Você está na página 1de 42

DEFINIÇÃO

Conceitos iniciais de gestão financeira – utilização de recursos financeiros para geração


de riqueza.

PROPÓSITO

Aprofundar o conhecimento em Finanças quanto à gestão dos recursos financeiros.

1 / 42
INTRODUÇÃO

A globalização permitiu que diversos conhecimentos pudessem ser compartilhados e


práticas mais eficientes, implementadas por todos. Dessa forma, a inovação em diversos
setores, principalmente na área financeira, tem sido constante, o que faz com que os
profissionais desse setor busquem sempre se especializar.

Neste estudo, veremos abordagens sobre os tópicos a seguir:

Conceitos financeiros Ativos financeiros, Conhecimentos


investimentos, alocação financeiros
Abordaremos os de recursos e captação
conhecimentos básicos de recursos Abordaremos tópicos muito
necessários para o valiosos que o profissional
entendimento de conceitos financeiro deve dominar,
Todos que estudem de
mais complexos, pois são a base de todo
forma aprofundada os
requeridos para conhecimento da gestão de
ensinamentos descritos
profissionais que desejem recursos financeiros. Além
aprenderão as
atuar no ramo de Finanças. disso, sugeriremos
características intrínsecas
de cada um dos ativos conhecimentos
financeiros, investimentos, suplementares ao final do
alocação e formas de conteúdo para que o
captar recursos financeiros. aprendizado seja completo.

A ideia é que este material possa ajudá-lo em seu crescimento profissional, ressaltando a
importância da contínua sede por sabedoria e a pesquisa de novas informações sobre
o tópico Finanças.

2 / 42
HISTÓRIA DA MOEDA

Na Idade Média, existiam,


basicamente, três grandes classes:

1. O Clero;
2. A Nobreza;
3. Os Servos;

Nessa época, no entanto, não


existia, ainda, a ideia de empresa
ou de organização.

Então, os servos, na maioria das


vezes, eram cidadãos humildes
que plantavam alimentos ou
criavam animais e separavam
parte do que produziam para
alimentar o clero e a nobreza, que,
em troca, permitiam que eles
vivessem em suas terras.

Fonte: Shutterstock

3 / 42
Nesse cenário, surgiu um
acontecimento importante: a
melhoria nos meios de transporte!

Com o passar do tempo e com a


melhoria nos meios de transporte,
que possibilitavam maiores viagens,
as pessoas começaram a trocar
alguns dos insumos produzidos com
outros reinos. Essas trocas foram
primordiais para a fundação das
primeiras cidades, como as
conhecemos hoje, e ajudaram no
conhecimento e na expansão do
mundo.

Fonte: Shutterstock

Fonte: Shutterstock

Esse processo de troca de mercadorias


é conhecido como escambo.

Incialmente, foi o principal meio de


comercialização de mercadorias entre
cidadãos, pois, até aquele
momento, não havia um meio válido
que fosse aceito por todos, como
ocorre hoje com as cédulas e moedas.

Para que você compreenda esse


processo, analise a situação a seguir:

Fonte: Shutterstock

4 / 42
CASE 1

Fonte: Pixabay

Enquanto o reino do Duque Zé conseguia produzir apenas batatas, o reino vizinho, do


Conde Chico, tinha muito gado. Então, o Duque Zé dava alguns quilos de batata em troca
de algumas cabeças de gado do Conde Chico.

Fonte: Pixabay

No entanto, com base neste exemplo, você deve estar se perguntando: como saber
quantos quilos de batata deveriam ser trocados por uma cabeça de gado?

5 / 42
Fonte: Pixabay

Observa-se a equivalência das mercadorias!

Pois bem, apesar de que no processo de escambo há muita negociação para que as duas
partes se sintam confortáveis em trocar suas mercadorias, ainda assim, não é possível
estabelecer a equivalência das mercadorias em unidade de valor (como real, dólar ou
euro, nos dias de hoje).

Independentemente do tempo que se passe negociando termos, um lado sempre sairá


com vantagem nas negociações que envolvem o escambo.

CASE 2

Fonte: Pixabay

Vamos comparar o tempo gasto para cultivar batatas (por volta de 180 dias, dependendo
do solo e do clima) e o tempo que leva a gestação de um bezerro (283 dias). Como é
possível constatar, para se ter um bezerro, leva-se quase um ano, enquanto é possível
produzir duas plantações de batata por ano.

6 / 42
Fonte: Pixabay

Você deve supor que o valor do bezerro deveria ser o dobro do da plantação de batata, e a
troca justa seria essa. Mas o bezerro, que, depois, se tornará vaca, produzirá leite por anos
a fio, além de servir como carne suficiente para alimentar dezenas de pessoas.

Assim, talvez, duas plantações de batata não sejam uma troca justa por um
bezerro.

Por essa e outras complexidades, o escambo é um método falho de negociação, que logo
foi substituído.

Desse modo, a criação de uma moeda única, que fosse aceita por todos, era essencial.
Diante da necessidade da compra e venda de produtos, antes usados apenas como
subsistência (para consumo próprio), a moeda que hoje conhecemos surgiu como
um instrumento para melhorar a eficiência e a eficácia das trocas de produtos e
serviços.

Ao longo dos anos, o Feudalismo* deixou de existir, dando origem às nações com um
poder centralizado e unificado. Dessa forma, o conceito de moeda foi expandido.

*Feudalismo: Estrutura social em que cada nobre era responsável pelas leis de suas
terras.

Hoje, há diversas maneiras de trocar mercadorias com base em um equalizador financeiro


aceito dentro do país, ou seja, uma moeda única em que todas as mercadorias ou
serviços se baseiam.

7 / 42
Hoje, há diversas maneiras de trocar
mercadorias com base em um equalizador
financeiro aceito dentro do país, ou seja,
uma moeda única em que todas as
mercadorias ou serviços se baseiam.

No Brasil, essa moeda é o Real, e nos


EUA, o Dólar.

