Você está na página 1de 33

Diagnóstico de

Enfermagem -
CIPE

www.romulopassos.com.br 1

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


www.romulopassos.com.br 2

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Diagnóstico de Enfermagem (CIPE) – Parte I
ETAPAS DO PROCESSO DE ENFERMAGEM

Terminologia
É a linguagem usada para descrever algo específico; linguagem empregada em
determinada disciplina para a descrição de seus conhecimentos.

Diagnóstico Terminologia
Forma como se estrutura ou categoriza os diagnósticos Taxonomia

CIPE®
Durante o Congresso Quadrienal do CIE,
realizado em Seul, em 1989, foi votada e
aprovada a proposta para desenvolver um
Sistema de Classificação Internacional da Prática
de Enfermagem CIPE®
Início da Elaboração desde 1991 pelo
Conselho Internacional de Enfermagem (CIE).

www.romulopassos.com.br 3

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Em 1996, o CIE publicou a Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem
– Versão Alfa: Um Marco Unificador, construída pelas Classificações de Fenômenos e de
Ações de enfermagem.

www.romulopassos.com.br 4

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


1996 – Versão alfa: unificador, construída pelas Classificações de Fenômenos e de
Ações de enfermagem
1999 – Versão beta: multiaxial, Fenômenos de enfermagem, as Ações de
enfermagem e os Resultados de enfermagem

Novidades
Inclusão de 114 novos conceitos

- 91 conceitos pré coordenados (47


diagnósticos/resultados de
enfermagem e 44 intervenções de
enfermagem

- 23 conceitos primitivos (22 no eixo


foco e 1 no eixo meio)

- Total: 4.326 ocorrências

www.romulopassos.com.br 5

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Em Dezembro de 2008 a CIPE® foi aprovada para inclusão na família de
Classificações Internacionais da OMS (Organização Mundial de saúde) como uma
Classificação relacionada

CIPE®

É um sistema de linguagem de enfermagem unificada.


É um terminologia de composição para a prática de enfermagem que facilita o
desenvolvimento e o mapeamento cruzado entre os termos locais e terminologias
existentes

Conceitos organizadores

10 conceitos

Termos que, por seu caráter de


maior abstração, estabelecem as bases
para a disposição dos outros termos na
classificação

www.romulopassos.com.br 6

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Conceitos Pré-coordenados

- 1.915 conceitos

- Diagnósticos/ Resultados de
enfermagem

Conceitos primitivos
2.401 conceitos

www.romulopassos.com.br 7

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


www.romulopassos.com.br 8

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Diagnóstico de Enfermagem (CIPE) – Parte II

Terminologia combinatória
- Conceitos simples/primitivos/atômicos combinam-se em conceitos
complexos/pré-coordenados/moleculares
- CIPE®: os termos primitivos “sono” e “prejudicado” combinam-se no conceito
molecular “sono prejudicado”

Sono + Prejudicado

Modelo dos 7 Eixos CIPE®

Permite a composição de afirmativas organizadas em grupos significativos, de


modo que se tenha acesso rápido a conjunto de enunciados de:

Diagnósticos de enfermagem
Resultados de enfermagem
Intervenções de enfermagem

Diretrizes para a construção de diagnósticos


e resultados de enfermagem CIPE®
Incluir, “obrigatoriamente”, um termo do eixo Foco e um termo do eixo Julgamento
Incluir termos adicionais, conforme a necessidade, dos eixos Foco, Julgamento ou
de outros eixo.

