Você está na página 1de 14

Teoria do Desenvolvimento Cognitivo de Jean Piaget

Por Saul McLeod , atualizado em 2018

A teoria do desenvolvimento cognitivo de Piaget (1936) explica


como uma criança constrói um modelo mental do mundo. Ele
discordou da ideia de que a inteligência era um traço fixo e
considerou o desenvolvimento cognitivo como um processo que
ocorre devido à maturação biológica e interação com o ambiente
Piaget foi empregado no Instituto Binet na década de 1920, onde
seu trabalho era desenvolver versões em francês de perguntas
sobre testes de inteligência em inglês. Ele ficou intrigado com as
razões pelas quais as crianças davam as respostas erradas às
perguntas que exigiam raciocínio lógico. Ele acreditava que essas
respostas incorretas revelavam diferenças importantes entre o
pensamento de adultos e crianças.
Piaget (1936) foi o primeiro psicólogo a fazer um estudo
sistemático do desenvolvimento cognitivo. Suas contribuições
incluem uma teoria de estágio do desenvolvimento cognitivo
infantil, estudos observacionais detalhados de cognição em
crianças e uma série de testes simples, mas engenhosos, para
revelar diferentes habilidades cognitivas.
O que Piaget queria era não medir o quanto as crianças poderiam
contar, soletrar ou resolver problemas como forma de graduar seu
QI. O que mais interessava era a maneira pela qual conceitos
fundamentais como a própria idéia de número , tempo,
quantidade, causalidade , justiça e assim por diante surgiram.
Antes do trabalho de Piaget, a suposição comum na psicologia
era que as crianças são apenas pensadores menos competentes
do que os adultos. Piaget mostrou que as crianças pequenas
pensam de formas surpreendentemente diferentes em
comparação aos adultos.

1
De acordo com Piaget, as crianças nascem com uma estrutura
mental muito básica (herdada geneticamente e evoluída) na qual
todos os aprendizados e conhecimentos subsequentes são
baseados.
A teoria de Piaget difere dos outros de várias maneiras:

▪ Está preocupado com crianças, e não com todos os alunos.

▪ Concentra-se no desenvolvimento, em vez de aprender em si,


por isso não aborda a aprendizagem de informações ou
comportamentos específicos.

▪ Propõe estágios distintos de desenvolvimento, marcados por


diferenças qualitativas, ao invés de um aumento gradual no
número e complexidade de comportamentos, conceitos, idéias,
etc.

O objetivo da teoria é explicar os mecanismos e processos pelos


quais o bebê, e depois a criança, se desenvolvem em um
indivíduo que pode raciocinar e pensar usando hipóteses.
Para Piaget, o desenvolvimento cognitivo foi uma progressiva
reorganização dos processos mentais como resultado da
maturação biológica e da experiência ambiental. As crianças
constroem uma compreensão do mundo ao seu redor e
experimentam discrepâncias entre o que já sabem e o que
descobrem em seu ambiente.
Existem três componentes básicos para a teoria cognitiva de
Piaget:
Esquemas
(blocos de construção de conhecimento).
Processos de adaptação que permitem a transição de um estágio
para outro ( equilíbrio, assimilação e acomodação ).

2
Estágios do Desenvolvimento Cognitivo :
sensorimotor,
pré-operacional
concreto operacional,
operacional formal.

Esquemas
Imagine como seria se você não tivesse um modelo mental de
seu mundo. Isso significaria que você não seria capaz de usar
tanto a informação da sua experiência passada ou planejar ações
futuras.
Os esquemas são os blocos básicos de construção de tais
modelos cognitivos e nos permitem formar uma representação
mental do mundo. Piaget (1952, p. 7) definiu um esquema como:

"uma seqüência de ação coerente e repetível que possui


ações componentes que são fortemente interconectadas e
governadas por um significado central."
Em termos mais simples, Piaget chamou o esquema de bloco
básico do comportamento inteligente - uma maneira de organizar
o conhecimento. De fato, é útil pensar em esquemas como
“unidades” de conhecimento, cada uma relacionada a um aspecto
do mundo, incluindo objetos, ações e conceitos abstratos (isto é,
teóricos).
Wadsworth (2004) sugere que os esquemas (o plural do
esquema) sejam considerados como "cartões de índice"
arquivados no cérebro, cada um dizendo a um indivíduo como
reagir a estímulos ou informações recebidos.
Quando Piaget falou sobre o desenvolvimento dos processos
mentais de uma pessoa, ele estava se referindo a aumentos no
número e na complexidade dos esquemas que uma pessoa havia