Fonte: Pixabay

Além disso, com a chegada da internet,


foi possível comprar e vender a partir
de meios digitais que,
instantaneamente, registram a entrada
ou saída de dinheiro da conta, tornando
todo o processo mais fácil, ágil, prático
e seguro.

Fonte: Shutterstock

NA PRÁTICA

Observando os avanços históricos da moeda, apresentamos, a seguir, empresas que


oferecem compra e venda a partir de meios digitais, registrando a entrada ou saída de
dinheiro na conta de forma segura. Veja:

8 / 42
Amazon Netshoes AliExpress Americanas.com

É uma empresa Maior site É um serviço de No final do ano de


transnacional de de lifestyle esporti varejo on- 1999, a empresa Lojas
tecnologia que foca vo da América line fundado em Americanas iniciou a
em comércio Latina. É guiada 2010 e venda de mercadorias
electrónico, pela inovação e pertencente ao através da Internet,
computação em conectividade, por Alibaba Group. O criando a controlada
nuvem, streaming digi isso é referência AliExpress é indireta Americanas.co
tal e inteligência em serviço, diferente da m.
artificial. Fundada por entrega e Amazon, pois
Jeff Bezos em julho qualidade. A atua apenas Fonte: Site Lojas Americanas.
de 1994, tem sua marca tem mais como uma
sede localizada em de 10 milhões de plataforma de e-
Seattle, estado de fãs nas redes commerce e não
Washington, nos EUA. sociais e é vende os
referência para o produtos
Fonte: Site Amazon. varejo digital há diretamente para
mais de 15 anos. os
consumidores.
Fonte: Site Netshoes.
Fonte Site AliExpress.

9 / 42
FUNÇÕES DA MOEDA

Estamos acostumados a pensar no dinheiro como algo que serve, basicamente, para
comprar Produtos: Bens e/ou Serviços.

Produtos são Bens (físicos, podemos ver e tocar) e/ou Serviços (intangíveis, serviços
prestados).

No entanto, a moeda possui três funções básicas:

1. Instrumento de trocas

Esta função define a moeda como um instrumento usado para facilitar uma transação
entre duas ou mais pessoas.

Dessa forma, quando pagamos um jantar no restaurante, quando vendemos um carro,


recebemos dinheiro por prestarmos um serviço qualquer ou pagamos a um amigo por nos
ajudar na mudança, estamos exercendo a função da moeda de instrumento de troca.

Então, sempre que pensar em comprar ou vender algo, você desempenhará a moeda em
sua função de troca.

10 / 42
2. Denominador comum monetário

Esta função se baseia na ideia de que a moeda coloca todos os produtos ou serviços sob
o mesmo denominador monetário.

Caso você planeje viajar para o exterior, esta função também permite saber o preço de
determinada mercadoria estrangeira em moeda nacional, mesmo que o preço original
esteja em dólar, euro ou libra.

Quando abordamos esta função da moeda, lembramos o problema que as pessoas


tinham no passado, quando precisavam encontrar uma troca justa no escambo.

Como saber se dez peixes que você demorou um dia inteiro para pescar eram suficientes
para trocar por um litro de leite que outra pessoa demorou uma hora para ordenhar?

Então, essa função proporciona uma maneira para que todos nós saibamos se
determinado produto ou serviço está caro ou barato. Dessa forma, é muito importante
entender que uma das funções da moeda é a de ser um denominador comum de valores.

3. Reserva de valor

Suponha que você tenha 20 anos e deseje uma renda mensal de R$ 5.000,00 quando se
aposentar aos 60 anos.

Existem diversas formas para alcançar essa renda. Você pode ter imóveis alugados e
receber mensalmente esse valor de seus inquilinos.

Outra forma seria deter uma grande quantidade de dinheiro aplicada em algum ativo
financeiro que gere essa quantia por mês. No entanto, para conquistar essa renda, é
necessário que você junte dinheiro ou receba uma herança.

Nesses casos, o dinheiro possui uma nova função: a de reserva de valor, isto é, uma
quantia que se manterá quase sempre com o mesmo valor para que você a utilize quando
quiser.

A partir da compreensão das principais funções da moeda, é possível tomar decisões


mais esclarecidas a respeito da gestão de recursos financeiros, seja de forma pessoal ou
profissional.

Entender a função que a moeda assume em diferentes situações, tais


como compra e venda de mercadorias, investimento financeiro e equivalência de
mercadorias de países diferentes, é um ponto primordial na tomada de decisão
estratégica de todo profissional da área financeira.

11 / 42
Fonte: Shutterstock

NA PRÁTICA

Ainda sobre a funcionalidade da moeda, apresentamos, a seguir, instituições que atuam


com investimentos financeiros e equivalência de mercadorias em diferentes países.

XPI Investimentos Banco Central do Brasil

Por meio de assessoria, a XPI oferece Apresenta dados de conversão de


auxílio aos clientes para tomarem as moedas.
melhores decisões relacionadas ao seus
investimentos, sempre de acordo com Efetua o cálculo, que tem caráter
seus objetivos e seu perfil de investidores. informativo, e não substitui as disposições

Fonte: Site XPI Investimentos.

12 / 42
da norma cambial brasileira para casos
específicos de conversão.

Fonte: Banco Central do Brasil.

VERIFICANDO O APRENDIZADO

1. Antes de existir uma moeda na sociedade, as pessoas negociavam os seus produtos


por meio do método conhecido como escambo, que se baseava na troca de mercadorias
de forma direta. No entanto, ao longo dos anos, esse modelo de negociação foi
substituído por outros mais eficientes e eficazes.

