Você está na página 1de 5

11 Forças intermoleculares

• Por que alguns insetos podem andar sobre a água?


• Por que a cola cola? As ilustrações
estão fora de
• Como se formam as bolhas de sabão? escala. Cores
fantasia.

• Por que o óleo se espalha uniformemente na superfície da água?


Para responder a essas perguntas, precisamos saber o que mantém coesas as
moléculas de uma substância, entender por que elas não se separam em molécu-
las isoladas e descobrir o que as faz ficarem juntas.
Essas dúvidas começaram a ser desvendadas em 1873 por Johannes
Diederik van der Waals (1837-1923), que determinou as forças que se estabelecem
entre as moléculas. Essas forças, em sua homenagem, foram denominadas forças
de Van der Waals.
As principais forças de Van der Waals são forças de dipolo induzido (forças de
London), forças de dipolo permanente e ligações de hidrogênio.
As forças intermoleculares explicam muitas propriedades das substâncias,
como as temperaturas de fusão e de ebulição e a densidade.

Dipolo induzido
As forças de dipolo induzido são de fraca intensidade e ocorrem entre mo-
léculas apolares ou entre átomos de gases nobres quando estes se aproximam,
o que causa repulsão entre suas eletrosferas.
Lembre-se de que as
Essa repulsão provoca um movimento dos elétrons, que vão se acumular numa
eletrosferas dos
única região da molécula ou do átomo, deixando a região oposta com deficiência átomos contêm
de carga negativa. Cria-se assim um dipolo. elétrons e de que
A molécula ou o átomo em que se formou o dipolo induz as outras molécu- cargas elétricas de
mesmo sinal (no caso,
las ou átomos da substância a formar dipolos também, dando origem a uma
negativo) se repelem.
pequena força de atração elétrica entre elas.

repulsão elétrica dipolo induzido

Ilustração esquemática em cores fantasia sobre a formação de um dipolo


induzido entre átomos do gás nobre hélio (Z 5 2).

Esse fenômeno prossegue, dando origem a uma pequena força de


atração elétrica que sustenta os chamados cristais moleculares.
Ilustrações técnicas: Banco de imagens/Arquivo da editora

Algumas substâncias cujas moléculas se mantêm unidas por


forças de dipolo induzido, como o gás carbônico sólido (gelo-
-seco) e o iodo, sofrem sublimação porque a energia necessá-
ria para romper essas forças é pequena.

Modelo para o cristal molecular de dióxido de carbono, CO2, na fase sólida.

Ligações covalentes e forças intermoleculares 215


As ilustrações Dipolo permanente
estão fora de
escala. Cores As forças de dipolo permanente são forças de intensidade média
fantasia.
e ocorrem entre moléculas polares. Estabelecem-se de tal forma que
o átomo com caráter parcial negativo de uma molécula é atraído pelo
H11 Br1−
átomo com caráter parcial positivo da outra molécula.
Para substâncias na fase sólida, a formação do dipolo permanente
orienta a posição de cada molécula no espaço, formando os cristais
dipolares. Um exemplo é o brometo de hidrogênio, HBr, na fase sólida,
cujo cristal dipolar se encontra ilustrado ao lado.
As forças de dipolo permanente são bem mais fortes que as de
dipolo induzido. Por isso, a energia necessária para separar as molécu-
las ligadas por dipolo permanente é maior. Isso faz com que substâncias
cujas moléculas são unidas por forças de dipolo permanente tenham
maiores temperaturas de fusão e de ebulição do que aquelas cujas
moléculas são unidas por forças de dipolo induzido (comparando subs-
tâncias de valores aproximados de massa molar).

Ligações de hidrogênio
Representação esquemática As ligações de hidrogênio são forças intermoleculares de inten-
das forças de dipolo permanente
no brometo de hidrogênio. sidade alta. Ocorrem quando a molécula possui um átomo de hidro-
gênio ligado a um átomo de flúor, de oxigênio ou de nitrogênio
(elementos muito eletronegativos).
A ligação de hidrogênio se estabelece pela atração entre o átomo
de hidrogênio (polo 1) de uma molécula e o átomo de flúor, oxigênio
ou nitrogênio (polo 2) de outra molécula. Esse tipo de ligação forma
cristais dipolares.
Por ser uma força de atração muito intensa, a energia necessária para
separar as moléculas que fazem ligação de hidrogênio é bem alta, por isso
as temperaturas de fusão e de ebulição são proporcionalmente altas.
Outro dado interessante é que essa força é responsável pelo com-
portamento anômalo da água, ou seja, no estado de agregação sólido
a água é menos densa do que no estado de agregação líquido (o con-
trário do que ocorre com a maioria das outras substâncias).
Isso ocorre porque na fase sólida as ligações de hidrogênio fazem
com que as moléculas de água se arranjem em uma estrutura hexago-
Ilustrações técnicas: Banco de imagens/Arquivo da editora

