Você está na página 1de 87

E-book digitalizado por: Levita Digital

Com exclusividade para:

http://ebooksgospel.blogspot.com
ANTES DE LER

Estes e-books são disponibilizados gratuitamente, com a única finalidade de


oferecer leitura edificante à aqueles que não tem condições econômicas para
comprar.
Se você é financeiramente privilegiado, então utilize nosso acervo apenas para
avaliação, e, se gostar, abençoe autores, editoras e livrarias, adquirindo os livros.

* * * *

“Se você encontrar erros de ortografia durante a leitura deste e-book, você pode
nos ajudar fazendo a revisão do mesmo e nos enviando.”
Precisamos de seu auxílio para esta obra. Boa leitura!

E-books Evangélicos
OS
PRIMEIROS PASSOS
NA
VIDA CRISTÃ

George Sweeting

EDITORA MUNDO CRISTÃO


R. Álvaro de Carvalho, 118 3° and. Tel 259-0860
Caixa Postal 9 500 01000 São Paulo Est. SP.
Titulo do original em inglês
HOW TO BEGIN THE CHRISTIAN LIFE
© 1976 pela Moody Press da Moody Bible Institute of Chicago
Chicago, III. E.U.A.

Tradução de Neyd Siqueira


l.a edição brasileira 1979

Publicado no Brasil com a devida autorização e com todos os direitos reservados pela
ASSOCIAÇÃO RELIGIOSA EDITORA MUNDO CRISTÃO
São Paulo, S.P., Brasil
CONTEÚDO

Como Usar Este Livro

1. Os Seus Primeiros Passos

2. O Que é Ser Cristão?

3. Como Crescer na Vida Cristã

4. Você e o Espírito Santo

5. Você e a Bíblia

6. Como Orar

7. Hora Silenciosa

8. As Três Divisões da Humanidade

9. Como Assegurar a Salvação

10. O Mundo e Você

11. Você e a Igreja

12. Você e o Dinheiro

13. Promessas das Escrituras Para os Problemas Espirituais


Como Usar Este Livro
1. Você deve lê-lo quando estiver sozinho. Não tente assimilar todo o
material de uma só vez. Leia um capítulo por dia. O importante é
compreendê-lo e aplicá-lo. Faça uma associação entre o conteúdo do livro e
o seu trabalho, sua escola, sua família e sua igreja.

2. Você deve estudá-lo em companhia de outra pessoa. Arranje uma


cópia para um amigo recém-convertido a Cristo. Passe algum tempo com
essa pessoa toda semana.

3. Use-o num grupo de estudo. Cada pessoa pode estudar sozinha o


material e depois o grupo se reúne para comentários e discussão.
Esses estudos estão sendo usados por pastores em todo o mundo, em
aulas para recém-convertidos e mesmo para membros mais antigos. Foram
também usados em reuniões de adolescentes, em aulas bíblicas para
adultos, e também em cultos domésticos.
Há muitas outras formas de usar este livro, mas, qualquer que seja a
sua escolha, lembre-se de que deve lê-lo com cuidado, com espírito de
oração, sistematicamente, e do começo ao fim.
Que Deus abençoe você à medida que avança para o Senhor.
CAPÍTULO 1

OS SEUS PRIMEIROS PASSOS


Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o
qual é Jesus Cristo — 1 Coríntios 3:11. "Quando, pelo Espírito de Deus,
compreendi estas palavras: 'O justo viverá pela fé', senti-me renascer como
um novo homem, entrando pelas portas abertas no próprio Paraíso de
Deus!" (Martinho Lutero).

* * *

Você, meu amigo, deu um passo decisivo, transformador, resolvendo-


se a começar uma nova vida. Deus tornou-se o seu Pai celestial e você é
agora Seu filho. Um relacionamento maravilhoso e eterno teve começo,
sendo este, na verdade, um começo completamente novo. Usando as
palavras de Jesus, você "nasceu de novo".
Talvez seja difícil para você explicar o que aconteceu. Você está
possuído de uma sensação completamente nova de liberdade, como se
fosse uma criança feliz solta num grande parque. Praticamente tudo tem
um toque de novidade divina e isso é delicioso. Não fique confuso com sua
experiência, pois isto é perfeitamente normal e justo. O apóstolo Paulo
descreve a situação desta forma: "E assim, se alguém está em Cristo, é
nova criatura: as cousas antigas já passaram; eis que se fizeram novas" (2
Coríntios 5:17). Quando você recebe a Jesus Cristo, torna-se uma pessoa
completamente nova.

O QUE VOCÊ FEZ

1. Você reconheceu sua necessidade como pecador


Qual foi a decisão que tomou? Você reconheceu que estava errado, e
Deus, certo. Concordou com Deus que sua espiritualidade era nula.
Manifestou ao Senhor a pobreza de sua alma. Orou com sinceridade: "Ó
Deus, sê propício a mim, pecador!" (Lucas 18:13). Seu primeiro passo foi
reconhecer sua necessidade como pecador.
Morto e perdido são as duas palavras bíblicas usadas para descrever a
sua vida passada. As coisas mortas não crescem. Você não cresce para
dentro da graça; mas cresce uma vez que esteja dentro dela. Nada é tão
desamparado como aquilo que está morto; e no que se refere a Deus,
através do nascimento natural, todos estão espiritualmente mortos. A
Bíblia descreve deste modo a sua transformação espiritual: "Ele vos deu
vida, estando vós mortos nos vossos delitos e pecados" (Efésios 2:1). Você
passou da morte para a vida, em Cristo. Deus tocou você e lhe transmitiu a
vida divina — a Sua vida — a vida eterna. Esta sua decisão é, na verdade,
uma decisão que liberta da morte, abala a terra e desperta os céus.
Perdido é um termo descritivo. A Bíblia afirma: "Porque o Filho do
homem veio buscar e salvar o perdido" (Lucas 19:10). Sem Cristo estamos
perdidos como ovelhas sem pastor, desamparados, sem esperança, e
indefesos. Perdidos como o filho pródigo, separados, destituídos e
desprezíveis. Através da sua decisão, você passou da condição de perdido
para salvo, transformou-se de inimigo em amigo de Deus, de estranho em
filho de Deus. A sua salvação é algo revolucionário.
O filósofo Sêneca fez o seguinte comentário: "Todos pecamos, alguns
mais, outros menos".
Coleridge, o grande pensador, confessou: "Sou uma criatura decaída".
O personagem de T.S. Eliot, Cecília Copplestone, fala de sua
"percepção da solitude" e de "uma sensação de pecado".
Os chineses falam de "dois homens bons: o que está morto e o que
não nasceu".
A Bíblia diz claramente: "Pois todos pecaram e carecem da glória de
Deus".

2. Você aceitou Jesus Cristo como seu Salvador


O Senhor Jesus Cristo veio a este mundo para satisfazer nossa
necessidade básica. Cristo nasceu para morrer. "Fiel é a palavra e digna de
toda aceitação, que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores"
(1 Timóteo 1:15). Este propósito foi realizado quando Ele morreu na cruz.
Ele falou repetidamente a Seus discípulos de Sua morte próxima. Na noite
em que Judas O traiu, Ele partiu o pão com os discípulos, explicando
claramente o propósito da cruz: "Porque isto é o meu sangue, o sangue da
nova aliança, derramado em favor de muitos, para remissão de pecados"
(Mateus 26:28). Paulo escreveu com simplicidade e clareza: "Aquele que
não conheceu pecado, ele (Deus) o fez pecado por nós" (2 Coríntios 5:21).
Isaías profetizou: "Mas ele foi traspassado pelas nossas
transgressões, e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a
paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados" (Isaías 53:5).
Nossa necessidade básica é o perdão de nossos pecados. A provisão
de Deus para essa necessidade é encontrada na morte de Jesus Cristo.
Jesus Cristo, o Filho sem pecado, carregou sobre Si, completa e
integralmente, os pecados do mundo. Ele tomou sobre Si os nossos
pecados. O Evangelho representa as Boas-Novas do que Deus fez através
de Cristo, a fim de perdoar nossos pecados.
Reconhecendo ser Cristo a resposta de Deus, tendo Ele morrido em
seu lugar, você pediu perdão de todos os seus pecados. "Pois também
Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para
conduzir-vos a Deus" (1 Pedro 3:18). Em um ato definido de fé, você
prometeu lealdade a Cristo. Nesse mesmo momento, Jesus tornou-se seu
Salvador, e Deus perdoou os seus pecados.
A palavra confessar é interessante. Ela significa simplesmente falar a
mesma coisa. Significa concordar ou reconhecer.
Você reconheceu primeiramente sua necessidade como pecador, mas
a seguir, reconheceu Jesus Cristo como seu Salvador pessoal. O que fez
então? "Creste" (João 20:29).
3. Você está agora começando a reconhecer Jesus Cristo perante as
outras pessoas
Você pode perguntar: "Tenho de confessar Cristo publicamente?" E eu
devo responder: "Sim, Jesus Cristo exige uma confissão pública". Poderia
ainda acrescentar: "Como fugir disso?"
Jesus afirmou claramente: "Portanto, todo aquele que me confessar
diante dos homens, também eu o confessarei diante de meu Pai que está
nos céus" (Mateus 10:32). Se você confiou sinceramente em Cristo, terá de
contar isso a alguém. Esta sua nova vida irá manifestar-se, pois "a boca
fala do que está cheio o coração" (Mateus 12:34).
Alguns novos cristãos tentam ser crentes "secretos", mas isto não é
prudente nem sábio. Imagine se o Dr. Jonas Salk mantivesse em segredo
sua vacina contra a poliomielite! Teria sido um crime. Da mesma forma, o
conhecimento da salvação de Deus nos coloca em débito com o mundo.
Tanto Nicodemos como José de Arimatéia tentaram ser discípulos
secretos. Foi necessário que Cristo morresse para que chegassem a ponto
de pedir abertamente o corpo de Jesus a Pilatos. O registro bíblico é claro:
"Depois disto, José de Arimatéia, que era discípulo de Jesus, ainda que
ocultamente pelo receio que tinha dos judeus, rogou a Pilatos que lhe per-
mitisse tirar o corpo de Jesus. Pilatos lho permitiu. Então foi José de
Arimatéia e retirou o corpo de Jesus. E também Nicodemos, aquele que
anteriormente viera ter com Jesus à noite, foi, levando cerca de cem libras
de um composto de mirra e aloés. Tomaram, pois, o corpo de Jesus e o
envolveram em lençóis com aromas, como é de uso entre os judeus na
preparação para o sepulcro" (João 19:38-40). Não permita que o seu receio
da opinião alheia lhe roube a alegria da lealdade franca. É pecado manter-
se em silêncio quando uma confissão poderia ajudar alguém.
Envergonhar-se de Cristo é, na verdade, uma triste experiência. Ela
significa negligência, erro e fracasso de nossa parte, além de desonrar
Cristo e redundar em derrota pessoal.
Poderíamos facilmente compreender que Jesus se envergonhasse de
mim e de você; mas é difícil pensar que homens* e mulheres possam
envergonhar-se de Cristo. Joseph Griggs pergunta:

Jesus, poderá jamais


O homem mortal acanhar-se de Ti?
De Ti a quem os anjos louvam,
Cuja glória brilha pela eternidade?

Envergonhado de Jesus! Seria mais fácil então


Que a noite enrubecesse por possuir estrelas;
Pois é Ele quem irradia a divina luz,
Sobre minh’alma carente.

Envergonhado de Jesus! Esse amigo tão caro


De quem minha esperança do céu depende!
Não! Quando eu me acanhar seja essa minha
humilhação,
Por não mais reverenciar o Seu nome.

Envergonhar-me de Jesus? Sim, talvez eu possa,


Quando não mais houver culpa a expor,
Lágrima nenhuma a enxugar e bem nenhum pelo qual
[angustiar-me,
Quando não mais houver receios, ou alma alguma
[a salvar!

Envergonhados de Cristo? Jamais devemos fazer isso. As Escrituras


nos encorajam com freqüência a confessar Cristo abertamente, sem
qualquer sentimento de vergonha. Jesus disse: "Porque qualquer que nesta
geração adúltera e pecadora, se envergonhar de mim e das minhas
palavras, também o Filho do homem se envergonhará dele, quando vier na
glória de seu Pai com os santos anjos" (Marcos 8:38). Ser censurado por
causa de Cristo agora é ser recompensado mais tarde. Poderemos ser por
vezes chamados a partilhar dos sofrimentos de Cristo. Isto significa
realmente que Ele e nós estamos juntos: "mas, se (alguém) sofrer como
cristão, não se envergonhe disso, antes glorifique a Deus com esse nome"
(1 Pedro 4:16), escreve Pedro.
Descobri que o fato de não reconhecer a Jesus Cristo freqüentemente
resulta em vida desregrada, mas um compromisso público nos classifica
perante Deus e os homens. O fato de outros saberem de sua decisão irá na
verdade ajudá-lo a guardar-se das tentações.
Sim, a sua decisão foi uma decisão abençoada! Você pode cantar com
alegria o hino:

Alegre o dia em que aceitei


Jesus, e n'Ele a salvação!
O gozo deste coração
Eu mais e mais publicarei.

Sou feliz! Sou feliz!


Pois já minh’alma satisfiz!
Jesus me ensina a vigiar;
E, confiado n'Ele, andar.
Sou feliz! Sou feliz!
Pois já minh'alma satisfiz!

Sim, a sua decisão deu início a uma mudança, real, ben-fazeja e


duradoura. Você está pronto para nortear sua vida em direção a Deus.

O QUE É PRECISO FAZER AGORA


Da mesma forma em que o recém-nascido é cuidado no mundo
material, você precisa ser ajudado espiritualmente. Vou mencionar quatro
sugestões positivas, sobre as quais me estenderei mais tarde:

1. Leia a Bíblia sistematicamente


O que o alimento é para o corpo, a Bíblia é para a sua nova vida
espiritual. Numa hora escolha um determinado lugar silencioso, e comece
cada dia com a Bíblia. Esta é uma necessidade à qual você não pode fugir
se quiser crescer nas coisas de Deus. O Evangelho de João é um ponto
bom por onde começar. Lembre-se, leia pelo menos um capítulo por dia!
D.L. Moody afirmou: "Ou a Bíblia irá afastá-lo do pecado, ou o pecado irá
afastá-lo da Bíblia". Um capítulo por dia irá, certamente, ajudá-lo a afastar-
se do pecado.

2. Aprenda a orar
A oração é a comunhão do crente com Deus; nós falamos com Deus,
mas Ele também fala conosco. Orar não é simplesmente pedir coisas a
Deus, mas sim esperar silenciosamente diante d'Ele. Ore pedindo
purificação pessoal e vitória sobre o pecado; ore por si mesmo e pelas
outras pessoas.

3. Use toda oportunidade que se apresente para confessar Cristo


perante o mundo
Procure logo alguém a quem falar a respeito de sua decisão espiritual
e faça-o de maneira agradável e simpática. A atividade sempre fortalece.
Quando os crentes partilham com outros, desenvolve-se neles um apetite
pela Bíblia. O resultado de falar a outros sobre a sua nova vida irá fornecer
temas diários de oração. Quando o crente novo começa a agir, tudo entra
em foco. R. A. Torrey disse: "Se você fizer pouco de Cristo, Cristo fará pouco
de você".

4. Participe de uma igreja local


Se a mãe permitir que os filhos cresçam na ociosidade, o resultado
será crianças sem instrução. Desde que a responsabilidade do cristão para
com os demais é evidente, a demora apenas ajudará a formar maus
hábitos. Lemos na Bíblia: "Não abandonemos a nossa própria congregação,
como é costume de alguns" (Hebreus 10:25). Sua freqüência assídua à
igreja irá estimular o seu crescimento. Procure uma congregação que seja
leal a Jesus Cristo e à Palavra de Deus, e se torne membro dela.
Se você seguir esses quatro pontos bíblicos, o seu crescimento cristão
fica assegurado.
É certo que irá encontrar tentações, mas não precisa ceder a elas
nem cair, pois Deus prometeu: "Maior é aquele que está em vós do que
aquele que está no mundo" (1 João 4:4). Se vier a cair, busque o perdão
imediatamente. "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para
nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 João 1:9). Se
cair, não permaneça vencido, mas levante-se e prossiga. Talvez você esteja
enfrentando agora uma luta contra um mau hábito; lembre-se de que
Cristo está pronto para ajudá-lo, e Ele tem todo o poder no céu e na Terra.
Outro segredo para uma vida cristã vitoriosa é manter os olhos fitos
em Jesus. Os melhores homens poderão decepcionar você às vezes; mas,
não esqueça — Jesus jamais falha!

LEMBRETES
As coisas mortas não crescem. Você não cresce para dentro da graça;
mas cresce uma vez que esteja dentro dela.
Os chineses falam de "dois homens bons: o que está morto e o que
não nasceu".
O Evangelho representa as Boas-Novas do que Deus fez através de
Cristo, a fim de perdoar nossos pecados.
O conhecimento da salvação de Deus nos coloca em débito com o
mundo.
"Ou a Bíblia irá afastá-lo do pecado, ou o pecado irá afastá-lo da
Bíblia", afirmou D.L. Moody.
"Se você tiver consideração por Cristo, Ele terá consideração por você;
mas se você fizer pouco de Cristo, Ele fará pouco de você".

R.A. Torrey

PERGUNTAS
1. Qual o primeiro passo para receber Jesus Cristo como Salvador?
2. Cite duas palavras bíblicas que descrevam nossa condição
passada como pecadores.
3. Qual o segundo passo ao receber Jesus Cristo como Salvador?
4. Qual o significado do termo confessar?
5. Mencione pelo menos dois versículos das Escrituras que
indiquem que devemos confessar a Jesus Cristo publicamente perante os
homens.
6. Cite quatro pontos importantes para o crescimento espiritual.
CAPÍTULO 2

O QUE É SER CRISTÃO?


"Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos
filhos de Deus; a saber: aos que crêem no seu nome; os quais não
nasceram da carne, nem da vontade do homem, mas de Deus." João 1:12-
13.
Se tomarmos as duas primeiras palavras de João 1:13, a terceira, e
as duas últimas, temos a frase: "os quais. . . nasceram. . . de Deus". Essa é
uma boa definição. O cristão é aquele que nasce de Deus.

***

A palavra "cristão" foi gerada em meio à zombaria e ridículo. Em


Antioquia da Síria, cidade de um milhão de habitantes, os seguidores de
Jesus receberam esta alcunha. O termo "cristão" aparece apenas três vezes
no Novo Testamento e nenhuma no Velho Testamento. A primeira menção
é feita em Atos 11:26: "Em Antioquia foram os discípulos pela primeira vez
chamados cristãos". Ele aparece novamente em Atos 26:28: Então Agripa
se dirigiu a Paulo, e disse: "Por pouco me persuades a me fazer cristão".
Também em 1 Pedro 4:16: "mas, se sofrer como cristão, não se envergonhe
disso, antes glorifique a Deus com esse nome".
Ser cristão nos primeiros séculos era uma questão de vida e morte;
nela estava envolvida a fé que os heróis tinham. Ser cristão significava com
freqüência enfrentar uma arena paga e feras selvagens; significava sempre
a porta estreita, o caminho apertado, a negação de si mesmo, o colocar a
cruz aos ombros e seguir a Jesus.

O QUE É SER CRISTÃO?

1. É unir-se com Cristo


A palavra cristão é na verdade uma combinação de duas outras:
Cristo e homem. Quando um homem ou mulher se unem a Cristo, eles
formam a palavra cristão. O cristão é uma combinação de Cristo e você. O
pecador recebe o Salvador, e o Salvador recebe o pecador. O cristão é um
homem ou mulher unido a Cristo.

2. É nascer de novo
Quando Jesus falou a Nicodemos, Suas palavras foram estas: "Se
alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus" (João 3:3).
Segundo Jesus, o cristão é aquele que nasceu de novo. O nascimento
espiritual é a única forma de entrar na família de Deus; precisamos nascer
de novo.
A palavra cristão tem sido grandemente deturpada em nossos dias.
Ela foi manipulada e ampliada de maneira a cobrir todo o mundo civilizado.
A mesma tem sido abusada, mal aplicada, mal compreendida e mal
empregada. Milhares que se dizem cristãos não têm qualquer direito a esse
nome. Alguns dizem: "Todas as pessoas civilizadas são cristãs". Outros su-
põem que o termo inclui todos os gentios e exclui todos os judeus. Pelo
contrário, existem muitas pessoas maravilhosas que são judias e cristãs; e,
é triste dizer, há milhares de gentios que não são absolutamente cristãos.
O conceito de cristianismo tornou-se tão deturpado que milhões não
conhecem a diferença que existe entre a regeneração espiritual e a simples
profissão religiosa.
Conta-se a história de alguns marinheiros americanos que
naufragaram numa ilha dos Mares do Sul. Os marinheiros se esconderam
com medo dos nativos, até que certo dia ouviram alguns dos habitantes da
ilha falando em um inglês perfeito. Aliviados, os náufragos exclamaram:
"Eles são cristãos".
Na verdade, ninguém tem o direito de dizer: "sou cristão", enquanto
não tiver sido perdoado.
Você pergunta: "Mas, por quê? Porque a Bíblia ensina que 'todos
pecaram'".
A justiça e a santidade de Deus exigem que seja paga a penalidade
pelo pecado. Jesus, o Filho de Deus, morreu voluntariamente para expiar
os pecados de toda a humanidade. Quando alguém recebe a Cristo pela fé,
então, e somente então, essa pessoa tem o poder ou o direito legal de dizer-
se filha de Deus. O apóstolo João nos disse: "Mas, a todos quantos o
receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus; a saber: aos
que crêem no seu nome" (João 1:12).

3. Para receber a Cristo como Salvador


Receber a Cristo é ter fé nEle, crendo que Ele é filho de Deus sem
pecado, que morreu voluntariamente pelas nossas faltas, a fim de nos
libertar da morte espiritual e do juízo, e para que tivéssemos vida eterna. A
questão crucial é esta: você já tomou esta decisão? Já recebeu a Jesus
Cristo?

UMA PALAVRA DE ADVERTÊNCIA


Religião é coisa muito popular em nossos dias. O mundo está cheio
de pessoas que afirmam: "Creio em Deus. Creio em Cristo, e creio na
Bíblia". Algumas vezes a vida dessas pessoas não corresponde àquilo que
alegam crer. Esta não é uma fé salvadora, mas falsa.
A Bíblia diz: "A fé sem as obras é inoperante" (Tiago 2:20). E, de novo:
"Assim, pois, pelos seus frutos os conhece-reis" (Mateus 7:20). Assim
sendo, se não houver diferença, nem distinção, tenho receio de que alguns
indivíduos estejam na carne, e "da carne colherá corrupção" (Gaiatas 6:8).
Veja bem, não há sequer um prisioneiro no mundo que não creia ser
melhor agir com honestidade. Não há um só bêbado que não creia que a
sobriedade seja a melhor condição. Mas, a simples crença não modifica a
situação. A fé veio a ser considerada nos dias de hoje como uma simples
aquiescência à Palavra de Deus. Mas esta espécie de fé é paralisante, fatal
e pode até mesmo condenar ao inferno. A Bíblia afirma: "Até os demônios
crêem, e tremem" (Tiago 2:19). A diferença entre a crença emocional e a
mental é a mesma que existe entre a salvação e a condenação. Qualquer fé
que não resulte numa mudança de vida não é uma fé salvadora, mas falsa.
A pergunta importante a ser feita é então esta: "Eu cri para a salvação?".
Existem casos de pessoas que declaram não poder crer em algo que
não compreendam. Na realidade, porém, nós cremos em muitas coisas que
não entendemos. Por exemplo, ninguém conhece todos os segredos da
eletricidade, mas seria grande tolice dizer: "Ficarei sentado no escuro
enquanto não entender o que é a eletricidade".
Nenhum médico compreende inteiramente as maravilhas do sistema
digestivo. Todavia, quem ousaria afirmar: "Não comerei enquanto não
entender como digerimos?".
Quem compreende o milagre da simples melancia? Uma semente cai
no chão. Ela brota e logo surge uma planta vigorosa que produz várias
melancias, cada uma com centenas de vezes o peso da semente original. Do
lado de fora há uma belíssima casca verde, a seguir uma polpa
esbranquiçada, e na parte central, de um vermelho atraente, centenas de
sementes capazes de produzir outras melancias. O homem mais genial não
pode explicar este mistério, mas até o mais ignorante pode tirar proveito
dele.
Portanto, quando se submete ao Evangelho, você se torna parte do
mistério divino. Você é vivificado por Deus e se torna uma "nova criatura".
Jesus declarou: "O vento sopra onde quer, ouves a sua voz, mas não sabes
donde vem, nem para onde vai; assim é todo o que é nascido do Espírito"
(João 3:8).
Vamos recapitular:

1. O cristão é aquele que se une a Cristo.


2. O cristão é aquele que nasceu de novo.
3. O cristão é aquele que recebeu a Jesus Cristo.

O QUE O CRISTÃO NÃO É


Às vezes compreendemos melhor o lado positivo de uma questão,
considerando o seu lado negativo. Lembro-me perfeitamente da felicidade
experimentada em minha própria infância. No domingo, todos nós, seis
filhos, acompanhávamos nossos pais à igreja; nossas refeições sempre
começavam com uma oração em família, e líamos a Bíblia
sistematicamente. Nosso lar era cristão; entretanto, essa maravilhosa
herança não me tornava, automaticamente, cristão. O simples
relacionamento com os remidos não traz a redenção. O mero parentesco
com cristãos não faz de nós um cristão. A salvação de Deus não vem pela
geração natural. Deus não tem netos. João 1:13 mostra três erros que
existem ainda hoje: "os quais não nasceram do sangue, nem da vontade da
carne, nem da vontade do homem, mas de Deus".

