Você está na página 1de 10

1.

(Ufmg 2012) Observe este cartaz comemorativo da Comuna de Paris:

A partir da análise desse cartaz e considerando outros


conhecimentos sobre o assunto,

a) Descreva o contexto histórico que motivou a revolta


que deu origem à Comuna de Paris, em 1871.

b) Cite duas medidas adotadas pelo governo constituído


pela Comuna de Paris.

c) Explique como cada um dos dois elementos


representados no cartaz – a mulher e os dois homens
– se relaciona com o contexto da Comuna de Paris.

Resposta da questão 1:
a) A Comuna de Paris foi uma insurreição operária de março a maio de 1871, quando o novo
governo francês, liderado por Adolphe Thiers, subordinou-se às exigências de Bismark, após a vitória
prussiana sobre a França. Se, para os alemães o momento representa a conclusão da unificação,
para os franceses representou o fim da ditadura de Napoleão III e a perda de territórios.
b) Influenciado por ideias socialistas, o governo da Comuna, instituído em março de 1871, adotou um
conjunto de medidas que buscaram favorecer as massas trabalhadoras, destacando-se a abolição do
trabalho noturno, a redução da jornada de trabalho, a concessão de pensão a viúvas e órfãos, a
substituição dos antigos ministérios por comissões eletivas e a separação entre Igreja e Estado. 
c) A figura da mulher popular resgata a imagem tradicional de “Marienne”, associada à liberdade. É
verdade que Marienne e a Revolução Francesa são símbolos do liberalismo burguês, enquanto que, na
gravura acima, a mulher representa a liberdade, sob ponto de vista popular. Do lado esquerdo há a
imagem de um trabalhador urbano e, do direito, de um trabalhador rural, reforçando o caráter popular e
socialista do movimento.

2. (Pucrj 2010) A charge a seguir retrata o “Pânico de 1873”, a grave depressão econômica
desencadeada pela falência de uma financeira da Filadélfia,
seguida pela quebra de muitos bancos e empresas, pelo
desemprego de um milhão de trabalhadores e pela diminuição
geral dos salários. Essa onda recessiva atingiu a economia
americana e depois os outros países industrializados, no final do
século XIX.

Alguns ingredientes da crise de 1873 são os mesmos da atual


crise financeira e econômica mundial. A respeito dessa
comparação, CONSIDERE as seguintes afirmações.

I – Em 1873, prevaleceu a convicção de evitar a intervenção do


Estado na economia, pois a crise serviria para “limpar o
mercado” de empresas ineficientes; hoje os governos adotam
medidas intervencionistas para superar a crise e minimizar
seus efeitos sociais.
II – A estagnação econômica, o desemprego e a emergência de novos países como potências
industriais (Alemanha no final do século XIX; China hoje) são semelhanças entre os dois cenários de
crise, em setembro de 1873 e em setembro de 2008.
III – Nas duas situações, as saídas para a estagnação foram o incentivo a uma política de expansão e
de anexação territorial de novos mercados externos, além da concentração monopolista de capital,
com trustes e cartéis.
IV – Em ambos os casos, a crise está relacionada à falta de confiança nas instituições financeiras e ao
progressivo contágio internacional, não deixando nenhum país inserido no sistema de comércio
global imune aos seus efeitos.

Assinale a alternativa correta:


a) Somente as afirmativas I e IV estão corretas.
b) Somente as afirmativas I e III estão corretas.
c) Somente as afirmativas II e III estão corretas.
d) Somente as afirmativas I, II e IV estão corretas.
e) Somente as afirmativas II, III e IV estão corretas.

Resposta da questão 2:
[D]

A única alternativa que contém erros é a III – No fim do século XIX, sobreveio a primeira Grande
Depressão (1873 - 1896), que fortaleceu as empresas pela centralização e concentração do capital. A
crise obrigou as empresas a reorganizar a produção; o capitalismo entrou em nova fase, a fase
monopolista caracterizada por forte concentração dos capitais; fusão do capital bancário com o capital
industrial; exportação de capitais, que supera a exportação de mercadorias; surgimento de monopólios
internacionais que partilham o mundo entre si. Apenas no século XIX, esse processo foi acompanhado
pela expansão imperialista na Ásia e na África, como instrumento para garantir a exportação de capitais
e facilitar movimentos migratórios da metrópole em direção às colônias.

