Você está na página 1de 12

1

Geraldo Azeite Penga

Maputo, Junho de 2020


2

Psicologia como Ciência

Trabalho da disciplina de Psicologia de


Aprendizagem, a ser entregue a docente da
mesma, para efeitos de avaliação.

Docente:
Dra. Maria da Conceição Muthemba.

Universidade Pedagógica
Maputo
2020

Índice
0. Introdução....................................................................................................................................4
0.1 Objectivos..................................................................................................................................5
0.1.1 Geral:...................................................................................................................................5
3

0.1.2 Específicos:.........................................................................................................................5
0.2 Metodologia...............................................................................................................................5
1. Objecto da Psicologia..................................................................................................................6
1.2 Métodos da Psicologia...............................................................................................................6
2. Estrutura da Psicologia................................................................................................................7
2.1 A Psicologia Industrial............................................................................................................7
2.2 A Psicologia do Senso Comum..............................................................................................8
2.3 A Ciência da Psicologia..........................................................................................................8
3. Princípios.....................................................................................................................................8
4. Psicologia como Ciência..............................................................................................................9
4.1 A importância da Psicologia antes e depois do século XVIII.................................................9
4.2 A importância da Psicologia de Aprendizagem para a pedagogia........................................10
5. Conclusão...................................................................................................................................11
6. Bibliografia................................................................................................................................12

0. Introdução
4

A Psicologia é uma ciência que se diferencia das outras pelas particularidades do seu objecto de
estudo, sendo este objecto difícil de o compará-lo com outras ciências e a compreensão do seu
objecto de estudo depende da forma como as pessoas que estão ocupadas com esta ciência
concebem o mundo.

Este trabalho pretende resumir as definições dos conceitos e indicar a importância de Psicologia
de Aprendizagem para actividade do professor.
A Psicologia é definida habitualmente como ciência do comportamento e existem defensor que
aposta em dizer que necessita de uma revisão.
Irá abordar se ainda neste trabalho, a questão de psicologia como Ciência seu objecto de estudo,
princípios, estrutura e métodos, a importância da psicologia antes e depois do século XVIII.

0.1 Objectivos
5

0.1.1 Geral:
 Compreender a psicologia como ciência.

0.1.2 Específicos:
 Apresentar o objecto de estudo da psicologia;
 Descrever os métodos da psicologia;
 Descrever os princípios da psicologia;
 Identificar a importância da psicologia como ciência.

0.2 Metodologia

Para realização do presente trabalho recorreu-se a pesquisa bibliográfica de diversos livros,


artigos que abordam sobre o assunto, que posteriormente fez-se a síntese da informação que
culminou com a compilação do trabalho final.
Como método, o trabalho recorreu a uma pesquisa qualitativa.

1. Objecto da Psicologia
6

O objecto de estudo da Psicologia é a consciência humana.

De acordo com BARROS & MÓNICA (2010), o objecto da Psicologia  (o que a psicologia
estuda) são os comportamentos e os processos mentais. Os comportamentos, em sentido estrito,
significa toda a actividade que pode ser observada, que é acessível aos nossos sentidos. Ex.:
movimentos e mudanças no espaço e no tempo, o que dizemos e escrevemos, dormir, chorar,
abraçar, beijar, agredir, etc.

Os processos mentais referem-se a toda e qualquer actividade que não pode ser directamente
observada. Ex.: pensamentos, motivações, sonhos, perceções, emoções, a memorização, a
compreensão, etc. Os comportamentos e os processos mentais não formam compartimentos
estanques porque se influenciam mutuamente, (BARROS & MÓNICA, 2010).

Segundo BARROS & MÓNICA (2010), vários psicólogos contemporâneos afirmam que os
processos mentais podem ser estudados mediante a observação de alterações no comportamento
em situações específicas. A partir de alterações comportamentais inferem que também ocorrem
mudanças nos processos mentais.

1.2 Métodos da Psicologia


 Introspecção ou método introspectivo- este método consiste na autoanálise. Na
introspecção laboratorial o experimentador estabelece-as condições de experiência, anota
e interpreta os resultados;
 Extrospecção ou método extrospectivo de (expressão) - consiste na observação, descrição
e explicação dos comportamentos dos outros;
 Observação- Este método consiste na percepção directa, atenciosa, racional, planificada e
sistemática, das manifestações de comportamento nas suas condições naturais, com o
objectivo de dar uma explicação científica da sua natureza;
 Experimentação - consiste na relação entre o objecto de investigação e a situação
experimental com o objectivo de descobrir na natureza dessa relação e as variáveis das
quais ela depende.

2. Estrutura da Psicologia
7

A psicologia baseia se na seguinte estrutura: psicologia industrial, psicologia do senso comum e


a psicologia científica.