1. O nascimento natural não faz de nós um cristão


"... não nasceram do sangue."
João está simplesmente dizendo que não nos tornamos cristãos
através de nossos pais terrenos. A bênção de pais santos é uma grande
herança, mas não faz de nós um cristão. Os pais podem empurrar na
direção certa, mas não podem tornar-nos cristãos.
O povo judeu costumava dizer: "Abraão é nosso pai", e se julgava
assim a salvo e seguro.
Os expoentes do nazismo gabavam-se de seu "puro sangue ariano" e
falavam de uma "super-raça". Isto também não é bíblico. Na Bíblia, o
mistério do sangue está na herança do pecado, derivada de Adão pelo
nascimento natural. Está também no dom da salvação comprado pelo
sangue de Cristo, através do nascimento espiritual. O apóstolo João está
dizendo apenas que não podemos tornar-nos cristãos através de nossos
pais carnais. O nascimento natural não faz de nós um cristão.

2. As boas obras não fazem de nós um cristão "... nem da vontade


da carne."
O maior erro que existe hoje talvez seja a crença de que a salvação
resulta do esforço pessoal. Milhares se imaginam cristãos porque tentam
seguir a Regra de Ouro ou pelo fato de viverem com decência e moralidade.
Outros se apóiam em sua atividade religiosa ou filiação à igreja. Em
contraste direto, o apóstolo João declara que a salvação não vem através
"da vontade da carne".
Perguntei certa vez a uma freqüentadora assídua da igreja se ela era
cristã; ao que me respondeu prontamente: "venho ensinando na escola
dominical há dezesseis anos".
Cumprimentei-a e repeti com bondade a questão: "você é cristã?"
Ela então disse-me que ajudava muito às missões mas não respondeu
à minha simples pergunta. Essa cara senhora estava procurando depender
de seus próprios esforços para ganhar a salvação. Se a atividade nas obras
religiosas faz de alguém um cristão, ela certamente teria conquistado o
título; mas a Bíblia diz, "nem da vontade da carne".
A mensagem bíblica sobre o assunto é clara e fácil de entender. Paulo
afirmou: "Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de
vós, é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie" (Efésios
2:8-9). A salvação não é algo que você faz, mas Alguém que você recebe. A
Salvação é Alguém. A Salvação é Jesus Cristo.
Seria mais fácil cavar um túnel entre as montanhas com uma colher
de chá, do que alcançar o céu pelo esforço próprio, pelo caráter, ou
qualidades morais. A salvação é um oferecimento, e não uma exigência. Ela
não está baseada naquilo que eu faço, mas no que Jesus fez.
Não nos tornamos cristãos subindo um por um os degraus das boas
obras. Na verdade, acontece o oposto. Jesus Cristo desceu as escadas,
através da manjedoura de Belém e da cruz do Calvário para encontrar-se
conosco no nível em que estamos. As boas obras não fazem de nós um
cristão.
3. Os sacramentos religiosos não fazem de nós um cristão.
"... nem da vontade do homem."
Há algum tempo atrás perguntei a um médico: "Você é cristão?" Ele
me respondeu: "Fui batizado pelo Pastor Fulano faz alguns anos". Depois
de conversarmos mais, percebi que ele se alicerçava na ordenança do
batismo em lugar da fé em Cristo.
Homem algum pode fazer de você um cristão, não importa quão
importante ou piedoso ele seja. A idéia errada de que um líder religioso
qualquer pode fazer de alguém um cristão, através de um ato religioso, é
inverídica e contrária à Palavra de Deus. Nenhuma ordenança da igreja,
por mais importante que seja pode perdoar pecados.
Um vagabundo, evidentemente sob a influência do álcool, aproximou-
se do evangelista D.L. Moody. "Sr. Moody," disse ele, "foi o senhor quem me
salvou".
O grande evangelista, observando-lhe a face barbada, os olhos
congestionados, o cabelo despenteado, e as roupas rasgadas, replicou: "É
verdade, parece que fui eu mesmo quem o salvou. Se tivesse sido o Senhor
Jesus, você não estaria nessa situação".
Os ministros são meros instrumentos de Deus para executar suas
ordens. Nas palavras de Paulo: "Porque de Deus somos cooperadores" (1
Coríntios 3:9). "De sorte que somos embaixadores em nome de Cristo, como
se Deus exortasse por nosso intermédio. Em nome de Cristo, pois, rogamos
que vos reconcilieis com Deus" (2 Coríntios 5:20). Homem algum pode con-
ferir salvação ou perdão a outro.
Ser cristão é muito mais do que crer em certas doutrinas ou
submeter-se a qualquer ordenança. É receber a Cristo. Se tomarmos da
primeira linha de João 1:13a palavra "nasceram" e, da última, as palavras
"de Deus", teremos uma boa definição dos cristãos. O cristão é aquele que
nasce de Deus.

O QUE O CRISTÃO DEVERIA SER


Salvação e rendição eram coisas simultâneas para o apóstolo Paulo.
Imediatamente depois de crer, ele perguntou: "Senhor, que queres que
faça?" (Atos 9:6). Da mesma forma que Paulo queria fazer apenas a vontade
de Deus, todo cristão deve entregar sua vida inteira a Cristo. Paulo rogou a
todos os cristãos: "oferecei-vos a Deus" (Romanos 6:13).
Adolph Deissman sugeriu que a palavra cristão tem o significado de
"escravo de Cristo", como cesáreo significava "escravo de César".
No Velho Testamento, Deus prometeu a Abraão que ele seria pai de
uma grande nação, com filhos em tão grande número quanto as areias do
mar. Abraão, porém, não tinha filhos. Contrariamente à vida de fé, ele
gerou um filho de Hagar, a escrava de sua mulher. Este foi um ato carnal,
representando o caminho tortuoso do homem em lugar do caminho de
Deus. O Senhor interveio e realizou um milagre. Sara, mulher de Abraão,
em sua velhice, deu à luz Isaque, um filho da fé, o cumprimento do eterno
plano de Deus.
Deus pede a cada cristão que desista de suas próprias soluções para
os problemas da vida e aceite o caminho da fé. Ele está na verdade dizendo:
"Não se prenda a nada — ceda tudo".
É um grande erro pensar que podemos andar a esmo ao longo da vida
cristã. Segundo Samuel Rutherford: "Você não vai ser transportado ao céu,
deitado ociosamente num colchão de penas". Tertuliano advertiu: "Aquele
que tem medo de sofrer, não pode pertencer Àquele que sofreu".
O chamado de Cristo aqui na terra foi firme e não convencional. Suas
palavras foram tão incisivas que os ouvintes tentaram matá-lO. Hoje,
porém, freqüentemente apresentamos o Senhor da glória como manso e
humilde em lugar de majestoso e santo; suave e sentimental em lugar de
firme e forte. Artistas e poetas retrataram Cristo com cabelos castanhos,
esvoaçantes, e rosto afeminado, andando em meio ao povo, abençoando a
todos. Isto é falso! É verdade que Ele fazia o bem por onde andava; mas, em
atitude diferente, Ele era firme e Suas palavras severas. Às vezes, Ele até
mesmo ofendia Seus discípulos, Seus parentes, os escribas e fariseus.
Certa ocasião Jesus disse: "Não penseis que vim trazer paz à terra; não vim
trazer paz, mas espada" (Mateus 10:34).
Ele era na verdade amoroso e bom, mas não podemos ignorar as
exigências de seu chamado. "Mestre", exclamou certo homem, "seguir-te-ei
para onde quer que fores."
Jesus respondeu ao oferecimento entusiasta com palavras
surpreendentes: "As raposas têm seus covis e as aves do céu, ninhos; mas
o Filho do homem não tem, onde reclinar a cabeça" (Mateus 8:19-20).
Outro pediu: "Senhor, permite-me ir primeiro sepultar meu pai."
A resposta veio rápida e devastadora como um raio: "Deixa aos
mortos o sepultar os seus próprios mortos. Tu, porém, vai, e prega o reino
de Deus" (Lucas 9:57-60).
Um terceiro rogou: "Seguir-te-ei, Senhor; mas deixa-me primeiro
despedir-me dos de casa" (v. 61).
A resposta de Jesus foi um golpe severo para este: "Ninguém que,
tendo posto a mão no arado, olha para trás, é apto para o reino de Deus"
(v. 62).
A vida cristã é bela, mas nem tudo é festa. Jesus jamais conquistou
discípulos com falsas promessas. De fato, Ele não ocultou Suas cicatrizes,
mas declarou abertamente: "Vede as minhas mãos e os meus pés" (Lucas
24:39).
O lema de C.T. Studd era este: "Se Jesus Cristo é Deus e morreu por
mim, então não existe sacrifício grande demais que eu possa fazer por Ele".
As páginas da história nos falam de um jovem covarde que fazia parte
do exército de Alexandre, o Grande. Toda vez que a batalha se encarniçava,
o jovem recuava. O orgulho do general foi ferido pelo fato desse tímido
soldado também levar o nome de Alexandre. Certo dia, Alexandre o Grande
dirigiu-se a ele asperamente: "Deixe de ser covarde, ou não use mais esse
bom nome".
O chamado para todos os cristãos é o mesmo hoje. Possamos nós
viver fielmente à altura daquilo que o nome de cristão abrange. "Senhor, o
que queres que faça?"
LEMBRETES
O cristão é uma combinação de Cristo e você.
A salvação é um oferecimento e não uma exigência.
A diferença entre a crença emocional e a mental é aquela mesma que
existe entre a salvação e a condenação.
Deus não tem netos.
Jesus jamais conquistou discípulos sob falsos pretextos. De fato, Ele
não ocultou Suas cicatrizes, mas declarou abertamente: "Vede as minhas
mãos e os meus pés".
"Se Jesus Cristo é Deus e morreu por mim, então não existe sacrifício
grande demais que eu possa fazer por Ele". (C.T. Studd)

PERGUNTAS
1. Quantas vezes a palavra cristão aparece na Bíblia e onde?
2. Dê duas definições em resposta à pergunta: "O que é um cristão?"
3. Cite três erros que existem hoje, segundo João 1:13.
4. De acordo com João 1:12, o que acontece à pessoa que recebe a
Cristo?
5. De acordo com Atos 9:6, o cristão deve ser o quê?
6. O que Paulo pediu que os cristãos fizessem em Romanos 6:13?
CAPÍTULO 3

COMO CRESCER NA VIDA CRISTÃ


"Edificando-vos na vossa fé santíssima" (Judas 20).
Como cresce a alma? Não acontece em minutos! Pode perder terreno
agora e ganhá-lo logo após. Mostra-se por vezes resoluta; mas, de repente
sua vontade falha. Rejubila-se num momento, para chorar em seguida.
Suas esperanças frutificam, para serem depois esmagadas. Dá alguns
passos tristonha, e outros mais, vacilando na escuridão. Alimentada pelo
desânimo, ensinada pelo desastre, avança sempre, às vezes devagar, outras
mais apressada. Até que toda dor fique para trás e as falhas sejam
corrigidas. Alcançou assim o pleno amadurecimento, e o Senhor domina a
alma.
Susan Coolidge

***

Li há algum tempo atrás um livro cujo título era Grow up or Blow up


(Ou Você Cresce ou Desaparece), e que falava da necessidade da civilização
crescer a fim de não destruir-se a si mesma. É também muito importante
que nós, como indivíduos, "cresçamos" nas coisas de Deus.
Neste nosso século vinte vemos os homens vivendo e morrendo para
adquirir bens materiais. Ao que parece, uma febre de riqueza sem paralelos
aflige a maioria, enquanto os valores espirituais são praticamente
ignorados. A verdadeira medida do sucesso na vida não é nem pode ser
avaliada em dólares e centavos, e com certeza também não pode ser
calculada com base nas realizações físicas e mentais. Em contraste
absoluto com esse critério, o verdadeiro e eterno equilíbrio na vida é
encontrado no crescimento à imagem de Cristo. Você descobrirá que este é
um caminho desprezado, pois não existem vias rápidas que dêem acesso ao
crescimento.
Nas palavras de Robert Browning: "O homem foi feito para crescer e
não para estacionar". Os apóstolos Pedro e Paulo também criam nesta
verdade. Pedro desafia todos os cristãos: "Crescei na graça e no
conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" (2 Pedro 3:18). O
versículo anterior contém uma grave advertência: "Acautelai-vos: não
suceda que, arrastados pelos erros desses insubordinados, descaiais da
vossa própria firmeza". Imediatamente após o aviso, vem a cura de Deus:
"Crescei na graça".
Romanos 8:29 encoraja os crentes a serem "conformes à imagem de
seu Filho". Efésios 4:15 nos diz que "cresçamos em tudo naquele que é o
cabeça, Cristo". Primeiro Tessalonicenses 3:12 nos desafia a "crescer e
aumentar".
VIDA: O PRIMEIRO PASSO DO CRESCIMENTO!
As coisas mortas não podem crescer. Antes de haver crescimento
espiritual, é preciso que haja vida espiritual. Quando a criança nasce, seu
primeiro vagido indica vida. Se houver vida, então um mundo de
possibilidades acena para o bebê recém-nascido. Se não houver vida, não
há então esperança. Um poste fincado no chão não cresce, mas uma
pequenina semente germinará por si mesma. Deixe cair uma pedra no solo
mais fértil e anos depois o seu tamanho continuará o mesmo. Coloque uma
semente no solo e ela germinará, produzindo caule e flores. A diferença é
clara: uma tem vida e a outra não.
Esta vida pode ser imitada, mas a diferença é facilmente descoberta.
Uma é real, a outra falsa. Uma é natural, a outra mecânica. O cristal
cresce de fora para dentro, pela adição de novas partículas, enquanto o
organismo vivo cresce de dentro para fora. O cristal pode ser belo, mas não
passa de um cristal e carece da verdadeira vida para crescer.
As coisas mortas podem acumular-se, mas não podem crescer.
A não ser que os homens e mulheres tenham a vida que vem do alto,
as práticas religiosas e os ambientes nada poderão acrescentar-lhes. Na
verdade, eles levam a pessoa a apóiar-se em uma falsa esperança,
assegurando ainda mais a certeza da sua condenação. Para você que se
decidiu por Cristo, a ordem divina é esta: "cresça na graça". As pessoas a
quem Pedro se dirige "nasceram de novo"; pois, lembre-se, as coisas mortas
não crescem.
Conta-se a história de um jovem artista do século dezesseis que
trabalhou arduamente e por longo tempo na estátua de um anjo. O famoso
Michelangelo foi convidado para apreciar a obra-prima depois de acabada.
Ao contemplá-la, Michelangelo comentou: "Falta-lhe apenas uma coisa",
saindo a seguir do estúdio.
O jovem artista ficou desanimado, pensando qual seria a falha que
ele observara na estátua. Um amigo de ambos, interessado em resolver o
caso, procurou Michelangelo para descobrir o que faltava à obra.
Michelangelo manifestou-se: "Falta-lhe apenas uma coisa, vida. Se tivesse
vida, seria tão perfeita quanto as obras de Deus".
Sim, a vida é o primeiro requisito para o crescimento.

PORQUE VOCÊ DEVE CRESCER


1. Por ser este o plano de Deus
Segunda Pedro 3:18 afirma: "Crescei na graça e no conhecimento de
nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo".
O Senhor disse a Moisés e Arão: "Portanto vós sereis santos, porque
eu sou santo" (Levítico 11:45). Jesus também falou: "Portanto, sede vós
perfeitos (amadurecidas) como perfeito é o vosso Pai celeste" (Mateus 5:48).
Paulo, pregando aos filipenses, declarou: "Não que eu o tenha já recebido,
ou tenha já obtido a perfeição (amadurecimento completo); ...mas uma
cousa faço: esquecendo-me das cousas que para trás ficam e avançando
para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo, para o prêmio da
soberana vocação de Deus em Cristo Jesus" (Filipenses 3:12-14).
O crescimento não é produto de um sonho idealista: é plano de Deus.
Devemos ceder ou perecer, pois Deus não irá tolerar interferência contínua.
Não somos sem pecado, pelo contrário, devemos pecar cada vez menos.

2. É a lei da natureza
A natureza diz: "Cresça ou morrerá". Uma árvore gangrenada não
produz novos brotos. Quando o corpo pára de crescer, começa a morrer. Os
dedos da natureza começam a operar, e continuam a agir até que a morte
nos reclame. A primeira lei da vida é expansão! É crescer ou decair.
Avançar ou regredir. Viver ou morrer!
São palavras de Jesus: "Todo ramo que, estando em mim, não der
fruto, ele o corta: e todo o que dá fruto, limpa, para que produza mais fruto
ainda" (João 15:2).
"Crescei na graça". A palavra "crescer" indica uma ação continuada.
Não há um tempo determinado de parar de crescer. No mundo físico,
quando não crescemos, é um mau indício: é sinal de doença. Qualquer mãe
ficaria justamente alarmada se dia após dia, semana após semana, seu
bebê não mostrasse sinais de crescimento. Um fazendeiro ficaria abalado
se suas plantações não produzissem frutos para a colheita.
Gênesis 11:31 nos conta que Terá partiu para Canaã com seu filho
Abraão. O versículo 31 diz o seguinte: "Foram até Harã, onde ficaram"; e o
versículo 32: "E ... Terá . . . morreu em Harã". Parece algumas vezes que
muitas pessoas hoje em dia estão parando em Harã e morrendo ali. Não há
tempo nem lugar onde parar de crescer. O crescimento se conforma à lei da
natureza e ao plano divino.

COMO CRESCER
1. Naturalmente
Jesus disse: "Considerai como crescem os lírios do campo: eles não
trabalham nem fiam. Eu, contudo, vos afirmo que nem Salomão, em toda a
sua glória, se vestiu como qualquer deles" (Mateus 6:28-29).
Note a expressão: "como crescem". Como crescem os lírios? Qual o
segredo do seu crescimento? O lírio, de acordo com o plano de Deus,
simplesmente desenvolve a vida que tem em si. Não ordenamos a um lírio
que cresça; o seu crescimento é natural, espontâneo. Ele não se aflige, nem
trabalha, nem se esforça, nem se estica; apenas cresce. O crescimento é
natural e inevitável quando há vida, e com mais razão quando há vida
divina.
O ambiente é um fator importante no processo do crescimento. Vejo
uma bolota caída na calçada e sei que ela jamais crescerá; mas ponha a
bolota no solo a que pertence e ela crescerá. Se arrancarmos uma planta
do solo e a colocarmos longe do sol, ela não vai crescer. Da mesma forma,
nós que recebemos a Cristo precisamos habitar nEle se quisermos crescer
e frutificar.
O filho de Deus deve manter um relacionamento reto com Ele.
Devemos estar enraizados na Palavra de Deus. Devemos ser aquecidos pelo
Sol da Justiça. Devemos ser amigos dos filhos de Deus. Devemos colaborar
em todos os sentidos com o Jardineiro divino. Não permita que qualquer
obstáculo fique entre você e o seu Senhor. Mantenha os olhos fitos no
"Autor e consumador da fé, Jesus" (Hebreus 12:2). Iremos então frutificar,
"a cem, a sessenta e a trinta por um" (Mateus 13:8).
A salvação é apenas o começo daquilo que Deus quer fazer por você.
Ele "é poderoso para fazer infinitamente mais do que tudo quanto pedimos,
ou pensamos" (Efésios 3:20). O oceano ilimitado da graça e da verdade está
diante de cada cristão. Que jamais nos contentemos com as conchas vazias
lançadas à praia, quando podemos arremessar-nos às profundezas.
A Bíblia compara o cristão a uma árvore. Nossas raízes devem
atravessar as camadas da verdade desde a superfície e aprofundar-se até
às grandes rochas doutrinárias da salvação eterna. Então, quando o
furacão da ira de Deus tiver esmagado os hipócritas, lançando-os ao mar
da destruição, essas árvores enraizadas, plantadas por Deus,
permanecerão.
Como as árvores, precisamos lançar para trás a cabeça e olhar para
Jesus a fim de encontrar refrigério. Devemos estender nossos ramos e
permitir que a sombra de nossa santa influência se faça sentir de perto e
de longe. Nossos galhos devem estar pesados de frutos. Esta é a promessa
de Deus: "Ele florescerá como o lírio, e lançará as suas raízes como o cedro
do Líbano. Estender-se-ão os seus ramos, o seu esplendor será como o da
oliveira, e sua fragrância como a do Líbano. Os que se assentam de novo à
sua sombra voltarão; serão vivificados como o cereal, e florescerão como a
vide; a sua fama será como a do vinho do Líbano (Oséias 14:5-7).

2. Comendo
Também crescemos comendo. Todas as coisas vivas comem, e aquilo
que comemos afeta o nosso crescimento. A Bíblia diz: "Comei o que é bom"
(Isaías 55:2). Não há livro que faça você crescer como a Bíblia.
Se colocássemos a seda mais cara sob a lente de um microscópio, ela
pareceria rude e manchada. A pétala do lírio, debaixo da mesma lente,
apresenta-se sem mácula. As vestes reais de Salomão não podiam
comparar-se aos lírios selvagens de Deus. Mateus 6:28 nos fala para
considerar "como crescem os lírios do campo". E como crescem eles? As
raízes filiformes do lírio penetram até os minerais e praticam a seleção.
Alguns minerais parecem bons, mas são na verdade venenosos. Estes
ficam de lado. Outros são necessários e aceitos. É justamente isto que
devemos fazer para crescer na graça.
Existem coisas atraentes que são mortais ao crescimento. O apóstolo
Pedro indica algumas coisas que devem ser recusadas: "Despojando-vos,
portanto, de toda maldade e dolo, de hipocrisias e invejas, e de toda sorte
de maledicências". Outras devem ser recebidas: "desejai ardentemente,
como crianças recém-nascidas, o genuíno leite espiritual, para que por ele
vos seja dado crescimento para salvação" (1 Pedro 2:1-2). Isso significa que
a Palavra de Deus é boa como alimento. O leite é um alimento que foi
digerido por outrem. Os cristãos pensam muitas vezes que a única
alimentação de que precisam é aquela que o pastor digeriu e apresenta nos
domingos pela manhã. Isto não basta. "Examinais as Escrituras, porque
julgais ter nelas a vida eterna, e são elas mesmas que testificam de mim"
(João 5:39).
Devemos alimentar-nos da carne da Palavra. D.L. Moody costumava
capinar batatas quando criança, e contava que fazia tão mal o seu trabalho
que sempre tinha de marcar o lugar onde interrompera o serviço. Fico
imaginando, será dessa forma que nós lemos a Bíblia?

3. Respirando
O que a respiração representa para o homem material, a oração
representa para o homem espiritual. Nosso Salvador era homem de oração.
A atmosfera comum o sufocava, e Ele procurava então freqüentemente
comunhão com Deus em lugares isolados da multidão. Se Jesus, o Filho de
Deus sem pecado, achava importante orar, nós, criaturas pecadoras, não
podemos ousar viver sem a oração.
Precisamos aspirar profundamente o ar celestial todos os dias. Nas
palavras de Andrew Murray: "Devemos afastar-nos dos homens e nos
enclausurar com Deus"; ou, segundo Trench: "Orar não é vencer a
relutância de Deus, mas, sim, apropriar-se de Sua suprema boa vontade".
Iremos realmente crescer se estivermos em comunhão com Jesus
Cristo. Ele é o fôlego da vida. O grande pianista Rubinstein afirmou: "Se
deixo de me exercitar por um dia, posso notá-lo; se deixo dois dias, meus
amigos notam; se deixo por três dias, todo o público nota". Esta é uma
velha verdade, mas continua vital. Devemos "orar sem cessar" (1
Tessalonicenses 5:17). Alguém disse: "A oração é o prefácio do livro da vida
cristã, o texto do sermão da nova vida; é cingir-se com a armadura para a
batalha, é o preparo do peregrino para a jornada; e precisa ser
acompanhada pela ação, caso contrário de nada vale".
A oração e o trabalho formam o conjunto invencível do Novo
Testamento. As orações sinceras jamais são mandadas de volta para casa.

Ó, a delícia pura de uma única hora


Que passo diante de Teu trono;
Quando me ajoelho em oração, e conTigo, Deus meu,
Comungo de amigo para amigo!

Fanny J. Crosby

4. Descansando
Era disto que Jesus falava quando perguntou: "Qual de vós, por
ansioso que esteja, pode acrescentar um côvado ao curso de sua vida?"
(Mateus 6:27). A preocupação não irá acrescentar nada à sua estatura
espiritual, nem um centímetro sequer.
A vida cristã não deve ser uma dependência nervosa de Deus, mas
um repouso na palma de/Sua mão. Não vou crescer mediante esforços
ingentes de minha parte, torcendo-me e esticando-me, mas sim através da
rendição total ao controle de Cristo.
Se houver vida e saúde no corpo físico, o crescimento será coisa
natural e inevitável. O mesmo acontece espiritualmente. Se nascemos de
novo e somos cristãos fiéis, iremos desenvolver-nos naturalmente, como o
botão do lírio. A Bíblia diz: "Descansa no Senhor e espera nele" (Salmo
37:7). "Por baixo de ti estende os braços eternos" (Deuteronômio 33:27).
"Pois assim dá ele aos seus amados e sono" (Salmo 127:2). "O justo
florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano. Plantados na
casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus. Na velhice darão
ainda frutos, serão cheios de seiva e de verdor" (Salmo 92:12-14).