Diagnóstico  Foco + Julgamento

Diretrizes para a construção de diagnósticos


www.romulopassos.com.br 9

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


e resultados de enfermagem CIPE®

NÃO SE DEVE INCLUIR NO DIAGNÓSTICO TERMOS:

Eixo Meio Maneira de se realizar ação


Eixo Ação processo aplicado a um cliente

EXEMPLIFICANDO...
Eixos: Termos:
Foco Incontinência urinária por esforço

Julgamento Presente

Cliente Paciente

EXEMPLIFICANDO...
Diagnósticos de enfermagem
(Paciente) Incontinência urinária por esforço presente

Resultados de enfermagem
Padrão de eliminação urinário melhorado

Diretrizes para a construção das


Intervenções de enfermagem CIPE®

Incluir, obrigatoriamente, um termo do eixo Ação

Incluir pelo menos um termo do eixo Foco

Incluir termos adicionais, conforme a necessidade, do eixo Ação, ou de qualquer outro


eixo

Intervenção Ação + Foco


Diretrizes para a construção das
www.romulopassos.com.br 10

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Intervenções de enfermagem CIPE®

Não incluir na intervenção:

Eixo Julgamento opinião clínica ou determinação


Relacionada ao foco da prática de enfermagem

EXEMPLIFICANDO...
Eixos: Termos:

Ação Orientar
Foco Cateterismo vesical
Cliente Família
Meios Material instrucional

EXEMPLIFICANDO...
Intervenção de enfermagem

Treinar cateterismo vesical com familiar utilizando sonda de nelaton

Supervisionar cateterismo vesical intermitente com familiar

www.romulopassos.com.br 11

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


(UFPB/CESPE) Em relação à terminologia da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem
(CIPE) e aos cuidados de enfermagem ao paciente portador de dor oncológica, julgue a assertiva abaixo:

1. A CIE recomenda para a composição das intervenções de enfermagem incluir um termo do eixo ação,
incluir pelo menos um termo alvo. Um termo alvo pode ser um termo de qualquer um dos eixos,
inclusive o eixo julgamento e pode incluir também termos adicionais, se necessário, do eixo ação ou de
qualquer eixo (CIE).

02 - (UFAL/COPEVE/2018) A CIPE® é uma das classificações utilizadas para operacionalizar o processo de


enfermagem na sistematização da assistência, sendo reconhecida internacionalmente por nomear,
classificar e associar fenômenos próprios do cuidado de enfermagem. Em quantos eixos relacionados
ao processo de enfermagem a CIPE® é estruturada?

a) 2 – Foco; Cliente.
b) 3 – Localização; Tempo; Cliente.
c) 4 – Julgamento; Ação; Tempo; Cliente.
d) 5 – Foco; Ação; Localização; Tempo; Cliente.
e) 7 – Foco; Julgamento; Ação; Localização; Meios; Tempo; Cliente.

(TJ-AL/CESPE/2012) Julgue os itens.

3. Na utilização do modelo de sete eixos da CIPE, devem-se incluir apenas os termos do eixo da ação na
elaboração do diagnóstico.

4. A segunda versão da Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem (CIPE) contém


diagnósticos positivos, negativos e de melhora.

(CS-UF/UFG/2018) O diagnóstico é a segunda etapa do processo de enfermagem, sendo fundamental


para o planejamento da assistência ao paciente. Nesta etapa, os enfermeiros podem utilizar linguagens
padronizadas, tal como

5. A CIPE®, que é um sistema de linguagem unificado da enfermagem, com uma terminologia funcional
para sua prática. Um de seus objetivos é homogeneizar vocabulários locais com terminologias existentes
mundialmente, como parte de uma infraestrutura de informação da enfermagem, para aprimorar a
assistência à saúde da população.

Planejamento de Enfermagem
www.romulopassos.com.br 12

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


ETAPAS DO PROCESSO DE ENFERMAGEM

www.romulopassos.com.br 13

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


III - A ETAPA DE PLANEJAMENTO DE ENFERMAGEM
Planejamento de enfermagem – determinação dos resultados que se espera
alcançar; e das ações ou intervenções de enfermagem que serão realizadas face às
respostas da pessoa, família ou coletividade humana em um dado momento do processo
saúde e doença, identificadas na etapa de diagnóstico de enfermagem