3. (Ufv 2010) A expressão Risorgimento designa o conjunto de movimentos heterogêneos que


desejaram a unificação da Itália no século XIX. A vertente vitoriosa que promoveu a unificação da Itália
foi:
a) o projeto republicano de Giuseppe Mazzini, que criou o movimento Jovem Itália.
b) o movimento popular e secreto dos Carbonários, que defendeu a instituição de um Estado unitário e
laico, contra a influência da Igreja e do Império Austríaco.
c) o Papado, que defendeu a instituição de uma monarquia teocrática com sede no Vaticano.
d) o movimento liderado pelo reino do Piemonte-Sardenha, que adotou uma monarquia constitucional
laica e favoreceu a industrialização.

[D]

A primeira luta do movimento de unificação da Itália teve início depois da decisão do Congresso de
Viena ceder territórios italianos à Áustria. As primeiras tentativas de libertação do território italiano,
foram conduzidas por uma organização revolucionária chamada de Jovem Itália liderada por Giuseppe
Mazzini, que defendia a independência e a transformação da Itália numa república democrática.
Em 1848, os seguidores de Mazzini promoveram uma manifestação contra a dominação austríaca em
territórios italianos, mas foram vencidos pelo poderoso exército austríaco. Apesar da derrota, o ideal
nacionalista permaneceu e a partir dessa época, a luta pela unificação passou a ser liderada pelo Reino
do Piemoste-Sardenha na figura de Camilo Benso (Conde de Cavour), um dos líderes do Risorgimento,
movimento que pretendia fazer a Itália reviver seus tempos de glória. Para alcançar tal objetivo, Cavour
teve o apoio da burguesia e dos proprietários rurais e colocou em prática um plano de modernização da
economia e do exército do Piemonte. Aproximou-se da França e conseguiu ajuda militar para enfrentar
a Áustria.
4. (Ufrs 2007) A Unificação Alemã, habilmente arquitetada por Otto Von Bismarck, realizou-se em torno
de guerras bem-sucedidas contra potências vizinhas.

Assinale a alternativa correta em relação às motivações e aos acontecimentos que desencadearam


esse processo de unificação.
( ) A fragmentação política obstaculizava o pleno desenvolvimento comercial e industrial da região. A
unificação promoveria um mercado ágil e ampliado, com condições de enfrentar a concorrência
inglesa através da proteção governamental.
( ) A unificação foi liderada pela Áustria, o mais poderoso dos Estados germânicos e sucessora do
extinto Sacro-Império, capaz de eliminar as pretensões da Prússia. Aliado da França, o país
austríaco contou com o seu apoio para vencer as resistências germânicas do sul.
( ) A constituição, redigida por Bismarck, inaugurou uma era democrática nos estados alemães, sob
influência dos ideais da Revolução Francesa, baseados na soberania e na participação popular.
( ) As decisões do Congresso de Viena, ao reconhecerem o direito de independência da Alemanha,
foram fundamentais para a consolidação da unificação, pois inibiram as pretensões italianas aos
territórios do sul da Alemanha.
( ) O processo de unificação alemã contou com o apoio da França, que, acossada pela supremacia
britânica, via no novo Estado um importante aliado na corrida imperialista.

Resposta da questão 4:
[A]

5. (Ufpr 2007) O texto a seguir narra o episódio da proclamação da Comuna de Paris em 1871.

"Faz-se silêncio, as pessoas escutam. Os membros do Comitê Central e da Comuna, com o lenço
vermelho a tiracolo, acabam de subir ao palanque. Ranvier: 'O Comitê Central entrega seus poderes à
Comuna. Cidadãos, meu coração está tão transbordante de alegria, que não posso pronunciar um
discurso. Permiti-me apenas glorificar o povo de Paris pelo grande exemplo que acaba de dar ao
mundo'. [...] Os tambores rufam. Os músicos, duzentas mil vozes, recomeçam a entoar a Marselhesa,
não querem mais discursos. Em uma oportunidade, Ranvier mal consegue bradar: 'Em nome do povo, é
proclamada a Comuna!'"
(LISSAGARAY, Prosper-Olivier. "A História da Comuna de 1871". São Paulo: Editora Ensaio,
1991, p. 118.)

a) Analise o contexto histórico que permitiu a proclamação da Comuna na França de 1871.


b) Discuta o desfecho da experiência revolucionária de governo dos partidários da Comuna.

