Você está na página 1de 13

Personal Stylist

Apostila do Curso

02. O CLIENTE

Dany Padilla
O Cliente
“ A Imagem construída com inteligência charme ajuda na comunicação com o outro. Incorpora
confiança, não é uma questão de simples vaidade, mas de sobrevivência.”
Constanza Pascolato

01. Conhecendo seu cliente


Ao ser iniciada uma consultoria, é imprescindível que se busquem todas as informações acerca dos
hábitos e personalidades do seu cliente. E como fazer isto? O consultor precisa ser uma “esponja”
e absorver tudo! Busque referências no tipo de roupas que seu cliente já comprou, no tipo de revistas
que ele lê, nos ambientes que ele frequenta e no tipo de trabalho que ele desenvolve. O consultor
PRECISA entender que é um profissional contratado para adequar à vestimenta do seu cliente com
os objetivos pessoais e profissionais deste, respeitando e apurando seu estilo pessoal.

Afinal, a roupa é nossa segunda pele e devemos estar confortáveis com esta!

Existem várias perguntas que podem ser feitas, para que o consultor entenda melhor seu cliente,
a conferir abaixo (fonte: apostila consultor de imagem e estilo Senac)

 Dados Pessoais Gasto médio com roupas por mês:


Hobby:
Nome: Praia/Piscina (prefere qual?):
Endereço: Mar/Montanha:
Bairro: Teatro/Cinema:
Cidade: Livro/Revista:
Cep: Restaurante (freqüenta? Que tipo?):
Telefone: Televisão (assiste que tipo de programa?):
Celular: Música (quais as preferências musicais?):
e-mail: Esporte/Academia (pratica esporte ou
Data de Nascimento: freqüenta academia?):
Estado Civil:
Filhos (se tiver):  Imagem:
Religião:
Perfume (usa?):
 Dados Profissionais Cor preferida:
Tipo de Roupa/Acessório que mais usa:
Escolaridade: Guarda-Roupa arrumado ou bagunçado?
Profissão/Cargo:
Horário/Trabalho:  Corpo:
Meio de Transporte principal:
O que gosta no seu corpo?
O que não gosta no seu corpo?
 Dados Sociais: Como valoriza o que gosta?
Como disfarça o que não gosta? Como você gostaria de ser?
Quais são as suas qualidades?
 Tipo Físico: Quais são os seus defeitos?
Altura:
Cabelo:  Moda, Estilo e Consumo:
Quais as marcas que se identifica?
Cor da Pele: Costuma comprar nessas marcas?
Cor dos Olhos: Admira o estilo de alguma personalidade?
Manequim: Qual (is)?
Peso: O que é moda para você?
Sapato: O que é estilo para você?
Ombro:
 Perguntas de auto-avaliação do
Busto: cliente:
Cintura:
 Como você se define?
Quadril:  Como os outros a definem?
 Como você gostaria de ser?
 Personalidade:  Quais são as suas qualidades?
 Quais são os seus defeitos?
Como você se define?  Qual é o seu objetivo de vida?
Como os outros a definem?

Fundamental: O consultor deve manter relação pessoal com o cliente, jamais íntima!

Normalmente os clientes estão passando por alguma mudança profissional ou pessoal e tentam
contato mais íntimo, perguntam sobre a vida do consultor ou querem contar a sua própria vida.
Tente evitar sinal de apoio ou interesse e mude rapidamente de asunto, mostrando seu
profissionalismo, desta forma.

 Tipo Físico: O cliente deve ser conscientizado de que defeitos e qualidades do corpo
humano podem ser disfarçados ou valorizados através de roupas ideais. Entretanto, estas
satisfações ou insatisfações são totalmente pessoais, isto é, o cliente, neste momento,
tem total direito de não gostar de alguma parte do seu corpo.

