Você está na página 1de 36

UNIFEI/Itabira

Engenharia da Mobilidade

Fundações e Obras de Terra


Unidade I - Generalidades sobre Fundações

Profa. Msc. Cátia de Paula Martins


Apresentação
1 - Introdução

2 - Classificação

3 - Considerações sobre Fundações

4 - Capacidade suporte do Solo

5 - Escolha do tipo de fundação

6 - Normas
1 - Introdução
 O que são?
fundação
elemento estrutural
transmitir cargas
camada resistente do solo
“raízes” da construção

 Grande importância estrutural

 Custo: 4 a 10 % do custo global

 Podem inviabilizar o empreendimento


1 - Introdução
 Histórico
 Desde muitos anos constrói-se sobre o solo => muitas construções
baseadas no empirismo (ausência de teoria científica)
Exemplos: Torre de Pisa, Pirâmides do Egito e etc.

 Karl Terzaghi (1883 - 1963):


Verificou a possibilidade de previsão da capacidade de carga e do
recalque de uma fundação baseado na descrição geotécnica-geológica
do solo e em métodos analíticos.

 Solo: material natural, não - homogêneo e anisotrópico

 Parâmetros do solo: investigação geotécnica e experiência

 Hoje têm-se muitas ferramentas que permitem análises sofisticadas


dos problemas de solos e fundações, porém essas análises só
conduzirão a resultados satisfatórios se as características tiverem uma
avaliação segura.
2 - Classificação
 Quanto à transmissão de carga

 Fundações Diretas => aquelas em que a transmissão de carga para


o solo é feita preponderantemente pela base
2 - Classificação
 Quanto à transmissão de carga

 Fundações Indiretas => aquelas em


que a transmissão de carga para o solo é
feita preponderantemente pela superfície
lateral (fuste). A capacidade de suporte
pela base é pequena (res. de ponta).
2 - Classificação
 Quanto à profundidade da cota de apoio

 Fundações Rasas => aquelas em que a camada resistente à carga da


edificação se encontra a MENOS de 3 m de profundidade

Exemplos: sapatas, radiers, blocos e alicerces.

 Fundações Profundas => aquelas em que a camada resistente à


carga da edificação se encontra a MAIS de 3 m de profundidade
Fundações Diretas e Rasas
Sapatas para alavenaria

Radiers (lajes de concreto armado em


Alicerce (maciço de alvenaria)
contato direto com o solo, que
descarregam as cargas – pilares e paredes)
sobre uma grande área)
Fundações Diretas e Rasas
Fundações Diretas e Profundas
Tubulão à céu aberto
Fundações Diretas e Profundas
Tubulão à ar comprimido

 utilizado em terrenos que apresentam dificuldade de


empregar escavação mecânica ou cravação de estacas (áreas
com alta densidade de matacões, lençóis d´água elevados ou
cota insuficiente entre o terreno e o apoio da fundação)
Fundações Indiretas e Profundas
Estacas (elemento de fundação cravado ou não)

 Com deslocamento (sem retirada de solo)


- Ocorre o deslocamento lateral do solo durante o processo executivo.
Exemplos: pré-moldada de concreto; metálica; madeira e tipo Franki.

 Sem deslocamento (com retirada de solo - escavadas)


Exemplos: broca manual; tipo Strauss; trado rotativo; hélice contínua e Raiz.
Estaca com deslocamento
Pré-moldada
Estaca com deslocamento
Metálicas
Estaca com deslocamento
Madeira
Estaca com deslocamento
Tipo Franki
Estaca sem deslocamento
Broca Manual
Estaca sem deslocamento
Tipo Strauss
Estaca sem deslocamento
Trado Rotativo
Estaca sem deslocamento
Hélice Contínua
(solos mais resistentes/abaixo do NA)
Estaca sem deslocamento
Raiz
(perfuratriz com circulação d’água/regiões de difícil acesso/pequeno ɸ)
3 - Considerações sobre as Fundações
 Transferências de cargas:
superfície superfície
do terreno do terreno

Bulbo de
Pressões

Solo
resistente Solo
resistente

PROBLEMAS !!!
Solo pouco resistente Solo pouco resistente
3 - Considerações sobre as Fundações
 Capacidade de Carga:
 Carga que provoca a ruptura da fundação;
 Influenciada pelas dimensões e pelo posicionamento da fundação,
porém depende principalmente da resistência e da compressibilidade
do solo e da posição do nível d’água.

