Você está na página 1de 2

FAMÍLIA Trichinellidae

GÊNERO Trichinella
ESPÉCIE Trichinella spiralis

CARACTERÍSTICAS BÁSICAS
É o agente causador da Triquinose uma infecção que existe no mundo todo sendo rara em países
como a França aonde os porcos são alimentados com legumes de raiz, são nematelmintos do grupo
dos nematoides, é um parasito pequeno com diâmetro do corpo uniforme mas aumenta
gradativamente para a região posterior, possui boca simples, essa espécie ainda não foi registrada no
Brasil.

Macho
Extremidade posterior com duas saliências cônicas ao redor da cloaca que se fixam na fêmea
durante a cópula, e entre as saliências existem quatro papilas com função sensorial e é desprovido
de espículos.

Fêmea
É vivípara, possui um ovário e um útero, possui a vulva na região esofágica.

CICLO BIOLÓGICO
Seus hospedeiros tanto definitivos quanto intermediários são os mamíferos, os mais acometidos são
os porcos domésticos e selvagens, o rato atua como reservatório deste parasito, no hospedeiro sua
localização na forma de larva fica encistada na musculatura e quando adulto se localiza no intestino
delgado.
A infecção ocorre com a ingestão de carne contendo cistos com larvas, as larvas encapsuladas
chegam ao estômago do hospedeiro são liberadas dos cistos no duodeno e realizam a primeira
muda, fazem três mudas no intestino e após cinco dias da infecção evoluem para adultos.
Os adultos tem vida curta, as fêmeas sobrevivem cerca de 10 a 15 dias, os machos adultos após
acasalamento são expulsos e as fêmeas invadem profundamente a mucosa intestinal e iniciam a
postura das larvas, as larvas alongadas chegam aos músculos penetram nas fibras musculares e se
tornam espiraladas dentro de um cisto fusiforme.

PATOGENIA
Geralmente os suínos são os responsáveis por transmitirem o Trichinella spiralis para os humanos
pois podem ingerir ratos contaminados com as larvas encistadas e o humano se contamina ao ingerir
a carne do suíno mal cozida ou mal assada. As larvas no músculo causam hipertrofia, multiplicação
nuclear e por volta de quinze dias atingem seu tamanho definitivo e se enrolam em forma de “8”
característica desta espécie, ocorre uma reação fibrosa no tecido do hospedeiro e após três semanas
a larva está envolvida pelo cisto.
PRINCIPAIS SINTOMAS
A manifestação de sintomas varia de acordo com a quantidade de larvas invasoras, os sintomas mais
comum são náuseas, diarréia, vômitos, cansaço, febre e dores abdominais seguido de
enfraquecimento.

PROFILAXIA
Medidas sanitárias e de higiene são indispensáveis para o controle de qualquer verminose, serviço
de inspeção deve ser rigoroso realizando exames rotineiros das carnes.

Referências adicionais:
Tavira LT (2002) Parasitologia in Microbiologia, vol 3.  Ferreira WFC e Sousa JCf (eds) pp 435-440. Lidel,
Lisboa

Você também pode gostar