Resposta da questão 5:
a) A proclamação da Comuna de Paris, se segue à derrota francesa na Guerra Franco-Prussiana em
1871, pois a população parisiense que enfrentara os invasores alemães, não reconhecera o armistício
com a Alemanha, conduzido porThires, líder do governo provisório que se instalara na França após a
capitulação de Napoleão III.

b) Por se tratar de um governo socialista, o governo francês instalado em Versalhes, solicitou à


Alemanha a libertação dos prisioneiros de Guerra para recompor o exército francês e combater a
Comuna.
As diferentes correntes ideológicas que se confrontaram durante a organização do governo da Comuna
e o reduzido exército formado principalmente por operários, não resistiram à investida do governo
francês, esvaziando-se em três meses a primeira experiência concreta de um governo socialista.

6. (Ufrs 2006) Dentre as alternativas a seguir, assinale aquela que está correta em relação ao processo
de unificação italiana, concluída na segunda metade do século XIX.
a) O Congresso de Viena concluiu o processo de integração nacional italiano na medida em que este
veio ao encontro dos interesses das elites locais.
b) O processo de unificação nacional resultou das fortes pressões da burguesia do sul do país, cuja
economia demandava um mercado interno homogêneo, dinâmico e integrado para a colocação da
sua moderna produção industrial.
c) A construção do Estado Nacional implicou enfrentar e expulsar as tropas de ocupação pertencentes
aos impérios britânico, russo e espanhol, estabelecidas na Península Itálica desde os acontecimentos
de 1848.
d) O movimento de unificação partiu das áreas mais industrializadas, teve forte presença de uma
burguesia interessada na ampliação do mercado interno e foi sustentado pela ideologia do
nacionalismo.
e) A consolidação da formação do Estado nacional italiano ocorreu com a anuência do papa Pio IX e o
reconhecimento, pelo primeiro-ministro Cavour, da existência e da soberania do Estado do Vaticano,
após as negociações da Questão Romana.

Resposta da questão 6:
[D]

7. (G1 - cftpr 2006) Sobre a unificação italiana, é correto afirmar que:

I) Após o Congresso de Viena, a Itália foi dividida e transformada numa simples "expressão geográfica",
motivando o "Risorgimento".
II) A liderança na luta pela unificação coube ao reino do Piemonte-Sardenha, sob orientação de Benito
Mussolini.
III) Foi na década de 1870 que os italianos conquistaram Roma e completaram a unificação.
IV) A conquista da unidade deu origem à Questão Romana, monarquia italiana versus Papa, que só foi
resolvida com o tratado de Latrão, em 1929, quando foi criado o Estado do Vaticano.

Das proposições anteriores, são corretas somente:


a) II, III e IV.
b) I, III e IV.
c) I, II e III.
d) I e IV.
e) I e II.

Resposta da questão 7:
[B]

8. (Uerj 2003)

A partir dos anos de 1848/1850, o panorama político europeu foi caracterizado pelo processo de
construção do Reino da Itália e de formação do Império Alemão.
Comparando os dois processos de unificação, descreva a participação dos setores populares em cada
um deles.
Resposta da questão 8:
Na Itália, o processo de unificação contou com o apoio dos setores populares rurais e urbanos,
organizados a partir da liderança de liberais e de conservadores.

Na Alemanha, o processo realizou-se a partir do Estado, que tomou a iniciativa de transformar a


unificação no processo de modernização, sem contar com o apoio das camadas populares.

9. (Unicamp 2002) Referindo-se aos acontecimentos ocorridos em Paris no ano de 1871, assim se
expressou um militante socialista: "Eis o que significaram os acontecimentos de 18 de março. Eis por
que esse movimento é uma revolução, eis por que todos os trabalhadores o reconhecem e aclamam".

a) A que movimento político a citação faz referência?

b) Explique o que foi esse movimento.

c) Qual foi sua importância para o movimento socialista até o período inaugurado com a Revolução
Russa de 1917?
Resposta da questão 9:
a) "A Comuna de Paris".

b) A instalação de um governo socialista em Paris após a derrota francesa na Guerra Franco-Prussiana


(1870-1871).

c) A Comuna de Paris representou a primeira experiência de um governo democrático e popular tendo


por base o ideal socialista.