RESOLUÇÃO COFEN 358 DE 2009

PLANEJAMENTO DA ASSISTÊNCIA

PLANEJAMENTO

Planejar envolve:
Estabelecer prioridades

Fixar os resultados

Determinar as intervenções de enfermagem

Assegurar que o plano seja registrado com atenção

Alfaro-LeFevre, 2005

www.romulopassos.com.br 14

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Plano assistencial
x
Plano de cuidados
Plano Assistencial - Horta
É a determinação global da assistência de enfermagem que o ser humano deve
receber diante do diagnóstico estabelecido.
O plano assistencial é resultante da análise do diagnóstico de enfermagem,
examinando-se:
- Problemas de enfermagem as necessidades afetadas grau de dependência.

Diagnóstico de enfermagem X

Problemas de enfermagem
Necessidades afetadas
Grau de dependência

www.romulopassos.com.br 15

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Plano de cuidados - Horta
Plano de cuidados = PRESCRIÇÃO DE ENFERMAGEM

É o roteiro diário (ou aprazado) que coordena a ação da equipe de enfermagem


nos cuidados adequados ao atendimento das necessidades básicas e específicas do ser
humano.

Plano de Cuidados/Prescrição de enfermagem

A forma de apresentação irá variar de acordo com a metodologia empregada. Se


for usado o plano de cuidados este deverá ser precedido da enumeração dos cuidados
prioritários.
Segundo Lygia PAIM a prescrição deve ser redigida como um objetivo operacional
e o verbo utilizado sempre no infinitivo, traduzindo a ação correspondente ao nível de
dependência de enfermagem.

Prescrição de enfermagem
As prescrições de enfermagem têm como objetivo monitorar o estado de saúde
do paciente, a fim de minimizar riscos, resolver ou controlar um problema (diagnóstico
de enfermagem), auxiliar nas atividades da vida diária e promover a saúde

Prescrição baseada em evidências ATENÇÃO!!

Estar atento as características definidoras e os fatores relacionados!

Reverter os fatores etiológicos e solucionar os sinais ou sintomas

ATENÇÃO: Enfermeiros não prescrevem e nem tratam as condições clínicas, e sim


prescrevem CUIDADOS para as reações das condições clínicas que correspondem as
condições fisiológicas detectadas no paciente

www.romulopassos.com.br 16

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Sinais de sintomas

Como redigir uma Prescrição de enfermagem


Devem incluir a ação a ser realizada
(os verbos deverão estar no infinitivo), conter
uma frase descritiva, quem deve realiza-la
e assinatura do enfermeiro responsável por sua confecção.

Verbos passíveis de mensuração


(use-os na busca de especificidade)
Identificar Segurar Exercitar
Descrever Demonstrar Comunicar
Enunciar Perderá Levantar

www.romulopassos.com.br 17

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Listar Irá obter Sentar
Verbalizar Apresentar ausência de Discutir

Não usar  Saber Pensar Compreender Aceitar Valorizar Sentir

Prescrição de enfermagem
Não é aconselhável a prescrição pré formatada para serem completadas cuidado
individualizado e abordagem holística
Redigir em ordem de prioridade
Discutir com a equipe e com o paciente

www.romulopassos.com.br 18

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Planejamento de Enfermagem
PLANEJAMENTO

“ Intervenção é....

...qualquer tratamento, baseado no julgamento clínico e no conhecimento, realizado por


uma enfermeira para aumentar os resultados obtidos pelo paciente/cliente”

(McCloskey e Buleckek, 2004, p. 39)


Classificação das Intervenções de Enfermagem (NIC)

Fatores que interferem na seleção de uma intervenção:


Qualquer tratamento, baseado no julgamento e conhecimento clínico que o
enfermeiro realiza, para melhorar os resultados para o paciente

Cuidado direto
Cuidado indireto
Intervenção comunitária
Tratamento iniciado pelo enfermeiro
Tratamento iniciado pelo médico

O que é a NIC?

