Você está na página 1de 76

C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 1

FRENTE 1 – ÁLGEBRA
4. (FATEC-2012) – Em determinada semana do mês de maio, o
MÓDULO 1 departamento financeiro de uma empresa fez, na ordem apresentada,
as seguintes retiradas:
EQUAÇÕES DO 1o. GRAU 1
• ––– do saldo disponível para pagar uma fatura a vencer naquela
Nas questões 1 e 2, resolver, em , as equações. 6
semana;
1. 9x – 35 = 4x – 15
• 20% do restante para a compra de materiais de escritório e
RESOLUÇÃO: • o valor de R$ 3 200.00 para pagamento da manutenção de um
9x – 35 = 4x – 15 ⇔ 9x – 4x = – 15 + 35 ⇔ 5 . x = 20 ⇔ x = 4 ⇔ V = {4} equipamento eletrônico.
Sabendo-se que, naquela semana, não ocorreram outras movimen-
tações financeiras e que as retiradas realizadas resultaram em um
saldo positivo de R$ 12 000,00, então o saldo disponível, antes das
retiradas, era
a) R$ 20 500,00. b) R$ 22 800,00.
c) R$ 28 500,00. d) R$ 31 600,00.
e) R$ 35 400,00.

2. 5(x – 3) – 2(x + 2) = 3 – 5x RESOLUÇÃO:


RESOLUÇÃO: Se x, em reais, era o saldo disponível, antes das retiradas, então:
1 5
5(x – 3) – 2(x + 2) = 3 – 5x ⇔ 5x – 15 – 2x – 4 = 3 – 5x ⇔ x – ––– x – 20% . ––– x – 3 200 = 12 000 ⇔

 –––4 
11 11 6 6
⇔ 5x – 2x + 5x = 3 + 15 + 4 ⇔ 8x = 22 ⇔ x = ––– ⇔ V =
4 1 1 2
⇔ x – ––– x – ––– x = 15 200 ⇔ ––– x = 15 200 ⇔ x = 22 800
6 6 3
Resposta: B

5. Num determinado instante, o que falta para completar um certo dia


2x + 1 x–3 x é um oitavo do que já passou desse mesmo dia. Em que momento este
3. Resolva, em , a equação ––––––– – –––––– = –– .
3 4 2 fato aconteceu?
RESOLUÇÃO: a) 21h b) 21h 10min c) 21h 20min
2x + 1 x–3 x 4(2x + 1) – 3(x – 3) 6x d) 21h 30min e) 21h 40min
–––––– – ––––– = ––– ⇔ –––––––––––––––––– = –––– ⇔
3 4 2 12 12
RESOLUÇÃO:
⇔ 8x + 4 – 3x + 9 = 6x ⇔ 8x – 3x – 6x = – 4 – 9 ⇔ Se já se passaram x horas desse dia, faltam 24 – x horas para completá-lo.
⇔ – x = – 13 ⇔ x = 13 ⇔ V = {13} 1
Resposta: V = {13} Então, de acordo com o enunciado, devemos ter 24 – x = ––– x
8
192
192 – 8x = x ⇒ 9x = 192 ⇒ x = ––––– em horas.
9

192
Portanto, o fato aconteceu às ––––– h = 21h 20 min.
9
Resposta: C

–1
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 2

MÓDULO 2 MÓDULO 3
EQUAÇÕES DO 2o. GRAU EQUAÇÕES DO 2o. GRAU (PROPRIEDADES)
1. Resolver, em , as equações: 1 3
a) 2x2 – 5x – 3 = 0 b) x2 – 10x + 25 = 0 1. Obter uma equação polinomial do 2.o grau cujas raízes são e .
6 4
c) 3x2 + 2x + 1 = 0
RESOLUÇÃO:
RESOLUÇÃO: Calculando a soma S e o produto P das raízes, obtêm-se
a) Δ = b2 – 4ac = (– 5)2 – 4 . 2 (– 3) = 25 + 24 = 49
1 3 2+9 11 1 3 1
– b ± 
Δ 5±7 S = ––– + ––– = ––––––– = ––– e P = ––– . ––– = –––
2a 4
1
2
1
x = –––––––– = ––––– ⇔ x = 3 ou x = – –– ⇔ V = – –– ; 3
2 { } 6 4 12 12 6 4 8

1 3
b) Δ = (– 10) 2 – 4 . 1 . 25 = 100 – 100 = 0 Uma equação do 2o. grau de raízes ––– e ––– é:
6 4
10 ± 0
x = ––––––– ⇔ x = 5 ⇔ V = {5} 11 1
x2 – ––– x + ––– = 0 ⇔
2 12 8
⇔ 24x2 – 22x + 3 = 0
c) Δ = 22 – 4 . 3 . 1 = 4 – 12 = – 8 ⇔ V = Ø

x–3 4 4
2. A soma das raízes da equação (x2 – 5x) . (x2 – 16) = 0 é: 2. A solução da equação –––––– – –– = –––––––– é
x–4 x x(x – 4)
a) 0 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5
a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4
RESOLUÇÃO:
RESOLUÇÃO:
(x2 – 5x)(x2 – 16) = 0 ⇔ x2 – 5x = 0 ou x2 – 16 = 0 ⇔ x–3 4 4
Para x  0 e x  4, temos: ––––– – –– = ––––––– ⇔ x(x – 3) – 4(x – 4) = 4 ⇔
⇔ x(x – 5) = 0 ou x2 = 16 ⇔ (x = 0 ou x = 5) ou (x = 4 ou x = – 4) ⇔ x–4 x x(x – 4)
⇔ V = {0; 5; 4; – 4} ⇔ x2 – 3x – 4x + 16 = 4 ⇔ x2 – 7x + 12 = 0 ⇔ x = 3, pois x  4
A soma das raízes é S = 0 + 5 + 4 – 4 = 5 Resposta: D
Resposta: E

3. Sendo x1 e x2 as raízes da equação 4x2 – 11x – 12 = 0, o valor da


expressão 2(x1 + x2) – x1 x2 é 3. Resolva, em , a equação x4 – 5x2 – 14 = 0

a) 6,5 b) 7 c) 7,5 d) 8 e) 8,5 RESOLUÇÃO:


x4 – 5x2 – 14 = 0 ⇔ (x2)2 – 5(x2) – 14 = 0
RESOLUÇÃO:
Substituindo x2 por y, resulta a equação

 
11 – 12 11 11 + 6 17
2(x1 + x2) – x1 . x2 = 2 . –– – –––– = –– + 3 = –––––– = –– = 8,5 y2 – 5y – 14 = 0 ⇔ y = 7 ou y = – 2
4 4 2 2 2
Para y = 7, resulta x2 = 7 ⇔ x = ± 
7
Resposta: E
Para y = – 2, resulta x2 = – 2 (x ∉ )

Resposta: V = {– 
7; 
7}

2–
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 3

4. (PUC-MG) – Os 120 alunos de uma academia militar estão 2. Fabiana ganhou uma caixa de bombons e resolveu dar alguns a
dispostos de forma retangular, em filas, de tal modo que o número de Camila e a Paula. Se Camila der a Paula um de seus bombons, ambas
alunos em cada fila supera em 7 o número de filas. Com base nessas ficarão com a mesma quantidade. Se, entretanto, Fabiana der mais um
informações, pode-se estimar que o número de alunos em cada fila é bombom a Camila, esta ficará com o dobro do que tem Paula. Quan-
igual a: tos bombons tem Camila e quantos tem Paula?
a) 12 b) 13 c) 14 d) 15
RESOLUÇÃO:
Camila recebeu x bombons e Paula, y bombons.
RESOLUÇÃO: Se Camila der a Paula um dos seus, ficará com x – 1 e Paula, com y + 1
Se cada fila tem x alunos, são x – 7 filas. bombons. Assim, x – 1 = y + 1.
Então: x(x – 7) = 120 ⇔ x2 – 7x = 120 ⇔ x2 – 7x – 120 = 0 ⇔ Se, entretanto, Fabiana der mais um bombom para Camila, esta ficará
com x + 1 e Paula continuará com y.
7 ± 23
⇔ x = ––––– ⇔ x = 15 ou x = – 8 (não serve) Então, x + 1 = 2y.
2
x–1=y+1
Resposta: D Resolvendo o sistema  x + 1 = 2y , concluímos que x = 5 e y = 3.

Resposta: Camila tem 5 bombons e Paula, 3.

MÓDULO 4
3. (UEPB) – Uma bacia cheia de água pesa 4 kg. Se jogarmos um
SISTEMAS DE EQUAÇÕES
terço da água fora, seu peso cai para 2 750 g. Assim, o peso da bacia
vazia é igual a:
1. (UEL) – As variáveis reais x e y verificam as seguintes condições: a) 1 750 g b) 1 250 g c) 2 500 g
(x + y)3 = 64 e (x – y)6 = 64. d) 250 g e) 3 750 g
Então, esse sistema tem
RESOLUÇÃO:
a) zero solução. b) uma solução. c) duas soluções.
Seja b o peso da bacia vazia e a o peso da água contida na bacia.
d) três soluções. e) quatro soluções.
Então

  
RESOLUÇÃO: b + a = 4 000 g b + a = 4 000 g b = 250 g
1 ⇔ 1 ⇔
(x + y)3 = 64
 
x+y=4 –– a = (4 000 – 2 750)g –– a = 1 250g a = 3 750 g
(x – y)6 = 64 ⇔
ou 3 3
x–y=2
Resposta: D

  
x+y=4 x=3 x=1
x – y = –2 ⇔ y = 1 ou y=3

Resposta: C

–3
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 4

4. (UNIFAP) – Pedro dá a Mateus tantos reais quanto Mateus possui. 2. Considere as soluções inteiras da inequação
Em seguida, Mateus dá a Pedro tantos reais quanto Pedro possui. Por 2x – 1 5x – 8
fim, cada um termina com R$ 12,00. Quantos reais cada um possuía –––––– – –––––– ≤ 1. A afirmativa verdadeira é:
3 4
no início?
a) Mateus possuía 5 e Pedro, 13. a) A maior delas é 6. b) A menor delas é – 6.
b) Mateus possuía 6 e Pedro, 14. c) A maior delas é 5. d) A menor delas é 2.
c) Mateus possuía 7 e Pedro, 18. e) A inequação não admite soluções inteiras.
d) Mateus possuía 8 e Pedro, 16.
RESOLUÇÃO:
e) Mateus possuía 9 e Pedro, 15. 12
2x –1 5x – 8 4(2x – 1) – 3(5x – 8)
––––––– – ––––––– ≤ 1 ⇔ ––––––––––––––––––
12 12 ⇔
≤ ––––
3 4
RESOLUÇÃO:
Se, no início, Mateus possuía x reais e Pedro, y reais, então, após a ⇔ 8x – 4 – 15x + 24 ≤ 12 ⇔ 8x – 15x ≤ 12 + 4 – 24 ⇔
1a. operação, Mateus fica com 2x e Pedro, com y – x. Em seguida, após a 8
⇔ – 7x ≤ – 8 ⇔ x  –––
2a. operação, Mateus fica com 2x – (y – x) e Pedro, com 2 (y – x). 7

Portanto, 2x – (y – x) = 12 e 2(y – x) = 12 ⇔  3x – y = 12
–x+y=6
⇔  xy == 915 As soluções inteiras são 2, 3, 4, …
Resposta: D
Resposta: E

(m – 3)
3. A função, definida em  por f(x) = 5 – ––––––– x, é estritamente
2
MÓDULO 5 decrescente se, e somente se:
a) m < 3 b) m > 5 c) m > 3
FUNÇÃO POLINOMIAL DO 1o. GRAU d) m < 5 e) m < 2

1. Sendo x um número real, considere as afirmações: RESOLUÇÃO:


I. 2x  10 ⇔ x  5
m–3
II. – 2x  10 ⇔ x  – 5 f é estritamente decrescente ⇔ – –––––– < 0 ⇔
2
x
III. ––  10 ⇔ x  20 ⇔ – (m – 3) < 0 ⇔ m – 3 > 0 ⇔ m > 3
2
Resposta: C
x
IV. –––  10 ⇔ x  – 20
–2

São verdadeiras:
a) Todas. b) I e II, apenas. c) I e III, apenas.
d) II e IV, apenas. e) II e III, apenas.

RESOLUÇÃO: 4. Sendo m > 2, a solução da inequação m(x – 1) < 2(x – 1), em , é


2x 10 a) x < 1 b) x > 1 c) x ≠ 1
I. Verdadeira, pois 2x < 10 ⇔ ––– < ––– (2 > 0) ⇔ x < 5.
2 2 d) x > 0 e) x > – 1

–2x 10
II. Falsa, pois – 2x < 10 ⇔ ––– > ––– (–2 < 0) ⇔ x > –5. RESOLUÇÃO:
–2 –2
m(x – 1) < 2(x – 1) ⇔ mx – m < 2x – 2 ⇔
x x
III. Verdadeira, pois ––– < 10 ⇔ 2 . ––– < 2 . 10 (2 > 0) ⇔ x < 20. ⇔ mx – 2x < m – 2 ⇔ (m – 2)x < m – 2
2 2
m–2
x x Para m > 2, resulta x < ––––––– ⇔ x < 1
IV. Falsa, pois ––– < 10 ⇔ –2 . ––– > –2 . 10 (–2 < 0) ⇔ x > –20. m–2
–2 –2
Resposta: A
Resposta: C

4–
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 5

3. O conjunto verdade, em , da inequação x2 + x – 12 ≤ 0 é


MÓDULO 6 a) {x ∈  x ≤ 3} b) {x ∈  x  – 4}
c) {x ∈  – 4 ≤ x ≤ 3} d) {x ∈  x ≤ – 4 ou x  3}
FUNÇÃO POLINOMIAL DO 2o. GRAU e) {x ∈  x  3}

1. Abaixo é dado o gráfico da função real definida por RESOLUÇÃO:


y = f(x) = ax3 + bx2 + cx + d, sendo a  0. x2 + x – 12 ≤ 0 ⇔ – 4 ≤ x ≤ 3, pois o gráfico de f(x) = x2 + x – 12 é do tipo

Resposta: C

Para que valores de x ∈ , tem-se:


a) f(x) = 0 b) f(x) > 0 c) f(x) < 0

RESOLUÇÃO:
Do gráfico, tem-se:
a) {– 1; 2; 4}
b) {x ∈  – 1 < x < 2 ou x > 4}
c) {x ∈  x < – 1 ou 2 < x < 4}

4. (UNESP) – O gráfico de uma função quadrática definida por


y = x2 – mx + (m – 1), onde m  , tem um único ponto em comum
com o eixo das abscissas. Então, o valor de y que essa função associa
2. (FGV) – Uma loja vende semanalmente x relógios quando seu ax=2é
preço por unidade p, em reais, é expresso por p = 600 – 10x . A receita a) – 2 b) – 1 c) 0 d) 1 e) 2
semanal de vendas desse produto é R$ 5 000,00 para dois valores de
RESOLUÇÃO:
p. A soma desses valores é:
Se o gráfico da função dada por y = x2 – mx + (m – 1) tem um único ponto
a) R$ 400,00 b) R$ 450,00 c) R$ 500,00 em comum com o eixo das abscissas, então Δ = (– m)2 – 4 . 1 . (m – 1) = 0
d) R$ 550,00 e) R$ 600,00 ⇔ m2 – 4m + 4 = 0 ⇔ m = 2
Assim, y = x2 – 2x + 1 e para x = 2 resulta y = 22 – 2 . 2 + 1 = 1
RESOLUÇÃO: Resposta: D

Se R(x) for a receita semanal, então:


I) R(x) = x . (600 – 10x) = – 10x2 + 600x
II) – 10x2 + 600x = 5 000 ⇒ x2 – 60x + 500 = 0 ⇒ x = 10 ou x = 50

III) Se x = 10, então p = 600 – 10 . 10 = 500

IV) Se x = 50, então p = 600 – 10 . 50 = 100


V) Os dois valores de p, para os quais a receita semanal de vendas é
R$ 5000,00, será, em reais, 500 e 100. A soma deles é 600.
Resposta: E

–5
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 6

3. A soma das soluções inteiras do sistema


MÓDULO 7 – x2 – x + 2 < 0

SISTEMA DE INEQUAÇÕES
 x2 – 9 ⭐ 0
é:

a) – 3 b) – 2 c) 0 d) 1 e) 2

1. O produto das soluções inteiras do sistema RESOLUÇÃO:

 x2 – 3x – 4 ⭐ 0 I) – x2 – x + 2 < 0 ⇔ x < – 2 ou x > 1,


é:
–1<x–2⭐3 pois o gráfico de f(x) = – x2 – x + 2
é do tipo:
a) 6 b) 8 c) 10 d) 12 e) 24

RESOLUÇÃO:
I) x2 – 3x – 4 ⭓ 0 ⇔ – 1 ⭐ x ⭐ 4,
pois o gráfico de
f(x) = x2 – 3x – 4 é do tipo: II) x2 – 9 ⭐ 0 ⇔ –3 ⭐ x ⭐ 3,

pois o gráfico de
g(x) = x2 – 9 é do tipo:
II) – 1 < x – 2 ⭐ 3 ⇔ 1 < x ⭐ 5
De (I) e (II), resulta: 1 < x ⭐ 4.
As soluções inteiras são 2, 3 e 4.
O produto das soluções inteiras é 24.
Resposta: E
De I e II, resulta:

2. A solução de  3xx –+ 165 ⭓⭐2x0 + 3


2
é:
As soluções inteiras do sistema são – 3, 2 e 3 e a soma delas é 2.
a) x = – 4 b) x ⭐ 4 c) – 2 ⭐ x ⭐ 4 Resposta: E
d) x ⭐ – 4 e) – 4 ⭐ x ⭐ – 2

RESOLUÇÃO:
I) 3x + 5 ⭓ 2x + 3 ⇔ x ⭓ – 2
II) x2 – 16 ⭐ 0 ⇔ – 4 ⭐ x ⭐ 4,
pois o gráfico de
f(x) = x2 – 16 é do tipo:

De (I) e (II), resulta: – 2 ⭐ x ⭐ 4.


Resposta: C

6–
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 7

2. (UFTO) – Resolva a inequação:


MÓDULO 8 (n – 9) (n2 – 4n + 5) (n + 7) < 0 no conjunto dos números reais. A soma
dos números inteiros que satisfazem a inequação acima é:
INEQUAÇÕES: PRODUTO E QUOCIENTE a) 3 b) 15 c) 12 d) – 4 e) – 9

RESOLUÇÃO:
1. (FATEC) – A solução real da inequação-produto
O gráfico de f(x) = n2 + 4n + 5 é do tipo:
(x2 – 4) . (x2 – 4x) ⭓ 0 é:
a) S = {x ∈  – 2 ⭐ x ⭐ 0 ou 2 ⭐ x ⭐ 4}
b) S = {x ∈  0 ⭐ x ⭐ 4}
c) S = {x ∈  x ⭐ – 2 ou x ⭓ 4}
d) S = {x ∈  x ⭐ – 2 ou 0 ⭐ x ⭐ 2 ou x ⭓ 4}
e) S = Ø

RESOLUÇÃO: Então, n2 + 4n + 5 > 0 ∀n ∈ .


1) Os gráficos de f(x) = x2 – 4 e g(x) = x2 – 4x são dos tipos:
Logo, (n – 9) (n2 + 4n + 5) (n + 7) < 0 ⇔ (n – 9) (n + 7) < 0 ⇔ –7 < n < 9,
pois o gráfico de g(n) = (n – 9) (n + 7) é do tipo:

2) O “quadro” de sinais é:

A soma dos números inteiros entre –7 e 9 é igual a 7 + 8 = 15.


Resposta: B

Assim, a solução S = {x ∈  x ⭐ – 2 ou 0 ⭐ x ⭐ 2 ou x ⭓ 4}.


Resposta: D

–7
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 8

3. (UFJF) – Os valores de x que satisfazem a inequação


2x
x2 – 2x – 3 4. (ESPM) – O conjunto verdade da inequação –––––– ⭐ 1 é:
––––––––––– ⭓ 0 pertencem a: x– 1
x–2 a) {x ∈  x < 1} b) {x ∈  x > – 1}
a) [– 1; 2)  [3; ∞) b) (– 1; 2]  (3; ∞) c) {x ∈  – 1 ⭐ x < 2} d) {x ∈  – 1 ⭐ x < 1}
c) [1; 3] d) [– 3; 2) e) {x ∈  – 2 ⭐ x < 1}
e) [– 3; – 2]  (2; ∞)
RESOLUÇÃO:
2x 2x 2x – x + 1
RESOLUÇÃO: –––––– ⭐ 1 ⇔ –––––– – 1 ⭐ 0 ⇔ –––––––––– ⭐ 0 ⇔
I) O gráfico de f(x) = x2 – 2x – 3 é do tipo: x– 1 x– 1 x– 1

x+1
⇔ –––––– ⭐ 0 ⇔ (x + 1)(x – 1) ⭐ 0 e x ≠ 1 ⇔ – 1 ⭐ x < 1, pois
x– 1
o gráfico de f(x) = (x + 1)(x – 1) é do tipo:

II) O gráfico de g(x) = x – 2 é do tipo:

Resposta: D

III) O correspondente “quadro” de sinais é:

O conjunto-solução da inequação é [– 1; 2)  [3; + ∞).


Resposta: A

MÓDULO 9
VÉRTICE DA PARÁBOLA

1. (UNESP) – Seja a função: y = x2 – 2x – 3. O vértice V e o


conjunto-imagem da função são dados, respectivamente, por:
a) V = (1; 4), Im = {y ∈  y ⭓ 4}
b) V = (1; – 4), Im = {y ∈  y ⭓ – 4}
c) V = (1; 4), Im = {y ∈  y ⭐ 4}
d) V = (1; – 4), Im = {y ∈  y ⭐ – 4}
e) V = (1; 1), Im = {y ∈  y ⭓ 1}

RESOLUÇÃO:
Se V(xv ; yv ) for o vértice da parábola definida por y = x 2 – 2x – 3, então:


–2
xv = – –––– = 1
2
1) ⇒ V(1; – 4)
yv = 12 – 2 . 1 – 3 = – 4

8–
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 9

2) O conjunto imagem da função é Im(f) = {y ∈  y ⭓ – 4},


pois o gráfico de y = x2 – 2x – 3 é:

Resposta: B

3. (FGV) – O preço do ingresso numa peça de teatro (p) relaciona-se


com a quantidade de frequentadores (x) por sessão através da relação
p = – 0,2x + 100.
a) Qual a receita arrecadada por sessão, se o preço do ingresso for
R$ 60,00?
2. (ACAFE) – Após o lançamento de um projétil, sua altura h, em b) Qual o preço que deve ser cobrado para dar a máxima receita por
metros, t segundos após o seu lançamento, é dada por h(t) = –t2 + 20t. sessão?
Em relação a este lançamento, analise as afirmações a seguir. Observação: receita = (Preço) . (quantidade)
I. A altura máxima atingida pelo projétil foi de 10m.
II. O projétil atingiu a altura máxima quando t = 10s. RESOLUÇÃO:
III.A altura do projétil é representada por uma função polinomial
 p = 60
p = – 0,2x + 100
a) ⇒ 60 = – 0,2x + 100 ⇒ 0,2x = 40 ⇒ x = 200
quadrática cujo domínio é [0; 20].
IV. Quando t = 11, o projétil ainda não atingiu sua altura máxima.
A receita, nessas condições, será igual a 60 . 200 reais = 12000 reais.