5. Exercitando
A Bíblia dá muita ênfase ao trabalho. Mostre-me alguém que não
trabalha e lhe mostrarei um fraco. Se você trabalha assiduamente, comerá
e dormirá bem. As pessoas se queixam muitas vezes de que não são
alimentadas espiritualmente, mas provavelmente não têm fome espiritual,
e não sentem apetite porque não estão trabalhando. Os tecidos frágeis
exigem fortalecimento. Da mesma forma, os que lutam no campo da lavou-
ra do Senhor clamam pelo pão da vida. Se um crente trabalhar com
sinceridade na vinha de Deus, ele crescerá na graça. Meu amigo, se você
quiser realmente crescer, comece a trabalhar. Pratique a verdade que
conhece, e muitas outras coisas se esclarecerão. Os braços do lavrador
ficam mais fortes devido ao trabalho contínuo. A criança cresce através do
exercício. Devemos crescer como crescem as crianças: vagarosa, mas
continuamente: um pouco cada dia e muito em um ano. No começo as
pernas podem estar fracas, mas em breve poderemos andar sem cansar e
correr sem desmaiar. "Pois ao que tem se lhe dará" (Marcos 4:25). Jesus
disse: "Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também" (João 5:17).
Um bom exercício é testemunhar em relação à nossa fé em Jesus
Cristo. Jesus declarou distintamente: "Sereis minhas testemunhas" (Atos
1:8). Uma testemunha é alguém que fala o que sabe. Depois de tudo o mais
ter sido dito e feito, nossa verdadeira justificativa para viver é prestar
testemunho. Não permita que se passe um dia sem que você tenha falado a
alguém sobre Jesus Cristo. O testemunho mantém nossa vida de oração
ativa e atualizada. Ele também nos anima a pesquisar as Escrituras em
busca das respostas a serem dadas àqueles a quem você está
testemunhando.
Amigo, você tem crescido desde a sua conversão? Está glorificando
mais a Deus esta semana do que na semana passada? Está mais próximo
do Salvador hoje do que no momento de sua decisão? Você se rejubila na
Lei do Senhor e medita sobre ela dia e noite?
Com a ajuda de Deus, os cristãos podem ser como as árvores
plantadas ao longo dos rios, estendendo seus ramos e produzindo fruto.
Separados de Cristo, não passamos de refugo, sem qualquer esperança de
vida.
Gostaria de encorajar você a crescer, crescer, crescer, até aquele dia
maravilhoso em que veremos a Ele e seremos tal como Ele é!
Se Deus pode fazer de uma triste semente,
Com um pouco de terra, de ar,
De orvalho, chuva, sol e sombra,
Uma flor tão bela,

O que não poderá então fazer de uma alma como


[a sua,
Com a Bíblia, fé e oração,
E o Espírito Santo; se você fizer a Sua vontade
E confiar em Seu amor e cuidado?

Autor Desconhecido

LEMBRETES
As coisas mortas não podem crescer. Antes de haver crescimento
espiritual, é preciso que haja vida espiritual.
Precisamos crescer porque o crescimento faz parte do plano de Deus.
Devemos ceder ou perecer.
A salvação é apenas o começo daquilo que Deus quer fazer por você.
Não há livro que faça você crescer como a Bíblia.
"Orar não é vencer a relutância de Deus, mas sim apropriar-se da
Sua suprema boa vontade" — Trench.
A oração e o trabalho formam o conjunto invencível do Novo
Testamento. As orações sinceras jamais são mandadas de volta para casa.

PERGUNTAS
1. Qual o primeiro passo necessário para o crescimento?
2. Cite três versículos que mostram que Deus quer que os cristãos
cresçam.
3. Por que o estudo da Bíblia é comparado à alimentação?
4. Com base na vida de Jesus dê exemplos da importância da
oração.
5. Qual o efeito que o testemunho pode ter sobre a nossa oração e
estudo bíblico?
6. Cite cinco sugestões para o crescimento.
CAPÍTULO 4

VOCÊ E O ESPÍRITO SANTO


"No qual vós também juntamente estais sendo edificados para
habitação de Deus no Espírito" (Efésios 2:22).
Quando Moody estava visitando a Inglaterra, ele ouviu Henry Varley
dizer: "O mundo está ainda para ver o que Deus fará com um homem
inteiramente consagrado ao Espírito Santo".
Moody pensou consigo mesmo: "Ele disse, 'um homem'. Não disse,
'um grande homem', nem 'um homem culto', nem 'um homem rico', mas
simplesmente 'um homem'. Sou um homem, e está dentro do próprio
homem decidir se irá ou não consagrar-se inteiramente. Vou fazer o
máximo para ser esse homem".

***

Todo cristão deve apóiar-se no Espírito Santo porque isso é


indispensável. Ele é o supremo Construtor na edificação de uma vida.
Todavia, para muitos, o Espírito Santo é o Membro esquecido da Trindade.
Seu ministério ou é desconhecido ou ignorado, e portanto o Seu poder fica
relegado ao esquecimento.
No prefácio de sua paráfrase das epístolas do Novo Testamento, J.B.
Phillips escreve:
"A grande diferença entre o cristianismo de hoje e aquele do qual
lemos nestas cartas, é que para nós é primariamente seguir uma prática,
enquanto que para eles era uma verdadeira experiência (...) Para estes
homens é manifestamente uma invasão nas suas vidas, uma completa
novidade de vida. Eles não receiam de descrever isto, como sendo Cristo
vivendo neles1".
Que censura para nós. Ao ler isto não pude deixar de perguntar a
mim mesmo: Que espécie de cristão sou? Estou experimentando a
presença toda-poderosa de Deus através do Espírito Santo?
Através dos séculos houve vários exemplos de cristãos que, apesar de
viverem vidas comuns, foram transformados pelo poder do Espírito Santo
em crentes vibrantes — testemunhas ativas e enérgicas de Jesus Cristo.
Veja Pedro, por exemplo. Antes de o Espírito Santo passar a ter
domínio sobre ele no dia de Pentecostes, tinha sido um discípulo. Mas
também tinha negado Jesus, tivera vergonha de tomar posição ao lado de
Jesus.
Mas quando o Espírito Santo apossou-se de Pedro, ele modificou-se.
Uma fantástica mudança operou-se nele, e começou a pregar
poderosamente o Evangelho de Jesus Cristo.
Há algum tempo atrás eu recebi uma carta de um jovem. "Durante
vinte dos meus trinta e três anos", disse ele, "fui um cristão professo. Mas
só recentemente entendi a verdade da obra do Espírito Santo, o que Ele
pode fazer em minha vida. A diferença que Ele fez nesse sentido tem sido
inacreditável".
Todo crente deve compreender que o Espírito Santo habita em seu
interior e que está disposto e esperando para ser nosso Guia e
Colaborador. A conversão a Jesus Cristo começou em nós com o poder
regenerador do Espírito Santo, e ela continuará e será consumada
mediante o poder de Sua ressurreição.

O ESPÍRITO SANTO NO VELHO TESTAMENTO


Na época do Velho Testamento o Espírito de Deus agia, mas
aparentemente de maneira limitada. Por exemplo, Ele estava presente na
criação, pois as Escrituras dizem: "e o Espírito de Deus pairava por sobre
as águas" (Gênesis 1:2). Lemos sobre Sansão: "Então o Espírito do Senhor
de tal maneira se apossou dele..." (Juizes 14:6). Dizia-se também de alguns
homens que possuíam o Espírito de Deus. Por exemplo, Josué: "Disse o
Senhor a Moisés: Toma a Josué, filho de Num, homem em quem há o
Espírito, e impõe-lhe a mão" (Números 27:18). O Velho Testamento contém
pelo menos oitenta e oito referências ao Espírito Santo. Essas referências
parecem mostrar que o Espírito Santo descia para realizar uma deter-
minada tarefa e retirava-se depois dela estar completa. No Novo
Testamento o relacionamento com o Espírito é constante e permanente.

______________
1. PHILLIPS, J. B., Cartas às Igrejas Novas, São Paulo, Edições Vida Nova, 1972, p.
13.

"O Espírito de Deus foi o Espírito de convicção quando o pecado


mostrou os seus efeitos desde a Queda até ao Dilúvio; Ele foi um Espírito
administrador ao distribuir as funções quando o povo de Deus estava
sendo organizado em nação; foi um Espírito de força quando o povo lutava
pela terra, e expulsava os que tinham pecado gravemente; e veio a ser um
Espírito de esperança quando o povo escolhido passou a uma condição de
apostasia e de peregrinação. Ele iluminou o horizonte com o brilho do novo
dia2".

O ESPÍRITO SANTO COMO PROMETIDO POR JESUS


Não há dúvidas de que o Espírito de Deus estava em atividade no
Velho Testamento; todavia, Jesus prometeu que o Espírito Santo viria de
modo diferente do que já o fizera antes. De fato, Jesus afirmou que seria
melhor ou mais conveniente, para os discípulos que Ele fosse embora, pois
se não o fizesse, o Espírito não viria (João 16:7).
O apóstolo João confirmou isto quando disse que o Espírito Santo até
aquele momento não fora dado, "porque Jesus não havia sido ainda
glorificado" (João 7:39). Esta passagem mostra claramente que o Espírito
Santo deveria vir e atuar de um modo diferente do que o fizera antes. O
cumprimento desta promessa teve lugar no dia de Pentecostes.
2. MORGAN, G. Campbell, The Spirit of God (O Espirito de Deus), Nova Iorque,
Revell, 1900, p. 93.

No primeiro capítulo do livro de Atos, os discípulos receberam ordem


para aguardar a chegada do Espírito Santo. O segundo capítulo conta a
emocionante história de Sua chegada (Atos 2:1-4).
Desde aquele dia até hoje, o Espírito Santo nunca mais nos deixou.
Ele tem estado com a Igreja desde então. Ele é freqüentemente entristecido
por causa da descrença, mas jamais se ausenta. O dia de Pentecostes
marcou a vinda do Espírito de uma nova forma, a fim de viver no corpo
terreno de todos os crentes. Podemos pois cantar jubilosamente:

ó, espalhem as boas-novas,
onde quer que o homem se encontre,
Onde quer que as desventuras e sofrimentos
ensombrem o coração humano,
Cada lábio cristão deve proclamar o som jubiloso:
Chegou o Consolador!

Frank Bottome

O ESPÍRITO SANTO £ UMA PESSOA


O Espírito Santo possui todas as características de uma pessoa. Ele
tem inteligência e vontade. Possui emoções. Não é apenas uma força vaga.
Não é uma energia ou poder impessoal como a eletricidade ou a gravidade.
O Espírito Santo é também nosso Mestre. "Mas o Consolador, o
Espírito Santo, a quem o Pai enviará em meu nome, esse vos ensinará... e
vos fará lembrar de tudo o que vos tenho dito" (João 14:26).
O Espírito Santo nos dá a segurança da salvação pessoal. Em
Romanos 8:16 lemos: "O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que
somos filhos de Deus". O Espírito Santo harmoniza-se com o nosso espírito
se estivermos em comunhão com Deus.
Novamente em João 16, Jesus ensinou que o Espírito Santo convence
os homens do pecado. Quando o Espírito Santo vier, disse Jesus:
"convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo" (v. 8).
O Espírito Santo nos ensina, nos fortalece e testemunha . em nosso
interior. O Espírito Santo tem, na verdade, características e funções
especiais. A Bíblia ensina claramente que Ele é uma pessoa.

O ESPÍRITO SANTO HABITA EM TODOS OS CRENTES


A Bíblia ensina com toda clareza que o Espírito Santo habita em todo
crente. Que surpreendente verdade! Pense nisso — Deus, o Espírito Santo,
habitando em cada cristão!
Paulo escreveu aos coríntios carnais: "Não sabeis que sois santuário
de Deus, e que o Espírito de Deus habita em vós?" (1 Coríntios 3:16).
Apesar da carnalidade deles, eles continuavam sendo a habitação do
Espírito Santo!
Em tempos idos, Deus habitou no Tabernáculo e mais tarde no
Templo. Você pode perguntar: "Onde Ele habita agora?" A Bíblia diz: "em
vós". "Cristo em vós, a esperança da glória" (Colossenses 1:27). Quer você
tenha oito ou oitenta anos de idade, no momento em que recebe a Cristo, o
Espírito Santo passa a habitar em seu corpo físico.
A palavra habitar tem um belíssimo significado, ela quer dizer
estabelecer-se e viver, como você o faria em uma casa. O Espírito Santo é
um Hóspede pessoal e permanente. Ele está conosco e em nós todo o
tempo.
Como um Residente vivo no interior do crente, o Espírito Santo nos
dá forças para substituir nossa fraqueza. Ele nos guia no entendimento da
Palavra de Deus e da Sua vontade. Ele nos ajuda a orar. Ele nos capacita a
servir. Ele nos consola quando tristes. Ele é o Consolador, o Enviado para
nos assistir em tudo.
Quando você recebeu a Cristo aconteceram mais coisas do que pode
imaginar. Em primeiro lugar, você recebeu o perdão dos seus pecados.
Segundo, você imediatamente se tornou membro da grande família de
Deus. Terceiro, você foi selado com o Espírito Santo. Paulo disse: "Em
quem também vós, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho
da vossa salvação, tendo nele também crido, fostes selados com o Santo
Espírito da promessa" (Efésios 1:13). Isto fala da propriedade divina.
Paulo continua: "Porque o santuário de Deus, que sois vós, é sagrado"
(1 Coríntios 3:17). Paulo está simplesmente dizendo que nossas vidas
devem ser santas. Lembre-se sempre, Ele é o Espírito Santo, e exige pureza
em nossa vida. A Bíblia diz: "Andai no Espírito, e jamais satisfareis à
concupiscência da carne" (Gaiatas 5:16).

O ESPÍRITO SANTO E A LUTA Ã NOSSA FRENTE


Existe um conflito no íntimo de cada cristão. O apóstolo nos dá um
exemplo disto em Romanos 7. Apesar do crente ter sido plenamente
perdoado, ele logo descobre que o pecado ainda age em seu íntimo. Mesmo
que sejamos transformados por causa de nossa conversão, não somos
ainda tudo aquilo que seremos um dia. O pecado continua a atuar em nós,
e o resultado é uma batalha entre a "nova natureza" com todos os seus
novos ideais e aspirações, e a "velha natureza" com seus desejos e
expectativas.
O cristão quer agradar a Deus, enquanto o homem não-convertido
quer agradar a si mesmo.
Há um meio de fuga? Devemos ser vítimas de nossa natureza
pecaminosa, ou poderemos sair vencedores? Que alegria é saber que a
vitória é absolutamente possível! Está ao alcance de todos.
Primeiro, para vencer você precisa sujeitar sua vida a Jesus Cristo e
recebê-lO como Salvador. Alguém disse: "Se quiser dominar a tentação, é
necessário primeiro permitir que Cristo domine você".
O homem é, desde a queda no Éden, como um relógio cuja corda
principal se quebrou. Ele precisa ser totalmente reformado por dentro, mas
o conserto é feito por alguém que está do lado de fora. Ele não pode
consertar-se a si mesmo. Os homens e mulheres de hoje também precisam
ser refeitos por alguém. Esse alguém é Jesus Cristo, o Redentor da alma e
da natureza do homem. Ele ama você, morreu por você, e quer que você se
aproxime dEle com espírito de arrependimento e fé.
A salvação é o primeiro passo para vencer a tentação.
Segundo, ao crente — ao filho de Deus — é dado o privilégio de orar
para vencer a tentação. Tiago afirma: "Se, porém, algum de vós necessita
de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente" (Tiago 1:5).
Você precisa de ajuda para superar sua fraqueza? Peça isso a Deus!
Precisa libertar-se do poder e da tentação do pecado? Peça a Deus! Só Ele
pode livrá-lo. Muitas vezes clamei: "Senhor, ajuda-me", e o livramento de
Deus sobreveio.
A Palavra de Deus proclama que "não vos sobreveio tentação que não
fosse humana; mas Deus é fiel, e não permitirá que sejais tentados além
das vossas forças, pelo contrário, juntamente com a tentação, vos provera
livramento, de sorte que a possais suportar" (1 Coríntios 10:13).
D.L. Moody comentou: "Quando os cristãos caem em tentação, devem
orar pedindo ajuda a Deus, e quando tentados não devem desanimar. Não
se peca ao ser tentado, mas o pecado está no cair em tentação".
Terceiro, aplique a Palavra de Deus. Jesus expulsou Satanás, citando
as Escrituras. Ele disse: "Está escrito", e nós devemos fortalecer-nos da
mesma forma com a Palavra de Deus. Quarto, submeta-se ao Espírito
Santo que habita em seu interior. Quando uma gota d'água cai sobre uma
chapa quente, ela na verdade não toca a chapa, mas repousa sobre uma
leve camada de ar muito quente. O calor supera a gravidade e sustenta a
gota até que se evapore. O filho de Deus que é dirigido pelo Espírito Santo
pode ser tentado, mas não destruído, pois ele'tem a promessa do Senhor:
"Porque maior é aquele que está em vós do que aquele que está no mundo"
(1 João 4:4).
Em sua hora de provação, lembre-se de -que Deus é fiel. Ele conhece
a sua capacidade. Ele lhe dará toda força necessária para vencer a
tentação, ou provera um meio de você se libertar dela.
O segredo da vitória na vida cristã é a habitação do Espírito Santo.
Permita que Ele tenha controle absoluto sobre você.

O ESPÍRITO SANTO CAPACITA PARA O SERVIÇO


A.C. Dixon costumava dizer: "Quando confiamos na organização,
obtemos aquilo que ela pode dar. Quando nos apoiamos na educação,
usufruímos os seus resultados. Quando fazemos uso da eloqüência,
obtemos os frutos da eloqüência. Mas quando nos apoiamos no Espírito
Santo, alcançamos aquilo que Deus pode conceder"'.
O poder está ao alcance de todos os que crêem. Nosso Senhor
declarou ao partir: "Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito
Santo" (Atos 1:8).
Ouvi há pouco tempo uma história verídica sobre um homem que se
esforçava por manter em ordem o gramado de seu jardim, mas finalmente
chegara à conclusão de que não valia a pena perder tempo com aquilo.
Decidiu comprar um desses cortadores de grama modernos, que sem
dúvida iria libertá-lo de uma vez por todas de sua dor de cabeça dos
sábados à tarde.
E fez exatamente isso. Quando chegou o dia da entrega, o
encarregado mostrou-lhe como operar o cortador, explicando-lhe todos os
controles e também avisando-o que o aparelho já estava abastecido de
gasolina e óleo.
O homem não via a hora de poder experimentar o cortador novo. Tão
logo o entregador saiu, ele pulou no assento e virou a chave, mas não
aconteceu nada. O motor não funcionou, não se ouviu qualquer ruído,
nada!
Sua primeira reação foi verificar a gasolina e o óleo. Estavam em
ordem. Depois examinou a chave, voltando-a de um lado para o outro.
Ainda nada! Finalmente achou que, apesar do cortador ser completamente
novo, a bateria devia estar descarregada. Levou-a então até o posto de
serviço mais próximo e deu-lhe uma carga. Voltou para casa, virou a chave
— e novamente, nada!
Quando estava a ponto de desistir, o vizinho do lado aproximou-se e
lhe perguntou qual era o problema. Depois de ouvir toda a história, o
vizinho subiu no cortador, virou a chave, apertou o botão de partida e
imediatamente o motor funcionou.
O homem ficou simplesmente arrasado! Pensar que tivera tanto
trabalho só porque não tinha apertado o botão de partida. ..
Você pode dizer: "é uma coisa tão simples!" e está absolutamente
certo. Mas o papel que o botão de partida representava para aquele
cortador, o Espírito Santo representa na vida do crente! Da mesma forma
que a máquina necessitava entrar em contato com a energia para
funcionar, nós precisamos do poder do Espírito Santo para servir com êxito
na vida cristã.
À medida que dependemos do Espírito Santo, seremos capacitados
para viver acima do mundo, da carne e do diabo. Fazendo uso de nossas
próprias forças, com certeza cairemos, "mas, se pelo Espírito mortificardes
os feitos do corpo, certamente vivereis" (Romanos 8:13). O Espírito Santo é
nossa fonte de poder.

UMA PALAVRA DE AVISO


Devemos lembrar-nos sempre que o Espírito Santo pode ser
entristecido através de uma vida negligente. Paulo adverte: "E não
entristeçais o Espírito de Deus, no qual fostes selados para o dia da
redenção" (Efésios 4:30). A palavra "entristecer" significa "causar
sofrimento". G. Campbell Morgan pergunta: "Como você se sentiria se fosse
obrigado a viver com alguém que estivesse sempre entristecendo o seu
coração pela sua conduta?" Não entristeça ou apague o Espírito Santo: pelo
contrário, "enchei-vos do Espírito" (Efésios 5:18).
O abençoado Espírito Santo é nosso Ajudador hoje, amanhã e para
sempre. Escancare as janelas de sua vida, e Ele irá enchê-la com a Sua
presença.
LEMBRETES
"O mundo está ainda para ver o que Deus fará com um homem
inteiramente consagrado ao Espírito Santo." Henry Varley.
O dia de Pentecostes marcou a vinda do Espírito de uma nova forma,
a fim de viver no corpo terreno de todos os crentes.
"Quando confiamos na organização, obtemos aquilo que ela pode dar.
Quando nos apoiamos na educação, usufruímos os seus resultados.
Quando fazemos uso da eloqüência, obtemos os frutos da eloqüência. Mas
quando nos apoiamos no Espírito Santo, alcançamos aquilo que Deus pode
conceder." A.C. Dixon.
O segredo da vitória na vida cristã é a habitação do Espírito Santo.
Permita que Ele tenha controle indiscutível sobre você.
Apesar de não sermos sem pecado, devemos pecar cada vez menos.

PERGUNTAS
1. Descreva em suas próprias palavras a diferença entre a obra do
Espírito Santo antes e depois de Pentecostes.
2. Por que era melhor para Jesus subir aos céus?
3. Como você pode mostrar que o Espírito Santo é uma pessoa?
4. Quando o Espírito Santo habita no crente e por quanto tempo?
5. Por que os que crêem em Cristo continuam tendo conflitos
íntimos?
6. Cite algumas das coisas que o Espírito Santo faz para nós.
CAPÍTULO 5

VOCÊ E A BÍBLIA
"Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as pratica, será
comparado a um homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha"
(Mateus 7:24).
Lutero dizia que estudava a Bíblia como alguém que colhe frutas:
"Em primeiro lugar sacudo a árvore, para que as mais maduras caiam.
Depois subo na árvore e sacudo cada galho, a seguir cada ramo, e por fim
olho debaixo de cada folha".

***

Num sentido literal, a Bíblia é Deus falando com você. Ela é o


instrumento de Deus para a salvação (Romanos 10:17; 1 Pedro 1:25) e o
instrumento de Deus para que os cristãos possam crescer (1 Pedro 2:2). É
a norma do cristão.
O primeiro passo para compreender a Bíblia é a conversão. Nas
palavras de Paulo: "Ora, o homem natural não aceita as cousas do Espírito
de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las porque elas se
discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as
cousas" (1 Coríntios 2:14-15).
A pessoa que não é crente pode ler a Bíblia e receber considerável
inspiração, mas o* verdadeiro cristão recebe infinitamente mais. A
submissão deve ser acrescentada à salvação. A Bíblia deve ser lida com
espírito de humildade. Esta é a maneira como começar:

LEIA A BÍBLIA COM ESPÍRITO DE ORAÇÃO


A oração é o "abre-te sésamo" para a Bíblia. Comece sempre com
oração a sua leitura bíblica, a fim de obter orientação divina. Ao ler algum
livro recente, todos nós desejaríamos que o autor estivesse presente para
responder a algumas perguntas e explicar algumas coisas, mas isto
raramente é possível. Por mais surpreendente que pareça, tal coisa é
possível ao lermos a Bíblia. Tiago afirmou: "Se, porém, algum de vós
necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente, e nada
lhes impropera; e ser-lhe-á concedida" (Tiago 1:5). Deus quer realmente
dar-nos sabedoria e entendimento. O salmista conhecia esta verdade, pois
em tempos idos ele orou: "Desvenda os meus olhos, para que eu contemple
as maravilhas da tua lei" (Salmo 119:18). É realmente esplêndido poder
pedir ao Senhor que nos mostre a cada dia alguma "maravilha" da Sua Lei.
Depois de Deus ter feito isso, pense nessa verdade, aplique-a e faça uso
dela.

* **
John Newton declarou: "Uma hora de acesso íntimo ao trono da
graça, onde o Senhor permite que a Sua glória passe diante da alma que o
busca, pode dar-lhe mais conhecimento espiritual e consolo do que um dia
ou uma semana de conversa com o melhor dos homens, ou a mais
cuidadosa pesquisa de muitos livros".

* **

A Bíblia é o resultado de homens terem sido movidos pelo Espírito


Santo. Em 2 Pedro 1:21 lemos: "Porque nunca jamais qualquer profecia foi
dada por vontade humana, entretanto homens falaram da parte de Deus
movidos pelo Espírito Santo". E de novo: "Toda Escritura é inspirada por
Deus" (2 Timóteo 3:16). O mesmo Espírito Santo que guiou esses homens a
escreverem, deseja guiar-nos hoje a fim de podermos compreender. Sem o
Espírito Santo, a Bíblia é como um oceano que não pode ser sondado, céus
que não podem ser examinados, minas que não podem ser exploradas, e
mistérios que não podem ser elucidados. Devemos submeter-nos à
liderança do Espírito Santo. Jesus disse: "quando vier, porém, o Espírito da
verdade, ele vos guiará a toda a verdade" (João 16:13). O Espírito Santo
veio e habita em todos os crentes. Permita que Ele guie você na verdade de
Deus. Sem que sejamos iluminados pelo Espírito Santo, nossa leitura é vã.
Leia então a Bíblia com espírito de oração.