3
aprendido.
Quando os esquemas existentes de uma criança são capazes de
explicar o que ela pode perceber em torno dela, diz-se que ela
está em um estado de equilíbrio, isto é, um estado de equilíbrio
cognitivo (isto é, mental).
Piaget enfatizou a importância dos esquemas no desenvolvimento
cognitivo e descreveu como eles foram desenvolvidos ou
adquiridos. Um esquema pode ser definido como um conjunto de
representações mentais ligadas ao mundo, que usamos para
entender e responder a situações. A suposição é que
armazenamos essas representações mentais e as aplicamos
quando necessário.
Por exemplo, uma pessoa pode ter um esquema sobre a compra
de uma refeição em um restaurante. O esquema é uma forma
armazenada do padrão de comportamento que inclui olhar para
um menu, pedir comida, comê-la e pagar a conta. Este é um
exemplo de um tipo de esquema chamado "script". Sempre que
estão em um restaurante, eles recuperam esse esquema da
memória e aplicam-no à situação.
Os esquemas descritos por Piaget tendem a ser mais simples do
que isso - especialmente aqueles usados por bebês. Ele
descreveu como - à medida que a criança fica mais velha - seus
esquemas se tornam mais numerosos e elaborados.
Piaget acreditava que os bebês recém-nascidos têm um pequeno
número de esquemas inatos - mesmo antes de terem tido muitas
oportunidades de experimentar o mundo. Esses esquemas
neonatais são as estruturas cognitivas subjacentes aos reflexos
inatos. Esses reflexos são geneticamente programados em nós.
Por exemplo, os bebês têm um reflexo de sucção, que é acionado
por algo que toca os lábios do bebê. Um bebê chupará um
mamilo, um edredom (manequim) ou o dedo de uma pessoa.
Piaget, portanto, assumiu que o bebê tem um "esquema de
sucção".

4
Da mesma forma, o reflexo de agarrar que é induzido quando algo
toca a palma da mão de um bebê, ou o reflexo de enraizamento,
em que um bebê dirige sua cabeça para algo que toca sua
bochecha, são esquemas inatos. Agitando um chocalho seria a
combinação de dois esquemas, agarrando e agitando.
Assimilação e acomodação
Jean Piaget (1952; ver também Wadsworth, 2004) via o
crescimento intelectual como um processo de adaptação
(ajustamento) ao mundo. Isso acontece por meio de:

Assimilação
- Que está usando um esquema existente para lidar com um novo
objeto ou situação.

Alojamento
- Isso acontece quando o esquema existente (conhecimento) não
funciona e precisa ser alterado para lidar com um novo objeto ou
situação.

Equilíbrio
- Esta é a força que move o desenvolvimento. Piaget acreditava
que o desenvolvimento cognitivo não progredia a uma taxa
constante, mas sim aos trancos e barrancos.
Equilíbrio ocorre quando os esquemas de uma criança podem
lidar com a maioria das novas informações por meio da
assimilação. No entanto, um estado desagradável de desequilíbrio
ocorre quando novas informações não podem ser encaixadas em
esquemas existentes (assimilação).
Equilíbrio é a força que impulsiona o processo de aprendizagem,
pois não gostamos de ser frustrados e procuraremos restaurar o
equilíbrio dominando o novo desafio (acomodação). Uma vez que
a nova informação é adquirida, o processo de assimilação com o

5
novo esquema continuará até a próxima vez que precisarmos
fazer um ajuste.

O conceito de adaptação de Jean Piaget

Exemplo de assimilação
Uma criança de 2 anos vê um homem careca no alto da cabeça e
com longos cabelos crespos nas laterais. Para o horror de seu
pai, a criança grita “Palhaço, palhaço” (Siegler et al., 2003).

Exemplo de alojamento
No incidente do “palhaço”, o pai do menino explicou ao filho que o
homem não era um palhaço e que apesar de seu cabelo ser como
um palhaço, ele não estava usando uma fantasia engraçada e
não estava fazendo coisas bobas para fazer as pessoas rir.
Com esse novo conhecimento, o menino foi capaz de mudar seu
esquema de “palhaço” e fazer essa ideia se encaixar melhor em
um conceito padrão de “palhaço”.