nal bem rígida, como mostra a ilustração ao lado, e dessa forma ocupem
um espaço bem maior do que ocupariam na fase líquida, livres de tal
rigidez. É por esse motivo que o gelo flutua na água.
No fluoreto de hidrogênio, HF, essa força se manifesta de modo tão
intenso que muitos cientistas preferem representar essa substância
pela fórmula H2F2 ou até mesmo (HF)n, em que n representa um núme-
ro muito grande e indeterminado de moléculas interligadas (pratica-
mente uma macromolécula).
Mesmo que não confesse, é provável que você goste de assoprar
bolhas de sabão. E quem não gosta? Quer saber o segredo para obter
Representação esquemática
das ligações de hidrogênio
bolhas grandes que demoram a estourar? Ele pode estar relacionado
da molécula de água. às forças intermoleculares.

216 Capítulo 8
Experimento

Bolhas mais resistentes


Material necessário de mistura. Se possível, prepare a mistura e
• 1 medida de detergente para lavar louça deixe-a em repouso por uns dois dias antes de
• 1 medida de água utilizá-la.
• 1/2 medida de xarope de milho Mergulhe o aro na mistura, retire-o e
• 1 recipiente de boca larga (copo ou tigela) verifique se foi formado um filme no interior do
• 1 aro com suporte (com diâmetro menor que aro. Sopre cuidadosamente e divirta-se.
o do recipiente) feito com um pedaço de arame
grosso Investigue
1. Por que as bolhas de sabão são esféricas?
Como fazer
2. De que é constituído o xarope de milho? Qual
Prepare a mistura conforme o tamanho do
é o papel desse ingrediente na mistura?
recipiente e a quantidade que deseja utilizar. O
importante é respeitar a proporção (por exemplo, 3. Pesquise e proponha um substituto para o
100 mL de detergente, 100 mL de água e 50 mL xarope de milho.
de xarope de milho), certificando-se de que se- 4. Por que a mistura deve ficar em repouso antes
rá possível mergulhar o aro na quantidade final de ser utilizada?

Curiosidade
Tensão superficial da água
Uma propriedade importante da água é a Nos lagos, por exemplo, a tensão superficial
tensão superficial. da água sustenta a vida de duas comunidades
As moléculas de água fazem ligações de hi- de microrganismos: os nêustons (bactérias, fun-
drogênio entre si, por isso são fortemente atraí- gos e algas) e os plêustons (plantas superiores,
das umas pelas outras. Em um volume de água como aguapés e alfaces-d’água, e pequenos
líquida, há moléculas que ficam na superfície e animais, como larvas e crustáceos).
moléculas que ficam abaixo da superfície.
As moléculas que ficam abaixo da superfície Tatiana Bobkova/Shutterstock

fazem ligações de hidrogênio com moléculas que


se encontram em todas as direções: esquerda,
direita, à frente, atrás, acima e abaixo. As molé-
culas que ficam na superfície só fazem ligações
de hidrogênio com moléculas que se encontram
abaixo delas ou ao lado.
Essa atração para baixo e para o lado cria
uma força sobre as moléculas da superfície, cau-
sando a chamada tensão superficial, que funcio-
na como uma fina camada envolvendo o líquido.
A tensão superficial da água é a mais alta de
todos os líquidos, igual a 7,2 ∙ 109 N ∙ m –1.
É uma propriedade importante na fisiologia
das células e responsável por controlar certos A tensão superficial da água permite que
fenômenos de superfície. alguns insetos caminhem sobre ela.

Ligações covalentes e forças intermoleculares 217


Legenda da tabela:
Macromoléculas
Os compostos covalentes também podem formar macromoléculas que
carbono
são constituídas de um número muito grande de átomos, geralmente inde-
oxigênio terminado, ligados uns aos outros por ligações covalentes, originando uma
silício estrutura única. As macromoléculas formam os cristais covalentes ou cristais
alumínio
atômicos, que possuem altas temperaturas de fusão e de ebulição, além de
elevada dureza.
As ilustrações
estão fora de escala.
O quadro a seguir fornece alguns exemplos de macromoléculas importantes.
Cores fantasia.

Macromolécula Exemplos Características Estrutura cristalina

Cada átomo de carbono faz quatro ligações


Diamante covalentes simples com outros átomos de
carbono, originando uma estrutura tetraédrica.
Cn(s) O diamante é o material de maior dureza na
escala de Mohs (ver página 223).