LEIA A BÍBLIA CUIDADOSAMENTE


Foi dito a respeito dos cristãos de Beréia: "Ora, estes de Beréia eram
mais nobres que os de Tessalônica; pois receberam a palavra com toda a
avidez, examinando as Escrituras todos os dias para ver se as cousas eram
de fato assim" (Atos 17:11). Os cristãos de Beréia liam as Escrituras com
cuidado! A Bíblia é muito lida hoje, mas pouco estudada. A leitura
cuidadosa exige concentração, necessitando que tenhamos a mente alerta.
Ler de maneira superficial, para acalmar a consciência, pouco adianta.
Jesus disse: "Se alguém quiser fazer a vontade dele, conhecerá a
respeito da doutrina, se ela é de Deus ou se eu falo por mim mesmo" (João
7:17). Isto requer obediência. "Se alguém quiser fazer a vontade dele, ele
saberá." Todas as dificuldades cederão perante uma mente preparada e
disposta.
Céus escuros serão penetrados, as profundezas sondadas e os
grandes rios serão transpostos. A obediência à vontade de Deus resulta em
uma confiança inabalável na Palavra de Deus.
Os de Beréia também "examinavam as Escrituras todos os dias". Isto
exige esforço, pois as grandes verdades de Deus não são descobertas pelo
leitor casual. Diamantes não são encontrados nas calçadas. Os melhores
estão sempre debaixo da concha. Devemos demorar-nos nos capítulos,
versículos, frases e palavras da Bíblia, buscando ansiosamente
compreender a sua mensagem. Sim, devemos pesquisar como um mineiro
procura o ouro. Nas palavras do salmista: "Amo os teus mandamentos
mais do que o ouro" (Salmo 119:27). Devemos buscar, como o homem
faminto busca alimento. Disse Jeremias: "Achadas as tuas palavras, logo
as comi" (Jeremias 15:16). E Jó: "As palavras da sua boca prezei mais do
que o meu alimento" (Jó 23:12). Novamente: "Quão doces são as tuas pa-
lavras ao meu paladar! mais que o mel à minha boca" (Salmo 119:103). A
pequenina abelha se achega à flor, depois penetra fundo nela e suga o mel.
A leitura bíblica cuidadosa irá produzir mel para a nossa boca. Jesus disse:
"Examinais as Escrituras, porque julgais ter nelas a vida eterna" (João
5:39).
A fórmula do Senhor para o sucesso de Josué foi esta: "Não cesses de
falar deste livro da lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas
cuidado de fazer segundo a tudo quanto nele está escrito; então farás
prosperar o teu caminho e serás bem sucedido" (Josué 1:8).
A palavra "meditar" significa "dar atenção". Toda atenção deve ser
focalizada no assunto. A definição de Davi sobre o homem feliz no Salmo 1
diz que é aquele cujo "prazer está na lei do Senhor, e na sua lei medita de
dia e de noite". Pecamos a Deus que não nos permita ler a Bíblia
superficialmente, com espírito complacente e casual. Leiamos
cuidadosamente a Bíblia.

LEIA A BÍBLIA SISTEMATICAMENTE


Primeiro, permita-me sugerir que você estabeleça um horário definido
para a leitura bíblica, preferivelmente no início do dia quando a mente está
mais alerta. Numa hora certa, num lugar sossegado, leia sistematicamente
a Palavra de Deus.
Não permita que nada interfira, por mais importante que pareça.
Muitos cristãos bem-intencionados, que amam sinceramente ao Senhor,
vacilam em sua experiência cristã por não terem uma hora certa para estar
com Deus. O velho hino afirma:

"Tempo pra ser santo, tu deves buscar,


A sós com teu Mestre freqüente estar".
Vamos ficar atentos para a inutilidade da vida superativa.

Ler um texto da Bíblia antes de dormir é bom, mas não é suficiente.


Não só os nossos últimos pensamentos conscientes devem ser para o
Senhor, mas também os primeiros. Dê a Deus a primeira parte do dia, não
a última; o melhor, não o pior.
"Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com
asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam"
(Isaías 40:31).
Segundo, comece do começo. Ao ler qualquer outro livro começamos
no capítulo 1. Começar a ler uma novela ou biografia no meio resulta em
confusão. O mesmo se dá com a Bíblia. Não podemos entender
adequadamente Êxodo sem ter lido Gênesis, nem Hebreus sem ter lido
Levítico. Muitas vezes nos apegamos tanto a certas passagens favoritas que
negligenciamos o restante da Bíblia. Comece onde Deus começou, Gênesis,
capítulo 1, versículo 1; e avance firmemente até Apocalipse, capítulo, 22,
versículo 21.
Terceiro, arranje um caderno de apontamentos e tome nota de
algumas perguntas, tais como: Quem está falando: Deus, um apóstolo, ou
o diabo? A quem foi escrito, a santos ou pecadores? Qual o ambiente em
que vivia o escritor e possivelmente o leitor? Quais as idéias principais?
Qual parece ser o versículo-chave? Qual a mensagem que existe nele para
mim hoje? À medida que lê, preencha as respostas. Aprenda os fatos e apli-
que-os a seguir. Este método de leitura irá ajudá-lo a entender todo o livro,
evitando erros e má interpretação. Tenha a certeza de que está entendendo
as palavras que lê. Caso negativo, procure o seu significado. Saiba onde
está, geográfica e cronologicamente. Note as referências à margem ou no
rodapé e compare os textos citados com o que você está estudando —
Escritura com Escritura.
Você pode desejar fazer o estudo de um assunto especí-» fico, além da
sua leitura regular. Isto traz muito proveito. Tome, por exemplo, uma
concordância bíblica e procure a palavra céu. Procure cada passagem
bíblica sobre este assunto e registre o que encontrou. Você vai ficar
entusiasmado com o que aprendeu!
Os comentários bíblicos são esplêndidos, mas não se prenda demais
a eles. Alguém disse com humor: "A Bíblia lança muita luz sobre os
comentários". Qualquer livro que tenha prioridade sobre a Bíblia, torna-se
um elemento prejudicial que pode enfraquecer-nos. Ler as palavras dos
homens e negligenciar a Palavra de Deus é considerar os livros dos homens
mais valiosos. Leia a Bíblia sistematicamente.

LEIA A BÍBLIA COM CONFIANÇA


Por quê? Porque "sem fé" — SEM FÊ — "é impossível agradar"
(Hebreus 11:6). A salvação, da mesma forma que o crescimento cristão
depende da crença. É necessário que haja fé para entender a Bíblia. Foi
exatamente nisto que Israel falhou. "Mas a palavra que ouviram não lhes
aproveitou, visto não ter sido acompanhada pela fé, naqueles que a
ouviram" (Hebreus 4:2). É preciso — é preciso — que creiamos em Deus!
Devemos ler a Bíblia com confiança.
A Bíblia não está morta, mas viva. Se o Senhor veio pessoalmente até
você, iria então ignorá-lo? Deus falou a você através da Bíblia! Jamais
devemos negligenciá-la. Pense bem! É a Palavra de Deus, e não do homem.
Que possamos exclamar sinceramente como Samuel: "Fala, Senhor, porque
o teu servo ouve" (1 Samuel 3:9).
Imagine o Sr. José ao fim do dia. Ele está cansado tanto física como
mentalmente. Antes de ir para a cama ele lê apressadamente um dos
salmos mais curtos. Ora rapidamente e cai na cama. O Sr. José certamente
não irá lembrar muito daquilo que leu, pois todas as condições são
contrárias.
Em contraste, pense no Sr. José no início do dia. Ele está descansado
de corpo e mente. Em um lugar determinado e numa certa hora, ele
começa o dia com Deus. Depois de orar pedindo a orientação do Espírito,
ele lê com cuidado, respondendo a certas perguntas e tomando breves
notas daquilo que descobriu. Ocasionalmente precisa procurar um
versículo ou comparar uma passagem das Escrituras com outra. Depois de
um estudo sistemático, ele está pronto para todos os acontecimentos do
dia. A Palavra de Deus irá protegê-lo contra o mal. Suas novas descobertas
espirituais poderão ser aplicadas e postas em uso. Podemos estar
razoavelmente certos de que ele irá "crescer na graça e no conhecimento de
nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo" (2 Pedro 3:18).
Para crescer nas coisas de Deus, devemos ler a Bíblia com espírito de
oração, com cuidado e sistematicamente, e, acima de tudo, com confiança.

LEMBRETES
O primeiro passo para a pessoa compreender a Bíblia é a conversão.
"Uma hora de acesso íntimo ao trono da graça, onde o Senhor
permite que a Sua glória passe diante da alma que O busca, pode dar-lhe
mais conhecimento espiritual e consolo do que um dia ou uma semana de
conversa com o melhor dos homens, ou a mais cuidadosa pesquisa de
muitos livros". John Newton.
O mesmo Espírito Santo que guiou esses homens ao escreverem,
deseja guiar-nos hoje a fim de podermos compreender.
Os de Beréia também "examinavam as Escrituras todos os dias". Isto
exige esforço, pois as grandes verdades de Deus não são descobertas pelo
leitor casual. Diamantes não são encontrados nas calçadas.

PERGUNTAS
1. Cite dois versículos das Escrituras que indiquem que a Bíblia é o
instrumento de Deus para a salvação e crescimento cristão.
2. Por que a conversão é o primeiro passo para compreender a
Bíblia?
3. De que forma a oração se relaciona com a compreensão das
Escrituras? (Salmo 119:18)
4. Como os cristãos de Beréia se tornaram exemplos para os cristão
de hoje? (Atos 17:11)
5. Cite três maneiras como o cristão deve ler a Bíblia.
6. Por que é essencial que a Bíblia seja lida com confiança?
CAPÍTULO 6

COMO ORAR
"Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis; batei, e abrirse-vos-á"
(Mateus 7:7)
Ore por grandes coisas, espere grandes coisas, trabalhe por grandes
coisas, mas acima de tudo, ore. R.A. Torrey.
A oração é a chave que abre a porta dos tesouros de Deus.

***

Os discípulos se aproximaram certo dia de Jesus e lhe pediram:


"Senhor, ensina-nos a orar" (Lucas 11:1). Eles tinham notado que ninguém
orava como Jesus, e enquanto observavam e ouviam a oração de Jesus,
compreenderam a sua própria e desesperada necessidade. Eles não
pediram: "Senhor, ensina-nos a pregar", mas "ensina-nos a orar".
A princípio, pode parecer difícil orar. Mesmo que as palavras surjam
com dificuldade, você deve porém insistir, pois através da oração podemos
entrar na própria presença de Deus. Podemos tornar nossas necessidades
conhecidas dEle; mas, mais importante ainda, podemos entrar em
comunhão com Deus.

O QUE É ORAÇÃO?
O dicionário define a oração como sendo uma petição reverente e
devota a Deus, uma súplica. A oração é, com certeza, isso. A mais simples
definição de oração é o termo clamor. Em Romanos 8:15, Paulo diz: "Porque
não recebestes o espírito de escravidão para viverdes outra vez
atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no qual
clamamos: Aba, Pai".
A oração é um clamor. Quando oramos, estamos clamando a Deus.
"Senhor, ajude-me." "Senhor, dê-me sabedoria." "Senhor, ajude-me a ficar
calado." A oração é um grito. Da mesma forma que a criança clama junto
aos pais, nós clamamos a Deus.
Mas a oração é também um chamado. Em Jeremias 33:3, as palavras
do Senhor são estas: "Invoca-me e te responderei: anunciar-te-ei cousas
grandes e ocultas, que não sabes".
Orar é pedir. Nosso Senhor afirmou novamente em Lucas 11:9: "Por
isso vos digo: Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e acha-reis; batei, e abrir-se-vos-
á".
Oração é também comunhão. "Como é raro", disse Fenelon, "encontrar
uma alma suficientemente silenciosa para ouvir a voz de Deus". Orar é
falar a Deus e tê-lo falando conosco. É gastar tampo em comunhão com
nosso Pai celestial.
Certo dia o filho de cinco anos de Moody entrou no escritório em que
o pai escrevia. Não querendo ser interrompido, o Sr. Moody perguntou
zangado: "Bem, e o que é que você quer?" "Nada, papai", respondeu o
garoto, "só queria estar com o senhor." Sentando-se no chão, ele começou a
brincar quietinho. O menino só desejava a companhia do pai.
G. Campbell Morgan, o grande pregador inglês, relata: "Foi esse
pequeno incidente contado pelo Sr. Moody que me ajudou grandemente no
sentido de compreender o verdadeiro significado da oração. Orar é estar
onde Jesus está. Quando estamos na Sua presença de nada mais
necessitamos para orar com sucesso".

POR QUE ORAR?


A resposta a essa pergunta é muito simples: a Bíblia nos ensina a
orar. Em Lucas 18:1, Jesus disse que o homem deve "orar sempre e nunca
esmorecer". A oração é a cura de Deus para o desmoronamento interior.
Em Mateus 9:38 somos advertidos a orar, a fim de que o Senhor da
seara envie mais ceifeiros para a Sua colheita.
Por que orar? A resposta é esta: porque Jesus orou. Sua vida inteira
na terra foi um exemplo de oração.
Da mesma forma como Jesus Cristo, o Filho perfeito de Deus, achou
a oração importante, nós, criaturas pecadoras, achamos que ela é
indispensável. Jesus orou no início de seu ministério público quando foi
batizado: "E aconteceu que, ao ser todo o povo batizado, também o foi
Jesus: e estando ele a orar, o céu se abriu" (Lucas 3:21).
Antes de escolher os doze apóstolos, Ele passou a noite toda em
oração: "Naqueles dias retirou-se para o monte a fim de orar, e passou a
noite orando a Deus. E quando amanheceu, chamou a si os seus discípulos
e escolheu doze dentre eles, aos quais deu também o nome de apóstolos"
(Lucas 6:12-13).
Ele orou antes de alimentar os cinco mil: "Então Jesus tomou os pães
e, tendo dado graças, distribuiu-os entre eles: e também igualmente os
peixes, quanto queriam" (João 6:11). Jesus orou antes de ir ao encontro
dos discípulos no mar. A Bíblia diz: Subiu ao monte, a fim de orar sozinho"
(Mateus 14:23).
No túmulo de Lázaro, Ele orou: "Tiraram, então, a pedra. E Jesus,
levantando os olhos para o céu, disse: Pai, graças te dou porque me
ouviste" (João 11:41). ,
Na Última Ceia, Jesus orou: "E, enquanto comiam, tomou Jesus um
pão e, abençoando-o, o partiu e lhes deu, dizendo: Tomai, isto é o meu
corpo" (Marcos 14:22).
No Getsêmani, Jesus sofreu agonias em oração (Mateus 26:36-44).
Nosso Senhor orou freqüentemente e, seguindo o seu exemplo, cada cristão
deve portanto aprender a orar.
Por que orar? Porque ainda agora Jesus Cristo está orando a nosso
favor, neste mesmo momento, pois a Bíblia diz: "Vivendo sempre para
interceder por eles" (Hebreus 7:25).
Por que orar? Porque a oração foi o exemplo que nos deixou a
primeira igreja. Lemos a respeito da igreja apostólica: "E perseveravam na
doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações"
(Atos 2:42).
Antes do dia de Pentecostes eles se reuniam para orar: "Todos estes
perseveravam unânimes em oração, com as mulheres, estando entre elas
Maria, mãe de Jesus, e com os irmãos dele" (Atos 1:14).
Depois de Pentecostes "perseveravam" firmes em oração.
Quando Pedro foi aprisionado, eles oraram até que Deus o libertou.
"Considerando ele a sua situação resolveu ir à casa de Maria, mãe de João,
cognominado Marcos, onde muitas pessoas estavam congregadas e
oravam" (Atos 12:12).
A igreja apostólica impregnava os seus planos com oração. O apóstolo
Tiago advertiu os cristãos, seus contemporâneos, de que a sua pobreza
espiritual era devido à negligência em orar. "Nada tendes, porque não
pedis" (Tiago 4:2).

COMO ORAR?

1. Devemos orar com humildade


O apóstolo Tiago nos diz: "Deus resiste aos soberbos, mas dá graças
aos humildes" (Tiago 4:6). Alguém já resistiu a você? Lutando contra você a
cada oportunidade, mostrando-se terrivelmente desagradável? Essa é uma
situação difícil de enfrentar. Mas não existe nada, absolutamente nada
mais desesperador do que defrontar-se com a resistência de Deus.
A prescrição de Deus para a bênção espiritual é dada em 2 Crônicas
7:14: "Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, orar. . ."
O primeiro passo para uma oração proveitosa é um espírito de
humildade.

2. Devemos orar especificamente


Conta-se a história de um missionário que foi evacuado durante a
Segunda Guerra Mundial de uma ilha no Pacífico Sul.
Ele foi posto em um cargueiro que ziguezagueou pelas águas inimigas
em sua jornada para a liberdade. Certo dia, bem na frente do navio,
apareceu o periscópio de um submarino inimigo.
"Foi quando aprendi a orar especificamente", disse o missionário.
"Enquanto o inimigo nos observava (provavelmente tentando decidir se nos
punha ou não a pique), oramos a favor de cada centímetro daquele navio.
"Senhor, faça parar os motores deles!" "Faça enguiçar os torpedos!"
"Quebre o seu leme!"
Esse missionário orou especificamente. Por quê? Pelo fato de ter uma
necessidade específica: sua vida estava em perigo.
Nossas orações não precisam ser longas. Muitas das orações do
Senhor constavam de poucas palavras. A coisa importante é que sejam
específicas.

3. Devemos orar com confiança


O General Booth, fundador do Exército da Salvação, aconselhava as
pessoas a "trabalharem como se tudo dependesse de seu esforço, e orarem
como se tudo dependesse de suas orações".
Ore, esperando a resposta de Deus!
Em Hebreus 11:6 somos informados de que "sem fé é impossível
agradar a Deus, porquanto é necessário que aquele que se aproxima de
Deus creia que ele existe e que se torna galardoador dos que o buscam".
Tiago diz: "Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando: pois o que
duvida é semelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não
suponha esse homem que alcançará do Senhor cousa alguma" (Tiago 1:6-
7).
Foi dito a respeito de um missionário que trabalhava na índia: "Ele
orava como se Deus estivesse a seu lado pronto para responder." Ele tinha
fé!

Sem fé — não podemos ser salvos.


Sem fé — não podemos crescer.
Sem fé — não podemos agradar a Deus.
Sem fé — não obteremos resposta para as nossas orações.
Ore com confiança!

4. Devemos orar com inteligência


Ao orar devemos decidir: "O que realmente quero de Deus?" Quando
consulto o médico ou o advogado, preparo cuidadosamente uma lista das
coisas que quero perguntar a fim de satisfazer todas as minhas dúvidas.
Quando falamos a Deus, devemos apresentar-Lhe nossos pedidos e
súplicas com inteligência. Tiago repete: "Pedis, e não recebeis, porque pedis
mal" (Tiago 4:3). Isso me leva a outro ponto importante. Devemos perguntar
a nós mesmos: "Deus pode atender a este meu pedido?" Por exemplo, você
não deve orar: "Senhor, faça meu marido tornar-se cristão". Deus não
opera dessa forma. Esta deveria ser a sua oração: "Senhor, ajude-me a
apresentar o Evangelho com amor a meu marido, a fim de que ele possa
aceitá-lO como Salvador".
Devemos também perguntar-nos: "Fiz a minha parte? Estou dando
um exemplo adequado? Estou demonstrando o amor de Cristo em minha
vida?"
Se alguém pede a Deus que lhe dê um emprego, deve estar disposto a
ler os anúncios de empregos nos jornais. O Senhor sempre espera que
façamos a nossa parte na oração.

5. Devemos orar obedientemente


Não poderemos, de forma alguma, ser bem sucedidos em nossa vida
de oração se estivermos vivendo em pecado não-confessado. O salmista
declarou: "Se eu no coração contemplara a vaidade, o Senhor não me teria
ouvido" (Salmo 66:18). O pecado, aquele que não é confessado, é sinônimo
de desobediência. O pecado bloqueia nossa comunicação com Deus, in-
terrompendo a transmissão de poder.
Jesus disse: "Se me amais, guardareis os meus mandamentos" (João
14:15). Devemos orar a Deus com um coração obediente.
QUANDO ORAR?
Orar no lugar errado ou na hora errada é coisa difícil. Jonas orou
poderosamente no ventre do peixe. Paulo e Silas oraram à meia-noite no
cárcere.
Podemos orar a qualquer tempo, em qualquer lugar. Todavia, é
melhor ter uma hora definida e um lugar certo para a oração diária. Davi
afirmou: "À tarde, pela manhã e ao meio-dia, farei as minhas queixas e
lamentarei: e ele ouvirá a minha voz" (Salmo 55:17).
Lemos sobre Daniel: "Daniel, pois, quando soube que a escritura
estava assinada, entrou em sua casa, e, em cima, no seu quarto, onde
havia janelas abertas da banda de Jerusalém, três vezes ao dia se punha
de joelhos, e orava, e dava graças, diante do seu Deus, como costumava
fazer" (Daniel 6:10).
Jesus nos disse para entrar em um lugar isolado para orar: "Tu,
porém, quando orares, entra no teu quarto, e, fechada a porta, orarás a teu
Pai que está em secreto: e teu Pai que vê em secreto, te recompensará"
(Mateus 6:6).
Toda vez que o povo de Deus se reúne, seja para comer, estudar a
Bíblia ou divertir-se, é certo orar, pedindo a bênção de Deus.
Não esqueça a necessidade da oração em família, cuja prática une os
membros dela com um laço comum.

PELO QUE DEVEMOS ORAR?


Devemos orar por tudo aquilo que é necessário para o nosso bem-
estar físico e espiritual. "Ora, se vós, que sois maus, sabeis dar boas
dádivas aos vossos filhos, quanto mais vosso Pai que está nos céus dará
boas cousas aos que lhe pedirem?" (Mateus 7:11).
Jesus ensinou os discípulos a orar pelo pão de cada dia. Isto inclui as
necessidades da vida: alimento, vestuário e abrigo. Nada é demasiado
grande ou insignificante para Deus. Somos convidados a levar tudo a Deus
em oração.

OBSTÁCULOS A ORAÇÃO
Orar não é fácil, mas difícil. A incredulidade, o mundanismo, e a
indiferença inutilizam a oração.
Considere os seguintes versículos bíblicos: "Eis que a mão do Senhor
não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido,
para não poder ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós
e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que
vos não ouça" (Isaías 59:1-2). "Se eu no coração contemplara a vaidade, o
Senhor não me teria ouvido" (Salmo 66:18). "Porque os olhos do Senhor
repousam sobre os justos e os seus ouvidos estão abertos às suas súplicas,
mas o rosto do Senhor está contra aqueles que praticam males" (1 Pedro
3:12).
O pecado causa a perdição da humanidade, e pecado na vida do
crente inutiliza a oração. Assim se forma um círculo vicioso. Peça a Deus
que o guarde do pecado.
A oração é um privilégio pelo qual não precisamos pagar. É um
chamado glorioso. Cultive a oração.

LEMBRETES
A oração é a chave que abre a porta dos tesouros de Deus.
A definição mais simples de oração é a palavra clamor.
"Trabalhe como se tudo dependesse de seu trabalho e ore como se
tudo dependesse de suas orações". General William Booth.
O primeiro passo para uma oração proveitosa é um espírito de
humildade.
O pecado bloqueia a nossa comunicação com Deus, interrompendo a
transmissão de poder.
A oração não é somente um privilégio nosso, mas também um dever.
A negligência em orar é desobediência que desagrada a Deus.

PERGUNTAS
1. Dê duas definições bíblicas de oração, como encontradas em
Romanos 8:15 e Jeremias 33:3.
2. Cite pelo menos três razões por que devemos orar e compare-as
com as Escrituras.
3. Indique cinco pontos de interesse sob o título "Como Orar?"
4. Segundo Tiago 1:6-17 mencione um elemento-chave da oração.
5. Quais alguns dos pontos gerais da oração?
6. Cite alguns obstáculos à oração e as suas soluções.
CAPÍTULO 7

HORA SILENCIOSA
"Tendo-se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar deserto,
e ali orava" (Marcos 1:35).
André Bonar, grande homem de Deus, tinha três regras de vida: (1)
Não falar com ninguém sem antes ter falado com Jesus Cristo. (2) Não fazer
nada sem antes ter-se ajoelhado a orar. (3) Não ler os jornais sem antes ter
lido a Bíblia.

***

Vivemos em um mundo ruidoso, que se move com grande rapidez!


A rapidez com que a maioria de nós se movimenta é simplesmente
aterradora. Mais do que nunca precisamos calcular nosso tempo a fim de
fazermos aquilo que é necessário. Devido à nossa atividade febril, muitas
coisas importantes se perdem na confusão. Ficam por fazer.
Cada um de nós precisa decidir quais as suas prioridades. Somos nós
que determinamos o que deve ter o primeiro lugar em nossa vida: passar
tempo com Deus ou fazendo qualquer outra coisa. Esta é uma decisão
pessoal. Precisamos decidir o que é essencial e o que é secundário.
Infelizmente, para muitos cristãos, a hora silenciosa não ocupa um
lugar importante na lista; ela depende do relógio, sendo por vezes
eliminada do seu dia. Essa atividade que deveria ser a mais importante
para nós é posta de lado, deixando-nos espiritualmente fracos e enfermos.

O QUE É A "HORA SILENCIOSA"?


