Você está na página 1de 7

23/08/2020 Jean Meslier - Wikipedia

Jean Meslier
1
Jean Meslier , ou Mellier , nasceu em Mazerny ( Ardennes ) em15 de junho de 1664É um
sacerdote e filósofo do Iluminismo francês , sacerdote de Étrépigny na Arquidiocese de Reims, onde Jean Meslier
2
morreu no início do verão de 1729 . Sua existência só foi conhecida a partir da publicação em 1762
por Voltaire , sob o título de Testament de J. Meslier , de um texto que ele apresentou como extrato de
um documento muito maior, encontrado em ele e no qual um padre professou com determinação seu
ateísmo , e também se engajou em uma crítica radical das injustiças da sociedade de seu tempo.
nota 1
Este texto, com o título original de Memórias de pensamentos e sentimentos de Jean Meslier ... ,
às vezes é considerado o texto fundador do ateísmo e do anticlericalismo militante na França.

Resumo
Biografia
Testamento do pároco Meslier
Comentário sobre o Testamento
Posteridade
Rejeição de violência contra animais
Catecismo Jean Meslier (gravura publicada em 1802).

Notas e referências Biografia


Notas
Nascimento
Referências 15 de junho de 1664
Mazerny
Veja também
Bibliografia Morte
17 de junho de 1729(em 65)
Edições de texto Étrépigny
links externos Atividades
Filósofo , clérigo , padre ,
escritor
Biografia Outra informação

3 Campo
Nascido de pai trabalhador em sarja ou proprietário e fabricante de lã da aldeia de Mazerny, Gérard Filosofia
Meslier (ou Mellier) e Symphorienne Braidy, fez alguns estudos na escola pública de sua paróquia
Religião
onde o padre o achou talentoso , antes de continuar no seminário de Reims. Iniciado ao sacerdócio em Igreja Católica
1688, muito estimado por seus superiores, foi ordenado sacerdote na catedral de Saint-Étienne em Movimento
Châlons-sur-Marne , então nomeado7 de janeiro de 1689pároco de Étrépigny e Balaives na sua terra Ateísmo , pensamento livre
natal, Ardennes , onde permaneceu até à sua morte. Ele tinha como amigos dois padres, MM. Voiri Arquivos
(pároco de Guignicourt ) e Delavaux (ou Laveaux - pároco de Boulzicourt ) que enterrou o corpo no Instituto Internacional de
jardim da freguesia sem registar a certidão de óbito nos registos da sua freguesia. mantidos por História Social

Os elementos biográficos fornecidos por Voltaire em suas Lettres à SA le Prince de *** sur Rabelais,
etc. estão marcados por muitos erros, será necessário esperar que Maurice Dommanget tenha a primeira biografia
séria.

Segundo Voltaire, ele escolheu para empregadas domésticas mulheres que não haviam atingido a idade canônica de
4
anos , sua conduta escandalizou-o e rendeu-lhe repreensões e punições das autoridades eclesiásticas. Suas brigas
com o fazendeiro local lhe renderam outras. Na verdade, indignado com os maus-tratos que o senhor de Touilly
sujeitou aos camponeses de sua paróquia, Jean Meslier o denunciou um dia no púlpito . Severamente criticado pelo
bispado , teria então deixado de ser falado, reservando-se para a escrita póstuma de que publicou excertos.

Pensador isolado, alimentando ideias que não podia trocar, tinha uma biblioteca que consistia, ao lado da Bíblia ,
dos Padres da Igreja , e dos relatos dos concílios , de autores latinos como Titus Live , Sêneca , Tácito , Flavius
Josèphe, assim como de Montaigne , Vanini , La Bruyère , La Boétie , Pascal , Malebranche , Fénelon , do Dicionário
Histórico e Crítico de Bayle .
5
Dos ensaios de Montaigne e da Demonstração da existência de Deus de Fénelon - que ele anota nas margens - ele
escreve seus próprios pensamentos e sentimentos , volumosa memória manuscrita recopiada em três cópias
Étrépigny , a igreja da qual Jean
manuscritas de trezentos e sessenta e seis folhetos de cada um, dedicados aos seus paroquianos.
Meslier foi pároco de 1689 a 1729 .

Testamento da cura Meslier


Seis anos após a morte do pároco de Étrépigny, Nicolas-Claude Thieriot conta a Voltaire sobre a existência dos manuscritos em uma carta
deNovembro de 1735. Cópias manuscritas circularam pela primeira vez disfarçadas em Paris , entre os enciclopedistas . Apenas 27 anos depois Voltaire
publicou em 1762 trechos da obra de forma abreviada, ele reescreveu algumas passagens seguindo design deísta , dizendo que o original foi "escrito em
6
um estilo carruagem de cavalos "
nota 2
O Barão d'Holbach , por sua vez, publicou Le Bon Sens du parte Jean Meslier seguido de seu testamento . Rudolf Charles d'Ablaing van
Gissenburg, conhecido como Rudolf Charles Meijer, e o pensador livre materialista holandês publicaram uma primeira edição completa em três volumes
em 8º de 350 páginas cada em 1864 .

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Meslier 1/7
23/08/2020 Jean Meslier - Wikipedia
O pensamento de Meslier anuncia a Revolução Francesa e, muito além, o socialismo utópico , o materialismo , o
comunismo e o anarquismo . Para Régis Messac , o padre Meslier é um pensador libertino , "o precursor dos
7
filósofos que proclamam em voz alta a sua crença no progresso e na necessidade desse progresso ".

Este testamento filosófico fez dele um precursor principal do Iluminismo . Lá ele foi o primeiro a professar um
ateísmo intransigente, ao mesmo tempo em que desenvolveu antes da letra um materialismo rigoroso e também
estabeleceu como precursor as bases de uma filosofia anarquista, bem como uma concepção comunista de sociedade
segundo Michel Onfray , que cita como o primeiro filósofo ateu radical e sem concessões ( deísmo , agnosticismo )
8 , 9 , 10
.
th th
O e séculos ter um grande tempo de angústia para a fé cristã. Mas as várias críticas que conheceram o
cristianismo da época não se igualam no poder de fogo do manifesto Abade Meslier, que influenciará os futuros
11
pensadores ateus .

