Você está na página 1de 7

A CONTABLIDADE NACIONAL

Noção de Contabilidade Nacional


Contabilidade nacional – Conjunto de operações que se executam no
sentido de apurar o valor de certas grandezas económicas e sociais, cujo
conhecimento é indispensável para avaliar a situação do país e proceder
à (re)definição das politicas de gestão nacionais.

Objetivos da contabilidade nacional


- avaliar a situação presente
- aferir o percurso seguido
- planificar o desenvolvimento
- assegurar a justiça social

Causas do seu aparecimento


- Vontade de medir a força económica, por parte de governantes e
economistas, considerando que essa força seria decisiva no caso da sua
entrada em conflitos armados.
- Grande crise americana, deu um impulso para a recolha e tratamento de
dados estatísticos
- Entrada de Portugal na UE, implicou a adoção do Sistema de Contas
Europeu

Conceitos Necessários à Contabilidade Nacional


Sectores Institucionais

Unidade institucional – unidade de produção que goza de capacidade de


decisão autónoma no exercicio da sua função principal e que dispõe de
contabilidade completa.
Sectores Institucionais – conjuntos de unidades de produção que gozam
de autonomia no desempenho da sua função principal e que apresentam
comportamento económico semelhante.
Sector Função Principal Principais
Institucional Recursos
Empresas não Produzir bens e Receitas
financeiras serviços provenientes da
comercializaveis, venda da
não financeiros produção.
Instituições Financiar, isto é, Depósitos
Financeiras receber, recebidos; juros e
transformar e premios
repartir contratuais.
disponibilidades
financeiras e
sugarar contra
riscos.
Administrações Prestar serviços Pagamentos
Publicas nao obrigatorios,
comercializaveis e efectuados pelos
redistribuir o outros sectores.
rendimento e a
riqueza.
ISFLSF – Prestar serviços Contribuições
Instituições sem não voluntarias das
fins lucrativos ao comercializaveis familias,
serviço das (ou rendimentos de
familias. comercializaveis propriedade e
sem fins lucrativos) subsidios.
destinados a
grupos particulares
de familias
Familias e Consumir (e Remuneraçoes dos
empresas produzir bens e factores produtivos;
individuais serviços transferencias de
comecializaveis outros sectores
não financeiros) (receitas
provenientes das
vendas)
Resto do Mundo Trocar bens, Receitas
serviços e capitais provenientes das
com os não trocas efectuadas.
residentes.
Território económico
Território onde os agentes económicos de um país realizam as suas
atividades produtivas criadoras de riqueza para esse país mesmo sendo
fora dos seus limites fronteiriços (território geográfico)

Este inclui:
- O Território geográfico, em cujo interior os bens, os capitais e os
trabalhadores circulam livremente;
- O espaço aéreo nacional, as águas territoriais e os navios e aeronaves
territoriais que se podem encontrar fora do território geográfico
- Os enclaves territoriais no estrangeiro (embaixadas, consulados, bases
militares)

Unidade Institucional
Qualquer unidade de produção que decide autonomamente acerca da
função principal que desempenha e que dispõe de contabilidade completa.

- Unidade residente – Toda a unidade institucional que realiza operações


económicas no território económico, há pelo menos mais de um ano
- Unidade não residente – Toda a unidade institucional que pratica
operações económicas fora do território económico de um país ou que os
pratica nesse território há menos de um ano

Ramo de atividade
Unidades de produção homogénea – Unidades de produção que
executam semelhantes processos de produção sobre um ou mais
produtos homogéneos

Ramo de atividade – Constituído pelo conjunto de todas as unidades de


produção homogénea, relativas ao mesmo produto. A atividade produtiva
nacional decompõe-se em 49 produtos e consequentemente em 49 ramos
de atividade.

Exemplos
Sector 1 – Agricultura / Silvicultura / Pesca
Sector 2 – Vidro / Petróleo / Tabaco / Bebidas / Construção
Sector 3 – Comercio / Bancos / Seguros / Comunicações
Óticas de Calculo do Valor do produto
Óticas para determinar o valor de produção de um país
- Ótica do produto – Os produtos são contabilizados segundo o ramo de
atividade económica que lhes dá origem
- Ótica do Rendimento – Atende-se ao modo como o rendimento foi
repartido, rendimento esse, resultante da produção conseguida pelos
intervenientes no processo produtivo
- Ótica da despesa – Determina-se o valor do produto tendo em conta o
seu destino e utilização (consumo, investimento, exportação), a partir das
despesas efetuadas

Calculo do valor do produto pela ótica do produto


- Problema da múltipla contagem – é um dos principais obstáculos à
determinação do valor do produto de um país. Traduz a dificuldade que
existe em evitar que o valor de um bem seja registado mais que uma vez.