Assinale a alternativa que possui uma crítica válida para a substituição do escambo.

a) O escambo baseava-se na troca de mercadorias de forma indireta, como, por exemplo,


um pão por moedas de prata ou ouro, que podiam comprar outras mercadorias. No
entanto, como essas moedas não eram aceitas em todo os reinos, os mercadores
acabavam ficando limitados aos locais onde tais moedas poderiam ser usadas.

b) O escambo não se baseava na troca de mercadorias, mas em uma negociação de uso


com prazo determinado. Por exemplo, o mercador A permitia que o mercador B colhesse
frutas em seu pomar durante o ano, enquanto o mercador A extraía leite da vaca do
mercador B. No final do ano, o mercador A devolvia a vaca, e o mercador B deixava de
colher frutos do pomar do mercador A. No entanto, essa prática acabava sempre por
apresentar problemas, caso a vaca morresse, o pomar fosse assolado pela peste ou o
trato precisasse ser desfeito antes do período acordado.

c) O escambo baseava-se na troca de mercadorias de forma direta e baseada no peso,


como, por exemplo, cinco quilos de batata por cinco quilos de feijão. No entanto, como
era possível comparar de forma justa o preço de uma cabeça de gado com outras
mercadorias, esse modelo foi rapidamente descontinuado.

d) O escambo baseava-se na troca de mercadorias de forma direta, como, por exemplo,


um pão por um saco de arroz. No entanto, como esse modelo de negociação não se
fundamentava em moeda única, acabou se tornando um modelo injusto, pois um dos
lados sempre acabava levando vantagem na negociação.

13 / 42
Comentário

Parabéns! A alternativa D está correta.

O escambo era um modelo de troca de mercadorias de forma direta, em que, sem muitas
regras definidas, dois ou mais comerciantes decidiam o que acreditavam ser uma troca
justa pelos produtos que possuíam. Dessa forma, era comum que algum comerciante
terminasse a negociação se sentindo desfavorecido. Para encontrar um método mais
justo, foi, então, desenvolvida a moeda, pois, por meio dela, era possível equiparar
diversos produtos a uma única unidade.

2. A moeda possui três funções: instrumento de troca, denominador comum de valores e


reserva de valor. Assinale a alternativa que apresenta a principal diferença entre a função
instrumento de troca e reserva de valor.

a) Reserva de valor refere-se à função que a moeda possui de comprar ou vender


produtos ou serviços, enquanto instrumento de troca diz respeito à função que a moeda
assume de ter seu valor igual, evitando que perca, drasticamente, seu poder de compra ao
longo dos anos.

b) Instrumento de troca diz respeito à utilização da moeda para compra ou venda de


produtos ou serviços, enquanto reserva de valor refere-se à função que a moeda possui de
ter seu valor igual, evitando que perca, drasticamente, seu poder de compra ao longo dos
anos.

c) Reserva de valor refere-se à função que a moeda possui de equiparar todos os produtos
ou serviços a uma única unidade de valor, enquanto instrumento de troca diz a respeito à
função que a moeda assume de ter seu valor igual, evitando que perca, drasticamente, seu
poder de compra ao longo dos anos.

d) Instrumento de troca diz respeito à utilização da moeda para compra ou venda de


produtos ou serviços, enquanto reserva de valor refere-se à função que a moeda assume
de manter produtos e serviços de diversos países em uma mesma unidade de valor.

14 / 42
Comentário

Parabéns! A alternativa B está correta.

A principal definição da função instrumento de troca refere-se à necessidade de compra e


venda de mercadorias ou serviços, enquanto reserva de valor destina-se à função que a
moeda assume de ter seu valor o mais próximo de constante ao longo dos anos, isto é,
que ela não perca seu poder de compra de forma radical.

15 / 42
CONCEITOS

Vamos aprender conceitos mais avançados da moeda, como os princípios de oferta e


demanda, as formas de captação financeira e os benefícios de se captar recursos de
terceiros, bem como utilizar os próprios recursos para financiar projetos.

Com base nos conhecimentos adquiridos, será possível:

Entender as principais formas de captação de recursos para projetos utilizadas por


empresas e pessoas.

Oferecer melhor suporte ao gestor, quando questionado sobre decisões


estratégicas da organização dentro da alçada financeira.

A ORIGEM DO DINHEIRO

Vamos supor que você queira comprar


um carro de R$ 20.000, mas só tenha
R$ 10.000 guardado.

De que maneira você poderia


comprá-lo?

Fonte: Pixabay

16 / 42
Empréstimo ou Dinheiro Empréstimo
financiamento guardado com amigo

Você pode buscar Outra opção é você juntar Outra opção seria você
um empréstimo no dinheiro e guardar em escolher um amigo em
banco de R$ 10.000,00. No casa. Este processo parece quem confie, que também
entanto, dependendo da bom, mas, dependendo do disponha de R$ 10.000 e
taxa de juros, você pagará quanto você pode juntar por queira comprar um carro. A
quase o dobro ao banco, ou mês e da taxa de juros, é ideia é fazer um acordo
seja, o preço de outro carro. possível que demore anos com ele. Na primeira
O financiamento é parecido para comprar o tão semana, você fica com o
com o empréstimo, mas é sonhado automóvel. Você carro e, na outra, ele
para uma finalidade deixa de investir tal recurso desfruta do automóvel.
específica. Num em outro investimento Assim, vocês podem dividir
financiamento de carro, por (custos de oportunidade, despesas como gasolina,
exemplo, a taxa de juros é pois poderia estar rendendo revisão, IPVA etc.
menor, mas o carro servirá juros) e o dinheiro perde
de garantia: não pagou a seu valor no decorrer do
prestação? Poderá perder o tempo (por causa da
carro. inflação).

Após a análise deste exemplo, é


possível entender que existem diversas
formas de comprar um carro, uma casa
e até mesmo montar uma empresa.
Contudo, essas opções de
financiamento são distintas.

Veja, a seguir, as principais diferenças


entre ganhar ou captar dinheiro.

Fonte: Shutterstock

17 / 42
AUMENTO DE RECURSOS

Quando falamos em aumento de recursos, estamos nos referindo a receber pagamento,


seja pela venda de um produto que você produziu ou por um serviço que você prestou.