Assim, Anacharsis Clootz havia submetido à Convenção o projeto de erigir uma estátua àquele que ele chama de "o
Intrépido", "o Generoso", "o Exemplo", como sendo o primeiro sacerdote a ter "abjurado idéias religiosas e rasgou o
nota 3
véu da superstição ”. Obelisco de pensadores socialistas
º
que enfrentam Meslier em 7 lugar
Os bolcheviques não se enganaram, pois seu nome está gravado no obelisco dos Romanovs , um monumento no no Jardim Alexandrovsky em
Jardim Alexandrovsky erguido em Moscou para os Romanovs e transformado para a glória dos precursores do Moscou .
12
socialismo moderno , o único monumento público que celebra o memória de Meslier. O Testamento foi traduzido
13
para o russo em 1924 .

Comentário Testamento
Fim de junho de 1729 . Jean Meslier, pároco da paróquia de Étrépigny por quarenta anos, deixou um envelope contendo dois documentos após sua
morte, sendo o primeiro uma introdução ao segundo:

“Não acredito mais que ainda devo ter dificuldade em dizer a verdade. Não sei bem o que você vai pensar disso, nem o que vai dizer sobre
isso, nem o que vai dizer sobre mim, tendo colocado tal e tal pensamento em minha cabeça, e tal projeto em minha mente. Você talvez
considere este projeto como uma pitada de loucura e imprudência em mim ... ”

Inevitavelmente, este prefácio deve ter despertado o interesse de quem havia descoberto o documento, e pode-se facilmente imaginar qual teria sido a
reação dos rebanhos do padre Meslier quando souberam por meio de seu segundo documento que o padre que estivera o chefe de sua paróquia por mais
de quarenta anos, considerou que religião era apenas erro, mentira e engano e ao mesmo tempo convidou seus colegas a abandonarem o Cristianismo ...
Inversão inesperada, o texto de Meslier também é revolucionário para o período uma vez que as propostas ateístas que são apresentadas não estão
14
escondidas sob qualquer subterfúgio . O autor se declara claramente ateu e ataca diretamente a religião cristã, evitando a habitual precaução que
cercava os textos filosóficos da época qualificados, com ou sem razão, de ateus . Muito mais do que uma exposição de ateus teses , de Meslier mesmo
trabalho apresenta-se como uma obra de proselitismo que atacam diretamente o crente fé :

“Considere cuidadosamente as razões para acreditar ou não acreditar, o que sua religião lhe ensina e o obriga totalmente a acreditar.
Certifico-me de que, se você seguir bem as luzes naturais de sua mente, verá pelo menos tão bem, e tão certo quanto eu, que todas as
religiões do mundo são apenas invenções humanas e que tudo o que sua religião lhe dirá. ensina, e obriga você a acreditar, como
sobrenatural e divino, é basicamente apenas erro, apenas mentira, ilusão e impostura. "
15
Meslier está ciente da natureza paradoxal de sua vida: por que esperar até a morte para declarar seu ateísmo ? Ele confessa seu medo , mas mesmo
assim apresenta a veracidade de seu pensamento ateísta. Ele quer que seus leitores tentem refutá-lo e, se não puderem, concordem com ele. Se eles têm
medo de adotar essa posição durante a vida, devem fazê-lo quando morrerem:

“(Intervém) em favor da verdade até mesmo em favor dos povos que gemem como vocês a vêem todos os dias, sob o jugo insuportável da
tirania e das superstições vãs. E se você também não ousa se declarar abertamente durante sua vida contra tantos erros detestáveis, e
tantos abusos perniciosos que reinam tão poderosamente no mundo, você deve pelo menos agora permanecer em silêncio e se declarar
menos no final de seus dias em favor da verdade. "

Meslier, como os iconoclastas e contra os iconódulos , vê as estátuas e imagens de igrejas como ídolos . Ele acusa os padres e exegetas de interpretar a
nota 4
Bíblia conforme sua conveniência, , de manter seu domínio sobre o povo por meio do medo e de manter um silêncio cúmplice em face do abuso
dos grandes:

“[...] Você adora pequenas imagens fracas de massa e farinha, e honra imagens de madeira e gesso, e imagens de ouro e prata. Divirtam-
se, senhores, em interpretar e explicar figurativa, alegórica e misticamente escrituras vazias que, no entanto, chamam de sagradas e
divinas; você dá a eles o significado que quiser; tu os fazes dizer o que queres por meio daqueles lindos sentidos ditos espirituais e
alegóricos que os forjes e que pretendes dar-lhes, para aí encontrar e fazer com que encontrem aí as chamadas verdades que não existem.
não estão lá e nunca estiveram. Você esquenta discutindo questões vazias de graçasuficiente e eficiente. Além disso, você difama os
pobres, você os ameaça com o inferno eterno por pecadilhos, e você não diz nada contra os furtos públicos, nem contra as gritantes
injustiças daqueles que governam os povos, que os saqueiam, que pisoteiam, que os arruínam, que os oprimem e que são a causa de todos
os males e de todas as misérias que os oprimem. "

O ateísmo de Meslier, portanto, quer estar em algum lugar humanista , e não é, ao contrário do dos libertinos , estabelecido para se opor à moralidade
cristã. Para Meslier, o papel dos sacerdotes continua a ser o de ensinar: “cabe a você instruir os povos, não nos erros da idolatria, nem na vaidade das
superstições , mas na ciência da verdade e da justiça. , e na ciência de todos os tipos de virtudes e boas maneiras; vocês são todos pagos por isso ”. Ateu,
materialista , denunciador da miséria social, Meslier amadureceu ao longo de sua vida um forte ataque às religiões em geral e ao cristianismo.em
particular, entretanto, adotando essas posições apenas postumamente. A carta termina com o anúncio da existência de um manuscrito depositado com o
escrivão da paróquia, onde Meslier detalha suas teses em três manuscritos de trezentas e sessenta e seis folhas cada. O título deste manuscrito, por si só,
apresenta a magnitude da tarefa que Meslier queria realizar:

“Memória dos pensamentos e sentimentos de Jean Meslier, pároco, pároco de Étrépigny e Balaives , sobre alguns dos erros e abusos da
conduta e governo dos homens onde vemos claras e óbvias demonstrações de vaidade e da falsidade de todas as divindades e religiões do
mundo para ser dirigida a seus paroquianos após sua morte, e para servir de testemunho da verdade a eles e a todos os seus semelhantes.
"

O testamento de Meslier está dividido em oito partes. Cada um visa provar a vaidade e a falsidade das religiões de acordo com este plano:

1. Eles são apenas invenções humanas.

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Meslier 2/7
23/08/2020 Jean Meslier - Wikipedia
2. A fé, a crença cega, é um princípio de erros, ilusões e imposturas.
3. Falsas "chamadas visões e revelações divinas".
4. “Vaidade e falsidade das chamadas profecias do Antigo Testamento ”.
5. Erros na doutrina e na moral da religião cristã.
6. A religião cristã autoriza os abusos e a tirania dos grandes.
7. Falsidade da "suposta existência dos deuses".
8. Falsidade da ideia de espiritualidade e da imortalidade da alma .

