Você está na página 1de 23

Trocas de Calor

Aula 7 - Termodinâmica
Prof. Artur Granato
Trabalho de Expansão de um Gás
Irreversível Temperatura Constante Volume Constante
𝑉2 𝑤=0
d𝑤 = −𝑃. 𝑑𝑉 𝑤 = −𝑛. 𝑅. 𝑇. ln
𝑉1

𝑤 = −𝑃. Δ𝑉
Trocas de Calor
𝑑𝑈 = 𝑑𝑞 + 𝑑𝑤𝑒𝑥𝑝 . +𝑑𝑤𝑒
• Quando não ocorre expansão / Calor transferido a volume
constante

𝑑𝑈 = 𝑑𝑞 𝐶𝑎𝑙𝑜𝑟 𝐹𝑜𝑟𝑛𝑒𝑐𝑖𝑑𝑜 𝑎𝑜 𝑆𝑖𝑠𝑡𝑒𝑚𝑎 ∶ 𝑞𝑉 > 0


Δ𝑈 = 𝑞𝑉 𝐶𝑎𝑙𝑜𝑟 𝑅𝑒𝑡𝑖𝑟𝑎𝑑𝑜 𝑑𝑜 𝑆𝑖𝑠𝑡𝑒𝑚𝑎 ∶ 𝑞𝑉 < 0
Calorimetria
• Estudo do calor transferido durante um processo físico
ou químico;

• Dispositivo para medir a


energia transferida como
calor.

𝑞 = 𝐶. Δ𝑇
Bomba calorimétrica a volume constante.
Calorimetria
• Sistema elétrico;

𝑞 = 𝐼. 𝑡. Δ𝜙

1 A V s = 1 (C s–1)V s = 1 C V = 1 J
Bomba calorimétrica a volume constante.
Exercício
Qual a energia fornecida como calor por uma corrente de 10,0
A, gerada por uma fonte de 12 V, que circula durante 300 s ?

𝑞 = 𝐼. 𝑡. Δ𝜙
Calcule a constante do calorímetro se a elevação de temperatura
foi de 5,5 K.
𝑞 = 𝐶. ΔT
Exercício
Qual é o valor da constante do calorímetro se a temperatura
aumenta em 4,8 °C quando uma corrente de 8,6 A, fornecida
por uma fonte de 11 V, circula por 280 s?

𝑞 = 𝐼. 𝑡. Δ𝜙

𝑞 = 𝐶. Δt
Capacidade Calorífica (C)
• A energia interna de um sistema aumenta com a
elevação da temperatura.

O coeficiente angular
à curva é a capacidade
calorífica a volume
constante naquela
temperatura.
Variação da Energia Interna

• A energia interna de um sistema


se altera com o volume e com a
temperatura,
Cap. Calorífica a Volume Constante
𝜕𝑈
𝐶𝑣 =
𝜕𝑇 𝑉
• Para gases monoatômicos • Para gases poliatômicos
3
𝐶𝑣 ′ 𝑚 = 𝑅 𝐶𝑣 ′ 𝑚 = 3𝑅
2
• Para gases diatômicos
5
𝐶𝑣 ′ 𝑚 = 𝑅
2
Capacidade Calorífica - Cv
• Pode ser usada para relacionar a variação de energia interna de um
sistema com a temperatura, num processo em que o volume
permanece constante.

𝑑𝑈 = 𝑞 + 𝑤

𝑑𝑈 = 𝑞𝑉 = 𝐶𝑉 . 𝑑𝑇

𝑞𝑉 = 𝐶𝑉 . (𝑇2 − 𝑇1 )
Aplicações
• Uma grande capacidade calorífica faz com que, para certa quantidade
de energia transferida na forma de calor, a elevação da temperatura
da amostra seja pequena

• A amostra tem grande capacidade para o calor.


Entalpia (H)
• Processos que ocorrem em condições de pressão
constante;

• Uma variação de entalpia é igual à energia


transferida na forma de calor, a pressão
constante.
𝐻 = 𝑈 + 𝑃𝑉

𝑑𝐻 = 𝑑𝑞𝑃
Entalpia (H)
• Prove que 𝑑𝐻 = 𝑑𝑞𝑃
𝑑𝐻 = 𝑑𝑈 + 𝑃𝑑𝑉+𝑉𝑑𝑃
𝑑𝐻 = 𝑑𝑞 + 𝑑𝑤 + 𝑃𝑑𝑉+𝑉𝑑𝑃
𝑑𝐻 = 𝑑𝑞 − 𝑃𝑑𝑉 + 𝑃𝑑𝑉+𝑉𝑑𝑃
𝑑𝐻 = 𝑑𝑞+𝑉𝑑𝑃
Calorímetros
• Calorímetro isobárico
Vaso, termicamente isolado, aberto para a atmosfera: o calor liberado
numa reação, que ocorre dentro do vaso, é monitorado pela medição
da variação de temperatura no interior do vaso.

• Calorímetro de chama adiabático


Usado para reações de combustão, em que se pode medir a variação
de temperatura ΔT provocada pela combustão de certa quantidade de
substância em atmosfera de oxigênio
Calorímetro de Fluxo
Relação entre H e U
Processos que envolvem gases

𝐻 = 𝑈 + 𝑃𝑉
𝐻 = 𝑈 + 𝑛𝑅𝑇
Essa relação mostra que a variação de entalpia em uma reação que produz ou
que consome gás, em condições isotérmicas:

Δ𝐻 = Δ𝑈 + Δ𝑛𝑔 𝑅𝑇
Exercícios
• Calcule o valor de ΔHm – ΔUm para a reação N2(g) + 3 H2(g) → 2
NH3(g).

• Calcule o valor de ΔHm – ΔUm para a reação 2 H2O(g) + O2(g) → 2


H2O(l),

Δ𝐻 = Δ𝑈 + Δ𝑛𝑔 𝑅𝑇
Variação da Entalpia com a Temperatura

• A entalpia de uma substância aumenta quando a temperatura se eleva.

• A relação entre o aumento de entalpia e a elevação de temperatura


depende das condições (por exemplo, pressão constante ou volume
constante).
Capacidade calorífica a pressão constante
• Capacidade calorífica isobárica, Cp, numa dada temperatura

𝜕𝐻
𝐶𝑃 =
𝜕𝑇 𝑃

𝑞𝑃 = 𝐶𝑃 . (𝑇2 − 𝑇1 )
Relação entre Cap. Caloríficas
• A temperatura do sistema se eleva menos quando o aquecimento é a
pressão constante do que quando é a volume constante.

• Na maioria dos casos, a capacidade calorífica a pressão constante é


maior do que a capacidade calorífica a volume constante

• Para um gás perfeito

𝐶𝑃 − 𝐶𝑉 = 𝑛𝑅
Fórmula Importantes