A NIC ou Classificação de Intervenções de


Enfermagem é uma classificação abrangente e
padronizada das intervenções realizadas pelos
enfermeiros (Dochterman & Bulechek, 2008).
É específica na medida em que caracteriza as
intervenções hospitalares.

www.romulopassos.com.br 19

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


NNN - NANDA, NIC &NOC
NANDA: Nursing diagnoses da North American
Nursing Diagnosis Association
NIC: Nursing Interventions Classification
NOC: Nursing Outcomes Classification

Ligações NNN

Intervenções de Enfermagem
 A NIC contém 7 domínios, 30 classes, 514 intervenções e mais de 12.000
atividades

www.romulopassos.com.br 20

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


www.romulopassos.com.br 21

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Processo de Enfermagem

Decisão das Intervenções

www.romulopassos.com.br 22

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Troca de gases ineficaz (NANDA)

(TJ-AL/CESPE/2012) A respeito da taxonomia de diagnósticos de enfermagem, julgue o item.

6. Na classificação dos resultados de enfermagem NOC (nursing, outcomes classification), os resultados


são enunciados como metas ou objetivos de enfermagem.

7. Na Taxonomia de Intervenções NIC (nursing intervention classification), o profissional de


enfermagem encontrará quatro grupos de atividades prescritas de acordo com a gravidade do
paciente.

8. (CS-UFG/UFG/2018) O diagnóstico é a segunda etapa do processo de enfermagem, sendo


fundamental para o planejamento da assistência ao paciente. Nesta etapa, os enfermeiros podem
utilizar linguagens padronizadas, tal como

a) a CIPE®, que é um sistema de linguagem unificado da enfermagem, com uma terminologia funcional
para sua prática. Um de seus objetivos é homogeneizar vocabulários locais com terminologias

www.romulopassos.com.br 23

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


existentes mundialmente, como parte de uma infraestrutura de informação da enfermagem, para
aprimorar a assistência à saúde da população.
b) a NANDA-I, que define os diagnósticos de síndrome como um agrupamento de sinais e sintomas de
vários diagnósticos de enfermagem que podem ou não ocorrer simultaneamente, são mais bem
tratados em conjunto e por meio de intervenções similares.
c) a NIC, que contém intervenções abrangentes, baseadas na opinião de experts que elaboram ações
de enfermagem, as quais devem ser utilizadas como prescrições de enfermagem pelos enfermeiros em
vários locais de atendimento.
d) a NOC, que é uma lista abrangente de escalas de medidas validadas e padronizadas, úteis na
descrição de resultados de pacientes que são influenciados pela prática de enfermagem.

9. (EBSERH/CESPE/2018) Julgue o seguinte item, a respeito do processo de trabalho do enfermeiro na


assistência à saúde.

As três classificações de enfermagem — NANDA, NIC e NOC — foram planejadas para serem utilizadas
apenas individualmente, a fim de colaborar nas etapas do processo de enfermagem, que são o
diagnóstico, o planejamento, a implementação e a avaliação.

10. (EBSERH/CESPE/2018) Julgue o seguinte item, a respeito do processo de trabalho do enfermeiro


na assistência à saúde.

Os erros mais comuns no raciocínio diagnóstico do enfermeiro são: definição do problema a partir de
dados insuficientes, ideia preconcebida quanto à resposta da pessoa examinada, omissão de pista
significativa e identificação de apenas um sintoma ou uma pista como diagnóstico.

11. (Câmara Legislativa do Distrito Federal/FCC/2018) Considerando as definições e classificação da


NANDA-I, após definir o diagnóstico de enfermagem e antes de determinar as intervenções
necessárias, o enfermeiro deve

a) analisar os domínios e as classes dos fatores relacionados.


b) classificar as características definidoras.
c) realizar a prescrição de enfermagem.
d) identificar os resultados desejados.
e) organizar a estrutura dos padrões funcionais.

