Você está na página 1de 50

Biologia do Envelhecimento - “Como nosso

corpo envelhece”?

Dra. Verônica Farina Azzolin


Dra. em Farmacologia e PhD em
Gerontologia pela Universidade
Federal de Santa Maria- RS
Envelhecimento= Inter- relação entre diversos fatores

O envelhecimento
humano é amplamente
determinado pela
inter-relação complexa de
fatores biológicos,
culturais, sociais, políticos
e econômicos.

Martinez-Maldonado et al., 2016


Expectativa de vida no Brasil
Expectativa de vida saudável e envelhecimento biológico

❑ O envelhecimento faz parte da biologia dos seres


humanos, isso é inalterável, entretanto podemos estender
a expectativa de vida saudável através da compreensão
do envelhecimento biológico!
Envelhecimento Biológico, difícil de se conceituar

Difícil de ser definido!

Controverso

“O envelhecimento biológico representa um conjunto de


modificações que ocorrem no organismo, e que levam ao seu
declínio funcional e que aumentam progressivamente a chance do
individuo morrer.” Sir Peter (Brian) Medawar, 1952
Envelhecimento é parte do
desenvolvimento biológico

Zigoto Embrião Infância Período Reprodutivo Envelhecimento Morte


Longevidade? Tempo de vida?

TEMPO DE VIDA
Nascimento Morte
Características do envelhecimento biológico

Deletério: Reduz a função


biológica

Progressivo: Mudanças
são graduais

Universal: Ocorre em Intrínseco: Depende das


todos os membros de uma características espécie-
espécie específicas

(Sthelier, 1982)
Características principais do envelhecimento biológico

❑ Tem origem multifatorial;

❑ Pode ser Acelerado e Desacelerado mas não pode


ser interrompido e nem evitado;

❑ Não é um estado mórbido ainda que a


probabilidade de doenças seja mais alta;

❑ Sempre está acompanhado com a queda nas taxas


de fecundidade e aumento das taxas de
mortalidade.
Teorias biológicas do envelhecimento

TEORIAS

Genético
Estocásticas desenvolvimentista/
programáticas
▪ Relações aleatórias ▪ Processos programados a
acumuladas durante a vida partir do desenvolvimento
embrionário e do
crescimento
“Relógio Biológico”
Teorias do envelhecimento biológico

Segundo Arking, 2008

Teorias Estocásticas Teorias Genéticas

▪ Estresse oxidativo ▪ Acumulo de Mutações


▪ Erro catastrófico ▪ Pleiotropia antagonista
▪ Mudança pós tradução de ▪ Imunológica
proteínas ▪ Neuroendócrina
▪ Mutações somáticas e reparo do ▪ Teoria metabólica
DNA ▪ Teoria da apoptose
▪ Teoria da desdiferenciação ▪ Telomérica/ Senescência celular
Telomerase no Envelhecimento Biológico

±50 divisões celulares


Limite de Hayflick
Como o envelhecimento biológico acontece?

DNA Células Tecidos Órgãos Sistemas Organismo


Senescência Celular: Pode ser vista na seu rosto
Estresse Oxidativo

O2

Organismos
aeróbicos

ATP

Espécies Reativas
Estresse Oxidativo

Morte da
célula

EROS
Causando
danos

Danos as células
e tecidos
corporais

Favorecem a formação de EROS: Estresse Oxidativo


✓ Luz Ultravioleta;
✓ Substâncias Químicas;
✓ Cigarro; Aparecimento
✓ Estresse de doenças
Como podemos prevenir o envelhecimento via teoria dos
Radicais Livres?

Sistema
Sistema
Exógeno
Endógeno
Antioxidantes

SOD GPX Vitamina cafeína


A/E
CAT
POLIFENÓIS

Substâncias que em baixas concentrações atuam impedindo a formação de


espécies reativas ou combatendo as já formadas.
Afinal o que é envelhecer?