A hora silenciosa do cristão é aquela que ele passa com Deus Pai.
Mais especificamente, é o tempo separado cada dia para orar, meditar
sobre a Palavra de Deus e estudá-la. É dessa hora silenciosa com Deus que
extraímos força, sabedoria e orientação para nossa vida diária. Sem um
devocional diário nós nos tornamos espiritualmente anêmicos, famintos e
caímos facilmente nas garras do diabo.
A hora silenciosa pode ser comparada a um banho espiritual. Ela
lava, refresca e renova o nosso íntimo. Ajuda a proteger-nos da corrupção
moral que nos cerca. Ela nos prepara, como soldados cristãos, para entrar
na batalha espiritual.
Sim, meu amigo, a devoção diária do crente é um ingrediente
indispensável para o sucesso na vida cristã. Jesus afirmou: "Não só de pão
viverá o homem, mas de toda palavra que procede da boca de Deus"
(Mateus 4:4).
D.L. Moody comentou certa vez: "Se eu conseguir que uma pessoa
pense durante cinco minutos sobre a sua alma, é quase certo que irá
converter-se". Muita gente jamais deu sua vida a Cristo, não pelo fato de
nunca terem ouvido o Evangelho, mas porque nunca ficaram paradas o
suficiente para ponderar sobre a sua necessidade e permitir que o
Evangelho faça sentido.
O cristão conhece Jesus Cristo como seu Salvador; mas, a não ser
que passe regularmente algum tempo em silêncio e meditação, refletindo
sobre a Palavra de Deus, jamais poderá vir a conhecer Jesus melhor.
Louise Smith escreveu sobre uma mulher que fora crente durante
muitos anos. Entretanto, devido à tensão e vazio de sua vida, ela se achava
à beira de um colapso nervoso. Enquanto orava pedindo ajuda ao Senhor, o
Espírito Santo levou-a a ler um versículo em Isaías 30 que nunca notara
antes. Foi o versículo 15 onde a Bíblia declara: "na tranqüilidade e na con-
fiança (está) a vossa força".
A mulher começou a usar meia hora antes de a família levantar-se
para a sua hora silenciosa. Passou a ler a Palavra de Deus e a considerar
conscientemente o amor, a grandeza e o poder de Deus. Certa manhã, num
dia que deveria ser cheio de compromissos difíceis, ela estava ponderando
sobre a passagem dos filhos de Israel pelo Mar Vermelho. "Quando com-
preendi a facilidade com que Deus fez passar milhares de pessoas pelo
mar", comentou a senhora, "soube que Ele poderia fazer-me atravessar com
segurança qualquer mar vermelho que surgisse no meu dia. Saí da minha
hora silenciosa cheia de firmeza, confiança e fé."
Dentro em pouco o nervosismo da mulher tinha desaparecido por
completo. Ela em breve se tornou um tal baluarte de inspiração e força que
ninguém poderia acreditar que algum dia tivesse sido ameaçada de um
colapso nervoso1!
Os cristãos são hoje bombardeados pelas distrações. Estou certo de
que Satanás faz uso de todos os seus recursos a fim de evitar que
possamos ter nossa hora silenciosa diante de Deus. A poluição do ruído
prejudica a todos nós. Os rádios e as televisões ficam ligados o dia inteiro.
Os telefones parecem tocar incessantemente. Os automóveis e os aviões, as
máquinas de toda espécie, nos tornam quase indiferentes à beleza da tran-
qüilidade.
Nossa sociedade mecanizada, com todos os seus dispositivos para
poupar trabalho, está se tornando na verdade cada vez mais confusa. Ao
que parece, estamos sendo envolvidos em um torvelinho contínuo de
atividades. E quando finalmente pomos de lado alguns minutos para
render culto, descobrimos que nossa mente está cheia de coisas a fazer,
lugares onde ir e pessoas com quem falar.
Muitos cristãos vivem dessa forma, parecendo jamais achar tempo
para Deus e, como resultado, jamais gozando da vida proveitosa e
abundante que Cristo nos oferece.

_________________
1. SMITH, Louise, Be Still And Know God (Fique em Silêncio e Conheça a Deus),
Christian Life, maio 1961, p. 30.

A hora silenciosa não é apenas uma idéia sugestiva; ela é


absolutamente necessária para o crescimento espiritual. Assim como é
mais fácil resistir a um resfriado quando nossa saúde está boa, também é
mais fácil resistir ao diabo quando estamos espiritualmente preparados.
Assim sendo, sem levar em conta quem você é: recém-convertido,
cristão antigo, leigo ou pastor, não poderá esperar uma vida vitoriosa, se
não tiver constância em sua hora silenciosa.
Isaías escreveu: "Os jovens se cansam e se fatigam, e os moços de
exaustos caem, mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças,
sobem com asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se
fatigam" (Isaías 40:30-31).
"Está bem", você diz, "concordo em que a hora silenciosa é
importante, mas não consegui ainda arranjar tempo para ela."

SUGESTÕES ÚTEIS
Como podemos ficar em silêncio e conhecer a Deus em meio à vida de
grande tensão que levamos em nossa sociedade? Como separar um período
de quietude? Estou dando algumas sugestões que foram úteis em minha
vida pessoal:

1. Reconheça a importância de um período de tranqüilidade


É fácil dizer que temos necessidade de comunhão com Deus. O difícil
é cumprir essas palavras. Jamais poderemos ter êxito em qualquer
empreendimento a menos que nos empenhemos em sua realização.
Certo homem expressou sua necessidade deste período de culto
especial desta forma: "Só perdi minha hora silenciosa uma ou duas vezes
neste semestre (...) Creio que ela ocupa o segundo lugar em importância
depois de aceitar a Cristo: pois sei que quando não espero em Deus em
oração e meditação na sua palavra, as coisas não dão certo".
Pelo fato de acreditarmos que o alimento é necessário ao nosso bem-
estar físico, comemos três vezes por dia. Devemos alimentar-nos
espiritualmente pela mesma razão.
Pedro nos disse: "desejai ardentemente, como crianças recém-
nascidas, o genuíno leite espiritual, para que por ele vos seja dado
crescimento" (1 Pedro 2:2).
Martinho Lutero afirmou que "ser cristão sem orar é tão impossível
quanto viver sem respirar". A comunicação com Jesus Cristo através da
oração e da Sua Palavra é o salva-vidas espiritual de cada crente.
O próprio Jesus passou muito tempo em meditação e oração. Marcos
1:35 diz: "Tendo-se levantado alta madrugada, saiu, foi para um lugar
deserto, e ali orava". Se Jesus Cristo, que estava em perfeita harmonia com
Deus Pai, dirigia-se a um lugar isolado para orar, como podemos fazer
menos do que Ele?

2. Cultive o hábito da hora silenciosa


Pedro nos desafia a "desejar" a Palavra de Deus (1 Pedro 2:2).
Jeremias escreveu: "Achadas as tuas palavras, logo as comi; as tuas
palavras me foram gozo e alegria para o coração" (Jeremias 15:16).
"Como você come a Palavra?", me pergunta você. Bem, o que acontece
quando você ingere alimentos? Esse copo de leite branco que você bebe se
transforma em olhos azuis e cabelo louro. Os vegetais verdes que você
come tornam-se parte de sua pele branca, parda ou amarela. Em suma, o
que você digere torna-se parte de seu corpo.
O mesmo acontece quando lemos e meditamos sobre a Palavra de
Deus. Devemos digeri-la. Ela deve tornar-se parte de nossa vida.
Devemos também desejar falar com Deus, estar com Ele em oração.
Como amo minha esposa, quero estar com ela. Gosto de conversar com ela.
Quando viajo, espero ansioso o momento em que posso falar-lhe pelo
telefone.
Se amamos sinceramente a Jesus Cristo, devemos ter este mesmo
desejo. Queremos estar em contato com Ele. Ter comunhão com Deus é
algo maravilhoso. Mas, ainda mais maravilhoso é saber que o Deus Todo-
poderoso busca a nossa companhia. João escreve: "porque são estes que o
Pai procura para seus adoradores" (João 4:23). Pense bem, Deus quer
encontrar-se comigo! Minha hora silenciosa é meu encontro a sós com
Deus.

3. Decida-se a manter sua hora silenciosa


Perseverar em manter um período de meditação exige determinação e
disciplina. Procure evitar toda e qualquer interrupção. Não permita que o
telefone lhe roube o seu tempo com Deus. Arranje seus compromissos de
maneira que possa ficar a sós, completamente a sós com Deus, durante um
período determinado de tempo todos os dias.
"Mas você não imagina o que tenho para fazer" diz você.
"Não sabe como sou ocupado!"
Se você é ocupado demais para arranjar uma hora silenciosa, então
está excessivamente ocupado. Descobri que temos tempo para tudo que
realmente achamos importante. Sempre fazemos aquilo que na verdade
queremos fazer.
O que é importante para você? Se quer parecer atraente, você fica o
tempo necessário diante do espelho. Se gosta de ler, provavelmente passa
várias horas por dia lendo um livro. O trabalho secular e até mesmo o
trabalho da igreja ocupam o nosso tempo, pois estamos convencidos de sua
importância.
Mas, e que dizer da nossa comunhão com Deus? Se não separarmos
algum tempo para isso todos os dias, não é por sermos realmente muito
ocupados, mas porque não achamos que é suficientemente importante.
Foi dito que John Wesley pregou mais de 44.000 sermões durante
sua vida. Ele viajou a cavalo quase 500.000 quilômetros, escreveu livros de
gramática e teologia em quatro línguas, mas sempre teve tempo para a sua
hora silenciosa. Enquanto ainda criança, Wesley decidiu dedicar uma hora
todas as manhãs e todas as noites ao estudo bíblico e oração. E ele man-
teve sua promessa durante a vida inteira.
Manter um período silencioso diariamente é na verdade colocar as
primeiras coisas em primeiro lugar. Dorothy Haskins conta a história de
uma famosa concertista a quem foi perguntado qual o segredo de sua
maestria com o violino. "Negligência planejada", respondeu ela e explicou:
"Havia muitas coisas que exigiam meu tempo. Quando eu ia para o quarto
depois do café, eu arrumava a cama, tirava o pó e fazia tudo que julgava
necessário. Quando terminava o trabalho, começava a praticar violino.
Porém esse sistema falhou, não permitindo que eu me aperfeiçoasse
suficientemente no violino, inverti então as coisas. Planejei
deliberadamente negligenciar tudo o mais até que meu período de prática
terminasse. E esse programa de negligência planejada é o segredo de meu
sucesso 2."
Talvez você tenha de negligenciar algumas coisas a fim de manter sua
hora silenciosa com Deus. Devemos fazer tempo para comungar com nosso
Pai celestial. Nós nos organizamos para tudo, por que então não nos
organizarmos para um momento de tranqüilidade com Ele?
"A oração é a chave da manhã e o cadeado da noite", comentou
Matthew Henry.
É preciso disciplina para uma hora silenciosa, fiel, proveitosa.

PONTOS PRÁTICOS PARA O ESTABELECIMENTO DE UMA HORA


SILENCIOSA

1. Regularidade
Os cristãos da cidade de Beréia examinavam "as Escrituras todos os
dias para ver se as cousas eram de fato assim" (Atos 17:11).

_________________
2. HASKINS, Dorothy, A Practical Guide to Prayer (Guia Prático de Oração),
Chicago, Moody, 1951, p. 32.

Procure encontrar-se com o Senhor na mesma hora e lugar todos os


dias. Uma hora e lugar definidos irão ajudar muito para alcançar
regularidade.
Não tente fazer mais do que pode nos primeiros dias. Tentar
demasiado no início, pode levar ao desânimo e ao fracasso. É também
melhor começar com quinze minutos diários do que com algumas horas
uma vez por semana. Decida-se a fazer apenas aquilo que realmente sente
que pode fazer cada dia.

2. Tranqüilidade
"Na tranqüilidade e na confiança (está) a vossa força" (Isaías 30:15).
Faça da sua hora silenciosa um período de calma. "Aquie-tai-vos e
sabei que sou Deus" (Salmo 46:10). Um antigo regulamento naval diz o
seguinte: quando os navios reajustam a sua bússola, eles ancoram em um
lugar calmo. Veja onde pode encontrar um lugar calmo. Se não puder achá-
lo, terá de fechar a mente para todas as possíveis distrações ao seu redor.
Mais importante do que um lugar calmo é um espírito tranqüilo.
Mantenha-se receptivo para tudo o que Deus pode dar-lhe. William Runyan
expressou muito bem essa idéia:

"Senhor, fechei a porta, fale-me agora,


Pois no tumulto não podia ouvir-te;
Aquietado agora o meu coração, sussurra a Tua vontade,
Enquanto me isolei, enquanto tudo está em silêncio3."

3. Sistema
"Receberam a palavra com toda avidez" (Atos 17:11).
A hora escolhida para seu período de silêncio fica a seu critério. O
grande missionário Hudson Taylor costumava dizer:

_______________
3. RUNYAN, William M., Lord, I Have Shut The Door (Senhor, Fechei a Porta), Hope
Publishing Co. (Usado por permissão.)

"Escolha para comungar com Deus a melhor hora do seu dia". Alguns
indivíduos acordam depressa e outros devagar. Alguns são galos e outros,
corujas.
O mais importante é a consistência. Para mim, a melhor hora para
estar com Deus é a parte da manhã. O salmista escreveu: "De manhã,
Senhor, ouves a minha voz; de manhã te apresento a minha oração e fico
esperando" (Salmo 5:3). O Senhor nos disse: "Eu amo os que me amam; os
que me procuram me acham" (Provérbios 8:17).
Se você é como a maioria das pessoas, provavelmente sente-se mais
disposto de manhã do que à noite. Mas para poder encontrar-se com Deus
regularmente pela manhã, é preciso que se deite a uma hora razoável. É
possível que tenha de estabelecer uma ordem para as suas prioridades.
Quem sabe precisa deixar de lado mais cedo esse livro ou revista, ou
desligar a TV ou o rádio.
A consistência exige fidelidade. O apóstolo Paulo escreveu: "O que se
requer dos despenseiros é que cada um deles seja encontrado fiel" (1
Coríntios 4:2). Cada um de nós é um despenseiro. Temos vinte e quatro
horas por dia para usar como desejarmos. Como você está ocupando o seu
tempo?
Quando a pessoa recebe Jesus Cristo como Salvador, torna-se
membro da família de Deus. Deus se torna nosso Pai celestial e nós nos
tornamos seus filhos. Todo bom pai deseja passar tempo com seus filhos. É
assim que podemos conhecer-nos uns aos outros.
Quero sugerir que a hora silenciosa comece com uma oração, pedindo
a bênção de Deus sobre esse período juntos. A oração é a chave que abre
os tesouros da Palavra de Deus.
O período de oração deve incluir louvor e agradecimento por tudo o
que Deus está fazendo e fará. Ore pelos seus entes queridos. Ore pelas
outras pessoas e por si mesmo. Orar é um esplêndido privilégio.
Depois de orar, você desejará ler a Palavra de Deus. A mensagem
especial que Ele tem para você. Arranje uma Bíblia com tipos graúdos,
fáceis de ler. O tipo pequeno poderá desencorajá-lo.
A fórmula do Senhor para o sucesso de Josué foi esta: "Não cesses de
falar deste livro da lei; antes medita nele dia e noite, para que tenhas
cuidado de fazer segundo a tudo quanto nele está escrito; então farás
prosperar o teu caminho e serás bem sucedido" (Josué 1:8).
Meditar é pensar com calma e profundamente sobre a grandiosidade
e a bondade de Deus. Note as promessas de Deus. Procure princípios de
orientação para a sua vida diária. Memorize um versículo significativo. Não
se apresse. Com regularidade, calma, sistema, medite sobre a palavra
Escrita e a Palavra viva.

4. Descanso
"Eu te darei descanso" (Êxodo 33:14).
O descanso espiritual é um dom de Deus. Todavia, é da máxima
importância que tenhamos repouso físico. É difícil para o corpo deitar tarde
e levantar cedo. Dormir tarde pode ser prejudicial para a hora silenciosa.

5. Esperança
"Ora, àquele que é poderoso para fazer infinitamente mais do que
tudo quanto pedimos, ou pensamos, conforme o seu poder que opera em
nós" (Efésios 3:20).
Lembre-se de que para ter uma hora silenciosa bem-sucedida, você
deve esperar que Deus faça algo a seu favor a cada dia. Ore esperando que
Ele responda às suas orações. Peça-lhe para abrir a sua mente e o seu
coração para a plenitude do Senhor. Leia a Sua Palavra, esperando que Ele
fale a você, a fim de satisfazer uma necessidade específica em sua vida.
Você está precisando de poder? Sente como se alguma coisa estivesse
faltando em sua experiência cristã? Por que então não decide em seu
coração que terá de hoje em diante uma hora silenciosa?

"Senhor, fechei a porta, eis-me aqui prostrado;


Fala, pois minha atenção se volta para Ti.
Censura tudo que é vão, guia minh'alma,
Tua vontade revela, minha vontade domina.

Senhor, fechei a porta, fortalece meu coração;


Além está a tarefa, quero partilhá-la.
Somente pela Tua graça posso ser fiel,
Aqui, sozinho conTigo, minha força renova"

William M. Runyan

LEMBRETES
A hora silenciosa não é apenas uma idéia sugestiva; ela é
absolutamente necessária ao crescimento espiritual.
"Ser cristão sem orar é tão impossível quanto viver sem respirar."
Martinho Lutero
Se não acharmos tempo para uma hora silenciosa todos os dias, não
é pelo fato de sermos realmente muito ocupados, mas porque não achamos
que isso é suficientemente importante.
Um antigo regulamento naval afirma: quando os navios reajustam a
sua bússola, eles ancoram em um lugar calmo.
Dormir tarde pode ser prejudicial para a hora silenciosa. PERGUNTAS
1. O que é hora silenciosa?
2. Segundo Marcos 1:35, qual o exemplo de Jesus na hora
silenciosa?
3. Como você relaciona Jeremias 15:16 a uma hora silenciosa?
4. Que parte desempenha a disciplina no desenvolvimento da hora
silenciosa?
5. Cite alguns pontos práticos para a obtenção de uma hora
silenciosa.
CAPÍTULO 8

AS TRÊS DIVISÕES DA HUMANIDADE


"Ora, o homem natural não aceita as cousas do Espírito de Deus,
porque lhe são loucura; e não pode entendê-las porque elas se discernem
espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as cousas, mas ele
mesmo não é julgado por ninguém" (1 Coríntios 2:14-15).
O homem natural não conhece a Deus. O homem carnal não partilha
do amor divino pelo mundo necessitado. Somente o homem espiritual é
motivado e dirigido pelo amor constrangedor de Cristo.

* * *

Nosso mundo é dividido pela riqueza, educação, raça, idade e até


mesmo pela geografia. Algumas dessas divisões são naturais e positivas.
Outras são artificiais e negativas.
A Bíblia divide a humanidade em três grupos. Essas divisões não são
feitas de conformidade com as nossas posses ou a cor de nossa pele. Na
verdade, o apóstolo Paulo nos fala que em Cristo "não pode haver judeu
nem grego; nem escravo nem liberto; nem homem nem mulher" (Gaiatas
3.28).
A divisão da humanidade feita por Deus está baseada inteiramente
na condição espiritual do coração humano! No Novo Testamento, no livro de
1 Coríntios, capítulos 2:14 a 3:4, Paulo estabelece as três grandes divisões
da humanidade.

O HOMEM NATURAL
A primeira divisão descrita é a do homem natural. Em 1 Coríntios
2:14 lemos que "o homem natural não aceita as cousas do Espírito de
Deus; e não pode entendê-las porque elas se discernem espiritualmente".
Quem é o homem natural? É aquele que nasceu apenas uma vez!
Está fisicamente vivo, mas espiritualmente morto. É motivado
primariamente pelos seus próprios desejos materiais. Não tem fé, não foi
convertido e está perdido.
Certa vez um líder religioso de nome Nicodemos aproximou-se de
Jesus a fim de obter orientação espiritual. Jesus lhe disse: "quem não
nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus" (João 3:5);
e Ele passou então a definir o homem natural. "O que é nascido da carne",
disse Jesus, "é carne" (v. 6). O homem natural é carne. Jesus Cristo não faz
parte de sua vida. O "eu" reina supremo. Jesus Cristo foi excluído.
O homem natural é egocêntrico. Ele basicamente funciona e busca
satisfação nos cinco sentidos humanos.
Apesar de poder mostrar-se externamente amável, cortês e bondoso, é
egoísta em seu íntimo e busca em primeiro lugar satisfazer seus desejos
carnais. O seu espírito jamais foi tocado pelo Espírito Santo, e ele está
separado de Deus.
Apesar de seus dons naturais e realizações materiais, o homem
natural apresenta uma profunda carência em sua vida. Foi Pascal quem
declarou: "Existe um vácuo na forma de Deus em cada coração" e somente
Deus pode preenchê-lo. Henry Thoreau, o autor naturalista, também
admitiu: "a massa humana vive em silencioso desespero!"
A primeira grande divisão da humanidade é o homem natural. As
coisas de Deus são estranhas e contrárias para ele. Paulo nos diz que ele
não pode entender as coisas de Deus, não consegue harmonizar-se, não
está equipado nem apto para medir a verdade divina. O homem natural
está num comprimento de onda completamente diferente; ele opera em
outro nível.
A Bíblia continua dizendo que o homem natural não entende as
coisas de Deus. Por quê? Porque "lhe são loucura"
(1 Coríntios 2:14). A palavra loucura vem do adjetivo grego moros, que
tem o significado de inerte, sem gosto, insípido. Em outras palavras, os
assuntos espirituais são desagradáveis e até absurdos para o homem sem
Jesus Cristo.
As coisas de Deus não só são loucura para o homem natural, como
também segundo as Escrituras, ele "não pode entendê-las" (1 Coríntios
2:14). Ele não só as desconhece, como também não pode entender as
coisas de Deus porque "elas se discernem espiritualmente" (1 Coríntios
2:14).
Um jovem professor universitário disse-me certa vez: "Dr. Sweeting,
tentei ler a Bíblia centenas de vezes. Não faz sentido. Fui criado em um lar
excelente, tenho um irmão que é ministro; mas, por alguma razão, parece
que não consigo compreendê-la".
Meu amigo, isto não é mistério. Paulo afirmou: "não pode entendê-
las", pois o homem em seu estado não-convertido é governado pela sua
natureza carnal.

O HOMEM CARNAL
A segunda grande divisão da humanidade inclui o homem carnal. O
homem natural é aquele completamente alienado de Deus, enquanto o
homem carnal é o cristão controlado pela carne. Ele experimentou a
salvação de Deus, mas não está experimentando a soberania de Deus.
Nasceu tanto física como espiritualmente, Cristo está em sua vida, mas o
"eu" se mantém supremo! O ego continua no lugar do motorista.
Em 1 Coríntios 3:1, Paulo fala aos cristãos de Corinto que foi forçado
a falar-lhes "como a carnais, como a crianças em Cristo".
Naturalmente, não há nada errado em ser uma criança espiritual. É
nesse ponto que todos começamos. Pedro, falando aos novos cristãos,
escreve: "desejai ardentemente, como crianças recém-nascidas, o genuíno
leite espiritual, para que por ele vos seja dado crescimento" (1 Pedro 2:2).
Todos devemos começar nossa experiência cristã como crianças, como
bebês recém-nascidos.
Mas a tragédia está em que algumas pessoas permanecem crianças
na fé. É justo que a mãe se alarme quando o filho não se desenvolve
normalmente. O fazendeiro fica arruinado se suas plantações não
crescerem e produzirem. A primeira lei da vida é a expansão. Sem
crescimento não pode haver vida!
Por que é importante que cresçamos como cristãos? Porque esse é o
plano de Deus para nós. Em Romanos 8:29 lemos: "Porquanto aos que de
antemão conheceu, também os predestinou para serem conformes à
imagem de seu Filho". Deus quer que nos assemelhemos a Cristo. Infeliz e
desgraçado é o cristão que resiste ao plano divino para o seu desenvol-
vimento.
Vamos examinar por um momento as características do homem
carnal. Como uma criança, ele é facilmente ofendido e magoado. A criança
chora à menor provocação. Qualquer atividade fora do comum pode
perturbá-la. O cristão carnal enxerga pouco. Da mesma forma que à
criancinha, falta-lhe bom senso e maturidade. Assim como essas
características são normais na criança, elas o são também para o novo
cristão. Somente quando o cristão deixa de crescer é que a carnalidade se
faz presente. Muitos cristãos, porém, permanecem espiritualmente infantis
por toda a vida. Seu crescimento foi suspenso e impedido.
A inveja, as contendas e as divisões são características do homem
carnal. Em 1 Coríntios 3:3, Paulo declara: "Porquanto, havendo entre vós
ciúmes e contendas, não é assim que sois carnais e andais segundo o
homem?" As crianças brigam constantemente. São impacientes e falta-lhes
autocontrole. Muitas vezes são incapazes de conviver juntas.
Foram os cristãos carnais que causaram muitos dos problemas na
Igreja do Novo Testamento. Grande parte do tempo de Paulo e muitas de
suas cartas foram dedicadas a esclarecer às Confusões e contendas criadas
pelos crentes carnais. Por quê1? Porque apesar de Jesus Cristo estar em
sua vida, Ele não tinha a supremacia. Os cristãos estavam mais
preocupados com as coisas materiais do que com as espirituais. Não
conheciam a centralização e suficiência de Cristo.
Meu amigo, onde você se encontra hoje? Está crescendo? Sua vida
espiritual produz ou não fruto? Você é um cristão carnal — salvo, todavia,
como que através do fogo? O homem carnal é a segunda divisão da
humanidade, convertido, mas controlado pelo ego.