Para conhecer a opinião do cliente pergunte:


 O que ele gosta no seu corpo?
 O que ele não gosta no seu corpo?
 Como ele valoriza o que gosta?
 Como ele disfarça o que não gosta?

Consideração: Existem pessoas que não gostam de muitas partes e outras que adoram tudo.
Sugestão: Para quem quer disfarçar muitas partes, o importante é achar o que realmente não
gosta e cuidar dele, sem esquecer de valorizar o que gosta.
Os que não têm do que reclamar, só devem valorizar um item de cada vez.
Roupa X Corpo X Impressão: A roupa pode transmitir três impressões não muito boas:
 A de parecer uma 2ª pele por estar tão colada
 A de ter encolhido na lavagem por estar tão apertada
 A de pertencer à outra pessoa bem maior do que o usuário por estar tão larga

A roupa ideal não esconde e nem mostra demais. Ela seduz o interlocutor, deixa uma
interrogação, um mistério a ser desvendado.

 Questionário Sugerido:
01. Qual é sua profissão? Como é seu ambiente de trabalho? Como se locomove para o trabalho?

02. Pratica algum esporte? Tem algum hobby? Gosta de livros e revistas (quais)? Que tipo de
música gosta?

03. Que tipo de lugares costuma frequentar? Vai a restaurantes, especifique. Como costuma ser
o final de semana?

04. Que tipo de viagem faz e com que frequência?

05. Quais são suas cores preferidas?

06. Onde costuma comprar roupas e por que compra lá? Quanto costuma gastar por mês em
compras de roupas e acessórios?

07. Quais as marcas com as quais se identifica? Costuma comprar estas marcas? Porque?

08. Admira o estilo de alguma personalidade? Por quê?

09. Qual sua roupa preferida (vestidos, saias, etc..)? Qual a peça do seu guarda-roupas que você
mais gosta?

10. Gosta de Acessórios? Quais?

11. Que tipo de roupa você jamais usaria e porque?

12. Usa perfumes? Quais?

13. Qual é a sua idade?

14. Qual a parte do seu corpo que gosta mais? E a parte que gosta menos? Como valoriza o que
gosta e esconde o que não gosta?

15. Como é seu temperamento? Quais suas qualidades e defeitos? Como você gostaria de ser?

16. Qual seu objetivo na vida?

17. Como deseja ser vista por outras pessoas?

18.Tem um objetivo especial para estar procurando um profissional?


19. Estilo Pessoal: Marque um ponto para cada item identificado com sua personalidade. Feche
os olhos e sinta-se como protagonista de um filme a cada imagem projetada. Ou seja, se se
identifica com as características, marque um X na frente delas, se não, deixe em branco.

1) (esportivo) 2) (tradicional)
• Casual • Profissional
• Alegre • Confiável
• Entusiasta • Eficiente
• Energética(o) • Conservadora(o)
• Divertida(o) • Leal
• Amigável • Organizada(o)
• Rápida(o) • Responsável
• Otimista • Sensível
• Natural • Clássica(o)
• Jeans • Tailleur
• Despretensiosa(o) • Verdadeiro
• Tênis • Estável

3) (romântico) 4) (elegante)
• Atenciosa(o) • Culta(o)
• Compassiva(o) • Discernidora(o)
• Gentil • Graciosa(o)
• Romântica(o) • Digna(o)
• Considerativa(o) • Serena(o)
• Sensível • Refinada(o)
• Suave • Meticulosa(o)
• Apoiadora(o) • Reservada(o)
• Calorosa(o) • Impassível
• Compreensiva(o) * Exigente
• Cor de rosa • Lenços
• Babados • Pérolas

5) (dramática) 6) (sensual)
• Afastada • Excitante
• Assertiva • Sedutora(o)
• Confiante • Ousada(o)
• Solicitadora • Glamorosa
• Arrojada • Flertadora(o)
• Adaptável • Sensual
• Remota • Provocadora(o)
• Intensa * Sexy
• Sofisticada • Sugestiva(o)
• Segura • Envolvente
• Exagero • Vermelho
• Dramaticidade • Couro

