Você está na página 1de 29
CORBELINO ‘Advogados Asociados EXCELENTISSIMO SENHOR DOUTOR DOMINGOS SAVIO BARROS ARRUDA - DD PROCURADOR DE JUSTICA RESPONSAVEL PELO NACO - NUCLEO DE ACOES DE COMPETENCIA ORIGINARIAS PENAIS DO MINISTERIO PUBLICO DO ESTADO DE MATO GROSSO - PROCURADORIA GERAL DE JUSTICAIMT. URGENTE PAULO ROBERTO BOMFIM JESUS, brasileiro, divorciado, servidor pUblico aposentado, residente e domiciliado na cidade de Chapada dos Guimardes ~ Estado de Mato Grosso, na Rua Travessa Padre José do Sacramento, n° 49, bairo Centro, portador da cédula de identidade n° 2528186-5 - SSP/MT, e do CPF/MF sob 0 n°. 543.964.177-72, vem respeitosamente 4 digna e honresa presenga de Vossa Exceléncia, por seu advogado que esta subscreve, causicico regularmente inscrito na OAB/MT sob 0 n° 5.486, com escritério profissional localizado na capital do Estado de Mato Grosso, na Ay. Hisforiador Rubens de Mendonga, 1731, sala 496, Ed. Centro Empresarial Paiaguas - fone (65) 3642-5396 - email: jrcorbelince@hoimail.com, local onde recebe as notificagdes e intimagdes de estilo. com fundamento nos artigas 37 “caput" da Constituicdo Federal, artigo 5° do Decreto Lei 201/67, c/c a Lei de Improbidade Administrativa, formular PEDIDO DE INVESTIGACAO JUDICIAL em desfavor da senhorc, THELMA PIMENTEL FIGUEIREDO DE OLIVEIRA, (THELMA DE OLIVEIRA) atual chefe do Poder Executive Municipal da Prefeitura de Chapada dos Guimardes - Estado de Mato Grosso - PSDB em raz&o da pratica de atos incompativeis, em fese, com os deveres inerentes a0 cargo, 0 que faz em razdo dos fatos e fundamentos que passa a expor, requerendo ao seu final o seguinte: PRELIMINARMENTE I Peiaguts sale G06 Jones 328-5306 ¢ 3612-5396 )° CORBELINO Advogados Associades Esclarecimentos preliminares DO CARIMENTO DA DENUNCIA E DA ADMISSIBILIDADE: Douto Procurador de Justica: A Lei n® 8429/1992 [LIA], em seu artigo 14, expressa que qualquer pessoa podera representar @ autoridade cdministrativa competente para que seja instaurada investigacdo destinada a apurar a pratica de ato de improbidade. § 12 A representagdo, que sera escrita ou reduzida a termo e assinada, conter a qualificacao do representante, as informagoes sobre 0 fato e sua autoria e a indicagao das provas de que tenha conhecimento. No mesmo sentido, nunce é demais dizer, que © Decreto Lei 201/67, em seu artigo 1°, que sGo crimes de responsabiidade dos Prefeitos Muricipais todos aqueles constantes dos seus 23 (vinte ¢ trés) incisos, 0s quais se sujeitam co julgamento do Poder Judicidrio, independeniemente do pronunciamento da Camara de Vereadores Dessa forma, os crimes definidos no artigo 1° sdio de AgAo riBuica inconDicionapa. Em principio, toda agdo penal é pobica impulsionada pelo Estado, por meio do mINIstéxio FUBUCO. Assim, nos chamados ciimes de responsabilidade, a iniciativa da agGo penal compete ao MP, mas, na ‘omisséo eventual deste, pode qualquer pessoa levar-lhe ao conhecimento NOTICIA CRIME, de fatos que possam constituir delitos, cabendo ac Promotor de Justica acionar 0 processo, requisitando o que entender conveniente a sua inslugao, para a efetiva verificagdo de existéncia do crime, como é 0 caso trazido ao conhecimento de Vessa Exceléncia nesta oportunidade. Como se vé da disposigGo contida no art. 5° do Decteto Lei 201/67, a Lei néo esté a exigir maior rigorismo formal para a dentincia. Contento-se, aliés, com o simples exposi¢éio dos fatos e aindicagGo das provas. E © quanto basta, nem poderia ser diferente. Sabiamente, o legisiador ao assim proceder, 0 fez, visando o acesso a todo e qualquer eleitor, independentemente de sua qualificacGo, dai porque, nao se exiair parc tanto, o rigerismo com que se atém o Poder Judiciério. ‘nine Enprsvmial Patngiks~ sala 46 -fomes 326-5306 9 3612-5395 isom jorelsscelotanilion Ho. istoriator Rubens de Nowouge 731 Ceiabé MT Ae. CPA CEP 7.050030 ire Mie Sut CORBELINO Advogadee Attociadoe A tnica condi¢Go é que seja o denunciante Eleitor, podendo c peca de acusa¢do ser um papelucha qualquer, até mesmo, ndo apresentar qualquer dispositivo legal em que se enquadra o denunciade. Vale repetir basta a natativa dos fatos e a indicagGo das provas. DA LEGITIMIDADE DO MINISTERIO PUBLICO A Constituicdo da Republica de 1988, em seu artigo 129, incisos Il e ill, atriouiu Go Ministério PUblico 4 condigGo de guardiGo do patriménio pUblico, conferindo-lhe, como uma de suas atribui¢des institucionais, a promo¢ao do inquérito civil e da a¢gdo civil publica Dos FATOS: Em sintese, consta que nos ides do ano de 1.999 0 senhor Luciano AUGUSTO NEVES (bUDU), atual vereador do municipio de Chapada dos Guimardes pelo PSDB, presidiu aquele pariamenio e, por conta de gravissimas irregularidades teve a suas contas reprovadas pelo Egrégio Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso - TCE/MT, sendo terminantemente firmadas naquela opertunidade no sentido de compelir aquele gestor ao ressarcimento ao erdrio com recursos préprios, :eferentes aquelas despesas alheias a finalidade pUblica pago indevidamente, sendo que a €poca 0 TCE/MT DEIERMINOU a remessa do processo tanto a Procuradoria Geral do Estado, assim como a fazenda publica municipal para proceder 4 devida cobranga do débito, conforme consia do teor do Acérd&o anexado. Ocorre Exceiéncia, que passados esses longos anos, afora os demais gestores que govemnaram cquele pago municipal ~ pasmem-se — nenhum absolutamente nenhum gestor tomou as devidas providencias nesse sentido, permanecendo inerles, como se nada de tao grave tivesse ocorido, numa nitida demonstragao de desprezo com a Justiga, notadamente com ja combalido povo chapadense. N&o obstante a esse total descaso que perdura hd décadas, recentemente a Vereadora daquele municipio CORBELINO ‘Advogados Associador professora ROSA LISBOA [vor isolada daquele parlamento| tomou a iniciativa de formular junto G presidéncia da caso, REQUERIMENTO no sentido de requerer a Prefeita do Municipio, senhora THELMA DE OLIVEIRA da mesma sigla parlidaria do vereador/condenado LUCIANO NEVES informagées das providencias tomadas em relagao ao Acérdao emitidos pelo TCE/MT em que determina ao parlamentar a obrigagdo de ressarcir © valores da época aos cofres puiblicos. conforme se verifica do Oficio 083/2020 datado do dia 15 de julho do comente ano. Pare a surpresa de todos, de maneira sumaria, pura € simplesmente, a tao absurda decisao da Procuradoria veio vazada nos seguintes termos através do Oficio encaminhado aquela Casa de Le’s: “(..) Na__atual__gestéo _tomamos con! enci: pendéncia relativa is medidas a serem adotadas para ressarcimento ao_erario dos débitos oriundos dos acérdios do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso (...) Desta forma, como nao foram adotadas quaisquer medidas ha 15 anos atrés, pelo entendimento do Supremo Tribunal Federal, a pretensao de ressarcimento de todos os vereadores daquela legislatura ja esta prescrita por quase 10 (dez) anos” Douto Procurador de Justiga, 0 mais grave e vergonheso de tudo isso, 6 que em aproximando as eleigées municipais 2020, © vereador LUCIANO — PSDB aliado do grupo politico que governa aquela cidade, pretendendo a sua reeleicdo, postulou recentemente ao Poder Judiciario daquela mesma comarca Uc AGAO DECLARATORIA DE PRESCRIGAO em desfovor do proprio MUNICIPIO DE CHAPADA DOS GUIMARAES para que este se abstenha terminantemente de inscrever 0 seu nome na divida ativa, bem como langar o seu nome em qualquer restri¢do/protesto pelos valores em questo, j4 que ele mesmo reconhece que desde entGo © municipio de Chapada dos Guimaraes PERMANECEU INERTE NAO AJUIZANDO QUALQUER DEMANDA JUDICIAL NESSE SENTIDO, 0 que sem divide € uma verdadeira abenagde e um ‘fapa’ na cora de todos os municipes. igus sala 