12. (SEDS-TO/FUNCA/2014) Acerca das taxonomias NANDA, NIC e NOC, assinale a alternativa
INCORRETA.
a) Um dos objetivos das taxonomias é proporcionar uma linguagem comum para os enfermeiros
comunicarem o que fazem para outros enfermeiros, outros profissionais de cuidados de saúde e para
o público.

www.romulopassos.com.br 24

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


b) As taxonomias aceleram o desenvolvimento do conhecimento de enfermagem e facilitam o ensino
da tomada de decisões clínicas aos estudantes de enfermagem
c) Os resultados dos pacientes servem como o critério com base no qual é julgado o sucesso de uma
intervenção de enfermagem
d) Um diagnóstico de enfermagem é definido como qualquer tratamento com base no julgamento
clínico e no conhecimento, que é feito por um enfermeiro, para melhorar os resultados dos
pacientes/clientes

13. (FUNASG/FUNCAB/2015) A taxonomia da NANDA representa um sistema conceituai para


direcionar a classificação dos diagnósticos tendo como objetivo fundamental padronizar a
nomenclatura dos diagnósticos de enfermagem . Os diagnósticos encontram -se estruturados em:

a) fisiológico, psicossocial e ambiental.


b) eixos, definições e valores.
c) análise, intervenção e avaliação.
d) domínios, classes e conceitos diagnósticos.
e) doenças com características e relações.

(Secretaria de Estado de Educação/SEE-DF/CESPE|CEBRASPE/2017) Julgue os próximos itens, com


relação à sistematização da assistência de enfermagem (SAE).

14. Situação hipotética: João, com sessenta anos de idade, apresenta o seguinte diagnóstico de
enfermagem: mobilidade física prejudicada em decorrência da alteração na integridade de estruturas
ósseas e dor evidenciada por alterações na marcha e desconforto. Assertiva: Nesse caso, o resultado
esperado é que João apresente mobilidade física melhorada em uma semana.

15. O enfermeiro deve realizar o julgamento clínico a partir da avaliação dos dados subjetivos, como,
por exemplo, afirmações do paciente acerca de como ele se sente — “estou enjoado”, “sinto-me
disposto hoje” — e dos dados objetivos, como a informação obtida por meio de exame de raios X.

16. (PMMG/2014) Considerando as etapas do Processo de Enfermagem,


marque a alternativa CORRETA:

a) As intervenções de enfermagem são julgamentos críticos sobre as respostas do indivíduo, da família


ou da comunidade aos processos de vida e problemas de saúde reais ou potenciais.
b) O diagnóstico de enfermagem fornece a base para a seleção das intervenções de enfermagem,
visando a obtenção de resultados pelos quais a Enfermeira é responsável.
c) Os resultados esperados podem ser categorizados como independentes (prescritos pelo médico) e
dependentes (prescritos pela enfermagem) .
d) O planejamento dos cuidados descreve o comportamento mensurável do cliente ou da família,
apresentando um estado favorável após o fornecimento do atendimento de enfermagem.

www.romulopassos.com.br 25

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


(Secretaria de Estado de Educação/SEE-DF/CESPE|CEBRASPE/2017)

17. A Resolução COFEN n.º 358/2009 estabelece a mesma definição para planejamento e
implementação de enfermagem, uma vez que ambos os conceitos referem-se à determinação dos
resultados que se espera alcançar e à realização das ações determinadas.

Consulta de enfermagem
Consulta de enfermagem

" É uma atividade utilizada por profissionais capacitados para fornecer parecer,
instrução ou examinar determinada situação, afim de decidir sobre um plano de ação
sobre sua área de conhecimento em relação às necessidades apresentadas pelo
cliente.”

Lei 7.498/86
Dispõe sobre a regulamentação do exercício das enfermagem e dá outras
providências

Art. 11 – O enfermeiro exerce todas as atividades de enfermagem cabendo-lhe:

I - Privativamente:

i) Consulta de enfermagem;
j) Prescrição da assistência de enfermagem;

II – Como integrante da equipe de saúde:

c) Prescrição de medicamentos estabelecidos em programas de saúde pública e


em rotina aprovada pela instituição de saúde;

Resolução COFEN 159/93


DISPÕE SOBRE A CONSULTA DE
ENFERMAGEM
Revogada pela Resolução COFEN nº 544/2017
Revoga a Resolução Cofen nº 159/1993 - Consulta de Enfermagem.

www.romulopassos.com.br 26

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Resolução COFEN 272/2002

Consulta de Enfermagem
Compreende o histórico (entrevista), exame físico, diagnóstico, prescrição e evolução
de enfermagem.

Revogada pela Resolução COFEN nº 358/2009

Portarias do Ministério da Saúde


648/2006 e 1625/2007
SÃO ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS DO ENFERMEIRO:
II - conforme protocolos ou outras normativas técnicas
estabelecidas pelo gestor municipal ou de Distrito Federal,
observadas as disposições legais da profissão, realizada consulta
de enfermagem, solicitar consulta de enfermagem, solicitar
exames complementares e prescrever medicações;

Resolução COFEN nº 358/2009 - Dispõe


sobre a sistematização da assistência de
enfermagem e a implementação do
processo de enfermagem em ambientes,
públicos ou privados, em que ocorre o
cuidado profissional de enfermagem, e dá
outras providências.

Resolução 358/2009
Considerando a institucionalização da consulta de Enfermagem como um processo da
prática de Enfermagem na perspectiva da concretização de um modelo assistencial
adequado às condições das necessidades de saúde da população;

www.romulopassos.com.br 27

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Art. 1º O Processo de Enfermagem deve ser realizado, de modo deliberado e
sistemático, em todos os ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado
profissional de Enfermagem.
§ 2º – quando realizado em instituições prestadoras de serviços ambulatoriais de
saúde, domicílios, escolas, associações comunitárias, entre outros, o Processo de Saúde
de Enfermagem corresponde ao usualmente denominado nesses ambientes como
Consulta de Enfermagem.

ETAPAS DO PROCESSO DE ENFERMAGEM

Evolução da Consulta de enfermagem

www.romulopassos.com.br 28

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


18. (EBSERH/IBFC/2013) De acordo com a Resolução do COFEN nº 358/2009, o Processo de
Enfermagem, quando realizado em instituições prestadoras de serviços ambulatoriais de saúde,
domicílios, escolas, associações comunitárias, entre outros, corresponde ao que usualmente é
denominado de:

a) Assistência de Enfermagem.
b) Assistência Ambulatorial
c) Consulta de enfermagem.
d) Prescrição de Enfermagem

19. (AMAZUL/CETRO/2015) O Processo de Saúde de Enfermagem deve ser realizado, de modo


deliberado e sistemático, em todos os ambientes, públicos ou privados, em que ocorre cuidado
profissional de enfermagem, como instituições prestadoras de serviços de internação hospitalar,
instituições prestadoras de serviços ambulatoriais de saúde, domicílios, escolas, associações
comunitárias, fábricas, entre outros. Quando realizado em instituições prestadoras de serviços
ambulatoriais de saúde, domicílios, escolas, associações comunitárias, entre outros, o Processo de
Saúde de Enfermagem corresponde ao usualmente denominado nesses ambientes como

a) Classificação de Enfermagem.
b) Promoção de Enfermagem.
c) Plano de Enfermagem.
d) Intervenções de Enfermagem.
e) Consulta de Enfermagem.

(SEDF/CESPE/2017) No que se refere à consulta de enfermagem, julgue o item seguinte.

20. A consulta de enfermagem, uma atividade privativa do enfermeiro, tem como característica um
forte componente educativo, voltado à orientação de cuidados relacionados à promoção da saúde.

21. O enfermeiro deve comunicar-se de forma eficaz com o adolescente, estabelecendo um diálogo
respeitoso, que inclui medidas e orientações preventivas como elemento da consulta, a fim de
esclarecer questões de saúde e situações vulneráveis e promover o empoderamento e o protagonismo
do adolescente em decisões pertinentes aos cuidados com sua saúde.