O HOMEM ESPIRITUAL
Em 1 Coríntios 2:15-16, Paulo fala da terceira grande divisão da
humanidade. Ele apresenta aqui uma ilustração do homem espiritual.
"Porém o homem espiritual", diz Paulo, "julga todas as cousas, mas ele
mesmo não é julgado por ninguém. Pois, quem conheceu a mente do
Senhor, que o possa instruir? Nós, porém, temos a mente de Cristo".
Quem é o homem espiritual? Paulo não está falando dos crentes em
geral. O homem espiritual é com certeza um crente; mas, mais do que isso,
é aquele cuja vida é controlada pelo Espírito Santo de Deus. Jesus Cristo
não está apenas em sua vida, mas tem o controle dela! Ele experimentou o
segundo nascimento, e Jesus Cristo é Senhor. Jesus Cristo reina e go-
verna.
O apóstolo Paulo era um homem espiritual. Ele escreveu aos crentes
da Galácia: "Estou crucificado com Cristo; logo, já não sou eu quem vive,
mas Cristo vive em mim; e esse viver que agora tenho na carne, vivo pela fé
no Filho de Deus" (Gaiatas 2:20).
O homem espiritual é aquele que se rendeu completamente a Jesus
Cristo, que reina supremo em sua vida. Em contraste com a imaturidade
do homem carnal, o homem espiritual cresce nas coisas de Deus e produz
fruto.
O homem espiritual é aquele que já experimentou o amor de Deus e
que, por sua vez, deseja partilhar esse amor com outras pessoas.
O homem natural não conhece a Deus. O homem carnal não partilha
o amor de Deus com o mundo necessitado. Somente o homem espiritual é
motivado e dirigido pelo amor constrangedor de Cristo.
De conformidade com 1 Coríntios 2:15, vemos que o homem
espiritual possui discernimento. Ele tem capacidade para tomar as decisões
certas, podendo compreender perfeitamente as Escrituras e viver segundo a
perfeita vontade de Deus.
"Porém o homem espiritual", diz Paulo, "julga (ou discerne) todas as
cousas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém" (1 Coríntios 2:15).
Finalmente, o homem espiritual é aquele que apresenta a mente de
Cristo. Paulo deu instruções aos cristãos de Filipos: "Tende em vós o
mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus" (Filipenses 2:5). O
homem espiritual é caracterizado pela mente de Cristo, um espírito de
serviço e submissão. Ele se assemelha em sentimentos Àquele que "a si
mesmo se esvaziou, assumindo a forma . de servo... e, a si mesmo se
humilhou, tornando-se obediente até à morte, e morte de cruz" (2:7-8).
Existe em certa cidade italiana a estátua de uma jovem grega de rosto
lindíssimo, figura graciosa e expressão nobre. Uma pobre moça do campo
avistou certo dia a estátua e depois de contemplá-la por algum tempo,
dirigiu-se a seguir para casa, onde lavou o rosto e penteou os cabelos. No
dia seguinte observou de novo a estátua e, desta vez, voltando para casa
remendou a roupa rasgada. Dia a dia a jovem foi se modificando, seu corpo
se fez mais gracioso e seu rosto tomou uma expressão mais refinada, até
que, finalmente, veio a parecer-se bastante com a famosa estátua. Ela
transformou sua aparência!
Da mesma forma, o homem espiritual deve a cada dia buscar
conformar-se com a perfeita imagem de nosso Senhor e Salvador Jesus
Cristo. Você se parece mais com Cristo hoje do que há um mês atrás?
São três as divisões da humanidade: natural, carnal e espiritual. Em
que categoria você se encontra, meu amigo?
Se é ainda um homem natural, pode ganhar espiritualidade
reconhecendo o seu pecado e recebendo a Jesus Cristo como seu Salvador
pessoal.
Talvez você seja um homem carnal, mas também pode tornar-se um
cristão espiritual neste mesmo instante, rendendo sua vida inteiramente a
Cristo, e reconhecendo-se egocêntrico, você deve dar a Jesus Cristo o
primeiro lugar.
Como? A Bíblia diz: "Se confessarmos nossos pecados, ele é fiel e
justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" (1 João
1:9).

LEMBRETES
A divisão da humanidade feita por Deus está baseada inteiramente
na condição espiritual do coração humano!
"A massa humana vive em silencioso desespero."
Henry Thoreau

O homem natural é egocêntrico. Ele basicamente funciona de acordo


com os cinco sentidos humanos e neles busca satisfação.
O homem natural é aquele completamente alienado de Deus,
enquanto o homem carnal é o cristão controlado pela carne.
O homem espiritual tem capacidade para tomar as decisões certas,
podendo compreender perfeitamente as Escrituras e viver segundo a
perfeita vontade de Deus.

PERGUNTAS
1. Quem é o homem natural segundo 1 Coríntios 2:14?
2. Por que as coisas de Deus não fazem sentido para o homem
natural, conforme 1 Coríntios 2:14?
3. Quem é o homem carnal?
4. Cite três características do homem carnal de acordo com
1Coríntios 3:3.
5. Quem é o homem espiritual?
6. Dê duas qualidades do homem espiritual conforme 1 Coríntios
2:15.
CAPÍTULO 9

COMO ASSEGURAR A SALVAÇÃO


"Estas cousas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna,
a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus" (1 João 5:13).
Todo crente, mesmo o mais novo na família da fé, tem o direito de
sentir-se absolutamente seguro de que a vida eterna lhe pertence no
presente. Olhar para dentro de si mesmo é estremecer. Olhar para a obra
consumada do Calvário é triunfar.

Larry Mc Guill

***

"Posso estar realmente certo da salvação?"


Essa pergunta foi feita recentemente por um jovem tomado pela
dúvida. Ele tinha perdido toda paz interior que possui, e estava então
buscando ansioso uma palavra de esperança.
A Bíblia nos diz que podemos saber, sem a menor sombra de dúvida,
que somos filhos de Deus. A segurança da salvação pode ser sua já nesta
vida.
É chocante verificar quantas pessoas sofrem do mal a que damos o
nome de dúvida. A incerteza vem roubando de milhares de pessoas a
alegria da salvação.
Indivíduos que lêem a Bíblia, oram com sinceridade, freqüentam
fielmente a igreja, e agem com honestidade em todos os seus contatos com
outras pessoas, podem, mesmo assim, continuar incertos quanto à
realidade do perdão e se sentir frustrados, deixando de viver
vitoriosamente.
É possível ter a certeza da salvação? O que a Bíblia tem a dizer sobre
isso? Em 2 Coríntios 13:5, Paulo escreve: "Examinai-vos a vós mesmos se
realmente estais na fé". Em 2 Pedro 1:10 lemos: "Procurai com diligência
cada vez maior, confirmar a vossa vocação e eleição". A segurança da
salvação é um dos maravilhosos dons de Deus. Todo crente deveria saber
que possui a salvação.
A segurança não só é coisa possível como necessária, pois é essa
realidade que traz poder e propósito à nossa vida. A segurança representa
para o cristão uma fortaleza contra as ciladas do demônio. Uma salvação
incerta é triste de se ver, repelindo as pessoas em lugar de atraí-las. A
segurança acrescenta zelo e vitalidade ao serviço cristão.
Não viva em dúvida: avance com firmeza a fim de gozar das grandes
coisas de Deus. A segurança não é necessária para a salvação, mas sim
para que possamos ter vidas triunfantes.
Qual o verdadeiro significado da palavra segurança! Segurança para o
cristão é a confiança inabalável na salvação consumada que resulta de
uma fé consciente. Este conhecimento não é apenas o privilégio, mas o
dever de todo cristão.

CONHECIMENTO ATRAVÉS DA PALAVRA DE DEUS


"Como posso ter essa segurança?", pergunta você. Devemos começar
com a Bíblia. A segurança da salvação é baseada na aceitação da Bíblia
como a Palavra infalível de Deus. À medida que aplicamos as promessas da
Bíblia à nossa vida, a dúvida se afasta.
Uma ilustração bíblica desta verdade nos é dada na vida de Abraão.
Abraão recebeu uma promessa de Deus que era impossível de ser realizada
do ponto de vista humano. Todavia, a Bíblia diz: "não duvidou da promessa
de Deus, por incredulidade" (Romanos 4:20). Também ficamos sabendo que
"Abraão. . . creu em Deus, e isso lhe foi imputado para justiça" (Gaiatas
3:6). As promessas de Deus são tão seguras quanto o próprio Deus.
O apóstolo João conheceu as dificuldades da dúvida. Ele viu muitos
procurando sem jamais encontrar; desejando, mas ainda aguardando;
vendo, mas ainda ambicionando por causa da incerteza. "Estas cousas vos
escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes
em o nome do Filho de Deus" (1 João 5:13). O objetivo é: "saberdes que
tendes a vida eterna". A palavra "saber" significa "reconhecer a qualidade
de". O apóstolo João escreveu esses versículos para que pudéssemos
reconhecer a qualidade de nossa posição em Cristo. Este não é um ponto
de opinião, nem de inferência, mas uma revelação de Deus. A segurança se
apóia na veracidade de Deus. Mostrar-se incrédulo é fazer Deus mentiroso.
Meu amigo, confie em Deus e o temor o deixará, sua consciência irá
tranqüilizar-se. Seu coração encontrará repouso.
Imagine um prisioneiro que recebe o perdão. Ele lê o documento
oficial, mas fica tão surpreso que a notícia o confunde. Suponhamos que
você lhe pergunte: "Sente-se perdoado?" Ele replica: "Não, não me sinto. Foi
tudo tão repentino!" Você insiste: "Se não se sente perdoado, como pode
saber que o foi realmente?" "Ó," responde ele, enquanto indica o do-
cumento, "esta é a minha garantia". A Bíblia é o documento que garante o
perdão de Deus a todo crente.

INTERPRETAÇÕES ERRADAS MAIS COMUNS


Quase sempre surgem mal-entendidos que fazem alguns cristãos
chegarem à conclusão de que a segurança da salvação é impossível. Um
amigo recentemente comentou: "Não posso ter certeza de que sou do
Senhor até o dia de minha morte. É presunção mostrar-se tão certo".
Eu lhe garanti que a segurança não inclui arrogância, mas um
conhecimento humilde da aceitação presente por parte de Deus. Esta
confiança se baseia na obra consumada de Cristo. Não se trata de
autoconfiança, pois as Escrituras afirmam: "Não por obras de justiça
praticadas por nós, mas segundo sua misericórdia, ele nos salvou mediante
o lavar regenerador e renovador do Espírito Santo" (Tito 3:5). Meu amigo, é
presunção aceitar aquilo que Deus disse?
O carcereiro de Filipos exclamou: "Que devo fazer para que seja
salvo?" (Atos 16:30). Paulo respondeu: "Crê no Senhor Jesus, e serás salvo,
tu e tua casa" (v. 31). O carcereiro filipense creu e foi convertido. É
presunçoso crer em Deus?
Você pergunta: "E se eu não for um dos eleitos?" Jesus disse: "Para
que todo aquele que nele crê, não pereça, mas tenha a vida eterna" (João
3:16). Isto inclui você! A salvação é oferecida a todos. A Bíblia diz que todos
os homens são pecadores, e que se invocarmos o Senhor seremos salvos.
Dwight L. Moody costumava dizer: "Os eleitos são os poucos que crêem; os
não-eleitos são aqueles que não crêem". A segurança não é prerrogativa de
uns poucos escolhidos, mas de todo o povo de Deus.
Outros pensam que precisam saber o dia e a hora de sua decisão. É
maravilhoso saber isso, mas não é necessário. Uma amiga muito querida
estava preocupada porque não sabia a hora exata de sua conversão. Estava
certa de ter recebido Cristo como Salvador e Senhor, mas não sabia
quando. Eu lhe garanti que a sua segurança da salvação era mais
importante do que saber a data exata em que tinha sido salva. "Mas," diz
você, "se não souber a data, como pode ter certeza?"
Permita que eu pergunte: "Como você sabe que está vivo
fisicamente?" "Oh!" você responde, "Eu respiro, como, penso, tomo
decisões."
O mesmo acontece espiritualmente; se você foi convertido, irá
interessar-se pelos assuntos espirituais, irá aspirar a atmosfera do céu pela
oração, lera a Bíblia, e freqüentará assiduamente a igreja local em que
Deus o colocou. No caso de sua vida em nada diferenciar-se daquela do
não-convertido, então talvez você nunca tenha sido convertido.
Existem também aqueles que acreditam ser necessário atravessar o
vale do terror e das lágrimas antes de terem certeza. As lágrimas que
resultam do verdadeiro arrependimento são belas, mas simples lágrimas de
remorso não têm valor, se apóia em fatos. A Bíblia afirma: "Antes de tudo
vos entreguei o que também recebi; que Cristo morreu pelos nossos
pecados, segundo as Escrituras, e que foi sepultado, e ressuscitou ao
terceiro dia, segundo as Escrituras" (1 Coríntios 15:3-4). Esses são fatos.
Depois dos fatos vem a fé, e a seguir os sentimentos. Muitas pessoas
carecem de segurança porque deixam de compreender um ponto muito
importante: a fé traz segurança!

CONHECIMENTO ATRAVÉS DO TESTEMUNHO INTERIOR


A segurança da salvação é possível mediante o testemunho do
Espírito Santo. Na sua conversão você se tornou habitação do Espírito
Santo. Este hóspede celestial quer a absoluta soberania em sua vida.
Render-se ao Espírito Santo traz segurança definida. Grande número de
pessoas por negligência ou falta de conhecimento, entristecem o Espírito
Santo e sabem pouco ou nada do testemunho interior. O apóstolo Paulo
nos ensinou: "Porque não recebestes o espírito de escravidão para viverdes
outra vez atemorizados, mas recebestes o espírito de adoção, baseados no
qual clamamos: Aba, Pai. O próprio Espírito testifica com o nosso espírito
que somos filhos de Deus. Ora, se somos filhos, somos também herdeiros,
herdeiros de Deus e co-herdeiros com Cristo" (Romanos 8:15-17). Quanta
segurança encontramos aqui! Desde que Deus é nosso Pai e nós Seus
filhos, clamamos: "Aba, Pai", ou, literalmente, "Meu Pai querido". Essa
exclamação é proferida pelo Espírito Santo.
Quando a criança começa a falar, ela faz uso das consoantes e das
vogais mais simples; e como só sabe pronunciar uma única sílaba, ela a
repete constantemente. Por isso diz: "papai" e "mamãe". "Aba" é o termo
aramaico para o nosso "papai". O temor servil é substituído pelo amor puro
como o da criança e pelo espírito de adoção em lugar de cativeiro. Existe
uma relação de pai e filho, e estamos na família de Deus. Da mesma forma
que a falta de confiança por parte do filho magoa os pais terrenos, a dúvida
entristece o coração de Deus. A segurança se baseia primariamente nas
promessas da Palavra de Deus, e depois subjetivamente na experiência do
crente. Existe perigo nesta questão de fazer da experiência de outros um
modelo para os demais.
O testemunho do Espírito é quando o Espírito Santo que habita em
nós testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus. O Espírito
Santo abre nossos olhos para os valores eternos, ilumina nossas mentes
para discernirmos a verdade, enche nossos corações de amor divino, nos
dá compaixão pelo próximo, intercede por nós quando não sabemos como
orar, consola nas horas de tristeza, fortalece em meio às batalhas, anima-
nos no vale da derrota. Essas são algumas das obras do Espírito no crente.
A Palavra de Deus diz: "Mas o fruto do Espírito é: amor, alegria, paz,
longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade, mansidão, domínio
próprio (Gaiatas 5:22-23). Se o fruto do Espírito está em evidência, você
pode estar certo da obra graciosa de Deus em sua vida.
Certo soldado estava morrendo no campo de batalha, quando o
capelão lhe perguntou: "De que igreja você é?"
"Da Igreja do Senhor Jesus Cristo" respondeu ele.
"Quero saber é qual a sua convicção?"
"Minha convicção!", replicou o soldado ferido, olhando para o alto.
"Estou convicto de que nem morte, nem vida, nem anjos, nem principados,
nem cousas do presente, nem do porvir, nem poderes, nem altura, nem
profundidade, nem qualquer outra criatura poderá separar-nos do amor de
Deus que está em Cristo Jesus nosso Senhor" (Romanos 8:38-39).
Ao terminar uma conferência, eu estava cumprimentando as pessoas
quando um senhor de aspecto distinto aproximou-se e me perguntou:
"Posso falar-lhe alguns minutos sobre a minha salvação pessoal? Estou
completamente confuso". Ele continuou dizendo que tinha aceito o Senhor
como Salvador, mas tinha pouca paz interior e confiança cristã. "Ao ouvir
sua mensagem decidi que tinha de resolver esse assunto."
Eu lhe respondi: "Faça primeiro um exame de sua vida pra ver se
tudo está bem entre você e o Senhor. Os crentes carnais têm geralmente
muitas dúvidas. Se o Espírito Santo tiver sido entristecido por causa de
sua obstinação ou pecado, não poderá testemunhar eficazmente quanto à
sua salvação, por não existir harmonia. O testemunho do Espírito Santo é
muitas vezes anulado por esta razão. Segundo, depois de descobrir o erro,
confesse-o abertamente ao Senhor. Terceiro, procure superá-lo e faça obras
que provem o seu arrependimento".
"É isso", interrompeu ele. "Tenho sido negligente; há pecado em
minha vida, e preciso corrigi-lo".
Inclinamos a cabeça em um momento sagrado de silêncio, enquanto
ele buscava o perdão gracioso de Deus. Era evidente que o Senhor estava
conosco, pois quando nos levantamos o homem sofrerá uma
transformação. Seu rosto, sua voz, toda a sua atitude irradiava uma
abençoada segurança. O viver negligente sempre cria dúvidas, mas o
oposto é também verdade. A dúvida leva ao viver negligente.
Você deve estar lembrado da história de Moisés, quando subiu ao
Monte Sinai para receber a Lei. Quando viram que ele não voltava, os
israelitas se queixaram a Arão de sua ausência. Como Moisés não voltou,
eles duvidaram. À duvida seguiram-se sugestões pecaminosas e logo os
israelitas estavam dançando ao redor de um bezerro de ouro. A vida
pecaminosa enfraquece o testemunho do Espírito Santo.

CONHECIMENTO PELAS OBRAS DE SUA VIDA


A segurança da salvação está baseada no fruto produzido pela nossa
vida. Examinemos algumas provas bíblicas.

1. Obediência
O primeiro teste é o da obediência. "Ora, sabemos que o temos
conhecido por isto: se guardamos os seus mandamentos. Aquele que diz:
Eu o conheço, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso e nele não
está a verdade (1 João 2:3-4).
Você obedece à Palavra de Deus? Jesus disse: "Se me amais,
guardareis os meus mandamentos" (João 14:15). "Por que me chamais,
Senhor, Senhor, e não fazeis o que vos mando?" (Lucas 6:46).
Você quer fazer as obras do Senhor? Você se alegra na Lei do Senhor?
Você aplica a Palavra? A segurança constante depende da obediência
prática à Palavra de Deus. A obediência é uni bom teste, pois Jesus disse:
"As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem"
(João 10:27). E novamente: "Aquele que. . . faz o que é justo lhe é aceitável"
(Atos 10:35).

2. Amor pelos irmãos


Você tem amor cristão? Amor pelo povo de Deus é evidência de
salvação pessoal. "Aquele que diz estar na luz e odeia a seu irmão, até
agora está nas trevas" (1 João 2:9). "Porque a mensagem que ouvistes é
esta, que nos amemos uns aos outros; não segundo Caim, que era do
maligno e assassinou a seu irmão; e por que o assassinou? Porque as suas
obras eram más, e as de seu irmão justas" (1 João 3:11-12). Muitas
pessoas que se dizem cristãs não têm amor pelo próximo.
Você está seguindo Caim ou Cristo? A prova do amor é importante.
Algumas vezes você talvez não tenha bem certeza de que ama ao Senhor.
Posso perguntar-lhe: "Você ama sua mãe?"
"Claro", me responde.
"Bem", digo eu, "como sabe disso?"
"Pela minha afeição e pelas coisas que faço por ela", diz você. Então,
você também pode saber se ama ao Senhor pelas coisas que faz por Ele. O
homem natural está em conflito com Deus. "Todo aquele que ama é nascido
de Deus" (1 João 4:7). Você ama aos demais cristãos? "Nós sabemos que já
passamos da morte para a vida, porque amamos os irmãos; aquele que não
ama permanece na morte" (1 João 3:14). "Nisto conhecerão todos que sois
meus discípulos, se tiverdes amor uns aos outros" (João 13:35).

3. Amor pela Palavra de Deus


Você ama a Palavra de Deus? Davi afirmou: "Os preceitos do Senhor
são retos, e alegram o coração; o mandamento do Senhor é puro, e ilumina
os olhos. O temor do Senhor é límpido, e permanece para sempre; os juízos
do Senhor são verdadeiros e todos igualmente justos. São mais desejáveis
do que ouro, mais do que muito ouro depurado; e são mais doces do que o
mel e o destilar dos favos" (Salmo 19:8-10).

4. Desejo de adorar
Você ama a casa de Deus? "Alegrei-me quando me disseram: Vamos à
casa do Senhor" (Salmo 122:1).

5. Fruto do Espírito
Você manifesta os frutos do Espírito? "Mas o fruto do Espírito é:
amor, alegria, paz, longanimidade, benignidade, bondade, fidelidade,
mansidão, domínio próprio. Contra estas cousas não há lei" (Gaiatas 5:22).
Depois do apóstolo Paulo ter encontrado a Cristo, sua vida foi uma
prova de sua conversão. Amor é coisa difícil de esconder. Quando um
jovem ama, seus sentimentos são evidentes. O mesmo acontece no campo
espiritual. Pergunte de novo a si mesmo: "Amo o Senhor? Amo Seu povo?
Amo a Bíblia. Tenho prazer em orar? Gosto de estar na casa de Deus?"
Suas respostas irão ajudá-lo a conhecer a sua posição.
Todos nós passamos por momentos de dúvida. Bunyan fala de "estar
com as idéias muito confusas". Todavia, podemos ter agora a certeza da
vida eterna, pois Jesus disse: "Quem crê, tem a vida eterna" ((João 6:47).
Qualquer coisa que esteja em contradição com as palavras de Jesus é
mentira. "Seja Deus verdadeiro, e mentiroso todo homem" (Romanos 3:4).
Abraão, mesmo em face ao desconhecido, sentia-se perfeitamente
seguro. "Pela fé Abraão, quando chamado, obedeceu, a fim de ir para um
lugar que devia receber por herança; e partiu sem saber aonde ia. Pela fé
peregrinou na terra da promessa como em terra alheia, habitando em
tendas com Isaque e Jacó, herdeiros com ele da mesma promessa; porque
aguardava a cidade que tem fundamentos, da qual Deus é o arquiteto e
edificador" (Hebreus 11:8-10).
Davi tinha plena segurança. "Eu, porém, na justiça contemplarei a
tua face" (Salmo 17:15).
Daniel mantinha jubilosa confiança. "O povo que conhece ao seu
Deus se tornará forte e ativo" (Daniel 11:32).
Jó possuía abençoada segurança. "Porque eu sei que o meu Redentor
vive" (Jó 19:25).
Paulo sentia imensa certeza. "Porque sei em quem tenho crido, e
estou certo de que ele é poderoso para guardar o meu depósito até aquele
dia" (2 Timóteo 1:12).
O apóstolo João estava seguro da sua salvação: "Estas cousas vos
escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna" (1 João 5.13).
Milhares de pessoas vieram a conhecer esta segurança abençoada.
Quando Sir Michael Faraday, conhecido cientista cristão, estava para
morrer, alguns jornalistas lhe perguntaram sobre suas especulações a
respeito da alma e da morte. "Especulações?" exclamou surpreso o
moribundo. "Nada sei sobre especulações, estou apoiado em certezas.
"Porque sei em quem tenho crido, e estou certo de que ele é poderoso para
guardar o meu depósito até aquele dia" (2 Timóteo 1:12).

LEMBRETES
Segurança para o cristão é a confiança inabalável na salvação
consumada que resulta de uma fé consciente.
A segurança se apóia na veracidade de Deus. Mostrar-se incrédulo é
fazer Deus mentiroso.
Render-se ao Espírito Santo traz segurança definida.
A vida pecaminosa enfraquece o testemunho do Espírito Santo.
A segurança constante depende da obediência prática à Palavra de
Deus.

PERGUNTAS
1. É possível estar seguro da salvação? Cite dois versículos das
Escrituras que confirmem sua resposta.
2. Qual o significado da palavra "segurança"?
3. Podemos possuir segurança da salvação de conformidade com 1
João 5:13?
4. Cite quatro erros de interpretação relativos à segurança da
salvação.
5. O que quer dizer testemunho do Espírito Santo?
6. Existe uma relação entre a obediência e o testemunho do Espírito
Santo?
7. A segurança da salvação pode ser vista em pelo menos quatro
áreas. Quais são elas?
CAPÍTULO 10

O MUNDO E VOCÊ
"Não ameis o mundo nem as cousas que há no mundo. Se alguém
amar o mundo, o amor do Pai não está nele" (1 João 2:15).