10S foues 28 5396 « 1602-5306 - iSatil- eat jeortelinoGhstmeil.one Ap. Histoviador Rubensde MendongaT Cuiabi=NT- he. CPA- CEP 7R.050.036 - barr Mig CORBELINO ‘Advopados Asociados Ora, se a pessoa do Procurador Municipal, clém da prefeita THELMA sabiam da exsténcia dessa nefasta situacao, desde os idos da sua ges!Go 2017/2020, evidente que essa auioridade maxima por questéo moral € principios éticos e da legalidade nao poderia deixar de tomas todas as medidas necessérias. Ao agir da maneira solerte, absurda e inconcebivel de come agiv a chefe do Poder Executivo, ndo resta dovida de que essa autoridade atrontou as escancaras os comezinhos principios da legalidade e da imparciclidade, méxime quando se sabe que por posi¢dio ético/legal teria a mesma de agir rigorosamente no Gmbito da administragéo plblica municipal ja que tratava de dano ao erdrio pUbiico, independentemente de ser aliado do seu grupo de governo. Do resultado dessa triste, porém clamorosa realidade acontecida, que redundou em profundo dissabor ao povo chapadense, colhe-se que tal fato ético/legal tao importante pera a dignificagao da administragao publica ndo se verificou, porque mesmo sabedor que estava a atrontar normas de conduta, de ética e de disposicdes de ordem legal, a Senhora Prefeita Municipal, de maneira acintosa e abusiva ainda permanece inerle quanto a esses fatos, tanto que esta sendo alvo de indmeros questionamentos pela midia. Sendo vejamos matéria veiculada no ‘site Pagina do Enock’ recentemente descrita pelo préprio ora denunciante, especialmente pela mazela que perpetua: “Neste ano de 2020 estamos completando 101 anos de sua morte, ativista, lutou por todas as minorias ¢ os oprimidos ~ trabalhadores e mulheres especialmente, mas também por negros e judeus, sendo ela mesma uma judia. Em 1913 publica sua obra mais importante “A Acumulacao do Capital”, onde analisou as contradicées do capitalismo imperialista, em funcao das quais, estes, nao tem como gerar, por si s6, as condigdes necessérias para o préprio desenvolvimento. Rosa acreditava que @ mulher 36 alcancaria a completa libertacao através de uma ampla e profunda revolucao social. Ela queria estar sempre na linha de frente dos partidos politicos, nao aceitava trabathar nos bastidores. Rosa viveu em uma época em que as mulheres eram reprimidas, estudou na Universidade de Zurique, uma das An. Histoviador Rubone de Mondonga 173 - Contvo Empresarial Gulab -ATT~ As. CPA CEP 75050430 bare Miguel Sutil c math jreorbelino Ghat CORBELINO Advogades Associados poucas que aceitava mulheres. Luxemburgo levou uma vida ativa, sem medo de enfrentar os desafios do mundo miségino que nao dava crédito a uma mulher. A luta constante nos movimentos sociais e sua personalidade forte atestam sua postura altamente feminista. Rosa Luxemburgo nao teorizou diretamente 0 feminismo. No entanto, sua vida emancipada e seus escritos contra a opressao das mulheres operdrias renderam um grande legado para as ___diiscussées _—posteriores do movimento feminista. Gostava de discursar para grandes grupos e fazia isso durante horas, falando de coisas que a inspiravam. Em nossa Chapada dos Guimaraes se impoe, pela coragem e fibra a Professora Vereadora Rosa Lisboa. Apds 9 meses, sem nenhum trocaditho com 0 tempo gestacional das mulheres, a presidéncta da Camara de Vereadores, rendeu- sea forca e a fibra desta simpatica professora que, apesar de ser “marinheira de primeira viagem” nos meandros da politica partiddria e legislativa confirmou, fielmente, os compromissos assumidos junto aos agrupamentos sociais que a elegeram representante no legislative municipal em Chapada. Na representacao legitima da sociedade, em defesa dos bons principios e ética na administracao piblica municipal que, inclusive, devem prevalecer acima de quaisquer interesses politicos partidérios, pessoais ¢, até mesmo em detrimento de possiveis manobras escusas protelacoes de corporativistas, fez valer a apresentacdo do Requerimento de Informacées, com URGENCIA, de n° 039/2020, na iltima sessao da Camara de Vereadores. © Requerimento de Informacées, com URGENCIA, de n° 039/2020 ¢ sobre o cumprimento, pelo executive municipal, de Decisdo que questiona o executivo municipal sobre 0 cumprimento, ou nao, da determinacao do Tribunal de Contas do Estado do Mato Grosso - TCE, expressa na Comunicacao Oficial recebida na Camara Municipal em dezembro de 2019 com a determinagao de CUMPRIMENTO IMEDIATO DE DECISAO PROFERIDA EM SESSAO PLENARIA, na data de 14 de maio de 2002, de DEVOLUCAO AOS COFRES PUBLICOS MUNICIPAIS do valor total correspondente a 9.821,78 UPFs, referentes ao PROCESSO n* 6490-6/2000, do JULGAMENTO DE CONTAS E DO BALANCO GERAL DO EXERCICIO DE 1999, da Camara Municipal de Chapada dos Guimaraes - gestao do ex-presidente, LUCIANO AUGUSTO NEVES - que atende como Dudu - PSDB, relativo a diversas irregularidades no exercicio de sua gestae como presidente. Apurou-se, que foram feitas despesas ‘astronémicas, duvidosas ¢ irresponsdveis. Ze, Hstarilor Raikes de Mendonga 1731 Coro Foupresarial “D8: fomee 3023-5336 @ Gaiubi= META CPA~ CEP 7.050030 ~ born Miguel Sutil: reorblino@hotwail com CORBELINO Advogador Asvociader 0 ressarcimento destas 9.821,78 UPFs é composta de; 53,88 = referentes as despesas alheias & finalidade publica; + 9.717,90 referentes a pagamentos indevidos & vereadores; + 50,00 referentes a multa que, multiplicados pelo valor atual de julho/2020, que é de R$ 153,28, totalizam R$ 1.505.482,24 que o nobre vereador precisa restituir aos cofres puiblicos municipais, apés 20 anos de processo. Representam a devolucao, aos cofres ptblicos, de montante considerdvel de recursos, pelo vereador Luciano Augusto Neves - que atende como Dudu - PSDB, porém o presidente da Camara, vereador Carlinhos do PT, estava protelando, nao tomando as providéncias cabiveis e imediatas, desde 0 inicto dos trabathos legislativos deste ano de 2020. Mas os possiveis motives serao tratados oportunamente. 0 vereador Luciano Augusto Neves - que atende como Dudu - PSDB, hoje, apregoa, e acreditamos, ser um homem renovado, honesto, honrado e cioso de suas obrigacoes morais e politicas com a populacao Chapadense, Presume: se, que 0 nobre vereador deve estar muito ansioso para devolver estes valores aos cofres piiblicos, redimindo-se dos graves erros do passado com todo 0 apoie da atual prefeita Thelma de Oliveira, que também é do PSDB, nao para criar quaisquer obstdculos protelatérios, mas _cumprindo, exemplarmente, com as determinagdes do Tribunal de Costas do Estado do Mato Grosso. La se vao longos 18 anos de impunidades, desde a decisao processual e 0 vereador Luciano Augusto Neves - que atende ‘como Dudu ~ PSDB, particularmente como Cristae, acredito que o vereador Luciano Augusto Neves - que atende como Dudu refletiu e hoje, redimido seja um novo homem e deve estar dvido e ansioso por ter a oportunidade de devolver estes recursos aos cofres publicos municipais, timpando a sua consciéncia pelo desempenho como presidente da Camara de Vereadores, utilizando de forma indevida o cargo, fazendo mal uso do dinheiro piblico. Como bem lembrado pela Vereadora Rosa Lisboa, autora do Requerimentos de Informacées — URGENTE - n° 039/2020, “Sdo tempos de unido” e “..em decorréncia da grave crise sanitdria, econémica e social em nosso pais, estado e, bem como em nosso municipio, devide a pandemia do Virus COVID 19, ocasionou-se considerdvel queda na arrecadacao municipal e, com o imediato cumprimento desta DECISAO DO TCE, com a devolucao ¢ 0 devido recolhimento aos Cofres Municipais destas 9.717,90 UPFs, que totalizam R$ 1.5 Mithées de Reais, a atual gestao municipal, poderd destiné-los para o atendimento em cestas basicas as familias