Você está na página 1de 15

Faculdade de Tecnologia de São Paulo

COTAÇÃO

FUNCIONAL

RECURSOS INDUSTRIAIS 1
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Curso: Processo de Produção

Período: Manhã

Professor: Rufino

Cássio Marco Mendes Cunha

Luciano Ferrenha 042408-0

RECURSOS INDUSTRIAIS 2
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

RECURSOS INDUSTRIAIS

1. Escolher um desenho de um conjunto que seja preferencialmente produzido


seriadamente e cujos componentes estejam previamente cotados.

Desenho: Rodízio Giratório

O desenho de conjunto se encontra anexado ao trabalho (desenhos 03 e 04), onde


podemos conhecer todas as entidades que o compõem, além de ter uma visão global e
definitiva do conjunto.

O desenho dos componentes previamente cotados se encontra nos anexos (desenho 01 e


02).

2. Explicar e descrever detalhadamente o funcionamento deste conjunto

O funcionamento do conjunto é bem simples. Tal conjunto é suportado por uma base
que possui canais onde correrão as esferas que realizará o movimento giratório “ou
rotacional” do rodízio, as esferas são posicionadas e presas através de um calço de
esferas onde existirá uma folga entre a base o calço, que provocará o movimento
rotacional ao menor atrito possível entre os componentes envolvidos. A base, as esferas
e o calço estão presos por um parafuso sem cabeça, que por sua vez está preso a uma
porca sextavada. O braço de fixação do pino está soldado no calço, ele é responsável
pelo posicionamento do pino, que sustenta a roda. O movimento da roda é dado através
de um rolamento fixado entre a roda e o pino.
Este conjunto é bastante utilizado na industria para transporte de produtos entre
bancadas e/ou células de montagem, carda e descargas de matéria prima ou acabada. No

RECURSOS INDUSTRIAIS 3
Faculdade de Tecnologia de São Paulo
comercio tem sua utilização em lojas de conveniências, supermercados, lojas de
material de construção e similares onde médias e grandes cargas precisam ser
transportadas.
Possui grande capacidade de manobragem, versátil, silencioso em condições normais de
funcionamento, baixo índice de manutenção (em intervalos regulares deve-se lubrificar
o rolamento), grande desgaste da borracha da banda de rodagem, que está em contato
com o solo (logo o desgaste é dado pelo atrito entre o solo e a borracha.
Seu custo é relativamente baixo, onde facilita sua aquisição, podendo ser comprado o
conjunto todo (montado) pelo fabricante, ou separadamente, ficando a montagem por
conta do comprador.

3. Impor pelo menos 5 novas condições de funcionamento para o conjunto,


justificando-as e indicando-as do desenho de produto.

A) O parafuso sem cabeça, nunca deverá encostar na Banda de rodagem.


Caso o parafuso sem cabeça encoste na banda de rodagem, não será possível de forma
alguma, a movimentação da roda, deverá sempre movimentar-se livremente.

Cadeia Mínima de Cotas: f = -A - B + C + D + E

A = ??? FMin= -AMax-BMax+CMax+DMax+EMin FMax= -AMin-BMin+CMin+DMin+EMax


B = 50  0,5 11,5= -AMax-50,5+10,5+15,5+102,5 14,5= -AMin -49,5+9,5+14,5+103,5
C = 10  0,5 AMax= 66,5mm AMin= 63,5mm
D = 15  0,5
E = 103  0,5
f = 13  1,5
63,5  A  66,5 A = 66,5 03

B) Deve existir uma folga entre a face lateral da banda de rodagem e o


braço.
Caso a superfície lateral da banda de rodagem encoste no braço, a roda não se
movimentará livremente, pois além de empregar uma força extremamente superior para
a movimentação, ocorrerá também como conseqüência um grande desgaste da borracha.

RECURSOS INDUSTRIAIS 4
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Cadeia Mínima de cotas: f = A - B

A = 43  0,5 fMax = AMax + BMin fMin = AMin + BMax


B = ??? 7 = 43,5 + BMin 5 = 42,5 + BMax
f=61 BMin = 36,5 mm BMax = 37,5 mm
36,5  B  37,5 B = 37,5 10

C) Deve existir uma folga determinada entre o encosto e o calço das esferas
Está folga garante, que as esferas vão trabalhar de forma correta, garantindo o
movimento giratório do rodízio, impedindo o atrito entre as partes móveis.