TEXTO PARA A PRÓXIMA QUESTÃO:


Ao longo do século XIX é possível identificar algumas tentativas de integração europeia, que não
alcançaram grande repercussão. A ideia de uma Europa unida estava ainda distante. Segundo Bismark,
Chanceler da Prússia e depois da Alemanha, "quem fala de Europa, se equivoca. Noção geográfica...
ficção insustentável."
Contudo, na segunda metade do século XX, se fortaleceu a proposta de uma maior integração
econômica e política do continente, com a assinatura do Tratado de Roma e a constituição da
comunidade Econômica Europeia (CEE).

10. (Ufrj 2002) Identifique uma razão que tenha levado Bismark a mostrar-se pessimista quanto à
possibilidade de uma união europeia em fins do século XIX.

Resposta da questão 10:


No final do século XIX, a Europa era palco de diversos movimentos nacionalistas, como os de
unificação da Itália e da Alemanha além, das acirradas disputas colonialistas entre as nações
industrializadas por territórios na África e na Ásia. Esse cenário tornava inviável qualquer possibilidade
de integração das nações europeias. Por exemplo, Bismark na condução do processo de unificação da
Alemanha, preconizava a política do "Ferro e Sangue", uma política de desenvolvimento industrial e de
guerras contra as demais potências, o que expressava o grau do espírito de concorrência da Alemanha
com as demais nações europeias.

11. (Uepg 2001) Na Europa, na primeira metade do século XIX, surgiram ideias nacionalistas, como
afirmação dos princípios liberais aplicados à nação, entendida como um conjunto de indivíduos dotados
de liberdades naturais e unidos por interesses e idioma comuns, constituindo uma "individualidade
política" com direito a autodeterminação. Na segunda metade desse século, o panorama político
europeu caracterizou-se pela política das nacionalidades, e nesse contexto ocorreram as unificações da
Itália e da Alemanha.

Sobre a unificação da ltália, assinale o que for correto


01) A ideia de unificação partiu das zonas de crescente desenvolvimento industrial, correspondendo
basicamente aos interesses de setores da burguesia, desejosos de constituir um amplo mercado
nacional para seus produtos.
02) O processo de unificação se desenvolveu no sentido norte/sul, a partir do Reino do Piemonte-
Sardenha.
04) O movimento nacionalista de Mazzini foi derrotado em 1830, mas recuperou força em 1849, com a
fundação da República Romana.
08) O caráter popular e a radicalização dos movimentos de unificação nos anos de 1848 e 1849
levaram a burguesia a retirar o seu apoio, o que favoreceu a contrarrevolução.
16) Concluído o processo de unificação, dois importantes problemas permaneceram: a Questão
Romana - recusa de Pio IX e seus sucessores em aceitar a perda de seus territórios - e a existência
de minorias italianas fora do território unificado.

31

12. (Ufpel 2000) Leia o texto a seguir:

"Com a crescente expansão da industrialização do continente europeu, a partir de 1830, os


pequenos Estados italianos e alemães sentiram a necessidade de promover uma centralização, com o
objetivo de conseguir equiparar-se às grandes potências, principalmente França e Inglaterra. Ainda
politicamente fracas, nem a burguesia italiana nem a alemã tinham condições de assumir a direção do
governo. Por isso, aceitavam a monarquia constitucional, desde que o Estado incentivasse o progresso
econômico. Acreditavam que só assim poderiam chegar à centralização política, sem passar
necessariamente por mudanças estruturais que colocassem em perigo sua posição de classe
proprietária."
(PAZZINATO, Alceu Luiz; et alii. "História Moderna e Contemporânea". São Paulo: Ática, 1993,
p. 186.)

O texto está relacionado com


a) as "trade-unions", ou uniões operárias, que inicialmente eram entidades de auxílio mútuo, fortemente
assistencialistas, preocupadas em ajudar trabalhadores com dificuldades econômicas e reivindicar
melhores condições de trabalho.
b) o socialismo utópico, assim chamado por acreditar na organização comunista das sociedades, sem
lutas de classe, através de reformas pacíficas e graduais.
c) o socialismo científico, que criticava o capitalismo dominante, propondo a organização de uma
sociedade comunista, necessariamente pela luta de classes.
d) o movimento cartista, em que os trabalhadores ingleses promoveram agitações de rua e
apresentaram ao Parlamento reivindicações como: representação igual para todas as classes,
sufrágio universal restrito para os homens aos vinte e um anos, etc.
e) o nacionalismo, na prática representado pela unificação da Itália e da Alemanha, o qual defendia a
luta dos povos ligados por laços étnicos, linguísticos e culturais, pela sua independência como nação.