pobres do municipio, compras de medicamentos “Fa: Fiitorator Rutens de Meng 1751 ~Cowtro Enpresartal Fag Ghaba= t= Ae CPA CEP 7830030 ~ bein Miguel Sut-e-uatjcorklin ohecom CORBELINO Advogador Azsociador para farmécia da prefeitura e ete.., portanto, muito ajudando aos que estéo tendo graves dificuldades em funcdo desta pandemia, e desta forma o vereador Luciano ‘Augusto Neves - que atende como Dudu - PSDB, tem a oportunidade de exercitar 0 amor que diz nutrir pela cidade de Chapada dos Guimaraes e a sua sociedade de chapadenses. Tema de filmes famosos, Rosa Luxemburgo, marcou a Histéria mundial como referéncia politica, social e literdria; era uma visiondria, uma mulher que estava & frente de seu tempo. Uma de sus marcantes frases ¢: “Liberdade somente para os partiddrios do governo néo é liberdade. Liberdade é ‘sempre liberdade daquele que pensa de modo diferente”. Pelas “Bandas de Serra Acima”, pela coragem e fibra a Professora Vereadora Resa Lisboa merece as homenagens ¢ © apoio de todos nds, os que votaram ou nao pela sua eleicdo, mas que resistimos & husea por uma sociedade justa e verdadeira, onde as mentiras com comportamentos criminosos e vergonhosos nao sejam normalizados e aceitos com apatia. Paulo Bomfim Cidadao e Eleitor em Chapada dos Guimaraes” La se vao longos 20 anos de impunidade. Desde a decisdo final processual, ocorrida em 2002, 0 vereador Luciano Augusto Neves - atende como Dudu - PSDB que, exercendo o cargo de presidente da Camara de Vereadores, utilizou-o de forma indevida, fazendo mal uso do dinheiro piblico, ja se passaram mais de 20 anos € parece que ainda nao tem conhecimento do que seja vergonha. Em sua gestao como presidente da Camara de vereadores, no ano de 1999, foram realizados gastos criminoses com pagamentos 4 fornecedores através de bilhetinhos anexados @ processos administrativos, referentes a despesas sem quaisquer comprovacses de efetivo fornecimento ¢ sem notas fiseais, com pagamentos de fornecimentos referindo-se a requisicdes de salaminho, sal grosso, caixas de cervejas, presto barbas, galinhas caipiras, maionese, ervilha vinagre para pessoas estranhas a camara de vereadores, sendo a grande surpresa 0 pagamento de até receita de bolo. Apurou-se, também, que foram feitas _ despesas astrondmicas, duvidosas e irresponsdveis com diérias para demais vereadores, combustivets quando a camara nao tinha automével préprio e nem locados, pagamentos de sessées extraordindrias para vereadores, até para os “Fi: Matornor Rubens te enonpn 1731 = Centre Fnprevariat Petula 405 -fowes 3025-5396. 36123396 - Guiaba=NT~ Av, CPA CEP 78,030.03 ~ bare Miguel Sutil- cial jcerbelinoWhotnad.com CORBELINO Advogados Associades ausentes, cestas basicas e medicamentos diversos em farmacias. Corrupeao, corrupeao e sempre mais corrupeao!!! Crimes, crimes e mais crimes!!! Até quando a sociedade aceitaré isto??? A Professora, Vereadora Rosa Lisboa, com sua acdo de representacao legitima, vigorosa, firme e corajosa da sociedade, em defesa dos bons principios e ética na administracdo piblica municipal que devem prevalecer acima de quaisquer interesses politicos partiddrios, pessoais e, até mesmo em detrimento de possiveis manobras escusas protelacses de corporativistas, , fez valer a apresentacéo do Requerimento de Informacdes, com URGENCIA, de n° 039/2020, em sessdo virtual da Camara de Vereadores. © requerimento 6 sobre o cumprimento da Deciséo que questiona 0 executive municipal sobre o cumprimento, ou nao, da determinacao do Tribunal de Contas do Estado do Mato Grosso ~ TCE, expressa na Comunicaedo Oficial recebida na Camara Municipal em dezembro de 2019 com a determinacao de CUMPRIMENTO IMEDIATO DE DECISAO PROFERIDA EM SESSAO PLENARIA, na data de 14 de maio de 2002, de DEVOLUCAO AOS COFRES PUBLICOS MUNICIPAIS do valor total correspondente a 9.821,78 UPFs, referentes ao PROCESSO n° 6490-6/2000, do JULGAMENTO DE CONTAS E DO BALANCO GERAL DO EXERCICIO DE 1999, da Camara Municipal de Chapada dos Guimaraes, com a REPROVACAO da gestdo do expresidente, LUCIANO AUGUSTO NEVES - que atende como Dudu - PSDB. Hoje este valor corresponde a R$ 1,600.000,001 Sim senhoras ¢ senhores séo quase 2 Milhées de Reais, do nosso dinheiro, que 0 “nobre vereador do PSDB”, precisa devolver aos cofres ptiblicos municipais, apés 20 anos de “enrolagdo de processo’ Com contas de gestito dos anos 2017 ¢ 2018 reprovadas pelo TCE -MT com iniimeras irregularidades, conceituadas como GRAVISSIMAS pelos técnicos da Secretaria de Controle Externo - SECEX e recorrendo a golpes, de recursos esdrixulos, com mentiras junto ao TCE e judicidrio para impedir a Camara de Vereadores de julgar, a prefeita Thelma de Oliveira ~ PSDB estd, realmente, sem 0 menor resquicto de respeito com cidade de Chapada dos Guimardes. Doente, com cancer, quase n@o vem ao municipio. Desde o inicio da pandemia nao comparece na Av, Histor Rubous de Mendonga TT Cora Epresarat Palaguis~ salu 405 =[ones WDSSI96e VEDAS Cant = Nit = At. CPA = CEP 7050430~ bare Miguel Sulla frorbelineShotel.cem CORBELINO Advogndot Aesocindoe prefeitura. Delegou tudo a um procurador e ao secretério de administracao de duvidesas qualificacdes. Sobre o cumprimento da DECISAO do TCE-MT, a prefeita ‘Thelma de Oliveira nao emite, sequer, uma palavra para prestar contas @ sociedade. Thelma de Oliveira - PSDB, pode estar incorrendo em atitude criminosa tentando esconder a corrupede de seu correligiondrio. Uma vergonha! Isto € uma vergonha!!! Todos vocés, dignos eleitores das comunidades das regises no entorno do Lago do Manso, em especial de Serra Morena, Capéo das Matas, Capa@o das Vacas, Padilha, Batatais, Genézio Alves, Matao, Santa Luzia, Praia Rica, Santa Barbara, Paraiso do Manso, Corrego do Campo, Agua Fria e Joao Carro, nao se deixem enganar por estas estruturas repugnantes e corruptas. Nao aceitem indicacdes de sistemas politicos corruptos. Vocés merecem respeito!l! A Professora, Vereadora Rosa Lisboa e os demais vereadores que aprovaram o Requerimento de Informacées, com URGENCIA, de n° 039/2020, foram dignos ¢ honraram com a confianca depositada, através dos votos de todos vocés, trabalhando para resgatar estes quase 2 Mithdes de Reais!!! A prefeita Thelma de Oliveira - PSDB tem de dar esclarecimentos & populacdo!!! Com esse valor, bastante significative, dard para arrumar todas nossas estradas, nossas escolas municipais, que inclusive correm risco de pegar fogo devido as instalacoes elétricas precdrias, pontes que estao danificadas e, também, ajudar as pessoas que estao ilhadas sem poder trafegar ¢ escoar a producdo de suas plantacées, que sao 0 ganha pao das familias de todas estas importantes comunidades, destas regiées. Questionem e cobrem destes agentes piiblicos, da administracdo municipal, a verdade sobre a devolucao destes quase 2 Mtlhdes de Reais, dinhetro publico, que 0 vereador Luciano Augusto Neves - que atende como Dudu — PSDB, gastou criminosamente ¢ agora tem que devolver. Mentiras e hipocrisias precisam de ter limites!!! Paulo Bomfim Cidadao € eleitor de Chapada dos Guimaraes” Senhor Procurador, foz-se necessario Ginda dizer, que cludida Vereadora veio a questionar o representante do Ministério PUblico daquela comarca quanto das medidas tomadas em jesfavor do yereador LUCIANO, porém, nGo obteve éxito dado ao A Historador Rubs de Mendonga 1731 - Centro Fmyresarial Painguds sala 10 Cink = MT ~ Av, CPA = CED 78.050030- burro Miguel Siti ena jrorbelinahetraicom entendimento daquele Promotor de Justica de que n&o poderia o MP cobrar a divida e sim a procuradoria juridica. Desse abemante, acintoso, vergonhoso e deslustrante acontecimento que emana daquele governo, pela grandeza do seu absurdo vem calando profundamente na