Você está na página 1de 6

Poder Executivo Vitória - Segunda-feira

03 de Janeiro de 2005 19
ANEXO V p la ne ja men to e exe c uçã o d as no Instituto.
CARGOS DE PROVIMENTO EM COMISSÃO E FUNÇÕES políticas públicas;
GRATIFICADAS EXTINTAS, A QUE SE REFERE O ARTIGO 31. Parágrafo único. O Plano Diretor
VII - administrar, manter e operar a que se refere o inciso I deste
CARGOS COMISSIONADOS a infra-estrutura de comunicações, artigo, que norteará as ações do
NOMENCLATURA QUANT. REF. VALOR VALOR TOTAL representada pela Rede Governo, Estado na área de tecnologia da
Coordenador-Geral 5 ICAES - 1 R$ 602,04 R$ 3.010,20 i ncl u in do os equ ip ame nto s informação, será elaborado no 1º
Assessor Técnico 2 ICAES - 2 R$ 590,52 R$ 1.181,04 centralizados, como os servidores (primeiro) ano de cada mandato,
Assistente do DAF 2 ICAES - 3 R$ 574,53 R$ 1.149,06
corporativos, além de planejar e com vigência de 04 (quatro) anos
Supervisor do PIBEM 3 ICAES - 3 R$ 574,53 R$ 1.723,59
coordenar a implantação de uma e será su bm et id o ao C o m it ê
solução de rede multiserviço que Esta dua l de Tecno l o gi a da
suporte tráfego integrado de voz, Informação e Comunicação, a ser
Supervisor de Unidade 5 ICAES - 3 R$ 574,53 R$ 2.872,65

dados e imagens, para as diversas cr ia d o, cu jo r eg im en to s erá


Assistente do DTE 2 ICAES - 3 R$ 574,53 R$ 1.149,06

demandas de co municações no a pr ov ado pelo G o vern ad o r d o


Coordenador de Setor 5 ICAES - 4 R$ 548,98 R$ 2.744,90

âmbito do Governo Estadual; Estado.


Coordenador Municipal 13 ICAES - 4 R$ 548,98 R$ 7.136,74
Coordenador de Serviço 3 ICAES - 5 R$ 476,45 R$ 1.429,35
Coordenador de Ensino 1 ICAES - 5 R$ 476,45 R$ 476,45
V II I - a dm in istr ar, m a nt er e Art. 4º A estrutura organizacional
Coordenador de Núcleo e Prevenção 8 ICAES - 6 R$ 458,59 R$ 3.668,72
operar a autoridade certificadora básica do ITI é a seguinte:
Secretária do Diretor-Presidente 1 ICAES - 6 R$ 458,59 R$ 458,59 do Governo do Estado do Espírito
Encarregado de Setor 6 ICAES - 6 R$ 458,59 R$ 2.751,54 Sa nto , pr o mo ven do a a d oção , I - nível de direção superior:
Secretária Sênior 8 ICAES - 7 R$ 427,20 R$ 3.417,60 pelos órgãos das administrações
Motorista do Diretor-Presidente 1 ICAES - 7 R$ 427,20 R$ 427,20 direta e indireta, de certificados a) Conselho de Administração;
TOTAL 65 - - R$ 33.596,69 d ig i tai s, al ém de ou t ro s
meca n ismo s e p ro ced im ento s b) a po siçã o do D ir e to r-
FUNÇÕES GRATIFICADAS r el ac io na dos à seg ur an ça da Presidente;
NOMENCLATURA QUANT. REF. VALOR VALOR TOTAL i nfo rma ção , co m vis ta s a
Encarregado a Nível Administrativo do Grupo 1 FG - 1 R$ 151,48 R$ 151,48 p re ser var a i nt egrida de, a II - nível de assessoramento:
de Saúde
Encarregado de Prestações de Contas e 1 FG -1 R$ 151,48 R$ 151,48
confidencialidade e a privacidade
Controle de Convênios d o s dad o s so b a gu ar da e a) Secretaria Executiva;
Encarregado a Nível Clínico do Grupo de
Saúde
1 FG - 1 R$ 151,48 R$ 151,48 r espo n sabil ida d e d o Go ver n o
Encarregado de Planejamento e Projetos 1 FG - 1 R$ 151,48 R$ 151,48 Estadual; b) Assessoria Jurídica;
Encarregado do Projeto Agrícola 1 FG - 1 R$ 151,48 R$ 151,48
Encarregado de Assistente de Alunos 5 FG - 2 R$ 141,15 R$ 705,75 IX - implementar e administrar um c) Assessoria Especial;
Encarregado de Menores do Projeto Agrícola 1 FG - 3 R$ 101,56 R$ 101,56 siste ma para acompanhamento
Encarregado de Lavanderia 1 FG - 3 R$ 101,56 R$ 101,56
dos p ro gr am as e p ro j eto s III - nível de gerência:
Encarregado de Cozinha 8 FG - 4 R$ 80,90 R$ 647,20
r el a cio na do s à te cnol o gi a da
TOTAL 20 - - R$ 2.313,47
informação e comunicação, que a) o Diretor Técnico;
forneça informações voltadas para
a gestão i ntegrada das a çõ es, b) o D ir eto r Admi ni str a ti vo e
previstas e em curso, nos órgãos Financeiro;
LEI COMPLEMENTAR Nº 315 I - elaborar o Plano Diretor de d as ad min istra çõ es di re ta e
O GOVERNADOR DO ESTADO Informática do Governo do Estado; indireta do Estado; IV - n ív el de exec u ç ã o
DO ESPÍRITO SANTO programática:
II - elaborar projetos e prestar X - consolidar e expandir o governo
Dispõe sobre a transformação as s e ss o r ia e c o ns ul to r ia a o s eletrônico do Estado do Espírito a) Ger ên ci a de R ecu r sos
da Empresa de Processamento órgãos das administrações direta Sa nt o , imp l em enta nd o o u Humanos:
de Dados do Espírito Santo - e indireta do Estado nas áreas de coordenando a implementação e
PRODEST em autarquia e dá tec no lo gia da i nfo r ma ção e disponibilizando novos serviços 1. Sub gerên ci a de R ec ur s o s