* * *

O Espírito Santo passa a habitar em você desde o momento de sua


conversão. Sua presença lhe assegura um Guia vivo. Ele irá ajudá-lo na
avaliação de sua vida.
Um dos artigos favoritos da revista "Seleções", desde quase o seu
início, tem sido o que fala sobre o "Meu Tipo Inesquecível".
Algumas vezes pessoas bastante conhecidas têm sido mencionadas;
mas, com mais freqüência, esses artigos têm destacado homens e mulheres
pouco conhecidos. Pessoas cujas vidas tiveram algum significado especial
por causa de seu caráter, de sua personalidade, ou daquilo que
representavam para outros.
O verdadeiro cristão é um tipo inesquecível que, dia após dia, se torna
mais semelhante à pessoa mais inesquecível que o mundo já conheceu.
Naturalmente que estou falando de Jesus Cristo.
Viver como cristão não é observar uma certa lista de "pode" ou outra
ainda mais longa de "não pode". A vida cristã é uma lealdade positiva a
Jesus Cristo. É tornar-se tão envolvido com Ele que os valores e padrões do
mundo que nos cerca percam sua influência.
Se você nasceu de novo, se confiou em Jesus Cristo como seu
Salvador pessoal, experimentou então uma transformação maravilhosa. É
uma nova criatura, com uma natureza completamente nova. Pertence a um
tipo novo e diferente de família.
Como resultado, você possui agora uma concepção inteiramente
mudada. O seu é agora um novo destino. Toda a sua atitude se modificou.
Durante a Idade Média, os Separatistas acreditavam que era
impossível ter uma vida santa a não ser que se isolassem do mundo que os
cercava. A solução que encontraram foi construir cidades muradas que os
isolassem da sociedade que tentavam deixar.
Com o passar dos anos, porém, os mesmos males da civilização
voltavam a produzir-se entre eles e um novo começo se tornava necessário.
Escapar do mundo é realmente impossível. Nem devemos desejar
isso. Deus nos quer no mundo com um propósito santo — sermos
testemunhas de Jesus Cristo.
Esta é a nossa única justificativa para viver nesta terra. E não
podemos ser aquilo que Deus propositou, a não ser que permitamos que
Ele nos mantenha diferentes.
QUE É SEPARAÇÃO?
A Bíblia fala de separação. Por exemplo, o apóstolo Paulo deu claras
instruções aos cristãos de Corinto para que não se envolvessem com o
mundo ao seu redor. "Não vos ponhais em jugo desigual com os
incrédulos", escreveu ele em 2 Coríntios 6:14.
A cidade de Corinto era pecaminosa, da mesma forma como o é o
nosso mundo de hoje. O próprio termo coríntios veio a tornar-se sinônimo
de conduta lasciva. Até mesmo a adoração religiosa incluía práticas
imorais.
Cheio de preocupação paternal, o apóstolo escreveu: "Por isso, retirai-
vos do meio deles, separai-vos, diz o Senhor" (2
Coríntios 6:17). Estamos no mundo, mas certamente não somos do
mundo.
Quando o apóstolo nos diz para não ficarmos sob o mesmo jugo dos
incrédulos, ele está se referindo a passagens como Deuteronômio 22:9-11.
Encontramos aqui o mandamento: "Não semearás a tua vinha com duas
espécies de semente, para que não degenere o fruto da semente que
semeaste e a messe da vinha. Não lavraras com junta de boi e jumento.
Não te vestiras de estofos de lã e linho juntamente".
O princípio aplicado neste ponto é simplesmente este: o que Deus
juntou não devemos separar, e o que Ele separou não devemos juntar.
Por que. a Bíblia proíbe o jugo desigual? Por ser inconveniente e
injusto. O boi e o asno eram diferentes em tamanho, temperamento e força.
O boi era considerado limpo; d asno, impuro. O jugo desigual teria
provocado desconforto e dor em ambos. Colocá-los em uma mesma junta
seria obter uma pare-lha mal combinada.
O grande estudioso grego, A. T. Robertson, traduz a passagem sobre o
jugo desigual desta forma: "Não se sujeite ao mesmo jugo dos não-
convertidos". J. Henry Jowett afirmou: "O mundanismo é um estado de
espírito, uma disposição mental, e uma atitude da alma. É uma vida com
apelos elevados, despida de ideais superiores. Um olhar sempre horizontal
e nunca vertical".
O apóstolo Paulo chega ao fundo da questão em Romanos 6:11:
"Assim também vós considerai-vos mortos para o pecado, mas vivos para
Deus em Cristo Jesus".
Esta é a resposta para a vitória cristã: Morra para o mundo e viva
para Deus. Enquanto não fizer isto, sua vida cristã será difícil e
contraditória.

MANDAMENTOS DEFINIDOS PARA A SEPARAÇÃO


Mas, o que o cristão deve ou não deve fazer? A Palavra de Deus inclui
muitos mandamentos definidos. Certas coisas são sempre corretas para os
cristãos, enquanto outras são sempre incorretas.
É sempre certo ser motivado pelo amor a Deus e a um mundo
necessitado, mas é sempre errado mentir, enganar, ou ser dirigido por
motivos maus.
Entre os claros mandamentos relativos ao bem e ao mal, existe uma
zona neutra definida que às vezes apresenta problemas.
A Bíblia não diz "pode" ou "não pode" com respeito a certas questões.
Nestes casos precisamos do Espírito Santo para aplicar os princípios
bíblicos.
No momento da conversão o Espírito Santo passa a habitar em você.
A sua presença lhe assegura um Guia vivo. Ele irá ajudá-lo a avaliar a sua
vida de acordo com a vontade de Deus. Lembre-se sempre, porém, que
nossa natureza tem propensão para a falsidade. No caso de dúvida, é
necessário pedir auxílio.
Eu tenho orado com freqüência: "Senhor Deus, não passo de uma
criança. Ajuda-me a pensar corretamente. Revela-me a Tua vontade. Livra-
me do mal, até mesmo da aparência do mal. Ensina-me a viver de tal
maneira que meu comportamento possa glorificar-Te". Precisamos da ajuda
do Espírito Santo e temos necessidade de orar. Mas, quero também dar-lhe
algumas sugestões específicas.

ORIENTAÇÃO BÍBLICA PARA A SEPARAÇÃO

1. Tenha em mente o princípio de propriedade


Nós, que cremos em Jesus Cristo, nos tornamos filhos de Deus.
Somos duplamente d'Ele, na verdade, pois Ele é nosso Criador e também
nosso Redentor. Ele nos criou e a seguir nos comprou. Paulo pergunta em 1
Coríntios 6:19: "Acaso não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito
Santo que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de
vós mesmos?"
Ele passa então a explicar: "Porque fostes comprados por preço.
Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo". Não pertencemos a nós
mesmos. Deus nos criou e remiu. Lembre-se sempre da orientação sobre o
direito de propriedade.

2. Nossa conduta como cristãos deve ser governada pela consciência


de nossa responsabilidade pelo próximo
Devemos perguntar a nós mesmos: "Como minha conduta afetará aos
que me cercam? Minha influência é positiva ou negativa?" Não se esqueça
que o mundo sabe que o cristão é diferente. Foi baseado neste princípio
que Paulo escreveu em 1 Coríntios 8:13: "E por isso, se a comida serve de
escândalo a meu irmão, nunca mais comerei carne, para que não venha a
escandalizá-lo". O grande apóstolo estava decidido a ser um bom exemplo
para os demais.
A carne oferecida aos ídolos era provavelmente a mais fina que o
dinheiro poderia comprar. Depois de feita a sua oferta, ela podia ser
comprada a baixo preço no mercado livre. Mas, se o fato de comer dessa
carne ofendia a outros, Paulo se recusaria a fazer isso. Devemos, pois,
perguntar: "Como minha conduta afetará outras pessoas?"

3. Tenha em mente o efeito que suas decisões terão sobre a sua


própria pessoa
Este ponto tem como enfoque sua utilidade para Deus. Devemos
perguntar-nos: "Meu envolvimento irá tornar-me mais útil para Deus, ou
menos útil? Posso pedir-Lhe que abençoe minha conduta?"
A aplicação deste princípio feita por Paulo pode ser vista em 1
Coríntios 9:27, onde ele diz: "Mas esmurro o meu corpo, e o reduzo à
escravidão, para que, tendo pregado a outros, não venha eu mesmo a ser
desqualificado". Jamais ignore a orientação sobre o "eu". Qual o efeito que
o meu envolvimento terá sobre a minha eficácia no serviço de Deus?

4. Tudo o que fizermos deverá ser sempre para a glória de Deus


Este é o teste principal. Pergunte sempre: "Posso fazer isto para a
glória de Deus?" Ou, "O que Jesus Cristo gostaria que eu fizesse?"
O grande apóstolo resume este princípio em 1 Coríntios 10:31:
"Portanto, quer comais, quer bebais, ou façais outra cousa qualquer, fazei
tudo para a glória de Deus". A glória de Deus deve ser nosso alvo supremo.
A Bíblia ajuda muito no discernimento da vontade de Deus nos
pontos duvidosos. 1 Tessalonicenses 5:22 estabelece uma orientação
básica: "Abstende-vos de toda forma de mal".
Uma outra é encontrada em Romanos 12:2: "E não vos conformeis
com este século, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para
que experimenteis qual seja a boa, agradável e perfeita vontade de Deus".
Devemos nos transformar e não nos conformar.
A vontade de Deus é também mencionada em Gaiatas 1:4, que fala de
Cristo "o qual se entregou a si mesmo pelos nossos pecados, para nos
desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e
Pai".
Efésios 6:12 descreve nossa oposição: "porque a nossa luta não é
contra o sangue e a carne, e, sim, contra os principados e potestades,
contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais
do mal, nas regiões celestes".
Tiago nos adverte em sua carta: "Infiéis, não compreendeis que a
amizade do mundo é inimiga de Deus?" E, a seguir, acrescenta: "Aquele,
pois, que quiser ser amigo do mundo, constitui-se inimigo de Deus" (Tiago
4:4).
O apóstolo João, com seu modo manso, apresenta uma advertência
semelhante em 1 João 2:15: "Não ameis o mundo nem as cousas que há no
mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele".
A pessoa que se entrega por completo a Jesus Cristo não terá sérios
problemas com o mundanismo. Possa Deus ajudar você a decidir-se a viver
vitoriosamente para Cristo neste mundo.
Paulo escreveu em Gaiatas 2:20: "Estou crucificado com Cristo; logo,
já não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim". Em análise final, esta
experiência continuada de permitir que Cristo viva em nós e através de nós
é a maneira de viver como um verdadeiro cristão.

LEMBRETES <
Escapar do mundo é realmente impossível. Nem devemos desejar
isso. Deus nos quer no mundo com um propósito santo: sermos
testemunhas de Jesus Cristo.
A vida cristã é uma lealdade positiva a Jesus Cristo. É tornar-se tão
envolvido com Ele que os valores e padrões do mundo que nos cerca
percam sua influência.
"O mundanismo é um estado de espírito, uma disposição mental, e
uma atitude da alma. É uma vida sem apelos elevados, despida de ideais
superiores. Um olhar sempre horizontal e nunca vertical."
(John Henry Jowett)

Não se esqueça que o mundo sabe que o cristão é diferente.


A pessoa que se entrega por completo a Jesus Cristo não terá
problemas sérios com o mundanismo. '

PERGUNTAS
1. Quando Paulo nos diz em 2 Coríntios 6:14 para não nos
colocarmos em jugo desigual com os incrédulos, a que passagem do Velho
Testamento ele se refere?
2. Por que Deus proíbe o jugo desigual em Deuteronômio 22:10?
3. Quando a Bíblia não diz claramente se podemos ou não fazer
alguma coisa, como podemos saber o que é aceitável a Deus?
4. Cite quatro orientações para a separação e os versículos bíblicos
apropriados.
5. Por que Paulo disciplinava seu corpo?
6. Qual o teste principal?
CAPÍTULO 11

VOCÊ E A IGREJA
"Também vós, como pedras que vivem, sois edificados casa espiritual"
(1 Pedro 2:5).
"A Bíblia ignora a religião solitária." (John Wesley)
"É possível que os homens não leiam o evangelho encadernado em
pele de foca, ou em marroquim, ou mesmo em tecido, mas não podem fugir
do evangelho em sapatos de couro". (Donald Gray Barnhouse)
"A freqüência à igreja é tão vital para um discípulo quanto a
transfusão de um sangue rico e saudável para o enfermo." (Dwight L.
Moody)

** *

VOCÊ PRECISA DA IGREJA E A IGREJA PRECISA DE VOCÊ


A Bíblia diz que somos pedras vivas, unidas umas às outras no
edifício de Deus. Para alcançar êxito na vida cristã, todo convertido, e na
verdade todo cristão, precisa da comunhão da Igreja, uma instituição
divina e permanente, a respeito da qual Jesus afirmou: "As portas do
inferno não prevalecerão contra ela" (Mateus 16:18).
Alguém disse: "Apesar de a Igreja ter muitos críticos, ela não tem
rivais".
E apesar da tormenta e tribulação que possa atravessar, ou mesmo
que venha a ser negligenciada, a Igreja permanecerá. Ela sobreviverá a todo
ataque que lhe for feito, pois é uma instituição de Deus.

POR QUE A IGREJA É IMPORTANTE?


A Igreja é importante por ser uma organização divina, tendo Cristo
como fundamento. E, meu amigo, ela nunca desaparecerá. Jamais será
destruída.
Jesus Cristo é o alicerce da Igreja. Em Efésios 1:22-23, aprendemos
que Deus Pai exaltou a Cristo Jesus "e pôs todas as cousas debaixo dos
seus pés e, para ser o cabeça sobre todas as cousas, o deu à Igreja, a qual
é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as cousas".
O apóstolo Paulo, escrevendo à igreja de Corinto, salientou a
importância deste fato: "Porque ninguém pode lançar outro fundamento,
além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo" (1 Coríntios 3:11). Ele deu
instruções aos crentes de Éfeso, ensinando que o relacionamento de amor
adequado entre marido e mulher deve assemelhar-se ao que existe entre
Cristo e sua Igreja. (Veja Efésios 5:22-25).
Um dos problemas da Igreja é que ela é composta de pessoas como
você e eu. A Igreja é uma instituição divina fundada por Jesus, mas é
também uma instituição humana. Não é uma estufa que opera sob
condições ideais em uma atmosfera controlada. É um grupo organizado de
santos imperfeitos, cada um com suas falhas e deficiências.
Admitimos nossas faltas e queremos corrigir nossas imperfeições.
Mas de tudo o que nos foi dado por Deus, na terra ou no céu, organização
alguma é mais significativa do que a Igreja.

O QUE É A IGREJA?
Estou certo de que ao ouvirem a palavra Igreja, muitos pensam
imediatamente em um prédio de tijolos com uma torre alta e impressiva.
Mas a Bíblia nunca fala da Igreja deste modo.
Na realidade, a palavra grega ekklesia, traduzida como igreja no Novo
Testamento, refere-se a uma assembléia de cristãos ou ao Corpo de Cristo
composto de todas as pessoas no mundo que receberam a Jesus Cristo
como Salvador. Em 1 Coríntios 1:2 lemos: ". . .todos que em todo lugar
invocam o nome de nosso Senhor Jesus Cristo". Isto se refere ao Corpo
místico de Cristo, freqüentemente chamado de Noiva de Cristo, ou Igreja
universal. Todavia, esse mesmo versículo começa: "À igreja de Deus que
está em Corinto", referindo-se claramente à congregação local de crentes
em Corinto.
A palavra ekklesia é composta de dois termos separados, a preposição
ek, significando "fora de", e o verbo kaléo, que significa "chamar". A Igreja é
um grupo de pessoas "chamadas para fora", um povo separado por Deus
para Si mesmo.
Quando a palavra ekklesia ou igreja aparece no Novo Testamento, ela
geralmente se refere a um corpo de crentes agrupado em um lugar
definido; ou, um grupo organizado de pessoas em uma comunidade local,
que aceita as Escrituras como base de fé e comportamento.
P.T. Forsythe referiu-se à igreja local como se fosse o "fruto da Igreja
universal". A importância da igreja local é imensa, sendo ela usada por
Deus para realizar a sua obra aqui na terra.
Um amigo me disse certo dia: "Não pertenço a uma igreja específica,
pois não vejo tal mandamento na Bíblia". Mas, se esse amigo tivesse
realmente estudado a Bíblia, teria compreendido que a assembléia local é
grandemente enfatizada através de todo o Novo Testamento. O livro de Atos
infere que no Dia de Pentecostes três mil novos crentes foram acrescenta-
dos à igreja em Jerusalém. Mais tarde, no livro de Atos, lemos que a igreja
local de Antioquia ordenou Paulo e Barnabé e os enviou em
viagem»missionária.
O apóstolo João recebeu sete mensagens do próprio Senhor, dirigidas
às sete igrejas locais. Paulo e seus companheiros passaram muitos anos
trabalhando para estabelecer e fortalecer assembléias locais. Nove das treze
epístolas que ele escreveu sob a orientação do Espírito Santo foram
endereçadas a igrejas locais.
Em nossos dias, e em algumas denominações evangélicas, é a igreja
local que escolhe missionários e os sustenta. É a igreja local que mantém
escolas dominicais, que ajuda os pobres, que realiza cultos de adoração,
edificação e evangelismo. É a igreja local que serve como instrumento
humano para realizar o trabalho de Deus aqui na terra. E justamente
porque o trabalho de Deus deve continuar e continuará é que existe um
futuro para a Igreja de Jesus Cristo.

A IGREJA APOSTÓLICA
O capítulo 2 do Livro de Atos relata vividamente a história dessa
primeira igreja em Jerusalém, dando uma clara ilustração de como o
Espírito Santo foi derramado. Em Atos 2:41 lemos: "Então os que lhe
aceitaram a palavra foram batizados; havendo um acréscimo naquele dia de
quase três mil pessoas".
Aqueles primeiros crentes receberam a Palavra de Deus.
Concordaram com a acusação bíblica de culpa e pecado, e tiveram uma
experiência com o Cristo vivo. Como resultado dessa experiência salvadora,
tornaram-se parte do Corpo de Cristo, a Igreja.
Os cristãos, através dos séculos, descobriram ser-lhes necessário ter
comunhão uns com os outros. O escritor de He-breus fala disto quando
declara: "Não deixemos de congregar-nos, como é costume de alguns"
(Hebreus 10:25). Martinho Lutero coloca a situação nestes termos: "Reunir-
se com o povo de Deus em adoração comum ao Pai é tão necessário para a
vida cristã quanto a oração".
Há algum tempo atrás eu sugeri a um crente de muitos anos de
convertido que deveria procurar uma igreja onde ele e sua família
pudessem tornar-se ativos. Mas ele me respondeu: "Não acho necessário
ser membro de uma igreja para ser cristão".
Tecnicamente, meu amigo estava certo. A filiação a uma igreja tem
pouco a ver com a salvação. Mas, pelo lado prático, estava errado. Disse-
lhe então que uma pessoa poderia cruzar o oceano sem fazer uso de um
avião ou de um navio, mas que eu não recomendaria uma aventura como
essa. Lembrei também os tubarões que ela poderia encontrar. A igreja é
com toda a certeza o veículo de Deus para nos transportar através dos
mares turbulentos de nossa jornada nesta terra. Caro amigo, é um erro
colossal ignorar a Igreja!
Você, crente amigo, precisa da Igreja e ela precisa de você!

POR QUE SER MEMBRO DA IGREJA?


De tempos a tempos tenho tido de enfrentar as desculpas de pessoas
que não querem envolver-se com uma igreja local. "Os membros da igreja
têm tantas falhas", dizem alguns. "Há tantos hipócritas na igreja", afirmam
outros. De minha parte estou certo de que isso é verdade. Jamais houve
uma igreja perfeita, ou um cristão perfeito. Até mesmo as igrejas do pri-
meiro século tinham os seus problemas. A verdade é que as pessoas com
problemas precisam da Igreja da mesma forma que os doentes precisam do
hospital.
Uma vez que a pessoa tenha recebido a Jesus Cristo como Salvador
pessoal, ela precisa ser edificada na fé. Precisa receber instrução espiritual
e partilhar com outros cristãos — a fim de ter oportunidade para a
comunhão cristã. A Igreja, mediante os seus ministérios, é um instrumento
de treinamento e fornece uma atmosfera propícia ao crescimento espiritual.
Todo cristão precisa da Igreja e de seu povo nas horas difíceis. A
comunhão de crentes forma uma unidade vital que inspira força e conforto.
Quantos cristãos, vencidos pela tristeza, foram confortados por outros!
Somente os que passaram por horas de tribulação podem dizer:

"Abençoado o elo que une nossos corações em amor


[cristão,
A comunhão de mentes afins se assemelha àquela lá do
[alto." (John Fawcett)

Paulo mostrou que apreciava a comunhão com outros cristãos. "Dou


graças ao meu Deus por tudo o que recordo de vós. . . pela vossa
cooperação no evangelho, desde o primeiro dia até agora" (Filipenses 1:3-5).
Sim, você precisa da Igreja e ela de você.
Não basta freqüentar e contribuir. Você é necessário — seu exemplo
santo, sua presença, suas orações, sua influência, tudo o que você é —
existe necessidade disso. Os ímpios não escondem suas trevas, e nós não
devemos ocultar a nossa luz. A Igreja precisa certamente de você.

QUAL É O MINISTÉRIO DA IGREJA?


A Igreja deve ajudar seus membros a crescer de toda forma possível.
A Igreja é um berçário para os recém-nascidos, e um lugar de adoração,
educação e treinamento para o crente amadurecido.
É interessante observar as características da primeira igreja como
apresentada em Atos 2:41-47. Num prazo de setenta anos aqueles cristãos
atravessaram montanhas e mares encapelados para abalar a cidade
imperial de Roma com o evangelho de Jesus Cristo. Atos 2 mostra que essa
Igreja possuía:
1. Membros salvos (v. 41)
2. Membros fiéis (v. 42)
3. Membros dispostos a sacrificar-se (vs. 44-45).
4. Membros serviçais (v. 46)
5. Membros cheios do Espírito (v. 47)
A Igreja pós-apostólica era igualmente evangelística; mesmo em face
de cruel perseguição, a Igreja avançava para evangelizar. Desde que
gozamos hoje da sucessão apostólica, seria bom também que pudéssemos
experimentar o sucesso apostólico.
A Bíblia ensina claramente que o programa da Igreja é a
evangelização do mundo. Cristo estabeleceu a Igreja a fim de alcançar o
mundo perdido. A missão e ministério da Igreja estão resumidos no
mandamento de Cristo: "Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações,
batizando-os em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo; ensinando-os
a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E eis que estou
convosco até a consumação do século" (Mateus 28:19-20).
Bilhões de pessoas estão incluídas nesta comissão. As missões são a
missão da Igreja. As últimas palavras de Jesus salientaram o plano de ação
para a Igreja: "Sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em
toda a Judéia e Samaria, e até aos confins da terra" (Atos 1:8). Eles deviam
começar em sua própria casa. Pedro e João tinham testemunhado a morte
e ressurreição de Cristo e, portanto, responderam: "Não podemos deixar de
falar das cousas que vimos e ouvimos" (Atos 4:20).
A necessidade atual é maior do que nunca o foi antes. Nós também
devemos partilhar o Evangelho, pois a ordem de Cristo continua sendo a
nossa missão. Vamos proclamar o Evangelho em hora oportuna ou
inoportuna, nas estradas e atalhos, em público e em particular, de janeiro
a dezembro, a cada dia de cada semana, a cada semana de cada mês, a
cada mês de cada ano, até que todo o trabalho seja feito. A promessa
inquebrantável de Cristo é esta: "E eis que estou convosco todos os dias até
a consumação do século" (Mateus 28:20).

LEMBRETES
Segundo a Palavra de Deus, a Igreja é uma instituição permanente,
divina, que jamais será destruída (Mateus 16:18).
Um dos problemas da Igreja é o fato de ser composta de pessoas
como você e eu. A Igreja é uma instituição divina fundada por Jesus, mas é
também uma instituição humana. Não é uma estufa que opera sob
condições ideais em uma atmosfera controlada. É um grupo organizado de
santos imperfeitos, cada um com suas falhas e deficiências.
A Igreja é um grupo de pessoas chamadas para fora, um povo
separado por Deus para si mesmo.
"A freqüência à igreja é tão vital para um discípulo quanto a
transfusão de um sangue rico e saudável para o enfermo." (D.L. Moody)
Jamais houve uma igreja perfeita ou um cristão perfeito.
As pessoas com problemas precisam da Igreja da mesma forma que
os doentes precisam do hospital.

PERGUNTAS
1. Por que a Igreja é importante, segundo Mateus 16:18 e Efésios
1:22?
2. O que é a Igreja?
3. Explique a diferença entre a Igreja local e a Igreja universal,
segundo 1 Coríntios 1:2.
4. Cite algumas das razões pelas quais os cristãos devem filiar-se
a um grupo local.
5. Cite cinco características da Igreja apostólica como dadas em
Atos 2:41-47.
6. Apesar da Igreja existir para ajudar o crescimento cristão, qual
é o seu programa em relação ao mundo?
CAPÍTULO 12

VOCÊ E O DINHEIRO
"Porque tudo vem de ti, e das tuas mãos to damos. . . Senhor, nosso
Deus, toda esta abundância, que preparamos para te edificar uma casa ao
teu santo nome, vem da tua mão, e é toda tua" (1 Crônicas 29:14-16).
"O dinheiro revela onde estão os nossos interesses; ele pode dirigir
nossas atitudes; e sempre nos expõe ao perigo de adorá-lo; representando
também valor. O dinheiro não só fala, como 'grita'." (Leslie B. Flynn)

* **

É verdade que o "dinheiro fala"? Sim, até mesmo nos círculos


cristãos!
Muitos cristãos evitam falar em dinheiro, mas Jesus não fez isso. Em
dezessete de suas parábolas, Jesus falou dos bens e da responsabilidade
do homem em usá-los com sabedoria.
Ninguém deve, no entanto, pensar que o ato de dar seja para o cristão
uma simples obrigação, uma responsabilidade. Pelo contrário, trata-se de
um glorioso privilégio. A contribuição não pode ser separada do Evangelho.
O Evangelho, na verdade, significa dar. Essa idéia constitui o tema de João
3:16: "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito".
Deus deu e nós devemos estar dispostos a dar. Este é o foco das
palavras do apóstolo Paulo em 2 Coríntios. Para desafiar e possivelmente
para envergonhar os crentes de Corinto, ele conta como os cristãos da
Macedonia em meio "de muita prova de tribulação" e "profunda pobreza" (2
Coríntios 8:2), tinham pedido para partilhar da ajuda aos cristãos
necessitados em Jerusalém.
Anos antes, do lado asiático do Mar Egeu, Paulo tinha tido sua visão
macedônica. O chamado fora: "Passa à Macedônia e ajuda-nos" (Atos 16:9).
Um segundo chamado estava sendo feito agora. Não, "venha e nos
ajude", mas "venha e leve nossa ajuda a outros".
Para os cristãos da Macedônia, a contribuição não era uma tarefa
desagradável, mas um desafio; não era um fardo, mas uma bênção.
Contribuir não constituía algo a ser evitado, mas um privilégio a ser
buscado.
O perigo em relação aos macedônios não era que eles dessem
demasiadamente pouco, mas sim que o fizessem em excesso.
O sofrimento geralmente resulta em egoísmo, pois freqüentemente
cuidamos com zelo especial de nós mesmos, esquecendo os outros. Isso
não acontecia com aqueles cristãos. Eles passaram por grandes provações
e pobreza, mas este jugo duplo não reduziu seu entusiasmo.
A maneira como contribuíram também foi notável. Lemos em 2
Coríntios 8:5: "E não somente fizeram como nós esperávamos, mas deram-
se a si mesmos, primeiro ao Senhor, depois a nós, pela vontade de Deus".
Note a seqüência. O primeiro passo na contribuição cristã não é o
dinheiro, mas a sua pessoa! Segue-se então a partilha do que é seu. O Mar
Morto é morto porque continuamente recebe e jamais dá.