Todas as afirmações corretas estão em: b) A receita é dada por R(x) = p . x = (– 0,2x + 100) . x = – 0,2x2 + 100x.
a) I e II. b) I, II e IV. c) II e III. d) III e IV.
– 100
Essa receita será máxima para x = –––––– = 250.
RESOLUÇÃO: – 0,4
Sendo t ≥ 0 e h(t) ≥ 0, o gráfico de h(t) = –t2 + 20t é do tipo Assim, o preço a ser cobrado por sessão deve ser:
p = – 0,2 . 250 + 100 = – 50 + 100 = 50 em reais
Respostas: a) R$ 12000,00 b) R$ 50,00

–20
Observe que a abscissa do vértice da parábola é tv = –––– = 10 e a or-
–2
denada é yv = h (10) = –102 + 20 . 10 = 100, t em segundos e h em
metros.
II e III são verdadeiras.
I e IV são falsas.
Resposta: C

–9
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 10

3. Os valores do número real x que satisfazem a inequação


MÓDULO 10 x

 
2 1
–– ⭓ ––––– são dados por:
FUNÇÃO EXPONENCIAL 5 0,16
a) x ⭓ – 2 b) x ⭐ 2 c) x ⭐ – 2
1. (MACKENZIE) – O gráfico mostra, em função do tempo, a evo- 1
d) x < ––– e) x ⭓ 2
lução do número de bactérias em certa cultura. Entre as alternativas 2
abaixo, decorridos 30 minutos do início das observações, o valor mais
próximo desse número é: RESOLUÇÃO:
x
a) 18.000
b) 20.000  2
–––
5  1
⭓ ––––– ⇔ (0,4)x ⭓ (0,4) – 2 ⇔ x ⭐ – 2
0,16
c) 32.000 Resposta: C
d) 14.000
e) 40.000

RESOLUÇÃO:
1) A função f : + → , definida por f(t) = a . bt, contém os pontos (0; 104) 4. (UEPB) – Seja V o conjunto de todas as soluções reais de
e (3; 8 . 104). 5
–––––––––––  15. Então:

 f(3) = a . b = 8 . 10 ⇒  a . b = 8 . 10 ⇒  b = 2
f(0) = a . b0 = 104 a = 104 a = 104 32 + 2x – x
2
2) ⇒ f(t) = 104 . 2t
3 4 3 4
a) V = {x ∈  tal que x ⭓ – 1}
1
b) V = {x ∈  tal que x ⭐ – 1 ou x  3}
 ––2  = 10 . 2
1 ––
1 2
3) Para t = ––– , temos: f 4 = 104 . 
2  14000.
2 c) V = {x ∈  tal que x ⭐ 3}
Resposta: D d) V = {x ∈  tal que – 1 ⭐ x ⭐ 3}
e) V = {x ∈  tal que x ⭓ 0}

RESOLUÇÃO:
5
–––––––––––– ⭐ 15 ⇔ 5  15 . (32 + 2x – x2 ) ⇔
3 2x – x2
2 +

2. A soma das soluções da equação 32x – 12 . 3x + 27 = 0 é:


2 + 2x + 2 1 2
a) 2 b) 3 c) 6 d) 12 e) 15 ⇔ 3– x  ––– ⇔ 3 – x + 2x + 2  3 – 1 ⇔
3

RESOLUÇÃO: ⇔ – x2 + 2x + 2  – 1 ⇔ – x2 + 2x + 3  0 ⇔
32x – 12 . 3x + 27 = 0 ⇔ – 1  x  3, pois o gráfico de f(x) = – x2 + 2x + 3 é do tipo:
Fazendo-se 3x = y, tem-se: y2 – 12y + 27 = 0 ⇔
⇔ y = 3 ou y = 9 ⇔ 3x = 3 ou 3x = 9 ⇔ x = 1 ou x = 2.
A soma das soluções é 1 + 2 = 3.
Resposta: B

Resposta: D

10 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 11

FRENTE 2 – ÁLGEBRA

4. Dados os conjuntos A = {2; 3; 4}, B = {3; 4; 5; 6} e


MÓDULO 1 S = {1; 2; 3; 4; 5; 6; 7}, determine:
a) A  B b) A  B c) A – B
CONJUNTOS
d) B – A e) ⲩSA
f) o Diagrama de Venn-Euler representando a situação destes con-
1. Seja A = {2; 5; {3; 4}; 6}. Complete as frases com os símbolos ∈,
∉,  ou  e assinale a alternativa que contêm esses símbolos em uma juntos.
correspondência na correta e respectiva ordem:
RESOLUÇÃO:
I) 2 ........ A II) {2} ........ A III) {3; 4} ......... A a) A  B = {2; 3; 4; 5; 6} b) A  B = {3; 4}
IV) Ø ........ A V) 4 ........... A VI) {5; 6} ......... A c) A – B = {2} d) B – A = {5; 6}

a) ∉, , ∉, , ∉ e  b) , , ∈, , ∈ e  e) ⲩSA = S – A = {1; 5; 6; 7}
c) ∈, , ∈, , ∉ e  d) ∈, , , , ∉ e  f)

e) ∈, , ∈, , ∈ e 

RESOLUÇÃO:
Completadas de forma correta, as frases ficam:
I) 2 ∈ A II) {2}  A III) {3; 4} ∈ A
IV)Ø  A V) 4 ∉ A VI) {5; 6}  A
Na ordem, usamos os símbolos ∈, , ∈, , ∉ e 
Resposta: C

MÓDULO 2
2. Considere o conjunto A = {3; 5; {3; 7}, 8, Ø} e assinale a
alternativa falsa. CONJUNTOS
a) 3 ∈ A b) 7 ∉ A e {3; 7} ∈ A c) {3; 5; 7}  A
d) {8; Ø}  A e) Ø ∈ A e Ø  A 1. (UFRN) – Num grupo de amigos quatorze pessoas estudam
Espanhol e oito estudam Inglês, sendo que três dessas pessoas estu-
RESOLUÇÃO:
Observe que 7 ∉ A e, portanto, {3; 5; 7}  A.
dam ambas as línguas.
Observe também que 8 ∈ A, Ø ∈ A, Ø  A e, portanto, {8; Ø}  A. Sabendo que todos do grupo estudam pelo menos uma dessas línguas,
Resposta: C o total de pessoas do grupo é
a) 17. b) 19. c) 22. d) 25.

RESOLUÇÃO:
Sendo E o conjunto dos alunos que estudam Espanhol e I o conjunto dos
que estudam Inglês, temos o seguinte diagrama:

3. Sabe-se que {a; b; c; d}  X, {c; d; e; f}  X e que o conjunto X


possui 64 subconjuntos. O número de subconjuntos de X que não
possuem os elementos c e d é:
a) 4 b) 8 c) 16 d) 20 e) 32

RESOLUÇÃO:
Se X possui 64 = 26 subconjuntos, então n(X) = 6. Como {a; b; c; d}  X
e {c; d; e; f}  X, temos que X = {a; b; c; d; e; f}. Os subconjuntos de X
que não possuem os elementos c e d são os subconjuntos de {a; b; e; f},
num total de 24 = 16 subconjuntos. O total de pessoas do grupo é 19, podendo ser obtido da seguinte forma:
Resposta: C n(E  I) = n(E) + n(I) – n(E  I) = 14 + 8 – 3 = 19.
Resposta: B

– 11
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 12

2. (UDESC) – O que os brasileiros andam lendo? II) Verdadeira, conforme diagrama.


III) Falsa, leem revistas ou livros um total de
100 + 40 + 40 + 10 + 20 + 300 = 510

Respostas: D

3. (GAVE) – Uma escola secundária tem alunos de ambos os sexos


em todos os anos de escolaridade.
Escolhe-se, ao acaso, um aluno dessa escola.
Sejam A e B os acontecimentos:
A: «O aluno é do sexo feminino»
B: «O aluno está no 12.º ano»

Qual das expressões seguintes designa o acontecimento «o aluno é do


sexo masculino e não está no 12.º ano»?
a) A  B b) A  B
O brasileiro lê, em média, 4,7 livros por ano. Este é um dos principais c) A  B d) A  B
resultados da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, encomendada
pelo Instituto Pró-Livro ao Ibope Inteligência, que também pesquisou RESOLUÇÃO:
o comportamento do leitor brasileiro, as preferências e as motivações Observe os seguintes diagramas
dos leitores, bem como os canais e a forma de acesso aos livros.
(Fonte: Associação Brasileira de Encadernação e Restaure, adapt.)
Supõe-se que em uma pesquisa envolvendo 660 pessoas, cujo
objetivo era verificar o que elas estão lendo, obtiveram-se os
seguintes resultados: 100 pessoas leem somente revistas, 300 pessoas
leem somente livros e 150 pessoas leem somente jornais.
Supõe-se ainda que, dessas 660 pessoas, 80 leem livros e revistas, 50
leem jornais e revistas, 60 leem livros e jornais e 40 leem revistas,
jornais e livros.
Em relação ao resultado dessa pesquisa, são feitas as seguintes A união dos dois conjuntos (A  B) inclui todos os alunos que são do sexo
feminino ou estão no 12°. ano.
afirmações:
Os alunos do complementar da união (A  B) inclui os alunos que não são
I. Apenas 40 pessoas leem pelo menos um dos três meios de
do sexo feminino (portanto são do sexo masculino) e não estudam no 12°.
comunicação citados. ano.
II. Quarenta pessoas leem somente revistas e livros, e não leem Professor, mostre para o aluno que a resposta também poderia ser
jornais. — —
A  B.
III.Apenas 440 pessoas leem revistas ou livros. Resposta: D
Assinale a alternativa correta.
a) Somente as afirmativas I e III são verdadeiras.
b) Somente as afirmativas I e II são verdadeiras.
c) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras. 4. Dos 91 alunos da escola “Grandes torcidas”, 51 são corintianos e,
d) Somente a afirmativa II é verdadeira. destes, 20 são meninas. A escola tem 32 alunos palmeirenses e, destes,
e) Somente a afirmativa I é verdadeira. 19 são meninos. Três meninos não são corintianos nem palmeirenses.
Quantas meninas odeiam o Corinthians?
RESOLUÇÃO: a) 10 b) 13 c) 18 d) 20 e) 25
Com os dados do enunciado, é possível montar o seguinte Diagrama de
Venn: RESOLUÇÃO:
O enunciado sugere a tabela:

Corinthians Palmeiras Outros Total

Meninos 31 19 3 53

Meninas 20 13 5 38

Total 51 32 8 91

Odeiam o Corinthians: 13 + 5 = 18 meninas.


Resposta: C

I) Falsa, pois todos leem pelo menos um dos três meios de comunicação.

12 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 13

3. (UFG) – Considere dois conjuntos não vazios A e B. Com base no


MÓDULO 3 conceito de função, tem-se que a seguinte correspondência não é uma
função:
PRODUTO CARTESIANO,
RELAÇÕES BINÁRIAS E FUNÇÕES

1. Os pares ordenados (2a; b + 3) e (b + 5; a + 2) são iguais. O valor


de ab é:
a) 8 b) 16 c) 32 d) 64 e) 128

RESOLUÇÃO:
(2a; b + 3) = (b + 5; a + 2) ⇔  2a =b+5
b+3=a+2
⇔  2a –b=5
a–b=1

⇔a=4 e b=3
Assim, ab = 43 = 64
Resposta: D

RESOLUÇÃO:
Não é função aquela em que o elemento do primeiro conjunto está
associado mais do que uma vez.
Resposta: A

2. Dados os conjuntos A = {1; 2; 3} e B = {3; 5; 7; 9}, determine


A×B. Represente-os por um diagrama de flechas e um gráfico car-
tesiano. Estabeleça uma função de A em B, escreva seu domínio, con- 4. Para cada caso a seguir responda se o gráfico representa ou não
tradomínio e imagem. uma função de [2; 5] em  e, em caso afirmativo, escreva o conjunto
imagem.
RESOLUÇÃO:
A x B = {(1; 3), (1; 5), (1; 7), (1; 9), (2; 3), (2; 5), (2; 7), (2; 9), (3; 3), (3; 5),
(3; 7), (3; 9)}

Uma função possível é: f = {(1; 3), (2; 5), (3; 7)}

D(f) = A = {1; 2; 3}
CD(f) = B = {3; 5; 7; 9}
Im(f) = {3; 5; 7}

RESOLUÇÃO:
O gráfico da figura (I) não representa função de [2; 5] em , pois entre
2 e 3 não há pontos correspondentes do gráfico

– 13
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 14

O gráfico da figura (II) não representa uma função pois no intervalo a) f(2) = 2, f(– 2) = – 1 e f(6) = 3; portanto,
[2; 5] existem pontos que se associam mais do que uma vez. f(2) + f(– 2) + f(6) = 2 + (– 1) + 3 = 4.
b) f(x) = – 1 se, e somente se, x = – 4, x = – 2 ou x = 0.
c) Im(f) = [– 2; 3] obtido no eixo y.
d) f(x)  2 ⇔ 2  x  6, como destacado no gráfico.

O gráfico da figura (III) representa uma função e nesta função o conjunto


2. (CEFET-MG-Adaptada) – Considerando-se f a função real defi-
imagem é o intervalo [3; 5]
nida por


( 2 + x), se x  1
2 – x)(
f(x) = 2 – x, se 1  x  3
3, se x  3

      é:
1 7 3
o valor de A = f – –– – f –– . f ––
2 2 2

Respostas: I) não representa função 1 1 1 1 1


II) não representa função a) –– b) –– c) –– d) –– e) ––
III) representa função de imagem [3; 5] 2 3 4 5 6
RESOLUÇÃO:
1 1 1 1
Como – ––  1, temos f – –– = 
2 2
2–    – ––2 
2 + – ––2 
=
MÓDULO 4
1 1 2 2 1 1 7

DOMÍNIO, CONTRADOMÍNIO E IMAGEM



= 
2 + ––
2
2 – ––2
= (2 ) 2 – –– + –– – –– = 2 – –– = –– .
2 2 4 4 4

7 7
1. (GAVE-Adaptada) – No gráfico a seguir, está representada, em
referencial xOy, uma função f de domínio [– 5, 6].
Sendo ––  3, temos f –– = 3 e,
2 2  
3 3 3 1
2 2  
sendo 1  ––  3, temos f –– = 2 – –– = –– .
2 2

Assim:
1 7 3 7 1
A=  2     
f – –– – f –– . f –– =
2 2
–– – 3 . –– =
4 2

Resposta: A

a) Calcule f(2) + f(– 2) + f(6).


b) Indique todos os números reais cujas imagens, por meio de f, são
iguais a – 1.
c) Qual é o conjunto imagem de f?
d) Resolva a inequação f(x)  2.
3. Sejam A e B, subconjunto dos números reais, e os respectivos
RESOLUÇÃO:
domínios das funções definidas por f(x) = 
2x – 10 e
g(x) = 
17 – 2x . A soma dos números inteiros pertencentes ao
conjunto A  B é:
a) 13 b) 18 c) 20 d) 26 e) 30

RESOLUÇÃO:
2x – 10  0 ⇔ 2x  10 ⇔ x  5
17
17 – 2x  0 ⇔ – 2x  – 17 ⇔ x  –––
2
Desta forma,
A = D(f) = {x ∈  x  5}

14 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 15

RESOLUÇÃO:
 x ∈  x  –––2 
17
B = D(g) =
 ⇒ b = 30
f(0) = a . 0 + b = 30 a = 0,2

 
17 f(20) = a . 20 + b = 34
AB= x ∈  5  x  –––
2 Assim, f(x) = 0,2x + 30 e f(120) = 0,2 . 120 + 30 = 54
Resposta: A
São inteiros pertencentes ao conjunto A  B os números 5, 6, 7 e 8, cuja
soma é 26.
Resposta: D

MÓDULO 5
CARACTERÍSTICAS E PROPRIEDADES DA FUNÇÃO
4. O conjunto imagem da função f:[0; 6] →  definida por
1. Considere as funções
– x + 4, se 0  x  3
f(x) =

2x – 5, se 3  x  6
é: f: {1; 2; 3} → {4; 5; 6; 7} f(x) = x + 3
g: {– 1; 0; 1} → {0; 1} g(x) = x2
a) [4; 7] b) [1; 7] c) [0; 6] h: {1; 2; 3} → {5; 6; 7} h(x) = x + 4
d) [–5; –2] e) [1; + ∞[ i: {0; 1; 2} → {0; 2; 4} i(x) = x2 – x
Classifique-as em sobrejetora, injetora ou bijetora.
RESOLUÇÃO:
O gráfico de f é:
RESOLUÇÃO:

f é injetora, mas não é sobrejetora g é sobrejetora, mas não é injetora

O conjunto imagem é Im(f) = [1; 7], conforme assinalado no gráfico.


Resposta: B

h é injetora e sobrejetora, i não é injetora, nem sobrejetora


portanto, bijetora

5. (UFSC) – O gráfico mostra os valores, em reais, a serem pagos


numa conta de telefone em função do número de minutos utilizados. 2. Considere a função f: [0;5] → , definida pelo gráfico:

Apresente dois motivos para f não ser bijetora.

RESOLUÇÃO:
Do gráfico, conclui-se que
Sabendo-se que esse gráfico é uma função do tipo f(x) = ax + b, então, f(0) = f(2) = f(4) = 2, portanto f não é injetora.
se forem utilizados 120 minutos, o valor a ser pago será de Im(f) = [1;5]   = CD(f), portanto f não é sobrejetora.
a) R$ 54,00. b) R$ 50,00. c) R$ 47,00.
d) R$ 43,00. e) R$ 38,00.

– 15
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 16

3. (GAVE) – Relativamente a duas funções f e g, sabe-se que: RESOLUÇÃO:


• têm domínio [2; 3] Se f é estritamente decrescente, então:
• são funções contínuas
  > f  ––3  > f  ––2  ⇔
5 4 3 5 4 3
–– < –– < –– ⇔ f ––
• f(2) – g(2) > 0 e f(3) – g(3) < 0 4 3 2 4
Qual das afirmações seguintes é necessariamente verdadeira?
5 4 3
a) Os gráficos de f e g interceptam-se em pelo menos um ponto. 1 – –– 1 – –– 1 – ––

b) A função f – g é crescente. 
5
⇔ 1 + ––
4
 4

4
> 1 + ––
3
 3

3
> 1 + ––
2
 2

c) Os gráficos de f e g não se intersectam.
1 1 1
e) A função f – g é decrescente. – –– – –– – ––
     
9 4 7 3 5 2
⇔ –– > –– > –– ⇔
4 3 2
RESOLUÇÃO:
Sr. Professor, utilize esta questão para mostrar ao aluno a importância em
saber trabalhar com gráficos. 4 4 3 3 2
Considere, como exemplo, as funções f e g do gráfico abaixo: ⇔ –– > –– > –– ⇔
9 7 5

2 3 3 4 4
⇔ –– < –– < ––
5 7 9

Resposta: C

5. O gráfico a seguir mostra a variação da pressão arterial alta de um


f(2) – g(2) > 0 ⇔ f(2) > g(2)
indivíduo, em função do tempo, em um determinado dia em que
f(3) – g(3) < 0 ⇔ f(3) < g(3)
esteve sob observação.
Observe que para estas funções a diferença f – g aumenta e diminui. A
única certeza que se tem é que os dois gráficos se interceptam entre 2 e 3.
Resposta: A

4. (IBEMEC) – Dizer que uma função f(x) é estritamente Após notar que a pressão permanecia alta por 20 minutos, o médico
decrescente é equivalente a dizer que, quaisquer que sejam a e b aplicou um medicamento que fez baixar a pressão durante um
elementos do domínio da função, tem-se intervalo de tempo pequeno. Pode-se afirmar:
a < b ⇔ f(a) > f(b). a) A pressão foi estritamente crescente durante todo o tempo obser-
vado.
Sabendo que a função f(x) = (1 + x)1 – x é estritamente decrescente no b) O medicamento foi aplicado tardiamente.
domínio dos reais maiores do que 1, segue das desigualdades. c) Não há um intervalo de tempo em que a pressão arterial foi decres-
5 4 3 cente.
–– < –– < –– que
4 3 2 d) A pressão arterial alta nunca ficou abaixo da ideal.
e) Podemos considerar que a medicação aplicada não foi totalmente
3 3 2 4 4 2 4 4 3 3
a) –– < –– < –– b) –– < –– < –– eficaz.
7 5 9 5 9 7
RESOLUÇÃO:
2 3 3 4 4 3 3 4 4 2 a) A pressão foi estritamente crescente somente durante os 20 min ini-
c) –– < –– < –– d) –– < –– < –– ciais da observação.
5 7 9 7 9 5
b) Não se pode garantir que o medicamento foi aplicado tardiamente,
pois não se conhece o padrão de espera em pressão alta e tampouco se
4 4 3 3 2
e) –– < –– < –– ela foi extremamente elevada.
9 7 5 c) A pressão foi decrescente no intervalo entre 20 min e aproximada-
mente 50 min da observação.

16 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 17

d) A pressão arterial alta esteve abaixo da ideal em um instante entre RESOLUÇÃO:


40 min e 60 min.
e) Considerando que a pressão arterial voltou a subir e ultrapassou a
ideal, podemos considerar que a medicação aplicada não foi total-
mente eficaz.
Resposta: E

MÓDULO 6
No intervalo [– 4; 5] existem um único valor de k tal que f(k) = 2. Este
FUNÇÃO COMPOSTA valor é zero.
Desta forma, fof(x) = 2 ⇔ f[f(x)] = 2 ⇔ f(x) = 0 ⇔ x = a, x = b ou x = c
1. Sejam f e g funções de  em  definidas por f(x) = x2 + 2x e
3 Resposta: D
g(x) 
x + 3. O valor numérico de gof(4) + fog(5) é um número
a) par b) quadrado perfeito
c) primo d) múltiplo de 3
e) cubo perfeito

RESOLUÇÃO: 3. (UFCE) – O coeficiente b da função quadrática


f(4) = 42 + 2 . 4 = 16 + 8 = 24 f:  → R, f(x) = x2 + bx + 1, que satisfaz a condição f(f(–1)) = 3, é
3 3 igual a:
gof(4) = g[f(4)] = g(24) = 
24 + 3 = 
27 = 3
3 3 a) –3. b) –1. c) 0. d) 1. e) 3.
g(5) = 
5 + 3 = 
8=2
RESOLUÇÃO:
fog(5) = f[g(5)] = f[2] = 22 + 2 . 2 = 8
Sendo f(x) = x2 + bx + 1 temos:
gof(4) + fog(5) = 3 + 8 = 11
f(–1) = (–1)2 + b . (–1) + 1 = 2 – b e
Resposta: C
f(f(–1)) = f [2 – b] = (2 – b)2 + b (2 –b) + 1 = –2b + 5 = 3 (dado) ⇔ b = 1
Resposta: D

4. (FUVEST) – Sejam f(x) = 2x – 9 e g(x) = x2 + 5x + 3. A soma


dos valores absolutos das raízes da equação f(g(x)) = g(x) é igual a:
a) 4 b) 5 c) 6 d) 7 e) 8
2. A figura abaixo representa o gráfico da função f de [– 4; 5] em .
O número de soluções da equação fof(x) = 2 é RESOLUÇÃO:
Sendo f(x) = 2x – 9 e g(x) = x2 + 5x + 3, temos:
f[g(x)] = f[x2 + 5x + 3] = 2(x2 + 5x + 3) – 9 = 2x2 + 10x – 3
Como f[g(x)] = g(x) ⇔ 2x2 + 10x – 3 = x2 + 5x + 3 ⇔
⇔ x2 + 5x – 6 = 0 ⇔ x = – 6 ou x = 1
As raízes de f[g(x)] = g(x) são – 6 e 1 e a soma dos valores absolutos dessas
raízes é – 6 + 1 = 7.
Resposta: D

a) zero b) 1 c) 2 d) 3 e) 4

– 17
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 18

3. (UESC) – Uma mensagem pode ser codificada de inúmeras


MÓDULO 7 maneiras. Se, por exemplo, a cada letra do alfabeto for associado um
número inteiro positivo n, considerando-se uma função f(n), de
FUNÇÃO INVERSA conhecimento apenas do remetente e do destinatário da mensagem, é
possível estabelecer uma forma de codificação. Nesse caso, a função
1. A função inversa de f pode ser entendida como aquela que executa f é usada para codificar e sua inversa f – 1, para decodificar a men-
as operações inversas de f. Assim, se a função f soma, a inversa sub- sagem. Considerando A = 1, B = 2, ..., W = 23, X = 24, Y = 25,
trai; se a função f multiplica, a inversa divide; se a função f associa os Z = 26 e f(n) = n + 3 para codificar a letra U, ao invés de transmitir o
elementos do conjunto A com os elementos do conjunto B a inversa número associado a ela, que é 21, transmite-se a letra associada a
associa os elementos de B com os elementos de A. f(21) = 24, que é X. Para decodificar a letra X recebida, observa-se
Dada a função f:  →  tal que f(x) = 3x + 2, sua função inversa é: que ela corresponde a 24. Logo, f –1(24) = 21, que é U.
x–2 x 2 Admitindo-se, hipoteticamente, que a função f(x) = log2(2x + 1),
a) f–1(x) = ––––– b) f–1(x) = –– – 2 c) f–1(x) = x – –– x  0 possa ser considerada função-chave para codificação de certo
3 3 3
padrão de mensagens, a expressão de sua inversa a ser utilizada na
x x–3 decodificação dessas mensagens é
d) f–1(x) = 2 – –– e) f–1(x) = –––––
3 2 1 1
a) 2(x – 1) – –– b) 2(x + 1) – ––
RESOLUÇÃO: 2 2
Sr. Professor utilize esta questão para mostrar o que é a função inversa e
c) 2 – 2(2x + 1) d) log 1 (2x – 1)
como obtê-la. ––
2
y–2 x–2 2
f(x) = 3x + 2 = y ⇔ 3x = y – 2 ⇔ x = ––––– ⇔ f –1(x) = ––––– e) –––––––––––
3 3 log(2x + 1)
Resposta: A

RESOLUÇÃO:
Chamando de y a função f(x) dada temos:
f(x) = log2(2x + 1) = y ⇔ 2x + 1 = 2y ⇔
2y – 1 1
⇔ 2x = 2y – 1 ⇔ x = –––––– ⇔ x = 2y – 1 – ––
2 2
1
2. Obtenha as sentenças que definem as funções inversas de: e, portanto, f–1(x) = 2x – 1 – ––
2
a) f: [– 3; 5] → [1; 17] tal que f(x) = 2x + 7
Observe que x  0 ⇔ 2x + 1  1 ⇔ log2(2x + 1)  log21 = 0 ⇔ y  0.
b) g: [2; 5] → [0; 9] tal que g(x) = x2 – 4x + 4
Desta forma, na função inversa x  0.
Resposta: A
RESOLUÇÃO:
y–7
a) f(x) = 2x + 7 = y ⇔ x = ––––––
2
x–7
f –1: [1; 17] → [– 3; 5] tal que f –1(x) = ––––––
2

b) g(x) = x2 – 4x + 4 ⇔ (x – 2)2 = y ⇔ x – 2 = ± 


y ⇔

⇔ x = 2 ± 
y ⇔ g–1(x) = 2 ± 
x

Para que g –1(x) ∈ [2; 5], devemos ter g –1:[0; 9] → [2; 5] tal que
g –1(x) = 2 + 
x.