- Método dos valores acrescentados – Constitui a superação à


dificuldade anterior. Baseia-se na determinação do valor acrescentado por
cada unidade produtiva.

- Método dos produtos finais – Consiste em determinar o valor do


produto através das vendas de bens e serviços de consumo final.

O somatório dos valores acrescentados pelos 49 ramos dar-nos-á o valor


do produto interno do país.

Este somatório também nos dá outras informações, como a importância


de cada ramo de atividade na economia do país, a natureza e a origem do
produto realizado.

Algumas noções de produto

Produto Liquido = Produto Bruto – Consumo de capital Fixo

Produto Nacional = Produto Interno + Saldo dos Rendimentos com o Resto


do Mundo.
Produto a custo de fatores e produto a preços de mercado

O valor da produção pode ser determinado, tendo em atenção os custos


de produção no produtor – preços a custo de fatores – ou tendo em conta
os preços de venda – preços de mercado.

Produto p.m = Produto c.f. + Impostos indirectos – Subsidios à Produção

Produto a preços correntes e produto a preços constantes

Calculado a preços correntes – quando os bens e serviços são valorizados


aos preços correntes ou a preços constantes

Calculado a preços constantes – quando os bens e serviços são


valorizados segundo preços de um ano considerado como base.

Do produto nacional bruto a preços de mercado (PNBp.m.) ao


Produto Nacional Liquido a custo de factores (PNLc.f.)

PIBpm = ∑ VABpm + Impostos Ligados à importação

PNBpm = PIBpm + Saldo do Resto do Mundo

PNLpm = PNBpm – Consumo de Capital Fixo (amortizações)

PNLcf = PNBpm – Consumo de Capital Fixo – Impostos indirectos +


Subsidios a produção

Calculo do valor do produto pela óptica do rendimento


Pretende salientar como foram repartidos os rendimentos resultantes da
produção conseguida pelos diversos intervenientes no processo produtivo

PNBpm = PIBpm + Saldo rend. c/ resto mundo

PNLpm = PNBpm – Cons. Cap. Fixo

PNLcf (RN) = PNLpm – Imp liquidos de subsidios


RN disp. liquido cf = PNLcf (RN) + Saldo transf c/ RM

Calculo do valor do produto pela óptica da despesa


Neste caso, determina-se o valor do produto, tendo em conta o seu destino
e utilização, isto é, a partir das despesas efectuadas

O calculo da despesa nacional, exige que conheçamos:


- consumo privado dos residentes
- consumo publico

Procura Interna Final = Cons. Privado + Cons Pub. + FBCF

Procura Interna Total = Procura interna Final + Variação de existencias

Procura Global = Procura Interna Total + Exportações

PIBpm (DI) = Cprivado + Cpublico + FBCF+ Exp - Imp

PNBpm(DN) = PIBpm + S. Rend. c/ resto do mundo

PNLpm = DN (PNBpm) – Cons. Cap. Fixo

PNLcf (RN) = DN – Cons. Cap. Fixo – Imp.Ind. + Subs.

--

PIBcf = PIBpm(DI) + Subs. à Prod. – Imp Indirectos

PILcf = PIBpm(DI) + Subs. à Prod – Imp.Ind. – Amort.

PNBpm/DN/RN = PIBpm(DI) + Saldo Rend. R.Mundo

PNLpm = PIBpm(DI) + Sald. Rend. R. Mndo – Amort.

PNLc.f .= PIBpm/DI+S.R.R.M– Amrt.-Imp Ind+Sbs.Prod.


Limitações à Contabilidade Nacional
Produção não contabilizada

Economia subterrânea – Atividades em que o ramo é legal mas escapam


à contabilidade nacional porque:
- evitam o pagamento de impostos
- evitam o pagamento de descontos sociais
- fogem ao cumprimento de normas legais relativamente a salarios /
segurança / saúde

Economia Ilegal – Tipo de atividades ilegais


- produção de bens e serviços cuja produção, venda ou posse é ilegal
(drogas)
- produção legal, mas praticadas por pessoas não autorizadas (pratica
ilegal da medicina)

Economia Informal – Atividades cujos bens se destinam ao autoconsumo


e escapam facilmente à contabilidade nacional (donas de casa, bricolage)
- produção de bens para autoconsumo
- atividades que têm como objetivo principal proporcionarem trabalho e
rendimento às pessoas envolvidas.

Externalidades
Efeitos positivos ou negativos decorrentes de certas situações que não
são contabilizadas, como por exemplo, os efeitos da poluição sobre a
saúde dos cidadãos (externalidades negativas) ou os efeitos da formação
Professional sobre a produtividade (externalidades positivas).

Positivas
Construção de um hospital (saúde) / Investigação Cientifica
(desenvolvimento tecnológico) / Construção de uma Estrada
(infraestruturas)

Negativas
Gases das fabricas (poluição) / produção de armamento