outras providências. comunicação; el et rô n ico s à p o pul açã o , via Humanos;
“Internet”, numa visão integrada e
Fa ço s aber que a A ss em bléi a III - ad quir i r be n s , co nt r at ar sistêmica, junto aos demais órgãos 2. Subgerência de Treinamento;
Legislativa decretou e eu sanciono s erv iç os d e info r má ti ca e d e da administração estadual;
a seguinte Lei: tec no lo gia de i nfo r ma ção e b ) Ger ên cia de Fin an ça s e
desenvolvimento de “software”; XI - testa r e ho m o lo g ar o s Orçamento:
A rt . 1º A E mp res a de produtos oferecidos pelo mercado
P r o cess a ment o d e D ad o s do IV - celebrar convênios, acordos, n as á r eas d e t ecno l o g ia da 1. Su bger ênc ia d e Fi na nç as e
Espírito Santo - PRODEST, criada aju s t es e c o n trat os com informação e comunicação; Orçamento;
pela Lei nº 2.501, de 06.02.1970, instituições de ensino, pesquisa ou
fica transformada em autarquia e extensão, públicas ou privadas, X II - d es e nvo lv er p la no s de 2. Subgerência de Contabilidade;
passa a denominar-se Instituto de vis a n do ao fo men to e ao contingência para os ambientes
Tec n o log ia da I nfo r ma ç ão e ap ri mo r amen t o do us o da que envolvam a infra-estrutura de c ) Ger ên ci a d e Ad min is tr aç ã o
Comunicação do Espírito Santo - tec no lo gia de in fo rma çã o na co mu n ica ção d e da do s e o s Geral:
ITI. administração pública; equipamentos que dão suporte aos
sistemas corporativos do Governo 1. Subgerência de Compras;
Art. 2º O ITI é uma autarquia, V - o r i enta r tec n ic amen te a do Estado;
c o m p er so na l id ade ju r ídi c a de im pl a nt aç ã o de pr o jet o s d o s 2. Subgerência de Material;
direito público interno, patrimônio órgãos da administração pública XIII - prover acesso e serviços de
próprio, com autonomia técnica, es ta du al , que v i sem ao “Internet”; 3. Su b gerên cia de Ser vi ço s
fi na n ceir a e ad min is t r at iva , aten d imen to de ne cessi d ad es Gerais;
vinculada à Secretaria de Estado corporativas que compreendam a XIV - firmar contratos corporativos
da Fazenda - SEFAZ. uti li za ç ão de i nf o rm át i ca e para os principais itens relativos à d ) Ger ê nci a de Sis t em as de
tecnologia da informação, inclusive t ecno lo gia d a in fo rma çã o e Informação:
Parágrafo único. O ITI tem sede no que se refere aos sistemas de comunicação;
e foro em Vitória, capital deste in fo r maç õ es geo g rá fi ca s e de 1. Subgerência de Sistema;
Es tado e jurisdição em todo o geo p ro c es s a me nt o , ser vi ço s X V - des env olve r e ma nt er
território estadual, gozando no que ele tr ô nic o s go vern am en ta is, sistemas de informação; 2. Subgerência de Projetos;
se refere aos seus bens, receitas tr at amen to de im a ge ns e
e s er vi ço s, d as r ega l ia s , microfilmagem; XVI - promover a disseminação do 3. Subgerência de Manutenção;
privilégios, isenções e imunidades uso de “software” livre no âmbito
conferidas à Fazenda Pública. VI - administrar as bases de dados do Governo Estadual; 4. Subgerência de Integração;
c o rpo r a tiva s , re su lta nt es da
Art. 3º O ITI tem por finalidade integração dos bancos de dados XVII - cuidar para que todas as 5. Subgerência de Atendimento a
a tu ar c o mo ó r gã o ges t or e alimentados e geridos pelos órgãos conexões de dados, de qualquer Clientes;
exec ut or da s a ti vid ad es da s adm in is t ra ç ões di re ta e natureza tecnológica, que venham
relacionadas com a tecnologia da indireta estaduais, com a finalidade a s er est ab elecidas co m o IT I e) Ger ên cia de G es t ã o da
in form ação e com un ic aç ão , no de f o rnec er i nfo r ma çõ es estejam em conformidade com os Informação:
âmbito da administração pública do es tr a tégi c a s p ar a s ubsidi ar a preceitos constantes da política de
Estado, e especificamente: Go ver na do ri a do Est ad o n o segurança da informação vigente 1. Su bger ên cia de “Da ta
20 Vitória - Segunda-feira
03 de Janeiro de 2005 Poder Executivo
Warehouse”; Estado. “ cap u t” d es t e ar t igo , qu e s e
§ 3º As reuniões do Conselho de submeterá às orientações emitidas
2. Subgerência de Sistemas de Administração serão secretariadas Art. 10. À Direto ria Executiva e aos procedimentos emanados
Informações; pelo Diretor-Presidente do ITI. cabe o planejamento, organização, daquele órgão, que poderá avocar
coordenação, controle e avaliação p ro c esso s p ar a an á li se
f) Gerência de Operações: § 4º Os membros do Conselho de d as at ivid a des do In sti tu to , administrativa ou defesa judicial.