18 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 19

2. A sequência (ap) é definida pela lei de recorrência ap + 1 = ap + r,


7

4. Considere a função f: ––; + ∞ →  definida por
2
com p ∈ *.
Escreva uma fórmula do termo an da sequência, em função de
f(x) = x2 – 7x + 12. O ponto de intersecção dos gráficos de f e f– 1 é: a1, n e r.
a) (1; 2) b) (2; 3) c) (3; 3)
d) (6; 6) e) (7; 4) RESOLUÇÃO:
Atenção, Sr Professor! A intenção dessa questão é introduzir os conceitos
de PA.
RESOLUÇÃO:
a2 = a1 + r
Os gráficos de f e f –1 estão esboçados abaixo.
a3 = a2 + r = a1 + 2r
a4 = a3 + r = a1 + 3r

an = an – 1 + r = a1 + (n – 1) . r ⇒ an = a1 + (n – 1) . r

3. (ENEM) – O número mensal de passagens de uma determinada


empresa aérea aumentou no ano passado nas seguintes condições: em
janeiro foram vendidas 33 000 de passagens; em fevereiro, 34 500;
No ponto de intersecção de f e f –1, temos f(x) = x. em março, 36 000. Esse padrão de crescimento se mantém para os
meses subsequentes.
7
Assim x2 – 7x + 12 = x ⇒ x2 – 8x + 12 = 0 ⇒ x = 6, pois x > –– . Quantas passagens foram vendidas por essa empresa em julho do ano
2
passado?
O ponto é (6; 6).
a) 38 000 b) 40 500 c) 41 000
Resposta: D d) 42 000 e) 48 000

RESOLUÇÃO:
O número de passageiros nos meses de janeiro, fevereiro, março etc. do
ano passado são os termos da progressão aritmética (33 000, 34 500,
36 000, …).
O número de passagens vendidas no mês de julho é o sétimo termo dessa
progressão e vale 33 000 + (7 – 1) . 1 500 = 42 000.
MÓDULO 8 Resposta: D

SEQUÊNCIAS E PROGRESSÃO ARITMÉTICA

1. (IFSP) – A sequência de Fibonacci (1; 1; 2; 3; 5; 8; 13; 21; ...)


começa por dois números 1, e cada termo, a partir do terceiro, é a
soma dos dois termos anteriores.
Nessa sequência, a soma dos algarismos do menor número quadrado
perfeito, diferente de 1, é:
a) 9 b) 10 c) 13 d) 16 e) 19

RESOLUÇÃO:
Os primeiros termos da sequência de Fibonacci são (1; 1; 2; 3; 5; 8; 13;
21; 34; 55; 89; 144; …). O primeiro número quadrado perfeito, diferente
de 1, dessa sequência é 144, cuja soma dos algarismos é 1 + 4 + 4 = 9.
Resposta: A

– 19
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 20

4. (GAVE) – Nas figuras abaixo, estão representados os três


primeiros termos de uma sequência de conjuntos de bolas que segue MÓDULO 9
a lei de formação sugerida na figura.
PROPRIEDADES DA PROGRESSÃO ARITMÉTICA

1. (CEPERJ) – Os sócios do “Clube-Sete” consideram o 7 como o


número da sorte. Para eles, tudo o que se refere ao número 7 é bom e,
naturalmente, para os sócios desse clube, um ano é sortudo quando é
múltiplo de 7. A quantidade de anos sortudos desde a descoberta do
Brasil até hoje foi:
a) Quantas bolas são necessárias para construir o 7°. termo da sequên- a) 72 b) 73 c) 74 d) 75 e) 76
cia?
b) Quantas bolas brancas tem o termo da sequência que tem um total Nota: Entenda “até hoje” como sendo 2011, ano em que a questão foi
de 493 bolas? Mostra como chegaste à tua resposta. proposta pela CEPERJ.

RESOLUÇÃO: RESOLUÇÃO:
As quantidades de bolas em cada figura são termos da progressão arit- 1500, ano da descoberta do Brasil, não é um ano sortudo, pois 1500 não é
mética (5; 9; 13; …) onde o número de bolas pretas (1; 2; 3; …) coincide múltiplo de 7. O primeiro ano sortudo após 1500 é 1505, pois este é
com o índice do termo. múltiplo de 7.
a) Fórmula do termo geral da PA. 2011 não é sortudo, pois 2011 não é múltiplo de 7. O último ano sortudo
an = 5 + (n – 1) . 4 ⇒ an = 4n + 1 antes de 2011 é 2009.
Assim, a7 = 4 . 7 + 1 = 29 Assim, entre 1500 e 2011, foram sortudos os anos de (1505; 1512; 1519; …;
2009), num total de 73 anos, pois:
b) an = 4n + 1 = 493 ⇔ 4n = 492 ⇔ n = 123 an = a1 + (n – 1) . r ⇔ 2009 = 1505 + (n – 1) . 7 ⇔
O termo que possui 493 bolas é o 123o. e ele possui 123 bolas pretas e ⇔ 504 = (n – 1) . 7 ⇔ n = 73
493 – 123 = 370 bolas brancas. Resposta: B
Respostas: a) 29 bolas
b) 370 bolas brancas

2. (UDESC) – Considere as progressões aritméticas:


A: a1, a2, a3, a4, a5.
B: b1, b2, b3, b4, b5.
C: a1 + b1, a2 + b2, a3 + b3, a4 + b4, a5 + b5.
5. (PM RESENDE) – O terceiro termo de uma progressão aritmética Sabendo-se que: a razão de A é 2, o 1o. termo de B é 2 e os termos
é igual a 29,0 e o sexto, 42,5. O décimo-primeiro termo dessa médios de B e C são, respectivamente, 10 e 17, encontre A, B e C.
progressão é o:
a) 44,0 b) 62,5 c) 65,0 d) 78,5 RESOLUÇÃO:
1) Consideremos a sequência B: b1, b2, b3, b4, b5 cujo primeiro termo
RESOLUÇÃO: b1 = 2 e o termo médio b3 = 10.

a   
a3 = 29,0 a + 2r = 29,0 a + 2r = 29,0 r = 4,5 b1 + b3 2 + 10
⇒ 1 ⇒ 1 ⇒ O segundo termo b2 = ––––––– = ––––––– = 6.
6 = 42,5 a1 + 5r = 42,5 3r = 13,5 a1 = 20 2 2
Assim: a11 = a1 + (11 – 1) . r = 20 + 10 . 4,5 = 65,0 A sequência B é (2; 6; 10; 14; 18).
Resposta: C
2) Na sequência C o termo médio é tal que
a3 + b3 = 17 ⇔ a3 + 10 = 17 ⇔ a3 = 7

3) A sequência A, de razão 2 é (3; 5; 7; 9; 11)

Respostas: A = 3; 5; 7; 9; 11
B = 2; 6; 10; 14; 18
C = 5; 11; 17; 23; 29

20 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 21

3. Os três primeiros termos de uma progressão aritmética são ex-


2 2x MÓDULO 10
pressos respectivamente por x – 1; x – –– e ––– + 1. O décimo
3 3
SOMA DOS TERMOS DE
sexto termo dessa progressão é:
a) 5 b) 6 c) 7 d) 8 e) 9
UMA PROGRESSÃO ARITMÉTICA
RESOLUÇÃO: 1.
2 2x a) Mostre que, na progressão aritmética (a1; a2; a3;…; a10;…),
Na PA (x – 1; x – ––– ; ––– + 1; …) temos:
3 3 a7 + a4 = a1 + a10.

2 
2x
(x – 1) + ––– + 1
3  4 5x
b) Calcule, em função de a1 e a10, a soma dos dez primeiros termos da
PA.
x – ––– = –––––––––––––––––– ⇔ 2x – ––– = ––– ⇔
3 2 3 3
RESOLUÇÃO:
⇔ 6x – 4 = 5x ⇔ x = 4
Sr. Professor, utilize o item b deste exercício para comentar a fórmula da
soma dos termos da PA.

 3; –––3 ; –––3 ; …  de razão ––3 , e décimo


10 11 1
A progressão aritmética é a) a7 + a4 = a10 – 3r + a1 + 3r = a1 + a10
b) Como a1 + a10 = a2 + a9 = a3 + a8 = … = a5 + a5, tem-se:
1

⇒
sexto termo a16 = a1 + (16 – 1) . r = 3 + 15 . –– = 8 S10 = a1 + a2 + a3 + … + a8 + a9 + a10
3
S10 = a10 + a9 + a8 + … + a3 + a2 + a1
Resposta: D ⇒ 2S10 = (a1 + a10) + (a1 + a10) + … + (a1 + a10) ⇒

10 vezes

⇒ 2S10 = (a1 + a10) . 10 ⇒ S10 = (a1 + a10) . 5

4. (UFPE) – Um professor resolveu presentear seus cinco melhores


alunos com livros de valores equivalentes a quantias diferentes. Os
valores dos livros recebidos pelos alunos devem estar em progressão
100
aritmética e a soma dos três valores maiores deve ser cinco vezes o
total recebido pelos outros dois. Se cada um deve receber um livro de
2. (FGV) – O valor da expressão (2k + 5) é:
k=1
valor equivalente a uma quantidade inteira de reais, qual a menor
quantia (positiva) que o professor vai desembolsar na compra dos a) 10 400 b) 10 500 c) 10 600
livros? d) 10 700 e) 10 800
a) R$ 90,00 b) R$ 100,00 c) R$ 110,00
RESOLUÇÃO:
d) R$ 120,00 e) R$ 130,00
100
RESOLUÇÃO: (2k + 5) = 7 + 9 + 11 + … + 205 =
Sejam a – 2r, a – r, a, a + r, a + 2r os valores dos livros a serem recebidos k=1
pelos alunos. Temos 3a + 3r = 5(2a – 3r) e, então, 7a = 18r. Como a e r são
inteiros positivos e de menor valor possível, temos a = 18 e r = 7, e o menor (7 + 205) . 100
= –––––––––––––– = 10 600, pois (7, 9, 11, …, 205) é uma progressão
valor a ser gasto pelo professor é 5 a = 5 . 18 = 90 reais. 2
Resposta: A
aritmética finita de 100 termos.
Resposta: C

– 21
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 22

3. (UNICAMP) – Uma curva em formato espiral, composta por A soma dos 20 primeiros termos dessa PA é

 
arcos de circunferência, pode ser construída a partir de dois pontos A 2π . 1 2π . 20
–––––– + ––––––– . 20
e B, que se alternam como centros dos arcos. Esses arcos, por sua vez, 2 2
são semicircunferências que concordam sequencialmente nos pontos –––––––––––––––––––––––– = 210 π
2
de transição, como ilustra a figura a seguir, na qual supomos que a
distância entre A e B mede 1 cm. 25π
Respostas: a) –––– cm2 b) 210π cm
2

4. O número 666, tido como místico para alguns, tem uma coin-
cidência interessante: a quantidade de termos que devemos somar da
sequência (3; 7; 11; …) para obtê-lo é a soma de seus algarismos.
Mostre que isto, de fato, é verdade.

RESOLUÇÃO:
Na progressão aritmética (3; 7; 11; …) temos
an = 3 + (n – 1) . 4 = 4n – 1
a) Determine a área da região destacada na figura. (a1 + an) . n [3 + 4n – 1] . n
Sn = ––––––––––– = –––––––––––––– = 2n2 + n = 666 ⇔
b) Determine o comprimento da curva composta pelos primeiros 20 2 2
arcos de circunferência.
– 1 ± 
12 – 4 . 2 . (– 666)
⇔ 2n2 + n – 666 = 0 ⇔ n = –––––––––––––––––––––– ⇔
RESOLUÇÃO: 4
Os raios R1, R2, R3, …, em centímetros, são respectivamente os termos da – 1 ± 
5329 – 1 ± 73
sequência (1; 2; 3; …). Desta forma, R3 = 3 cm e R4 = 4 cm. ⇔ n = –––––––––––– = –––––––– ⇔ n = 18, pois n ∈ *
4 4
a) A região destacada é composta por dois semicírculos, um de raio R3 e Observe que 18 = 6 + 6 + 6, soma dos algarismos de 666.
outro de raio R4, e tem área, em cm2, igual a

π . 32 π . 42 25π
–––––– + –––––– = ––––
2 2 2

5. (IFSP) – Numa progressão aritmética, a soma de seus n primeiros


termos é 4n2 + n. O décimo termo dessa sequência é:
a) 58 b) 77 c) 95 d) 106 e) 122

RESOLUÇÃO:
a10 = (a1 + a2 + … + a9 + a10) – (a1 + a2 + … + a9) =
= S10 – S9 = (4 . 102 + 10) – (4 . 92 + 9) = 410 – 333 = 77
Resposta: B

b) Os arcos de circunferência que compõem a espiral têm comprimentos,


em cm, dados pelos termos da progressão aritmética

 
2π . 1 2π . 2 2π . 3 2π . 4
–––––– ; –––––– ; –––––– ; –––––– ; … ,
2 2 2 2

2π . 20
cujo vigésimo termo é ––––––– .
2

22 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 23

FRENTE 3 – ÁLGEBRA E TRIGONOMETRIA

4. Completar o expoente de cada potência de base 10.


MÓDULO 1
–3 –2
a) 35 . 10 = 0,035 b) 35 . 10 = 0,35
POTENCIAÇÃO
1. (FATEC) – Se A = (– 3)2 – 22, B = – 32 + (– 2)2 e C = (– 3 – 2)2, –1 1
c) 35 . 10 = 3,5 d) 3,5 . 10 = 35
então C + A . B é igual a:
a) – 150 b) – 100 c) 50 d) 10 e) 0
2 3
e) 0,35 . 10 = 35 f) 0,035 . 10 = 35
RESOLUÇÃO:
A = (– 3)2 – 22 = 9 – 4 = 5
B = – 32 + (– 2)2 = – 9 + 4 = – 5
C = (– 3 – 2)2 = 25
Assim: C + A . B = 25 + 5(– 5) = 0 5. (PUC-RJ-2012) – O valor da expressão 5100 . 10– 5 + 3 . 10– 4 é
igual a:
Resposta: E
a) 0,0513 b) 5,13 c) 0,5103
d) 3,51 e) 540 000

RESOLUÇÃO:
5 100 . 10– 5 + 3 . 10– 4 = 0,051 + 0,0003 = 0,0513

2. (UFPA) – O valor da expressão Resposta: A

y3 1 1
(x3 + y3) x–3 + ––– , para x = –– e y = – –– , é:
x3 2 2

1 1 1 3
a) –– b) –– c) –– d) –– e) –1
2 4 8 8 MÓDULO 2
RESOLUÇÃO:
POTENCIAÇÃO
1 1 1 1
Para x = –– e y = – –– , temos: x3 = –– e y3 = – –– e, portanto,
2 2 8 8 2
1. Sabendo-se que [(54)2 . 53 ] : (53)2 = 5a, então:
x3 + y3 = 0.
–1 a) a = – 5 b) a = 11 c) a = 5
–––
y3 8 d) a = 8 e) a = 23
Assim: (x3 + y3)x –3 + ––– = ––––– = – 1
x3 1
––– RESOLUÇÃO:
Resposta: E 8 2
[(54)2 . 53 ] : (53)2 = 5a ⇔ 58 . 59 : 56 = 5a ⇔ 58 + 9 – 6 = 5a ⇔ a = 11
Resposta: B

2. O quociente de 5050 por 2525 é igual a:


3. Completar:
a) 2525 b) 1025 c) 10025
a) 102 = 10 . 10 = 100 b) 103 = 10 . 10 . 10 = 1000 d) 225 e) 2 . 2525

1 1 RESOLUÇÃO:
c) 10–1 = ––– = 0,1 d) 10–2 = –––– = 0,01 5050 5025 + 25 5025 . 5025
10 100 –––– = –––––––– = ––––––––– =
25 25 25 25 2525
25

 
e) 10–3 = 0,001 f) 4 . 10–3 = 4 . 0,001 = 0,004 50
= ––– . 5025 = 225 . 5025 = (2 . 50)25 = 10025
25
Resposta: C
g) 35 . 10–3 = 35 . 0,001 = 0,035

– 23
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 24

3. Um condomínio possui 6 blocos. Cada bloco possui 6 casas e em 3 6


cada casa moram 6 pessoas. Nesse mesmo condomínio, mora um 2. A expressão 
2 . 
32 + 64 – 
 49 é igual a:
zelador responsável pela manutenção. Diante do exposto, a expressão a) 2 b) 
32 c) 8 d) 
92 e) 10
numérica que determina o número de pessoas que moram nesse
RESOLUÇÃO:
condomínio é
3 6 6
a) 63 + 1 = 217. b) 63 + 1 = 19. 
2 . 
32 + 
64 – 
49 =  64 – 
64 +  43 = 8 + 2 – 8 = 2
c) 3 . 6 + 1 = 19. d) 6 + 6 + 6 + 1 = 19.
Resposta: A
e) 6 . 6 . 6 . 1 = 216.

RESOLUÇÃO:
De acordo com o enunciado, o número de pessoas que moram nesse con-
domínio é 6 . 6 . 6 + 1 = 63 + 1 = 217.
Resposta: A

3. (UNIMES)

4. Sendo x = 240, y = 330 e z = 520, então 


8 – 
72 + 5 
2 = x, logo x é igual a:
a) x < y < z b) x < z < y c) y < z < x a) 4
2 b) 3
2 c) 2
2 d) 
2 e) 2
3
d) z < y < x e) y < x < z
RESOLUÇÃO:
RESOLUÇÃO: 8 – 
 2 = x ⇒ x = 
72 + 5 22 . 2 – 
22 . 2 . 32 + 5
2=
x = 240 = (24)10 = 1610


2 – 2 . 3 . 
= 2 2 = 
2 + 5 2
y = 330 = (33)10 = 2710 Resposta: D
z = 520 = (52)10 = 2510

Como 1610 < 2510 < 2710, concluímos que x < z < y.
Resposta: B

4. Dada a expressão A = 3 . 


 podemos afirmar que o valor
13,
aproximado de A está entre
MÓDULO 3 a) 6 e 7. b) 5 e 6. c) 4 e 5.
d) 3 e 4. e) 2 e 3.
RADICIAÇÃO
RESOLUÇÃO:
3 3 . 
A =  13 = 
39
1. (UNIP) – O valor de 7+ 3– 1 + 
9 é: como 36 < 39 < 49
a) 5 b) 20 c) 3 d) 2 e) 4 conclui-se que 
36 < 
39 < 
49 ⇔ 6 < 
39 < 7
portanto: 6 < A < 7
RESOLUÇÃO: Resposta: A

3 3
7+ 3– 1 + 
9 = 7+ 3– 1+3 =
3 3
= 7+ 3–2 = 7+1=2
Resposta: D

24 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 25

MÓDULO 4 MÓDULO 5
RADICIAÇÃO FATORAÇÃO
3 4
1. (UNICAMP) – Dados os dois números positivos, 
3 e 
4, 1. Fatore as seguintes expressões:
determine o maior.
a) 6a3 + 4a2 + 2ab = 2a (3a2 + 2a + b)
RESOLUÇÃO:
b) (x – y)2 + a(x – y) = (x – y) (x – y + a)
3 12 12

3= 
34 = 

81
4 12 12
4 = 
 43 = 

64
12 12 3 4
Como 
 > 
81  conclui-se que 
64, 3 > 
4. 2. Desenvolva as expressões:
3 a) (a + b) (a – b) = a2 – ab + ab – b2 = a2 – b2
Resposta: O maior é 
3.
b) (x + 2) (x – 2) = x2 – 4
c) (2m + 3) (2m – 3) = 4m2 – 9

6 4
2. Escrevendo a expressão 
3 . 
2 na forma de um único radical
obtém-se
3. (ESPN) – Fatorando a expressão x3 + x2 – 4x – 4, tem-se:
24 12 12 24 12
a) 6 b) 
72 c) 
6 d) 
36 e) 
36 a) x(x2 + x + 4) + 4 b) (x2 + 4)
c) x3 + x2 + 4(x + 1) d) (x + 1)(x + 2)(x – 2)
RESOLUÇÃO:
6 4 12 12 12 12
e) (x + 4)3
 2 = 
3 .  32 . 
23 = 
32 . 23 = 
72
Resposta: B RESOLUÇÃO:
x3 + x2 – 4x – 4 = x2(x + 1) – 4(x + 1) = (x2 – 4)(x + 1) =
= (x + 1)(x + 2)(x – 2)
Resposta: D

3. Racionalizar o denominador de cada fração:


8 3
a) –––––
5
b) –––––

22 
5
RESOLUÇÃO:
5 5
8 
23 8 
8 5
a) –––––– . –––––– = –––––– = 4 
8 4. A diferença 55552 – 44442 é igual a:
5 5 2

2 2 
23
a) 11112 b) 9 . 1112 c) 9992
3 5 3 
5 d) 9 . 11112 e) 9999
b) –––– . ––––– = –––––
5 5 5
RESOLUÇÃO:
55552 – 44442 = (5555 + 4444) . (5555 – 4444) =
= 9999 . 1111 = 9 . 1111 . 1111 = 9 . 11112
Resposta: D
4. (CEFET-BA) – Se 53a = 64, o valor de 5–a é:
1 1 1 1 1
a) – ––– b) ––– c) ––– d) –– e) ––
4 40 20 8 4