7) (criativa)
• Liberal
• Artística(o)
• Aventureira(o)
• Independente
• Imaginativa(o)
• Espontânea(o)
• Original
• Inovadora
• Anticonvencional
• Brechó
• Única(o)
• Misturas

20. Em relação ao tipo físico:

Altura:
Cabelo:
Cor da Pele:
Cor dos Olhos:
Manequim:
Peso:
Sapato:
Ombro:
Busto:
Cintura:
Quadril:
7

02. Código do Vestir: A importância da psicologia para


entender seu cliente
Um estudo interessante está no livro “O Código do Vestir”, de Toby Fischer
Mirkin, que nos explica os significados ocultos da roupa feminina e afirma que
existem dois pontos de vista e duas percepções: a que a pessoa deseja transmitir
ao escolher determinada roupa, e a que ela realmente informa ao seu interlocutor.

Ou seja: Você sabia que toda história tem dois pontos de vista, não? O de quem
fala e o de quem escuta. E com a moda é assim também e você precisa tomar
certos cuidados para não passar os sinais errados com seu tipo de vestimenta.

Quer um exemplo? Usar uma roupa sexy demais e depois reclamar que o cara está
mais ligado no seu “derriere” do que no seu cérebro é um problemão, pois, se você
sai vestida para matar, não tem camadas para descascar, não é uma mulher que
pode ou queira ser desvendada aos poucos, ser conquistada.

Minha dica, aqui, é tentar captar o máximo da personalidade do seu cliente e


explicar estes conceitos dos visuais que aqui intitulo de “Fashion Victim”,
“Abominável Monstro das Grifes”, “Conformista”, “Sensual”, “Fru Fru”, a
conferir abaixo:

 Fashion Victim

Esta obra pertence à Dany Padilla, sendo vedado o uso deste sem autorização expressa da autora.
www.esciladeestilo.com.br - contato@danypadilla.com.br
8

Fashion Victim é aquela pessoa que precisa seguir a última moda, sem se preocupar se
esta está de acordo com seu tipo físico, estilo pessoal ou humor de cada dia. E,
infelizmente, esta pessoa, provavelmente uma compradora compulsiva, que descarta a
maior parte de suas roupas ao final de uma estação, na verdade esconde uma grande
insegurança e tenta driblar um vazio em sua vida com as compras. É verdade que ela deve
pensar que suas melhores amigas são as vendedoras das lojas, afinal, elas nunca se
esquecem dela. O que nossa cliente aqui deveria estar verificando são as verdadeiras
carências dela e os reais motivos para estas compras exageradas.

Pois, infelizmente, a necessidade de aceitação dela, que a faz consumir por absoluta
vontade de ser aceita e de pertencer a determinada casta, cujo código é a vestimenta, na
verdade aumenta, para os que a veem e analisam, o sentimento de que aquela pessoa é
terrivelmente insegura e que está com a autoestima em frangalhos. Diria até mesmo que
ela é uma pessoa competitiva e com personalidade fraca! Por isto, tente explicar este
conceito às suas clientes e mostrar que uma calça saruel, por mais na moda que possa
estar, se não se adéqua à determinadas pessoas (baixinhas, gordinhas e pessoas com
quadris largos estão PROIBIDAS de ter tal peça em seu armário, por favor!).

Tente encontrar um estilo só dela! Comece devagar, sugerindo peças mais clássicas, que
poderão ser aproveitadas por mais de uma estação, deixando de lado, aos poucos, as peças
muito chamativas... e, aos poucos, você poderá inserir um acessório aqui e ali, estes sim,
de acordo com a personalidade dela. E, montando looks de acordo com marca pessoal
dela, aí sim, as pessoas vão respeitá-la e perceber a personalidade intrínseca que existe
ali.