Podemos “ganhar dinheiro”


comprando canetas a R$ 1,00 e
vendendo na rua a R$ 2,00, fazendo
bolo e vendendo na porta de casa,
vendendo o serviço de eletricista
(apenas se você for qualificado para
tal) etc.

Aqui, estamos mostrando a ideia


de lucro nas operações.

Fonte: Shutterstock

Neste contexto, você já ouviu falar sobre os conceitos a seguir?

Oferta X Demanda

Devido ao conceito de oferta e demanda, cada forma gera valores diferentes.

18 / 42
Fonte: Shutterstock

Conforme afirmam Vasconcellos e Garcia (2008, p. 46), demanda pode ser definida como
a quantidade de certo bem ou serviço que os consumidores desejam adquirir em
determinado período.

Fonte: Pixabay

Oferta, por sua vez, representa as quantidades que os produtores desejam oferecer ao
mercado em determinado período.

Dessa forma, podemos entender que a oferta corresponde a todos os produtos ou


serviços disponíveis para a venda, enquanto a demanda se refere a todas as pessoas com
intenção de comprar esses produtos ou serviços.

19 / 42
Para que fique mais claro, basta entender o seguinte caso:

CASE 1

Fonte: Shutterstock

Suponha que você é um empresário do ramo de refrigerantes. No mês de janeiro, dos 100
refrigerantes que você produziu, vendeu apenas 90. Como você sabe que, caso não os
venda logo, estes estragarão (ou seja, você terá prejuízo), prefere vender os 10
refrigerantes que sobraram mais baratos.

Da mesma forma, se dos 100 refrigerantes que você produziu no mês de janeiro, 150
pessoas quiserem comprar, você poderá aumentar o preço dos refrigerantes, pois há
maior demanda do que refrigerantes ofertados.

20 / 42
Então, cabe a você pensar:

Autônomo ou empregado?

Fonte: Shutterstock

Vale a pena passar o dia inteiro produzindo 10 bolos que custaram R$ 10,00 cada um para
serem feitos e, no final, vender cada um por R$ 50 reais (o que gera um lucro de R$ 400,00
por dia)?

Ou você prefere estudar e se qualificar (exatamente como está fazendo agora) e ser
contratado por uma empresa que lhe paga os mesmos R$ 400,00 por dia (total de R$
8.800,00 por mês, antes dos impostos), mas com acesso a outros benefícios?

Cabe a cada um analisar os pontos positivos de ser um empreendedor e montar seu


negócio ou oferecer seus serviços técnicos avançados a uma empresa que lhe pagará o
mesmo valor. No final, caberá a você tomar essa decisão por conta própria.

21 / 42
CAPTAÇÃO DE RECURSOS

A captação de recursos financeiros é a forma por meio de terceiros ou dos próprios


sócios (no caso da pessoa física, seus recursos) de conseguir recursos para seus
negócios ou investimentos.

Veja, a seguir, algumas formas de captação:

1. Investimento de família ou amigos

Nesta opção, será necessário preparar uma apresentação formal que deixe bem claro seu
objetivo, aonde sua empresa vai chegar e quanto ela vai render.

Tente vender a ideia para as pessoas que você conhece. Caso elas se interessem em
investir na sua ideia, existem diversas formas de fazer um acordo. Seu familiar ou amigo
podem ser seus sócios e ficar com uma porcentagem da empresa ou até mesmo lhe
emprestar com o acréscimo de uma taxa de juros.

2. Empréstimos em bancos

Caso a opção anterior não tenha dado certo, é possível ir aos bancos e solicitar um
empréstimo. O banco analisará seu histórico financeiro e verá se você tem condições de
pagá-lo. Se sua ideia der errado, o banco poderá cobrar uma taxa de juros mais elevada
para compensar o risco.

3. Crowdfunding

Esta é uma forma recente de captar dinheiro. Nesta modalidade, é necessário, novamente,
preparar uma apresentação (em vídeo, texto etc.) e postar em sites de crowdfunding.
Pessoas ao redor do mundo decidem, então, emprestar recursos para que você tire sua
ideia do papel.

22 / 42
4. Empresas de investimento e investidores anjos

Nesta modalidade de captação, empresas ou pessoas qualificadas analisam sua ideia e


decidem se investirão ou não nela.

NA PRÁTICA

A seguir apresentamos algumas empresas que trabalham com tipos de captação. Veja:

kickante BNDES Ágora Shark Thank


Investimentos
A Kickante é a O Banco Nacional Um dos exemplos
Plataforma de Um Clube de deste tipo de
de crowdfunding mais Desenvolvimento Investimentos é investimento é o
premiada do Brasil. Econômico e Social formado por um programa Shark
(BNDES) é um dos grupo de pessoas Tank, no qual
Nesse espaço, várias maiores bancos de que, geralmente, se empreendedores
pessoas se desenvolvimento conhecem e têm mostram seus
identificam com um do mundo e, hoje, o objetivos parecidos, negócios ou ideias
projeto ou um sonho principal que decidem a uma banca de
e resolvem apoiá-lo instrumento do investir juntas para empreendedores
financeiramente para Governo Federal otimizar tempo e ricos e inteligentes
que se realize. para o custos, além de que decidem se vão
Baseado na financiamento de formar um capital investir neles.
economia longo prazo e maior, capaz de
colaborativa, tem a investimento em acessar melhores Fonte: Site Shark Tank.
premissa de que, todos os oportunidades.
juntos, todos podem segmentos da
conquistar seus economia Fonte: Site Agora
objetivos. brasileira. Investimentos.

Fonte: Site Kickante. Para isso, apoia


empreendedores
de todos os portes,
inclusive pessoas
físicas, na

23 / 42
realização de seus
planos de
modernização, de
expansão e na
concretização de
novos negócios,
tendo sempre em
vista o potencial de
geração de
empregos, renda e
de inclusão social
para o Brasil.

Fonte: Site: BNDES.