RESOLUÇÃO:
3 3
1
53a = 64 ⇒ 
53a = 
64 ⇒ 5a = 4 ⇒ (5a) – 1 = 4 – 1 ⇒ 5 – a = ––– .
4
Resposta: E

– 25
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 26

2 – 
2
5. (FUVEST) – O valor da expressão ––––––– é:

2–1
2. (PUC) – Se 
2 + 
3= 
5 + 2
n, o valor de n é:
a) 0 b) 2 c) 3 d) 5 e) 6
1
a) 
2 b) ––– c) 2 RESOLUÇÃO:

2
 3 = 
2 +  5 + 2 
n ⇒ 2 + 2
6 + 3 = 5 + 2
n ⇒ 
6 = 
n⇒n=6
1
d) –– e) 
2+1 Resposta: E
2

RESOLUÇÃO:

2 – 2 (2 – 2 ) (2 + 1)


–––––––––– = ––––––––––– ––––––––– =
2 – 1 (2 – 1) (2 + 1)

2
2 + 2 – 2 – 
2
= –––––––––––––––––– = 
2
2–1
Resposta: A

3. Fatore as seguintes expressões:


a) x2 – 6x + 9 b) 16 + 8m + m2 c) 3x2y2 + 12xy + 12

RESOLUÇÃO:
a) x2 – 6x + 9 = x2 – 2 . 3x + 32 = (x – 3)2
b) 16 + 8m + m2 = 42 + 2 . 4m + m2 = (4 + m)2
c) 3x2y2 + 12xy + 12 = 3(x2y2 + 2 . 2 . xy + 22) = 3(xy + 2)2

MÓDULO 6
FATORAÇÃO
a2 – b2
1. (UNIFIL) – Se x + y = 5 e xy = 5, então + x2 y2 é: 4. (PUC-MG) – O valor da fração –––––––––––––– , quando
a2 + 2ab + b2
a) 20 b) 18 c) 26 d) 15 e) 16
a = 51 e b = 49, é:
RESOLUÇÃO: a) 0,02 b) 0,20 c) 2,00 d) 20,0
x + y = 5 ⇒ x2 + 2xy + y2 = 25 ⇒ x2 + y2 = 25 – 10 ⇒ x2 + y2 = 15
Resposta: D RESOLUÇÃO:
a2 – b2 (a + b)(a – b) a–b
––––––––––––– = ––––––––––––– = ––––––
a2 + 2ab + b2 (a + b)2 a+b

Para a = 51 e b = 49, temos:


a–b 51 – 49 2
–––––– = –––––––– = ––––– = 0,02
a+b 51 + 49 100
Resposta: A

26 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 27

3. (PUC-2012) – Abílio (A) e Gioconda (G) estão sobre uma


MÓDULO 7 superfície plana de uma mesma praia e, num dado instante, veem sob
respectivos ângulos de 30° e 45°, um pássaro (P) voando, conforme é
FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS representado na planificação abaixo.
DE UM ÂNGULO AGUDO

1. Determine o valor de x nas figuras abaixo:

RESOLUÇÃO:
Considerando desprezíveis as medidas das alturas de Abílio e
x 1 x Gioconda e sabendo que, naquele instante, a distância entre A e G era
a) sen 30° = –––––– ⇒ ––– = –––––– ⇔ x = 5 cm
10 cm 2 10 cm de 240 m, então a quantos metros de altura o pássaro distava da
superfície da praia?
10 cm 1 10 cm
b) cos 60° = –––––– ⇒ ––– = –––––– ⇔ x = 20 cm a) 60(
3 + 1) b) 120(
3 – 1)
x 2 x
3 + 1)
c) 120( d) 180(
3 – 1)
3
3 cm 3
3 cm 3 + 1)
e) 180(
c) tg 60° = –––––––– ⇒ 
3 = –––––––– ⇔ x = 3 cm
x x
RESOLUÇÃO:

2. (MACKENZIE) – Em um triângulo retângulo, a medida da


hipotenusa é o dobro da medida de um dos catetos. O ângulo oposto
ao menor lado desse triângulo mede:
a) 36° b) 60° c) 45° d) 30° e) 72°

RESOLUÇÃO:
A partir do enunciado, considere o triângulo abaixo: Sendo h a altura pedida, de acordo com os dados da figura temos:

3 h
tg 30° = –––– = ––––––––
3 240 – h
240 – h = 
3h
(1 + 
3)h = 240
240
3 – 1)
h = –––––––– = 120(
1 + 
3

Resposta: B
Como x2 + a2 = 4a2 ⇔ x = a
3, teremos como menor lado do triângulo o
de medida a, e θ, o ângulo oposto ao menor lado.

a 1
Portanto: sen θ = –––– = ––– ⇒ θ = 30°
2a 2
Resposta: D

– 27
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 28

3. (UN.ESTÁCIO DE SÁ) – Simplificando a expressão


MÓDULO 8 y = sen 17° . cotg 17° . cotg 73° . sec 73°, encontramos:
a) – 2 b) – 1 c) 2 d) 1 e) 5
FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS
DE UM ÂNGULO AGUDO (CONTINUAÇÃO) RESOLUÇÃO:
cos 17° cos 73° 1
y = sen 17° . –––––––– . –––––––– . –––––––– ⇒
1. (U.F.VIÇOSA) – Satisfeitas as condições de existência, a expres- sen 17° sen 73° cos 73°

  . cossec x é idêntica a:
1 – sen2x cos 17°
são E = ––––––––– ⇒ y = –––––––– = 1 pois 17° e 73° são medidas de ângulos complemen-
cotg x sen 73°

a) sen x b) cos x c) 1 d) 0 e) sec x tares.


Resposta: D
RESOLUÇÃO:

–––––––––
cotg x 
2
1 – sen x cos2x 1 cos2x
E= . cossec x = –––––––– . ––––– = ––––––– = cos x
cos x sen x cos x
––––––
sen x
Resposta: B

4. (FUVEST) – A uma distância de 40m, uma torre é vista sob um


ângulo α, como mostra a figura.

2 Usando a tabela a seguir, determine a altura da torre, supondo


2. Sendo sen x + cos x = ––– , obter o valor da expressão
3 α = 20°. Efetue os cálculos.
sen x . cos x. x sen x° cos x°
RESOLUÇÃO: 10 0,174 0,985
Elevando ambos os membros da igualdade ao quadrado, temos: 11 0,191 0,982
4 12 0,208 0,978
sen2x + 2 . sen x . cos x + cos2x = ––– ⇒
9 13 0,255 0,974
4 5
⇒ 2 . sen x . cos x = ––– – 1 ⇒ sen x . cos x = – ––– 14 0,242 0,970
9 18
15 0,259 0,966
5
Resposta: – ––– 16 0,276 0,961
18
17 0,292 0,956
18 0,309 0,951
19 0,326 0,946
20 0,342 0,940
21 0,358 0,934
22 0,375 0,927
23 0,391 0,921
24 0,407 0,914
25 0,423 0,906
26 0,438 0,899
27 0,454 0,891
28 0,470 0,883
29 0,485 0,875
30 0,500 0,866

28 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 29

RESOLUÇÃO: 2. A medida, em radianos, de um arco de 210° é:


• De acordo com a tabela: sen 20° = 0,342 e cos 20° = 0,940 π 5π 7π
a) ––– b) ––– c) –––
0,342 6 6 6
Assim, tg 20° = ––––––  0,3638
0,940
11π π
d) –––– e) –––
• De acordo com a figura: 6 3
h
tg 20° = ––––– ⇒ RESOLUÇÃO:
40 m
180° ⇔ π
 ⇔ 180°x = 210°π ⇔ x = ––––

⇒ h  40 . 0,3638 m ⇒ 6
210° ⇔ x
⇒ h  14,552 m Resposta: C

Resposta: A altura aproximada da torre é 14,552 m.

3. (MACKENZIE) – O ponteiro dos minutos de um relógio mede


4 cm. Supondo π = 3, a distância, em centímetros, que a extremidade
desse ponteiro percorre em 25 minutos é:
a) 15 b) 12 c) 20 d) 25 e) 10

RESOLUÇÃO:

MÓDULO 9
ARCOS DA CIRCUNFERÊNCIA

1. Completar a tabela a seguir.

MEDIDA DE UM ÂNGULO

em graus em radianos

0° 0


30° π/6 Em 25 minutos, a extremidade do ponteiro percorre um arco AB cuja
medida, em centímetros, é tal que
 25 min 5
45° π/4 comp (AB) = –––––––– . 2π R = –––– . 2 . 3 . 4 = 10
60 min 12
Resposta: E
60° π/3

90° π/2

180° π

270° 3π/2

360° 2π

– 29
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 30

4. (UDESC-2012) – O relógio Tower Clock, localizado em Londres,


Inglaterra, é muito conhecido pela sua precisão e tamanho. O ângulo
interno formado entre os ponteiros das horas e dos minutos deste
relógio, desprezando suas larguras, às 15 horas e 20 minutos é:
π π π π π
a) ––– b) ––– c) ––– d) ––– e) –––
12 36 6 18 9

RESOLUÇÃO:

RESOLUÇÃO:
a) {30° + n . 360°, n ∈ } b) {30° + n . 180°, n ∈ }
c) {2π/3 + n . 2π , n ∈ } d) {2π/3 + n . π , n ∈ }

2. Determine no ciclo trigonométrico a seguir a primeira deter-


minação positiva (em graus e radianos) dos arcos com extremidades
indicadas.

Sendo α a medida do menor ângulo formado pelos ponteiros do relógio e


β a medida do ângulo descrito pelo ponteiro menor em 20 minutos, temos:


20
β = –––– . 30°

β = 10°
60 ⇒
α = 20°
α + β = 30°

π
Obs.: 20° é equivalente a ––– .
9
Resposta: E

RESOLUÇÃO:

MÓDULO 10
ARCO OU ÂNGULO TRIGONOMÉTRICO
1. Escreva o conjunto das determinações dos arcos trigonométricos
assinalados em cada figura. 3. Obter a primeira determinação positiva do arco de medida 1110°.

RESOLUÇÃO:
Observando que 1110° = 30° + 3 . 360°, concluímos que a primeira
determinação positiva do arco de medida 1110° é 30°.
Resposta: 30°

30 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 31

FRENTE 4 – GEOMETRIA PLANA

MÓDULO 1
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA GEOMETRIA PLANA

1. (F. IBERO-AMERICANA-SP) – Dois ângulos opostos pelo


vértice medem 3x + 10° e x + 50°. Um deles mede:
a) 30° b) 25° c) 50° d) 20° e) 70°

RESOLUÇÃO:

3. (UNIRIO) – As retas r1 e r2 são paralelas. O valor do ângulo α,


apresentado na figura a seguir, é:
a) 40° b) 45° c) 50° d) 65° e) 130°
3x + 10° = x + 50° ⇔ 2x = 40° ⇔ x = 20°
A medida do ângulo é: x + 50° = 20° + 50° = 70°
Resposta: E

2. (UESB) – Sabendo-se que r//s e t é uma transversal a r e a s,


conforme a figura seguinte, é correto afirmar: RESOLUÇÃO:
a) x mede 80°, y e z são correspondentes.
b) y mede 100°, x e z são suplementares.
c) z mede 80°, x e y são opostos pelo vértice.
d) y mede 80°, x e z são alternos externos.
e) z mede 100°, y e x são alternos internos.

Pelo vértice do ângulo reto, traça-se a reta r3, tal que r3 // r1 // r2.
Assim: α + 50° = 90° ⇔ α = 40°
Resposta: A

RESOLUÇÃO:
1) x = 80° (opostos pelo vértice)
2) y = 80° (correspondentes)
3) z + y = 180° (suplementares)
Assim:
z + 80° = 180° ⇔ z = 100°
4) y = x (alternos internos)
Portanto: z = 100°, y e x são alternos internos.
Resposta: E

– 31
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 32

4. (OBM) – Três quadrados são colados pelos seus vértices entre si


e a dois bastões verticais, como mostra a figura. MÓDULO 2
TRIÂNGULOS: DEFINIÇÃO E PROPRIEDADES

1. (FUVEST-SP) – As retas t e s são paralelas. A medida do ângulo


x, em graus, é:
a) 30 b) 40 c) 50 d) 60 e) 70

A medida do ângulo x é:
a) 39° b) 41° c) 43° d) 44° e) 46°

RESOLUÇÃO:

RESOLUÇÃO:

Sendo y a medida em graus do outro ângulo agudo desse triângulo


retângulo, tem-se:
1) y + 120° = 140° (ângulos alternos internos) ⇒ y = 20°
2) x + y = 90° ⇒ x = 90° – y
x + 51° = 90° ⇔ x = 39° Assim: x = 70°
Resposta: A Resposta: E

32 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 33

— ^ ^ ^
2. (UFRN) – Na figura adiante, o ângulo θ mede: Como AB é bissetriz do ângulo CAD, temos: C AB = B AD = x
a) 96° Assim:
b) 94° 43° + 2x = 86° x = 21,5°
c) 93°  α + x = 86° ⇔  α + x = 86°
d) 92°
e, portanto, α + 21,5° = 86° ⇔ α = 64,5°
e) 91°
Resposta: D

RESOLUÇÃO:

^
4. Na figura seguinte, BD é bissetriz do ângulo ABC e CE é bissetriz
^
do ângulo ACB. O valor de x é:
a) 75° b) 70° c) 60° d) 45° e) 40°

No triângulo ABC, de acordo com o teorema do ângulo externo tem-se:


θ = 59° + 33° ⇔ θ = 92°
Resposta: D

RESOLUÇÃO:


3. (MACKENZIE) – Na figura, AB é bissetriz do ângulo de vértice
A. A medida de α é:
a) 63° b) 63,5°
c) 64° d) 64,5°
e) 65°

α + 2β + 70° = 180° α + 2β = 110°


I)
 2α + β + 80° = 180° ⇔  2α + β = 100° ⇔

⇔ α = 30° e β = 40°
II) α + x = 70° ⇔ 30° + x = 70° ⇔ x = 40°
RESOLUÇÃO:
Resposta: E

– 33
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 34

RESOLUÇÃO:
MÓDULO 3
TRIÂNGULOS: CLASSIFICAÇÃO E CONGRUÊNCIA No triângulo CEF, isósceles, tem-se
^ ^
CEF = CFE = 40°.
1. (OBM) – Na figura, os dois triângulos são equiláteros. Qual é o
No triângulo ABC, também isósce-
valor do ângulo x? ^ ^
les, tem-se ABC = ACB = 80°.
No triângulo BDE, o ângulo externo
β é tal que
^ ^
β = DBE + DEB = 80° + 40° = 120°.
Resposta: B

a) 30° b) 40° c) 50° d) 60° e) 70°

RESOLUÇÃO:

3. (UFES) – Um dos ângulos internos de um triângulo isósceles


mede 100°. Qual é a medida do ângulo agudo formado pelas bissetrizes
dos outros ângulos internos?
No triângulo ABC, tem-se:
a) 20° b) 40° c) 60° d) 80° e) 140°
x + 60° + 80° = 180° ⇔ x = 40°
Resposta: B RESOLUÇÃO:

1) 2x + 2x + 100° = 180° ⇔ x = 20°


2) α = x + x ⇔ α = 2x
2. (MACKENZIE) – Na figura, AB = AC e CE = CF. A medida de
Assim, α = 40°.
β é:
Resposta: B
a) 90°

b) 120°

c) 110°

d) 130°

e) 140°

34 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 35

4. No triângulo retângulo ABC da figura, temos:


^ ^
BAC = 90°, M AH = 20°, BM = MC e AH ⊥ BC. Os ângulos B e C
^ ^ MÓDULO 4
medem, respectivamente: POLÍGONOS: DEFINIÇÃO,
a) 20° e 70° b) 25° e 65° c) 30° e 60° CLASSIFICAÇÃO E PROPRIEDADES
d) 35° e 55° e) 40° e 50°
1. (AMAN) – O polígono convexo em que o triplo do número de
vértices é igual ao total de diagonais é o
a) eneágono. b) dodecágono. c) hexágono.
d) heptágono. e) icoságono.

RESOLUÇÃO:
n(n – 3)
3n = d ⇔ 3n = –––––––– ⇔ n – 3 = 6, pois n ≠ 0
2
Assim: n = 9
Resposta: A
RESOLUÇÃO:

2. (UFSCar) – Um polígono regular com exatamente 35 diagonais


tem
— a) 6 lados. b) 9 lados. c) 10 lados.
I) Como o triângulo ABC é retângulo em A e M é ponto médio de BC, d) 12 lados. e) 20 lados.
temos:
^ ^
BM = MC = AM e, portanto, M BA = M AB = x. RESOLUÇÃO:
II) No ΔAHB, temos: n . (n – 3)
––––––––– = 35 ⇔ n2 – 3n – 70 = 0
x + 90° + 20° + x = 180° ⇔ x = 35° 2
III) No ΔABC, temos: 3 ± 17
Assim: n = ––––––– ⇔ n = 10, pois n ⭓ 3
x + 90° + y = 180° ⇔ 35° + 90° + y = 180° ⇔ y = 55° 2
Resposta: D Resposta: C

3. A soma dos ângulos internos de um eneágono convexo é igual a


a) 540° b) 720° c) 900°
d) 1080° e) 1260°

RESOLUÇÃO:
Si = (9 – 2) . 180° = 1260°
Resposta: E

– 35
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:15 Página 36

4. (USF) – O polígono regular cujo ângulo interno mede o triplo do Em um paralelogramo, os ângulos opostos são congruentes e a soma dos
ângulo externo é o quatro ângulos internos é igual a 360°.
a) pentágono b) hexágono c) octógono Assim: x + 3x + x + 3x = 360° ⇔ 8x = 360° ⇔ x = 45°
d) decágono e) dodecágono Resposta: A

RESOLUÇÃO:
^ (n – 2)180° 360° 3 . 360°
ai = 3 . ^ae ⇔ –––––––––– = 3 . ––––– ⇔ n – 2 = ––––––– ⇔
n n 180°

⇔n–2=6⇔n=8
Resposta: C

5. (FUVEST) – Dois ângulos internos de um polígono convexo 2. (UNIP) – O quadrilátero ABCD da figura seguinte é um quadrado
^
medem 130° cada um e os demais ângulos internos medem 128° cada e o triângulo CDE é equilátero. A medida θ do ângulo DBE é igual a:
um. O número de lados do polígono é a) 15° b) 20° c) 25° d) 30° e) 35°
a) 6 b) 7 c) 13 d) 16 e) 17

RESOLUÇÃO:
Sendo n(n ≥ 3) o número de lados desse polígono convexo, tem-se:
2 . 130° + (n – 2) . 128° = (n – 2) . 180° ⇔
⇔ 260° + (n – 2) . 128° = (n – 2) . 180° ⇔
⇔ 260 + 128n – 256 = 180n – 360 ⇔
⇔ 128n – 180n = – 360 – 260 + 256 ⇔ – 52n = – 364 ⇔ n = 7
Resposta: B
RESOLUÇÃO:

O triângulo CBE é isósceles de base BE, pois BC = CE.


Assim, sendo α a medida, em graus, de cada um dos ângulos internos da
base desse triângulo, temos:
I) α + α + 90° + 60° = 180° ⇔ α = 15°
MÓDULO 5 II) θ + α = 45°
Assim: θ + 15° = 45° ⇔ θ = 30°
QUADRILÁTEROS NOTÁVEIS Resposta: D
E LINHAS PROPORCIONAIS

1. (UNIFESP) – Em um paralelogramo, as medidas de dois ângulos


internos consecutivos estão na razão 1:3. O ângulo menor desse para-
lelogramo mede
a) 45° b) 50° c) 55° d) 60° e) 65°

RESOLUÇÃO:

36 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 37

3. (UNIRIO)
No desenho ao lado apresentado, as MÓDULO 6
frentes para a rua A dos quarteirões I
e II medem, respectivamente, 250 m
SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS
e 200 m, e a frente do quarteirão I
para a rua B mede 40 m a mais do 1. (VUNESP) – Um observador situado num ponto O, localizado na
que a frente do quarteirão II para a margem de um rio, precisa determinar sua distância até um ponto P,
mesma rua. Sendo assim, pode-se afirmar que a medida, em metros, localizado na outra margem, sem atravessar o rio. Para isso, marca,
da frente do menor dos dois quarteirões para a rua B é: com estacas, outros pontos do lado da margem em que se encontra, de
a) 160 b) 180 c) 200 d) 220 e) 240 tal forma que P, O e B estão alinhados entre si e P, A e C também. Além
disso, OA é paralelo a BC, OA = 25 m, BC = 40 m e OB = 30 m,
RESOLUÇÃO: conforme figura.

De acordo com o Teorema Linear de Tales, tem-se:

250 x + 40 A distância, em metros, do observador em O até o ponto P é:


––––– = ––––––– ⇔ x = 160
200 x a) 30 b) 35 c) 40 d) 45 e) 50
Resposta: A
RESOLUÇÃO:

4. (UnB) – Determine o valor de x, com os dados da figura abaixo,


na qual r, s e t são retas paralelas.
↔ ↔
Como OA é paralelo a BC, os triângulos POA e PBC são semelhantes e,
portanto,

PO OA PO 25 m
–––– = –––– ⇔ –––––––––– = ––––– ⇔ PO = 50 m
PB BC PO + 30 m 40 m

Resposta: E

RESOLUÇÃO:
Do Teorema de Tales, temos:
x + 20 x + 10
–––––––– = ––––––– ⇔ (x + 20). (x – 18) = (x + 10). (x – 16) ⇔ x = 25
x – 16 x – 18
Resposta: x = 25

– 37
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 38

2. (UNICAMP) – Uma rampa de inclinação constante, como a que RESOLUÇÃO:


dá acesso ao Palácio do Planalto em Brasília, tem 4 metros de altura
na sua parte mais alta. Uma pessoa, tendo começado a subi-la, nota
que após caminhar 12,3 metros sobre a rampa está a 1,5 metro de
altura em relação ao solo.
a) Faça uma figura ilustrativa da situação descrita.
b) Calcule quantos metros a pessoa ainda deve caminhar para atingir
o ponto mais alto da rampa.

RESOLUÇÃO:
a)
Os triângulos ABC e ADG são semelhantes pelo critério (AA~). Assim,
suas bases e suas alturas são, respectivamente, proporcionais.
2x h–x
Logo, ––– = ––––– ⇔ 2hx = bh – bx ⇔
b h

bh
⇔ (2h + b) x = bh ⇔ x = ––––––
2h + b
b) 20,5 metros Resposta: D
12,3 + x 4 123 + 10x 40
––––––––– = –––– ⇔ –––––––––– = –––– ⇔
12,3 1,5 123 15
⇔ 123 + 10x = 328 ⇔ 10x = 205 ⇔ x = 20,5

4. Com os dados da figura, calcule x.

RESOLUÇÃO:
^ ^ ^
I) ΔABC ~ ΔDEC pelo critério (AA~), pois A ≅ D e C é comum.

BC AC x+3 6
II) –––– = –––– ⇔ –––––– = ––– ⇔ x = 7
3. (FUVEST) – O triângulo ABC tem altura h e base b (ver figura). EC DC 5 3
Nele, está inscrito o retângulo DEFG, cuja base é o dobro da altura.
Nessas condições, a altura do retângulo, em função de h e b, é dada
pela fórmula

a) bh b) 2bh c) bh
––––– ––––– ––––––
h+b h+b h + 2b

d) bh e) bh
––––– –––––––
2h + b 2(h + b)

38 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 39

2
MÓDULO 7 ᐉ 3ᐉ2 ᐉ
  =ᐉ
3
h2 + –– 2 ⇔ h2 = –––– ⇔ h = ––––
2 4 2
RELAÇÕES MÉTRICAS Resposta: D
NOS TRIÂNGULOS RETÂNGULOS
1. A diagonal de um quadrado de lado “ᐉ” mede:
ᐉ
3 ᐉ
2
a) 2ᐉ b) ––––– c) ––––– d) ᐉ
2 e) 

2 2
RESOLUÇÃO:

3. (MACKENZIE) – As bases de um trapézio isósceles medem


7 e 13. Se a altura do trapézio é 4, o seu perímetro é:
a) 27 b) 25 c) 20 d) 30 e) 40

RESOLUÇÃO:

No triângulo retângulo BAC, de acordo com o Teorema de Pitágoras,


tem-se:

d2 = ᐉ2 + ᐉ2 ⇔ d = 
2ᐉ2 ⇔ d = ᐉ 
2
Resposta: D

Os triângulos ADE e BCF da figura são retângulos, congruentes e de


catetos medindo 3 e 4.