 Ruptura:
 Ocorre quando a tensão no interior do maciço de solo de fundação
supera a resistência do material provocando a destruição da estrutura
do solo ou da rocha ao longo de uma determinada superfície (plano de
ruptura).

 Adensamento do Solo:
 Deformação do solo que ocorre à medida em que a água vai sendo
expulsa pelo excesso de pressão aplicada pela fundação.
3 - Considerações sobre as Fundações
 Recalques:
 Homogênio

Aterro
(1o estágio)

superfície

Aterro
(2o estágio)
superfície

deformação no solo de fundação


3 - Considerações sobre as Fundações
 Recalques:
 Diferencial

Aterro
(1o estágio)

superfície

Aterro
(2o estágio)
superfície

deformação maior em uma porção


3 - Considerações sobre as Fundações
 Recalques:

Recalque (mm)

tempo
3 - Considerações sobre as Fundações
 Recalques:
- Torre de Pisa (Itália)

59 m
1174 - 1350 22 m
3 - Considerações sobre as Fundações
 Recalques:
- Torre de Pisa (Itália)

Areia argilosa (4,3 m)


Areia pura (6,3 m) Bulbo de
pressões

Argila marinha
3 - Considerações sobre as Fundações
 Recalques:
- Prédios na região de Santos

Areia pouco argilosa

Argila marinha
3 - Considerações sobre as Fundações
 Comportamentos Especiais:
 Solos expansíveis

Pressão de expansão

Exposição à água Absorção de água

Argilas do grupo das ESMECTITAS


3 - Considerações sobre as Fundações
 Comportamentos Especiais:
 Solos colapsíveis
- Solos não saturados que, quando umedecidos, perdem rapidamente a
força de coesão entre os grãos que o compõe e literalmente desabam
em sua matriz.

 Relevos Cársticos (com cálcario)


+30% de carbonato de cálcio

Causado pelo rebaixamento do lençol freático


4 - Capacidade Suporte do Solo
 Como saber a capacidade de resistência do solo?
SONDAGEM (INVESTIGAÇÃO DO SUBSOLO)
(Essa tabela não é mais utilizada!)
5 - Escolha do Tipo de Fundação
 Importante:
 O projeto de fundações não é tão exato do ponto de vista
matemático quanto o de estruturas, pois trabalha-se com a natureza.

 Análise do terreno e da vizinhança antes do cálculo matemático.

 A experiência e a verificação de fundações vizinhas auxiliam na


escolha da fundação.

 Aspectos a considerar para a escolha do tipo de fundação:


 Quem define o tipo de fundação?
- Obras de grande porte => empresas de projeto especializada
- Obras de pequeno porte => o próprio construtor

 De quem é a responsabilidade?
- Obras de grande porte => construtora
- Obras de pequeno porte => próprio construtor
5 - Escolha do Tipo de Fundação
 Aspectos a considerar para a escolha do tipo de fundação:
 Quem executa as fundações?
Depende do tipo de fundação.

 Do que depende o tipo de fundação?


- Solo
* Capacidade suporte do solo
* Nível do lençol freático

- Carregamentos (intensidade)
* Construções de pequeno porte
* Construções de grande porte
6 - Normas
 NBR 6122/2010: “Projeto e Execução de Fundações”

 NBR 8036/1983: “Programação de Sondagens de Sondagens de


Simples Reconhecimento dos Solos para Fundações de Edifícios”

 NBR 6484/1980: “Execução de Sondagens de Simples


Reconhecimento”

 NBR 7250/1982: “Identificação e Descrição de Amostras de Solos


Obtidos em Sondagens de Simples Reconhecimento dos Solos”

 NBR 6118/2003: “Projeto de Estruturas de Concreto –


Procedimento”
Referências Bibliográficas
 VELLOSO, Dirceu a.; DE REZENDE LOPES, Francisco. Fundações -
Volume Completo. Editora: Oficina de Textos. I.S.B.N.: 9788579750137.

ALONSO, Urbano Rodrigues. Previsão e Controle das Fundações: uma


introdução ao controle da qualidade em Fundações. Edgard Blücher. ISBN:
85-212-0018-8.