Entre as principais teses desta volumosa obra, uma tenta refutar a existência de Deus. O primeiro argumento de Meslier é o da ausência: como um Deus
que deseja ser amado, adorado e servido pode permanecer tão “discreto”? Não deveria antes se apresentar a nós como uma evidência certa e irrefutável?

"Se realmente houvesse alguma divindade ou algum ser infinitamente perfeito que quisesse ser amado e adorado pelos homens, seria
razão e justiça e até mesmo o dever deste assim chamado ser infinitamente perfeito tornar manifestamente, ou pelo menos
suficientemente conhecido, por todos aqueles a quem gostaria de ser amado, adorado e servido. "

Diante do caráter "discreto", da ausência de Deus, Meslier se pergunta. Por que Deus não nos deixa saber sua vontade de forma clara e direta, em vez de
deixar os homens discutirem sobre ele, ou mesmo matar uns aos outros por disputas bizantinas? Para Meslier, ou Deus existe e zomba de nós,
mantendo-nos no escuro, ou simplesmente não existe. Certamente nos oporemos a Meslier que Deus se revela aos homens por meio da beleza do
mundo, da obra de seus servos ou dos ensinamentos de seu filho Jesus Cristo ou da Igreja . Ao que Meslier simplesmente responde que esses sinais não
são nada óbvios. Além disso, a tendência dos teólogos da época [Quem?] De recorrer aO fideísmo (uma doutrina condenada em 1838 pela Igreja Católica
Romana ) para se opor ao que ele vê como os paradoxos da fé cristã representa para ele um erro grosseiro. Quem é esse Deus, pergunta ele, que nos
obrigaria a renunciar à razão para acreditar nele? Colocar a razão nas masmorras para justificar a fé cristã não deixa espaço para todos os enganos?

«Os nossos piedosos e devotos« cristãos »não deixarão de dizer aqui muito simplesmente que o seu Deus quer sobretudo tornar-se
conhecido, amado, adorado e servido pelas luzes negras da fé e por um puro motivo de amor e caridade concebida pela fé e não pelas
claras luzes da razão humana, como dizem para humilhar o espírito do homem e confundir seu orgulho. "

“(As religiões) querem que acreditemos absolutamente, e simplesmente em tudo o que dizem, não só sem dúvida, mas também sem
buscar, e mesmo ainda sem querer saber os motivos, porque isso Seria, segundo eles, uma imprudência impudente, e um crime de divina
lesa-majestade, querer curiosamente procurar motivos. "

Para Meslier, um Deus perfeito não deve estar distante ou distante:

"O primeiro pensamento que me ocorre pela primeira vez, sobre tal ser, que se diz ser tão bom, tão bonito, tão sábio, tão grande, tão
excelente, tão admirável, tão perfeito e tão amável, etc., é que se realmente existisse tal ser, ele apareceria tão clara e visivelmente aos
nossos olhos e aos nossos sentimentos que ninguém poderia de forma alguma duvidar da verdade de sua existência. Pelo contrário,
existem todos os motivos para acreditar e dizer que não. "

O antigo problema do mal é retomado por Meslier para questionar a existência de Deus: como, mas sobretudo por que, um ser perfeito criaria um
mundo imperfeito onde coexistem males, vícios, doenças, violência, etc. ? As maravilhas da natureza? Bobagem segundo Meslier, que descreve um
mundo selvagem onde a sobrevivência de um vem às custas da vida do outro. Se o mal é, como pensa Meslier, um simples elemento estrutural da
natureza, essencial para conter a multiplicação de homens e animais, de que forma ele é moralmente "mau"?

Meslier também tenta refutar os argumentos em favor da existência de Deus. Em primeiro lugar, aumenta sua incapacidade de provar qualquer coisa
com certeza: por exemplo, o argumento ontológico é baseado em uma definição pré-estabelecida de Deus. O ataque de Meslier às “provas” da existência
de Deus baseia-se no livro de Fénelon , Demonstração da existência de Deus , cujas teses ele se propõe refutar. Uma de suas refutações de Fénelon o faz
entrar em uma exposição propriamente materialista do mundo. Fenelon apresenta o fato de que Deus é um ser que está por si (é necessário e não
contingente), e que, portanto, ultrapassa todos os graus de ser (é perfeito). Para Meslier, esse raciocínio não vale nada: “ O ser é por si mesmo o que é, e
não poderia mais ser do que é, mas disso não se segue que seja infinitamente perfeito em sua essência. O ser necessário, portanto, não é
necessariamente perfeito, o único ser necessário é a matéria . Inspirado por Descartes , Meslier também chega a propor a existência de verdades eternas,
mas estas não se referem a um Deus criador: elas existem desde toda a eternidade, assim como o mundo e a matéria. Embora Meslier não questione o
cogito , ele apresenta o corpo e o próprio pensamento como o único fruto da matéria:

“Não vemos, não sentimos e certamente não conhecemos nada em nós que não tenha importância. Tire nossos olhos! O que vamos ver?
Nada. Tire nossas orelhas! O que vamos ouvir? Nada. Tire nossas mãos! o que vamos tocar? Nada, exceto muito indevidamente por outras
partes do corpo. Tire nossas cabeças e cérebros! O que vamos pensar, o que vamos saber? Nada. "