Desta forma, AD = BC = 


32 + 42 = 5.
O perímetro do trapézio ABCD, isósceles, é:
AB + BC + CD + DA = 7 + 5 + 13 + 5 = 30
Resposta: D

2. A altura de um triângulo equilátero de lado “ᐉ” mede:


ᐉ ᐉ
2 ᐉ
3
a) –– b) ––––– c) ᐉ
2 d) ––––– e) ᐉ
3
2 2 2

RESOLUÇÃO:

No triângulo retângulo MBC, de acordo com o Teorema de Pitágoras,


tem-se:

– 39
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 40

4. (UFPE) – Na figura abaixo, o triângulo ABC é equilátero e cada 5. (USF) – A figura seguinte representa como 5 sabonetes esféricos,
––
um de seus lados mede 8 cm. Se AD é uma altura do triângulo ABC tangentes uns aos outros e às paredes da caixa de secção quadrada,
–– ––
e M é o ponto médio de AD, então a medida de CM é: poderiam ser dispostos. Sendo 16 cm o comprimento do lado do
quadrado, então o raio do sabonete esférico central, em centímetros,
1 3 mede:
a) ––– cm b) ––– cm
2 2
a) 
2–1

c) 7 cm d) 27 cm b) 2


2–2

c) 4
2–2
2
e) ––– cm
2 d) 4
2–4

e) 
2
RESOLUÇÃO:
AB3 8
3
1) AD = –––––– ⇔ AD = ––––– ⇔ AD = 4
3
2 2

BC 8
2) DC = –––– ⇔ DC = ––– ⇔ DC = 4
2 2
RESOLUÇÃO:

AD 4
3
3) DM = –––– ⇔ DM = ––––– ⇔ DM = 2
3
2 2

4) (CM)2 = (DM)2 + (DC)2

Assim: (CM)2 = (23)2 + 42 ⇔ (CM)2 = 28 ⇔ CM = 


28 ⇔ CM = 27
Resposta: D

Seja r a medida, em centímetros, do raio do sabonete esférico central.


4 + r + r + 4 = 8
2 (diagonal do quadrado ABCD).
Assim:
8
2–8
8 + 2r = 8
2 ⇔ 2r = 8
2 – 8 ⇔ r = –––––––––
2 ⇔ r = 4
2–4

Resposta: D

40 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 41

3. Na figura seguinte, o ponto I é o centro da circunferência inscrita


MÓDULO 8 no triângulo ABC.

LUGARES GEOMÉTRICOS
E PONTOS NOTÁVEIS DO TRIÂNGULO

1. (VUNESP) – Defina baricentro de um triângulo.

RESOLUÇÃO:
O baricentro é o centro de gravidade do triângulo. Ele é determinado pela
intersecção das medianas do triângulo e divide cada mediana na razão
2 : 1.

Pode-se afirmar que


a) I é o baricentro do triângulo ABC.
PB = 2 . BMP b) I é o ortocentro do triângulo ABC.
QB = 2 . BMQ c) I é o ponto de intersecção das medianas do triângulo ABC.
d) I é o ponto de intersecção das bissetrizes dos ângulos internos do
RB = 2 . BMR
triângulo ABC.
e) I é o ponto de intersecção das mediatrizes dos lados do triângulo
ABC.

RESOLUÇÃO:
I é o incentro do triângulo ABC e, portanto, trata-se do ponto de intersec-
ção das bissetrizes dos ângulos internos do triângulo ABC.
Resposta: D

4. Na figura seguinte, o ponto C é o centro da circunferência circuns-


crita ao triângulo DEF.

2. Como se chama o ponto H das figuras a seguir?

RESOLUÇÃO: Pode-se afirmar que


Ortocentro, pois é sempre o ponto de intersecção das retas suportes das
alturas dos triângulos.
a) C é o baricentro do triângulo DEF.
b) C é o incentro do triângulo DEF.
c) C é o ponto de intersecção das medianas do triângulo DEF.
d) C é o ponto de intersecção das alturas do triângulo DEF.
e) C é o ponto de intersecção das mediatrizes dos lados do triângulo
DEF.

RESOLUÇÃO:
C é o circuncentro do triângulo DEF e, portanto, trata-se do ponto de
intersecção das mediatrizes dos lados do triângulo DEF.
Resposta: E

– 41
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 42

5. (MACKENZIE) – O lado de um triângulo equilátero inscrito em 2. (PUC) – O ângulo x, da figura a seguir, mede:
uma circunferência mede 2
3. O raio da circunferência é igual a:
a) 
3 b) 2 c) 2
3 d) 4 e) 3
3

RESOLUÇÃO:

a) 60° b) 80° c) 90° d) 100° e) 120°

RESOLUÇÃO:
2

 
x 9x2
x + –– + ( 3)2 ⇔ ––– = 9 ⇔ x2 = 4 ⇔
3)2 = (2 x=2
2 4
Resposta: B

70° + 90°
x = ––––––––– ⇔ x = 80°
2

MÓDULO 9 Resposta: B

ÂNGULOS NA CIRCUNFERÊNCIA
E POTÊNCIA DE PONTO

1. (FUVEST) – Os pontos A, B e C pertencem a uma circunferência


γ e AC é lado de um polígono regular inscrito em γ. Sabendo que o 3. (MACKENZIE) – Na figura, as circunferências têm o mesmo
짰 짰 짰 짰
ângulo AB̂C mede 18°, podemos concluir que o número de lados do centro O e os menores arcos AB e EF são tais que AB = EF = 40°.
polígono é igual a:
a) 5 짰
A medida do menor arco CD é:
b) 6
c) 7 a) 50° b) 70° c) 65°
d) 10 d) 60° e) 80°
e) 12

RESOLUÇÃO:
Se o ângulo AB̂C mede 18°, então o ângulo central AÔC desse polígono
RESOLUÇÃO:
regular mede 36°.


40°
Assim, sendo n o número de lados desse polígono regular, tem-se: α = ––––
2
360°
n = –––––– ⇔ n = 10 ⇒
x – 40°
36° α = –––––––
2
Resposta: D

x – 40° 40°
⇒ ––––––– = –––– ⇒ x = 80°
2 2
Resposta: E

42 –
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 43

4. (FUVEST) – O valor de x, na figura abaixo, é:


a) 20/3 MÓDULO 10
b) 3/5 ÁREAS DAS FIGURAS PLANAS
c) 1
d) 4 1. A área S de um triângulo equilátero de lado “ᐉ” é dada por:

e) 15
a) S = ᐉ2
ᐉ2
b) S = ––– ᐉ2 
2
c) S = –––––
2 3
RESOLUÇÃO:

ᐉ2  ᐉ2 
3
x . 10 = 3 . 2 ⇔ x = –– 3 3
5 d) S = ––––––– e) S = ––––––
4 2
Resposta: B

RESOLUÇÃO:
ᐉ . ᐉ . sen 60° ᐉ2 3
S = ––––––––––––– ⇔ S = –––––––
2 4
Resposta: D

2. (FUVEST) – Na figura seguinte, estão representados um


quadrado de lado 4, uma de suas diagonais e uma semicircunferência
de raio 2.
Então a área da região hachurada é:
π
a) –– + 2 b) π + 2
2
c) π + 3 d) π + 4
5. O valor de x na figura seguinte é:
a) 2 b) 4,5 c) 10 d) 16 e) 24 e) 2π + 1

RESOLUÇÃO:

RESOLUÇÃO:
x . (x + 8) = 12 . (12 + 3) ⇔ x = 10
Resposta: C

––
A semicircunferência e a diagonal AC passam pelo centro O do quadrado
ABCD de lado 4.
Assim, a área S da região hachurada é igual à soma das áreas do triângulo
retângulo MOA e do setor circular MOB, ou seja:
2.2 1
S = –––– + ––– . π . 22 ⇔ S = π + 2
2 4

Resposta: B

– 43
C1_SOROCABA_EXER_MAT_2014_Rose 03/12/13 14:16 Página 44

3. (UNIFESP) – Um comício deverá ocorrer num ginásio de 4. (FUVEST) – Numa circunferência de raio 1 está inscrito um
esportes, cuja área é delimitada por um retângulo, mostrado na figura. quadrado. A área da região interna à circunferência e externa ao
quadrado é:
a) maior que 2. b) igual à área do quadrado.
c) igual a π2 – 2. d) igual a π – 2.
e) igual a π/4.

RESOLUÇÃO:

Por segurança, a coordenação do evento limitou a concentração, no


local, a 5 pessoas para cada 2 m2 de área disponível. Excluindo-se a área
ocupada pelo palanque, com a forma de um trapézio (veja as dimensões
da parte hachurada na figura), quantas pessoas, no máximo, poderão
participar do evento?
a) 2700 b) 1620 c) 1350 d) 1125 e) 1050

RESOLUÇÃO:
A área disponível para o evento, em metros quadrados, é dada pela
diferença entre as áreas do retângulo e do trapézio. I) A = π . 12 = π

II) No ΔABC, temos: ᐉ 2 + ᐉ 2 = 22 ⇒ 2ᐉ 2 = 4 ⇒ ᐉ 2 = 2 ⇒ A = 2


 
18 + 12
Assim: A = 30 . 18 – ––––––––– . 6 = 540 – 90 = 450 m2
2 III) A = A – A = π – 2

Como a concentração de pessoas está limitada a 5 pessoas para cada 2 m2 Resposta: D

de área disponível, o número máximo de pessoas que poderão participar


do evento é igual a:

 –––––  . 5 = 1125 pessoas


450
2

Resposta: D

44 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:28 Página 45

7. (x – 1) (x2 – 5x + 6) = 0
FRENTE 1
MÓDULO 1 x2 – 4x + 3
8. –––––––––– = 0
x–3
EQUAÇÕES DO 1o. GRAU
9. (FUVEST) – O conjunto verdade da equação
Resolva, em ⺢, as equações dos exercícios 1 e 2. x+2 2 –1
–––––– + –––––– = –––– é
1. 3 . (x – 1) + 6 = 0 2 x–2 2
2 (x + 1) 3 (x + 2) x+1 a) { – 2} b) {– 2; – 1} c) {2; – 1}
2. –––––––– – –––––––– = ––––––
3 4 6 d) Ø e) {– 2; 1}

3. Resolva, em ⺢, as igualdades
a) 5 . (x – 3) = x + 4 . (x – 2) b) 3 . (2x – 1) + 1 = 2 . (3x – 1) 10.(UNICAMP) – Uma transportadora entrega, com caminhões, 60
toneladas de açúcar por dia. Devido a problemas operacionais, em um
certo dia cada caminhão foi carregado com 500kg a menos que o usual,
x+3 x–2 tendo sido necessário, naquele dia, alugar mais 4 caminhões.
4. O valor de x que satisfaz a equação 3x – ––––– = 5 – ––––– é
2 3 a) Quantos caminhões foram necessários naquele dia?
43 35 b) Quantos quilos transportou cada caminhão naquele dia?
a) 1 b) zero c) ––– d) 4 e) –––
17 17
MÓDULO 3
5. Numa prova de triatlo, um nono dos competidores inscritos
desistiram após a primeira etapa. Um terço dos restantes foram EQUAÇÕES DO 2o. GRAU (PROPRIEDADES)
desclassificados após a segunda etapa. Os demais, em número de 48,
concluíram a prova. O número de atletas que se inscreveram para essa
competição está entre 1. (UNICAMP) – Determine o valor de m na equação

冢 冣
a) 50 e 60. b) 60 e 70. c) 70 e 80. m–1
8x2 + 2x – –––––– = 0, de modo que o produto de suas raízes seja
d) 80 e 90. e) 90 e 100. 2
– 15
6. (UFG) – Certa pessoa entra na igreja e diz a um santo: se você igual a ––––– .
8
dobrar a quantia de dinheiro que eu tenho, dou-lhe R$ 20 000,00. Dito
isto, o santo realizou o milagre, e a pessoa, o prometido. Muito anima-
da, ela repetiu a proposta, e o santo, o milagre. Feito isto, esta pessoa 2. (UFG) – Para que a soma das raízes da equação
saiu da igreja sem qualquer dinheiro. Pergunta-se: quanto em dinheiro (k – 2)x2 – 3kx + 1 = 0 seja igual ao seu produto, devemos ter
a pessoa possuía ao entrar na igreja?
1 –1 1 兹苵苵
3
a) k = ± –– b) k = ––– c) k = –– d) k = 兹苵苵
3 e) k = –––
3 3 3 3
MÓDULO 2
3. A soma dos quadrados das raízes da equação
EQUAÇÕES DO 2o. GRAU x2 – 12x + m = 0 é igual a 90. O número real m é tal que
a) m é par. b) m é divisível por 9.
Resolva, em ⺢, as equações de 1 a 8. c) m é primo. d) m é quadrado perfeito.
e) m é divisível por 12.
1. 6x2 – x – 1 = 0
4. (CATÓLICA SANTOS) – Na equação do 2o. grau ax2+bx+c = 0,
2. x2 – 8x + 7 = 0
os números a e c têm sinais contrários. Pode-se afirmar que
1) a equação tem duas raízes de sinais contrários.
3. x2 – 6x + 9 = 0 2) a equação tem duas raízes reais positivas.
3) a equação tem duas raízes reais negativas.
4. x2 – 2x + 5 = 0 4) a equação pode não ter raízes reais.

5. 3x2 + 12x = 0 5. O conjunto verdade da equação (x2 + 1)2 – 7(x2 + 1) + 10 = 0 é


a) {– 1; – 2} b) {2; 1} c) {– 2; – 1; 1; 2}
6. 9 – 4x2 = 0 d) {5; 2} e) {– 5; – 2; 2; 5}

– 45
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 46

6. O produto das raízes inteiras da equação Nas questões de 5 a 7, resolver, em , as inequações:


(x2 – 3x)2 + (x2 – 3x) – 2 = 0 é igual a
2x + 1 2–x
a) – 2 b) – 1 c) 1 d) 2 e) 4 5. ––––––– – –––––– > 1
5 3

x–1 x–3 x–2


MÓDULO 4 6. x – –––––– > –––––– – ––––––
2 4 3
SISTEMAS DE EQUAÇÕES 5x – 1 3x – 13 5x + 1
7. ––––––– – –––––––– > ––––––––
4 10 3
x + 2y = 4
1. Resolver o sistema 
–x+y=–1
MÓDULO 6
2. Há 5 anos a idade de João era o dobro da idade de Maria. Daqui a
5 anos a soma das duas idades será 65 anos. Quantos anos João é mais
FUNÇÃO POLINOMIAL DO 2o. GRAU
velho que Maria?

3. (UDF) – Um aluno ganha 5 pontos por exercício que acerta e perde 1. (UNIFOR) – O gráfico da função f, de  em , definida por
3 por exercício que erra. Ao fim de 50 exercícios tinha 130 pontos. f(x) = x2 + 3x – 10, intercepta o eixo das abscissas nos pontos A e B.
Quantos exercícios acertou? A distância AB é igual a
4. (ESSAP) – 50 pessoas resolveram fazer um churrasco e o total das a) 3 b) 5 c) 7 d) 8 e) 9
despesas seria dividido por todos. Como 10 pessoas resolveram não 2. Em , o conjunto verdade da inequação
participar, cada um dos demais teve que dar mais R$ 5,00. Qual era o ax2 + bx + c > 0 é V = { x ∈  | – 3 < x < 5 }.
valor total das despesas? Sendo a, b, c ∈ , podemos concluir que
a) R$ 1 000,00 b) R$ 1 500,00 c) R$ 2 000,00 a) a < 0 e b = c b) a < 0 e 15b = 2c
d) R$ 2 500,00 e) n.d.a. c) a < 0 e 2b = 15c d) a < 0 e 15b = 8c
e) a > 0 e 8b = 15c
MÓDULO 5 3. (USF) – A soma das soluções inteiras da desigualdade
x2 – 4 < 2 – x é
FUNÇÃO POLINOMIAL DO 1o. GRAU a) – 2 b) – 1 c) 0 d) 1 e) 2

1. (USF) – Considere, no plano cartesiano, a reta r, de equação 4. (UNIFOR) – O conjunto solução da inequação
y = ax + b, abaixo representada. 9x2 – 6x + 1 ≤ 0, no universo , é
 
De acordo com a representação, 1
a) Ø b)  c) ––
é verdadeiro que 3
a) a < 0 e b > 0 1 1
b) a < 0 e b < 0
d) x ∈  | x ⭓ ––
3  e) x ∈  | x ⫽ ––
3 
c) a > 0 e b > 0
d) a > 0 e b < 0 5. (ESPM) – Qual o domínio da função definida por
e) a > 0 e b = 0 y = 
x2 – 16 ?
a) 0 ≤ x ≤ 4 b) x ≤ – 4 ou x ⭓ 4 c) x ⭓ 4
d) x ⫽ 4 e) n.d.a.
2. (MACKENZIE) – Em , o produto das soluções da inequação
2x – 3 ≤ 3 é
a) maior que 8. b) 6. c) 2. d) 1. e) 0.
MÓDULO 7

3. (PUC) – O menor número inteiro k que satisfaz a inequação SISTEMA DE INEQUAÇÕES


8 – 3(2k – 1) < 0 é
1. (UEMT-LONDRINA) – A solução do sistema
a) – 2. b) – 1. c) 0. d) 1. e) 2.


3x + 2 < 7 – 2x
4. (UNICAMP) – Numa escola é adotado o seguinte critério: a nota 48x < 3x + 10
da primeira prova é multiplicada por 1, a nota da segunda prova é 11 – 2(x – 3) > 1 – 3(x – 5)
multiplicada por 2 e a nota da terceira prova é multiplicada por 3. Os
resultados, após somados, são divididos por 6. Se a média obtida por é o conjunto de todos os números reais x, tais que:
este critério for maior ou igual a 6,5, o aluno é dispensado das atividades 2
de recuperação. Suponha que um aluno tenha tirado 6,3 na primeira a) – 1 < x < 0 b) – 1 < x < 1 c) – 1 < x < ––
9
prova e 4,5 na segunda prova. Quanto precisará tirar na terceira prova
para ser dispensado da recuperação? 1 4
d) – 1 < x < –– e) – 1 < x < ––
3 9

46 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 47

3x + 5 ⭐ 2x + 3 3. (FATEC) – A solução real da inequação-produto


2. (ACAFE) – A solução de  x2 – 16 ⭐ 0
é:
(x2 – 4) . (x2 – 4x) ⭓ 0 é:
a) x = – 4 b) x ⭐ 4 c) – 4 ⭐ x ⭐ 1 a) S = {x ∈   – 2 ⭐ x ⭐ 0 ou 2 ⭐ x ⭐ 4}
d) x ⭐ – 4 e) – 4 ⭐ x ⭐ – 2 b) S = {x ∈   0 ⭐ x ⭐ 4}
c) S = {x ∈   x ⭐ – 2 ou x ⭓ 4}
3. Considere A = {x ∈  | x2 – 7x + 10 ⭓ 0} e d) S = {x ∈   x ⭐ – 2 ou 0 ⭐ x ⭐ 2 ou x ⭓ 4}
B = {x ∈   x2 – 4x + 3 < 0}. Podemos afirmar que A ∩ B é o e) S = Ø
conjunto:
a) 1 < x ⭐ 2 b) 2 < x ⭐ 3 c) 2 ⭐ x ⭐ 5 4. (UNIP) – O número de soluções inteiras da inequação
d) 1 < x ⭐ 5 e) 3 < x ⭐ 6 x–3
–––––– ⭓ 2 é:
x–1
a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4


x2 –1⭓0
4. A solução do sistema de inequações é: 5. (UNISA) – Dada a inequação
x2 –x⭐0
(x – 2)8 . (x – 10)4 . (x + 5)2 < 0, o conjunto solução é:
a) x = 1 b) 0 < x < 1 c) x > 1 a) {x  x ∈ , x < – 5}
d) 0 ⭐ x ⭐ 1 e) n.d.a.
b) {x  x ∈ , 2 < x < 10}
c) {x  x ∈ , – 5 < x < 2}
MÓDULO 8 d) {x  x ∈ , – 5 < x < 10}
e) ∅
INEQUAÇÕES: PRODUTO E QUOCIENTE
MÓDULO 9
3
1. O conjunto-verdade da desigualdade ––––– ⭐ 2 é:
x–5 VÉRTICE DA PARÁBOLA

 x ∈  : x ⭓ –––2 
13
a) 1. (UFOP) – Em relação ao gráfico da função
f(x) = – x2 + 4x – 3, pode-se afirmar:

 x ∈  : 5 < x ⭐ –––2 
13 a) É uma parábola de concavidade voltada para cima.
b)
b) Seu vértice é o ponto V (2; 1).
c) Intercepta o eixo das abscissas em P(– 3; 0) e Q (3; 0).

 
13 d) O seu eixo de simetria é o eixo das ordenadas.
c) x ∈  : x ⭐ 5 ou x ⭓ –––
2 e) Nenhuma das respostas anteriores.

 x ∈  : x < 5 ou x > –––2 


13 2. (ACAFE) – Seja a função f(x) = – x2 – 2x + 3 de domínio [–2; 2].
d)
O conjunto-imagem é:
a) [0; 3] b) [– 5; 4] c) ]– ∞; 4]

 
13
e) x ∈  : x < 5 ou x ⭓ ––– d) [– 3; 1] e) [– 5; 3]
2

3. O gráfico do trinômio do 2º. grau ax2 – 10x + c é o da figura:


2. (PUC-RIO) – No universo , o conjunto-solução da Podemos afirmar que:
a) a = 1 e c = 16
x–3 b) a = 1 e c = –10
inequação –––––––– < 0 é:
3x – x2 c) a = 5 e c = – 9
d) a = 1 e c = 10
a) {x ∈   x > 0} b) {x ∈   x > 3) e) a = –1 e c = 16
c) {x ∈   x < 0 ou x > 3} d) {x ∈   0 < x < 3}

e) {x ∈   x > 0 e x ≠ 3}

– 47
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 48

x+y
4. (UFSM) – Sabe-se que o gráfico representa uma função quadrática.
Esta função é:

7. Se as sequências 3; 3x; 3
–––––
2  e (2; y; 3x) são, respectivamente,
uma progressão geométrica e uma progressão aritmética, o valor de
y – x é:
a) 1 b) – 1 c) – 2 d) 2 e) 0

8. (PUC) – O conjunto-solução da equação A . B = C, em que


A = ex2, B = e2x – 4 e C = e–1, está contido no conjunto:
a) {– 2, – 1, 1, 2} b) {– 3, – 1, 1, 3}
c) {– 3, – 2, 2, 3} d) {– 4, – 2, 2, 4}
e) n.d.a.
x2 3 x2 3
a) ––– + x + ––– b) –––
2
– x – –––
2 2 2 9. (MACKENZIE) – A solução da equação 8x – 5x = 0 é:

x2 9 5 8
c) ––– – x – ––– d) x2 – 2x – 3 a) log58 b) log85 c) –– d) –– e) 0
2 2 8 5

e) x2 + 2x – 3
10. (FEI-MAUÁ) – Resolver a equação exponencial 7x + 7x – 1 = 8x.

