Você está na página 1de 4

Módulo Básico da Mídia Rádio

Íntegra do Tópico Na Escola

O Rádio na escola: é possível?

Ismar de Oliveira Soares


Coordenador do Núcleo de Comunicação e Educação da ECA/USP
(http://www.usp.br/nce)

Circulam pelo Brasil notícias cada vez mais


freqüentes de que o rádio tem sido escolhido como
um recurso privilegiado no processo educativo.
Algo que pode parecer até meio fora de moda,
diante do avanço das tecnologias digitais que
trouxeram o computador e a Internet para dentro
da escola. A paixão pelo rádio explica-se pela
descoberta de que sua linguagem tem sido capaz
de facilitar o ideal de muitos educadores de
construir um processo educativo a partir do lugar
onde seus estudantes se encontram.

Em projetos espalhados pelo Brasil, o rádio vem se


convertendo num ativo recurso tecnológico, capaz
de resgatar e valorizar a voz dos membros da
comunidade e suas formas de articular o
pensamento e expressar emoções,
independentemente das condições sociais,
econômicas e culturais dos sujeitos (professores, jovens aprendizes, agentes
culturais etc.) envolvidos nos processos de formação.

Fotos de jovens e adultos produzindo rádio.

1
Rádio na escola
Sob esta perspectiva e diante do desafio de inserir o rádio no
âmbito escolar, a Secretaria de Educação a Distância do MEC
mantém um programa especial, denominado “Rádio Escola”,
incentivando os educadores do país a inserirem a linguagem
radiofônica em suas práticas educativas. Vamos ouvir um
programa da "Rádio Escola".

Ilustração – Logotipo “Rádio-Escola”


(http://portal.mec.gov.br/seed/index.php?option
=content&task=view&id=155&Itemid=292).

Tocador: “Programa Rádio Escola”

Transcrição do áudio:

(Vinheta musical)
Hei, professor, tá na hora do Rádio Escola.
Chegou a hora de ficar no pé do rádio.
Esse programa foi criado pra você.
Tem boas dicas, venha logo se ligar.

Que é pra fazer da sua aula um prazer.


Rádio Escola em sintonia com o Professor-Alfabetizador.
(Fim da vinheta musical)

Locutor: Olá professor-alfabetizador.

Locutora: Olha, professor, vários vezes já falamos aqui que o aluno não chega
à sala de aula como uma tábula rasa, quer dizer, sem saber nada, não é?

Locutor: É verdade, Catarina, o aluno já sabe de muita coisa, por conta de sua
experiência de vida.

Locutora: Sim, e saiba que esse conhecimento deve ser considerado em todas
as atividades de leitura e escrita.

Locutor: E também para trabalhar a comunicação oral.

(Vinheta musical)
É garantir o futuro,
O prêmio do professor.
Saber que o seu aluno,
Será um vencedor.

Quem sabe ler e escrever,


Pode crer tem a posse da bola.
Tem dicas demais para você,
Se liga no Rádio Escola.
(Fim da vinheta musical)

Locutor: Professor, crie várias situações de conversação e apresentação oral


em sala de aula.

Locutora: Que tal pedir para que cada aluno fale um pouco de si? Por exemplo,
o lugar onde nasceu, como foi sua infância, como escolheu a sua profissão, as
cidades onde viveu.

2
Locutor: Além de exercitar a expressão oral, esse tipo de conversa contribui
para que o aluno reflita sobre a sua vida. E transforme os obstáculos em
oportunidades de aprendizagem.

Locutora: É importante que o assunto dessas conversas resulte em textos


individuais ou coletivos.

Locutor: Ou até na leitura de histórias de vida de outras pessoas em sala de


aula.
(Música instrumental de fundo)
Locutora: Anote aí uma dica importante, professor: para ajudar a melhorar a
capacidade de expressão, não é necessário corrigir o aluno diretamente
enquanto ele fala.

Locutor: Não. A melhor estratégia é fazer perguntas que conduzam o aluno a


dar todas as informações que seus ouvintes necessitam para compreender o
que ele está querendo dizer.

(Vinheta musical)
Tá muito bom,
Mas agora já estou indo embora.
Um outro dia a gente traz o Rádio Escola.
É um Programa que ajuda o professor.
Ele foi feito acreditando em você,

Que ajuda a plantar a semente do saber.


Rádio Escola em sintonia com o Professor-Alfabetizador.

Locutor: Produção - Secretaria de Educação a Distância, Ministério da


Educação.
(Fim da vinheta)

E foi para o MEC, após ler uma notícia sobre as iniciativas do governo federal para
ampliar o uso didático-pedagógico do rádio na escola, que a Profa. Divina Lúcia (Dilú)
fez, em 4 de outubro de 2005
(http://br.buscaeducacao.yahoo.com/mt/archives/2005/07/programa_educa.html), uma
pergunta direta: Gostaria de lançar em minha escola um projeto de educação através do
rádio instalado na escola. Como fazer? Como dar o ponta-pé inicial?

A pergunta da professora Dilú justifica-se pela falta de uma tradição definida sobre como
integrar o rádio ao cotidiano do ensino. Certamente Dilú quer uma resposta prática, uma
solução imediata para seu problema, com resposta a perguntas tais como:

• Quais os equipamentos necessários e como usá-los?


• A quem convocar para produzir os programas de rádio?
• Por onde começar o treinamento da equipe?

Como conhecer melhor e aprimorar a linguagem radiofônica?

O conjunto dos módulos sobre Rádio e Educação irá fornecer à mestra Dilú e a todos os
interessados nas mesmas questões os elementos indispensáveis para que criem projetos
pedagógicos baseados na linguagem radiofônica. (IOS)

Botão para Atividade 1 (a seguir)

3
Atividade 1

Nós e o rádio
Esta atividade introdutória pode ser considerada como uma
Descrição pequena enquete sobre a relação das pessoas com o rádio em seu
dia-a-dia.
Um pequeno questionário pode ser elaborado e distribuído ao grupo
de trabalho com o qual se pretende desenvolver atividades
educativas radiofônicas. Ele pode ser composto pelos cursistas do
módulo, colegas de escola ou — o que seria mais desejável — por
alunos.

Sugerem-se as seguintes questões:

1) Com que freqüência, habitualmente, ouço o rádio?


a. diariamente
b. de vez em quando
c. raramente

2) Quando ouço o rádio, eu…


a. concentro-me nesta atividade
b. tento ouvi-lo enquanto faço outras coisas
c. ligo e deixo tocar sem prestar muita atenção

3) Quando ouço o rádio, em que estou interessado?


Atividade a. educação (cursos)
b. informação (notícias)
c. diversão (música, humor)

4) Em minha escola, existem oportunidades para se ouvir o


rádio?
a. quase sempre
b. eventualmente
c. raramente ou nunca

5) Dentro de um projeto pedagógico, na minha opinião, o


rádio pode ajudar...
a. muito
b. um pouco
c. nada

Estas cinco questões podem ajudar a esclarecer o perfil de


ouvinte, de quem as responde, tanto no sentido geral, quanto no
que toca ao conhecimento específico do papel educativo do rádio.

Escreva as suas conclusões no fórum específico do tópico Na


Observações Escola e debata esse tema com seus colegas.