Você está na página 1de 18

Processos a Pressão Constante, Calor Latente e

Entalpia – Parte 2
Aula 7 - Termodinâmica
Prof. Artur Granato
Capacidade Calorífica a V constante
𝑑𝑞 𝐶𝑉,𝑛
𝑓
= .𝑅
𝑑𝑞 = 𝐶. 𝑑𝑇 𝐶= 2
𝑑𝑇
𝑓 − 𝐺𝑟𝑎𝑢𝑠 𝑑𝑒 𝐿𝑖𝑏𝑒𝑟𝑑𝑎𝑑𝑒
𝑑𝑈 − 𝑑𝑤 𝐺á𝑠 𝑀𝑜𝑛𝑜𝑎𝑡ô𝑚𝑖𝑐𝑜
𝐶= 𝑑𝑞 = 𝑑𝑈 − 𝑑𝑤
𝑑𝑇 3

𝑑𝑈 𝑓 𝐺á𝑠 𝐷𝑖𝑎𝑡ô𝑚𝑖𝑐𝑜
𝐶𝑉 = 𝐶𝑉 = . 𝑛. 𝑅 5
𝑑𝑇 2
𝑉
𝐺á𝑠 𝑃𝑜𝑙𝑖𝑎𝑡ô𝑚𝑖𝑐𝑜
6
Capacidade Calorífica a P constante

𝑑𝑈 − 𝑑𝑤
𝐶=
𝑑𝑇
𝑑(𝑈 − 𝑃𝑉)
𝐶=
𝑑𝑇
𝑑𝐻
𝐶𝑃 =
𝑑𝑇
Calor a Pressão Constante
• A temperatura do sistema se eleva menos quando o aquecimento é
a pressão constante do que quando é a volume constante.

• Na maioria dos casos, a capacidade calorífica a pressão constante


é maior do que a capacidade calorífica a volume constante
Relação Cp e Cv
𝐶𝑃 = 𝐶𝑉 + 𝑛𝑅

𝐶𝑃,𝑛 = 𝐶𝑉,𝑛 + 𝑅
• Para gases ideais;

• Para outros modelos devem ser feitas outras considerações;


Calor Específico
• Dividir a Capacidade Térmica pela massa;

• Aplicação – Isolantes e Condutores térmicos

• Compostos que sofrem expansão com


aquecimento
Calor Latente
• Grandeza física relacionada à quantidade de calor que uma unidade
de massa de determinada substância deve receber ou ceder para
aumentar a energia interna e realizar trabalho na vizinhança;

𝑞
• Energia utilizada para quebrar ligações químicas. 𝐿=
𝑚
• Aplicado nas transição de fase
Calor Latente
Entalpia (H)
• Processos que ocorrem em condições de pressão
constante;

• Uma variação de entalpia é igual à energia


transferida na forma de calor, a pressão
constante.
𝐻 = 𝑈 + 𝑃𝑉

𝑑𝐻 = 𝑑𝑞𝑃
Variação da Entalpia com a Temperatura

• A entalpia de uma substância aumenta quando a temperatura se eleva.

• A relação entre o aumento de entalpia e a elevação de temperatura


depende das condições (ex. pressão constante ou volume constante).
Capacidade calorífica a pressão constante
• Capacidade calorífica isobárica, Cp, numa dada temperatura

𝜕𝐻
𝐶𝑃 =
𝜕𝑇 𝑃

𝑞𝑃 = 𝐶𝑃 . (𝑇2 − 𝑇1 )
Entalpia (H)
• Prove que 𝑑𝐻 = 𝑑𝑞𝑃 𝐻 = 𝑈 + 𝑃𝑉
𝑑𝐻 = 𝑑𝑈 + 𝑃𝑑𝑉+𝑉𝑑𝑃
𝑑𝐻 = 𝑑𝑞 + 𝑑𝑤 + 𝑃𝑑𝑉+𝑉𝑑𝑃
𝑑𝐻 = 𝑑𝑞 − 𝑃𝑑𝑉 + 𝑃𝑑𝑉+𝑉𝑑𝑃
𝑑𝐻 = 𝑑𝑞+𝑉𝑑𝑃 Heat
Relação entre H e U
Processos que envolvem gases

𝐻 = 𝑈 + 𝑃𝑉
𝐻 = 𝑈 + 𝑛𝑅𝑇
Essa relação mostra que a variação de entalpia em uma reação que produz ou
que consome gás, em condições isotérmicas:

Δ𝐻 = Δ𝑈 + Δ𝑛𝑔 𝑅𝑇
Exercícios
• Calcule o valor de ΔHm – ΔUm para a reação N2(g) + 3 H2(g) → 2
NH3(g). 300 Kelvin

• Calcule o valor de ΔHm – ΔUm para a reação 2 H2O(g) + O2(g) → 2


H2O(l). 25 °C

Δ𝐻 = Δ𝑈 + Δ𝑛𝑔 𝑅𝑇
Δ𝐻 − Δ𝑈 = 2 − 4 𝑚𝑜𝑙𝑠𝑅𝑇 Δ𝐻 − Δ𝑈 = 0 − 3 𝑚𝑜𝑙𝑠𝑅𝑇
Calorímetros
• Calorímetro isobárico
Vaso, termicamente isolado, aberto para a atmosfera: o calor liberado
numa reação, que ocorre dentro do vaso, é monitorado pela medição
da variação de temperatura no interior do vaso.

• Calorímetro de chama adiabático


Usado para reações de combustão, em que se pode medir a variação
de temperatura ΔT provocada pela combustão de certa quantidade de
substância em atmosfera de oxigênio
Calorímetro de Fluxo
• Aplicações em Processos Contínuos
Fórmula Importantes
𝑞
𝐶= Δ𝑇. 𝐶 = 𝑞
Δ𝑇

𝐶
𝑐=
𝑚