11. (UNISA) – Dada a expressão 32x – 1 > 27, conclui-se que:


5. (FATEC) – O gráfico de uma função polinomial f do 2º. grau tem a
a) {x ∈   x > 2} b) {x ∈   x = 2}
reta x = 3 como eixo de simetria. Se o módulo da diferença entre as
c) {x ∈   x < 2} d) {x ∈   x < 0}
raízes de f é 6 unidades e f tem valor máximo igual a 12, então:
e) n.d.a.
4
a) f(x) = – 4x2 + 5x – 1 b) f(x) = – –– x2 + 48
3
1 x
4
12. Resolva a inequação  ––2  < 0.
c) f(x) = – –– x2 – 8x d) f(x) = – 4x2 + 144
3
1
––
4 13. (UFSC) – Dada a função y = 3 x , calcule os valores de x para os
e) f(x) = – –– x2 + 8x
3 1
quais se tenha y < –– .
9

MÓDULO 10 FRENTE 2
FUNÇÃO EXPONENCIAL MÓDULO 1
CONJUNTOS
De 1 a 6, resolva:

1. 3x = 243 1. Considere o conjunto P = {1, {2}, 3, {4, Ø}} e assinale a alternativa


falsa.
1 x 1
2.  ––2  = ––
16
a) {2} ∈ P
d) {4} ∉ P
b) {{2}; 3}  P
e) {4; Ø} ∈ P
c) {3; Ø}  P

3. 3x > 243

x 2. Se {– 1; 2; a; 3; 5} = {– 1; 3; b; 4; c}, com b < c, então (a + c)b é


1 1
4.  ––
2  > ––
16
igual a:
a) 27 b) 36 c) 49 d) 64 e) 81
5. 3x < 243
3. (FATEC) – Sendo
1 x 1
6.  ––
2  < ––
16
A= {2, 3, 5, 6, 9, 13} e B = {ab | a ∈A, b ∈A e a ≠ b},
o número de elementos de B que são números pares é:
a) 5 b) 8 c) 10 d) 12 e) 13

48 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 49

4. (MACKENZIE) – Dados A, B e C, conjuntos não vazios com partido B e que 200 pessoas não têm rejeição alguma. O número de
A  B, é sempre verdadeiro que: indivíduos que rejeitam os dois partidos é:
a) A  C = Ø b) (A  B)  C c) B  C = A a) 120 pessoas. b) 200 pessoas. c) 250 pessoas.
d) (A  C)  B e) B  C = Ø d) 300 pessoas. e) 800 pessoas.

5. O número de conjuntos X que satisfazem a relação: 5. Nas 120 pessoas de um pequeno município, observou-se uma
{a; b; c}  X  {a; b; c; d; e; f} é curiosidade; todas eram de grupo sanguíneo A ou O, 42 delas tinham
a) 2 b) 3 c) 4 d) 8 e) 9 Rh negativo e 16 pertenciam ao grupo A. Se 72 pessoas possuem Rh
positivo e são do grupo O, a quantidade de pessoas desse município
6. (U.E.PONTA GROSSA) – Considere dois conjuntos, A e B, tais que são do grupo A e tem Rh negativo é:
que A = {3, 7, x, 5, 9} e B = {1, 5, x, 8, y, 4}. Sabendo-se que a) 3 b) 6 c) 8 d) 10 e) 12
A  B = {5, 9, 6}, assinale o que for correto.
01) A  B = {1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 9} 02) A – B = {3, 7} 6. (UNIFEI) – Dos alunos de uma escola infantil, 60 são meninas, 37
04) A  B 08) 8 ∉ A 16) x + y = 15 crianças são loiras, 20 meninos são não loiros e 13 meninas são loiras.
Quantos alunos existem nessa escola?
MÓDULO 2 a) 60 b) 86 c) 104 d) 130

CONJUNTOS 7. (UNICAMP-adaptado) – Três candidatos, A, B e C, concorrem à


1. (UFV) – O número de elementos de um conjunto X é denotado por presidência de um clube. Uma pesquisa apontou que, dos sócios entre-
n(X). Sejam A e B conjuntos tais que A  B tem 30 elementos, A – B vistados, 150 não pretendem votar. Entre os entrevistados que estão
tem 12 elementos e B – A tem 10 elementos. Então, em relação a dispostos a participar da eleição, 40 sócios votariam apenas no
n(A) + n(B), é correto afirmar que é um número candidato A, 70 votariam apenas em B, e 100 votariam apenas no
a) múltiplo de 19. b) divisível por 18. candidato C. Além disso, 190 disseram que não votariam em A, 110
c) divisível por 17. d) múltiplo de 16. disseram que não votariam em C, e 10 sócios estão na dúvida e podem
votar tanto em A como em C, mas não em B. Finalmente, a pesquisa
revelou que 10 entrevistados votariam em qualquer candidato. Com
2. (UFPB) – Em uma pesquisa, várias pessoas foram entrevistadas
base nesses dados, pergunta-se:
acerca de suas preferências em relação a três esportes, vôlei (V),
basquete (B) e tênis (T), cujos dados estão indicados na tabela a seguir: a) Quantos sócios entrevistados estão em dúvida entre votar em B ou
em C, mas não votariam em A? Entre os sócios consultados que
Esporte No. de pessoas pretendem participar da eleição, quantos não votariam em B?
V 300 b) Quantos sócios participaram da pesquisa?
B 260
T 200
VeB 180
MÓDULO 3
VeT 130 PRODUTO CARTESIANO,
BeT 100 RELAÇÕES BINÁRIAS E FUNÇÕES
V, B e T 50
Nenhum 40
1. (FUVEST) – Se (m + 2n; m – 4) e (2 – m; 2n) representam o mes-
De acordo com esses dados, é correto afirmar que, nessa pesquisa, o mo ponto do plano cartesiano, então mn é igual a:
número de pessoas entrevistadas foi: 1
a) – 2 b) 0 c) 
2 d) 1 e) ––
a) 400 b) 440 c) 490 d) 530 e) 570 2

2. Considere os conjuntos A = {2; 3; 4} e B = {2; 6; 12; 16} e a relação


3. (LAVRAS) – Uma escola tem 2000 alunos matriculados na 1.a, 2.a binária f(x) = {(x; y) ∈ A × B  y = x2 – x}. Pode-se dizer que f é uma
ou 3.a série. 45% dos alunos são mulheres. 30% dos homens estão na função?
3.a série. 25% dos alunos matriculados estão na 2.a série, sendo que
200 deles são mulheres. Entre os alunos da 1.a série, o número de mu- 3. (UNIFESP) – Um ponto do plano cartesiano é representado pelas
3 coordenadas (x + 3y; – x – y) e também por (4 + y; 2x + y), em relação
lheres é igual a –– do número de homens. O número de mulheres na
5
3.a série é: a um mesmo sistema de coordenadas. Nestas condições, xy é igual a:
a) 282 b) 330 c) 470 d) 300 e) 418 a) – 8 b) – 6 c) 1 d) 8 e) 9

4. (UEL) – Um instituto de pesquisas entrevistou 1 000 indivíduos, 4. Considere os conjuntos A = {2; 3; 4} e B = {5; 7; 8} e a relação
perguntando sobre sua rejeição aos partidos A e B. Verificou-se que binária f(x) = {(x; y) ∈ A × B  y = 2x + 1}. Pode-se dizer que f é uma
600 pessoas rejeitavam o partido A; que 500 pessoas rejeitavam o função?

– 49
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 50

5. Dados os conjuntos A = {0; 1; 2; 3; 4; 5} e B = [– 2; 10], determine


x–3
o conjunto imagem da função f: A → B, definida por 4. Seja f: A →  uma função tal que f(2x + 1) = ––––– , com x ≠ 1.
x–1
f(x) = x2 – 4x + 3. Marque no plano cartesiano todos os pares (x; y) tais
que y = f(x). O domínio da função f é:
a)  – {1} b) * c)  – {3}

 – –––12 
f(9) – f(3)
6. Se f(x) = 5x + 3, então ––––––––– é igual a: d)  – {– 1} e)  –
3

a) 5 b) 8 c) 10 d) 12 e) 15
5. A função f satisfaz a condição f(p . q) = f(p) + f(q) para todos

7. (U.F.AMAZONAS) – Considere a função f:  →  definida por p e q reais. Se f(9) = 4, então f(3) é:

f(x) =  1,0, sese xx éé racional


irracional
a) 2 b) 2 c) 1 d) 3 e) 9

6. (FURG) – Sendo f uma função dada por f(x) = 5 + 


– (x – 2)2, o
3) + f(3 + 
Então: f(3) – f( 3) é igual a:
conjunto imagem de f é
a) 1 b) 3 c) 5 d) 6 e) 7 a) {0} b) {2} c) {2; 5} d) {5} e) { }

8. Considere a função f :  →  definida por 7. (UNESP) – Se f(x) é a função real de variável real, tal que
x, se x for par f(9x – 4) = x, qualquer que seja x, então [ 3 · f (x) – 1/3 ] é igual a
f(x) = 
x + 1, se x for ímpar a) x + 4 b) x + 3 c) x + 1

Calcule f(0), f(1), f(2), f(3) e faça uma representação gráfica para tal d) x + 1/3 e) x/3 + 1
função. Determine também o conjunto imagem de f.
8. (GAVE) – Na figura, está representado em referencial xOy o
gráfico de uma função f, de domínio [– 2; 7]

MÓDULO 4
DOMÍNIO, CONTRADOMÍNIO E IMAGEM

1. Sejam A e B, subconjuntos dos números reais e os respectivos


domínios das funções definidas por f(x) = 
x – 2 e g(x) = 
5 – x. O
produto dos elementos inteiros de A  B é:
a) 60 b) 80 c) 100 d) 120 e) 150

2. (U.F.Paraíba) – Considere a função f: [1; 7] →  definida por


f(x) = x2 – 6x + 8. Sejam m e M, respectivamente, o menor e o maior
valor que f(x) pode assumir. Determine a média aritmética entre m e M. Indique o conjunto solução da condição f(x) < 2. Apresente a sua
resposta na forma de união de intervalos de números reais.
3. A figura seguinte representa o gráfico da função f de [1; 5] em .
O conjunto imagem de f é:
9. (UFAM) – Analise o gráfico da função f e assinale a única
alternativa falsa:

a) [2; 3] b) [3; 7] c) [1; 5] a) f(1) > f(2) b) f(0) = –3 c) –5 ∈ D(f)

d) [2; 7] e) ]2; 5[ d) f(2) = f(5) = 0 e) f(1) < 0

50 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 51

4. (FGV) –“Receita bate novo recorde e acumula alta de quase 10%.”


MÓDULO 5 Esta foi a notícia dos jornalistas Fabio Graner e Gustavo Freire para O
Estado de S.Paulo de 19 de outubro de 2007. O corpo da matéria,
CARACTERÍSTICAS E PROPRIEDADES DA FUNÇÃO ilustrada pelo gráfico abaixo, informava que “a arrecadação da Receita
Federal em setembro totalizou R$ 48,48 bilhões, um recorde para o
1. Qual das seguintes funções é injetora, com domínio em A e imagem mês. De janeiro a setembro ficou em R$ 429,97 bilhões que, corrigidos
em B? pela inflação, somam R$ 435,01 bilhões, com crescimento de 9,94%
ante o mesmo período de 2006. O secretário adjunto da Receita Federal
destacou que, de janeiro a setembro, a expansão das receitas, na
comparação com igual período de 2006, foi de 11,14%”.

Pode-se concluir, então, que


a) a arrecadação da Receita Federal, de janeiro a setembro de 2007, foi
crescente.
b) em setembro de 2007, a Receita Federal arrecadou 10% a mais do
que foi arrecadado em setembro de 2006.
c) a arrecadação de setembro de 2007 foi 11,14% maior que a de
janeiro de 2007.
d) em 2007, a arrecadação foi crescente nos períodos de fevereiro a
abril, e de maio a agosto.
e) no período de julho a setembro de 2007, a arrecadação da Receita
Federal foi decrescente.
2. A função f é injetora e satisfaz a condição f(3p) = f(4q), com p e q
p–q
não nulos. O valor da expressão –––––– é: 5. Considere a função f: A → B, cujo gráfico é dado a seguir:
q
1 1 4
a) ––– b) ––– c) –––
2 3 3
3
d) ––– e) 2
4

3. (UFRN) – Sejam B o conjunto formado por todos os brasileiros e


 o conjunto dos números reais. Se f : B →  é a função que associa
a cada brasileiro sua altura, medida em centímetros, então f
a) é injetiva e não é sobrejetiva. Pode-se afirmar que
b) é injetiva e é sobrejetiva.
a) f é injetora
c) não é injetiva e é sobrejetiva.
b) f é constante no intervalo ]2; 4[
d) não é injetiva e não é sobrejetiva.
c) Im(f) = [– 3; 4]

Obs.: Admita que existam pelo menos duas pessoas com a mesma d) f(x) ∈ , ∀x ∈ [– 3; 5]
altura. e) f é sobrejetora se, e somente se, B = [1; 5]

– 51
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 52

6. Se a função f: [1; 4] → [a; b], definida por f(x) = x2 – 4x + 5, é


sobrejetora, então a + b é igual a:
MÓDULO 6
a) 4 b) 5 c) 6 d) 7 e) 8
FUNÇÃO COMPOSTA
7. O gráfico a seguir mostra a pressão sanguínea de um indivíduo no
decorrer do tempo. Para tentar controlar essa pressão a 2 horas do início 1. Na figura, temos os gráficos
da observação, a equipe médica ministrou um medicamento intravenal. das funções f e g, de  em . O
Pode-se dizer que valor de gof(4) + fog(1) é:
a) após a aplicação do medicamento a pressão foi estritamente a) 4 b) 3 c) 0
decrescente.
d) – 2 e) – 4
b) a variação da pressão durante as duas primeiras horas foi maior do
que a variação nas duas horas seguintes.
c) o período em que ela permaneceu constantemente alta foi maior do
que o período gasto para subir. 2. (FGV) – Sejam f e g funções reais, tais que:
d) a queda de pressão foi repentina. 1
e) o remédio aplicado não é totalmente eficaz. f(x) = x2 + 1 g(y) = ––
y
Então, (fog) (2) é igual a:
5 2 5 1
a) 0 b) –– c) –– d) –– e) ––
4 5 2 5

3. Sejam f e g funções de  em  definidas por f(x) = 2x + k e


g(x) = mx + 3. Os valores de k e m para que (fog)(x) = 6x + 8,
∀x ∈ , são tais que k + m é igual a:
a) – 2 b) 1 c) 3 d) 5 e) 7

4. (U.F.Paraíba) – Sejam f e g funções de  em  tais que


f(g(x)) = 2x e f(x) = 4x + 1. Calcule g(1).
8. (GAVE) – João e Miguel são dois irmãos que jogam na equipe Os
Vencedores. João cronometrou o tempo que o seu irmão demorou para 5. (U.F.PARANÁ) – Considere as funções reais f(x) = 2 + 
x e
tomar uma ducha nos vestiários. Reparou que Miguel
g(x) = (x2 – x + 6) . (2x – x2):
• durante a ducha só fechou a torneira enquanto se ensaboou;
• demorou 1 minuto e 20 segundos a molhar-se com a torneira sempre a) Calcule (fog)(0) e (gof)(1)
aberta; b) Encontre o domínio da função (fog)(x)
• demorou 3 minutos e 5 segundos a ensaboar-se com a torneira
fechada; 6. (U.F.ITAJUBÁ) – Se f e g são funções tais que f(x) = 7x – 4 e
• terminou a ducha quando tinham decorridos 6 minutos e 30 f[g(x)] = x2 – f(x + 1), então g(7) é igual a:
segundos após tê-la iniciado.
1
João verificou que, quando a torneira da ducha está aberta, se gasta 0,6 a) –– b) 1 c) 4 d) 7
7
litro de água em 2 segundos.
a) Quantos litros de água foram gastos por Miguel na ducha? 7. Sejam f e g funções, de  em , tais que g(x) = 2x + 5 e
Apresente os cálculos efetuados. fog(x) = 6x + 3. Pode-se afirmar que f –1(x) é igual a
b) Qual dos gráficos seguintes poderá representar a quantidade de água x
gasta por Miguel no banho? a) 3x – 12 b) 3x – 1 c) –– + 3
2
x
d) 2x + 1 e) –– + 4
3

8. (FMCA) – Considere as seguintes funções: f(x) = 4x2 e g(x) = x –1.


Entre os gráficos apresentados, o que melhor representa a função
g (f(x)) é

52 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 53

4. (UFPB) – Considere a função f:[0; 2] → [0; 3], definida por:

0⭐x⭐1

x2,
f(x) =
2x – 1, 1 < x ⭐ 2

A função inversa de f está melhor representada no gráfico:

MÓDULO 7
FUNÇÃO INVERSA

1. A maior proeza do ser humano é reconhecer seus erros e saber se


desculpar. A empresa “SEMPRECERTA” calcula o salário de seus
funcionários multiplicando o valor da hora trabalhada pelo número de
horas que cada funcionário trabalhou no mês e desconta R$ 90,00
referentes à assistência médica e ao vale-transporte. Antônio, que ganha
R$ 15,00 por hora, recebeu, no último mês, R$ 2610,00. No entanto, a
empresa não percebeu que a sexta parte das horas trabalhadas são
extras e deveria ter pagado, por essas horas, 20% a mais. Quando
pretendia redimir-se do erro, a empresa notou que a planilha que
fornecia o número de horas trabalhadas no mês havia sido extraviada.
Para ajudar a empresa “SEMPRECERTA”, determine:
a) a função S que fornece o salário em reais com base no número x de
horas trabalhadas por Antônio e a função H que fornece o número
de horas trabalhadas com base no salário y, em reais;
b) a diferença que a empresa deveria pagar para Antônio.

2. (UFT) – Seja f: ]– ∞; 2] → [– 1; ∞[ definida por f(x) = x2 – 4x + 3.


Então a função inversa f –1 é:


x+1
a) f –1(x) = 2 – 
x+1 b) f–1(x) = –––––––
2

c) f –1(x) = – 
x+1 d) f –1(x) = 2 + 
x+1

3 5. Pedro disse a Paulo:


3. (UEPG) – Sobre a função real f(x) = ––––– , assinale o que for
2–x
correto. – Pense em um número natural que eu vou adivinhar o número
01) O gráfico de f(x) intercepta o eixo y em dois pontos distintos. pensado. Agora eleve seu número ao quadrado. Acrescente cinco
unidades ao resultado. Divida o novo resultado por 2. Que número deu?
02) Seu domínio é o conjunto D = {x ∈   x ≠ 2}.
04) Se x ∈  e x < 2, então f(x) > 0. Assim que Paulo deu a resposta, Pedro imediatamente disse o número
que Paulo pensou. Determine a função que, com base no resultado dado
2x – 3
08) A inversa de f(x) é f –1(x) = –––––– . por Paulo, permita descobrir o número pensado.
x

– 53
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 54

as ordenações dos dias no respectivo período. Nesse caso, o número de


MÓDULO 8 vezes em que haverá aula de Matemática e aula de Literatura no mesmo
dia é igual a:
SEQUÊNCIAS E PROGRESSÃO ARITMÉTICA
a) 14 b) 9 c) 11 d) 15 e) 10

1. (GAVE-Adaptada) – Considere uma sequência em que o primeiro 8. (UNESP) – Carla foi escrevendo nas casas de um tabuleiro 100 por
termo é 244 e a lei de formação de cada um dos termos a seguir ao 100 os múltiplos positivos de 5, em ordem crescente, conforme a
primeiro é: figura:
«Adicionar dois ao termo anterior e depois dividir por três.»
Qual é o quarto termo da sequência? 5 10 15 20 25 ... 495 500
a) 82 b) 28 c) 10 d) 4 1000 995 990 985 980 ... 510 505

2. A sequência (an) é definida por an = r em que r é o resto da divisão 1005 → → → → ... → →


de n2 por 7. ...
a) Determine os cinco primeiros termos da sequência e escreva-a.
→ → → → → → → →
b) Obtenha a50.
← ← ← ← ← ← ← ←
3. (UNESP) – Os coelhos se reproduzem mais rapidamente que a
→ → → → → → → →
maioria dos mamíferos. Considere uma colônia de coelhos que se inicia
com um único casal de coelhos adultos e denote por an o número de U
casais adultos desta colônia ao final de n meses. Se a1 = 1, a2 = 1 e, para
n ⭓ 2, an + 1 = an + an – 1, o número de casais de coelhos adultos na Que número Carla escreveu onde se encontra a letra U?
colônia ao final do quinto mês será:
a) 13 b) 8 c) 6 d) 5 e) 4 9. Se A = {x ∈   x é múltiplo de 11} e B = {x ∈   15 ≤ x ≤ 187},
o número de elementos de A  B é:
a) 16 b) 17 c) 18 d) 19 e) 20
4. O terceiro e o sétimo termos de uma progressão aritmética valem
–1 e 11, respectivamente. O valor do quadragésimo quinto termo dessa
progressão é
a) um número par. b) um número primo. MÓDULO 9
c) um quadrado perfeito. d) um cubo perfeito.
PROPRIEDADES DA PROGRESSÃO ARITMÉTICA
e) um número não inteiro.

1. (UFPR) – Os anos bissextos ocorrem de 4 em 4 anos, em geral,


mas a sua caracterização exata é a seguinte: são anos bissextos aqueles
5. Na progressão aritmética (an), a soma do quinto com o sétimo termo
que são divisíveis por 4, mas não por 100; a exceção a essa regra são
é 44 e a diferença entre o oitavo e o terceiro termo, nesta ordem, é 15.
os anos divisíveis por 400, que também são bissextos. Assim, o número
O sétimo termo da progressão vale:
de anos bissextos entre 1895 e 2102 é:
a) 19 b) 21 c) 22 d) 23 e) 25 a) 50 b) 47 c) 48 d) 49 e) 51

6. Aeromodelos radiocontrolados operam na faixa de frequência de 2. Os números (x – 4), (2x – 3) e (x – 1) são, nesta ordem, termos
72 MHz. A primeira frequência autorizada é de 72,010 MHz e, entre consecutivos de uma progressão aritmética de razão:
a) – 1 b) 0 c) 2 d) 3 e) 5
duas frequências adjacentes, há uma diferença de 0,020 MHz. Dois
aeromodelos de mesma frequência não podem operar simultaneamente. 3. Os irmãos Antônio, Bene e Carlos possuem respectivamente 15,
No Brasil, aeromodelistas evitam essa coincidência referenciando-se 4 e 17 mil reais cada um. Bene, querendo comprar um carro, resolveu
sempre ao valor nominal da frequência. No entanto, em outros países pedir emprestado a cada um dos irmãos uma mesma quantia. Ao fazer
a referência é feita por um número de canal associado à frequência. isso, notou que as quantias com que os três ficaram formavam, na
Desta forma, ao canal 11 corresponde a frequência 72,010 MHz; ao ordem Antônio, Bene e Carlos, uma progressão aritmética. Para, daqui
canal 12, a frequência 72,030 MHz e assim por diante. A que canal a um ano, devolver a quantia emprestada, com 20% de juros, Bene
corresponde a frequência de 72,950 MHz e qual a diferença entre as deverá desembolsar:
frequências associadas aos canais 23 e 47? a) R$ 3600,00 b) R$ 4800,00 c) R$ 6000,00
d) R$ 8400,00 e) R$ 9600,00
7. (UEPB) – Durante 160 dias consecutivos, a programação de uma
TV Educativa apresentará, entre outras atrações, aulas de Matemática 4. As idades de três irmãos são números inteiros, estritamente
e aulas de Literatura, conforme indicam respectivamente as progres- positivos, e formam uma PA. Se a soma das idades é 27 anos, a idade
sões (2; 5; 8; …; 158) e (7; 12; 17; …; 157), cujos termos representam máxima, em anos, que o irmão mais velho pode ter é:
a) 10 b) 12 c) 15 d) 17 e) 19
54 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 55

5. Na progressão aritmética (a1; p; 1; q; a5;…), sabe-se que q – p = 8. 6. (MACKENZIE) – O menor valor de n, tal que a soma dos n
O valor do sétimo termo dessa progressão é: primeiros termos da PA (36; 29; 22; ...) seja negativa, é:
a) – 7 b) 6 c) 10 d) 13 e) 17 a) 12 b) 9 c) 11 d) 8 e) 10

6. Determine a soma dos 9 primeiros termos de uma progressão 7. (ESAMC) – O trigésimo termo da sequência (1; 2; 4; 7; 11; 16; 22;
aritmética em que a3 + a7 = 8. 29; 37; …) é:
a) 436 b) 452 c) 512 d) 528 e) 536
7. (MACKENZIE) – A soma de 3 termos consecutivos de uma
progressão aritmética é 3
2 e o produto deles é 
2. A razão dessa 8. (UFSCar) – Uma partícula se move ao longo do primeiro quadrante
progressão pode ser: do plano cartesiano ortogonal a partir do ponto (0; 0), conforme indica
a) 
2 b) 
3 c) 3
2 d) 2 e) 1 o gráfico a seguir.