aima do soirido € descrente povo daquela dadivesa tera de Chapada, é que emana o presenie PEDIDO DE INVESTIGAgAO Ievada Go conhecimento desc ilustrada Procuradoria Geral de Justica, para que esse conceituado Nicleo ~ NACO ~ na pessoa séria © combative Procurador de Justice responsdvel por essa especializada adoie providencias cabiveis, necessdrias e enérgicas, diante de atos de desonestidade. improbidade e md-€ da gestGo publica, que no desempenho de suas atribuicdes funcionais, possa ter causade prejuizo efetivo ao erério publico ou que atenta dolosamente contra os principios que regem a comporiamento da Administragdo publica. Resia evidente, por tudo o que se disse © se. demonstrou alhures, que nao transparece dos autos investigatérios qualquer fato que pudesse demonstrar haver existido imparcialidade daqueles gesiores na apuragGo e no julgamento das pessoas que se Viram envolvidas, notadamente em rela¢Go ao atual vereador LUCIANO aliado da prefeita THELMA, nGo havendo, portanto, razGo plausivel para que n&o adotassem medidas juridicas nesse sentido, por mais que essa absurda tese formulada pelo beneficiado Vereador (PRESCRIGAO DA DIVIDA) possa pevsistir. diante da negligncia de seu titular (Prefeitura) as agées destinadas a levar efeito as sancées por ato de improbidade podem ser propostas, de conformidade com 0 que menciona o arligo 23 da LIA “Art, 23. As acées destinadas a levar a efeitos as sangies podem ser propostas: previstas nesta I - até cinco anos apés 0 término do exercicio de mandato, de cargo em comissao ou de fungao de confianga; II — dentro do prazo prescricional previsto em lei especifica para faltas disciplinares puniveis com demissao a bem do servigo plblico, nos casos de exercicio de cargo efetivo ou emprego. ‘Av, MistoviadorRabous de Mendonga 1731- Centro Eopresrial Priague vale 405 [ones SDS S306 SOIT S36 Guiabi~MT~ Ae, CPA - CEP 7.050.880 barre Miguel Satil- mail jreorbelina @hatmail.cm CORBELINO ‘Advagados Aazociadoe Ill — até cinco anos da data da apresentagao a administracao pablica da prestacao de contas final pelas entidades referidas no paragrafo tinico do art. 12 desta Lei.” DA POSSIVEL OMISSAO DE ATO DE OFICIO: Como se sabe, o Art. 11 da lei de improbidade administrativa menciona o seguinte: Constitui ato de —_improbidade administrativa que atenta contra os principios da administracdo publica qualquer_acio ou _omissio que viole os deveres de honestidade, imparcialidade, legalidade, ¢ lealdade as instituigdes, ¢ notadamente: I- praticar ato visando fim proibido em lei ou reguiamento ou diverso daquele previsto, na regra de competéncia; Il - retardar ou deixar de praticar, indevidamente, ato de oficio; A atuagéo da Adminisiragéo Pubica Municipal nesse fipo de episédio aviltante, sem divida, atenta contra a moralidade fere 0 principio da leaalidade ¢ se transborda para a pratica da improbidade_administrativa o que, a figor, ensejaria propositura de ago popular, uma vez que qualquer cidadée pode impelré-la para anular ato lesivo & moralidade administrative - Constituigao Federal, artigo 5, Inciso LXXill. Certo também, que a inobservancia de qualquer desses principios e, em especifico, no caso em epigrate, 0 da ‘LEGALIDADE © MORALIDADE', implica, inexoravelmente em atos de Improbidades Administrativas praticados pelos agentes pUblicos puniveis conforme ¢ Lei. (Art. 11 da Lei 8429/92 e Art. 37, CF.) “Art. 37 - A administragdo publica direta € indireta de qualquer dos Poderes da Unido, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municipios obedecera aos principios de legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, e, também, ao seguinte” Portanto, hd de se ter como absolutamente admissivel que pratica a improbidade administrativa qualquer agente publico ou terceiros que violem 0 principio constitucional da moralidade e queatentem contra as pautas morais basicas ao ‘Au. Histoviador Rabens de Mentonga Tt Cuiats~ NIT ~ Av, CPA CEP 78.050.030~ bairy Miguel Sail ema jeorbetino hota CORBELINO Aavogados Associadoe principio conexo da boa-fé_e que resultem prejudiciais ao erdrio publico, devendo 0 mesmo agente pUblico ou os terceitos envolvides serem compelides a promover o integral ressarcimento ao erdrio da leséo a que deram causa, quer fenha sido ela ocasionada por acao ou omissao, dolosa ou culposa art. 5° da Lein? 8.429/92). Atuaimente muito se discute sobre os efeitos da inércia do administrador, ou seja, sobre a prevaricagdo do agente pUblico na tomada de providéncia que he era obrigatéria e peculiar ao exercicio de suas fungdes. Evidente que toda agdo contréria a moralidade administrativa, esteja ela ou nao descrita no mandamento do art, 37 da CF, mesmo que ndo tenha causado dano patrimonial ao erdrio, pode caracterizar ato de improbidade, ex vido tipificado no art. 11, caput e inciso |, da Lei n° 8.429/92, 0 que diferencia no caso trazido a efeito, pois houve grandioso dano ao erario pUbico pela absoluta INERCIA DO PODER PUBLICO. Com eleito, esiande a condute do agente pUblico inserida em algum dos dispositivos da Lei n® 8.429/92, mesmo que nado tenha representado efetivo dano ao erario, aplicavel & espécie o aisposto no art. 21, |, da Lei n*8.429/92, que estabelece’ "Art, 21-- A aplicagao das sancées previstas nesta Lei independe: I- da efetiva ocorréncia de dano ao patriménio piiblico (...)" Assim, os prdticas dos agentes que importem em graves ofensas aos principios constitucionais, principalmente os da legalidade e moralidade, que, dentre outtos, informam a boa adminisiragdo, devem comportar as sangées previstas na LIA, sendo necesséria a utilizagéo do instrumento da agae civil pUblica de reporago de danos a que se reiere & Lei de Improbidade [Lei n* 8.429/92) feramenta juridico-processual habil a tutelar 0 patriménio pubblico de forma conglobada, inclvindo-se, com efeito, 0 patriménio moral, de modo @ resguardar 0 primado do interesse coletivo sobre o de grupo ocupante do poder. O Principio da Moralidade, _previsto no caput do art. 37 da CF, incontestavelmente, consfitui pressuposto de validade de toda atividade administrativa Av, Histovindor Rubens de Mendonga TH Coiabs=MT= Av, CPA EP 75,050.03 | CORBELINO “Advozador Associados A respeito do alcance desse principio e citando ligGo de Maurice Hauriou, Hely Lopes Meirelles ressaltou que: “A moraliciade administrativa constitu’, hoje em dia, pressuposto de validade de todo ato da Administragao Publica (CF, art. 37, caput). Nao se trata - diz Hauriou, 0 sistematizador de tal conceito da moral comum, mas, sim, de uma moral juridica, entendida como "o conjunto de regras de conduta tiradas da disciplina interior da Administragao.” (...) "O certo é que a moralidade do ato administrative juntamente com sua legalidade e finalidade constituem pressupostos de validade sem os quais toda atividade pitblica sera ilegitima.” © exame da moralidade do ato, igualmente, contém um decisivo componente ético. © administrador nao deve cingir- se apenas 4 legalidade ou ilegalidade, justica ou injustica e & conveniéncia e oportunidade do ato. Deve. também. ajustar sua conduta G05 parametros da moralidade. Da Obrigagio da Tomada de Providéncias independentemente da ‘suposta’ prescricao da divida Notase evidente que o parecer prévio exarado pela PROCURADORIA GERAL DO MUNICIPIO, feriu de morte o ordenamento juridico patio pela nifida auséncia de agao do poder piblico no sentido de ajuizar a cobranga, isto porque, assim que fosse possivelmente constatada ‘possivel’ prescricao da divida, dever-se-ia instaurar procedimento administrativo visando apurar possivel ocorréncia de conduta dolosa ov culposa dos responsdveis pela omissdo no ajuizamento das cobrangas, fato este que sequer ocorreu durante