Cadeia Mínima de cotas: f = A – B - C

A = 70  0,5 fMin = AMax- BMax - CMin fMax = AMin - BMin - CMax


B = ??? 1 = 70,5 – BMax – 26,5 3= 69,5 – BMin – 27,5
C = 27  0,5 BMax = 43 mm BMin = 39 mm
f=21
39  B  43 B = 43 04

RECURSOS INDUSTRIAIS 5
Faculdade de Tecnologia de São Paulo
D) Deve existir uma folga determinada entre a base e o calço das esferas.
Está folga garante, que as esferas vão trabalhar de forma correta, garantindo o
movimento giratório do rodízio.

Cadeia Mínima de cotas: f = A – B - C

A = 17 0,5 fMin = AMax - BMax - CMin fMax = AMin - BMin - CMax
B = ??? 0,5 = 17,5 - BMax - 1,5 3,5 = 16,5 - BMin - 2,5
C = 2  0,5 BMax = 15,5mm BMin = 10,5mm
f = 2  1,5
10,5  B  15,5 B = 15,5 05

E) Deverá existir uma folga entre a face lateral do pino e o braço


O comprimento do pino garante que o mesmo ultrapasse a espessura do braço da outra
extremidade, possibilitando a inserção de um anel elástico, afim de travar o pino no
conjunto.

Cadeia Mínima de Cotas: f = A – B - C - D - E

RECURSOS INDUSTRIAIS 6
Faculdade de Tecnologia de São Paulo
A= 118 0,5 fMin =AMax- BMin - CMax - DMin - EMin fMax =AMin- BMax -CMin - DMax - EMax
B =10  0,5 2,5 = 118,5 – 9,5 – CMax – 9,5 – 6,5 7,5 =117,5 –10,5 –CMin – 10,5 – 7,5
C= CMax = 90,5mm CMin = 81,5mm
D = 10 0,5
E = 7  0,5
f = 5  2,5
81,5  C  90,5 C = 90,5 09

4. Verificar se estas condições impostas estão garantidas com a cotação


original.

Como pode se observar o desenho original possui apenas cotas individuais, ou seja, por
elemento componente do conjunto, não há nenhum tipo de cotação no desenho de
conjunto.

Anexado ao trabalho, encontramos o desenho original (desenhos nº 01 e 02).

5. Em caso negativo, cotar funcionalmente o conjunto calculando as cotas


funcionais e respectivas tolerâncias, indicando-as no desenho de cada
componente isoladamente.

No desenho abaixo, está evidenciado as cotas com as suas respectivas tolerâncias das
folgas, referentes a cada condição de funcionamento proposta no item 3.

Anexado ao trabalho, encontramos outro desenho de conjunto (desenho nº 05), este com
as cotas componentes das condições de funcionamento do rodízio giratório.

6. Comparar esta cotação funcional com a cotação original, descrevendo


detalhadamente as diferenças entre elas e as eventuais vantagens da sua
proposta.

O primeiro ponto negativo foi que a cotação original não está disposta num desenho de
conjunto e sim separadamente peça por peça, não deixando claro quais são as cotas que
efetivamente deverão ser controladas.

RECURSOS INDUSTRIAIS 7
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

A proposta oferecida pela disciplina sempre foi em observar a condição de


funcionamento do conjunto, que da a idéia exata das cotas que deverão ser controladas,
evitando que cotas desnecessárias (que não influenciam na condição de funcionamento
do conjunto) sejam controladas a fim de garantir o menor custo operacional para a
fabricação da mesma.

Uma vantagem secundária que merece ser citada é a clareza e objetividade que o
desenho passa a ter utilizando esta metodologia, pois diminuindo o número de cotas do
desenho, o operador terá mais facilidade na leitura e interpretação do desenho, e maior
objetividade operacional, diminuindo consideravelmente os índices de retrabalho e/ou
refugo.

7. Classificar as condições de funcionamento impostas de acordo com a sua


importância para o conjunto, justificando os itens 1, 2, 3, 4, 5.

Classificação em ordem decrescente;

1. O parafuso sem cabeça, nunca deverá encostar-se à Banda de rodagem.


2. Deverá existir uma folga entre a face lateral do pino e o braço
3. Deve existir uma folga entre a face lateral da banda de rodagem e o braço.
4. Deve existir uma folga determinada entre o encosto e o calço das esferas
5. Deve existir uma folga determinada entre a base e o calço das esferas.

Justificativa:

A primeira condição realmente é essencial para o funcionamento do conjunto, caso o


parafuso encoste-se à borracha da banda de rodagem, o rodízio ficará travado,
impedindo sua utilização.

A segunda condição também é importantíssima, pois se o pino não ficar travado no


conjunto, por intermédio de um anel elástico, o pino poderá se soltar poderá haver jogo
entre o braço e a roda, e em ultima conseqüência o escape do próprio pino que soltará a
roda.