13. (Ufrn 1999) Sobre a unificação alemã o séc. XIX, Marionilde Magalhães afirma:

Desde o final do século XVIII, a criação de inúmeras associações resultou num determinado patriotismo
cultural e popular, num território dividido em estados feudais dominados por uma aristocracia
retrógrada. Tais associações se dirigem à nação teuta, enfatizando o idioma, a cultura e as tradições
comunitárias, elementos para a elaboração de uma identidade coletiva, independentemente do critério
territorial. E, de fato, esse nacionalismo popular, romântico-ilustrado (uma vez que pautado no princípio
da cidadania e no direito à autodeterminação dos povos), inspirará uma boa parcela dos revolucionários
de 1848. Mas não serão eles a unificar a Alemanha. Seus herdeiros precisarão aguardar até 1871,
quando Bismarck realiza uma revolução de cima, momento em que, em virtude do poderio econômico e
da força militar da Prússia, a Alemanha se unifica como Estado forte, consolidando-se a sua trajetória
rumo à modernização.
[adaptação] MAGALHÃES, Marionilde D. B. de. A REUNIFICAÇÃO: enfim um país para a
Alemanha? Revista Brasileira de História. São Paulo: ANPUH/Marco Zero, v.14, n.28. 1994. p.102.

Tendo-se como referência essas considerações, pode-se concluir que


a) o principal fator que possibilitou a unificação alemã foi o desenvolvimento econômico e social dos
Estados germânicos, iniciado com o estabelecimento do Zollverein - liga aduaneira que favoreceu os
interesses da burguesia.
b) a unificação alemã atendeu aos interesses de uma aristocracia rural desejosa de formar um amplo
mercado nacional para seus produtos, alicerçando-se na ideia do patriotismo cultural e do
nacionalismo popular.
c) Na Alemanha, a unificação nacional ocorreu, principalmente, em virtude da formação de uma
identidade coletiva baseada no idioma, na cultura e nas tradições comuns.
d) na Alemanha, a unificação política pôde ultrapassar as barreiras impostas pela aristocracia territorial,
que via no desenvolvimento industrial o caminho da modernização.

A
Gabarito:

Resposta da questão 1:
a) A Comuna de Paris foi uma insurreição operária de março a maio de 1871, quando o novo
governo francês, liderado por Adolphe Thiers, subordinou-se às exigências de Bismark, após a vitória
prussiana sobre a França. Se, para os alemães o momento representa a conclusão da unificação,
para os franceses representou o fim da ditadura de Napoleão III e a perda de territórios.
b) Influenciado por ideias socialistas, o governo da Comuna, instituído em março de 1871, adotou um
conjunto de medidas que buscaram favorecer as massas trabalhadoras, destacando-se a abolição do
trabalho noturno, a redução da jornada de trabalho, a concessão de pensão a viúvas e órfãos, a
substituição dos antigos ministérios por comissões eletivas e a separação entre Igreja e Estado. 
c) A figura da mulher popular resgata a imagem tradicional de “Marienne”, associada à liberdade. É
verdade que Marienne e a Revolução Francesa são símbolos do liberalismo burguês, enquanto que, na
gravura acima, a mulher representa a liberdade, sob ponto de vista popular. Do lado esquerdo há a
imagem de um trabalhador urbano e, do direito, de um trabalhador rural, reforçando o caráter popular e
socialista do movimento.

Resposta da questão 2:
[D]

A única alternativa que contém erros é a III – No fim do século XIX, sobreveio a primeira Grande
Depressão (1873 - 1896), que fortaleceu as empresas pela centralização e concentração do capital. A
crise obrigou as empresas a reorganizar a produção; o capitalismo entrou em nova fase, a fase
monopolista caracterizada por forte concentração dos capitais; fusão do capital bancário com o capital
industrial; exportação de capitais, que supera a exportação de mercadorias; surgimento de monopólios
internacionais que partilham o mundo entre si. Apenas no século XIX, esse processo foi acompanhado
pela expansão imperialista na Ásia e na África, como instrumento para garantir a exportação de capitais
e facilitar movimentos migratórios da metrópole em direção às colônias.