4 Etapas do Desenvolvimento Cognitivo de


Piaget
Piaget propôs quatro estágios de desenvolvimento cognitivo que
refletem a crescente sofisticação do pensamento das crianças:

1. Estágio sensorimotor (nascimento até 2 anos)

2. Etapa pré-operacional (dos 2 aos 7 anos de idade)

6
3. Fase operacional concreta (dos 7 aos 11 anos)

4. Estágio operacional formal (idade 11+ - adolescência e vida


adulta).

Cada criança passa pelos estágios na mesma ordem, e o


desenvolvimento da criança é determinado pela maturação
biológica e interação com o ambiente. Embora nenhum estágio
possa ser omitido, há diferenças individuais na taxa em que as
crianças progridem por etapas, e alguns indivíduos podem nunca
atingir os estágios posteriores.
Piaget não alegou que um determinado estágio foi atingido em
uma certa idade - embora as descrições dos estágios incluam
muitas vezes uma indicação da idade em que a criança média
alcançaria cada estágio.

Estágio Sensorimotor (Nascimento-2 anos)


A principal conquista durante este estágio é a Permanência do
Objeto - sabendo que um objeto ainda existe, mesmo que esteja
oculto.
Requer a capacidade de formar uma representação mental (isto é,
um esquema) do objeto.

Estágio pré-operacional (2 a 7 anos)


Durante este estágio, as crianças pequenas podem pensar sobre
as coisas simbolicamente. Esta é a capacidade de fazer uma
coisa - uma palavra ou um objeto - representar algo diferente de si
mesmo.

7
O pensamento ainda é egocêntrico e o bebê tem dificuldade de
entender o ponto de vista dos outros.
Estágio Operacional Concreto (7-11 anos)
Piaget considerou o estágio concreto um importante ponto de
virada no desenvolvimento cognitivo da criança porque marca o
início do pensamento lógico ou operacional .
Isso significa que a criança pode resolver as coisas internamente
em sua cabeça (em vez de tentar fisicamente as coisas no mundo
real).
As crianças podem conservar o número (idade 6), massa (idade
7) e peso (idade 9). A conservação é o entendimento de que algo
permanece o mesmo em quantidade, mesmo que sua aparência
mude.
Estágio Operacional Formal (11 anos ou mais)
O estágio operacional formal começa aproximadamente aos onze
anos e dura até a idade adulta. Durante esse tempo, as pessoas
desenvolvem a capacidade de pensar conceitos abstratos e testar
logicamente hipóteses .

Implicações Educacionais
Piaget (1952) não relacionou explicitamente sua teoria à
educação, embora pesquisadores posteriores tenham explicado
como as características da teoria de Piaget podem ser aplicadas
ao ensino e à aprendizagem.

Piaget tem sido extremamente influente no desenvolvimento de


políticas educacionais e práticas de ensino. Por exemplo, uma
revisão da educação primária pelo governo do Reino Unido em
1966 baseou-se fortemente na teoria de Piaget. O resultado desta
revisão levou à publicação do relatório Plowden (1967).

8
O aprendizado da descoberta - a ideia de que as crianças
aprendem melhor fazendo e explorando ativamente - era visto
como central para a transformação do currículo da escola
primária.

“Os temas recorrentes do relatório são aprendizagem individual,


flexibilidade no currículo, a centralidade do brincar na
aprendizagem das crianças, o uso do ambiente, aprendizagem
pela descoberta e a importância da avaliação do progresso das
crianças - os professores não devem presumir que apenas o que
é mensurável é valioso.

Porque a teoria de Piaget é baseada na maturação biológica e


estágios, a noção de "prontidão" é importante. Prontidão preocupa
quando certas informações ou conceitos devem ser ensinados.
De acordo com a teoria de Piaget, as crianças não devem
aprender certos conceitos até que cheguem ao estágio apropriado
do desenvolvimento cognitivo.

De acordo com Piaget (1958), a assimilação e a acomodação


requerem um aprendiz ativo, não passivo, porque as habilidades
de resolução de problemas não podem ser ensinadas, elas devem
ser descobertas.