esses longos anos, o que sem divida veio a beneficiar aqueles que fazem parte do grupo poliico da senhora prefeita, especicimente 0 atual vereador LUCIANO NEVES - DUDU, co qual pleiteou tal medida judicial em juizo de forma lamentavell Para demonstrar 0 espirito desviante da conduta proba, que ndo deixe margem @ dUvida, muilas vezes o intérprete deve valerse das circunstancias que estiveram presentes quando da prética de ato administrative ou omissao daquele que obrigatoriamente deveria ser tomado. Com efeito, algumas atitudes e condutas como soe acontecer, que revelam um modo profano de fazer politica e administrar 0 bem ptblico, denotam a clara intencéo do agente em CORBELINO ‘Advogados Associ prostrar-se inerte, de forma conveniente com os interesses dos aliados, em ocasiao em que, paralelamente, pratica outros variados atos administratives, com 0 cond&o exclusive de desviar 0 foco do embate acerca da ma administragéo ou de malversagdo do erdrio, fazendo imputagées aos representantes ou delatores, bem como invocando questées dispersas do tema em debate, para que se crie, arfificialmente, uma nova discusstio. esquecendo-se a anterior. Desta forma, por vezes, deixa 0 agente publica de praticar ato que a lei © os regulamentos atinentes ao seu oficio ditavam que deveria ser tomado, independentemente de quem tenha sido 0 seu causador, pelo principio da impessoalidade, merecendo o mcis forte repUdio e a intervengGo da mao forte do Poder Judiciério, guardiéo da Conslituigdo e das Leis, Ultimo refogio do cidadéo de bem cionte das arbitroriedades, independentemente de partido politic, das pessoas que ocupam os cargos referidos, da influéncia de seus aliados e de suas bravatas. Ademais disso, em razGo de ocupar cargo de relevo, ou seja, também nas condigées estipuladas no art. 2° da Lei n® 9.429/92, independentemente das relagdes que mantenha com a pessoa do representante ou do representado, deveria a senhora Prefeita THELMA DE OLIVEIRA, na elevada e prestigiosa condigGo que exerce, afastando qualquer conviceGo ideolégica, relagdo de amizade, proceder a rigorosa apura¢de dos fatos ou de determinar providéncias, inclusive judiciais, que Ihe competiam, vez que ndo poderia ser conivente com a sitvacéo de eventual ilegalidade ou imoralidade. Portanto, © agente que, desta forma, estiver consciente da pratica de conduta que atronte a moraiidede administrative, née pede deixar de determinar, como manda a lei e os regulamentos prdprios da fungdo determinam, em momento oportuno, a instauragéo de procedimento apuratério, nem deixar de adojar as providéncias judiciais, reguiamentares ov administrativas pertinentes, ptincipalmente quando estao elas descritos em representagGo formal e instruidas com os devidos documentos de comprovacao, especialmente tratar-se de ressarcimento ao erério. Expresarad Paiagnda sate 106 [ows MO S06 © 36-36 igual Sut © inet pecrtclina @leekea.cem “Bec Tistoiaor Rabosde Messtonga 1731 Guiab= 10 Aes CPA = CEP 78.050 030 ~ ba CORBELINO Verifica-se, assim, ser imperioso ao detentor de munus ptiblico, como é 0 caso da preteita THELMA a determinagao da instouragdo de procedimento aouratério para a investigagdo de fatos que possam caracterizar alos de improbidade administrativa, quando deles fiver conhecimento, demais disso, néo tem © condao de isentar o agente das sangées da Lei de Improbidade, posto que, para cada esfera de apuragGo, existe um procedimento e uma sanco corespondentes, sendo uma dissociada de outra. Assim sendo a inércia do Agenie Politico, o que restou evidenciado durante toda a sua gestéo 2017/2020, co contrario do que normalmente se apregoa. prdtica de improbidade por ‘omissdo, mormente, se pés fenitente e com descaso evidente na apuragdo que Ihe competia, expediente com 0 qual tenta ludibricr a populagée © desviar 0 foco do assunto constantes nas dentncias, permanecendo inerte e passivel diante das _—_imoralidades narrades, deixando, destealmente. de adotar quaisquer medidas aptas a coibir a imoralidade. Ola, se constatada essa conduta dolosa ou culposa, estaré o gestor ou servidor responsdvel pass\vel de punig&o nao s6 na esfera administrativa, como também para efeito de responsabilizagao na esiera civil e criminal, isio porque, a Prefeita THELMA DE OLIVEIRA. como agente plbico, estaria obrigada a velar pela estrita observancia dos principios supracitados, imposicaio do art. 37 “Caput” da CF, Nao bastasse, com 0 advento da Lei Federal 8.429/92 (Lei que trata da Improbidade Administrativa), o Art. 4°. estabelece: “art. 4°, — Os agentes piblicos de qualquer nivel ou hierarquia sao obrigados a velar pela estrita observancia dos principios de legalidade, impessoalidade, moralidade e publicidade no trato dos assuntos que the sdo afetos” (grifo nosso} Velar pela estrita observancia nao sigrifica apenas cumprit, mas também fazer cumprir. E o dever de zelo e obediéncia aos principios da Administragao Publica, ‘de cuja inobservancia resultam as espécies de improbidade ditadas pelo art. 11, da lei 8.429/92', entre as quais se amolda nao apenas a conduta 59% € T6256 - A, Histoviador Rubens te Mendonga 1731 - Centro Enesaial Palguls = sal 405 owe Coiabt= A= Av. CPA - CEP 78.050,50 burro Miguel Sutit- ena: rcorbeline Shetnadcon CORBELINO Advogadot Aesociadot comissiva, mas também o que é mais comum, a omissiva, ou seja, o descumprimento por parte do agente publico, dotado de competéncia administrativa, do dever de buscar a persecucao para as venalidades de que tem ciéncia em razao de suas fungdes. Tao ou mais censuravel que afrontar uma norma ¢ 0 siléncio sobre seu descumprimento. (Marino Pazzaglini Filho in Improbidade Administrativa ~ 4°. Ed. Pg. 51) Vale repetir, ndo hé divida de que a Prefeita ae percorer a conduta acima mencionada, (OMISSAQ) incorreu na pratica de ato de improbidade que atenta contra os principios norteadores da administragao publica, atinginde de forma indelével, o principio da LEGALIDADE e MORALIDADE. "A administracao néo se obriga a aguardar o pronunciamento judicial, em vista da independéncia, conquanto nao absoluta, das csferas civil, penal ¢ administrativa’. (ST/ - ROMS. 00732, j. 19.08.91, Rel. Min. Demdcrito Reinaldo). Douto Procurador, ao que tudo parece, além de todos os gestores, a atual prefeita THELMA DE OLIVEIRA, juntamente com seus cuxiiores de govemo (secretério de fazenda, contoladoria intema e Procuradoria fiscal) simplesmente “arquivaran" formaimenie, depositando em um armario ou gaveta a representacao coriundos do TCE/MT, deixando de tomar quaisquer medidas protetivas ao interesse pUblico, pele singela alegagGo de que os fatos comportariam meior detrimento e aprofundamento de andlise ([PRESCRIGAO DA DIVIDA), quando, com todo respeito, tal poderia e deveria ser realizado, de fato, apés a instauragdo do procedimento, conduta que demonstra esicr agente prevaricando em seu dever funcional de agit, sem guardar qualquer zelo pelo resguardo da Constituigdio e das Leis. inobstante 0 enfoque dado até aqui. com @ inexordvel ofensa ao principio da legalidade, o bastante para a caracierzagéo da pratica de improbidade, enquadrando-se, indubitavelmente nas infracées Politico-Adminisirativa, puniveis, inclusive, com @ Cassacéo de Mandato, apenas como argumento, néo se pode perder de vista, que a conduta perseguida trouxe prejuizo para o erdrio. poblico. ‘Av: Historiador Rubens de Mentonga 1731 Centro Puyresarial Paiagués- sla 46 -foues 32ES6e 323% Guinb) = MT~ Ae, CPA CEP 75.050.30- bare Miguel Stil- cmatljrcorblinwhetmacon CORBELINO Advogados Associados Procedendo de qualquer das formas acima descritas. 