Resposta da questão 3:
[D]

A primeira luta do movimento de unificação da Itália teve início depois da decisão do Congresso de
Viena ceder territórios italianos à Áustria. As primeiras tentativas de libertação do território italiano,
foram conduzidas por uma organização revolucionária chamada de Jovem Itália liderada por Giuseppe
Mazzini, que defendia a independência e a transformação da Itália numa república democrática.
Em 1848, os seguidores de Mazzini promoveram uma manifestação contra a dominação austríaca em
territórios italianos, mas foram vencidos pelo poderoso exército austríaco. Apesar da derrota, o ideal
nacionalista permaneceu e a partir dessa época, a luta pela unificação passou a ser liderada pelo Reino
do Piemoste-Sardenha na figura de Camilo Benso (Conde de Cavour), um dos líderes do Risorgimento,
movimento que pretendia fazer a Itália reviver seus tempos de glória. Para alcançar tal objetivo, Cavour
teve o apoio da burguesia e dos proprietários rurais e colocou em prática um plano de modernização da
economia e do exército do Piemonte. Aproximou-se da França e conseguiu ajuda militar para enfrentar
a Áustria.

Resposta da questão 4:
[A]

Resposta da questão 5:
a) A proclamação da Comuna de Paris, se segue à derrota francesa na Guerra Franco-Prussiana em
1871, pois a população parisiense que enfrentara os invasores alemães, não reconhecera o armistício
com a Alemanha, conduzido porThires, líder do governo provisório que se instalara na França após a
capitulação de Napoleão III.

b) Por se tratar de um governo socialista, o governo francês instalado em Versalhes, solicitou à


Alemanha a libertação dos prisioneiros de Guerra para recompor o exército francês e combater a
Comuna.
As diferentes correntes ideológicas que se confrontaram durante a organização do governo da Comuna
e o reduzido exército formado principalmente por operários, não resistiram à investida do governo
francês, esvaziando-se em três meses a primeira experiência concreta de um governo socialista.

Resposta da questão 6:
[D]

Resposta da questão 7:
[B]

Resposta da questão 8:
Na Itália, o processo de unificação contou com o apoio dos setores populares rurais e urbanos,
organizados a partir da liderança de liberais e de conservadores.

Na Alemanha, o processo realizou-se a partir do Estado, que tomou a iniciativa de transformar a


unificação no processo de modernização, sem contar com o apoio das camadas populares.

Resposta da questão 9:
a) "A Comuna de Paris".

b) A instalação de um governo socialista em Paris após a derrota francesa na Guerra Franco-Prussiana


(1870-1871).

c) A Comuna de Paris representou a primeira experiência de um governo democrático e popular tendo


por base o ideal socialista.

Resposta da questão 10:


No final do século XIX, a Europa era palco de diversos movimentos nacionalistas, como os de
unificação da Itália e da Alemanha além, das acirradas disputas colonialistas entre as nações
industrializadas por territórios na África e na Ásia. Esse cenário tornava inviável qualquer possibilidade
de integração das nações europeias. Por exemplo, Bismark na condução do processo de unificação da
Alemanha, preconizava a política do "Ferro e Sangue", uma política de desenvolvimento industrial e de
guerras contra as demais potências, o que expressava o grau do espírito de concorrência da Alemanha
com as demais nações europeias.

Resposta da questão 11:


31

Resposta da questão 12:


[E]

Resposta da questão 13:


[A]
Resumo das questões selecionadas nesta atividade

Data de elaboração: 06/04/2012 às 15:45


Nome do arquivo: Unificações

Legenda:
Q/Prova = número da questão na prova
Q/DB = número da questão no banco de dados do SuperPro®

Q/prova Q/DB Matéria Fonte Tipo

1................111877...........História.............Ufmg/2012..........................Analítica
2................92635............História.............Pucrj/2010..........................Múltipla escolha
3................92938............História.............Ufv/2010.............................Múltipla escolha
4................74211............História.............Ufrs/2007............................Verdadeiro/Falso
5................82157............História.............Ufpr/2007...........................Analítica
6................67180............História.............Ufrs/2006............................Múltipla escolha
7................71295............História.............G1 - cftpr/2006...................Múltipla escolha
8................49991............História.............Uerj/2003............................Analítica
9................39162............História.............Unicamp/2002....................Analítica
10..............39042............História.............Ufrj/2002.............................Analítica
11..............35398............História.............Uepg/2001..........................Somatória
12..............45104............História.............Ufpel/2000..........................Múltipla escolha
13..............29686............História.............Ufrn/1999...........................Múltipla escolha

Você também pode gostar