O DÍZIMO
Alguns, porém, podem perguntar: "Que dizer do dízimo?". O dízimo,
segundo a Bíblia, é um décimo dos bens que possuímos. As pessoas
freqüentemente ignoram o dízimo com o comentário casual: "Não estamos
sob a lei, mas sob a graça".
Esta declaração é verdadeira, mas lembre-se de que o Evangelho da
graça sempre vai além da Lei. A Lei declara: "Não matareis", mas o
Evangelho diz: "Não odiareis" e até mais: "Deveis amar".
A Lei de Moisés exigia um sétimo do tempo do indivíduo e um décimo
de sua renda para Deus. Esse era o mínimo. O dízimo é o início e não o
alvo. Da mesma forma hoje, o dízimo é o ponto de partida e não o objetivo.
O Evangelho da graça supera o dízimo.
Cada novo convertido quererá fazer sob a graça pelo menos o que era
requerido sob a Lei. O Dr. Herschel Hobbs afirmou: "Os nove décimos
provam o amor do homem, enquanto o décimo testa a obediência legal do
homem". Torne o seu dinheiro imortal: "Ajuntai para vós mesmos tesouros
no céu" (Mateus 6:20).
A contribuição deve ser também sistemática. 1 Coríntios 16:2 diz: "No
primeiro dia da semana cada um de vós ponha de parte, em casa, conforme
a sua prosperidade". Logo no início de sua vida cristã adquira o hábito de
contribuir regularmente.
Além de contribuir sistematicamente, devemos fazê-lo com alegria.
Tomar parte no plano de Deus é um grande privilégio. Paulo coloca isto em
palavras em 2 Coríntios 9:7: "Cada um contribua segundo tiver proposto no
coração, não com tristeza ou por necessidade; porque Deus ama a quem dá
com alegria".
Quando chegarmos ao fim da vida a pergunta será esta: "Quanto você
deu?" e não "quanto você tem"?
Será, "quanto você sacrificou", e não "quanto poupou?" Devemos
produzir em lugar de sermos parasitas, contribuir e não receber.

O EXEMPLO DE CRISTO
O motivo de toda contribuição cristã está esplendidamente resumido
em 2 Coríntios 8:9: "Não vos falo na forma de mandamento, mas para
provar, pela diligência de outros, a sinceridade do vosso amor". "Pois
conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, se fez
pobre por amor de vós, para que pela sua pobreza vos tornásseis ricos".
Jesus Cristo deu tudo. "A si mesmo se esvaziou" (Filipenses 2:7).
Quatro verdades são claras. Ele era rico, e nós pobres. Ele tornou-se pobre,
e nós ricos. Vamos pensar por um momento nesses grandes fatos.
1. Ele era rico
No começo tudo estava em trevas. Deus falou e fez surgir toda a
criação. "Disse Deus: Haja luz" (Gênesis 1:3), e o sol passou a brilhar nos
céus.
Ele decorou a noite com a lua radiosa e as estrelas cintilantes. A
seguir, entre o dia e a noite, Ele colocou o mundo e fê-lo começar sua
jornada à volta do sol.
Deus então escavou os vales e levantou as montanhas, esfriou a terra
com água, dividindo-a dos mares. Depois se abriram as flores, as árvores
frutíferas produziram, as ervas brotaram.
Continuando, Deus colocou criaturas vivas na terra — animais de
toda espécie. "E viu Deus que isso era bom" (Gênesis 1:25).
Finalmente Deus fez o homem. Soprou-lhe nas narinas o fôlego de
vida, e o homem passou a ser alma vivente. Toda a criação declara o poder
e a sabedoria do Criador.
Deus é rico em poder. Toda prata e ouro Lhe pertencem. Os
diamantes nas negras cavernas da terra são Seus. O gado nos milhares de
pastagens são Sua propriedade.
Ele é rico em sabedoria. É onisciente. O passado, o presente e o
futuro são um eterno agora para Ele. Ele é rico em vida. Quando veio à
terra e tomou a forma de homem, a morte não tinha poder sobre Ele. Ele é
Deus de eternidade a eternidade.

2. Nós somos pobres


Quão pobres somos? Tão pobres que nada possuímos com que
defender nossa causa nas cortes celestes. Tão pobres que não poderíamos
dar-nos ao luxo de contratar um advogado para pleitear nosso caso, tão
pobres que não temos vestes com que cobrir nossa culpa e nudez.
Romanos 3 conta a lamentável história: Como está escrito: "Não há
justo, nem sequer um. . . não há quem busque a Deus; todos se
extraviaram, à uma se fizeram inúteis; não há quem faça o bem, não há
um sequer. A garganta deles é sepulcro aberto; com a língua urdem
engano, veneno de víbora está nos seus lábios, a boca eles a têm cheia de
maldição e de amargura; são os seus pés velozes para derramar sangue,
nos seus caminhos há destruição e miséria; desconheceram o caminho da
paz" (vs. 10-17).
Éramos pobres. Quão pobres? Tão pobres que não tínhamos qualquer
remédio para purificar-nos do pecado. Tão pobres que não podíamos
encontrar nem pão nem água para satisfazer nossas almas sequiosas.
Éramos pobres.

3. Ele tornou-se pobre


Jesus Cristo é o exemplo supremo do ato de dar: "sendo rico, se fez
pobre por amor de vós, para que pela sua pobreza vos tornássemos ricos"
(2 Coríntios 8:9).
Quão pobre Ele se tornou? Tão pobre que não tinha onde nascer.
Nasceu em um estábulo, tendo o gado como testemunha.
Pense em como Ele poderia ter vindo. Poderia ter nascido em um
palácio, em um berço de ouro, alimentado com uma colher de ouro. Poderia
ter tido anjos para assisti-lO.
Mas não foi assim. Lemos em Filipenses 2: "antes a si mesmo se
esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de
homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou,
tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz" (vs. 7-8).
Quão pobre era ele? Tão pobre que, mesmo tendo feito o mundo, não
tinha onde morar. O chão era seu leito, as pedras seu travesseiro, o regato
seu lavatório, a brisa sua toalha, e o vento o seu pente.
Certo dia Ele falou a uma multidão e lemos que depois de ter
terminado "cada um foi para sua casa" (João 7:53). Mas a mesma narrativa
evangélica continua dizendo que "Jesus, entretanto, foi para o Monte das
Oliveiras" (João 8:1).
Quando morreu, foi como um mendigo, crucificado entre dois
criminosos. Era tão pobre que teve de entregar sua própria mãe aos
cuidados de outrem. Quando chegou a hora do sepultamento, Ele não foi
sepultado em seu túmulo, mas no de outra pessoa.
Por que Ele se fez pobre? "Por amor de vós" — por amor aos perdidos
— por aqueles que eram pobres. Por mim. Por você.

4. Nós nos tornamos ricos


Quão ricos nos tornamos? Tão ricos quanto o próprio Jesus Cristo.
Estávamos mortos — sem esperança — mas agora estamos vivos, somos
filhos de Deus. E não somente filhos, mas herdeiros. Somos sacerdotes e
reis, e reinaremos com Ele.
Quão ricos nos tornamos? Toda a riqueza dEle se faz nossa. Somos
co-herdeiros de Deus. Deveríamos cantar triunfantes:

"Meu Pai tem casas e terras,


Ele guarda nas mãos as riquezas do mundo.
Seus cofres estão repletos de rubis, diamantes,
Ouro e prata,
São incontáveis as suas riquezas.
(Harriet E. Buell)

É verdade, e essas riquezas são nossas, pois se confiamos em Cristo,


podemos também cantar:

Sou filho do Rei, sou filho do Rei


Com Jesus, meu Salvador, eu sou filho do Rei.
(Harriet E. Buell)

Ele nos fez ricos. O que daremos em troca? O que farei com minha
vida — meu dinheiro, meu tempo? Devo guardá-los para mim? Ouso fazer
isso? E você, o que vai fazer?
Lembre-se da graça de nosso Senhor Jesus Cristo.
LEMBRETES
O dinheiro não só fala, como "grita". (Leslie B. Flynn)
Em dezessete de suas parábolas, Jesus falou dos bens e da
responsabilidade do homem em usá-los com sabedoria.
Para os cristãos da Macedônia, a contribuição não era uma tarefa
desagradável, mas um desafio; não era um fardo, mas uma bênção.
Contribuir não constituía algo a ser evitado, mas um privilégio a ser
buscado.
Quando chegarmos ao fim da vida, a pergunta será esta: "Quanto
você deu?" e não "quanto você tem?"
Jesus Cristo é o exemplo supremo do ato de dar.
O Mar Morto é morto porque continuamente recebe e jamais dá.

PERGUNTAS
1. Jesus falou muitas vezes sobre a contribuição?
2. De acordo com 2 Coríntios 8:5, como os cristãos da Macedônia
contribuíram?
3. Cite duas coisas que devem caracterizar a nossa contribuição de
acordo com 1 Coríntios 16:2.
4. Com base em 2 Coríntios 8:9 do ato de dar?
5. Como Jesus Cristo assumiu a
6. Partilhe algo com relação às de Deus.
CAPÍTULO 13

PROMESSAS DAS ESCRITURAS PARA


OS PROBLEMAS ESPIRITUAIS
"Pelas quais nos têm sido doadas as suas PRECIOSAS E MUI
GRANDES PROMESSAS para que por elas vos tomeis co-participantes da
natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo"
(2 Pedro 1:4).
Quando você recebeu Jesus Cristo como seu Salvador, tomou-se
membro da família de Deus. Como filho de Deus, a sua riqueza aumentou,
pois herdou milhares de promessas perfeitamente seguras. Quero encorajá-
lo a ler essas promessas, crer nelas e viver na sua realidade.

SUGESTÕES ÚTEIS
1. Leia essas promessas na Palavra de Deus e procure memorizar
tantas quantas lhe for possível. Eu muitas vezes as escrevo em pequenos
cartões e as levo comigo, assim memorizo a Palavra de Deus toda vez que
tenho um tempo livre.

2. Aceite essas promessas como elas se apresentam. Na maioria das


vezes, não procure espiritualizá-las. Alguém afirmou: "Os que
espiritualizam contam mentiras espirituais, pois lhes carecem de olhos
espirituais".

3. Faça a sua parte. Se a promessa diz "arrepende-te", arrependa-se


então. Se diz "ore", deve orar.
4. Entregue sua vida e seus pontos fracos ao Senhor. Ele é
absolutamente fidedigno. A promessa pode ser cumprida imediatamente,
ou talvez a resposta seja demorada, o que importa porém é colocarmos
nossos cuidados aos Seus pés. Podemos dizer entusiasticamente com
Paulo: "estando plenamente convicto de que ele era poderoso para cumprir o
que prometera" (Romanos 4:21).

RESPOSTAS A ORAÇÃO
"Invoca-me no dia da angústia: eu te livrarei, e tu me glorificarás"
Salmo 50:15.
"À tarde, pela manhã e ao meio-dia, farei as minhas queixas e
lamentarei; e ele ouvirá a minha voz" Salmo 55:17.
"Por isso vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que
recebestes, e será assim convosco" Marcos 11:24.
"Pois todo o que pede recebe; o que busca, encontra; e a quem bate,
abrir-se-lhe-á" Lucas 11:10.
"Se permanecerdes em mim e as minhas palavras permanecerem em
vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito" João 15:17.
A BÍBLIA
"Para sempre, ó Senhor, está firmada a tua palavra no céu" Salmo
119:89.
"Seca-se a erva e cai a sua flor, mas a palavra de nosso Deus
permanece eternamente" Isaias 40:8.
"Toda Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a
repreensão, para a correção, para a educação na justiça" 2 Timóteo 3:16.
"E assim, a fé vem pela pregação e a pregação pela palavra de Cristo"
Romanos 10:17.

A VOLTA DE CRISTO
"Aguardando a bendita esperança e a manifestação da glória do nosso
grande Deus e Salvador Cristo Jesus" Tito 2:13.
"Amados, agora somos filhos de Deus, e ainda não se manifestou o
que havemos de ser. Sabemos que, quando ele se manifestar, seremos
semelhantes a ele, porque havemos de vê-lo como ele é" 1 João 3:2.
"Portanto, nada julgueis antes de tempo, até que venha o Senhor, o
qual não somente trará à plena luz as cousas ocultas das trevas, mas
também manifestará os desígnios dos corações; e então cada um receberá o
seu louvor da parte de Deus" 1 Coríntios 4:5.
"Porquanto o Senhor mesmo, dada a sua palavra de ordem, ouvida a
voz do arcanjo, e ressoada a trombeta de Deus, descerá dos céus, e os
mortos em Cristo ressuscitarão primeiro; depois nós, os vivos, os que
ficarmos, seremos arrebatados juntamente com eles, entre nuvens, para o
encontro do Senhor nos ares, e assim estaremos para sempre com o
Senhor" 1 Tessalonicenses 4:16-17.

PURIFICAÇÃO
"Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos
perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça" 1 João 1:9.
"Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos
comunhão uns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica
de todo pecado" 1 João 1:7.
"Mas ele foi transpassado pelas nossas transgressões, e moído pelas
nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas
suas pisaduras fomos sarados" Isaías 53:5.
"Com efeito, quase todas as cousas, segundo a lei, se purificam com
sangue; e sem derramamento de sangue não há remissão" Hebreus 9:22.
"No qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados,
segundo a riqueza da sua graça" Efésios 1:7.

VIDA ETERNA
"Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho
unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida
eterna" João 3:16.
"Em verdade, em verdade vos digo: Quem ouve a minha palavra e crê
naquele que me enviou, tem a vida eterna, não entra em juízo, mas passou
da morte para a vida" João 5:24.
"As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me
seguem. Eu lhes dou a vida eterna; jamais perecerão, eternamente, e
ninguém as arrebatará da minha mão" João 10:27-28.
"Estas cousas vos escrevi a fim de saberdes que tendes a vida eterna,
a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus" 1 João 5:13.

FAMÍLIA
"Ensina a criança no caminho em que deve andar, e ainda quando for
velho não se desviará dele" Provérbios 22:6.
"Dar-lhes-ei um só coração e um só caminho, para que me temam
todos os dias, para seu bem e bem de seus filhos" Jeremias 32:39.
"Honra a teu pai e a tua mãe (que é o primeiro mandamento com
promessa), para que te vá bem, e sejas de longa vida sobre a terra" Efésios
6:2-3.
"Filhos, em tudo obedecei a vossos pais; pois fazê-lo é grato diante do
Senhor" Colossenses 3:20.

MEDO
"Não temas, porque eu sou o teu Deus; eu te fortaleço e te ajudo, e te
sustento com a minha destra fiel" Isaías 41:10.
"O anjo, porém, lhes disse: Não temais: eis aqui vos trago boa nova de
grande alegria, que o será para todo o povo" Lucas 2:10.
"Mas Jesus imediatamente lhes falou: Tende bom ânimo! sou eu. Não
temais!" Mateus 14:27.
"Irmãos, quanto a mim, não julgo havê-lo alcançado; mas uma cousa
faço: esquecendo-me das cousas que para trás ficam e avançando para as
que diante de mim estão, prossigo para o alvo" Filipenses 3:13.
"Não que por nós mesmos sejamos capazes de pensar alguma cousa,
como se partisse de nós; pelo contrário, a nossa suficiência vem de Deus" 2
Coríntios 3:5.

FINANÇAS
"E o meu Deus, segundo a sua riqueza em glória, há de suprir em
Cristo Jesus, cada uma de vossas necessidades" Filipenses 4:19.
"Ora, se Deus veste assim a erva do campo, que hoje existe e amanhã
é lançada no forno, quanto mais a vós outros, homens de pequena fé?"
Mateus 6:30.

FRUSTRAÇÃO
"Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nele, e o mais ele fará"
Salmo 37:5.
"Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a
fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião
oportuna" Hebreus 4:16.
CÉU
"Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e
meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada" João 14:23.
"Depois nós, os vivos, os que ficarmos, seremos arrebatados
juntamente com eles, entre nuvens, para o encontro do Senhor nos ares, e
assim estaremos para sempre com o Senhor" 1 Tessalonicenses 4:17.
"Então já não haverá noite, nem precisam eles de luz de candeia, nem
da luz do sol, porque o Senhor Deus brilhará sobre eles, e reinarão pelos
séculos dos séculos" Apocalipse 22:5.

SANTIDADE
"Se alguém destruir o santuário de Deus, Deus o destruirá; porque o
santuário de Deus, que sois vós, é sagrado" 1 Coríntios 3:17.
"Por isso, retirai-vos do meio deles, separai-vos diz o Senhor; não
toqueis em cousas impuras; e eu vos receberei, serei vosso Pai, e vós sereis
para mim filhos e filhas, diz o Senhor Todo-poderoso" 2 Coríntios 6:17-18.
"Tendo, pois, ó amados, tais promessas, purifiquemo-nos de toda
impureza, tanto da carne, como do espírito, aperfeiçoando a nossa
santidade no temor de Deus" 2 Coríntios 7:1.

ESPERANÇA
"Pois tu és a minha esperança, Senhor Deus, a minha confiança
desde a minha mocidade" Salmo 71:5.
"O Senhor os ajuda e os livra; livra-os dos ímpios e os salva, porque
nele buscam refúgio" Salmo 37:40.
"Por intermédio de quem obtivemos igualmente acesso, pela fé, a esta
graça na qual estamos firmes; e gloriemo-nos na esperança da glória de
Deus" Romanos 5:2.
"Ora, a esperança não se confunde, porque o amor de Deus é
derramado em nossos corações pelo Espírito Santo, que nos foi outorgado"
Romanos 5:5.

SAÚDE
"Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa
fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito
intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis" Romanos 8:26.
"Amado, acima de tudo faço votos por tua prosperidade e saúde,
assim como é próspera a tua alma" 3 João 2.
"Ao aflito livra por meio da sua aflição, e pela opressão lhe abre os
ouvidos" Jó 36:15.
"Eis que eu sou o Senhor, o Deus de todos os viventes; acaso haveria
cousa demasiadamente maravilhosa para mim?" Jeremias 32:21.

SOLIDÃO
"Seja a vossa vida sem avareza. Contentai-vos com as cou-sas que
tendes; porque ele tem dito: De maneira alguma te deixarei, nunca jamais
te abandonarei" Hebreus 13:5.
"Pois o Senhor não há de rejeitar o seu povo, nem desamparar a sua
herança" Salmo 94:14.
"Porque se meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me
acolherá" Salmo 27:10.
"Respondeu-lhe: A minha presença irá contigo, e eu te darei
descanso" Êxodo 33:14.

NERVOSISMO
"Deixo-vos a minha paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a
dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize" João 14:27.
"Não te mandei eu? Sê forte e corajoso; não temas, nem te espantes,
porque o Senhor teu Deus é contigo, por onde quer que andares" Josué 1:9.
"Em me vindo o temor, hei de confiar em ti" Salmo 56:3.

PACIÊNCIA
"Esperei confiantemente pelo Senhor; ele se inclinou para mim e me
ouviu quando clamei por socorro" Salmo 40:1.
"Sede, pois, irmãos, pacientes, até a vinda do Senhor. Eis que o
lavrador aguarda com paciência o precioso fruto da terra, até receber as
primeiras e as últimas chuvas" Tiago 5:7.
"Ora, o Deus de paciência e consolação vos conceda o mesmo sentir
de uns para com os outros, segundo Cristo Jesus" Romanos 15:5.
"Mas os que esperam no Senhor renovam as «uas forças, sobem com
asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam"
Isaias 40:31. PAZ
"Quanto ao mais, irmãos, adeus! Aperfeiçoai-vos, conso-lai-vos, sede
do mesmo parecer, vivei em paz, e o Deus de amor e de paz estará
convosco" 2 Coríntios 13:11.
"Oh! Como é bom e agradável viverem unidos os irmãos!" Salmo
133:1.
"E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os
vossos corações e as vossas mentes em Cristo Jesus" Filipenses 4:7.

PERSEGUIÇÃO
"Bem-aventurados os perseguidos por causa da justiça, porque deles
é o reino dos céus" Mateus 5:10.
"Se perseveramos, também com ele reinaremos; se o negamos, ele por
sua vez nos negará" 2 Timóteo 2:12.
"Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós
eterno peso de glória, acima de toda comparação" 2 Coríntios 4:17.
"Em tudo somos atribulados, porém, não angustiados; perplexos,
porém não desanimados; perseguidos, porém não desamparados; abatidos,
porém, não destruídos" 2 Coríntios 4:8-9.

PRESENÇA
"Porque o Senhor Deus é sol e escudo; o Senhor dá graça e glória;
nenhum bem sonega aos que andam retamente" Salmo 84:11.
"Ensinando-os a guardar todas as cousas que vos tenho ordenado. E
eis que estou convosco todos os dias até à consumação do século" Mateus
28:20.
"Respondeu-lhe: A minha presença irá contigo, e eu te darei
descanso" Êxodo 33:14.

PRESERVAÇÃO
"Ora, aquele que é poderoso para vos guardar de tropeços e para vos
apresentar com exultação, imaculados diante da sua glória" Judas 24.
"Sois guardados pelo poder de Deus, mediante a fé, para salvação
preparada para revelar-se no último tempo" 1 Pedro 1:5.
"Porque eu estou bem certo de que nem morte, nem vida, nem anjos,
nem principados, nem cousas do presente, nem do porvir, nem poderes,
nem altura, nem profundidade, nem qualquer outra criatura poderá
separar-nos do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor"
Romanos 8:38-39.

PROTEÇÃO
"O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei medo? O
Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei?" Salmo 27:1.
"De Benjamim disse: O amado do Senhor habitará seguro com ele:
todo o dia o Senhor o protegerá, e ele descansará nos seus braços"
Deuteronômio 33:12.
"Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente nas
tribulações" Salmo 41:1.
"E por isso estou sofrendo estas cousas, todavia não me envergonho;
porque sei em quem tenho crido, e estou certo de que ele é poderoso para
guardar o meu depósito até aquele dia" 2 Timóteo 1:12.

RESSURREIÇÃO
"Num momento, num abrir e fechar d'olhos, ao ressoar da última
trombeta. A trombeta soará, os mortos ressuscitarão incorruptíveis, e nós
seremos transformados" 1 Coríntios 15:52.
"Disse-lhe Jesus: Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim,
ainda que morra, viverá" João 11:25.

DOENÇA
"E os seus discípulos perguntaram: Mestre, quem pecou, este ou seus
pais, para que nascesse cego? Respondeu Jesus: Nem ele pecou, nem seus
pais; mas foi para que se manifestasse nele as obras de Deus" João 9:2-3.
"Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa
fraqueza; porque não sabemos orar como convém, mas o mesmo Espírito
intercede por nós sobremaneira com gemidos inexprimíveis. E aquele que
sonda os corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a
vontade de Deus é que ele intercede pelos santos" Romanos 8:26-27.
"Por causa disto três vezes pedi ao Senhor que o afastasse de mim.
Então ele me disse: A minha graça te basta, porque o poder se aperfeiçoa
na fraqueza. De boa vontade, pois, mais me gloriarei nas fraquezas, para
que sobre mim repouse o poder de Cristo" 2 Coríntios 12:8-9.
"Está alguém entre vós sofrendo? Faça oração. Está alguém alegre?
Cante louvores. Está alguém entre vós doente? Chame os presbíteros da
igreja, e estes façam oração sobre ele, ungindo-o com óleo em nome do
Senhor. E a oração da fé salvará o enfermo, e o Senhor o levantará; e, se
houver cometido pecados, ser-lhe-ão perdoados." Tiago 5:13-15.

INSÔNIA
"Contudo, o Senhor, durante o dia, me concede a sua misericórdia, e
à noite comigo está o seu cântico, uma oração ao Deus da minha vida."
Salmo 42:8.
"Deito-me e pego no sono; acordo, porque o Senhor me sustenta."
Salmo 3:5.
"Em paz me deito e logo pego no sono, porque, Senhor, só tu fazes
repousar seguro." Salmo 4:8.

TRISTEZA
"Eis que arrebata a presa! quem o pode impedir? Quem lhe dirá: Que
fazes?" Jó 9:12.
"Os que confiam no Senhor são como o monte de Sião, que não se
abala, firme para sempre." Salmo 125:1.
"Mas ele sabe o meu caminho; se ele me provasse, sairia eu como o
ouro." Jó 23:10.

FORÇA
"Mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis
minhas testemunhas tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e
Samaria, e até aos confins da terra." Atos 1:8.
"Confiai no Senhor perpetuamente, porque o Senhor Deus é uma
rocha eterna." Isaías 26:4.
"Mas os que esperam no Senhor renovam as suas forças, sobem com
asas como águias, correm e não se cansam, caminham e não se fatigam."
Isaías 40:31.
"Prosseguiu ele e me disse: Esta é a palavra do Senhor a Zorobabel:
Não por força nem por poder, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos
Exércitos." Zacarias 4:6.

TENTAÇÃO
"Não vos sobreveio tentação que não fosse humana; mas Deus é fiel, e
não permitirá que sejais tentados além das vossas forças; pelo contrário,
juntamente com a tentação, vos provera livramento, de sorte que a possais
suportar." 1 Coríntios 10:13.
"Estas cousas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No
mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo."
João 16:33.
"Sujeitai-vos, portanto, a Deus; mas resisti ao diabo, e ele fugirá de
vós." Tiago 4:7.

SABEDORIA
"Se, porém, algum de vós necessita de sabedoria, peça-a a Deus, que
a todos dá liberalmente, e nada lhes impropera; e ser-lhe-á concedida."
Tiago 1:5.
"Irão muitas nações e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor, e
à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos
pelas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e a palavra do Senhor de
Jerusalém." Isaías 2:3.
"O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do
Santo é prudência." Provérbios 9:10.

Você também pode gostar