0 estara tetardando ou deixando de praticar. indevidamente, ato de oficio, por mero interesse particularizado, pelo que violou © preceito primério da noma incriminadora contida no art. 11 da Lei n® 8.429/92, sujeitando-se, pois, também as penaiidades previstas pelo ort. 12, I, da mesma lei Segundo igo de Marcelo Caeiano, o funcionério deve: "(...) servir @ Administracio com honestidede, procedenilo no exercicio das suas fungGes, sem aproveitar os poderes ou jacilidades deles decorrentes emt proceito pessoal ou de outrem a quem queira favorecer" (apud José Afonso da Silva, Curso de Direito Constitucional Positive, p. 571, Malheiras, 9. ed.) Na vigéncia da Lei n° 8.429/72, necessario consignar, a omissGo proposiiada (prestagGo negativa] também 6 formula de enriquecimento ilicito, de vantagem econémica indevida. Nao ha duvida, que agindo desta forma, a conduta da gestora publica s6 poder ser compreendida e interpretada como desidiu propositada, com o intuito de favorecer o seu aliado politico e candidato a reeleicGo, posto que com motivacée que nao deveria provocar a sua inércia e omissdo, as quais, evidentemente, esto a caracierizar ato de improbidade por desvio de finalidade e descumprimento dos demais preceitos esculpidos no arf. 37 da CF, fazendo tabula rasa do primado do interesse publico, especialmente pela demanda ao qual pretende ao pont de requerer ao juizo da comarca de ‘IMPEDIR A VEICULACAO DE NOTICIAS ACERCA DO SUPOSTO DEBITO’, um afronta ac povo de chapada, o que mais parece ser ‘uma terra sem lei’ Assim, Exceléncia, a falta ao cumprimento do ever: 0 abuso no exercicio das funcées, a auséncia de responsabilidade social na nGo execugéo de aio que deveria ser praticado obrigatoriamente por agente publico é 0 que caracteriza, nestas hipdteses, a conduta improbe (omissdo prevaricadora). De se observar que, tradicionalmente, quem prevarica, omilindo-se no dever legal de agir, € comodisia, podendo ser conceituado como aquele que visa somente atender o proprio bem- estar, em detrimento do interesse coletivo. $5066 56:2 5386 t jcorbetinQhetmadcom CORBELINO Advogados Associados Quando uma pessoa que exerce cargo, emprego ou funcdo publica usa sua “amizade" sendo conivente conveniente com a prética de atos ilegais ou imorais, em prejuizo do interesse colelivo, ficamos convictos que se trata de omissao dolosa e, portanto, passivel de puni¢éo. A condescendéncia, nessas hipdteses, implica relagées funcionais: deixer, por indulgéncia, de responsabilizar subordinado que cometeu infragdo no exercicio do cargo ou, quando Ihe falte competéncia, no levar 0 fato ao conhecimento da autoridade competente. Enfim, no podemos aceitar a pratica paradoxal adoiada, que preceitua que, para os outros, vale 0 “doa a quem doer’, mas para os aliados, um dos seus, néo é bem assim, é relative, & perfeilamente compreensivel. A conduta, para os inimigos. 6 a de cobranga, enquanto que, para os aliados, haveria sempre uma explicagdo, um motivo justificavel ou, nao havendo nenhuma motivagao mendaz, saem com © famoso ‘nao tenho nada a ver com isso" ou "temos assuntos mais importantes a serem tratados’ Ao longo da historia a exigéncia da moral somente para os outros € uma consianie, Iransmudando quase todas as comunidades jé estudadas, sendo corriqueiro, mas nao normal, taxar os fatos de acordo com os posigdes € sentimentos pessoais € idecldgicos. Poucos sao os individuos que tem a retidao de defender o inimigo de uma injustiga ou mesmo repudiar o amigo quando pratica um ato leviano, assim como fazia 0 ilustrado Max Weber, embora seja esse 0 nosso dever como seres humanos dotados de inteligéncia e guiados pelos preceitos éticos. Os homens piblicos deveriom mostrar sua forga pela conduta proba, vollada ao bem comum, nao pela ostentagao ou prerrogativas do cargo, que, ao conirério do que se fez supor, no da margem & atuacdo voltada a mero interesse politico, de grupo ou particularizado. Hoje ja nao € mais suportavel a utilizagéo do brocardo: “aos amigos tudo, aos inimigos nada, aos indiferentes a letra fria da lei’ A adogao de critérics ou parametros objetivos para gerir 0 bem pUblico © administrar o interesse coletivo € uma das mais desejadas e As Histoviador Rabun de Mendong 72 - Centro Fasresarial Peiaguis sala 0s Jones 12S 33066 36536 ~ Cuiabt= NIT ~ Av, CPA CEP 73050.90- baie Miguel Sutil email jreorbeino shetmail.cou CORBELINO Advogador Aesociadot marcantes reclamagées do pove no final do século XX ¢ inicio do século XX Douto Procurader de Justia: Indaga-se! Além de todos os demais gestores, por onde andou a atual prefeita que nao adotou medidas enérgicas para 0 ressarcimento ao préprio erdrio? Por onde andou o responsavel pela Secretaria de Financas ¢ Fazenda do municipio em nao inserir na divida ativa? Por onde andou a Procuradoria Geral do Municipio que néo adotou sequer uma linha de questionamento juridico em defesa do municipio? Por onde andou os representantes do pove junto a Camara de Vereadores durante esses longos anos? E por fim, por onde andou o Ministério Publico daquela comarca, que detém legitimidade para ajuizamento de acao civil ptblica de execucdo de acérdéo oriundo do TCE, mormente quando a CF/88 0 qualificou como instituicao permanente e essencial a funcdo jurisdicional do Estado, incumbido da defesa da ordem econémica, do regime democratico e dos interesses sociais e individuais indisponiveis, tao logo teve 0 questionamento da senhora vereadora ROSA LISBOA, inclusive, propondo de imediato acao civil em desfavor da prefeita municipal, diante de possiveis omissées, em que pese a discussdo de ‘prescricto da divida’ justamente para punir aqueles culpados? Necessdrio ressaltar, por oportuno, que os ates de improbidade n@o sao somente aqueles que importam em enriquecimento ilicito, no recebimento de qualquer vantagem economica, direta ou indireta, em superfaturamento, em lesGo aos cofres piblicos, sendo também caracterizados, pela prdtica de qualquer agao “As Misoriador Rubens de Mewdonga 1791 - Centra Fup Calabd = NIT = Av. CPA» CEP 780:0.030~ bara Miguel Sutil nna jreorblino Whetnaicon CORBELINO Advogadot Aexocindot ou omissdo, dolosa ou culposa, que viole os deveres de honesiidade, imparcialidade. legalidade e lealdade as instituicdes. Neste sentido, pode-se considerar como ato de improbidade administrativa aquele praticade por agente publico, contrario és normas da moral, 4 lei e aos bons costumes, com visivel falta de honradez e de retiddo de conduta no modo de agir perante a administragéo publica. Primazia do Interesse Pai do Bem Comum Desta forma, nao & mais possivel sobreposicdo do interesse parficular sabre 0 bem comum, na medida em que este assume maxima importancia para elaboragdo da teoria social. © bem comum é um principio objetivo, que decome da natureza das coisas € possui indmeras consequéncias préticas para o convivio social, nada mais sondo que 0 préprio bem particular enquanto parte de um todo ou de uma comunidade, sendo interesse consensual do grupo social, posto representar a maiaria. Assim, no bem comum, o bem dos demais noo é alheio co bem proprio, De outro lado, comunidade 6 a comunhGo existente entre os que participam de um mesmo bem € possuem uma finalidade comum. Quando hé confito entre o bem particular eo bem comum, 0 que existe 6 uma opasicao entre o interesse privado e o bem comum, que, ao contrario do primeiro, seria afeto a todos ou, ao menos, a maiaria. Interesse pico, desta forma, seria a relacdo entre a sociedade e 0 bem comum por ela perseguido, que deve ser buscado através daqueles que, na comunidade, tm autoridade, ou seja, governantes € adminisitadores pUilicos, sendo, portanio, obrigagao daqueles que exercem cargos ou fungées de mando, consubstanciando- se a omissGo em grave violacdo dos deveres inerentes ao exercicio de poder ou mando. Note-se