2.1 A Psicologia Industrial 


Segundo SILVESTRE (2018), a Psicologia Industrial foi a primeira forma adotada pelo que
hoje conhecemos como Psicologia Organizacional, Psicologia do Trabalho, Psicologia
Ocupacional ou Psicologia Industrial e Organizacional, variando um pouco o “objeto”
construído, mas todas apresentando uma certa regularidade discursiva e convergência no que
tange ao objetivo, finalidade social, compromisso ético, alvo das ações, bases teóricas e
elementos discursivos.

A Psicologia Industrial remonta sua origem aos cenários norte-americano e anglo-saxão do início


do século XX, quando a revolução industrial já havia se consolidado e o taylorismo começa a
entrar em cena e a fornecer resultados positivos ao aumento de lucratividade das industrias
através de controle mais elaborado do processo produtivo e aumento da eficiência,
(SILVESTRE, 2018).

Neste momento a psicologia buscava se firmar como ciência, distanciando-se da filosofia e


fisiologia tendo como pilares a psicologia comportamental (behaviorismo), o funcionalismo e a
psicologia das diferenças individuais. Nesse contexto a Psicologia voltada para o trabalho surge
atrelada aos interesses das indústrias. O primeiro livro de Psicologia do Industrial foi Psychology
and industial efficiency (Psicologia e Eficiência Industrial), de Hugo Münsterberg, e apresentava
o estudo da produtividade (output) em função do esforço (input), (SILVESTRE, 2018).

2.2 A Psicologia do Senso Comum


De acordo com OSWALDO (2014), a psicologia da vida pode e deve ser aplicada no dia-a-dia
pois nem tudo precisa ter fundamento científico. Existem conhecimentos espontâneos, é aquilo
que sabemos e ponto. É o caso de uma mãe que esquenta a mamadeira e simplesmente sabe
quando o leite está na temperatura ideal, sem ter feito nenhum cálculo científico e complicado
para isso.
O problema é que muitas pessoas leigas, sem conhecimento científico utilizam a psicologia do
senso comum e a revestem de ciência para justificar uma ideia ou situação que somente um bom
psicólogo está preparado para fundamentar. Nada contra o senso comum, adquirido por meio das
8

experiências vividas ou observadas, que não precisam de comprovação para ser aceito como
verdadeiro ou válido e que obviamente, não possui fundo científico, (OSWALDO, 2014).

Para OSWALDO (2014), o problema é que esse conhecimento intuitivo e seu critério de verdade
não é universal, variando de acordo com a crença e com a cultura de cada pessoa. Já a ciência
compõem-se de um conjunto de conhecimentos sobre fatos e aspectos da realidade expressos por
meio de normas, protocolos e uma linguagem precisa e rigorosa.

2.3 A Ciência da Psicologia


De acordo com OSWALDO (2014), a psicologia enquanto ciência estuda o comportamento
humano e os processos mentais com o objetivo de compreender por que as pessoas pensam,
sentem e agem da maneira que o fazem. Nada desperta tanta a atenção uma vez que cada ser
humano é único e reage de forma diferenciada em cada situação.

A psicologia enquanto ciência concentra-se nos fenômenos relacionados ao funcionamento de


indivíduos e grupos e forma profissionais para trabalhar com famílias, grupos de adolescentes,
idosos, crianças, executivos, organizações, dentre outros. O estudo do comportamento é uma
viagem que leva a vários caminhos por isso o fascínio das pessoas pela psicologia, (OSWALDO,
2014).

3. Princípios
A psicologia tem estabelecimento de princípios universais como pelo estudo de casos específicos
e tem, segundo alguns, como objectivo final o benefício geral da sociedade.
A psicologia parte do princípio de que o comportamento se origina de uma série de factores
distintos: variáveis orgânicas (disposição, genética, metabolismo, etc), disposicionais
(temperamento, inteligência, motivação, etc) e situacionais (influências do meio ambiente, da
cultura, dos grupos de que a pessoa faz parte, etc)
As previsões em psicologia procuram expressar, com base nas explicações disponíveis, a
possibilidade com que um determinado tipo d comportamento ocorrerá ou não.

4. Psicologia como Ciência


Etmologicamente a palavra psicologia deriva do Latim: psichi=alma + logos= razão.
A psicologia é definida como ciência que estuda o comportamento e as funções da mente.
9

A psicologia tem como objectivo imediato a compreensão de grupos e individuo tanto pelo
estabelecimento de princípios Universais como pelo estudo de casos específicos.
Dizer que a psicologia é uma ciência significa que ela é regida pelas mesmas leis do método
científico as quais regem outras ciências. Pelo seu objecto de estudo a psicologia desempenha o
papel de elo entre as ciências sociais como a sociologia e Antropologia, as Ciências Naturais,
como a biologia, e áreas científicas mais recentes como as Ciências cognitivas e as ciências de
saúde. Katz define a Psicologia comi a parte de Antropologia que se ocupa da conduta humana,
referindo-se é bom notar á Antropologia filosófica, (Katz, 1954, p 19).