Administração, com exceção dos competindo-lhe especificamente
1. Subgerência “Data Center”; seus membros natos, perderão o cumprir e fazer cumprir as normas § 2º A Assessoria Jurídica do ITI
mand a to c a so dei xe m de l ega i s; ap recia r o regim ent o e o A ss esso r Ju rí dic o , a ela
2. Subgerência “Help Desk”; comparecer, sem causa justificada, interno, regulamento, quadro e vinculado, ficam sob a jurisdição
a 03 (três) reuniões consecutivas. escalas salariais de pessoal, para d isci p li nar da C o rreg edo r i a da
3. Subgerência de Manutenção; en cam in há -lo s a o Co n sel ho ; PGE.
§ 5º O Conselho de Administração apreciar e aprovar os convênios,
4. Subgerência de Homologação; s e r euni rá o r di na r ia m ent e, 01 a co rd o s, aj u stes e c o ntra to s; Art. 13. A Secretaria Executiva
(um a) v ez po r mês e, autorizar a locação de serviços; tem por finalidade a prestação de
5. Subgerência de Monitoramento; extr a o rdin ar iam en te , q ua nd o acompanhar a execução e avaliar serviços de apoio administrativo
convocado pelo seu Presidente ou r esu l tado s da s a ti vidades d o ao Diretor-Presidente; o controle
6. Subgerência de Co ntrole de por decisão da maioria absoluta de Instituto; apreciar e encaminhar da tramitação de documentos e
Qualidade; s eus m emb ro s, sem pre q ue o a o C o nsel ho de Ad mi ni str a çã o correspondências; a manutenção
interesse do órgão assim o exigir. r el at ó r io an u al , ba la n ço e e a t ua li zaç ão do cada s tr o d e
g) Gerência de Suporte: p re sta ção de c o nta s a n ua is; a uto ri da des, bem co m o o s
Art . 7º As d el ibera çõ es d o elaborar a proposta orçamentária; arquivos e fichários de publicações
1. Subgerência de Rede; Conselho de Administração serão p ro ve r o s cas o s o mi sso s n o referentes às atividades do órgão;
tomadas por maioria dos votos, regulamento do órgão e zelar pela outras atividades correlatas.
2. Subgerência de “Internet”; cabendo ao Presidente, além do seg ur anç a de da do s e
voto comum, o voto de desempate. informações. Art. 14. A Assessoria Especial tem
3. Su b gerênc ia de “So f tw a re” Art. 11. Ao Dir eto r-Presidente por finalidade prestar assistência
Básico; Art . 8º Sã o a tr ib ui çõ es do co mp et e pl a nej ar, o rgan i zar, à Presidência na elaboração de
Conselho de Administração: co ordenar, contro lar e gerir os estudos e pareceres técnicos em
4. Subgerência de Segurança da negócios e atividades do órgão, assuntos relacionados à tecnologia
Informação; I - fixar as diretrizes gerais para a o b ede cend o às reso lu çõ es, da informação; formular a política
ela b or a ç ão do Pl a no Anu a l d e d ir etr izes e no r mas ap ro va das d e c o m un ica ção , di vulg a ç ão ,
5. Su bgerên ci a de B a nco de Trabalho e do Plano de Negócios pelo Conselho de Administração; ed it o ra çã o , ar ti c ul a ç ão ,
Dados. do órgão; promover a elaboração de planos, informação e documentação do
pr ogramas, metas, objetivo s e I nst i tut o ; o u t ras a tivi d ad es
Art. 5º A representação gráfica da II - ap r ov ar o s pl an o s e orçamentos anuais e plurianuais, correlatas.