USO PRÓPRIO OU DE TERCEIROS

Existe uma grande diferença entre usar o próprio dinheiro ou pedir o dinheiro dos outros
para investir em algo.

Ao usar recursos próprios, você é o


dono de tudo e quem toma a decisão
sem a necessidade de consultar
terceiros. Não é bom ser dono do
próprio destino?

Fonte: Shutterstock

24 / 42
Usar dinheiro próprio dá a você a liberdade para fazer o que quiser com ele, mas também
o risco de ficar sem nada, caso o negócio não dê certo.

A outra opção, por sua vez, obriga


você a ouvir a opinião de terceiros,
mas isso também serve como
orientação para não cometer erros.

Fonte: Pixabay

Veja, a seguir, os principais prós e contras de usar recursos próprios e de terceiros:

Recursos próprios Recursos de terceiros

• Liberdade para tomar qualquer decisão no • Conseguir mais recursos


que diz respeito à empresa; sozinho.
Prós
• Não precisar pagar juros a ninguém.

• Assumir sozinho o risco de falência; • Obrigação de pagar juros, caso


você tenha obtido dinheiro
• Não ter alguém para ajudar na melhor emprestado;
Contras tomada de decisão para a empresa, o que
pode ser compartilhado quando há vários • Fazer concessões pontuais à
sócios. opinião de outras pessoas.

25 / 42
DEFINIÇÃO DA POLÍTICA DE PAGAMENTO

Caso você decida pegar um empréstimo no banco ou em outra entidade, é


necessário entender as políticas de recebimento.

Mas, afinal, o que são as políticas de pagamento?

As políticas de pagamento são normas que você se compromete a seguir quando aceita o
dinheiro de terceiros. Entre essas normas, está a quantia que você vai devolver por mês.

Como os economistas adoram dizer: “Não existe almoço grátis!”. Todo mundo quer
receber o dinheiro que emprestou e, na maioria das vezes, com juros, isto é, um pouco
mais do que emprestaram.

A fim de não ter nenhuma surpresa no


mês seguinte ao do recebimento do
empréstimo, você precisa ler todos os
detalhes do contrato, principalmente no
que se refere:

Vamos tratar brevemente de cada detalhe:

1. Taxa de juros

Se você emprestar dinheiro para alguém


por um ano, concorda que, durante esse
período, deixará de realizar outras
atividades com esse dinheiro? Você
poderia comprar aquele sapato novo, trocar
de celular ou mesmo deixar o dinheiro
rendendo na poupança, certo?

Então, nada mais justo que, após esse


período, a pessoa lhe devolva seu dinheiro
adicionado de um montante extra. Esse
acréscimo é chamado de juros, e o número
Fonte: Shutterstock
usado para o cálculo destes é a taxa de

26 / 42
juros. Perceba que existe uma diferença
entre os dois conceitos.

Enquanto a taxa de juros é um percentual


(0,5%, 1%, 10%) usado para calcular quanto
o dinheiro vai render, os juros representam
a diferença entre o dinheiro que você
emprestou e o quanto ele rendeu.

Para que fique mais claro, vamos analisar


caso a seguir:

CASE 2

Fonte: Pixabay

Suponha que você empreste R$ 120,00 a um amigo e diga a ele que espera esse dinheiro
de volta em um mês à taxa de 10% ao mês. Fazendo um cálculo (R$ 120,00 x 10%),
sabemos que 10% de R$ 120,00 é R$ 12,00. Assim, você emprestou R$ 120,00 e espera
que seu amigo lhe devolva R$ 132,00 (R$ 120,00 + R$ 12,00). Em outros termos, a taxa de
juros foi de 10% ao mês, e os juros do período foram de R$ 12,00.

27 / 42
Fonte: Pixabay

Saber em detalhes a diferença entre taxa de juros e juros é muito importante para que
você não pegue um empréstimo sem entender em detalhes quanto será cobrado ao final
do período, e se a taxa está de acordo com as práticas de mercado.

Por meio de uma rápida análise, é possível identificar os bancos com melhores taxas e,
com isso, assessorar o gestor da empresa sobre onde é mais vantajoso adquirir um
empréstimo, por exemplo.

2. Prazo de pagamento

O prazo de pagamento corresponde ao período estabelecido para a devolução do dinheiro


à pessoa que lhe emprestou.

Quando adquirimos um empréstimo, alguns termos são acordados, tais como taxa
de juros, juros e prazo de pagamento. A taxa de juros e o prazo de pagamento
influenciam diretamente no valor total que será pago no final do empréstimo. Por
isso, é muito importante que você entenda esses conceitos quando optar por um
empréstimo.

A fim de que fique mais claro, veja a situação a seguir:

CASE 3

Fonte: Shutterstock

28 / 42
Geraldo, um empresário do ramo têxtil, decidiu adquirir um empréstimo no banco para
aumentar sua produção. No entanto, como ele precisava adquirir dinheiro rapidamente,
não pesquisou quais bancos ofereciam as melhores condições, mas optou por pegar um
empréstimo em um banco grande perto de sua empresa.

Fonte: Shutterstock

Após uma análise de seu negócio, o gerente do banco lhe ofereceu o seguinte
empréstimo: R$ 10.000,00 a uma taxa de 5% ao mês. Mas cabia a Geraldo escolher a
condição de pagamento do empréstimo: em 12 ou 36 meses. Como não entendia do
assunto, Geraldo achou que o prazo de pagamento de 36 meses seria melhor, pois as
parcelas seriam menores.

Conforme podemos verificar, o prazo de pagamento é importantíssimo quando decidimos


pegar um empréstimo, pois alguns meses de diferença podem acarretar uma grande
soma de dinheiro.

3. Valor mensal

Por mais que o valor mensal que você pague seja calculado com base no valor que
recebeu de empréstimo, na taxa de juros e no prazo de pagamento, ainda assim, é preciso
confirmar o valor que você terá de pagar mensalmente (trimestralmente, semestralmente,
anualmente etc.). Afinal, muitas vezes, nos atentamos apenas ao montante recebido, à
taxa de juros e ao prazo de pagamento, mas esquecemos de verificar o valor que deve ser
pago mensalmente.

Caso não tenha certeza de que pode arcar com o valor mensal de um empréstimo,
um empresário corre o risco de ir à falência, pois não tem como pagar todas as
suas despesas mensais acrescidas à mensalidade do empréstimo. Dessa forma, a
sugestão é que todos analisem o contrato com calma e vejam se este apresenta o
valor que deve ser pago. Caso o valor não esteja lá, é necessário calculá-lo.

29 / 42
Com base nos conhecimentos adquiridos até o momento, é possível tomar decisões mais
seguras referentes a financiamento por base de empréstimos. Afinal, ao longo da carreira
em Finanças, desafios referentes a tomadas de decisões estratégicas financeiras serão
requeridos. O profissional que entende os principais conceitos sobre essa modalidade de
financiamento destaca-se frente a outros que os desconhecem.

VERIFICANDO O APRENDIZADO

1. Empreendedores precisam decidir se utilizarão recursos próprios de terceiros para


financiar seus projetos. Assinale a alternativa que não demonstra uma vantagem e uma
desvantagem do uso de recursos próprios:

a) Liberdade para tomar qualquer decisão no que diz respeito à empresa e assumir o risco
de falência sozinho.

b) Não precisar pagar juros e não ter alguém para ajudar na melhor tomada de decisão
para a empresa, o que pode ser compartilhado quando há vários sócios.

c) Não precisar pagar juros e assumir o risco de falência sozinho.

d) Liberdade para tomar qualquer decisão no que diz respeito à empresa e não precisar
pagar juros.

Comentário

Parabéns! A alternativa D está correta.

Ao longo da carreira, empresários e gestores precisam tomar decisões financeiras quanto


a captar recursos de terceiros ou usar recursos próprios. Essas duas modalidades
possuem vantagens e desvantagens bem estruturadas que devem ser do conhecimento
de um profissional financeiro. Quase todas as alternativas da questão apresentam
vantagens e desvantagens referentes à utilização de recursos próprios, com exceção da
letra D, que demonstra duas vantagens.

30 / 42
2. Quando escolhemos obter um empréstimo, diversos fatores podem influenciar no valor
final que deverá ser pago. Qual dos fatores a seguir, com seu respectivo motivo, influencia
no valor final a ser pago no empréstimo?

a) Valor mensal, pois, quando pago pelo empréstimo, é usado para cálculo da taxa de
juros, que, no final, resultará no total a ser pago ao banco.

b) Prazo de pagamento, pois, conforme a variação, influencia no valor total a ser pago ao
banco.

c) Taxa de juros, pois pouco influencia no cálculo geral do empréstimo, constando no


acordo apenas para fins regulatórios do Banco Central.

d) Índice futuro, pois, baseado nos contratos de preços futuros, o valor final de um
empréstimo varia, mesmo quando a taxa de juros definida é de 1% ao mês.

Comentário

Parabéns! A alternativa B está correta.

Quando um empréstimo é feito, devemos averiguar três informações principais: taxa de


juros, prazo de pagamento e valor mensal. No entanto, para fins de cálculo do valor final,
apenas a taxa de juros e o prazo de pagamento são necessários. O motivo que faz a taxa
de juros impactar no valor final a ser pago é o fato de ser usada em cima do montante, a
fim de calcular os juros finais a serem pagos. Já o prazo de pagamento influencia no valor
final a ser pago, pois, quanto mais tempo demoramos para finalizar o pagamento do
empréstimo, maior fica o valor final total a ser pago.

31 / 42
CONCEITOS

Vamos conhecer as principais formas de investimento e seus conceitos básicos. Assim,


como gestor de uma empresa, você será capaz de identificar as melhores opções de
investimento.

Decisão sobre o uso do dinheiro

Para onde vai o dinheiro? Vamos analisar os cenários a seguir.

Vamos supor que você Se você usar os mesmos


receba R$ 10.000,00 e R$ 10.000,00 na compra de
gaste tudo em doces e doces e guloseimas que,
guloseimas que comerá ao depois, você usará para
longo do ano. vender em uma loja a um
preço maior do que pagou,
Por mais delicioso que
seja esse cenário, você
estará

32 / 42
apenas gastando esse isto é, com lucro, você
dinheiro. estará investindo esse
dinheiro.

A partir desses dois cenários, é possível entender que o mesmo dinheiro pode ser
usado para diferentes situações. Dependendo de como é aplicado, o dinheiro é
classificado de formas diferentes.

DECISÃO SOBRE GASTO OU INVESTIMENTO

Gastar ou investir?

Se você decidir usar seu dinheiro em restaurantes, por exemplo, você o estará gastando.
Mas se decidir usá-lo para que gere mais dinheiro no futuro, estará investindo.

Quando falamos em investir, no entanto, não estamos falando apenas de produzir algo ou
comprar um produto e vendê-lo mais caro. Existem outras formas de investir dinheiro.
Lembre-se:

Investimento é tudo aquilo que você faz com seu dinheiro para aumentá-lo ao
longo do tempo.

Vejamos, a seguir, algumas formas de investir:

Caderneta de Poupança

Esta forma de investir o dinheiro é a mais conhecida entre os


brasileiros.

Neste tipo de investimento, você coloca dinheiro no


banco e este renderá, mensalmente, uma porcentagem a
juros compostos. Contudo, essa porcentagem é pequena.

33 / 42
CDB

Esta forma de investimento bancário é basicamente um


empréstimo para o banco. Vamos dizer que você esteja com
dinheiro sobrando e queira emprestá-lo para alguém.
Concorda que é muito difícil um banco grande lhe dar um
calote? Então, por que não emprestar a ele?

No entanto, como o risco de o banco não lhe pagar


(dependendo do banco) é muito baixo, a taxa de juros
cobrada é baixa. Afinal, na área de Finanças, o retorno é
correlacionado ao risco.

Tesouro Direto ou títulos públicos

O governo se financia por meio da arrecadação de impostos.


No entanto, às vezes, ele também precisa de dinheiro
emprestado para poder construir novas rodovias, hospitais,
escolas etc. Para isso, bem como investir na melhoria de
saúde e transportes, o governo precisa de empréstimos. Dessa
forma, pessoas e empresas podem emprestar dinheiro ao
governo por meio da compra de títulos públicos.

Títulos públicos são papéis emitidos pelo governo e


comprados por pessoas e empresas, sendo acordada a
devolução do dinheiro em determinada data, acrescido de
juros. Normalmente, o prazo de devolução do dinheiro
acrescido de juros é longo. Por isso, é mais indicado para
aqueles que não precisarão do dinheiro em curto prazo.

Ações

Quando uma empresa atinge um tamanho relativamente


considerável, seus sócios podem decidir pela abertura de seu
capital, isto é, lançar ações na bolsa de valores. Esta operação
faz com que as pessoas que comprarem as ações da empresa
se tornem sócias dela e, com isso, possam receber dividendos
ou obter lucro por meio da variação do preço da ação. Por
exemplo, podemos comprar a ação a R$ 1,00 e vendê-la a R$
2,00.

No entanto, como o preço das ações das empresas pode


variar muito por diversos motivos, este tipo de investimento

34 / 42
apresenta um grande risco para aqueles que desejem se
aventurar sem um profundo conhecimento técnico.

Assim, por mais que apresente uma grande oportunidade


de enriquecer, o investimento em ações deve ser feito
apenas por aqueles que entendem do assunto e que não
ficarão mais pobres caso percam parte do dinheiro
investido.

CONCEITOS FINANCEIROS

Na prática, toda vez em que precisamos comprar determinado produto para produzir uma
mercadoria, dizemos que estamos gastando dinheiro ou que isso é uma despesa, certo?

No entanto, na Administração e na Contabilidade, existe uma grande diferença


entre despesa e custo.

1. Gasto

Toda saída de dinheiro da empresa. Independente do motivo da saída de dinheiro (seja


para comprar uma máquina que produzirá mais pão para sua padaria, seja para aplicar na
poupança), nós a chamamos de gasto.

2. Custo

Toda saída de recursos financeiros que está diretamente ligada à produção de seu
produto ou à prestação de serviço. Assim, em uma empresa que monta e vende celulares,
o salário dos colaboradores que montam os aparelhos é um custo, pois, sem esses
profissionais, não é possível produzir os celulares.

35 / 42
3. Despesas

Toda saída de dinheiro que não está diretamente ligada à produção do bem ou à
prestação de serviço.

Seguindo o mesmo exemplo anterior da empresa de celulares, caso o gestor decida


comprar ventiladores para tornar o trabalho de seus colaboradores mais eficiente, ele
deve registrar essa compra como despesa, pois a aquisição de ventiladores não influencia
na produção dos aparelhos.

Então, a compra de um ventilador para a empresa é uma despesa, pois não é essencial
para a prestação de serviço do montador de celular.

4. Perdas

Todo os processos de produção e prestação de serviços envolvem perdas. Imagine que a


manicure, ao pintar uma unha sempre use a quantidade exata de esmalte em seu cliente
sem nunca borrar ou se sujar. Isso é impossível!

Uma boa manicure sabe que é sempre necessário passar um pouco mais de esmalte,
esbarrando nas cutículas e até mesmo na pele (e, depois, limpar usando acetona). Esse
esmalte que não foi usado pode ser considerado uma perda.

O mesmo ocorre com a massa que sobra quando se vai fazer um pão ou qualquer outro
produto.

Então, quando um empreendedor for calcular seus custos e suas despesas, é necessário
que ele tome cuidado para registrar também as perdas. Caso contrário, desperdiçará
dinheiro.

36 / 42
POLÍTICAS DE RECEBIMENTO

Agora que você conhece os conceitos de custos e despesas, e sabe que precisa
contabilizar as perdas se decidir montar o próprio negócio, é preciso entender sobre as
políticas de pagamento.

Estamos acostumados a pensar em pagamento quando devemos a alguém (uma pessoa,


um banco, o cartão de crédito ou uma loja). Mas esquecemos que, quando
empreendemos, precisamos definir políticas de recebimentos para que os outros nos
paguem.

Você concorda que, às vezes, bate aquela vontade de comer um doce, mas, nem
sempre, temos dinheiro para pagar por ele?

Quando conhecemos o dono da lojinha


de guloseimas, é muito comum que ele
nos deixe pegar o doce hoje e só pagar
depois. É justamente isso que
entendemos como política de
recebimento, também muito comum
nos cartões de crédito.

Fonte: Shutterstock

Precisamos ter muito cuidado com isso, pois, se não tivermos controle e organização
sobre quando vendemos e recebemos, poderemos ter um problema sério no Fluxo de
Caixa*.

*Fluxo de Caixa: Controle gerencial que demonstra todas as entradas e saídas de dinheiro
da empresa em determinado período.

Veja algumas dicas de como ter um bom controle de Fluxo de Caixa e definir suas
políticas de recebimento:

37 / 42
1. Explicar suas normas aos clientes

Caso você aceite receber o dinheiro depois da venda, é


importante que deixe bem claro quando espera receber o
dinheiro de volta e se cobrará juros sobre esse dinheiro. Uma
boa conversa resolve muitos problemas no futuro!

2. Fazer contrato

Quando o valor da venda for muito alto e o prejuízo por não


recebimento, muito grande, será importante fazer um
contrato formal assinado por um advogado e registrado em
cartório, para que, caso seu cliente não lhe pague, você possa
acionar a Justiça.

Aqui, aprendemos conceitos como gasto, despesa e custo. Além disso, discutimos
sobre a tomada de decisão entre gastar ou investir, as principais formas de
investimento e a política de recebimento.

A partir desse conhecimento, é possível tomar melhores decisões estratégicas e


ser mais eficiente quanto à aplicação de recursos financeiros.

38 / 42
VERIFICANDO O APRENDIZADO

1. Existem muitas dúvidas quanto à diferença entre gasto, custo e despesa. Enquanto
gasto se refere a toda a saída de recursos financeiros da organização, custo se refere à
saída de dinheiro diretamente ligada à produção do produto ou prestação de serviço. Por
fim, despesa é toda saída financeira que não está diretamente ligada à produção do
produto ou prestação de serviço.

Assinale a alternativa que classifica, de maneira correta, cada uma das situações.

a) Em uma empresa de bijuterias, devemos classificar como custo a compra de mesas


que serão usadas na montagem das joias, como despesa a compra de um carro de
entrega, e como gasto todo o dinheiro que saiu da empresa (custo ou despesa).

b) Em uma empresa de ração de cães, devemos classificar como custo a compra de um


ar-condicionado para refrescar os funcionários do administrativo, como despesa a
compra do maquinário usado para a produção da ração, e como gasto apenas os custos
que a empresa teve ao longo do período.

c) Em uma empresa de vestidos, devemos classificar como despesa a compra de tecido


que será usado na produção dos vestidos, como custo o salário dos alfaiates, e como
gasto o desembolso de dinheiro relacionado apenas às despesas que a empresa teve ao
longo do período.

d) Em uma empresa de computador, devemos classificar como custo a compra de peças


que serão usadas para montar cada computador, como despesa o salário dos
montadores de computador, e como gastos todos aqueles que a empresa teve ao longo
do período.

Comentário

Parabéns! A alternativa A está correta.

Os conceitos de gastos, despesas e custos são diferentes. Por isso, precisamos refletir
sobre a finalidade de cada empresa, e se a despesa se refere ou não à produção de um
produto/serviço. A alternativa A é a única que aloca, corretamente, despesas, custos e
gastos relacionados à empresa de bijuteria.

39 / 42
2. O entendimento correto de política de recebimento é muito importante para que o
gestor financeiro possa saber quando e como receberá pelos produtos vendidos ou pelos
serviços prestados. Em caso específico, é altamente recomendado que seja feito um
contrato de pagamento.

Assinale a alternativa que explica corretamente o motivo de fazer um contrato de


pagamento.

a) Quando a empresa faz negócio com um familiar do sócio, pois sempre que há família
envolvida nos negócios, existe uma grande chance de tal familiar não pagar, e a empresa
precisa assumir o prejuízo, sem acarretar falência.

b) Quando a venda é feita a prazo, pois vendas a prazo não são muito arriscadas, e, com
isso, a empresa pode se sentir confortável em vender independente de quem seja o
comprador.

c) O contrato de venda ou prestação de serviço é apenas uma formalidade que pouco


influencia no recebimento, pois, devido a uma justiça lenta e pouco eficiente, o gestor da
empresa sempre precisará arcar com o prejuízo, caso o comprador não o pague.

d) Quando o valor da venda de um produto ou prestação de serviço é muito alto, pois,


caso haja não pagamento ou atraso no pagamento, a empresa que vendeu o produto ou
prestou o serviço pode ir à falência. Por meio do contrato, o vendedor pode procurar
meios legais de reaver seu dinheiro e não ir à falência.

Comentário

Parabéns! A alternativa C está correta.

A política de recebimento é importante para que o gestor da empresa não corra o risco de
não receber e, com isso, venha a falir. Disto resulta a relevância do contrato: quando o
valor de venda é alto, há risco de falência em caso de falta de pagamento, e o contrato
garante que isso não aconteça.

40 / 42
CONCLUSÃO

Neste tema, você adquiriu os conhecimentos necessários a um profissional de Finanças e


aprendeu a realizar corretamente a gestão de recursos financeiros.

Além disso, compreendeu as noções básicas sobre investimentos e política de


recebimento, bem como a diferença entre gastos, despesas e custos.

CONTEUDISTA

Matheus Moura

REFERÊNCIAS

ASSAF NETO, A. Matemática financeira e suas aplicações. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2019.

ASSAF NETO, A. Mercado financeiro. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2018.

CERBASI, G. Cartas a um jovem investidor: enriquecer é uma questão de escolha. 4. ed.


São Paulo: Elsevier, 2008.

CERBASI, G. Casais inteligentes enriquecem juntos. 3. ed. São Paulo: Sextante, 2014.

FORTUNA, E. Mercado financeiro: produtos e serviços. 22. ed. Rio de Janeiro: Qualitymark,
2020.

KIYOSAKI, R. Independência financeira: o guia para a sua libertação. 1. ed. São Paulo: Alta
Books, 2017.

KIYOSAKI, R.; LECHTER, S. Pai rico, pai pobre. 20. ed. São Paulo: Alta Books, 2018.

41 / 42
HUBERMAN, L. História da riqueza do homem. 22. ed. Rio de Janeiro: LTC, 2017.

PASSOS, C.; NOGAMI, O. Princípios de economia. 7. ed. São Paulo: Cengage Learning,
2015.

VASCONCELLOS, M. A. S.; GARCIA, M. E. Fundamentos de economia. 3. ed. São Paulo:


Saraiva, 2008.

EXPLORE+

• Para saber como começar a construir uma poupança e alcançar a independência


financeira, pesquise na internet e assista ao vídeo: GUIA BEM BÁSICO para
começar a investir com POUCO DINHEIRO! Saiba tudo em 10 minutos. Canal Me
Poupe! Publicado em: 8 ago. 2019.

• Entre no site da Casa da Moeda do Brasil e leia o texto Origem do Dinheiro.

• Entre no site do Banco Central do Brasil e leia o texto Origem e Evolução do


Dinheiro.

• Assista aos vídeos do canal Finanças 101, que traduz os conceitos de finanças
para profissionais que não são da área.

42 / 42