O envelhecimento é uma fase natural da vida,


determinada basicamente por dois fatores:
Envelhecimento não pode ser interrompido
nem revertido

25% Fatores Genéticos


hereditários
+
75% Fatores Sócio-
Ambientais
Estilo de Vida
Poluentes
Aspectos sócio-econômicos
e culturais

MAS MODIFICAR OS SINAIS É POSSIVEL!


O envelhecimento biológico ocorre em efeito
dominó

Alterações

Desenvolvimento
das doenças Disfunções
crônicas não em órgãos
transmissíveis
Aspectos fisiológicos básicos do envelhecimento

COMPOSIÇÃO CORPORAL

Toda a celularidade diminui, reduzindo a função dos órgãos,


continuamente.
A musculatura vai diminuindo, especialmente as fibras tipo II, de contração
rápida, como as encontradas nas mãos.

•Diminuição da água intracelular – desidratação fisiológica (turgor


x confusão);
•Diminuição da massa celular;
•Diminuição do tecido mineral ósseo;
•Diminuição da densidade corpórea.
Guanabara
(Pereira SRM In: Freitas EV, Py L (Org). Tratado de geriatria Koogan, Cap14
e gerontologia. 2017 Fisiologia do Envelhecimento. 4 ed. Rio de Janeiro):
Aspectos fisiológicos básicos do envelhecimento

PESO E ALTURA
Guanabara Koogan, 2017
•Diminuição da altura em aproximadamente 1cm por década
(encurtamento dos discos vertebrais, enrijecimento das articulações,
cifose dorsal, arqueamento dos MMII);

•Acúmulo de gordura e redução de massa magra – obesidade


sarcopênica;

• Aumento do tecido gorduroso (distribuição centrípeta);

• Redução do peso dos órgãos;

• Redução do peso total a partir dos 65 anos.

(Pereira SRM In: Freitas EV, Py L (Org). Tratado de geriatria e gerontologia. Cap14 Fisiologia do Envelhecimento. 4 ed. Rio de Janeiro):
Aspectos fisiológicos básicos do envelhecimento

MUSCULATURA

Perda muscular acelerada, chegando a


30%, por década, aos 70 anos e,
praticamente a metade aos 80 anos.
Essa redução ocorre tanto em número
quanto no volume das fibras
(especialmente o m. esquelético).

A atividade física,
independentemente da idade,
aumenta a força e a velocidade
muscular, além de prevenir perda
óssea, quedas, hospitalizações e
melhorar a função articular.

Pereira SRM In: Freitas EV, Py L (Org). Tratado de geriatria e gerontologia. Cap14 –
Fisiologia do Envelhecimento. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017
Aspectos fisiológicos básicos do
envelhecimento

MARCHA, POSTURA E EQUILÍBRIO

É comum uma certa hesitação no andar, menor balanço


dos braços e passos menores.
Há redução na amplitude dos movimentos, tendendo a
Aspectos fisiológicos básicos do
modificar a marcha, passos mais curtos e mais lentos com
envelhecimento
tendência a arrastar os pés. A base de sustentação se amplia
e o centro de gravidade corporal tende a se adiantar, em
busca de maior equilíbrio.

Para vencer as dificuldades o idoso diminui o tamanho


dos passos e anda mais devagar. O grande problema
nos distúrbios da marcha é a queda, com todas as
complicações posteriores.
(Clarke e Sokoloff, 1999)
Aspectos fisiológicos básicos do
envelhecimento
SONO E REPOUSO
As queixas de insônia, sonolência
diurna, despertares durante a noite e
sono pouco reparador são
frequentes.