estrutura organizacional básica do programas anuais e plurianuais, o submetendo-os ao Conselho de
ITI é a constante do Anexo I, que orçamento-programas do órgão e Administração; admitir, promover, Art. 15. Ao Diretor Administrativo
i nt eg ra a p re s ente Lei suas alterações; p un i r, t ra n sfer ir e di spe nsa r e Fi nan cei ro c om pete dirigi r e
Complementar. emp re ga do s, b em co m o o r ien ta r os ser vi ço s
III - e x ami na r e ap ro va r o s estabelecer a lotação de pessoal administrativos do Instituto e zelar
A rt . 6º O C o nsel h o de ba la nç o s e d emon s tr ati vo s d e em cada Diretoria, de acordo com p ela co nser va çã o d o s ben s
Ad min i s tr açã o do I TI , ó r g ão prestação de contas e aplicação de a l ot açã o g l o bal d efi ni da pel o patrimoniais; coordenar e controlar
deliberativo e normativo, terá a recursos orçamentários e extra- Conselho de Administração; firmar as atividades dos órgãos que lhe
seguinte composição: orçamentários; co n v ên io s, aco rdo s , aj ust es e estã o subo r di na do s ; d ir ig i r e
co n tra to s; su per visi on ar, orientar a execução dos serviços
I - o Sec r etár io de Es tad o d a IV - a pro var as pr o p o st as de coordenar e controlar as atividades de natureza financeira; ass inar
Fazenda, seu Presidente e membro fixação e alteração da estrutura t écn icas e a dmin is tr at iva s d o ch eq ues, en do ss á-l o s e
nato; organizacional do órgão; I n sti tu to ; a ut o ri za r d espe sas; movimentar contas bancárias em
designar os responsáveis pelas conjunto com o Diretor-Presidente;
II - o Diretor-Presidente do ITI, V - apreciar e aprovar o sistema unidades orgânicas e coordenar a substituir o Diretor-Presidente nas
membro nato; de administração de pessoal, seus elaboração do plano de ação do su as f al tas e imped im e nto s ;
res pectivos quadros, planos de Instituto; delegar atribuições ao su pe rvi sion a r a el abo r a ç ã o de
III - 01 (um) representante da cargos e salários, retribuições e Di re to r Téc ni co e ao D ir eto r balancetes, balanço e prestação de
Secretaria de Governo - SEG; vantagens e regulamento geral, Administrativo e Financeiro e zelar co n ta s a nu al ; co o rd en ar a
tudo em consonância com a Política p ela seg ur an ça d e da do s e elaboração do orçamento anual;
IV - 01 (um) representante da de R ec u rs o s H u man o s informações. el abo r ar em co n ju nt o co m o
Sec r etar i a de Estad o de estabelecida pelo Poder Executivo Diretor Técnico o programa de
Planejamento, Orçamento e Gestão Estadual; Art. 12. A Assessoria Jurídica tem tr ei na ment o e c apac ita ç ã o do
- SEPLOG; p o r f in al id a de a p rest açã o d e pessoal do Instituto; assessorar a
VI - ap ro var os c rit éri os e os assistência jurídica permanente ao Diretoria Técnica no que tange às
V - 01 (um) rep resent ante da pr eço s rel at iv os à ven da d e Instituto; sua representação ativa relações entre o Instituto e os seus
Secretaria de Estado de Ciência e di re it os s o b re in f o rm açõ es e e passiva, em juízo, perante os cl ien tes, asse ssor an do -a na
Tecnologia - SECT; tecnologias e de preços relativos Tribunais, ou fora deles, nos casos el abo r açã o d e pro p os ta s d e
à p re sta ç ão d e s er viço s e d o contenciosos, administrativos ou prestação de serviços ou no que
VI - 01 (um) representante de fornecimento de produt os pela amigáveis; a colaboração com as fo r nec essá ri o à o b tençã o d e
livre escolha do Governador do autarquia; demais unidades administrativas co n tr a to s de p res taç ã o de
Estado; da autarquia, na elaboração de servi ço s; e ind icar à Di ret oria
VII - apro var as pr opo stas de normas, instruções, resoluções e Executiva o nome de seu substituto
VII - 01 (um) representante de c o nt rata ç ão de em présti mos e demais atos a serem expedidos, legal e eventual.
livre escolha dos empregados do outras operações que resultem em bem como na interpretação de
ITI, eleito pelo voto direto dos endividamento; textos e instrumentos legais; o Ar t . 16 . Ao D i r eto r Té c ni co
empregados. est udo de pa recer es so b re co mp ete pr o ve r, pla ne jar,
VII I - a ut o ri za r a aqui si ção , questões jurídicas que envolvam coordenar, controlar e executar as
§ 1º Os integrantes do Conselho propor gravame ou alienação de as atividades do Instituto; o exame atividades de processamento de
de Admin istração , excet o s eus ben s i m ó veis da au tar qu ia, de editais, minutas de contratos, d ado s d o In sti tu to , s e gu nd o
membros natos, serão nomeados observando a legislação aplicável co n v ên io s, aco r d o s e a ju stes diretrizes estabelecidas, visando a
p elo G ov ern ado r Estad o , co m à matéria; celebrados pela autarquia, com a co n secu ção do s o bjet i vo s