8. Numa PA, a soma do primeiro com o décimo primeiro termo é 22.


O quinto termo desta PA é:
a) 4 b) 6 c) 8 d) 11 e) 12

MÓDULO 10
SOMA DOS TERMOS DE
UMA PROGRESSÃO ARITMÉTICA
1. (UNIFESP) – Uma pessoa resolveu fazer sua caminhada matinal
passando a percorrer, a cada dia, 100 metros a mais do que no dia
anterior. Ao completar o 21.º dia de caminhada, observou ter percorrido,
O deslocamento de 1 unidade (vertical ou horizontal) do plano é feito
nesse dia, 6 000 metros. A distância total percorrida nos 21 dias foi de:
em 1 minuto pela partícula, com velocidade constante.
a) 125 500 m b) 105 000 m c) 90 000 m
Mantido o mesmo padrão de movimento, a partícula atingirá o ponto
d) 87 500 m e) 80 000 m
(50; 50), a partir do início do deslocamento, em exatas

2. (UFPE) – Os 25 DVDs de uma coleção estão alinhados em ordem a) 42 horas e meia. b) 38 horas. c) 36 horas e meia.
crescente de preço. Além disso, o preço de cada DVD, a partir do d) 27 horas. e) 19 horas e meia.
segundo, é superior em R$ 2,00 ao preço do DVD que o antecede. Se
o DVD mais caro custou sete vezes o preço do mais barato, quanto 9. (FGV) – Seja a progressão aritmética (a1; a2; a3; ...), cuja soma dos
custou a coleção inteira? p primeiros termos é p . (p – 2). O décimo primeiro termo dessa
a) R$ 792,00 b) R$ 794,00 c) R$ 796,00 sequência é:
d) R$ 798,00 e) R$ 800,00 a) 15 b) 17 c) 19 d) p – 1 e) 10 . p

3. (UNESP) – Considere os 100 primeiros termos de uma Progressão


10.(FGV) – Chamamos de falsa espiral de dois centros aquela cons-
Aritmética {a1; a2; a3; ...; a100}. Sabendo-se que a26 + a75 = 300, o
truída da seguinte forma: os dois centros são os pontos A e B.
resultado da soma dos seus 100 primeiros termos é:
Traçam-se semicircunferências no sentido anti-horário: a primeira com
a) 7 650 b) 15 000 c) 15 300 centro em A e raio AB, a segunda com centro em B e raio BC, a terceira
d) 30 000 e) 30 300 com centro em A e raio AD, repetindo esse procedimento em que os
centros se alternam entre A e B, como mostrado na figura abaixo.
4. (UNESP) – Uma pessoa resolve caminhar todos os finais de tarde.
No 1.º dia de caminhada, ela percorre uma distância de x metros. No
2.º dia, ela caminha o dobro do que caminhou no 1.º dia; no 3.º dia,
caminha o triplo do que caminhou no 1.º dia, e assim por diante.
Considerando o período do 1.º ao 25.º dia, ininterruptos, ela caminhou
um total de 243 750 metros.
a) Encontre a distância x percorrida no 1.º dia.
b) Verifique quanto ela terá percorrido no 30.º dia.

5. (UFC) – Seja f uma função polinomial de primeiro grau, crescente


e tal que f(f(x)) = 9x + 8, para todo x real. Sabendo-se que
2; 5; 8; …; 44 é uma progressão aritmética de razão 3, o valor numérico Determine a distância entre A e B se, ao completar duzentas se-
de f(2) + f(5) + f(8) + … + f(44) é: micircunferências, o comprimento total dessa falsa espiral for
a) 1020 b) 1065 c) 1110 d) 1185 e) 1260 100 500π metros.

– 55
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 56

15.Completar o expoente da potência de base 10.


FRENTE 3
a) 241 = 0,241 . 10— b) 241 = 2,41 . 10—
MÓDULO 1 c) 241 = 24,1 . 10— d) 0,241 = 2,41 . 10—

POTENCIAÇÃO e) 0,241 = 24,1 . 10— f) 0,241 = 241 . 10—

De 1 a 10, completar: g) 0,000241 = 2,41 . 10— h) 0,000241 = 24,1 . 10—


1. 34 = i) 0,003412 = 3,412 . 10—
2. (– 3)4 =

3. – 34 = MÓDULO 2
4. 30 = POTENCIAÇÃO

5. 5– 2 =
2 2 2
1. Sabendo-se que [(35) . 35 ] : (33) = 3a, então:
6. ( ) 2
––
3
0
= a) a = 10 b) a = 14 c) a = 19
d) a = 24 e) a = 29

7. ( 3
––
2 )–2
=
2. (UEMT) – Simplificando-se a expressão

8. ( 1
––
2 )–2
= [29 : (22 . 2)3]–3, obtém-se:
1
a) 236 b) 2–36 c) 2–6 d) 1 e) ––
3
9. ( 1
– ––
2
) –2
=
3. (FGV) – O valor numérico da expressão abx para
–3
( 1
10. – ––
3 ) = a = 1 000, b = 100 e x = 0,4 é:
a) 10 . (1002,4) b) 1 040 c) 103,8
d) 100,4 e) 1003,8
1
11. (VUNESP) – O valor da expressão 5–1 – –– é:
2
(0,1) . (0,001) . 10–1
4. Calculando –––––––––––––––––– , obtemos:
a) 0,3 b) – 0,3 c) – 0,2 d) 0,2 e) 0 10 . (0,0001)

12.(UNICAMP) a) 10–1 b) 10 –2 c) 102 d) 103 e) 104


a) Calcule as seguintes potências:
a = 33, b = (– 2)3, c = 3–2 e d = (–2)– 3
5. Efetuando a divisão ex : ex – 2, teremos:
b) Escreva os números a, b, c e d em ordem crescente. x
2 – 2x –––––
x–2
a) e–2 b) ex c) e2 d) e e) e2x
3 2 1 –2 5
13. (UEL) – Efetuando-se
( ) ( ) ( )
––
2
+ ––
2
. ––
2
, obtém-se:
6. (METODISTA) – Se 75y = 243, o valor de 7–y é:
5 13 75 49 1 1 1 1 1
a) – –– b) ––– c) 5 d) ––– e) ––– a) –– b) –– c) ––– d) ––– e) – ––
4 8 8 4 3 6 15 30 3

2 0
(– 5)2 – 32 + ––
3
14. (MACKENZIE) ––––––––––––––––––––– é igual a:
() 7. (CESGRANRIO) – O número de algarismos do produto 517 x 49
é igual a:
1 1
3– 2 + –– + –– a) 17 b) 18 c) 26 d) 34 e) 35
5 2

3 150 1 530 17
a) ––––– b) 90 c) ––––– d) ––––– e) – 90 9
8. Se n = 99 , então o algarismo das unidades de n é:
17 73 3 150
a) 0 b) 1 c) 3 d) 6 e) 9

56 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 57

9. (PUC-RS) – Considere a tabela a seguir, de potências de a, em que


13. (UEMT) – O número 
2 352 corresponde a:
a é um real positivo e diferente de 1.
a) 4 
7 b) 4 
21 c) 28 
3
x 0,11 0,12 0,14 0,15
d) 28 
21 e) 56 
3
ax m n p q
1
Então, o valor de a 4 é:
–– 14. (PUC) – A expressão com radicais 
8 – 
18 + 2
2 é igual a:

a) 
2 b) 
12 c) – 3
2 d) – 
8 e) 
8
a) n + p b) m + q c) n . p d) p . q e) m . p

MÓDULO 4
MÓDULO 3
RADICIAÇÃO
RADICIAÇÃO 3
1. Dados os dois números positivos 
2 e 
4, determine o maior.
De 1 a 9, calcular:
1 1
1
1. 
25 =
2. A expressão 4 2 +
––
( )–––
8
– ––
3 + 161/4 é igual a:

1
a) 2 b) 4 c) –– d) 6 e) 8
8
2. – 
25 =
3. Calcular o valor numérico da expressão:
3. ±  1 1 –2 4
25 = 3
– 
– 8 + 16
– ––
4 – ( ) – ––
2
+8
– ––
3

3
4. 
64 = 2 2
–– 2 2
– ––
4. (FGV) – O valor de –– . 8 3 – –– . 8 3 é:
3 3
a) 1 b) – 1 c) 2,5 d) 0 e) 23
3
5. 
– 64 =

3
6. – 
– 64 = 5. (PUC-DF) – Assinale a correta:
3
I. 
– 27 = – 3 II. 5– 1/2 = 
5

7. 
50 . 
2= 1 
3 3
IV. 
______ ______
III. = 25 = 23/5

3 3

8.

50 a) II e III estão corretas. b) I e IV estão corretas.
––––– =
2 c) I e III estão corretas. d) todas estão corretas.


3
9. 
64 =
4
______
6. Racionalizando o denominador da expressão , obtemos:
3

2
10. Mostre que 
9 + 16 ⫽ 
9 + 
16. 3 3 3 3
a) 2 
4 b) 2 
2 c) 
2 d) 
4 e) n.d.a.

11. Calcular 




2 + 2+ 2 + 
4. 7. (UFAL) – A soma
3
–– +
4
4
–– é igual a:
3

12. (UNIRIO) – O valor de 




15 – 
32 + 25 – 81 é:
1
a) –– 
6
7
3
b) ––
4
c) 1
5
d) –– 
6
6
7
e) –– 
6
3

a) 1 b) 2 c) 3 d) 4 e) 5

– 57
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 58


2 + 
3

15 – 3
8. (FUVEST) ––––––––– é equivalente a: a) 
15 – 3 b) 
15 + 3 c) ––––––––

3 3


15 + 3 2
15 + 3
5 + 2 2 +  d) –––––––– e) –––––––––
2 + 2
6 + 
3 6 6
2 2
a) –––––––––––––– b) –––––––– c) ––––––––
3 3 3

3 + 
6 
6+3 MÓDULO 6
d) –––––––– e) –––––––
3 6
FATORAÇÃO
1. Desenvolva as seguintes expressões:
MÓDULO 5 a) (a + 2)2 b) (a – 2)2 c) (9 + x)2

FATORAÇÃO d) (9 + xy)2 e) (4m – 3n)2


f) (x + 2)(x2 – 2x + 4) g) (4 – m)(16 + 4m + m2)

1. Fatore as seguintes expressões:

a) 4x – 2y b) xy + x2y + 3xy2 2. Fatore as seguintes expressões:

c) 3a + 2a2 + 5a3 d) 3a + 6a2 + 9a3 a) a2 + 10x + 25 b) 9 – 6m + m2


c) 64 – 16mn + m2n2 d) 8 + x3
e) 4x + 2y + 2ax + ay f) 3x – 3y + ax – ay
e) 8 – x3 f) a3 + 8n3
g) a2 –9 h) 4x2 – 25

i) 4m2 – 1 j) (a + b)2 – (a – b)2 3. Calcular o valor numérico da expressão


(a2 + 2ab + b2) – (a2 – 2ab + b2), sabendo-se que
k) x4 – y4 a + b = – 9 e a – b = 13.

2. (MED. SANTOS) – Calcular 934 2872 – 934 2862: 4. A diferença entre o quadrado da soma de dois números inteiros e a
soma dos seus quadrados pode ser:
a) 1 868 573 b) 1 975 441 c) 2
a) 3 b) 5 c) 6 d) 7 e) 9
d) 1 e) n.d.a.

3. (UFES) – Calcule o valor da expressão: 1 1


5. Sabendo que x + –– = 5, determine o valor de x2 + ––– .
[102 + 202 + 302 +…+ 1002] – [92 + 192 + 292 +…+ 992] x x2

1 1
–– – ––
4. (FUVEST) – Decomponha em fatores do 1o. grau: 6x2 – 5xy + y2. 10 , então a + a–1 vale:
6. (MACKENZIE) – Se a 2 + a 2 = –––
3
x2 – y2
_________
5. Sendo x = 351 012 e y = 351 011, determine o valor de . 100 82 82 100 16
x+y a) –––– b) ––– c) ––– d) ––– e) –––
9 3 9 82 9
6. x2m – 1 é igual a:
a) (xm + 1) (xm – 1) b) (xm + 1)2 c) (xm + 1) (x – 1)
d) xm (x2 – 1) e) (xm – 1)2 7. (UFMG) – Considere o conjunto de todos os valores de x e y para
os quais a expressão a seguir está definida. Nesse conjunto, a
x2 y2
7. (PUC-MG) – A diferença entre os quadrados de dois números ––– – –––
ímpares, positivos e consecutivos é 40. Esses números pertencem ao y2 x2
expressão equivalente a M, sendo M = ––––––––––––––– , é:
intervalo: 1 2 1
––– + ––– + –––
a) [3;9] b) [4;10] c) [8;14] d) [10;15] e) [11;14] x2 xy y2

a) (x – y) . (x + y) b) (x – y) . (x2 + y2)
2
3
8. Racionalizando-se o denominador da fração ––––––––– , obtém-se: c) (x – y)/(x2 + y2) d) (x – y)/(x + y)

5 – 
3
e) (x – y)(x2 + y2)/(x + y)

58 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 59

x6 – y6 4. 5.
8. O resultado da operação –––––––––––– , para x = 5 e y = 3, é
x2 + xy + y2
igual a:
a) 304 b) 268 c) 125 d) 149 e) 98

9. Na fatoração completa de x8 – 1, encontramos 6.


a) 2 fatores. b) 3 fatores. c) 4 fatores.
d) 5 fatores. e) 6 fatores.

10. (ESPM) – A expressão (a + b + c)2 é igual a:


a) a2 + 2ab + b2 + c2 7. Determinar o sen α e a tg α no triângulo a seguir.
b) a2 + b2 + c2 + 2ab + 2ac + 2bc
c) a2 + b2 + c2 + 2abc
d) a2 + b2 + c2 + 4abc
e) a2 + 2ab + b2 + 2bc + c2

8. (MACKENZIE) – A área do paralelogramo da figura a seguir é


igual a:
MÓDULO 7
FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS
DE UM ÂNGULO AGUDO

1. Considere o triângulo retângulo ABC a seguir e determine:

a) 123 cm2 b) 243 cm2 c) 12 cm2


d) 24 cm2 e) 48 cm2

9. (PUCCAMP) – A fim de medir a largura de um rio, num certo


local, adotou-se o seguinte procedimento: marcou-se um ponto B numa
margem; 30 m à direita marcou-se um ponto C, de tal forma que
— — ^
^ ^ ^ AB ⊥ BC ; do ponto C mediu-se o ângulo BCA, encontrando-se 30°.
a) sen B b) cos B c) tg B Dessa forma, conclui-se que a largura AB do rio é:
^ ^ ^
d) cossec B e) sec B f) cotg B

^ ^ ^
g) sen C h) cos C i) tg C

^ ^ ^
j) cossec C k) sec C l) cotg C

Determinar o valor de x nas questões de 2 a 6.

2. 3. 3 10 3
a) –––– m b) –––––– m c) 5 3 m
3 3

d) 103 m e) 503 m

10.(CESGRANRIO) – Uma escada de 2 m de comprimento está


apoiada no chão e em uma parede vertical. Se a escada faz 30° com a
horizontal, a distância do topo da escada ao chão é de:
a) 0,5 m b) 1 m c) 1,5 m d) 1,7 m e) 2 m

– 59
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 60

11. (UEL) – Com respeito aos pontos A, B, C, D e E, representados na


figura abaixo, sabe-se que CD = 2BC e que a distância de D a E é
MÓDULO 8
12 m. Então, a distância de A a C, em metros, é:
FUNÇÕES TRIGONOMÉTRICAS
DE UM ÂNGULO AGUDO (CONTINUAÇÃO)

1. Sendo x e y ângulos agudos, assinale verdadeiro (V) ou falso (F).


a) ( ) (sen x)2 = sen2 x2
b) ( ) (sen x)2 = sen2 x
c) ( ) sen2 x + cos2 x = 1
d) ( ) sen2 x + cos2 y = 1

e) ( ) sen x + cos x = 1
sen x
f) ( ) tg x = ––––––
cos x
a) 6 b) 4 c) 3 d) 2 e) 1
cos x 1
g) ( ) cotg x = ––––– = ––––
sen x tg x
12.(VUNESP) – Do quadrilátero ABCD da figura a seguir, sabe-se
que os ângulos internos de vértices A e C são retos; os ângulos CDB e 1
ADB medem, respectivamente, 45° e 30°; o lado CD mede 2 dm. h) ( ) sec x = –––––
cos x
Então, os lados AD e AB medem, respectivamente, em dm:
1
a) 
6 e 
3 i) ( ) cossec x = –––––
sen x


5 e 
   
b) 3 x x
j) ( ) sen2 –– + cos2 –– = 1
2 2
c) 
6 e 
2
4
2. Sendo x um ângulo agudo e sen x = –– , obter cos x e tg x.
5
d) 
6 e 
5
3. Demonstre que, sendo x um ângulo agudo, a igualdade
cossec2 x = 1 + cotg2 x é verdadeira.
e) 
3 e 
5
Simplificar as expressões 4 a 8:

sen x . cotg x
13.(PUCCAMP) – A figura a seguir é um corte vertical de uma peça 4. –––––––––––––
1 – sen2x
usada em certo tipo de máquina. No corte, aparecem dois círculos, com
raios de 3 cm e 4 cm, um suporte vertical e um apoio horizontal.
(1 + cos x) . (1 – cos x)
5. ––––––––––––––––––––––
sen2x

sen2 x + cos2 x
6. ––––––––––––––
cotg x

sec x – cos x
7. –––––––––––––––
cossec x – sen x

cos x . tg x
8. –––––––––––––––––––––
(1 + cos x) . (1 – cos x)

9. (MACKENZIE) – Sendo 4 sen x = 3 cos x, para qualquer valor


A partir das medidas indicadas na figura, conclui-se que a altura do real de x, então tg x vale:
suporte é:
3 4 3 4
a) 7 cm b) 11 cm c) 12 cm d) 14 cm e) 16 cm a) –– b) –– c) 1 d) – –– e) – ––
4 3 4 3

60 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 61

10. Sendo x um ângulo agudo e cos x = 2/3, determinar o valor de


sen x. MÓDULO 10
ARCO OU ÂNGULO TRIGONOMÉTRICO
2
11. Sendo sen x + cos x = –– , obter o valor da expressão sen x . cos x.
3
1. Obter a primeira determinação positiva dos arcos com medidas:
12. Seja x um número real pertencente ao intervalo [0, π/2]. Se a) 1000°
sec x = 3/2, então tg x é igual a: b) – 1210°
a) 2/3 b) 2/3 c) 1/2 d) 
5 /2 e) 3/2 c) 1500°

2. Determinar o conjunto das determinações dos arcos assinalados nas


13. Se x ∈  – {kπ}, k ∈ , então qual o valor numérico da expressão
figuras.
(1 + cotg2x) . (1 – cos2x)?
a) 0 b) 1 c) 2 d) 3 e) 4 f) 5

MÓDULO 9
ARCOS DA CIRCUNFERÊNCIA

1. Calcular o menor dos ângulos formados pelos ponteiros de um


relógio que está indicando:
a) 1h b) 1h 15min c) 1h 40min

2. (UEL) – A medida do menor ângulo determinado pelos ponteiros


de um relógio que marca 10h 20min é:
a) 170° b) 165° c) 160° d) 155° e) 150°

3. Um arco de circunferência mede 10 cm e o raio da circunferência


mede 5 cm. Calcular a medida do arco em radianos.

 , tal
4. Sobre uma circunferência de raio 10 cm, marca-se um arco AB
 mede 10 cm. Determine o comprimento do arco AB
que a corda AB .

5. (UFRN) – Se um ângulo mede 40°, então sua medida em radianos


vale:
π π 2π 3π 5π
a) –– b) –– c) ––– d) ––– e) –––
3 4 9 7 6

6. (UFPA) – Qual a medida em radianos de um arco de 135°?


π π 3π 5π
a) –– b) –– c) ––– d) π e) –––
4 2 4 4

– 61
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 62

3. Determine no ciclo trigonométrico, em cada um dos casos a seguir, 2. Determine o valor de α na figura.
a primeira determinação positiva (em graus e radianos) dos arcos com
extremidades indicadas.

a)

3. Na figura, x vale:

b)

a) 20° b) 30° c) 35° d) 38° e) 40°

4. Na figura, as retas r e s são paralelas. A medida do ângulo x é:

c)

a) 90° b) 100° c) 110° d) 120° e) 130°


^ na figura.
5. Se r // s, determine α

4. Representar no ciclo trigonométrico as imagens dos números reais


x, em cada caso abaixo.
π
a) x = ––– + n . 2π (n ∈ ) b) x = 120° + n . 180° (n ∈ )
3
c) x = ± 60° + n . 180° (n ∈ )

FRENTE 4
MÓDULO 2
MÓDULO 1
TRIÂNGULOS: DEFINIÇÃO E PROPRIEDADES
INTRODUÇÃO AO ESTUDO DA GEOMETRIA PLANA
1. O valor de x na figura é:
1. O valor de x na figura é:

a) 100° b) 110° c) 120° d) 130° e) 140° a) 100° b) 105° c) 110° d) 115° e) 120°

62 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 63

2. Calcule x na figura.
MÓDULO 3
TRIÂNGULOS: CLASSIFICAÇÃO E CONGRUÊNCIA

1. Num triângulo isósceles, o ângulo do vértice mede 58°. Calcule a


medida dos ângulos externos da base.

2. Um ângulo externo da base de um triângulo isósceles mede 108°.


Calcule a medida do ângulo externo do vértice.
3. Os ângulos de um triângulo medem, respectivamente, 3x, 4x e 5x.
Então, x vale, em graus: 3. Num triângulo isósceles, a soma dos ângulos da base é oito vezes
o ângulo do vértice. Calcule as medidas dos ângulos internos do
a) 125° b) 55° c) 35° d) 65° e) 15°
triângulo.

^ ^ ^ — —
4. Determine x na figura. 4. Na figura a seguir, calcule os ângulos A, B e C, sendo AD ≅ CD,
↔ ↔ ^
CD ⊥ BC e  ADC = 130°.

5. Determine os valores de x, y e z na figura.


^ ^
5. Calcule os ângulos A e C do triângulo ABC da figura, sendo
^ ^ — —
B = 20°, BDC = 105° e AC ≅ AD.

6. No triângulo ABC da figura abaixo, BI e CI são bissetrizes dos


^ ^ ^
ângulos internos B e C, e a medida do ângulo A é 40°. A medida do
^ 6. Num triângulo isósceles, um ângulo externo vale 30°10’. O(s)
ângulo BIC é:
valor(es) possíveis para os ângulos côngruos é (são):
a) somente 15°5’ b) 15°5’ e 140°50’ c) somente 20°30’
d) 20° e 140° e) somente 10°05’

^ ^ ^
7. Calcule os ângulos B e C do ΔABC, sabendo que A = 40° e os
triângulos ADE, BDE e BCE são isósceles, conforme a figura a seguir.

a) 80° b) 90° c) 10° d) 110° e) 120°

7. Um dos ângulos externos de um triângulo é o triplo do ângulo


interno adjacente, e a diferença entre as medidas dos outros dois 8. Num triângulo retângulo, a altura relativa à hipotenusa forma com
ângulos internos é 35°. Calcule os ângulos internos do triângulo. a bissetriz do ângulo reto um ângulo de 15°. Calcule os ângulos agudos.