Esta obra pertence à Dany Padilla, sendo vedado o uso deste sem autorização expressa da autora.
www.esciladeestilo.com.br - contato@danypadilla.com.br
9

 Conformista

Conformista: vestimentas que dizem “Não me importo” transmitem a idéia de que não nos
sentimos confortáveis no poder, nem dignas de respeito. Portanto, evite a roupa monótona,
como blazers desbotados, conjuntos sem-graça ou camisa cáqui.

A Conformista é a cliente “apagada”, ou seja, é aquela pessoa que adoraria passar


despercebida e que, para isto, tenta camuflar sua alma, vestindo-se exatamente da mesma
forma que as outras pessoas de sua convivência (exemplificando: usar terninho preto +
camisa branca + scarpin preto + ausência de acessórios, em escritório de advocacia), ou,
ainda, é tão tímida que faz as piores escolhas possíveis, somente para desaparecer em
meio à multidão.

É comum, neste grupo, pessoas que usam cores apagadas, como cinza ou bege, e roupas
disformes ou antigas, ou, ainda, acessórios fora de moda ou sem nenhuma personalidade.
A imagem que ela quer passar é de uma pessoa que não se importa com códigos de
relacionamento, e moda em geral, afinal, a competência dela fala por si só.

E eu vi muita gente com este perfil onde menos deveriam estar, que é entre gerentes de
banco estatal e, também, em repartições públicas. É como se, como a maior parte destas
pessoas são concursadas, elas usassem um cartaz do tipo: já consegui o emprego que
desejo e não preciso mais me preocupar com nada, afinal, não corro risco de ser demitida!
Ok, não corre risco de ser demitida, mas, tampouco, promovida.

As pessoas conformistas crêem que seus interlocutores vão conseguir enxergá-la por
inteiro, pois não existem cores ou acessórios para atrapalhar seus dotes intelectuais, mas,
na verdade, acabam deixando-a invisível aos olhos de todos.

Mas, o que ocorre é o oposto: É como se as pessoas que interagissem pensassem: Ah...
eu não quero prestar atenção nesta pessoa ou perder meu precioso tempo com ela, afinal,

Esta obra pertence à Dany Padilla, sendo vedado o uso deste sem autorização expressa da autora.
www.esciladeestilo.com.br - contato@danypadilla.com.br
10

ela sequer se preocupou em se arrumar um pouquinho melhor para a tal reunião ou evento
social.

Enfim, dão impressão de serem desleixadas, monótonas, pouco espertas ou pouco


inteligentes. E acabam realmente sendo invisíveis e passando despercebidas. E como
fazer para mudar?

Então, dica básica para a conformista: Além de começar a praticar o amor a si mesma,
comece a usar lingeries sedutoras ou diferentes. Mas que tipo de conselho é este? Simples:
você começa mudando sua cliente de dentro para fora, de forma discreta, usando roupas
íntimas, um detalhe no sapato ou uma bijuteria diferente, tudo de forma gradual e ao longo
da consultoria.

 Frívola
Frívola: acessórios ou roupas exageradamente frívolos acabam com o profissionalismo
e lançam dúvidas sobre a firmeza de sua capacidade em tomar decisões.

Feche os olhos: imagine cor-de-rosa! Pense em cor-de-rosa num romântico vestido cheio
de laçarotes + scarpin em tom pastel + cinto delicado + rendas. Imagine aquela moça bem
fresca, fútil, perua ou patricinha, que passa horas e mais horas na frente do espelho se
arrumando.

Este é o visual que chamo simplesmente “Fru-Fru”. Da linda moça que transmite a
imagem de cabecinha oca, que passa o dia em shoppings ou lendo revistas de moda e que,
quando pensa em aquecimento global, imagina o calor do secador arrebentando seus
cabelos.