ma nd a to de 02 (d o is ) an o s, emi ss ão de par ecer e p rat ica r d eleg ad o s pe l a P res idênc ia ;
p er mit id a a pe na s 0 1 ( uma ) IX - estabelecer seu regimento todos os demais atos de natureza coordenar e controlar as atividades
recondução. interno. judicial ou contenciosa. d as f raçõ es q u e lh e e stã o
subordinadas, manter constante
§ 2º O Diretor-Presidente do ITI Art. 9º A Diretoria Executiva será § 1º A P r o cu ra do r ia- G era l d o atualização com a tecnologia da
n ão t er á d ir ei to a vo t o na s constituída por 01 (um) Diretor- Est a do - PGE exer ce rá a informação; planejar, coordenar,
deliberações referentes aos seus Pr es i den t e, 01 (u m) Di r eto r co o r den açã o e sup er vis ã o do s controlar e executar as atividades
relatórios, prestação de contas e Téc n i co e 0 1 (um) Di r eto r serviços jurídicos do Instituto e de relacionamento com os clientes
o u t ro s ato s de sua Ad mi ni s tr at i vo e Fin an cei ro, p re sta r á as sist ênci a téc ni ca à do Instituto, segundo diretrizes
responsabilidade. no meado s pe lo Go ver n ado r d o Asse sso r ia a que se r efe r e o esta b eleci da s, visa n do a
Poder Executivo Vitória - Segunda-feira
03 de Janeiro de 2005 21
c o n s ec uç ã o dos o bj et iv os V - os recursos de capital e os sendo pagas, quando não previstas exercício de cargo de provimento
d eleg a do s pela Pres idên cia ; res u l ta do s de c o nve rs ã o em nesta Lei Complementar, serão em comissão, sem vínculo com o
executar, no que lhe couber, os es pé c ie, de b ens e d ir ei to s, ma nt id as co mo van ta gem, Quadro de Empregados do ITI,
contratos de prestação de serviços inclusive remates, bem como as n om in a lment e i den tif i cá vel, cu m pri rá a j o rn ad a d e 40
d e p r o c essa me n to de d ado s , ren das d e b ens p a tr im oni a is, r ea ju stá vel em per ce n tua is (quarenta) horas semanais.
o b se rva nd o as c lá us ula s al ugu éi s e o ut r as r ecei tas, i dên ti co s a o s co n ced id o s no s
contratuais que os regem; elaborar segundo a legislação vigente; aumentos gerais de vencimentos.
Ar t . 26. O IT I sub -ro g ar á a
p la no s, pro g r ama s, pro jeto s e
orçamentos sob sua coordenação, VI - os recursos provenientes de § 3º M an t ém-se para os PRODEST em todos os direitos e
segundo as normas para tal fim fu nd o s exi s t entes o u a serem emp re ga do s do I T I o r egi me obrigações.
baixadas; exercer suas atividades criados; jurídico da Consolidação das Leis
em coordenação com a Diretoria do Trabalho e respectiva legislação Parágrafo único. Fica o Poder
Administrativa e Financeira, no que VII - os créditos abertos em seu complementar. Executivo autorizado a promover
tange à elaboração de planos e favor; o encontro de contas, envolvendo
p ro jet o s de stin ad o s ao Art. 24. A Tabela de Correlação crédi t o s da PR O DEST, c o m o s
atendimento de necessidades dos VII I - rec ei t as r esu ltantes da do Plano de Carreira e Salários dos órgãos das administrações direta
c l ie nt es do In sti t u to ; ass in ar prestação e vendas de serviços de empregados do ITI é a constante
e indireta do Estado e o passivo
c h equ es em co n ju nto c om o quaisquer natureza, de produtos do Anexo V, que integra a presente
da referida empresa.
Diretor Administrativo e Financeiro derivados de suas atividades e Lei Complementar.
quando este estiver substituindo o outras rendas que vier auferir.
D i re to r -Pre sid ente e i nd ic ar à § 1º O Quadro de Lotação dos Art. 27. Fica o Poder Executivo
Diretoria Executiva o nome de seu Art . 20 . A Tabel a S ala ri a l d o Empregados do ITI é o constante a uto ri za do a pro c ed er às
substituto legal e eventual. Quadro de Cargos de Provimento d o A n exo VI , qu e int eg ra a alterações necessárias no Plano
em Comissão do ITI é a constante presente Lei Complementar. Plurianual para o período 2004-
A rt. 17. As Ger ê nc i a s e do Anexo I I , q ue i nt egr a a 2 007 , visa ndo o c umpri ment o
Subgerências das atividades fins presente Lei Complementar. § 2º A Ta bel a de Sa l ár io do s desta Lei Complementar.
d ever ã o ser ocup ada s po r Empregados do ITI é a constante
profissionais da área de tecnologia Art. 21. Ficam criados os cargos d o A n exo VI I , q ue i nt egr a a
Art. 28. Fica o Poder Executivo
d a in f o rma ção , de repu taç ão de provimento em comissão com presente Lei Complementar, para
a uto ri za do a ab ri r o s cr éd it o s
ilibada e reconhecida capacidade suas nomenclaturas, referências, a carga horária de 40 (quarenta)
e experiência. quantitativos e vencimentos para horas semanais. a dic i o nai s ne cessá ri o s ao
aten d er à s ne c es s id ade s d e cu m pri m ento d es ta Lei
P arág r afo úni co. As funcionamento do ITI, constantes § 3º Faculta-se aos empregados Complementar.