Para Meslier, não somos nada sem matéria e é inútil acreditar que algo possa existir fora dela. Para ele, se a matéria é eterna, a criação não pode ser
justificada. Ele se opõe aos cristãos que apóiam a criação ex-nihilo (do nada) e pensa que Deus não pode criar o tempo se essa criação estiver ela mesma
inserida no tempo. Ele não vê como podemos criar o espaço, ou onde Deus estava antes de criar o espaço, quanto tempo levou para criar o próprio
tempo etc. Para Meslier, a alma é material e mortal:

“[...] Todos os nossos pensamentos, todos os nossos conhecimentos, todas as nossas percepções, todos os nossos desejos e todas as nossas
vontades são modificações da nossa alma. Deve-se reconhecer também que está sujeito a várias alterações, que são princípios de
corrupção e, conseqüentemente, não é incorruptível nem imortal. "

Meslier postula a experiência sensível como único critério para a formação de ideias corretas, contrariando a ideia de “revelação”. Meslier primeiro ataca
os escritos bíblicos , cuja autenticidade e fidelidade ele questiona (possíveis modificações ou disfarces ao longo dos séculos, discrepâncias entre vários
testemunhos, e dentro dos próprios testemunhos, deixando que o multiplicidade de seus autores). Ele se pergunta qual é a autoridade baseada em
Mathieu, Marcos, Lucas e João, e por quais razões os apócrifos não se encaixam no cânone bíblico. Ele qualifica os escritos do Antigo como do Novo
Testamento como histórias de loucos, indicando que, para cada uma dessas histórias, quem as contasse hoje seria considerado louco e iluminado. Ele
questiona a necessidade da presença de numerosas carnificinas e sacrifícios em um texto sagrado. A hipótese do significado alegórico do texto não
convence Meslier:

“[...] Quem forja como bem entende, ou quem forja como quer, todos aqueles belos sentidos ditos espirituais, alegóricos e místicos dos
quais em vão sustentam e se arrependem da ignorância dos pobres. Já não é a palavra de Deus que eles nos oferecem e que nos vendem
neste sentido; mas são apenas seus próprios pensamentos, suas próprias fantasias e as idéias vazias de suas falsas imaginações; e,
portanto, eles não merecem nenhuma consideração por eles, nem qualquer atenção a eles. "

Para ele, visto que as promessas dos textos não se cumpriram, Paulo teria sido o primeiro a recorrer ao sentido alegórico para preservar a mentira cristã:

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Meslier 3/7
23/08/2020 Jean Meslier - Wikipedia
"Nossos cristãos consideram ignorância, ou grosseria de mente, querer interpretar literalmente as promessas e profecias acima
mencionadas, tal como são expressas, e acreditar que estão fazendo bem os intérpretes sutis e engenhosos dos desígnios e vontades de seu
deus, para deixar o sentido literal e natural das palavras, para dar-lhes um sentido que eles chamam de místico e espiritual e que chamam
de alegórico, anagógico e topológico. "

“Se quiséssemos interpretar todos os discursos, todas as ações e todas as aventuras do famoso Dom Quixote de la Mancha da mesma
forma alegórica e figurativamente, encontraríamos ali se quiséssemos uma sabedoria completamente sobrenatural e divina. "

Quanto à aliança de Deus com os judeus , ele se pergunta:

“Já que não vemos agora, e nunca sequer vimos, qualquer marca desta chamada aliança, e que, pelo contrário, a vemos claramente, por
muitos séculos, excluída da posse de terras e país que afirmam ter sido prometido a eles e que lhes foi dado por Deus para desfrutá-lo
para sempre. "

Meslier lembra as regras da crítica histórica e nos convida a colocar esta grade analítica em textos cristãos:

“Para que haja alguma certeza nas histórias que contamos a nós mesmos, devemos saber:

1. Se aqueles que são considerados os primeiros autores desse tipo de história são realmente seus autores;
2. Se esses autores fossem pessoas probas e dignas de fé;
3. Se aqueles que relatam esses supostos milagres examinaram todas as circunstâncias dos fatos que relatam;
4. Se os livros ou histórias antigos que relatam esses fatos não foram falsificados e corrompidos ao longo do tempo, como muitos
outros livros. "

O pároco ataca então o caráter do próprio Jesus . Ele não questiona sua existência histórica, mas o apresenta como “um homem de nada, que não tinha
talento, nem mente, nem ciência, nem habilidade, e que era totalmente desprezado no mundo; um louco, um tolo, um fanático miserável e um carrasco
infeliz. “ A glorificação do sofrimento (mas não o masoquismo ), o fato de que alguns homens serão condenados enquanto Jesus é apresentado como o
nota 5
Salvador (conseqüência de sua liberdade de recusar Deus para os cristãos), a confissão de Jesus para vir ao desordem em nosso mundo e a
promessa de um reino que Meslier declara inexistente ... são algumas de suas reprovações. Ele julga a doutrina de Cristo insana quando pede não para
lidar com as preocupações terrenas (roupas, alimentos ...), mas para confiar na Providência :

"Certamente seria bom ver os homens confiarem em uma promessa como esta!" o que seria deles? E se eles estivessem apenas um ou dois
anos sem trabalhar, sem arar? Sem semear? Sem colher e sem fazer celeiros? Imitar nisto os pássaros do céu. Seria em vão para eles se
tornarem devotos e buscar piedosamente este assim chamado reino dos céus e sua justiça! O pai celestial ele proveria especificamente
Nota 6
para suas necessidades ."

Para Meslier, a passagem de Jesus não melhorou o nosso mundo, o mal e o pecado ainda estão presentes, até piorando, entre os cristãos e entre outros.

“Os homens estão se tornando mais e mais perversos e perversos a cada dia, e há como um dilúvio de vícios e iniqüidades no mundo. Nem
mesmo vemos que nossos cristãos podem se orgulhar de serem mais saudáveis, mais sábios e mais virtuosos, ou melhor regulados em
suas políticas e em seus costumes do que os outros povos da Terra. "

Para Meslier, se Jesus fosse verdadeiramente Deus, ele teria tornado todos os homens sãos de corpo e mente, sábios e virtuosos, e banido todos os
vícios, pecados e injustiças do mundo - Meslier, no entanto, os considera elementos simples. estrutural. Da mesma forma, assumindo que Jesus
realmente salvou todos os homens por meio de seu sacrifício e levou sobre si todos os pecados do mundo, por que o Cristianismo mantém o uso de
penitências ? Por que ainda existem os condenados? Para os cristãos, Deus respeita a nossa liberdade, as nossas escolhas, e não quer salvar contra a sua
vontade e apesar deles aqueles que recusam a sua presença. Este argumento não o convenceu.

“Também podemos dizer-lhes que Deus, sendo onipotente e infinitamente sábio como eles supõem, ele poderia, sem tirar a liberdade dos
homens, sempre conduzir e dirigir seus corações e mentes, seus pensamentos e seus desejos, suas inclinações. e suas vontades, para que
nunca quisessem cometer nenhum mal, nem nenhum pecado, e para que ele pudesse facilmente prevenir todo tipo de vícios e pecados,
sem tirar e sem ferir a liberdade. "

O homem é condenado por um Deus supostamente justo a pagar por um pecado original que apenas dois humanos ( Adão e Eva ) cometeram, mas como
tal pecado pode afetar tão fortemente um Deus perfeito e imutável? Além disso, Deus não encontrou uma forma mais eficaz de apagar o pecado original
(que aparentemente não foi apagado, pois ainda sofremos as consequências) do que enviar seu Filho para ser morto pelos homens, é isto é, para Meslier,
permitir que os homens cometam um pecado ainda pior do que morder o fruto proibido. Sem crucificação, sem redenção, Judas Iscariotes e Pôncio
Pilatosseriam, portanto, os grandes salvadores da humanidade? Se todos tivessem amado e ouvido Jesus, teríamos perdido alguma chance de redenção
nota de rodapé 7
na ? Paradoxo final:

“É como se estivéssemos dizendo que um Deus infinitamente sábio e infinitamente bom se ofenderia com os homens e que ficaria
rigorosamente zangado com eles por nada (morder uma fruta) e por uma ninharia, e que ele teria sido misericordiosamente apaziguado e
reconciliado com eles pelo maior de todos os crimes? Por um deicídio horrível que teriam cometido, crucificando e matando cruel e
vergonhosamente seu querido e divino filho? "

A aceitação do cristianismo permanece para Meslier um mistério impenetrável: como homens sãos conseguiram aderir a essas idéias? Qual é, então,
esta estranha moralidade em que o amor ao próximo e a busca da dor e do sofrimento se encontram " , que declara bem-aventurados os que choram e os
que sofrem, que coloca a perfeição naquilo que é contrário às necessidades naturais, que exige não resistir? para os bandidos, mas deixá-los? " . Absurdo
de acordo com Meslier. E quanto ao ruim? Por que Deus impõe isso aos bons e aos sábios? Para testar sua paciência, para purificá-los, para aperfeiçoar
sua virtude, para torná-los mais felizes no céu? Novo absurdo, exclama Meslier. E de que direito estamos falando sobre o reino celestial?

"(Os" cristãos ") Eles foram ver? Quer saber novidades? Quem disse a eles que era assim? Que experiência eles têm com isso? Que provas
eles têm? Certamente nenhum, exceto aquele que eles afirmam derivar de sua fé, que é apenas uma crença cega de coisas que eles não
veem, que ninguém jamais viu e que ninguém jamais verá? "

Confessor por quase quarenta anos, Meslier começou a se perguntar se as pessoas ainda acreditavam realmente em vários "disparates" cristãos ou se
também não representavam a comédia, um pouco como aquele que não ousava declarar aos grandes dia, durante sua vida, seu pensamento:

“Quanto às pessoas comuns, também fica claro por seus modos e conduta que a maioria delas dificilmente está mais convencida da
verdade de sua religião nem do que ela lhes ensina do que aqueles de quem acabo de vir. falar, embora façam os exercícios com mais
regularidade. E aqueles entre as pessoas que têm tão pouca inteligência e bom senso, por mais ignorantes que sejam nas ciências
humanas, não deixam de vislumbrar, e até sentir de alguma forma, a vaidade e a falsidade do que queremos que eles acreditem sobre este
assunto, de modo que é apenas como se fosse pela força, como a despeito de si mesmos, contra sua própria iluminação, contra sua própria
razão e contra seus próprios sentimentos que eles acreditam, ou melhor, que se esforçam para acreditar no que lhes é dito. "

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Meslier 4/7
23/08/2020 Jean Meslier - Wikipedia
Já anunciando Karl Marx , Meslier também censura a Igreja por seu apoio às tiranias, bem como à exploração do povo. A Igreja, em vez de defender os
pobres, abençoa os diversos "parasitas" que se ataram ao trabalho dos pobres para melhor explorá-los: militares, eclesiásticos, juristas, policiais, nobres
16
... O rei , segundo Meslier que não reconhece não de direito divino , deveria ser assassinado, pois dominaria essa tirania com a concordância do clero .
Meslier espera que sua mensagem seja ouvida, disseminada e que os homens aprendam a viver sem religião, sejam quais forem as consequências:

“Depois disso, se pensamos sobre isso, se julgamos, se falamos sobre isso e se fazemos com ele o que quisermos no mundo, não me
importo; que os homens se adaptem e governem como quiserem, sejam eles sábios ou loucos, sejam eles bons ou maus, digam ou façam
me o que eles querem depois da minha morte; Pouco me importo com isso: já quase não participo do que se faz no mundo; os mortos com
quem vou partir já não se importam com nada, já não se metem em nada, já não se importam com nada. Então vou acabar com isso sem
nada, então sou pouco mais do que nada, e em breve não serei nada. "

Posteridade
17
Os textos do abade Meslier, considerados perigosos por aqueles que os descobriram , terão uma distribuição relativamente ampla de um texto
iconoclasta, que fazia parte de uma época em que a religião cristã mantinha um domínio bastante forte sobre a sociedade e a cultura. Europeu . Nem
sempre o sentido do texto foi respeitado, Voltaire publicou um resumo dele, bastante popular, mas extremamente diluído; o ateu materialista consciente
e intransigente Meslier foi transformado em uma profissão conservadora de fé deísta, onde Meslier se desculpou com Deuspor ter professado mentiras
16
sobre si mesmo ao longo de sua vida como clérigo . Seja como for, o pensamento de Meslier, o primeiro texto francamente ateu moderno , livre da
costumeira prudência literária que cercava os chamados textos ateus da época, como os de Thomas Hobbes , é revelador da presença de um discreta,
th
mas o pensamento real para o ateu século .

A franquia póstuma Meslier, que não hesita em dizer que muitos de seus paroquianos e clero não acredita e fingir ter fé, que revela a dificuldade que os
th
homens da século para '' expressam livremente seus profundos sentimentos sobre a noção de Deus. O ateísmo franco de Meslier conheceu
poucos imitadores durante o século. No entanto, seu texto é agora apresentado como o início de um discurso ateu sistemático e intransigente, um
discurso ainda contido por estruturas políticas, é claro, mas cujo desaparecimento iminente (a Revolução Francesa, assim como está próxima a vasta
corrente liberal que abalará a Europa) permitirá o surgimento e a expressão de um ateísmo sistemático que se opõe à Igreja ou ao argumento ontológico.

(7062) Meslier , asteróide nomeado em sua homenagem.

Rejeição da violência contra os animais


18
Na obra de Elisabeth de Fontenay , Le Silence des Bêtes , Jean Meslier é descrito como aquele que apontou as injustiças sofridas pelos animais e
th
criticou a violência humana contra os animais da forma mais veemente possível. no século (e, de facto, um antispéciste antes de tempo, como
19
pórfiro , Plutarco e Montaigne ). Jean Meslier recusou-se a ver os animais como "máquinas", mas sim como seres sencientes que desejam viver e não
sofrer qualquer tipo de opressão :

"É uma crueldade e uma barbárie matar, atordoar e cortar a garganta, como se faz, dos animais que não fazem mal, porque são sensíveis
ao mal e à dor tanto quanto nós, apesar de o que dizem os nossos novos cartesianos em vão, falsamente e ridiculamente , que os
consideram como puras máquinas sem alma e sem sentimentos (...). Opinião ridícula, máxima perniciosa e doutrina detestável, visto que
tende claramente a sufocar no coração dos homens todos os sentimentos de bondade , mansidão e humanidade.que eles poderiam ter
para esses pobres animais. (...) Devemos, sem dúvida, também acreditar que eles são tão sensíveis quanto nós ao bem e ao mal, ou seja, ao
prazer e à dor, são nossos servos e nossos fiéis companheiros de vida e de trabalho e, portanto, devem ser tratados com cuidado. Bem-
aventuradas as nações que os tratam benignamente e favoravelmente, e que simpatizam com suas misérias e dores, mas malditas sejam as
nações que os tratam com crueldade, que os oprimem , que amam derramar seu sangue e que estão ansiosos para comer sua carne. "
- Jean Meslier, Folie des hommes para atribuir a Deus a instituição de sacrifícios cruéis e bárbaros de animais inocentes, e para
20 , nota 8
acreditar que esses tipos de sacrifícios eram agradáveis para ele. .

Catecismo
Em 1790 é publicado um Catecismo do padre Meslier que teria sido escrito por Sylvain Maréchal .

Notas e referências

Notas
1. O título completo, escolhido pelo autor, é "Memória dos pensamentos e sentimentos de Jean Meslier, sacerdote-sacerdote de Etrépigny e Balaives,
sobre parte dos erros e abusos da conduta e governo dos homens, onde vêem-se demonstrações claras e evidentes da vaidade e da falsidade de
todas as religiões do mundo, para serem dirigidas aos seus paroquianos após a sua morte e para lhes servir de testemunho da verdade para eles e
para todos os seus semelhantes. " .
2. Ele se especializou em publicar suas obras mais radicalmente ateístas sob os nomes de outros autores.
3. O projeto foi transmitido à Comissão de Instrução Pública : “É, pois, reconhecido que os adversários da religião têm merecido o bem da
humanidade; É por isso que peço, para o primeiro abjurador eclesiástico, uma estátua no templo da Razão. Bastará nomeá-lo para obter um
decreto favorável da Convenção Nacional: ele é o intrépido, o generoso, o exemplar Jean Meslier, pároco de Trépigny em Champagne, cujo
testamento filosófico trouxe desolação à Sorbonne, e entre todas as facções cristãs. A memória deste homem honesto, murcha sob o antigo
regime, deve ser reabilitada sob o regime da natureza. » , 17 de novembro de 1793 .
4. Em teoria, no catolicismo , apenas a Igreja tem o carisma , assistida pelo Espírito Santo , para interpretar as escrituras. O Protestantismo é mais
flexível no assunto.
5. “Não pensem que vim trazer paz à terra, não vim trazer paz mas a espada [...]” Mateus, capítulo 10, versículos 34-35 .
6. Meslier aqui se refere a parte do Sermão da Montanha. Veja Lucas, capítulo 12, versículos 22-30 .
7. Veja, na wikipedia, o artigo sobre Judas e seu papel na redenção.
8. "Vemos aqui que a palavra 'tirania' permite a Meslier identificar a opressão dos homens e das feras, que a maldição que ele pronuncia está ligada
não apenas à prática de sacrifícios, mas também à comida de carne. - tema ao qual volta várias vezes - e que, finalmente, o cartesianismo é
acusado de promover a crueldade. " - Élisabeth de Fontenay, O Silêncio das Feras , p. 492.

