares.) pelo verbo voltar. na(s) ou pela(s). chegar etc. y Refiro-me à menina. ou seja. Ficar decorando regrinhas não leva a nada. y Começou a gritar. (sem crase)Gosto de você / Penso em você / Apaixonei-me por você. Hoje à noite. Ocorrendo a preposição "de". / Voltei da Roma dos Césares. voltar. A regra é uma só: ocorre crase quando houver a junção da preposição "a" com os artigos femininos "a" ou "as" ou com os pronomes demonstrativos a. (sem crase)Gosta de gritar / Insiste em gritar / Optou por gritar. E se ocorrer a preposição "da". por). Voltarei a Curitiba e à Bahia. aqueloutro. vir. então haverá crase: Gente à toa. não cometerá erros e sentirá a crase até quando fala. (com crase)Gosto da menina / Penso na menina / Apaixonei-me pela menina. Pronto! Quem conseguir entender isso não precisará decorar mais nada. se não surgirem as formas da(s). Mais uma regra que deve ser verificada é a de substituir verbos que transmitem a idéia de movimento (ir. / Voltarei de Curitiba e da Bahia. Se a locução começar por preposição e se o núcleo da locução for palavra feminina. Navio à deriva. aquele. Vire à direita. / Voltei de Roma. ou seja. A última regra deve ser usada no caso de locuções. em. haverá crase: Vou a Roma.Segunda Regra Prática: A segunda regra a ser verificada consiste em substituir o termo regente da preposição a por outro que exija uma preposição diferente (de. Tudo às claras. reunião de palavras que equivalem a uma só idéia. não haverá crase: y Refiro-me a você. não haverá crase. aquilo. as.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful