Você está na página 1de 33

CURSO DE

REPARAÇÃO E
MANUTENÇÃO DE
COMPUTADORES

1
Índice
Modulo I
Definições e regras gerais
INTRODUÇÃO.....................................................................................................03
REGRAS GERAIS SOBRE REPARAÇÃO DE COMPUTADORES…………………03
EVITEM NA ÁREA DE TRABALHO............................................................04
Vestimenta para trabalhar com conserto de computadores...................04
Segurança dos componentes...................................................................04
Algumas regras são gerais.........................................................................04
Perigos Invisíveis.........................................................................................04
FERRAMENTAS PARA USO NO CONSERTO DE COMPUTADORES.................05

Modulo II
Constituição interna do computador
GABINETE........................................................... ...............................06
PLACA MÃE.............................................................................................................06
CHIPSET...................................................................................................................07
I. Ponte Norte...........................................................................................................07
Ponte Sul..................................................................................................................07
Barramentos............................................................................................................08
BATERIA.............................................................................................08
ENTRADA ................................................................................................................09

Modulo III
Disco duro e fonte de alimentação
DISCO RÍGIDO (HARD DISK)...............................................................................11
O QUADRO DE ORDEM DE GRANDEZA.............................................................11
DISCO RÍGIDO (HARD DISK)....................................................................13
O QUADRO DE ORDEM DE GRANDEZA..................................................14

Modulo IV
Perifericos de entrada e saida
MEMÓRIA........................................................................... ........16
Memórias Externas.....................................................................................16
Memória Internas.........................................................................................16
Placa De Vídeo............................................................................17
DirectX e OpenGL..................................................................................................17
Barramentos............................................................................................................17
PLACA DE SOM.......................................................................................................17
PLACA DE MODEM ................................................................................................18

PLACA DE REDE....................................................................................................18

Modulo V
Montagem e desmontagem de computador
INTRODUÇÃO............................................................................................................20
CONHECENDO O GABINETE...................................................................................20
INSTALANDO A FONTE............................................................................................21
FIXANDO A PLACA-MÃE..........................................................................................22
INSTALANDO A FONTE.............................................................................................23
FIXANDO A PLACA-MÃE...........................................................................................24
INSTALANDO O DISSIPADOR E O COOLER..........................................................25
INSTALANDO A MEMÓRIA RAM.............................................................................26
INSTALANDO A HD/CD/DVD....................................................................................27
INSTALANDO AS CONEXÕES DO PAINEL DE CONTROLE.............................................28
INSTALANDO AS PLACAS VÍDEO/REDE/SOM/MODEM...................................................29
CONFIGURAÇÃO DO CMOS SETUP...................................................................................30
INSTALAÇÃO DE SISTEMAS OPERATIVOS................................................................................32

Modulo VI
Avarias, Analises E resoluções
15 Avarias mais frequentes...........................................................................................33
Analise....................................................................................................................33
Resolução de problemas......................................................................................33

2
Definições

Modulo I e regras
gerais

INTRODUÇÃO

As funções de um computador podem ser resumidas pela seguinte figura:

Definição: um computador é uma máquina capaz de receber, processar, armazenar e dar


saída de informações.

A INFORMAÇÃO é qualquer coisa inserida no computador como voz, imagem,


vídeo, som, fotos, textos. O processamento fica por parte do hardware, mas
especificamente o processador.
A SAÍDA é o resultado desejado quando se usa um computador.
O ARMAZENAMENTO é o local onde desejamos gravar as informações do
computador.
Um COMPUTADOR é digital e usa ondas quadradas para representar uma
informação. Por usar ondas quadradas, esse pode expressar somente dois
valores com energia (sinal) ou sem energia (sinal). Pode-se representar como
referência os valores zero (0) e (1) um para expressar o sinal (1) e sem o sinal (0).

REGRAS GERAIS SOBRE REPARAÇÃO DE COMPUTADORES

AO CONSERTAR UM PC DEVEMOS TER EM CONTA:


1. Iluminação deve ser de boa qualidade;
2. Uma mesa ou uma bancada é o ideal para trabalhar com o conserto de
computadores.
3. Borracha isolante sobre uma bancada é uma boa prática para garantir a
segurança.
4. use um imã para colocar os parafusos desmontados para evitar perda de
parafusos.
5. Mantenha crianças e animais longe da sua área de trabalho;
6. Mantenha as ferramentas sempre fechadas e de fácil acesso com as
mãos;
3
EVITEM NA ÁREA DE TRABALHO:
1. Comer ou beber próximo ao local;
2. Deixar o ambiente sujo, pois limpo evita que os componentes possam pegar
a sujeira;
3. Luz natural é a melhor, caso contrário faça um pequeno cálculo da
iluminação, e nesse caso aumente um pouco mais para ter uma iluminação clara;
4. Certifique-se de ter uma tomada próximo ao local de trabalho e segura;
5. Evite trabalhar sobre locais com tapete;

Vestimenta para trabalhar com conserto de computadores

a) Roupas de algodão e sapatos emborrachados (ténis);


b) Evite roupas largas;
c) Cuidado com os óculos;
d) Remova todas as jóias;
e) Prenda os cabelos (rabos de cavalo);
f) No caso de uso de luvas, utilize luvas de algodão finas;
g) Utilize cremes para mãos e peles, muitas pessoas tem alergia com o
contacto com equipamentos de hardware

Segurança dos componentes

Os componentes de hardware devem ser manipulados com segurança para que


evitar queimas dos componentes e ferimentos na pessoa que o manipula.

Algumas regras são gerais:

a) Nunca jogue um componente de hardware


b) Nunca faça pressão para tentar dobrar um componente;
c) Nunca coloque um componente sobre outro componente de metal;
d) Mantenha o componente limpo e seco.

Perigos Invisíveis:

Campos magnéticos mantenha equipamentos que possam gerar ondas


electromagnéticas longe dos seus componentes de hardware como o HD (Hard
Disk ou disco rígido), pois além de queimá-lo pode apagar todos os dados inseridos
nesse componente.
Carga electrostáticas (ESD) – essa carga eléctrica (cerca de 3.000 volts) provoca
uma descarga de tensão que causa danos a equipamentos de informática.

Alerta: Um corpo humano pode carregar cerca de 25.000 volts de cargas


Estáticas

4
FERRAMENTAS PARA USO NO CONSERTO DE
COMPUTADORES
Chave de fenda, chave estrela, lupa, alicate, chave
TORX, pincel, álcool isoproprilico, multímetro, ar-
comprimido, massa termica, imã, cola quente.

5
Constituição

Modulo II
GABINETE
interna do
computador

Dentro do gabinete o ideal é ter refrigeração no seu máximo. Geralmente um


computador comum vem somente com uma única ventoinha na parte traseira do
computador quente para fora.

Lembre-se que a energia eléctrica gera calor, e não é diferente dentro do


computador. O processador gera muito calor e temos que ventilar o máximo
possível o interior do gabinete.

PLACA MÃE

6
A placa mãe é o caminho de envio de dados entre os periféricos do computador
como memória – processador, disco rígido-dvd.

A placa mãe muitas vezes é quem fornece energia eléctrica há periféricos com
placas de rede e modem. Uma placa mãe possui tamanhos variados de acordo
com o Gabinete e tipo determinado pelos padrões AT, ATX, ATX12V e BTX.

A placa mãe é composta por parte identificáveis onde deverão ser instaladas as
memórias, os processadores, os cabos de força, as placas de expansão. Numa
placa mãe as cores identificam os locais a serem instalados os elementos que
compõem o computador (componentes como memória, processador, cabo de
dados, cabo de força). Porém, não há um padrão. Depende do fabricante da
placa mãe.

SOCKET

Um soquete é um tipo de dispositivo mecânico instalado em uma placa mãe,


destinado a receber a CPU - o processador, sua nomenclatura refere-se ao
número de pinos que o mesmo poderá receber. Ex.: PGA 370 - só admite
processadores com 370 pinos.

CHIPSET

Chipset é o nome dado aos chips usado na placa-mãe.

I. Ponte Norte

O chip ponte norte, também chamado de MCH (Memory Controller Hub, Hub
Controlador de Memória) é conectado directamente ao processador e possui
basicamente as seguintes funções:

a) Controlador de Memória (*)


b) Controlador do barramento AGP (se disponível)
c) Controlador do barramento PCI Express x16 (se disponível)
d) Interface para transferência de dados com a ponte sul
e) (*) Excepto para processadores soquete 754, soquete 939 e soquete 940
(processadores da AMD, como é o caso do Athlon 64), já que nesses
processadores o controlador de memória está localizado no próprio processador, e
não na ponte norte.

A conexão entre a ponte norte e a ponte sul é feita através de um barramento.


Atualmente, o barramento PCI não é mais usado para esse tipo de conexão e
foi substituído por um barramento dedicado.

7
Ponte Sul

O chip ponte sul, também chamado ICH (I/O Controller Hub, Hub Controlador de
Entrada e Saída) é conectado à ponte norte e sua função é basicamente controlar
os dispositivos on-board e de entrada e saída tais como:

Discos Rígidos (Paralelo e Serial ATA)


Portas USB
Som on-board Rede on-board
Barramento PCI
Barramento PCI Express (se disponível)
Barramento ISA (se disponível)
Relógio de Tempo Real (RTC)

Barramentos

Um conjunto de linhas de dados tratadas como se fossem um único sinal no projeto


lógico.
Um conjunto de linhas com várias fontes e utilizações;
Um caminho p/ troca de dados entre dois ou mais circuitos. Exemplo: a
placa-mãe é composta por diversos tipos de barramento Principais
barramentos:

BATERIA

Esta bateria serve para manter as configurações da placa-mãe quando o


computador está d e sliga d o alimentando a memória de configuração (também
chamada CMOS) e alimentar o relógio de tempo real do micro (relógio que marca
a data e a hora).
Há três tipos de bateria que podem estar contidas numa placa-mãe e são
constituídas de três tecnologias distintas:
a) Níquel-Cádmio (NiCd);
b) NVRAM (Non-Volatile RAM);
c) Lítio (Li).

8
Hoje o tipo de bateria mais usado há muitos anos é a bateria de Lítio, que é uma
bateria redonda (do tamanho de uma moeda) e facilmente encontrada em
relojoarias e lojas de peças de computador. Para comprar uma bateria dessas,
basta procurar por uma bateria modelo CR2032.

PROCESSADOR

Principal componente de um computador. Processa todas as informações


necessárias para o funcionamento do computador.

ENTRADA SAÍDA

INFORMAÇÃO PROCESSAMENTO RESULTADO


CPU

A Intel e a AMD são os mais conhecidos fabricantes de processadores ambos


tiveram a sua evolução em termos de fabricação de processadores.

Os processadores são inseridos na placa mãe através de um soquete que é um


tipo de dispositivo mecânico instalado em uma placa-mãe, destinado a receber a
CPU - o processador, sua nomenclatura refere-se ao número de pinos que o
mesmo poderá receber. Ex.: PGA 370 - só admite processadores com 370 pinos.
Geralmente, o socket é específico para um determinado processador, valendo
somente para uma determinada placa mãe.

Diferença entre processadores:

a) Velocidade
b) Tipos de sockets
c) Memória Cache (built-in memory)
d) 32 its/Dual-Core/Quad-Core/hyper-threading/64-bit processadores
e) Família

Principais partes do processador:

a) Unidade de Controle: A Unidade de Controlo (UC) é responsável pela leitura e


sequenciação do programa de processamento.
b) Unidade Lógica e Aritmética: A Unidade Lógica e Aritmética é responsável,
como o seu nome indica pelas operações matemáticas, e pelas operações lógicas
(AND, OR, XOR, NOT, comparações, etc.)

9
Tabela de referência de Soquete x Pinagem.

Soquete 8 387  Pentium Pro

 Celeron
 Pentium III FC-PGA
Soquete 370 370  Cyrix III
 C3

Soquete 423 423  Pentium 4

Soquete 463 463  Nx586

 Pentium 4
 Celeron
 Celeron D
 Celeron M
 Core Duo
 Core Solo
Soquete 478 478  Pentium 4 Extreme Edition
 Pentium M
 Mobile Pentium III
 Mobile Celeron
 Mobile Pentium 4

 Core Duo
 Core Solo
 Pentium M
 Mobile Pentium III
Soquete 479
479  Mobile Celeron
(Soquete M)
 Mobile
 Pentium 4
 Celeron M

 Pentium 4
 Pentium 4 Extreme Edition
 Pentium D
Soquete 775
 Pentium Extreme Edition
(LGA775) 775
 Celeron D
(Soquete T)
 Core 2 Duo
 Core 2 Extreme

 Xeon
Soquete 603 603  Mobile Pentium 4

 Xeon
Soquete 604 604
 Xeon
Soquete 771 771

10
Itanium 2
Soquete 611 611
Athlon
Duron
Soquete
453 Athlon XP
462
Sempron
(Soquete
A)
Athlon 64
Sempron
Soquete 754 754
Turion 64

Athlon 64
Athlon 64 FX
Soquete 939 939 Athlon 64 X2
Opteron

Athlon 64 FX
Soquete 940 940 Opteron

Athlon 64
Athlon 64 FX
Soquete AM2 940 Sempron
Athlon 64 X2

Turion 64 X2
Soquete S1 638
Opteron
Soquete F 1.207
Pentium II (S.E.C.C.2)
Pentium III (S.E.C.C.2)
Slot 1 242
Celeron (S.E.P) (Cartucho)

Pentium II Xeon (S.E.C.C)


Slot 2 330 Pentium III Xeon

Athlon (Cartucho)
Slot A 242

11
Disco duro e fonte

Modulo III
DISCO RÍGIDO (HARD DISK)
de alimentação

O disco rígido é a unidade de armazenamento de dados que reside dentro do


computador. Ao Contrário da memórias RAM, os discos rígidos tem a
funcionalidade de armazenar os dados permanentemente até que esses dados
são excluídos ou lidos.

Distinguem-se geralmente as seguintes interfaces:


• IDE
• SCSI
• Serial ATA

Um disco rígido é constituído


não por um só um disco, mas
vários discos rígidos (em inglês
hard disk significa disco duro)
em metal, vidro ou cerâmica,
empilhados uns sobre os outros
a uma distância muito reduzida
e chamados bandejas (em
inglês platters).

O computador funciona de maneira binária, ou seja, os dados são armazenados


sob a forma de 0 e 1 (chamados bits). Existe nos discos rígidos milhões destes bits,
armazenados muito próximos uns dos outro sobre uma fina camada magnética de
alguns de mícrons de espessura, estando esta revestida de um filme protector.

A leitura e a escrita faz-se graças a cabeças de leitura (em inglês heads) situadas
de uma lado e outro de cada uma das bandejas. Estas cabeças são electroímãs
que se baixam e se levantam para poder lerem a informação ou escrevê-la. As
cabeças estão a apenas alguns mícrons da superfície, separadas por uma camada
de ar provocada pela rotação dos discos que cria um vento que sopra a cerca de
250km/h! Além disso, estas cabeças são lateralmente móveis a fim de poder
varrer o conjunto da superfície do disco.

O QUADRO DE ORDEM DE GRANDEZA


Grandeza Valor
ORDEM DAS GRANDEZAS:
Bit 0e1
bit < Byte < KB < MB < GB < TB.
Byte 8 bits

1.000 Bytes 1KB

1.000.000 Bytes 1MB

1.000.000.000 Bytes 1 GB

1.000.000.000.000 Byte 1 TB

Tipos de disco rígidos

12
Existem praticamente dois tipos de discos rígidos: interno e externo.

Fonte do computador
A fonte do computador é a fonte de energia que alimenta tudo dentro do
computador. O consumo de energia é em WATTS que é a unidade de potência

A parte mais perigosa de um computador é a fonte que é alimentada por uma


tensão de 110 V ou 220 V. Por essa razão, deve-se ter uma área limpa e
organizada para a tarefa de consertar um computador. Na maioria do tempo (95%),
o computador pode ser consertado sem estar ligado à tomada (110 V ou 220 V).

Para sabermos qual a potência correcta de uma fonte de energia de um


computador devemos fazer o cálculo de todos os componentes interno usado s no
computador específico.
O quadro na página anterior mostra uma lista como exemplo de potência das peças
internas de um computador.
Um importante ponto é a chave de alimentação
correcta existente no verso da fonte. Essa chave
ajusta a fonte para ser alimentada por uma tensão
de 110V-127V a 220V-230V.

As fontes podem ser de três tipos:

 AT (Advanced Technology) ,
 ATX (Advanced Technology Extended ) - ATX (12 V)
 BTX ( Balanced Technology Extended).

As fontes AT são usadas em computadores mais antigos contém 12 pinos, as


fontes ATX são usadas em computadores mais recentes 20 pinos, as vezes um
outro plug com 4 pinos para usados para alimentação extra dos processadores
mais potentes chamada de ATX12V, e as fontes BTX são usadas mais
recentemente para os computadores, os pinos extras são necessários para
alimentar os barramentos PCI Express tem 24 pinos, as vezes com uma pinagem
auxiliar de 8 pinos.
13
O SINAL POWER GOOD
O sinal Power Good é uma protecção para o computador. Sua função é comunicar
à máquina que a fonte está apresentando funcionamento correcto. Se o sinal Power
Good não existir ou for interrompido, geralmente o computador desliga
automaticamente. Isso ocorre porque a interrupção do sinal indica que o
dispositivo está operando com voltagens alteradas e isso pode danificar
permanentemente um componente do computador. O Power Good é capaz de
impedir o funcionamento de chips enquanto não houver tensões aceitáveis.
O Power Good é um recurso existente já no padrão AT. No caso do padrão
ATX, seu sinal recebe o nome de Power Good OK (PWR_OK) e sua existência
indica a disponibilização das tensões de 5 V e de 3,3 V.

Ligando uma fonte sem placa-mãe

A ligação de uma fonte ATX/BTX é feita


através de jumpeamento dos pinos VERDE e
qualquer um PRETO.

Uma fonte AT – pode ser ligada através


dos 4 fios. Os fios são: preto, castanho, branco e azul. O importante na fonte
AT é a posição dos pólos. No plug (botão de liga e desliga) conecte os fios de
um mesmo lado em paridade, ou seja, de um lado azul e branco e do outro lado
castanho e preto.

14
Como testar uma fonte de alimentação?

Em casos geral basta colocar uma outra fonte que esteja em boas condições e se o
computador funcionar então é a fonte de alimentação com defeito, mas se o
problema está na placa mãe como saber se a fonte também está danificada?
Uma boa solução é colocar a fonte em outro computador e testaria se iria
funcionar, b o m este último não é o procedimento indicado, pois e se a fonte está
com as saídas dos plugues para a placa mãe com tensões erradas e ela esteja
acima do padrão correcto isso pode danificar a sua placa de teste e assim é
prejuízo certo
.
Usando o multímetro podemos fazer uma tabela para testar os valores de saída de
uma fonte AT, ATX ou BTX e fazer a comparação com a tabela ideal.

Como uma fonte tem uma tensão contínua no máximo de 12V, então deve-se
colocar a escala do multímetro na escala de 20 V da fonte.
Faça uma conexão (jumpeamento) de ligação para o tipo de fonte a ser medida (
AT, ATX, BTX).
Lembre-se que o multímetro possui ponteiras pretas (negativo) e vermelhas
(positivo).

Faça a medição conforme a figura:

15
Perifericos

Modulo IV
MEMÓRIA
de entrada
e saida

Há dois tipos de memórias as chamadas memórias internas e as externas.

Memórias Externas:

 Memória de massa
 Grandes quantidades de informações
 Armazenam as informações por grandes períodos
 Menor custo por bit armazenado
Exemplos: Fitas magnéticas, discos magnéticos, tambores magnéticos, e etc.

Memória Internas:

• Memórias bipolares e de metal-óxido-semicondutor (MOS)


• Alta velocidade.

Tipos de memória de armazenamento no computador

RAM – Random access memory, ue permite ao processador tanto a


leitura quanto a gravação de dados e perde informação quando não há
alimentação elétrica
ROM – Read only memory, que permite apenas a leitura dos dados e
não perde informação na ausência de energia
Memória Virtual, memória usada utilizando o espaço livre do disco
rígido.

Observação: O Processador é mais rápido que a memória, por essa razão diversas
técnicas são implementadas para aumentar a velocidade de acesso a memória:
• Wait State – Tempo de espera
• Sub utilização do processador
• Cache de memória – Solução nem sempre eficaz (controlador não é tão
rápido quanto a necessidade do processador)
• Invento de novas tecnologias de RAM

PLACA DE VÍDEO

As placas de vídeo são itens de hardware


responsáveis pela geração das imagens que são
exibidas na tela do computador (incluindo videogames,
smartphones, etc).

16
DirectX e OpenGL

APIs (Application ProgRAMming Interface) direcionadas às aplicações gráficas,


que são, basicamente, conjuntos de instruções ― pré-prontas que permitem a
programadores a criação de conteúdo gráfico de maneira mais rápida e fácil. APIs:
DirectX (Microsoft) e OpenGL (aberta).

Barramentos

As placas de vídeo fazem a comunicação com o c o m p u t a d o r através de


barramentos. Existem várias tecnologias como ISA, AGP, PCI e PCI Express.

Conectores de vídeo

A conexão entre o monitor ou TV’s e o


computador é feita através de conectores.
Padrões utilizados para isso: conectores VGA
(Vídeo Graphics Array) e DVI (Digital Vídeo
Interface).

O VGA, cujo conector, na verdade, se chama D-


Sub, é composto por um conjunto de até 15
pinos. Os conectores VGA são usados por
padrão em monitores do tipo CRT (Cathode Ray
Tube) e monitores LCD (Liquid Crystal Display).

Placas mais actuais trabalham com conexões


HDMI(High-Definition Multimédia Interface)
(HDMI) é uma interface totalmente digital de
áudio e vídeo capaz de transmitir dados não
comprimidos .

PLACA DE SOM
As placas de som são dispositivos responsáveis por prover o áudio gerado em seu
computador. Nos PC’s AT’s só existia um dispositivo sonoro presente em alguns
computadores era o ― PC Speaker.

As placas de som são constituídas por dispositivos com um ou mais chips


responsáveis pelo processamento e emissão do áudio gerado pelas aplicações.
Operam com sinais sonoros digitais. Os conversores denominados ADC (Analog-to-
Digital Converter Conversor Analógico-Digital) e DAC (Digital-to-Analog Converter
Conversor Digital-Analógico).A esses de digitalização dos sinais sonoros.

Canais de áudio

Os canais de áudio indicam quantas caixas de som você pode conectar na placa.

Conexões

17
As placas de som podem ter vários tipos de conexões. Os tipos de conexão mais
comuns:
MIC: entrada para microfone;
Line-In: entrada para conectar aparelhos sonoros, como um rádio, por
exemplo;
Line-Out: entrada para conectar caixas de som ou fone de ouvido;
Speaker: nesta entrada, pode-se ligar caixas de som sem
amplificação;
Joystick/MIDI: entrada para ligar joystick (controle para jogos) ou instrumentos
MIDI;
SPDIF(Sony/Philips Digital Interface): entrada para conexão de aparelhos
externos.

Rosa MIC
Azul Line-In
Verde Line-Out
Preto Speakers
SPDIF e
Laranja
Subwoofer

PLACA DE MODEM

Modem, de m o d u l a d o r de (s) modulador, é um dispositivo electrónico que


modula um sinal digital em uma onda analógica, pronta a ser transmitida pela linha
telefónica, e que de modula o sinal analógico e o reconverte para o formato digital
original. Utilizado para conexão à Internet ou a outro computador.

Velocidade do Modem

A velocidade é a taxa de transmissão de dados dada em bits por


segundos (bps).

PLACA DE REDE

Também chamado adaptador de rede ou NIC é um dispositivo de hardware


responsável pela comunicação entre os computadores em uma rede.
A placa de rede é o hardware que permite aos computadores
conversarem entre si através da rede. Sua função é controlar todo o envio e
recebimento de dados através da rede. Cada arquitectura de rede exige um tipo
específico de placa de rede, sendo as arquitecturas mais comuns a rede em
anel Token Ring e a tipo Ethernet.
18
TECLADO

O teclado de computador é um tipo de periférico utilizado pelo usuário para a


entrada manual no sistema de dados e comandos.
O meio de transporte dessas informações entre o teclado e o computador pode ser
sem fio (ou wireless) ou a cabo (PS/2 e USB).

Rato
O rato (português brasileiro) é um periférico de entrada que, historicamente, se
juntou ao teclado como auxiliar no processo de entrada de dados, especialmente em
programas com interface gráfica.

O mouse é normalmente ligado ao computador através de uma porta serial, PS2


,nte, USB (Universal Serial Bus). Nos notebooks existem os touchpad e os trackball
para jogos. Há também as conexões sem fio como infravermelho e Bluetooth.

19
Montagem e

Modulo V MONTAGEM DE UM COMPUTADOR


desmontagem
de computador

INTRODUÇÃO

Um computador básico possui as seguintes características:

 Gabinete
 Fonte de alimentação
 Placa-mãe
 Cooler
 Dissipador
 Memória
 Discos de armazenamentos (CD/DVD/HD/FLOPPY-absoleto)
 Placas: vídeo, som, rede, modem

Um computador pode ter seus componentes diretamente instalados na placa-mãe


(on-board) e totalmente instalados através de placas (off-board).

Relembrando alguns critérios de uma boa montagem:

Área limpa e segura;


Peças distribuídas na área de montagem com segurança;
Verificar os encaixes corretamente,
Não ligar a máquina antes do último check-up.

CONHECENDO O GABINETE
O gabinete ou case é onde é instalado todos os componentes internos como
placa-mãe, fonte, HD, DVD, etc. Lembre-se que o gabinete deve ser muito
refrigerado, com facilidade na abertura e funcionalidades como som e USB frontais.

Abrindo o gabinete Abrindo o gabinete

20
Removendo a parte de inserção do HD Removendo a parte de inserção do
Floppy

O gabinete após a remoção das áreas Remoção das partes traseiras de


fixação

Obs. Importante ter a noção que cada gabinete tem suas particularidades. O modelo acima
demonstra o cuidado geral que devemos ter na montagem a desmontagem de uma máquina.

INSTALANDO A FONTE
Lembre-se que basicamente temos dois tipos de fontes, pelo menos as mais
comuns: fonte AT de 12 pinos mais usados em computadores antigos e ATX (12V)
usadas e computadores mais actuais.

Posicionando a fonte

Fixando a fonte no gabinete

21
FIXANDO A FONTE NO GABINETE

Obs.: importante observar o chaveamento 115/230 V na traseira da fonte se corresponde à


voltagem do local onde o computador ser ligado.

FIXANDO A PLACA-MÃE

A placa-mãe é fixada no gabinete no suporte da placa-mãe ou diretamente no


gabinete através de parafusos ou espaçadores de fixação.

Fixador de parafuso e furo da placa mãe Fixando com parafuso

Espaçadores de plástico e ferro

22
PLUGANDO A FONTE NA PLACA-MÃE

A fonte AT é plug considerando a posição dos conectores P8/P9 com os fios


pretos para dentro e um ao lado do outro. A fonte ATX possui um
conector com presilha e de fácil entendimento. Importante observar que
algumas placas contém um terminal extra de alimentação de 12V.

Plugs fonte AT e ATX Plug 12V

Obs.: Outro fator muito importante é conhecer o layout da placa-mãe, ou seja, os


barramentos de expansão e as pinagens com relação a uma placa onboard.

Layout 2
Layout 1

INSTALANDO PROCESSADOR

Importante frisar que o processador possui um lado correcto na instalação no


soquete da placa mãe.

Cada processador vem acompanhado de um dissipador de calor e um cooler. O


encaixe do processador dependerá do tipo de processador que estará usando. A
maioria dos processadores são de soquetes, porém os antigos Pentium II e
Pentium III possuíam os processadores tipo slot A que eram parecidos com
cartuchos.
Os dissipadores fixam entre o processador e o cooler. O cooler e o dissipador têm a
finalidade de refrigerar o processador, pois o mesmo tende a esquentar conforme o
uso.

23
Há também as ventoinhas de gabinetes que geralmente são instalados e
conectados ao gabinete e à placa mãe na alimentação secundária de ventoinhas
(FAN).

Identificando o lado de encaixe correcto do


Processador Soquete do processador

Pinos do processador Haste fixadora do processador

Soquete do processador

Fixando o processador

Processador no lugar
Haste presa

Obs. Todo p ro ce ssa d o r tem sua Marca de posicionamento. Inclusive no


soquete da placa mãe.

INSTALANDO O DISSIPADOR E O COOLER

24
O dissipador é instalado em cima do processador e acima do dissipador o cooler.
Todo cooler é alimentado pelo conector próximo ao soquete do processador
chamada geralmente de CPU FAN.

Cooler + dissipador

CPU FAN (pinagem)

A pasta térmica é usada para refrigeração do processador e geralmente é


espalhada em cima do processador ou no fundo do dissipador.

Pasta térmica
Pasta térmica

Pasta térmica Pasta térmica

25
Lateral de fixação da presilha
c do dissipador
ou Cooler

Conector da CPU
FAN

Lateral de fixação da presilha


do dissipador ou cooler
Lateral de fixação da presilha CPU FAN
do dissipador ou cooler

26
Obs. Todo processador esquenta muito e o cooler e dissipador faz com que a
temperatura do mesmo fique na temperatura estipulada nos quesitos técnicos que
acompanham os processadores, por esse motivo é muito importante a presença de
um cooler e um dissipador no processador.

INSTALANDO A MEMÓRIA RAM

Slot de memória Encaixe no slot de memória

Slot de memória Slot de memória

Obs. O tamanho das ranhuras depende de cada placa mãe.

27
INSTALANDO A HD/CD/DVD

Jumper master/slave Encaixe no gabinete

Cabo IDE (placa-mãe) Cabo IDE (HD)

Cabo força Encaixe do DVD/CD

28
Conexão SATA (placa-mãe) Conexão SATA
(HD/DVD)

Obs.: As conexões IDE e SATA para DVD /CD e HD são idênticas, tanto para
cabo de força como para cabo de dados.

INSTALANDO AS CONEXÕES DO PAINEL DE CONTROLE

O painel de controle (led de Power HD e DVD, botão de reset, botão de Power) é


muito complicado, porém fácil de resolver quando tem-se o manual da placa mãe.
Algumas placas mães tem explicito na própria placa a posição correta da
pinagem, porém outras terão maiores dificuldades.

Cabos do gabinete
Cabos do gabinete

29
Exemplo de uma conexão USB FRONTAL

INSTALANDO AS PLACAS VÍDEO/REDE/SOM/MODEM

Abertura do painel traseiro Encaixe da placa (PCI)

Encaixe da placa (AGP) Slots de PCIe


Obs. Os encaixe de ranhuras PCI depende da velocidade dos slots.

30
Extensores para vídeo, rede e som

Extensores de placa mãe on-board

Conexão do cabo de som na


placa mãe
Saída analógica do cabo de som na
DVD/CD

31
Configuração do CMOS Setup
BIOS

BIOS significa "Basic Input Output system". O BIOS é a primeira camada de software
do sistema, um pequeno progRAMa encarregado de reconhecer o hardware, realizar
o boot, e prover informações básicas para o funcionamento do sistema. O BIOS é
personalizado para cada modelo de placa mãe, não funcionando em nenhum outro.

Setup

O Setup é um programa que nos permite configurar várias opções acerca do


Hardware instalado, opções relacionadas desempenho do sistema, senhas etc. As
configurações do Setup são cruciais para o funcionamento e bom desempenho do
sistema, uma configuração errada do Setup pode tornar o sistema até 70% mais
lento, ou seja, o seu computador pode virar uma carroça sem cavalos
simplesmente devido à uma configuração errada do Setup do micro. O objetivo
deste tutorial é justamente ensinar como configurar o Setup para um melhor
desempenho.

INSTALAÇÃO DE SISTEMAS OPERATIVOS


 Windows
 Linux

32
Avarias

Modulo VI
15 Avarias mais frequentes:
Analises
E resoluções

1. O computador não emite imagem no ecrã;


2. O computador está com vírus;
3. O computador desliga por si;
4. O computador aquece demais;
5. O computador não acede a internet;
6. O teclado parou de funcionar de repente;
7. O computador só acende e não do arranque do sistema operativo;
8. Perca de documentos importantes;
9. O computador é muito lento;
10. O computador não reconhece pen drive ou dispositivos USB;
11. O computador não emite som;
12. O computador liga, mas nunca apresenta a tela inicial;
13. O computador não recebe corrente elétrica, ou seja, não carrega;
14. O computador está com o visor rachado ou partido;
15. O computador não partilha rede com outros aparelhos

Analise
Toda analise de problema informático é baseada em como o problema surgiu e por
isso é bastante importante ouvir o cliente e só depois tomar uma atitude.

Caso o cliente não explicar como surgiu o problema devemos fazer um cheque-up
completo do computador, isto é, testar as possíveis peças avariadas, como por
exemplo: no caso em que o computador não estiver a sair som, devemos analisar as
colunas e os controladores de som.

Resolução de problemas

Neste modulo o formador e os alunos vão solucionar os 15 problemas mais comuns.


Pelos procedimentos serem muito extensos e por vezes variar, o aluno deve fazer-se
acompanhar de um caderno e lapiseira ou lápis para fazer apontamentos.

33

Você também pode gostar