Referências

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Meslier 5/7
23/08/2020 Jean Meslier - Wikipedia
1. Os registros de batismo levam o nome de Mellier, mas ele assinou 13. Serge Deruette, "Sobre o padre Meslier, precursor do materialismo",
Meslier , após Boulliot. em Anais históricos da Revolução Francesa nº 262, 1985, p. 411,
2. Em data desconhecida entre o último ato, assinado em 27 de junho, e artigo online (http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/ah
a data do inventário de seu patrimônio, 7 de julho; cf. Obras completas. rf_0003-4436_1985_num_262_1_1129) .
Memória dos pensamentos e sentimentos de Jean Meslier. Prefácios e 14. Roland Desné, entretanto, ameniza o aspecto revolucionário de
notas de Jean Deprun , Roland Desné e Albert Soboul , ed. Anthropos, Meslier: "revolucionário no pensamento, não no temperamento e na
1970, p. XXXII. ação". [...] Se o grito é mesmo do rebelde, a perspectiva se abre para a
3. As fontes não concordam; cf. Rudolf Charles d'Ablaing van revolução ” ; cf. Obras completas. Memória de pensamentos e
Giesenburg, prefácio ao Testamento de Jean Meslier , ed. Meijer, sentimentos de Jean Meslier , prefácios e notas de Jean Deprun,
Amsterdam, 1864, p. 35, extrato online (https://books.google.be/book Roland Desné e Albert Soboul, ed. Anthropos, 1970, p. CXLV.
s?id=h6MFAAAAQAAJ&pg=PR35) . 15. "Parecia-me que abusei de sua boa fé de modo ainda mais indigno e
4. Uma mulher não pode entrar no serviço de um clérigo antes dos 40 que, portanto, era ainda mais digno de culpa e reprovação, o que
anos. aumentou minha aversão a esses tipos de solenidades cerimoniais e
5. Fenelon , Demonstração da existência de Deus, extraído do pomposas e funções vãs de meu ministério, que estive cem e cem
conhecimento da Natureza e proporcionado à inteligência débil dos vezes a ponto de explodir indiscretamente minha indignação,
mais simples , 1712 . dificilmente conseguindo nessas ocasiões esconder meu
ressentimento nem me conter a indignação que eu tive. No entanto, fiz
6. Carta para Helvétius datada de 1 ° de maio de 1763, Weiss in Michaud, questão de segurá-lo; e tentarei segurá-lo até o fim dos meus dias, não
1821 Volume 28. querendo me expor durante a minha vida à indignação dos padres nem
7. "A negação do progresso na literatura moderna", Primário nº 84, à crueldade dos tiranos, que não encontrariam, parecia-lhes, tormento
dezembro de 1936 . severo o suficiente para punir tal suposta imprudência. " ; Jean Meslier,
8. Michel Onfray, The Ultras of Enlightenment , Grasset,2007, "Meslier e" Memória contra a religião , ed. Coda, 2007, p. 17
A doce inclinação da natureza "" 16. Trabalhos completos. Memória de pensamentos e sentimentos de Jean
No entanto, especifica no Tratado de Ateologia que Cristóvão Meslier , prefácios e notas de Jean Deprun, Roland Desné e Albert
Ferreira foi quase o primeiro filósofo ateu, mas foi apenas Soboul, ed. Anthropos, 1970, p. CXI-CXII.
17. A mensagem ateísta e materialista de Meslier será obscurecida até a
anticlerical. Onfray declarou que o primeiro autor a fazer exegese
edição de 1864 de Rudolf Charles (veja acima) e a virulência de suas
bíblica e leitura fundamentada dos Evangelhos foi Richard Simon , palavras será diluída por um longo tempo; cf. Antony McKenna,
th th
contemporâneo de Meslier, mas as reações foram virulentas e a censura e escondendo o e século , ed. Presses Paris
obra teve pouca posteridade. Sorbonne, 1998, pp. 133-134, extrato online (https://books.google.be/b
ooks?id=GU_qQ2k_3pIC&pg=PA134) .
9. Serge Deruette, Leia Jean Meslier, sacerdote e ateu revolucionário ,
18. Edições Fayard, página 489-496, ( ISBN 978-2-213-60045-1 )
Bruxelas, ed. Aden, 2008.
19. Elisabeth de Fontenay, le silence des bêtes , edições Fayard, página
10. Maurice Dommanget, Le Curé Meslier: Ateu, comunista e
489, ( ISBN 978-2-213-60045-1 )
revolucionário sob Luís XIV , edições Coda, 2008.
20. Memória de pensamentos e sentimentos de Jean Meslier [1719-1729] ,
11. Michel Onfray, Tratado de ateologia , edições Grasset, 2005, p. 55
prova 3, em Obras completas , edições Anthropos, 1970-1972, t I, p.
12. (em) Susan Buck-Morss, Dreamworld and Catastrophe: The Passing of 210-218, citado por Jeangène Vilmer (J.-B.), (ed.), Anthology of animal
Mass Utopia in East and West , ed. MIT Press, 2002, p. 43, extrato ethics: apologies of beasts , PUF, 2011, p.51.
online (https://books.google.be/books?id=4ZN1sAa5NPoC&pg=PA43) .

Veja também
Em outros projetos da Wikimedia:
Bibliografia
Jean Meslier (https://commons.wikimedi
Marc Génin, Serge Deruette, Yvon Ancelin, prefácio de Roland Desné, "Jean Meslier, Curé a.org/wiki/Category:Jean_Meslier?uselan
d'Etrépigny, ateu e revolucionário", em Cahier d'études ardennaises , 2011 ( ISBN 2-902284-05-5 ) g=fr) , no Wikimedia Commons
o
(nota BnF n .
FRBNF42383018 (https://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb42383018q.public) )
Jean Meslier , no Wikisource
Thierry Guilabert, prefácio de Michel Onfray , Les Aventures veridiques de Jean Meslier (1664-
1729). Padre, ateu e revolucionário , ed. Libertaires, 2010 ( ISBN 978-2-914980-87-6 ) . Jean Meslier , no Wikiquote
Florian Brion, "A sabedoria raivosa de Jean Meslier, sacerdote ateu e parresiasta", em Les
Cahiers Philosophiques n ° 120,dezembro de 2009.
Serge Deruette, prefácio de Roland Desné, Jean Meslier, pároco e revolucionário - Introdução ao mesliérisme e trechos de sua obra , ed. Aden,
People's Opium collection, 2008 ( ISBN 978-2930402505 ) .
Michel Onfray , Les Ultras des Lumières , Contra-história da filosofia, t.4, Grasset & Fasquelle, 2007
Thierry Ottaviani, Influências e limites do pensamento cartesiano no ateísmo de Meslier , em Les Athéismes philosophiques , ed. Kimé, 2000, p.
79-104.
Jean Meslier e o argumento ontológico , em Being materialist in the Age of Enlightenment, misturas oferecidas a Roland Desné , ed. PUF, 1999.
Georges Minois , História do ateísmo , ed. Fayard, Paris, 1998 ( ISBN 2-7028-2300-9 ) .
Serge Deruette, Sobre o padre Meslier, precursor do materialismo , em Anais históricos da Revolução Francesa n ° 262, 1985. pp. 404-425, artigo
online (http://www.persee.fr/web/revues/home/prescript/article/ahrf_0003-4436_1985_num_262_1_1129) .
Maurice Dommanget , Le curé Meslier, ateu, comunista e revolucionário sob Luís XIV , ed. Julliard, 1965 , relançamento de Coda 2008 ( ISBN
978-2849670477 ) .
Curé Meslier. Não ! Deus não existe ! edição da Philosophie libertaire de la colony communiste d'Aiglemont (Ardennes) 1906 ; republicado por La
question sociale , Estudo sobre o padre Meslier , em 1996 ( ISSN 1243-0501 (http://worldcat.org/issn/1243-0501&lang=fr) ) .
Nota histórica da aldeia de Etrépigny (Ardennes), antiga châtellenie e reitor de Mézières, com uma nota biográfica do sacerdote-filósofo Jean
Meslier (1688-1729) (https://gallica.bnf.fr/ark:/12148/bpt6k5725233v.r) , de Émile Thellier. Impr. por P. Bousrez (Tours), 1902.
Jean-Baptiste-Joseph Boulliot , Biographie Ardennaise ou histoire des Ardennais , Paris, 1830, vol.2, p.206-212 [1] (https://books.google.fr/books?
id=e4FSAAAAcAAJ&pg=PA206&dq#v=onepage&q&f=false) , para ler a opinião de um padre católico romano da Restauração sobre Meslier .
A boa palavra do padre Meslier (https://adeneditions.com/2016/03/24/la-bonne-parole-du-cure-meslier/) , adaptação do Mémoire de Jean Meslier
em monólogo teatral. Texto de Jean-François Jacobs, prefácio de Serge Deruette; trailer do show. (https://www.youtube.com/watch?v=o238CaXS
CPU)

