Você está na página 1de 3

RESOLUÇÃO UnC-CONSUN 012/2015

Dispõe sobre os Procedimentos para


Abreviação de Cursos de Educação
Superior.

A Presidente do Conselho Universitário – CONSUN, da Universidade do


Contestado - UnC, no uso de suas atribuições, de conformidade com o disposto no
Art. 7º do Regimento e o deliberado pelo Conselho, em reunião realizada no dia 12
de junho de 2015, com base no Parecer nº 013/2015,

RESOLVE:

Art. 1º O aluno, regularmente matriculado em Curso Superior de graduação,


que comprovar através de avaliações específicas, extraordinário conhecimento nos
conteúdos da disciplina, pode ter abreviada a duração do curso.

Parágrafo único: Para requerer a abreviação do curso, a disciplina requerida


deve estar sendo ofertada no semestre em que for solicitada a abreviação e o aluno
deve estar matriculado na disciplina.

Art. 2º A abreviação de curso é requerida para a Coordenação de Curso,


devendo ser protocolada na Secretaria Acadêmica.

§ 1º A solicitação de abreviação de curso é feita por disciplina(s) do curso,


requerida no início de cada semestre letivo.

§ 2º O procedimento de abreviação de curso pode acontecer uma única vez


por disciplina.

Art. 3º Cabe ao Coordenador do Curso:


I. Analisar e deferir o requerimento,
II. Constituir e publicar através de edital, no prazo máximo de 30 (trinta) dias
do deferimento, uma Banca Examinadora composta por 3 (três) professores do
curso, sendo 1 (um) o professor da disciplina pleiteada.

Art. 4° O Coordenador do Curso publicará no prazo máximo de 30 (trinta) dias


do deferimento o edital do processo de avaliação, explicitando as seguintes
informações:
a) datas, local e horário das provas;
b) conteúdos programáticos extraídos da ementa da disciplina;
c) tema para elaboração do artigo científico;
d) referências bibliográficas;
e) critérios de aprovação.
Art. 5º A abreviação de curso se dá por disciplina e deve ser feita através de
3 (três) instrumentos de avaliação elaborados pela Banca Examinadora, sendo:
I. Prova escrita;
II. Artigo científico de tema relacionado à disciplina;
II. Arguição oral perante banca examinadora, registrada em ata.

Art. 6º A abreviação de curso é concedida ao aluno que obtiver média final


igual ou superior a 8,0 (oito).

§ 1º Cada membro da banca examinadora deve atribuir nota na escala de 0,0


(zero) a 10,0 (dez) para a avaliação constante do item II e III do caput do artigo 4º.

§ 2º A média final do aluno resulta da média aritmética das notas obtidas,


respeitados os seguintes pesos:
I. Nota da prova escrita com peso de 50%;
II. Resultado da média aritmética dos três avaliadores do artigo científico com
peso de 20%;
III. Resultado da média aritmética dos três avaliadores da arguição oral com
peso de 30%.

Art. 7º Concedida a abreviação de curso, a nota final será encaminhada, por


disciplina, pela Coordenação de Curso à Secretaria Acadêmica.

Parágrafo único: As notas das avaliações e a média final compõem o


Histórico Escolar do aluno, e o processo integra a documentação do aluno.

Art. 8º É vedada abreviação de curso em disciplinas que o aluno tenha


reprovação por nota.

Art. 9º Fica vedada abreviação de curso quando se tratar das disciplinas de


Estágio Curricular Supervisionado Obrigatório, Atividades Práticas, Trabalho de
Conclusão de Curso – TCC e/ou similares.

Art. 10º Pela participação no processo de Abreviação de Curso, cada


professor recebe 02 (duas) horas/aula.

Parágrafo único: Pela elaboração da prova escrita a ser aplicada pela banca,
o professor responsável recebe adicional de 02 (duas) horas-aula.

Art. 11 Se o requerimento for deferido a realização da abreviação fica


condicionada ao pagamento da taxa específica e dos créditos da disciplina.
Art. 12 Fica limitada a abreviação de curso em 02 (duas) disciplinas ao longo
do curso.

Art. 13 É vedada a abreviação de cursos em disciplinas oferecidas em Cursos


Superiores de extensão, de Pós-Graduação lato sensu e stricto-sensu.

Art. 14 O resultado apresentado pela banca examinadora é irrecorrível, salvo


em caso de manifesta irregularidade por inobservância de disposições legais ou
regimentais, hipótese em que cabe recurso, em primeira instância, ao Colegiado de
Curso, e em segunda instância, ao Conselho Universitário – CONSUN, observados
os prazos recursais definidos pela UnC, a contar da data da publicação do resultado.

Art. 15 A presente Resolução entra em vigor nesta data, revogada a


Resolução UnC-CONSUN 057/2013 e as disposições em contrário.

Mafra, 12 de junho de 2015.

Solange Sprandel da Silva


Presidente do Conselho Universitário

Você também pode gostar