A terceira condição visa manter aprumado o roda a fim de evitar que o conjunto fique
desbalanceado, consumindo borracha apenas de um lado, pois esta condição garante que
os elementos envolvidos fiquem fixos e, por conseguinte a perpendicularidade entre a
banda de rodagem e o solo ou superfície que a contém.

A quarta condição não interfere diretamente com o movimento do rodízio e sim com a
direção que o conjunto poderá assumir. Se esta condição não for atingida, o conjunto
terá apenas dois movimentos possíveis, ir para frente ou para traz, perdendo em termos
práticos todos os graus de liberdade necessários para sua plena movimentação.

A quinta condição é similar a quarta, impedir o atrito entre as peças moveis,


possibilitando a colocação de esferas.
Condição 1

RECURSOS INDUSTRIAIS 8
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

f1=0.8+0.2-0.2

0.6 < f1 < 1.0

f1 = g1 – g2 =

f1 max = g1máx – g2 min =

1 = g1 – 9.9 =

g1máx = 1 + 9.9

g1máx = 10.9

f1min = g1min – g2máx =

0.6 = g1min – 10.1

0.6 + 10.1 = g1min

g1min = 10.7

RECURSOS INDUSTRIAIS 9
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Condição 2

f2=0.8+0.15-0.15

0.35 < f2 < 0.65

g1 = 10.9+0-0.2

f2 = g1 – g3 =

f2 max = g1máx – g3 min =

0.65 = 10.9 – g3=

0.65 – 10.9 = -g3

g3min = 10.25

f2min = g1min – g3máx =

0.35 = 10.7 – g3max

0.35 + 10.7 = g3max

g3max = 10.35

g3 = 10.35+0-0.1

RECURSOS INDUSTRIAIS 10
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Condição 3

d1=9+0-0.15

1.8 < f3 < 2.2

f3 = e1 – d1 =

f3 max = e1máx – d1 min =

2.2 = e1max – 8.85=

e1max = 11.05

f3min = e1min – d1máx =

1.8 = e1min – d1max

e1min = 10.80

RECURSOS INDUSTRIAIS 11
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Condição 4

d4=11+0.1-0.1

f4 = 7.05+0.15-0.15

6.9 < f4 < 7.2

f4 = c4 – d4 =

f4 max = c4máx – d4 min =

7.2 = c4max – 10.9 =

c4max = 18.1

f4min = c4min – d4máx =

6.9 = c4min – 11.1

c4min = 18.0

c4 = 18.1-0.1+0

d4 = 11.1+0-0.2

RECURSOS INDUSTRIAIS 12
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

Condição 5

b1=33.2+0-0.2

c5 = 45.1+0-0.1

1.6 < f5 < 2.4

f5 = d5 – b1 – c5 =

f5 max = d5máx – b1min – c5min =

2.4 = d5max – 33 - 45 =

d5max = 80.4

f5min = d5min – b1máx - c5max =

1.6 = d5min – 33.2 – 45.1

d5min = 79.9

d5 = 80.4-0.5+0

RECURSOS INDUSTRIAIS 13
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

CONCLUSÕES INDIVIDUAIS:

1) CÁSSIO MARCO MENDES CUNHA

RECURSOS INDUSTRIAIS 14
Faculdade de Tecnologia de São Paulo

2) LUCIANO FERRENHA

Em primeiro lugar, sobre a disciplina COTAÇÃO FUNCIONAL


conclui que é muito importante para o projetista no
esenvolvimento/projeto de um conjunto e por conseguinte de cada peça
que o compõe pois nos faz saber qual cota deve ser controlada e quais não
precisam ser , o que no final, acaba sendo mais importante para a
economia no custo operacional de fabricação da peça. Por isso, no
processo de fabricação o desenho do conjunto sempre ficará claro e
objetivo para o operador que irá construir a peça/conjunto ou mesmo para
outros projetistas, no caso de se precisar fazer uma modificação futura.
Já com relação ao nosso desenho apresentado, as condições de folga
que impusemos foram muito importantes para o perfeito funcionamento do
conjunto. Nas folgas superiores onde serão colocadas as esferas, é de
importante controle para o perfeito giro do conjunto garantindo assim
todos os graus de liberdade. Já a folga entre roda/parafuso e roda /braço
é importante o controle para não haver o travamento da roda. E por
último, o controle do pino pois se ficar curto, não se colocará o anel
elástico, e o pino sairá causando a desmontagem no conjunto.

RECURSOS INDUSTRIAIS 15

Você também pode gostar