•Acordam fácil e demoram a adormecer;


•Dormem menos horas por dia – menor gasto de energia.
•Sono entrecortado – apnéia;
•Sonolência durante o dia;
•Cansaço, mau humor;
•Diminuição da memória, cefaléia
e até depressão.
gerontologia. Cap14 – Fisiologia do Envelhecimento. 4 ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2017
Aspectos fisiológicos básicos do envelhecimento

PELE

•Lentificação na renovação epidérmica;


•Diminuição do número de fibras elásticas e colágenas;
•Diminuição na vascularização;
•Diminuição na lubrificação;
•Diminuição de tecido subcutâneo;
•Hipertrofia das células de pigmentação
Aspectos fisiológicos básicos do envelhecimento

PELE
Aspectos fisiológicos básicos do envelhecimento

OLHOS

A flacidez das pálpebras superiores leva a uma limitação do


campo visual lateral, podendo a pessoa não ver objetos ao seu lado,
não ver um veículo se aproximar ao atravessar a rua, aumentando o
risco de sofrer acidentes.

•Atrofia da fáscia palpebral pode levar à herniação


da gordura orbitária para dentro do tecido palpebral;
•Surgimento do arco senil - halo senil;
•Opacidade do cristalino - catarata;
•Redução da secreção lacrimal - olho seco.
Aspectos fisiológicos básicos do envelhecimento

OUVIDO E NARIZ

•Espessamento do tímpano;
•Degeneração do ouvido interno;
•Diminuição da capacidade auditiva –
cerume;
•Diminuição da capacidade olfativa;
•Aumento do tamanho do nariz e orelhas.
Envelhecimento e estilo de vida

Fatores aceleradores
Dimensões físicas de qualidade de vida
Fatores associados a desaceleração do
envelhecimento

PROMOÇÃO DESAÚDE

PREVENÇÃODEDOENÇASCRÔNICAS
ESTILODEVIDASAUDÁVEL

REABILITAÇÃO
SUPORTE
CUIDADO
Fatores que desaceleram o envelhecimento

A dieta é um fator determinante


Fatores que desaceleram o envelhecimento

MOLÉCULAS Estresse Oxidativo


BIOATIVAS Disfunções Celulares

Oxi-inflamação

DESACELERAÇÃO DO ENVELHECIMENTO
Como a dieta pode desacelerar nosso envelhecimento
Como a dieta pode nos auxiliar a ter saúde,
qualidade de vida e longevidade

Diversos estudos demostram os benefícios dos frutos


Amazônicos.
Dieta Amazônica
Paullinia cupana: Guaraná

Estudos Epidemiológicos

Idosos
ribeirinhos
do Menos prevalência de
Amazonas doenças crônicas
associadas ao
envelhecimento:
Síndrome metabólica;
Obesidade;
Diminuição nos níveis de
CONTROLE GUARANÁ pressão arterial.
Paullinia cupana: Guaraná

Reverte senescência celular


Astrocaryum aculeatum : Tucumã

Tucumã mostrou efeito


genoprotetor em células
humanas

Sugere que o fruto


Prevenindo dano ao DNA
possui capacidade de
prevenir dano ao DNA
Astrocaryum aculeatum : Tucumã

Efeito antimicrobiano

Efeito antioxidante
Euterpe oleracea - Açaí

Neuroprotetor
Bertholletia excelsa: Castanha do Brasil

Composição Química
A composição de ácido graxos é constituído por ácido
palmítico , ácido esteárico, ácido oleico, ácido linoleico.

Antioxidante Antiobesogênica

Protetor Cardiovascular

Neuroprotetor
Bertholletia excelsa: Castanha do Brasil

Indivíduos
jovens

Voluntários melhoraram os
níveis de selênio, bem como
o perfil lipídico

CONTROLE CASTANHA
Atividade física
Atividade física e prevenção de demências
Relações sociais são desaceleradoras
Desacelerando o envelhecimento

Promoção da saúde em todas as fases da vida


Desacelerando o envelhecimento

Promoção da saúde em todas as fases da vida


Muito Obrigada! !

Se a grande conquista do século XX foi o


AUMENTO DA ESPECTATIVA DE VIDA

O grande desafio para o século XXI é a


MELHORA NA QUALIDADE DE VIDA DESTES
ANOS CONQUISTADOS

Você também pode gostar