texto
Trabalhos completos, ed. Theurgia, Las Vegas, 2018, 2 Vol. ( E-Book (https://www.amazon.com/dp/B07GN2PNNQ) - Capa flexível (https://www.a
mazon.fr/dp/1926451147) )
Memory of Thoughts and Feelings, de Jean Meslier , Soignies, Talus Approach, 2007 , 3 volumes ( ISBN 9782872461165 , 9782872461172 e
9782872461189 )
Jean Meslier, Memória contra a religião , Paris, ed. Coda, 600 p., 2007 ( ISBN 2849670278 )
https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Meslier 6/7
23/08/2020 Jean Meslier - Wikipedia
Trabalhos completos , Ed. Jean Deprun, Roland Desné e Albert Soboul, Paris, Anthropos, 1970-1972, 3 vol.
As Obras Completas do Curé Meslier , de Roland Desné , com Jean Deprun e Albert Soboul , Bruxelles, Bruylant-Christophe, 1969-1970, prémio
Dumas-Millier da Academia Francesa em 1972.

Links externos
Registros de autoridade : Arquivo de autoridade internacional virtual (http://viaf.org/viaf/59086549) ·
Identificador de Nome Padrão Internacional (http://isni.org/isni/0000000119349788) ·
Biblioteca Nacional da França (http://catalogue.bnf.fr/ark:/12148/cb11915728k) ( dados (http://data.bnf.fr/ark:/12148/cb11915728k) ) ·
Sistema de documentação universitária (http://www.idref.fr/02702492X) · Biblioteca do Congresso (http://id.loc.gov/authorities/n50036932) ·
Gemeinsame Normdatei (http://d-nb.info/gnd/118581295) · Biblioteca Nacional de Dieta (http://id.ndl.go.jp/auth/ndlna/01039078) ·
Biblioteca Nacional da Espanha (http://catalogo.bne.es/uhtbin/authoritybrowse.cgi?action=display&authority_id=XX1030545) ·
Biblioteca Real da Holanda (http://data.bibliotheken.nl/id/thes/p070780072) ·
Biblioteca Nacional de Israel (http://uli.nli.org.il/F/?func=direct&doc_number=000092575&local_base=nlx10) ·
Biblioteca da Universidade da Polônia (http://viaf.org/processed/NUKAT%7Cn96102856) ·
Biblioteca Nacional da Catalunha (http://cantic.bnc.cat/registres/CUCId/a11674763) ·
WorldCat (http://www.worldcat.org/identities/lccn-n50-036932)
Bibliografia sobre Jean Meslier, de Florian Brion no site Carnets des Cahiers Philosophiques , 25 de janeiro de 2010, consultado em 23 de julho
de 2011 (http://cahiersphilosophiques.hypotheses.org/353)
Edição completa de 1864 do Testamento de Rudolf Charles volume 1 (https://books.google.com/books?id=h6MFAAAAQAAJ) , volume 2 (https://b
ooks.google.com/books?id=nKMFAAAAQAAJ) , volume 3 (https://books.google.com/books?id=O6IOAAAAIAAJ) , Google Books
Jean Meslier, padre ateu (http://perso.orange.fr/michel.onfray/4annee22nov05.htm) , Feu sur les christicoles! (http://perso.orange.fr/michel.onfray/
4annee29nov05.htm) , Uma ontologia materialista (http://perso.orange.fr/michel.onfray/4annee6dec05.htm) , Igualdade de prazer (http://perso.ora
nge.fr/michel.onfray/4annee13dec05.htm) : quatro seminários de Michel Onfray sobre Jean Meslier transmitidos por France Culture

Ce document provient de « https://fr.wikipedia.org/w/index.php?title=Jean_Meslier&oldid=173067770 ».

Esta página foi editada pela última vez em 19 de julho de 2020, às 19:19.

Copyright : os textos estão disponíveis sob a licença Creative Commons Attribution-ShareAlike ; outras condições podem ser aplicadas. Veja os termos de uso para mais detalhes,
bem como os créditos gráficos . Se você reutilizar os textos desta página, veja como citar os autores e mencionar a licença .
Wikipedia® é uma marca registrada da Wikimedia Foundation, Inc. , uma instituição de caridade governada pela Seção 501 (c) (3) do Código Tributário dos Estados Unidos.

https://fr.wikipedia.org/wiki/Jean_Meslier 7/7

Você também pode gostar