22. (SEPLAG-MG/IBFC/2013) Um Enfermeiro que trabalha em unidade ambulatorial deve realizar o


processo de enfermagem:

a) De modo deliberado e sistemático, exclusivamente em ambientes públicos.

www.romulopassos.com.br 29

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


b) Que corresponde ao usualmente denominado nesse ambiente como Consulta de Enfermagem.
c) Que organiza-se em três etapas interrelacionadas: coleta de dados, prescrição de enfermagem e
implementação das ações de enfermagem.
d) Exclusivamente em pacientes idosos, gestantes e crianças.

23. (HUGG-UNIRIO/IBFC/2017) Sobre a Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE), analise as


afirmativas a seguir e assinale a alternativa correta.

I. O Processo de Enfermagem deve ser realizado, de modo deliberado e sistemático, em todos os


ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de Enfermagem.
II. O Processo de Enfermagem se organiza em seis etapas inter-relacionadas, independentes e não
recorrentes.
III. Quando realizado em instituições prestadoras de serviços ambulatoriais de saúde, domicílios,
escolas, associações comunitárias, entre outros, o Processo de Saúde de Enfermagem corresponde ao
usualmente denominado nesses ambientes como Consulta de Enfermagem.

Estão corretas as afirmativas:


a) I, II e III
b) I e II, apenas
c) I apenas
d) I e III, apenas
e) II e III, apenas

24. (EBSERH/AOCP/2015) Cuidados diretos de Enfermagem a pacientes graves e com risco de vida,
prescrição da assistência de enfermagem e consulta de enfermagem são

a) todas atribuições privativas do Enfermeiro.


b) atribuições que competem a toda a equipe de saúde.
c) atribuições que competem ao Enfermeiro e ao Técnico de Enfermagem.
d) atribuições que competem ao Médico e ao Enfermeiro.
e) em parte atribuições que competem ao Auxiliar de Enfermagem.

25. (EBSERH/AOCP/2015) Destaca-se como estratégia tecnológica de cuidado importante e resolutiva,


respaldada por lei, privativa do enfermeiro, que oferece inúmeras vantagens na assistência prestada,
facilitando a promoção da saúde, o diagnóstico e o tratamento precoces, além da prevenção de
situações evitáveis. O enunciado refere-se

a) aos cuidados de enfermagem. d) à consulta de enfermagem.


b) à triagem na enfermagem. e) à estratificação de risco.
c) à classificação de risco.

www.romulopassos.com.br 30

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


26. (IPEFAE/CISMARPA/2015) Sobre a “Consulta de Enfermagem", assinale a alternativa incorreta.

a) Através da Consulta de Enfermagem, o enfermeiro realiza atividades de prevenção no seguimento


da criança, do adolescente, da mulher e do idoso.
b) Durante a Consulta de Enfermagem há a possibilidade de direcionamento da assistência para o
autocuidado.
c) A realização deste tipo de consulta está legitimada como um instrumento de aplicação do Processo
de Enfermagem.
d) É utilizada pelo enfermeiro para atuar de forma indireta na tomada de decisões, visando melhoria
da assistência prestada.

www.romulopassos.com.br 31

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


Gabarito
1 – ERRADO 14 – CERTO
2–E 15 – CERTO
3 – ERRADO 16 – B
4 – CERTO 17 – ERRADO
5 – CERTO 18 – C
6 – ERRADO 19 – E
7 – ERRADO 20 – CERTO
8–A 21 – CERTO
9 – ERRADO 22 – B
10 – CERTO 23 – D
11 – D 24 – A
12 – D 25 – D
13 – D 26 – D

www.romulopassos.com.br 32

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22


www.romulopassos.com.br 33

Alice da Silva Caminha - 067.434.853-22

Você também pode gostar