Você está na página 1de 4

PSICOLOGIA SÓCIO-HISTÓRICA

Discentes: Marly Santana de Souza


Curso: PSICOLOGIA Período letivo: 2020.1
Semestre: 3º Data: 19/06/2020
Valor: 10 pontos Professora: Beatriz de Souza Silva

Orientações:
1- O trabalho deverá ser realizado individualmente.
2- O prazo para postagem é até às 23:55 do dia 19-06-2020, na plataforma moodle.
3- Trabalhos que apresentem plágio (textos encontrados na internet, blogs, livros
e/ou trabalhos iguais ao do colega, etc) serão zerados.
4- As respostas devem ter, no mínimo, dez linhas.
5- A interpretação faz parte da avaliação.
6- Serão considerados na definição da nota da questão: objetividade, clareza,
coerência, ortografia e gramática;

AVALIAÇÃO SUBSTITUTIVA

1) Através da linguagem o homem se constitui na sociedade, com a interação


com o outro, ou seja, com o meio social. De acordo com Vygotski (2008, p.
18) "As funções cognitivas e comunicativas da linguagem tornam-se, então, a
base de uma forma nova e superior de atividade nas crianças, distinguindo-as
dos animais". Ou seja, o que distingue o ser humano dos animais é a
linguagem, o ser humano é racional o os animais irracionais, através desse
processo de troca de informação através da linguagem, possibilitando ao
homem uma construção do seu eu através de um conhecimento sócio-
histórico.

2) A psicologia socio histórica ver o fenômeno psicológico como algo construído


socialmente, bio-pisco-social, considerando o objetivo e o subjetivo. Diferente
das outras abordagens a psicologia sócio-histórico, que considera o dois, já
as outras abordagens consideram apenas um, separando o biológico do
social.
3) Os animais desde quando nasce até a morte segue apenas o seu instinto,
caça para se alimentar, se alimenta quando está com fome, foge quando
sente perigo, e ou seja, todas as suas ações é previamente programadas em
sua genética, no entanto o ser humano desenvolveu ao passar do tempo a
capacidade de pensar, todas as suas ações são previamente pensadas. O
homem tem como controlar seus instintos e podem aprender com o método
tentativa e erro, que são compartilhados em sociedade, sendo assim o
homem pode transmitir e receber conhecimento através da interação social.

4) Desenvolver técnicas e formas de trabalho que permitam refletir sobre o que


já se construiu até esse momento da vida acerca desse assunto, ou seja,
levar o jovem a uma reflexão do que se foi desenvolvido até aquele momento
da vida, possibilitando para que o mesmo tem consciência de suas escolhas
futuras. assim o projeto do indivíduo de forma a permitir uma intervenção m
ais satisfatória no mundo cotidiano. Sendo assim o objetivo do trabalho da
orientação profissional é promover experiencias onde os jovens relatam a
concepção que se tenha do adolescente, de suas determinações, de sua
constituição, de seu papel ou sua identidade, suas duvidas e medos. Onde tal
ação marcará opções de práticas para direções diversas, dependendo de
como se olha este sujeito, assim como a questão do trabalho e seus
desdobramentos.

5) A primeira particularidade diz que o homem não responde somente a ordem


orgânica. A segunda particularidade vem dizendo que o homem, mais do que
comer, beber, ele planeja toda a comida. A terceira particularidade diz que o
comportamento do animal se dá por duas fontes de aprendizagem,
programas hereditários, e experiência individual, já o homem, pela
assimilação do que às outras pessoas já fizeram, ou seja, o homem tem o
poder de aprender a partir de um processo histórico e social.
Referencias:

Psicologia sócio-histórica: uma perspectiva crítica em psicologia / Ana Mercês Bahia


Bock, Maria da Graça Marchina Gonçalves, Odair Furtado (orgs.). - 3. ed. - São
Paulo : Cortez, 2007. Vários autores. ISBN 978-85-249-0785-2
Vigotski, L. S. (2008). A formação social da mente: O desenvolvimento dos
processos psicológicos superiores (7. ed.). São Paulo, SP: Martins Fontes.   

Você também pode gostar