Enfim, imagine que ela tenta trabalhar em grupo, mas seus colegas não interagem por
achar que ela está acima deles na escala social e abaixo deles no quesito intelectual. Ela
tenta a promoção e seu chefe pensa: “Tem gente que leva o trabalho mais a sério que esta
moça, que não precisa do seu emprego para viver”.

Esta obra pertence à Dany Padilla, sendo vedado o uso deste sem autorização expressa da autora.
www.esciladeestilo.com.br - contato@danypadilla.com.br
11

E sabe do pior? O visual fru-fru ou polido demais atrapalha a leitura da real personalidade.
Ela parece um frágil cristal da Boêmia, com necessidade de proteção, pois poderá se
quebrar ao menor sinal de tensão no ar. Ou sofisticada demais e sem necessidade de lutar
pelo pão nosso de cada dia.

Solução: Garimpe acessórios em brechós, agregando-os ao visual, no melhor estilo


“High&Low”. Ou tempere o visual “girlie” com acessórios de peso, como ankle boots,
sapatos Oxford, bolsas carteiro, etc... ou, ainda, “destempere” o “adocicado” dos
babados da blusa com uma calça em alfaiataria ou um blazer de bom corte masculino.

Desta forma, existia um equilíbrio no visual, a fim de passar uma imagem mais
competente e séria e deixar a personalidade da sua cliente aflorar. Enfim, o segredo é
tentar dar mais força ao visual frágil!

 Abominável Monstro das Grifes

Cuidado com o
“Despacho das
Grifes”. Não convém
usar tudo de uma
vez.

Nossa cliente “Abominável Monstro das Grifes” adora se cobrir com um “paninho” com
pinta de caro, para, provavelmente, impressionar a todos os que a vêem.

Esta pessoa, normalmente, recebe a alcunha de “noveau-richie”, pois seu dinheiro não
vem de berço e sim ganho tardiamente, através de um casamento ou de algum
empreendimento multimilionário. E, infelizmente, tão logo ela muda de classe social,
adquire todos os monogramas fabricados desde o século dezoito, de todas as marcas
famosas e, pior, usa tudo junto e misturado.

E o que fazer? Explicar o conceito de classe como sendo o polimento que não se pode
comprar, a vestimenta que vem do berço. E também que quanto mais símbolos de riqueza

Esta obra pertence à Dany Padilla, sendo vedado o uso deste sem autorização expressa da autora.
www.esciladeestilo.com.br - contato@danypadilla.com.br
12

juntos, mais sua cliente informa que não tem personalidade, segurança e que falta estilo
para se impor. Afinal, por que não usar uma T-Shirt Hering de R$ 50,00 branca e lisa,
junto com aquela maravilhosa saia Gucci e uma aliança de brilhantes Tiffanýs ou Cartier?

E o que esta pessoa deveria fazer é tentar, de alguma forma, entender que a eficácia e
destaque que ela busca sendo a mulher mais vestida da festa é, na verdade, ilusória.

A vida é prática e corrida, minha amiga. E hoje as moedas mais disputadas e valorizadas
são cultura, bondade, amor ao próximo, conteúdo intelectual, para citar algumas.

E por que as roupas seguem por este mesmo caminho da praticidade e conteúdo? Simples:
o mundo mudou e não existe mais espaço para pessoas que passam o dia pensando em si
mesmas e no efeito que suas roupas de grife causarão.

Resumindo: Pratique o High & Low com ela, compre peças grifadas, mas sem ostentação
de etiquetas aparecendo. Mostre para ela a importância de um bom corte e caimento.
Lembre de Jackie Kennedy Onassis, a mulher mais elegante do planeta.

 Sensual
Sensual: vestir-se de maneira sexy sugere que você não tem confiança no seu trabalho ou idéias e
precisa de ardis sexuais para vencer batalhas. Evite saias curtas, tecidos transparentes, tops sem
alça, falta de sutiã, etc.

