Você está na página 1de 5

LEVENFUS, R. S.

Avaliação dos Interesses Profissionais (AIP) / Rosane Schotgues


Levenfuz, Denise Ruschel Bandeira. – São Paulo : Vetor, 2009 – (Coleção AIP; v. 1).

CONSTRUTO

- Interesse profissional => “Neste teste, definimos interesse como preferência por atividades
laborais (Noronha, Santos & Sisto, 2007).” (p. 20).

TESTES

“(...) entre os diversos fatores que afetam a escolha de uma ocupação, é necessário que sejam
investigados os interesses. Esses são usualmente avaliados por meio de inventários.” (p. 26).

- Inventários => teste mais indicados => solicitam que o sujeito aponte gostos e aversões =>
comparam-se aos interesses de profissionais de diferentes carreiras.

CAMPOS DE INTERESSES

- “(...) inventários de interesses apontam áreas ou campos profissionais como orientação a


partir de sues resultados.” (p. 33).

- Campos de interesses do AIP:

A) Campo Físico/Matemático – CFM;

B) Campo Físico/Químico – CFQ;

C) Campo Cálculos/Finanças – CCF;

D) Campo Organizacional/Administrativo – COA;

E) Campo Jurídico/Social – CJS;

F) Campo Comunicação/Persuasão – CCP;

G) Campo Simbólico/Linguísticos – CSL;

H) Campo Manual/Artístico – CMA;

I) Campo Comportamental/Educacional – CCE;


J) Campo Biológico/Saúde – CBS.

PROPRIEDADES PSICOMÉTRICAS: PRECISÃO E VALIDADE

- Construção do instrumento: elaboração de frases referentes a práticas laborais comuns a


cada campo de interesse por Levenfus, inspirado no teste LIP, e baseadas em propostas
pedagógicas de cursos de graduação; análise de juízes de 200 itens (20 frases para cada um
dos 10 campos) feita por 3 doutores da área de Orientação Vocacional.

- Método: 325 folhas de marcação de participantes válidos; do ensino médio e do ensino


superior, quase meio a meio a distribuição entre sexo masculino e feminino; 15-39 anos.

- Procedimentos: CLE; coleta de dados pessoais; testagem (composta por graus de 1-5) feita
por psicólogas nas instituições de ensino e locais de estágio tanto de maneira individual,
quanto coletiva.

- Resultados: cálculo das médias e desvios padrões dos interesses dos sujeitos.

- Precisão: foi avaliada por uma análise de consistência interna (Alpha de Crombach), onde a
homogeneidade é verificada a partir de uma aplicação.

- Validade: Validade de conteúdo = avaliação de 3 doutores em Orientação Profissional em


uma escala de 1-5. Validade de critério = comparação dos resultados com sujeitos satisfeitos
em suas escolhas profissionais como evidenciação de validade do mesmo.

DESCRIÇÃO

-Constituição da Coleção AIP:

1- Livro de Instruções;

2- Livro de Aplicação:

2.1- Livro de exercícios com 100 pares, instruções no início, de atividades, sendo 20 de
cada campo, de maneira que os campos possam se confrontar com todos os outros e com ele
mesmo 2 vezes;

2.2- Folha de resposta: quadrado dividido na diagonal para responder interesse real ou
relativo;
2.3- Crivo de apuração folha vazada para ser colocada sobre a folha de respostas para
apurar na tabela do protocolo de levantamento as respostas para cada campo;

2.4- Protocolo de levantamento é composto por dados de identificação do sujeito, tabela


de registros reais, relativos e totais por campo e gráficos para registro de cada sexo; há
também um campo para observações adicionais “Observações”; enfim, este protocolo deverá
ser anexado à folha de respostas do sujeito.

APLICAÇÃO

1) Rapport

- O orientador(a) deve solicitar à pessoa no qual o teste será aplicado que ela escolha entre o
par de atividades do teste a opção que despertar maior interesse comparada à outra na folha de
respostas;

- Como marcar?

 Quadrado dividido TODO pintado de UMA atividade = será pintada a atividade que
despertar mais interesse;
 Quadrado dividido TODO pintado das DUAS atividades = interesse igual pelas duas
atividades.

- Não é permitido deixar de responder aos pares de atividades, nem marcar as duas opções
pela metade, caso essa possibilidade seja considerada pelo orientando, respectivamente, deve-
se decidir a “menos ruim” e optar pela que desperte mais atenção ou pelas duas.

2) Explicar da melhor maneira possível e utilizando exemplos do Caderno de Aplicação.


Em aplicações coletivas utilizar ferramenta auxiliar para auxiliar a explicação aos
orientandos.
3) Após o rapport, conferir se o sujeito entendeu as instruções e eliminar dúvidas.
4) Ordenar início do teste, e lembrar de dizer que não há tempo limite (geralmente dura
30 minutos).
5) Passível de aplicação individual e coletiva.
LEVANTAMENTO

 Crivo de apuração é colocado sobra a folha de respostas;


 Orientador(a) deve realizar a contagem de respostas reais e respostas parciais de
maneira separada, para transcrever elas nas lacunas da tabela do protocolo de
levantamento;
 Em seguida, deve-se somar separadamente o total das respostas de cada tipo (inteiras
e meias). Ex.: Total do CCF = 10 reais + 3 relativas = 13, e assim sucessivamente com
o restante dos campos.
 No gráfico, primeiro são pintadas as repostas inteirais/reais e acima delas são pintadas
as meias/relativas separadamente (duas respostas relativas não são iguais a um
quadrado dividido preenchido completamente no gráfico).
 Ao observar o gráfico é importante o psicólogo(a) observar a qualidade da
classificação, de acordo com o tipo de resposta do sujeito. Por exemplo, deve-se
pensar o porquê de tantas escolhas extremas e/ou forçadas; há alguma razão oculta?
(desmotivação por depressão, uso abusivo de drogas, vontade de adiar os estudos por
outra atividade etc).

OBS.: Continuação da tabela do preenchimento do protocolo de levantamento no tópico


de normas e classificação.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

- Vale ressaltar que admitindo a personalidade como um conceito dinâmico, a utilização de


testes não se baseia em uma pontuação taxativa, mas no sujeito. Assim, diante de hipóteses
qualitativas e quantitativas, é importante investigar como o sujeito significa seu interesse.

NORMAS E CLASSIFICAÇÃO

- Importante lembrar que após a constatação do total de interesse real mais relativo (Total
Geral), é preciso consultar a tabela de normas (do sexo masculino e do sexo feminino), para
verificar o percentil referente a tal campo de interesse do sujeito.

- Após constatado isso, de acordo com o valor percentil deve-se consultar a tabela de
percentis e classificação para o AIP, que irá indicar a relação de interesse com relação a
média. Por fim, a sigla que indica a relação com a média deve ser acrescentada à tabela de
protocolo de levantamento.