c o mp et ênci a s da s G erênc i a s e no An exo I I I , que i nte gra a do ITI a permanência na carga
Subgerências serão relacionadas presente Lei Complementar. h orá r i a d e 3 0 (tr i nta ) h o r as Art. 29. Fica o Poder Executivo
no regulamento do Instituto. semanais, com os vencimentos a uto ri za do a r egul am en ta r a
§ 1º O empregado do ITI, quando constantes do Anexo VIII, ou a presente Lei Co mplementar no
Art. 18. O patrimônio do ITI é no mea do p ara o exer cíc io d e opção, em caráter definitivo, pela pr azo de 90 (noventa ) dias, a
constituído de: cargo em comissão, deverá, no ato carga horária de 40 (quarenta)
contar da data de sua publicação.
de s ua po s s e , o pt ar pela h ora s sem an a is, co m os
I - bens móveis e imóveis doados remu n era ç ão do c ar g o em vencimentos constantes do Anexo
pelo Estado do Espírito Santo, bem questão, acrescido das vantagens VII. Art. 30. O cargo de provimento
c o mo o ut ra s d oaç õ es e de caráter permanente, ou pela em co mi ss ão d e C hef e d e
contribuições de pessoas físicas ou remu n era ç ão do emp rego , § 4º Os empregados do ITI serão Gabinete, ref. QCE-05, criado pelo
jurídicas, públicas ou privadas, acrescido de 40% (quarenta por enquadrados na Tabela de Salários artigo 28 da Lei Complementar nº
n aci o n ai s ou estr a nge ira s , cento) da remuneração do cargo constante dos Anexos VII e VIII, 2 89, de 2 3.6 . 200 4, fic a
o b se rva nd o -se as pres c r i ç õ es em comissão. respeitada a classe e o estágio em tr a n sfo rm a do em C hef e de
legais; q ue se enco n tr a n o Pla n o de Gabinete, ref. QC-02.
§ 2º O em pr egad o do I T I, Carreiras e Salários atualmente
II - bens e direitos oriundos da no mea do p ara o exer cíc io d e em vigor na PRODEST.
Art. 31. Esta Lei Complementar
execução de contratos, convênios, cargo em comissão, que cumpra
acordos, ajustes e congêneres; jornada de 30 (trinta) horas, terá § 5º Os empregados do ITI serão entra em vigor na data de sua
sua jornada estendida para 40 en qu a dr ado s n a f u nçã o d e publicação.
III - bens móveis e imóveis que (quarenta) horas semanais, em carreira, conforme o Anexo V, que
adquirir; caráter definitivo. i nt egr a a p re sent e Lei Art. 32. Fica revogada a Lei nº
Complementar. 2.501, de 06.02.1970.
IV - ben s m ó vei s, i m ó vei s , Art. 22. Ficam extintos os cargos
s emo v ent es, i nst al aç õ es e de provimento em comissão e as § 6º O Pl an o d e C a rr eira e O r den o , p o r ta nto , a t o das a s
equipamentos oriundos do atual funções gratificadas da PRODEST, Salários da PRODEST deverá ser autoridades que a cumpram e a
acervo da PRODEST. c o ns t an tes n o An exo I V, qu e adequado, no que couber, para
faç am cu mpr ir co mo nel a se
in teg ra a pr es en te Le i atender aos preceitos da presente
Art. 19. Constituem-se receitas do Complementar. Lei Complementar, no prazo de 90 contém.
ITI: ( no ven ta ) di as , co n t ado s da
Ar t . 23 . O I T I a bso rve o s vigência deste artigo. O Secretário de Estado da Justiça
I - as do taçõ es orça ment ár ias empregados e o plano de carreira faça publicá-la, imprimir e correr.
fixadas anualmente no orçamento e s a lá r io s , o bs erv and o -s e o s § 7º A política de movimentação
geral do Estado; gr up o s o c u pac i o nai s , cla sses, de pessoal do ITI será definida Palácio Anchieta, em Vitória, 30 de
fu nç ões de c ar re ir a , está g io s, quando da adequação do Plano de dezembro de 2004.
II - os recursos decorrentes de lei salários, requisitos de escolaridade Carreira e Salários do órgão.
específica, as receitas operacionais e quantitativos, atualmente em
PAULO CESAR HARTUNG GOMES
compatíveis com as finalidades do vigor na PRODEST. Art. 25. Os cargos comissionados
Governador do Estado
I n s ti tu to e i ncl us iv e a qu ela s de Diretor-Presidente e demais
p ro ve ni e nt es de a c o r do s , § 1º Fica extinto, a contar da data Diretores serão de livre nomeação
convênios, contratos, ajustes e da pu bli ca ç ã o da p resen te L ei e exoneração do Governador do JOSÉ NIVALDO CAMPOS VIEIRA
congêneres; Complementar, o acordo coletivo Est ado , e o s dem ais c ar go s Secretário de Estado da Justiça
de trabalho, atualmente em vigor, comissionados serão providos por - Em Exercício –
III - doações, legados, auxílios, celebrado entre a PRODEST e os ato do Diretor-Presidente.