Dentro da sala de aula, o aprendizado deve ser centrado no aluno


e realizado por meio do aprendizado ativo da descoberta. O papel
do professor é facilitar a aprendizagem, em vez de orientar as
aulas. Portanto, os professores devem incentivar o seguinte
dentro da sala de aula:

9
o Concentre-se no processo de aprendizagem, e não no produto
final dela.
o Usando métodos ativos que requerem redescobrir ou reconstruir
"verdades".
o Uso de atividades colaborativas, bem como individuais (para
que as crianças possam aprender umas com as outras).
o Conceber situações que apresentam problemas úteis e criar
desequilíbrio na criança.
o Avaliar o nível de desenvolvimento da criança para que tarefas
adequadas possam ser definidas.
Avaliação crítica

Apoio, suporte
A influência das idéias de Piaget na psicologia do
desenvolvimento tem sido enorme. Ele mudou a forma como as
pessoas viam o mundo da criança e seus métodos de estudar
crianças.
Ele foi uma inspiração para muitos que vieram depois e
retomaram suas idéias. As idéias de Piaget geraram uma enorme
quantidade de pesquisas que aumentaram nossa compreensão
do desenvolvimento cognitivo.
Suas idéias têm sido de uso prático na compreensão e
comunicação com as crianças, particularmente no campo da
educação (re: Discovery Learning).

Críticas
Os estágios são reais? Vygotsky e Bruner preferem não falar de
etapas, preferindo ver o desenvolvimento como um processo
contínuo. Outros questionaram as faixas etárias dos estágios.
Alguns estudos mostraram que o progresso para o estágio
operacional formal não é garantido.

10
Por exemplo, Keating (1979) relatou que 40-60% dos estudantes
universitários falham em tarefas formais de operação, e Dasen
(1994) afirma que apenas um terço dos adultos chegou ao estágio
operacional formal.
Como Piaget concentrou-se nos estágios universais do
desenvolvimento cognitivo e da maturação biológica, ele não
considerou o efeito que o contexto social e a cultura podem ter no
desenvolvimento cognitivo.
Dasen (1994) cita estudos que ele realizou em partes remotas do
deserto australiano central com aborígines de 8 a 14 anos de
idade. Ele lhes deu conservação de tarefas líquidas e tarefas de
consciência espacial. Ele descobriu que a capacidade de
conservar veio mais tarde nas crianças aborígenes, entre 10 e 13
anos (em oposição a entre 5 e 7, com a amostra suíça de Piaget).
No entanto, ele descobriu que as habilidades de consciência
espacial desenvolvidas anteriormente entre as crianças
aborígenes que as crianças suíças. Tal estudo demonstra que o
desenvolvimento cognitivo não é puramente dependente da
maturação, mas sim de fatores culturais. A consciência espacial é
crucial para grupos nômades de pessoas.
Vygotsky , contemporâneo de Piaget, argumentou que a interação
social é crucial para o desenvolvimento cognitivo. De acordo com
Vygotsky, o aprendizado da criança sempre ocorre em um
contexto social em cooperação com alguém mais habilidoso
(MKO). Essa interação social fornece oportunidades de linguagem
e a linguagem é a base do pensamento.
Os métodos de Piaget (observação e entrevistas clínicas) são
mais abertos à interpretação parcial do que outros métodos.
Piaget fez observações naturalísticas cuidadosas e detalhadas
das crianças e, a partir delas, escreveu descrições de diário que
mapeavam seu desenvolvimento. Ele também usou entrevistas
clínicas e observações de crianças mais velhas que foram
capazes de entender as questões e manter conversas.
Como Piaget conduziu as observações sozinho, os dados
11
coletados são baseados em sua própria interpretação subjetiva
dos eventos. Teria sido mais confiável se Piaget conduzisse as
observações com outro pesquisador e comparasse os resultados
posteriormente para verificar se eles são semelhantes (ou seja,
ter confiabilidade entre avaliadores).
Embora as entrevistas clínicas permitam ao pesquisador explorar
os dados com maior profundidade, a interpretação do
entrevistador pode ser tendenciosa. Por exemplo, as crianças
podem não entender a (s) pergunta (s), têm pouco tempo de
atenção, não podem se expressar muito bem e podem estar
tentando agradar o experimentador. Tais métodos significaram
que Piaget pode ter formado conclusões imprecisas.
Como vários estudos mostraram Piaget subestimou as
habilidades das crianças porque seus testes às vezes eram
confusos ou difíceis de entender (por exemplo, Hughes , 1975).
Piaget não conseguiu distinguir entre competência (o que uma
criança é capaz de fazer) e desempenho (o que uma criança pode
mostrar quando recebe uma tarefa específica). Quando as tarefas
foram alteradas, o desempenho (e, portanto, a competência) foi
afetado. Portanto, Piaget pode ter subestimado as habilidades
cognitivas das crianças.
Por exemplo, um filho pode ter permanência de objeto
(competência), mas ainda não pode procurar objetos
(desempenho). Quando Piaget escondeu objetos de bebês,
descobriu que não era até nove meses depois que eles
procuraram por ele. No entanto, Piaget contou com métodos de
busca manual - se a criança estava procurando o objeto ou não.
Mais tarde, pesquisas como Baillargeon e Devos (1991) relataram
que bebês de até quatro meses olharam mais para uma cenoura
em movimento que não fez o que esperavam, sugerindo que eles
tinham algum senso de permanência, do contrário eles não teriam
expectativa do que deveria ou não fazer.
O conceito de esquema é incompatível com as teorias de Bruner
(1966) e Vygotsky (1978). O behaviorismo também refutaria a