que tanto a imparcialidade quanto a honestidade n&o conslituem os Unicos deveres pubiicos em jogo, quando se trata de analisar improbidade administrativa, Ao contrario. verifica-se que deveres como 0 de lealdade institucional, abarcando a exigéncia de Av, Histoviaor Rubens de Mending 1791 = Centro EuyrevarialPaiaguds ~ sala 0h foxes 3ES-SSBGe WE S356 Calaba=AI1~ Av, CPA CEP 78030.030 ~ buiro Miguel Setal- mal jeorbdino@hetmatcon CORBELINO Aavogados Asrociadoe eficiéncia funcional minima, também incidem na formatagao da improbidade do aludido art. | da Lei n° 8.429/92. Nobie Procurador de Justia, 0 dever de lealdade institucional, previsto no art. 11, , € infringido pela conduta deretardar ov deixar de praticar, indevidamente, ato de oficio. Basta examinar quais 0s atos de oficio que o agente deveria praticar, até para resquardo do cumprimento das tun¢des ou da continuidade do servico pUblico, para que se constate a improbidade, podendo a omissGo dolosa, por exemplo, decorrer de vinculo partidario ou politico, amizade, dentre outros. Diante de quadro fatico, eventos improbos ligados entre si, com o mesmo liame causal € com unidade fatica, por acao € outro por omissdo, seria perfeilamente possivel e recomenddvel de ha muito tempo por parte do MP o ajuizamento de uma sé demanda, com variados pedidos, posto ser a agGo civil publica o insirumento habil & protecdo do patiménio moral da coletividade, além de eventual protecGo do erdrio, ambos dimensdes do patriménio pUblico constituclonalmente protegido. Come se vé, de uma rapida leitura dos documentos trazidos a efeito, demonstra que o ente publico permaneceu inert, com ojuizamento da agao executiva. Passaram-se mais de 18 (dezoito) anos sem que 0 municipio praticasse qualquer alo tendendo a impubionar a cobranga de seu crédito, num verdadeiro ato de improbidade. Nesse sentido: Pedro Roberto Decomain distingue: “Se a cobranca, em virtude da negligéncia do agente, vem a ser tornada impossivel (porque ocorreu prescricao, ou porque 0 devedor se tornou solvente, por exemplo), entdo efetivamente essa negligéncia causa prejuizo aos cofres piblicos e a indenizacao devida pelo préprio agente deverd aleancar 0 montante daquilo que haveria de ter sido cobrado e pago, mas nao foi. O agente faltoso sera entdo o responsdvel por esse ressarcimento. Com efeito, nao se pode conceber que o administrador publico deixe de exercer sua obrigagéio de adotar todas as ‘Ai. Historindor Rubens de Mendovga 1731 = Centro Emp Culuba = MT= Av, CPA CEP 78,030.03 bare Migr lal Priaguis salu $05 -foves 328-5386 6 3612-3396 - ema fcorbeine @hetmed.com CORBELINO ‘Advorados Associados mecidas necessdrias @ comecdo da imegularidade detectada, dentre as ‘quais destaca-se a providéncia imediata de acionar os mecanismos legais da administragdo destinades ao integral ressarcimento do Erdrio, sob o pélide argumento de que ocoreu a sua prescrigéo, sem que ao menos fosse tomada qualquer iniciative, tudo a beneficier seu aliado politico. Trata-se sem divida de omissao injustificavel. DA POSSIVEL OCORRENCIA DE RENUNCIA FISCAL Como visto, ainda que tenha ocorido a prescrigdo dos créditos nao inscritos na divida ativa do ora vereador devedor LUCIANO NEVES, mesmo assim néio se insete no conceito de renuncia de receita, definido em dispositive proptio na Lei de Responsabilidade Fiscal__-—«(LRF), + j@ += que_—aaparentemente, ndo teria havido concessao, por iniciativa da administracao publica, de qualquer beneficio de natureza tiibutdria, e, sim, a auséncia de aga do poder piblico no seniide de ajuizar a cobranca, ocasionando, assim, 0 fendmeno da prescri¢do. Nesses casos, assim que for consiatada a prescricdo da divida, deverseia instaurar procedimento administrative visando apurar possivel ocorréncia de conduta dolosa ov culposa dos responsdveis pela omissdo no ajuizamento das cobrancas Constatada essa conduta dolosa ou culposa, estatia o gestor ou servider responsavel passivel de puni¢&o nao sé na estera admiristrativa, como também para efeito de responsabilizacao na esfera civil e criminal. De fato, a legisiagao nao permite dovidas sobre a obrigagGo de o adminisirador adolar proniamenie as medidas necessdrias ao ressarcimento. Vale lembrar, nesse particuler, que o crédito 6 indisponivel. © préprio art. 84 do Decreto-Llei n° 200/67 {ainda em vigor) revela que a autoridade, ao tomar ciéncia de imegularidade que resulte em prejuizo para a Fazenda, sob pena de co- responsabilidade, deve tomar duas providéncias: (a) adotar medidas imediatas para assegurar o respective ressarcimento, & (b] instaurar a tomada de contas. Av Historiador Rabon de Mendonga 121 Contr Empresarial Pring sila $05 flores 3008-5306 0 36i2-5386 - Cuiabi- MT Av. CPA CE 7.060020 barre Miguel Sati ema rcorbelino Shot com CORBELINO ‘Advogadoe Aesocindoe Nada, absolutamente nada foi feito. vse: A omissGo das autoridades em diligenciar a recuperagdo das verbas ao erério caracteriza ato de improbidade administrativa, na modaiidade do arfige 10, inciso X, da Li rn? 8.429, de 2-6-92. sujeitando-as 4 perda da funcGo publica, suspensdo dos direitos politicos e pagamento de mutta, além do ressarcimento do dano. Douto Procurador, com o devide respeito, a situagGo trazida ao conhecimento desse NUcleo pelo ora requerenie (cidadéo e eleitor) € demasiadamente preocupante. dai, a razdo para requerer diretamente ao NACO oc instauracdo da competente INVESTIGAGAO JUDICIAL, a fim de apurar a responsablidade quanto 4 ‘existéncia ou nao de deitos’ praticados pela atual gestéo do Executive Municipal, especialmente diante da proximidade de novos eleicées, passando impunes fatos dessa nalureza. Da andlise dos documentos exposto, resta evidente a existéncia de robustos indicios Gelitivos a indigitarem a pratica de diversos crimes ao qual importa ressaltar que os delitos em tela se submetem @ ago penal de iniciativa publica, consubstanciando-se o presente requerimento em verdadeira notitia criminisde cogni¢Go mediata, que deve importar em instauragdo de no minimo Inves: judicial. © inciso I do Art. 11 da Lei de Improbidade, qualifica como ato de improbidade administrativa a prdtica de ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto, na regra de competéncia. Trata-se do principio da legalidade, segundo © qual o “administrador piblico esid, em toda a sua atividade funcional, sujeilo aos mandamentos da lei e ds exigéncias do bem comum, e deles nao se pode afastar ou desviar, sob pena de praticar ato invélido @ expor- se 4 responsabilidade disciplinar, civil e criminal, conforme © caso {recebimento de remuneragao em duplicidade de dinhero publico de conhecimento do chete do executivo) Av, Wistovindor Rebens de Mendongu TA Contra Ew Goiabt=A10~ Ae. CPA ~ CEP 78.050,090 barre Mig CORBELINO Advogadot Aesoeindoe Na ligdo de Hely Lopes Meirelles, na sua obra “Direito Administrative Brasileiro”. Quem pratica, pois, ato administrative objetivando um fim defeso em lei, ou em regulamento ou “mesmo diverso daquele previsto na regra de competéncia" esta praticando © improbidade administrativa, esta sendo, portanto, improbo, afinal, na Administracdo publica o agente piblico somente pode fazer aquilo que Ihe é permitido por lei. Nao ha duvida senhor Procurador de Justiga, de que a Prefeita ao comportarse a frente do Executive conforme cima mencionado, afrontou as disposicdes norteadoras da Admirisiracéo Publica, praticande, em tese, ato de improbidade administrativa, contrariando expressa disposi¢Go de Lei, o que deverd ficar a cargo de Vossa Exceléncia essa apreciagao, ja que o requerenie esia fazendo a sua parte Assim sendo, por ais motivos, o denuncionte se vé compelidos (como eleifor) a bater as portas desse conceituado e atuante