Com já foi dito por aqui, toda roupa transmite uma imagem a respeito de quem a usa e
espero que já tenha entendido este ponto! Afinal, é muito importante que você perceba
que a imagem que deseja transmitir pode não estar de acordo com a imagem que está
realmente passando.

Quer um exemplo? Feche os olhos e se imagine em uma festa. Qual seu look ideal?
Aposto que pensou em um vestido curto, colado no corpo, num tecido sensual e
vertiginosos saltos altos. Acertei?

Esta obra pertence à Dany Padilla, sendo vedado o uso deste sem autorização expressa da autora.
www.esciladeestilo.com.br - contato@danypadilla.com.br
13

E, com esta escolha você pensa: Este vestido sexy vai me mostrar receptiva, atraente e
segura. Certo? Mas, saiba que, na verdade, este vestido pode mostrar aos outros que você
está vulnerável e impotente, pois muito do seu corpo está à mostra e saltos altíssimos e
vestido colado não deixarão que você se movimente de forma natural. E, pior, as outras
mulheres vão ficar aborrecidas, pois os homens estarão te olhando muito e,
provavelmente, vão te deixar de lado, e sua sensação de insegurança vai aumentar.

E sabe o pior? Canso de escutar mulheres que se vestem assim me dizendo: Poxa, Dany,
não sei o que acontece, pois nenhum cara legal me leva à sério, todos só querem ficar,
mas ninguém quer namorar... Óbvio!!! Enquanto você deixar seu corpo mais exposto que
seu cérebro, isto sempre vai acontecer... mas, se você começar a usar o jogo de mostra e
esconde o corpo, as pessoas ficarão curiosas e tentarão "ler" a pessoa que está por trás de
ti. Lembre: "Nossa imagem externa é nosso mensageiro, uma declaração pública. Alguns
disfarces estão fortemente ligados aos nossos medos mais íntimos e, nestes casos, um
vestido funciona como um escudo para nos ocultar e proteger". (Gianni Versace)

Continuando: Algumas mulheres, gostam de mostrar seu corpo ao máximo, e se esquecem


de que “menos” no vestir chama mais atenção que o “mais”! Num ambiente corporativo,
por exemplo: quanto mais você explorar seu corpo, menos conseguirá mostrar que
realmente possui competência, afinal, o corpo foi eleito como a estrela da sua produção e
deixou inteligência e competência como coadjuvantes desta! É aquela história: a estrela,
no trabalho, precisa ser a competência, inventividade, e criatividade. E, quanto mais
exposta estiver, mais estará dizendo o seguinte: Não confio em mim o suficiente e preciso
mascarar meu cérebro limitado com roupas justas e colantes.

Cuidado, esta é das piores armadilhas, pois vulgariza. E, para completar, ao invés de te
ajudar a ter confiança necessária para elevar sua autoestima, este visual arrogante e
pseudo poderoso poderá afastar as pessoas de boa intenção. Por isto, evite, no ambiente
corporativo: saias muito curtas, roupas transparentes e que mostrem o sutiã, vestidos e
blusas tomara-que-caia, decotes profundos demais, blusas curtas que mostrem a barriga.
Enfim, tudo aquilo que chamar atenção para o corpo. Mesmo uma roupa comprida, mas
justa demais e com apelo sensual, precisa ser evitada.

E, fora do ambiente corporativo, cuidado com o visual sexy exarcebado, principalmente


se já passou da idade do uso deste! Ou seja, quando vemos mulheres mais maduras
vestindo mini-saias ou usando cabelões longos demais, ou roupas justas demais, elas,
consciente ou inconscientemente, tentam mostrar que o tempo não passa e que continuam
tão poderosas quanto aos vinte e poucos anos.

Esta obra pertence à Dany Padilla, sendo vedado o uso deste sem autorização expressa da autora.
www.esciladeestilo.com.br - contato@danypadilla.com.br

Você também pode gostar