c o n tr i bu içõ es, subve nç ões e s eus emp r ega do s , fi ca nd o NEIVALDO BRAGATO
benefícios, particulares ou oficiais, ga ra n tido s , co ntu do , aos § 1º Os ser vi do r es no mea do s Secretário de Estado de Governo
c o n c ed id o s por au to r i dad es empregados admitidos até a data p ar a o exe rc í cio de ca rg o d e
nacionais ou estrangeiras, com ou da pu bli ca ç ã o da p resen te L ei p ro vimen to em co m is sã o d e
JOSÉ TEÓFILO OLIVEIRA
sem condições, desde que aceitos Complementar, todos os benefícios G eren t e o u Su bg eren te d as
Secretário de Estado da Fazenda
pelo Conselho de Administração, pr evi s to s n o r efe rido ac o rd o atividades fins, sem vínculo com o
o b se rva nd o -se as pres c r i ç õ es coletivo de trabalho. Quadro de Empregados do ITI, não
legais; poderão exceder a 20% (vinte por GUILHERME GOMES DIAS
§ 2º As gratificações e vantagens cento). Secretário de Estado do
IV - r enda s e a p li caç ões asseguradas aos celetistas, em Planejamento, Orçamento e
financeiras; caráter permanente, que venham § 2º O servidor nomeado para o Gestão
22 Vitória - Segunda-feira
03 de Janeiro de 2005 Poder Executivo
Poder Executivo Vitória - Segunda-feira
03 de Janeiro de 2005 23
24 Vitória - Segunda-feira
03 de Janeiro de 2005 Poder Executivo
Secr e tár i o de Esta do , do s i nfor mati zação e d o s sist ema s
Su bs ecr etár io s de Est ado , do i nfo r mat iza d o s da Sec ret a ri a,
G ab in ete do Se cret á ri o , do s a ssegur an do a s ua
G ru po s de A dm i ni straç ã o, de compatibilização e interação com
R ecu r so s H u m ano s, de os diversos sistemas e bancos de
Planejamento e Orçamento e do d ado s do G o ver no F ede ral e
Financeiro Setorial são as contidas Estadual de interesse da SETADES;
nos artigos 36, 39, 40, 41, 42, 46 a fo r mul açã o , pl anej am ento ,
e 47 da Lei nº 3.043 de 31.12.1975. o r gan iza ção , imp lem en ta çã o e
avaliação de um sistema público
Art. 5º A Assessoria Técnica tem de capacitação continuada com
como juri sdição admin ist rat iva relação à gestão descentralizada
assessorar o Secretário da Pasta do Sistema Único da Assistência
e as dema is un id ad es da Social e das políticas, programas
Secr etar i a, so b f o rm a de e projetos de Desenvolvimento
el ab o r aç ão de dia gn ó st ico s, Social Integrado, orientados pela
pesquisas, estudos, formulação de g estã o p art ici pa ti va e
p ol ític as, pro gramas , pl ano s e d esce n tr al i zad a d as a çõ es ; a
projetos; a captação de recursos capacitação para o fortalecimento
de fo n tes na ci on a is e d o s m eca ni sm os de co n t ro l e
internacionais; a gestão do Fundo so ci a l; a f o r mu la çã o e
Estadual de Assistência Social; a i mple ment açã o d e pl an o s d e
coordenação e monitoramento do q ual i fica ção e fo r maç ã o em
Plano de Trabalho da SETADES; o Políticas do Trabalho e Geração de
a sses so ra ment o ju r ídi c o c o m Renda em interação com outros
LEI COMPLEMENTAR Nº 316 el ab o r aç ão de par ecer es, setores da SETADES, dirigidos a
O GOVERNADOR DO ESTADO g) Co n se l ho Es t ad ua l de exposição de motivos, análises, gestores e técnicos atuantes na
DO ESPÍRITO SANTO Segurança Alimentar e Nutricional redação e interpretação de textos esfera municipal, para atuação,
do Espírito Santo - CONSEA-ES; legais e normativos em articulação i nteg r aç ão e s in er gia co m a
Reestrutura a Secretaria de Estado II - nível de assessoramento: co m a Pro cur ad o ri a-G er al d o Secr et ar ia de Es tad o ; o
do Trabalho e Ação Social - SETAS Estado; o assessoramento nas d esen vo lvime nt o de a ç õ es
e dá outras providências. a) Gabinete do Secretário; relações educativas com a sociedade civil
i nst i tuci o n ai s, co m en ti da des e órgãos públicos, em particular
Fa ço s aber que a A ss em bléi a b) Assessoria Técnica; p úb li ca s e pr i vad as e co m a dirigida aos membros de conselhos
Legislativa decretou e eu sanciono comunidade; a divulgação interna estaduais e municipais, comissões,
a seguinte Lei: c) Núcleo de Avaliação de Políticas e ext er na d e i nfo r maçõ es da co mi tês, ge sto r es e téc n i co s
So c i ais I nt eg ra da s e de Secr etar i a; o ass esso r am ent o municipais e outros, orientadas
Art. 1º A Secretaria de Estado do Capacitação; técnico para subsidiar as ações p ela gest ão par ti ci pat iv a; a
Trabalho e Ação Social - SETAS relativas ao Comitê Gestor da Área realização de seminários, cursos,
passa a denominar-se Secretaria III - nível de gerência: So ci a l; o a ssess ora m en to na co n g resso s , co nfer ên cia s
de Estado do Trabalho, Assistência elaboração e implementação de tem á t ica s, bem co mo o u tro s
e Des en vo lvi men t o So c ia l - a) a posição do Subsecretário de projetos especiais de interesse da eventos de educação comunitária;
SETADES, de natureza substantiva, Es tado pa ra Ass unt o s SETADES; assessorar o Secretário o es ta belec i men to de um
q ue t em po r co mp etênc i a a Administrativos; da Pasta nas suas relações com as programa efetivo e permanente de
fo r mu la ção , c o o rd ena ç ã o , demais secretarias e órgãos da capacitação dos agentes sociais
p la ne ja me nto , ar ti cul aç ão e b) a posição do Subsecretário de a dmi ni str açã o i ndire ta ; o u tr as internos da SETADES, tendo em
execução das políticas do trabalho, Estado do Trabalho, Assistência e atividades correlatas. vista a democratização do acesso
assistência e de desenvolvimento Desenvolvimento Social; às informações, com revisão das
social da família, da infância, da A rt . 6º A gest ão do Fu ndo p rá t ica s, p ara a mel ho r i a na
adolescência, da juventude, do IV - nível de atuação Estadual de Assistência Social - ef ic iên cia e n a qu al id ade d o s
i do s o , bem co mo a at enç ão instrumental: FEAS, criado pela Lei nº 5.162, de serviços prestados à sociedade; a
prioritária às pessoas portadoras 19.12.1995, vinculado e gerido elaboração e proposição do plano
d e de fici ênci a e a o s g r u po s a) Grupo de Administração; p ela Se cr et ar ia d e Es tad o d o d e t rab al ho do núc leo ; o u tra s
excluídos e/ou discriminados pela Tra bal ho, A ssi stên ci a e atividades correlatas.