Nucleo Especializado (NACO), especiaimenie por t€-1o como Procurader de Justia a sua frente, tornando-se imperioso, com a devido respeito, que sejam adotadas medidas urgentes tendentes & moralzagao da coisa publica e para que o Poder Executivo Municipal no seja visio como um antro de negociatas, arrarjos ¢ negociacSes escusas de cunho eleitoreiras, especialmente tendo novas eleicdes a frente, aonde todos os envolvides tentaram suas reeleicdes @ fais fatos permanecerao esquecidos, contrariando imensamente o principio da impessoalidade, qual seja, imune a seus liames de cardter pessoal, subjetivo ou partidario. Esse fato que se tornou pUblico acabou por langar nédoa nos demais membros do legislative (oposigao ao governo) diante da INERCIA elou POUCO CASO/PREVARICAGAO em néo adotar de imediato © que rege o DECRETO LEI 201, © porque nao dizer de toda a comunidade da pequena cidade de Chapada dos Guimaraes. Portanto, € que se formula o presente PEDIDO DE INVESTIGACAO em carater de urgencia, para que sejam tomadas as medidas cabiveis, @ principaimente, para viabilizar a apuragao dos fatos ora denunciados, a fim de demonstrar para a “Bic Histon Rabscde Mendonga 13 - Contr Eojwesavial Paaguts slab Touee Cuinbi T= Av. CPA- CEP 78.0030 ~ bare Miguel Stil- mat feorblino Shotmat.com CORBELINO ‘Advogades Associades comunidade daquela pacata cidade e deste valores estado de Mato Grosso que a impunidade n&o reina nestas terras. No mesmo sentido, € 0 que dispée c RESOLUGAO N.° 13, DE 02 DE OUTUBRO DE 2006, DO CONSELHO NACIONAL DO MINISTERIO PUBLICO, sendo vejamos: Ari, 1° © procedimenio investigatério criminal é insirumenio de natureza administrativa © inquisitorial, instourado e presidido pelo membro do Ministério Péblico com atribuicdo criminal, e teré como finalidade apurar a ecoréncia de infacdes penais de natureza publica, servindo como prepara¢do e embasamento para o juizo de propositura, ou nao, da respectiva a¢do penal. Art, 2° Em poder de quaisquer pecas de informacao, 0 membro do Ministério POblico poderé: 1 = promover a acao penal cabivel: I1instaurar procedimento investigatério criminal; I = encaminhar as pecas para 0 Juizado Especial Criminal, caso a infragdo seja de menor potencial ofensivo; IV - promover fundamentadamenie o respectivo arquivamento; V - requisitar a instauracao de inquérito policial. Art. 3° © procedimento investigatério criminal poderd ser instaurado de oficio, por membro do Ministério Pdblico, no ambito de svas atribuicdes criminais, ao tomar conhecimento de infracéo penal, por qualquer meio, ainda que informal, ou mediante provocacéo. Art. 6° Sem prejuizo de outras providéncias inerentes 4 sua atrbuicao funcional e legalmente previstas, 0 membro do Ministério Publico, na conducGo das investigacoes, poderd: I~ fazer ou determinar vistorias, inspegdes e quaisquer outras diligéncias; I -requisitar informacées, exames, pericias e documentos de autoridades, 6rgGos e entidades da AdministragGo Publica direta e indireia, da Unido, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municipios; Ill ~ requisitar intorma¢goes e documentos de entidades privadas, inclusive de natureza cadastral; IV - notificar testemunhas e viimas e requisitar sua condugao coercitiva, nos casos de auséncia injustificada, ressalvadas as prerrogativas legais: Ceuare Lupresarial Priaguts seta 405 = ones H2E-SI96 © 3EI25I9G twine Miguel Sutil e-mail jcorbeino hotmail.com | CORBELINO Advogador Aesocindoe V = acompanhar buscas e apreensées deferidas pela autoridade Judiciéria; VI — acompanhar cumprimento de mandados de prisGo preventiva ou temporaria deferidas pela autoridade judiciaria; Vil - expedir notificagées e intimagées necessérias; Vill- realizar oitivas para colheita de informagées e esclarecimentos: IX - ler acesso incondicional a qualquer banco de dados de caréfer pUblico ou relativo a servico de relevancia publica: X = requisitar auxilio de for¢a policial” (cestacamnos). Com efeito, esia é a hipétese do presente pleito. No caso aqui adverso, —observou ‘gparentemente’ ume total reniténcia de todes daquela gestao em se portar de acordo com os preceitos legais e os mais elementares e inarredaveis principios da Carta Magna, devendo, dessa forma, serem punidos pelos seus atos, até mesmo para servir de exemplo, impedindo que outras futuros gestores se animem e passem a trilhar idéntico caminho, ulilizande deste tipo de prética nociva a administragao publica, tude no afé de beneficiar seus aliados. Do PEDIDO Ante ao exposto e considerando as provas anexas, os atos aqui descritos e praticados encontram-se perfeitamente ojustados ao fipe da Lei, caracterizando-se possiveis ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA. passivel de AGAO CIVIL PUBLICA e reparagéo de danos, porque ‘aparentemente’ a chete do Poder Executivo fez ouvidos de mercador, porlanio, cometeu INFRAGAO POLITICO ADMINISTRATIVA que alentam contra os principios norteadores da Adminisiracéo Publica. Para tanto, caso haja necessidade, se assim 0 entender, requer a designagGo de data e hora para a citiva do ‘ofa requerente PAULO ROBERTO BOMFIM peranie os iniegrantes desse Nucleo de aiuagdo, para que 0 mesmo passa RATIFICAR lode 0 exposto © pessoalmente dor outros detalhes € esclarecimentos sobre o rumaroso caso, ao qual deverd ser tomado por TERMO. Ae Ristorindor Rabows de Mewdonga T73T~ Cont Empresoral Gninbi= MIT Aes CPA” CEP 74.000:990~ bare Miguel Sut email jreorbeline het CORBELINO Advopados Assoc No mesmo sentido, caso haja entendimento de Vossa Exceléncia, requer-se: Seja 0 presente feito instruido com a mais absoluta prioridade, encaminhando os falos, inclusive, para o conhecimento do MINISTERIO PUBLICO DE GONTAS DO ESTADO DE MATO GROSSO - TCE-MT, REPRESENTANTE DO MINISTERIO PUBLICO DAQUELA COMARCA, pora que este ingresse imedictamente nos autos da acdo Declaratéria de Prescrig¢éo formulada pelo aludide Vereadar LUCIANO AUGUSTO NEVES perante 0 juzo da 2° Vara Civel de Chapada dos Guimaraes - n° 1001018.86.2020.8.11.0024, como fiscal, diante dos interesses coletivos da scciedade, assim como Go MINISTERIO PUBLICO ELEITORAL, se assim entender, para adogéo das medidas pertinentes com Vistas as elei¢des 2020 Por derradeiro, postula-se para que Vossa Exceléncia envie cépios deste procedimento junio a Presidéncia da Camara Municipal de Chapada dos Guimaraes, se assim o entender, proceda imediatamente @ instauragéo de processo de cassagéio do mandato eletivo ca atual Prefeiic THELMA DE OLIVEIRA, (impeaciment) destinado a apurar e punir condutas graves pelos ‘pessiveis' cometimento de infracdo politico-administrativa previsios nos artigos 1°, inciso XIV e 4°, inciso VI, do Decreto Lei 201/67 em face de que ‘nao é dado a ninguém descumprir a lei sob a alegacdo de ignora-la’, ou seja, essa negativa como fora cxposta, manifestou-se por meio de um ato OMISSIVO, ante o nado atendimento do TCE/MT. E a que se espera confiadamente o requerente das providencias a serem tomadas por esse conceituado Nucleo de Agdes de Compeléncia Originéria (Naco) na pessoa de Vossa Exceléncia, combative € exemplar Procurador de Justica, que muito dignifice 0 Ministétio Publico do Estado de Mato Grosso. Igualmente, requer que todas as infimagdes e nolificagées de praxe. sejam direcionadas ao adyvegado subscritor José Ricardo Costa Marques Corbelino - OAB/MT 5.486 no endere¢o constante, para ciéncia dos atos praticados. A Hestonador Rabun de Mendonga 1751 - Ceutro Fupresariat Petaguas- sala 303 Fores 28-3396 € SoaE-SSS0 = — Cab AIT~ 8. CPA CEP 75.050.050~ aro Atguel Suti- erat: corbetinoBhetmarlcom € CORBELINO Aovogados Aerociadoe ta Marques Corbelino “MT 5.486 ‘Av. Ristorindor Rebens de Meniongal Guiuba= AIT~ Ae. CPA CEP 75050.000