– 63
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 64

MÓDULO 4 MÓDULO 5
POLÍGONOS: DEFINIÇÃO, QUADRILÁTEROS NOTÁVEIS
CLASSIFICAÇÃO E PROPRIEDADES E LINHAS PROPORCIONAIS

1. O número de diagonais de um icoságono convexo é: 1. (UNIP) – O quadrilátero ABDE é um quadrado e o triângulo ABC é
a) 130 b) 140 c) 150 d) 160 e) 170 ^
equilátero. O ângulo C DA vale:

2. Um polígono tem 9 diagonais. O número de lados é:


a) 5 b) 6 c) 7 d) 8 e) 11

3. O número de lados de um polígono é a terça parte do número de


diagonais. O número de lados do polígono é:
a) 8 b) 9 c) 10 d) 11 e) 12

a) 15° b) 20° c) 25° d) 30° e) 35°


4. A soma dos ângulos internos de um decágono convexo é:
a) 720° b) 900° c) 1440° d) 1800° e) 2160° 2. Na figura a seguir, ABC é um triângulo equilátero e BCDE é um
^
quadrado. O ângulo A FD mede:

5. Cada um dos ângulos internos de um pentágono regular mede: a) 90° b) 105°


a) 9° b) 108° c) 36° d) 72° e) 90° c) 120° d) 135°
e) 150°
6. O ângulo externo de um polígono regular mede 18°. O número de
lados do polígono é:
a) 10 b) 15 c) 20 d) 30 e) 16

3. Na figura abaixo, ABCD é um quadrado e ABE é um triângulo


7. A soma dos ângulos internos de um polígono convexo de n lados é ^
720°. O número de lados do polígono é: equilátero. A medida do ângulo BDE é:

a) 3 b) 4 c) 5 d) 6 e) 7

8. A soma dos ângulos assinalados é:

a) 10° b) 15° c) 20° d) 25° e) 30°

4. (UnB) – Considere a figura abaixo. Sabendo que os segmentos


—— —
AB, BC e A’B’ têm comprimentos 4 cm, 2 cm e 8 cm, respectivamente,

determine o comprimento do segmento B’C’.

a) 90° b) 180° c) 200° d) 360° e) 380°

9. Três polígonos convexos têm, respectivamente, n, n + 1, n + 2


lados. A soma dos ângulos internos desses polígonos é 1620°.
Determine o valor de n.

64 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 65

Enunciado para as questões 5, 6 e 7: 3. Um retângulo cuja base é o dobro da altura está inscrito em um
triângulo de base 16 cm e altura 10 cm, conforme a figura. Calcule o
Um feixe de quatro paralelas determina sobre uma transversal os perímetro desse retângulo.
pontos A, B, C e D e sobre outra, os pontos E, F, G e H.
São dados AB = 1,2 m, BC = 30 dm, CD = 4,5 m e EH = 34,8 m.


5. A medida de EF é:
a) 4,3 m b) 4,4 m c) 4,6 m
d) 4,8 m e) 50 dm

— —
6. A soma das medidas dos segmentos EF + FG é:
4. Calcule x no trapézio da figura abaixo.
a) 16,3 m b) 16,8 m c) 18,3 m
d) 18,6 m e) 18 m


7. A medida do segmento FG é:
a) 10 m b) 12 m c) 15 m
d) 20 m e) 26 m

8. Três terrenos têm frentes para a rua A e para a rua B, conforme a


figura. As divisas laterais são perpendiculares à rua A. Qual a medida
de frente para a rua B de cada lote, sabendo-se que a frente total para
5. Calcule x na figura.
essa rua é 120 m?

6. (MACKENZIE) – Na figura, AH = 4, BC = 10 e DC = 8. A medida


de AB é:
a) 4,8 b) 5,2 c) 5,0 d) 4,6 e) 5,4
MÓDULO 6
SEMELHANÇA DE TRIÂNGULOS

1. (FUVEST) – A sombra de um poste vertical, projetada pelo sol


sobre um chão plano, mede 12 m. Nesse mesmo instante, a sombra de
um bastão vertical de 1 m de altura mede 0,6 m. A altura do poste é:
a) 6 m b) 7,2 m c) 12 m d) 20 m e) 72 m
7. (UFSE) – Na figura abaixo, são dados AC = 8 cm e CD = 4 cm. A

2. (MAUÁ) – A figura abaixo mostra um quadrado, inscrito num medida de BD é, em centímetros:
triângulo de base 20 cm e altura 12 cm. Calcule o lado desse quadrado. a) 9 b) 10 c) 12 d) 15 e) 16

– 65
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 66

6.
MÓDULO 7
RELAÇÕES MÉTRICAS
NOS TRIÂNGULOS RETÂNGULOS

1. O terceiro lado do triângulo mede:


a) 3
b) 
41
c) 
37
d) 4
e) 
34
7. (PUC) – Na figura a seguir, os segmentos são medidos em metros.

2. O valor de x na figura é:

a) 5
b) 6
c) 7
d) 8
e) 9
O segmento x
a) vale 11 m. b) vale 105 m.
c) é impossível saber, pois 43 não tem raiz exata.
3. Na figura abaixo, x vale: d) vale 7 m.
a) 5 m
8. O valor de x na figura, em que b é conhecido, é dado por:
b) 
47 m

c) 47 m
d) 25 m
e) 12 m

Calcule x nas figuras de 4 a 6.


4.

2b
5
a) –––––– b) b
10 c) b2
5
d) 2b e) 1

9. Com os dados da figura, calcule h.

5.

66 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 67

10. (FEI) – Calcule o comprimento x na tangente exterior, comum a 4. (FUVEST) – Na figura abaixo, A, B, C são pontos de tangência.
duas circunferências tangentes externas, de raios r e r’.
Então, x vale:
3 1 3
a) –––– b) –– c) ––––
16 8 32
1 1
d) –––– e) ––––
32 16

MÓDULO 8
LUGARES GEOMÉTRICOS
E PONTOS NOTÁVEIS DO TRIÂNGULO

1. Responda V ou F conforme as afirmações sejam verdadeiras ou


falsas. 5. Sendo B o baricentro de um triângulo isósceles AMN, em que
a. ( ) Num triângulo isósceles, o circuncentro coincide com o bari- m = n = 10 cm e a = 16 cm, então AB vale:
centro. a) 5 cm b) 4 cm c) 6 cm
b. ( ) Num triângulo equilátero, o ortocentro coincide com o bari-
10
3
centro. d) –––––– cm e) 5
3 cm
c. ( ) Se o ortocentro é vértice, o triângulo é retângulo. 3
d. ( ) Se o incentro está na mediatriz, o triângulo é isósceles.
e. ( ) Num triângulo isósceles, a mediana e a bissetriz em relação à 6. (FUVEST) – A hipotenusa de um triângulo retângulo mede 20 cm,
base são coincidentes. e um dos ângulos, 20°.
f. ( ) Em qualquer triângulo, o baricentro é interno. a) Qual a medida da mediana relativa à hipotenusa?
g. ( ) Em qualquer triângulo, o incentro é interno. b) Qual a medida do ângulo formado por essa mediana e pela bissetriz
h. ( ) Em qualquer triângulo, o circuncentro é interno. do ângulo reto?
i. ( ) Se o circuncentro é externo, o triângulo é obtusângulo.
j. ( ) Se o circuncentro é interno, o triângulo é equilátero.
k. ( ) Se o triângulo é retângulo, o circuncentro é o ponto médio da
MÓDULO 9
hipotenusa.
ÂNGULOS NA CIRCUNFERÊNCIA
l. ( ) Se o triângulo é obtusângulo, o ortocentro é externo.
E POTÊNCIA DE PONTO
2. Sendo I o incentro do triângulo, determine o valor do ângulo BÂC.
1. Determine x nas figuras.

a)

3. Na figura, sendo B o baricentro, determine AB.

b)

– 67
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 68

^
c) 5. (MACKENZIE) – Na figura abaixo, sabe-se que m(CAD) = 20º e
^ ^
m(CED) = 70°. Então, AMB é igual a:
a) 50º b) 45º c) 60º d) 22º30’ e) 30º

d)

––
6. (FEI) – Na figura abaixo, AB é tangente à circunferência no ponto
^ –– ––
2. Na figura, ADC = 60°; então, x vale: B e mede 8 cm. Se AC e CD têm a mesma medida x, o valor de x, em
cm, é:
a) 120° a) 4 b) 43 c) 8 d) 32 e) 42

b) 100°

c) 40°

d) 60°

e) 200°

3. Calcule x na figura, sabendo que O é o centro da circunferência.

7. (UEPA) – Na figura abaixo, sabe-se que PA = 3PC. Então,


a) PB = 4PC. b) PB = 9PC. c) 2PB = 3PC.
d) PB = 3PC. e) 3PB = 4PC.

4. (UCSAL) – A medida do ângulo x representado na figura é:


a) 10° b) 15° c) 20° d) 25° e) 30°

8. (FUVEST) – O raio da circunferência da figura é 2,5 cm e


AT = 6 cm (T é o ponto de tangência). Então, AB = x vale:
a) 2 b) 9 c) 3 d) 2,5 e) 4

68 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 69

b)

c)

9. (FEI) – Se AB = 10 cm, então o perímetro do triângulo hachurado


vale (E, B e T são pontos de tangência):
a) 10 cm b) 15 cm c) 20 cm d) 30 cm e) 32 cm

d)

e)
10. A circunferência está inscrita no triângulo ABC em que AB = 8,
AC = 9 e BC = 7. Então, x vale:
a) 1,5 b) 2,8 c) 3,0 d) 4,6 e) 5,0

f) Triângulo equilátero

2. (UFSC) – A área da figura sombreada é:


a) 4–π
b) 4 (1 – π)
MÓDULO 10 c) 2 (2 – π)
d) 4
ÁREAS DAS FIGURAS PLANAS
e) π
1. Calcule as áreas das figuras:

a) 3. (UNIV. METODISTA DE SÃO PAULO) – Um trapézio retângulo


tem base maior 15 cm, base menor 9 cm e altura 8 cm. A medida do
lado não perpendicular às bases e a área do trapézio valem, respectiva-
mente,
a) 17 cm e 192 cm2. b) 10 cm e 96 cm2.
c) 10 cm e 192 cm2. d) 
10 cm e 96 cm2.
e) 17 cm e 96 cm2.

– 69
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 70

4. (UFMA) – No triângulo ABC, D é o ponto médio do lado AC. 6. (FGV) – A área da figura sombreada, no diagrama abaixo, vale:
Sendo S1 a área do triângulo ABD e S2 a área do triângulo BCD,
a) 4,0 b) 3,5 c) 3,0 d) 4,5 e) 5,0
podemos afirmar que:

1 1
a) S1 = S2 b) S1 = –– S2 c) S2 = –– S1
2 2

2 2
d) S1 = –– S2 e) S2 = –– S1
3 3 7. (UFPE) – Na figura seguinte, o quadrado ABCD tem área igual a
100 cm2. Sabe-se que AE = AF e as medidas de AE e EB estão na razão
de 1 para 4. A área da região sombreada é, em cm2:
5. (UFCE) – Sejam r e s retas paralelas conforme a figura. a) 63 b) 59 c) 64 d) 70 e) 58

Se S1 representa a área do triângulo ABC, S2 representa a área do



paralelogramo ADEF e B é o ponto médio do segmento AD, então
S1
a razão ––– é igual a:
S2

a) 1 b) 4 c) 1/4 d) 2 e) 1/2

70 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 71

FRENTE 1 MÓDULO 9
1) B 2) B 3) A 4) B 5) E
MÓDULO 1
1) V = {– 1} 2) V = {– 4} 3) a) V = Ø b) V = 
4) C 5) D 6) R$ 15 000,00 MÓDULO 10
1) x = 5 2) x = 4 3) x > 5 4) x < 4 5) x < 5
MÓDULO 2 6) x > 4 7) D 8) B 9) E 10) x = 1
1
 
–1 1 11) A 12) Ø 13) – ––
1) V = ––– , –– 2) V = {1, 7} 3) 3 4) V = Ø 2 <x<0
3 2

–3 3
5) V = {– 4, 0} 
6) V = ––– , ––
2 2  7) V = {1, 2, 3} FRENTE 2
8) V = {1} 9) E 10) a) 24 caminhões b) 2 500 kg
MÓDULO 1
MÓDULO 3 1) C 2) E 3) C 4) D
5) D 6) 02, 08, 16
1) m = 31 2) C 3) B 4) Alternativa (1) 5) C 6) D

MÓDULO 4 MÓDULO 2
1) A 2) B 3) E
1) V = {(2, 1)} 2) 15 anos 3) 35 4) A
4) D 5) D 6) C

7) Utilizando o Diagrama de Venn, tem-se a seguinte distribuição


MÓDULO 5 da quantidade de sócios entrevistados:

1) A 2) E 3) E 4) No mínimo 7,9
5) V = {x ∈  | x > 2} 6) V = {x ∈  | x > – 1}

7) V = {x ∈  | x < 1}

MÓDULO 6
1) C 2) B 3) A 4) C 5) B
a) O número de sócios entrevistados que estão em dúvida entre
votar em B ou em C, mas não votariam em A (conjunto
MÓDULO 7 (B  C) – A) é 20.
O número de sócios consultados que pretendem participar
da eleição, mas não votariam em B (conjunto (A  B  C) – B)
1) C 2) E 3) A 4) A
é 150.
b) O número de sócios que participaram da pesquisa é 400.
MÓDULO 8 Respostas: a) 20 e 150 b) 400

1) E 2) E 3) D 4) C 5) E

– 71
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 72

MÓDULO 3 MÓDULO 4
1) D
1) E 2) É função 3) A
2)
4) Os pares ordenados (x; y) de A × B que satisfazem a equação
y = 2x + 1 são (2; 5) e (3; 7).
Assim, f = {(2; 5), (3; 7)} não é função, pois o elemento 4 não se
relacionou.

Sendo f(x) = x2 – 6x + 8, temos:


5) f(0) = 02 – 4 . 0 + 3 = 3
f(1) = 12 – 6 . 1 + 8 = 3
f(1) = 12 – 4 . 1 + 3 = 0 f(2) = 22 – 6 . 2 + 8 = 0
f(2) = 22 – 4 . 2 + 3 = – 1 f(3) = 32 – 6 . 3 + 8 = – 1
f(3) = 32 – 4 . 3 + 3 = 0 f(4) = 42 – 6 . 4 + 8 = 0
f(4) = 42 – 4 . 4 + 3 = 3 f(5) = 52 – 6 . 5 + 8 = 3
f(5) = 52 – 4 . 5 + 3 = 8 f(6) = 62 – 6 . 6 + 8 = 8
O gráfico de f é f(7) = 72 – 6 . 7 + 8 = 15
Observe que o conjunto imagem de f é [–1; 15].
– 1 + 15
Assim, m = – 1 e M = 15 e a média aritmética é ––––––– = 7
2
Resposta: 7

3) D 4) C 5) C 6) D 7) E
8) [– 2, – 1[  ]– 1, 4[ 9) A

MÓDULO 5
1) D 2) B 3) D 4) E 5) E
6) O gráfico de f é:

Resposta: O conjunto imagem de f é {– 1; 0; 3; 8}

6) C 7) A

8) 0 e 2 são pares e, portanto, f(0) = 0 e f(2) = 2.


1 e 3 são ímpares e, portanto, f(1) = 1 + 1 = 2 e f(3) = 3 + 1 = 4
O gráfico f é O conjunto imagem de f é [1; 5].
Se f é sobrejetora, então CD(f) = Im(f) ⇔ [a; b] = [1; 5] ⇔
⇔a=1eb=5⇔a+b=6
Resposta: C

7) Pela análise gráfica, pode-se concluir:


1) O período gasto para a pressão subir (4 horas) é maior do
que o período em que ela ficou constantemente alta.
2) A variação de pressão entre 2 e 4 horas é maior do que a
variação de pressão nas duas primeiras horas.
Im(f) = {0; 2; 4; 6; …} 3) Após as 2 primeiras horas, a pressão não foi estritamente
Resposta: Vide gráfico e resolução. decrescente.

72 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 73

4) A queda de pressão ocorreu entre 5 e 7 horas e, portanto, não 6) 58 e 0,480 MHz 7) C 8) 49 505
foi repentina.
5) Após as nove horas, a pressão voltou a subir e, portanto, o 9) A
remédio não foi totalmente eficaz, apenas paliativo.
Resposta: E
MÓDULO 9
8) a) 61,5 litros b) C
1) A 2) B 3) E 4) D

MÓDULO 6 5) E 6) 36 7) E 8) D
1) D 2) B 3) D
1
4) –––
4
5) a) (fog)(0) = 2 MÓDULO 10
(gof)(1) = – 36
b)  1) B 2) E 3) B

4) a) 750 m b) 22500 m
6) f(x + 1) = 7 . (x + 1) – 4 = 7x + 3
f[g(x)] = x2 – f(x + 1) = x2 – (7x + 3) = x2 – 7x – 3 5) B 6) A 7) A
mas f[g(x)] = 7 . g(x) – 4 8) A 9) C 10) 5 m
Dessa forma, 7g(x) – 4 = x2 – 7x – 3 ⇒
1 1 1 1 1
g(x) = ––– . x2 – x + ––– e g(7) = ––– . 72 – 7 + ––– = –––
7 7 7 7 7 FRENTE 3
Resposta: A

7) 1) g(x) = 2x + 5
fog(x) = 6x + 3  ⇒ f(g(x)) = f(2x + 5) = 6x + 3 MÓDULO 1
t–5 1
2) 2x + 5 = t ⇒ x = ––––– 1) 81 2) 81 3) – 81 4) 1 5) –––
2 25
t–5 4
3) f(t) = 6 . ––––– + 3 = 3t – 12 ⇒ f(x) = 3x – 12 6) 1 7) ––– 8) 4 9) 4 10) – 27
2 9
4) Fazendo f(x) = 3x – 12 = y, tem-se 1 1
11) B 12) a) a = 27, b = – 8, c = ––– e d = – –––
y + 12 x 9 8
x = ––––––– ⇔ f –1(x) = ––– + 4
3 3 b) b, d, c, a
Resposta: E 13) E 14) C

8) E 15) a) 3 ; b) 2; c) 1; d) – 1; e) – 2; f) – 3; g) – 4; h) – 5; i) – 3

MÓDULO 7
90 + y
1) a) S(x) = 15x – 90 e H(y) = ––––––– b) R$ 90,00 MÓDULO 2
15
2) A 3) 14 4) E 1) E 2) D 3) C 4) B 5) C
6) A 7) B 8) E 9) E
5) f –1(y) = 
2y – 5, em que y é a resposta de Paulo.

MÓDULO 8 MÓDULO 3
1) 5 2) – 5 3) ± 5 4) 4 5) – 4
1) C
6) 4 7) 10 8) 5 9) 2
2) a) (an) = (1; 4; 2; 2; 4; …) b) a50 = 1
10)
9 + 16 = 
25 = 5 e 
9 + 
16 = 3 + 4 = 7
3) D 4) D 5) E
11)2 12) C 13) C 14) A

– 73
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 74

8) B 9) D 10) B 11) C
MÓDULO 4
12) C 13) B
23

3
1) O maior é 4 2) D 3) – ––– 4) C
16
MÓDULO 8
5) C 6) A 7) E 8) D
1) a) F b) V c) V d) F e) F f) V
g) V h) V i) V j) V
MÓDULO 5
3 4
1) a) 2 (2x – y) b) xy(1 + x + 3y) 2) cos x = ––– e tg x = –––
5 3
c) a (3 + 2a + 5a2) d) 3a (1 + 2a + 3a2)
e) (2x + y) (2 + a) f) (x – y) (3 + a) cos2 x 1
3) 1 + cotg2 x = 1+ –––––––
2
= ––––––– = cossec2 x
g) (a + 3) (a – 3) h) (2x + 5) (2x – 5) sen x sen2 x

i) (2m + 1) (2m – 1) j) 4ab 4) sec x 5) 1 6) tg x 7) tg3 x


k) (x2 + y2) (x + y) (x – y)

5 5
2) A 3) 1 090 4) (2x – y) (3x – y) 8) cossec x 9) A 10) ––– 11) – –––
3 18
5) 1 6) A 7) C 8) B
12) D 13) B

MÓDULO 6
MÓDULO 9
1) a) a2 + 4a + 4 b) a2 – 4a + 4
c) 81 + 18x + x2 d) 81 + 18xy + x2y2 1) a) 30° b) 52°30’ c) 170°
e) 16m2 – 24mn + 9n2 f) x3 + 8
10π
g) 64 – m3 2) A 3) 2 rad 4) –––– cm 5) C 6) C
3
2) a) (a + 5)2 b) (3 – m)2
c) (8 – mn)2 d) (2 + x) (4 – 2x + x2)
e) (2 – x) (4 + 2x + x2) MÓDULO 10
f) (a + 2n) (a2 – 2an + 4n2)
3) – 88 4) C 5) 23 6) C 1) a) 280° b) 230° c) 60°
7) E 8) A 9) C 10) B
π
{
2) a) ––– + n . 2 π (n ∈ )
3
}
MÓDULO 7 π
{
b) ––– + n . π (n ∈ ) }
3
3 4 3 5 5
1) a) ––– b) ––– c) ––– d) ––– e) –––
5 5 4 3 4 c) {60° + n . 360° (n ∈ )}

4 4 3 4 5
f) ––– g) ––– h) ––– i) ––– j) ––– d) {60° + n . 180° (n ∈ )}
3 5 5 3 4

5
k) –––
3
3
l) –––
4 4
{
e) –––– + n . 2 π (n ∈ ) }

5
2) –––
2
3
3) 3 4) 8 5) 
3 4
{
f) –––– + n . π (n ∈ ) }
5 
3 5 5
g) { 0 + n . 2π = n . 2π ou
0° + n . 360° = n . 360° (n ∈ )
}
6) –––––– 7) sen α = ––– e tg α = –––
2 13 12

h) ± ––– + n . 2π (n ∈ )
3
}
74 –
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 75

3) a)
FRENTE 4

MÓDULO 1
1) C 2) α = 36° 3) B
4) D 5) α = 90°

b)
MÓDULO 2
1) C 2) x = 130° 3) E 4) x = 150°

5) x = 30°, y = 70° e z = 80° 6) D 7) 45°, 50° e 85°

MÓDULO 3
1) 119° 2) 144° 3) 20°, 80° e 80°
c)
^ ^ ^ ^ ^
4) A = 25°, B = 40° e C = 115° 5) A = 30° e C = 130°

^ ^
6) A 7) B = 87°30’ e C = 52°30' 8) 30° e 60°

MÓDULO 4
1) E 2) B 3) B 4) C 5) B
4) a)
6) C 7) D 8) D 9) n = 4

MÓDULO 5
1) D 2) C 3) E 4) B’C’ = 4 cm 5) D

b) 160 80
6) B 7) B 8) ––––– m, 40 m, ––– m
3 3

MÓDULO 6
80
1) D 2) 7,5 cm 3) ––– cm 4) 10
3

5) 1,5 cm 6) C 7) C
c)

MÓDULO 7
1) E 2) B 3) A 4) 5 5) 7 6) 25

7) E 8) A 9) 12 10) 2 
r . r’

– 75
C1_SOROCABA_Tar_MAT_Rose_2014 03/12/13 14:26 Página 76

MÓDULO 8
1) a) F b) V c) V d) V e) V f) V

g) V h) F i) V j) F k) V l) V

2 
13
2) 20° 3) ––––––– cm 4) E
3

5) B 6) a) 10 cm b) 25°

MÓDULO 9
1) a) 56° b) 65° c) 35° d) 80°

2) C 3) 140° 4) C 5) E 6) E

7) B 8) E 9) C 10) C

MÓDULO 10
1) a) 20 cm2 b) 1 cm2 c) 12 cm2


3
d) 2 cm2 e) 6
3 cm2 f) –––– cm2
4

2) A 3) B 4) A

5) C 6) D 7) E

76 –