12
teoria do esquema de Piaget porque ela não pode ser diretamente
observada, pois é um processo interno. Portanto, eles afirmam
que não pode ser medido objetivamente.
Piaget estudou seus próprios filhos e os filhos de seus colegas
em Genebra para deduzir princípios gerais sobre o
desenvolvimento intelectual de todas as crianças. Sua amostra
não só era muito pequena, mas era composta apenas por
crianças européias de famílias de alto status socioeconômico.
Pesquisadores questionaram, portanto, a generalização de seus
dados.
Para Piaget, a linguagem é vista como secundária à ação, isto é,
o pensamento precede a linguagem. O psicólogo russo Lev
Vygotsky (1978) argumenta que o desenvolvimento da linguagem
e do pensamento caminham juntos e que a origem do raciocínio
tem mais a ver com a nossa capacidade de nos comunicar com
os outros do que com nossa interação com o mundo material.
Baixe este artigo como um PDF
Referências de estilo APA
Baillargeon, R., & DeVos, J. (1991). Permanência de objeto em
lactentes jovens: evidência adicional . Desenvolvimento infantil ,
1227-1246.
Bruner, JS (1966). em direção a uma teoria de instrução.
Cambridge, Mass .: Belkapp Press.
Conselho Consultivo Central para a Educação (1967). Crianças e
suas escolas primárias ('The Ploughden Report') , Londres:
HMSO.
Dasen, P. (1994). Cultura e desenvolvimento cognitivo de uma
perspectiva piagetiana. Em J.J. Lonner & RS Malpass (Eds.),
Psicologia e cultura . Boston: Allyn e Bacon.
Hughes, M. (1975). Egocentrismo em crianças pré-escolares .
Dissertação doutoral inédita. Universidade de Edimburgo.
Keating, D. (1979). Pensamento adolescente. Em J. Adelson
13
(Ed.), Manual de psicologia adolescente , pp. 211-246. Nova
Iorque: Wiley.
Piaget, J. (1932). O julgamento moral da criança . Londres:
Routledge e Kegan Paul.
Piaget, J. (1936). Origens da inteligência na criança. Londres:
Routledge e Kegan Paul.
Piaget, J. (1945). Brincar, sonhos e imitação na infância .
Londres: Heinemann
Piaget, J. (1957). Construção da realidade na criança. Londres:
Routledge e Kegan Paul.
Piaget, J. (1958). O crescimento do pensamento logico desde a
infância até a adolescência. AMC, 10 , 12.
Piaget, J. e Cook, MT (1952). As origens da inteligência em
crianças . Nova Iorque, NY: International University Press.
Siegler, RS, DeLoache, JS, e Eisenberg, N. (2003). Como as
crianças se desenvolvem . Nova Iorque: vale a pena.
Vygotsky, LS (1978). Mente na sociedade: O desenvolvimento de
processos psicológicos superiores . Cambridge, MA: Harvard
University Press.
Wadsworth, BJ (2004). Teoria de Piaget do desenvolvimento
cognitivo e afetivo: Fundamentos do construtivismo . Longman
Publishing.
Como referenciar este artigo:
McLeod, SA (2018, 06 de junho). A teoria do desenvolvimento
cognitivo de Jean Piaget . Obtido em
https://www.simplypsychology.org/piaget.html

14