Formadas
por um único
elemento
químico Os átomos de carbono fazem uma ligação
covalente dupla e duas ligações covalentes
simples, de modo que cada átomo de carbono se
Grafita encontra ligado a três outros átomos de carbono,
Cn(s) formando placas de hexágonos que são mantidas
juntas por forças de dipolo induzido. Os elétrons
da ligação dupla sofrem ressonância, por isso a
grafita conduz eletricidade.

Cada átomo de silício encontra-se ligado a quatro


Sílica átomos de oxigênio (por meio de ligações
simples), seguindo os vértices de um tetraedro
(SiO4)n(s) regular. Por sua vez, cada átomo de oxigênio
encontra-se ligado a dois átomos de silício.

Formadas
por elementos
Ilustrações técnicas: Banco de imagens/Arquivo da editora

químicos
diferentes
Quando puro, forma cristais hexagonais incolores
(safiras incolores), mas pode se apresentar
Coríndon em diversas cores ou tonalidades diferentes de
uma mesma cor, devido à presença de impurezas
(A,2O3)n(s) metálicas em sua composição. Por exemplo,
o rubi, vermelho vivo, contém crômio, e a safira,
azulada, contém cobalto ou titânio.

218 Capítulo 8
Retomando a notícia
A reportagem da página 197 fala sobre os diversos poluentes
encontrados em ambientes interiores, entre eles o amianto.
Você sabe o que é amianto e quais os problemas de saúde
que o uso desse material pode causar?
O amianto (do latim amiantus, ‘incorruptível’) é A indústria mundial do amianto é dominada pe-
uma fibra mineral natural sedosa, também conhe- la Rússia, que é a principal fabricante, responsável
cida por asbesto (do grego ásbestos, ‘incombustí- por 50% da produção global, seguida por China,
vel’) e de grande interesse para a indústria, por ser Brasil, Cazaquistão e Índia. Os dados são de um le-
um material de baixo custo, abundante e de exce- vantamento da International Ban Asbestos Secre-
lentes propriedades, como alta resistência mecâ- tariat (IBAS).
nica e térmica, incombustibilidade, boa qualidade Alguns estados brasileiros como São Paulo, Ma-
isolante, durabilidade, flexibilidade, indestrutibili- to Grosso, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Rio Grande
dade, resistência a ácidos, bases e bactérias, faci- do Sul e Pernambuco criaram leis proibindo a ex-
lidade de ser tecido, etc. tração, comercialização e uso do amianto.
Na natureza, o amianto é encontrado em duas Apesar disso — e mesmo após todos os países
formas: serpentinas (amianto branco, que corres- da Europa já terem proibido o seu uso —, o Brasil
ponde a cerca de 95% das formações geológicas) e continua sendo um dos maiores consumidores de
anfibólios (amiantos marrom, azul e outros). amianto, o que mostra que cidadãos de países mais
O amianto pode ser empregado para reforçar desenvolvidos não aceitam mais se expor a esse
utensílios cerâmicos, conferindo-lhes proprieda- material cujos riscos são bem conhecidos.
des refratárias. No século XIX, mais precisamente Fontes de pesquisa: Abrea – Associação Brasileira dos Expostos ao Amianto.
durante o período da Revolução Industrial, o Disponível em: <www.abrea.org.br/02amianto.htm>. Acesso em: 27 ago. 2015.
FONSECA, Acaua. Revista Exame. Disponível em:
amianto foi muito utilizado para isolar termica- <http://exame.abril.com.br/brasil/noticias/brasil-ainda-e-um-dos-
mente as máquinas e equipamentos, atingindo seu maiores-consumidores-de-amianto>. Acesso em: 25 ago. 2015.

ápice durante a Primeira e a Segunda Guerra Mun-


Ted Spiegel/Corbis/Latinstock

dial. Foi nesse período que começaram a aparecer


surtos de doenças logo associadas ao uso do
amianto, que se tornou um dos males industriais
mais estudados do século XX, ficando conhecido
como a “poeira assassina”.
Para manter a lucratividade de seus negócios,
os grandes produtores mundiais tentaram atribuir
toda a malignidade do amianto ao tipo dos anfibó-
lios (que correspondem a menos de 5% de todo o
amianto minerado no mundo), afirmando que a
extração e o uso da crisotila (amianto branco da
classe das serpentinas) é importante para as po-
pulações de baixa renda, que a utilizam na cons-
trução civil em produtos como telhas de amianto
e caixas-d’água, além de ser um material inofen-
sivo à saúde.
Depois de quase um século de estudos, porém,
são conhecidas doenças graves relacionados a am-
bos os tipos de amianto, como a asbestose (doença
crônica pulmonar de origem ocupacional), os cân-
ceres de pulmão e do trato gastrointestinal, e o Equipe removendo amianto de um edifício comercial
mesotelioma, tumor maligno raro. nos Estados Unidos da América em 1988.

Ligações covalentes e forças intermoleculares 219

Você também pode gostar