4.1 A importância da Psicologia antes e depois do século XVIII


Para MOURA (2014), no século XVIII, a Psicologia não pôde se tornar uma profissão
académica: na época, tais profissões eram apenas o direito, a medicina e a Teologia.

Segundo MOURA (2014), o pensamento psicológico antes e depois do século XVIII para
compreender a Psicologia é necessário compreender sua história, história essa que está ligada a
cada momento histórico, ás exigências da humanidade, as demais áreas de conhecimento e aos
novos desafios colocados pela realidade económica e social e pela insaciável necessidade do
homem de compreender a si mesmo.

A psicologia na antiguidade ganha consciência: segundo Sócrates o que distingue o homem do


animal é a razão, porque permite ao Homem de sobrepor-se aos instintos, que seriam a base da
irracionalidade, (MOURA, 2014).

4.2 A importância da Psicologia de Aprendizagem para a pedagogia.


De acordo com MINUTO PSICOLOGIA (2014), partindo do geral percebemos que a
importância da psicologia na educação possibilita a criança a aprender, planejar, direcionar e
avaliar as suas ações.
A importância da psicologia no PEA reside no reconhecimento de que a educação é um
fenómeno verdadeiramente complexo e o seu impacto no desenvolvimento humano obriga que se
considere a globalidade e a diversidade das práticas educativas em que o ser humano se encontra
imerso, isto porque a educação se desdobra em múltiplos contextos nos quais as pessoas vivem e
participam definidos como âmbitos educativos, (MINUTO PSICOLOGIA, 2014).
10

Assim a psicologia da aprendizagem, aplica á educação e ao ensino, busca mostrar como, através
da interação entre o professor e alunos, é possível a aquisição do saber e da cultura acumulados.
O papel do professor nesse processo é fundamental. Ele procura estruturar condições para a
ocorrência de interações professor-alunos, objecto de estudo, que levam à apropriação do
conhecimento. De maneira geral, portanto, essa visão de Aprendizagem reconhece tanto a
natureza social da aquisição do conhecimento como o papel preponderante que nela tem o
adulto, (MINUTO PSICOLOGIA, 2014).

5. Conclusão
11

Percebe se de uma maneira geral que a Psicologia é uma ciência que estuda o comportamento e
as funções da mente humana.
A Psicologia na educação tem uma grande importância, embora na antiguidade ela não era vista
como disciplina, nem profissão académica, pois somente o que era considerado era Direito,
Medicina e Teologia. No entanto a Psicologia de Aprendizagem tenta buscar a interação entre o
professor e o aluno, possibilitando a aquisição do saber e da cultura acumulados.
De maneira geral, portanto, essa visão de Aprendizagem reconhece tanto a natureza social da
aquisição do conhecimento como o papel preponderante que nela tem o adulto.
12

6. Bibliografia

BARROS & MÓNICA. OBJECTO DE ESTUDO DA PSICOLOGIA. 2010 Disponível em:


https://segredosdapsicologia.webnode.com.pt/introdu%C3%A7%C3%A3o
%20%C3%A0%20psicologia/o-objecto-da-psicologia/ acesso no dia 01/04/2020

MINUTO PSICOLOGIA. A IMPORTÂNCIA DA PSICOLOGIA DA APRENDIZAGEM PARA A


PEDAGOGIA. 2014 Disponível em:
http://www.minutopsicologia.com.br/postagens/2014/05/21/a-importancia-da-psicologia-da-
aprendizagem-para-a-pedagogia/ acesso no dia 04/04/2020

MOURA, Jovi. A PSICOLOGIA COMO DISCIPLINA NO SÉCULO XVIII. 2014 Disponível em:
https://psicologado.com.br/psicologia-geral/historia-da-psicologia/a-psicologia-como-disciplina-
no-seculo-xviii acesso 04/04/2020
SILVESTRE, Josel. Psicologia Industrial. 2018 Disponível em:
https://psicologado.com.br/atuacao/psicologia-organizacional/psicologia-industrial acesso no da
02/04/2020

OSWALDO, Yeda. A CIÊNCIA DA PSICOLOGIA E A PSICOLOGIA DO SENSO COMUM.


2014 Disponível em: https://isiinfinity.com.br/a-ciencia-da-psicologia-e-a-psicologia-do-senso-
comum/ acesso no dia 05/04/2020