s u a c on di çã o de et ni a, i d ade, b) Grupo de Recursos Humanos; Dese nvo l vim en to So ci al -
gênero e condição econômica. SETA DES, é in str u ment o de Art. 8º A Gerência da Unidade
c) Grupo Financeiro Setorial; captação e aplicação de recursos, Estadual de Microcrédito tem por
Art. 2º A estrutura organizacional e d est ina -se a p r o po rci o na r ju r i sdi ção ad min is tr ati v a, em
básica da SETADES é a seguinte: d) G r upo de P lane jamen t o e r ecu r so s e meio s p ar a interação com as demais unidades
Orçamento; financiamento das ações na área da SETADES e com outros setores
I - nível de direção superior: de assistência social, de modo a do Governo Estadual, Federal, do
V - n íve l de exe cuçã o atender aos objetivos previstos na seto r pr iv ad o e e nti da de s da
a) a po siçã o do Secretár i o de programática: r efer i da Lei e na f o rm a so ci ed ade ci vil o rga ni zad a , a
Estado do Trabalho, Assistência e estabelecida pela legislação em co o rd ena ção , expa n são ,
a) Gerência da Unidade Estadual vigor. mo nit o ra men to e aval ia ção do
Desenvolvimento Social;
de Microcrédito; P ro gr am a No s so cr édi to , em
Art. 7º Ao Núcleo de Avaliação de i nteg r aç ão co m o BA N DES e
b) Comissão Estadual do Trabalho b) Gerência do Trabalho e Geração Políticas Sociais Integradas e de BANESTES e em parceria com os
- CET; de Renda; C a pa ci taç ão co m pet e a municípios do Estado do Espírito
i mpl anta ção e ma nu tenç ã o d o Santo; a coordenação da
c) C o nse lh o Esta du a l de c) Gerência do Sistema Único da Sistema de Informações e Banco Unidade Estadual do Microcrédito;
Assistência Social - CONEAS; Assistência Social; de Dados, o desenvolvimento de a implantação e assistência técnica
estudos, pesquisas e informações; às Un id ad es Mun ic i pa i s de
d) Conselho Estadual de Defesa d) Gerência de Desenvolvimento
a co n str uçã o e u ti li zaçã o d e M icro cr édi to ; a c oo r dena ç ão e
dos Direitos da Pessoa Idosa - Social Integrado e da Atenção à
i nd ic ado res de p r o cesso , de a rt i cul açã o das a çõ es de
CEDDIPI; Cr i an ça , ao Ad o l es c ent e e à
r esu l tado s e de i m pa cto p ar a operacionalização definidas pelo
Juventude.
subsidiar a formulação, gestão e Conselho Orientador do Programa
e) Conselho Estadual da Pessoa avaliação das políticas públicas das Estadual de Microcrédito - COPEM;
Art. 3º A representação gráfica da
P o r ta do r a de D efi ciên ci a - áreas de interesse da SETADES a pr o mo çã o d a s eleç ão e
estrutura organizacional básica da
CONDEF; co m as normas dos program as ca pa ci taç ão d o s ag ent es d e
SETADES é a constante do Anexo
federais e estaduais de interesse créd it o , su p er viso r es e
I, q ue in t e gr a a p resen te Le i
f) Conselho Estadual de Defesa d a Secr eta ria ; a d efin i ção , co o rd ena do res d as Uni d ad es
Complementar.
dos Direitos da Mulher do Estado implantação, acompanhamento e M un i cip ai s d e Mi cro cr édi t o ; a
do Espírito Santo - CEDIMES; ma nu t en ção d e pro jet o s de implantação e assistência técnica
Art . 4o As a tr ib ui çõ es do

Você também pode gostar