Você está na página 1de 9

A eclesiologia de John Wesley

The ecclesiology of John Wesley

La ecclesiologia del Juan Wesley


Duncan Alexander Reily

RESUMO
Em preparação.
Palavras-chave: Em preparação.
.

ABSTRACT
In preparation.
Keywords: In preparation.

RESUMEN
En preparación.
Palabras clave: En preparación.

Revista Caminhando, v. 4, n. 1 [6], p. 24-32, 2010 [2ª ed. on-line; 1ª ed. 1993] 24
[Na paginação original 36/37]

interpretou a frase “a todos os san-


John Wesley, vivendo na Inglaterra
tos”: “As epístolas apostólicas eram envi-
numa época de relativa tolerância religio-
adas mais diretamente às igrejas que aos
sa, conseguiu, com maior serenidade do
seus pastores”; isto é, para Wesley, “to-
que fora possível aos reformadores do
dos os santos” significa “a igreja”, o que
século XVI, tratar dos grandes temas da
nos lembra Lutero, o qual percebia nas
eclesiologia. Aqui procuramos detectar
palavras do Credo “a comunhão dos San-
dos escritos, bem como das práticas de
tos” uma sucinta definição da Igreja (Cf.
Wesley, os elementos básicos da sua
Notas Explicativas Sobre o Novo Testa-
doutrina da Igreja, apenas esboçando as
mento, 1.c). A doutrina em pauta se ves-
fontes e as ramificações dessa doutrina.
tiu de “carne e osso” na própria estrutura
do metodismo, como se pode perceber na
lista abaixo:
1. A Igreja é o povo, não a hierarquia
• A própria estrutura do movimento
surgiu do povo e não como imposição
Martinho Lutero descobriu o conceito
de seu fundador.
de sacerdócio universal dos crentes, o
• Wesley, empurrado por Jorge Whitefi-
que exigiu uma verdadeira revolução no
eld, realmente descobriu o povo co-
modo de encarar a Igreja: não mais na
mum em começos de abril, 1739, indo
maneira medieval, na qual a Igreja era
até onde o povo se encontrava, por
vista como a hierarquia e, sim, como o
meio da pregação ao ar livre.
povo. Acontece que Lutero expôs esse
• Sua aceitação da pregação de leigos e
conceito no seu tratado, em alemão, A
leigas, devidamente vocacionados/as
Nobreza Cristã da Nação Alemã. Nas cir-
e instruídos/as, fez do metodismo um
cunstâncias, parecia que só a nobreza ti-
movimento essencialmente laico.
nha força suficiente para enfrentar o po-
• Embora com relutância, Wesley perce-
derio papal; e foi a nobreza que acabou
beu, naquela metade do povo, a mu-
assumindo o controle da Reforma Alemã,
lher, com vocações para uma enorme
muito mais do que o povo. Ademais, Lu-
variedade de ministérios, não excluin-
tero não aplicou devidamente à mulher o
do a pregação.
sublime princípio que descobrira.
• Também as crianças mereciam, de
Wesley aceitou o sacerdócio universal
Wesley, pelo menos desde o período
dos crentes, como deixam claro o XIII Ar-
de Oxford, uma atenção especial, pois
tigo de Religião (“A Igreja... é uma con-
lhes preparou um livro de orações, um
gregação de fiéis...”) e ainda o 9o pará-
catecismo e outros escritos; propug-
grafo da sua Carta a um Católico Roma-
nou em seu favor pela educação popu-
no. Também, comentando Filipenses 1.1,
lar (como a Escola Dominical), fundou
ele assim
escolas, orfanatos etc.
• A perene preocupação do movimento
[Na paginação original 37/38]
metodista pelo pobre fez com que ele

Revista Caminhando, v. 4, n. 1 [6], p. 24-32, 2010 [2ª ed. on-line; 1ª ed. 1993] 25
fosse sempre considerado um grande usados de modo equivalente na antigui-
movimento popular. dade.
2. A Igreja e seus ministérios Convém lembrarmos também do seu
comentário sobre 1Tm 3.2, no qual Wes-
Wesley percebeu que a unidade e o ley fala que bispo é “pastor de uma con-
bem estar do povo de Deus dependem de gregação”. Portanto, desde 1746, Wesley
um ministério devidamente credenciado. cria que ele, sendo presbítero, possuía
A peculiaridade do conceito de Wesley todos os direitos de um bispo, inclusive o
sobre o ministério reside no seu reconhe- de ordenar. Mas, foi só em 1784 que,
cimento de que, ao lado do ministério frente à angustiante situação dos 15 mil
“ordinário” (sacerdotal), Deus havia le- metodistas na América, ele veio a exercer
vantado entre os metodistas um tais direitos. A independência das “treze
colônias” e a constituição dos Estados U-
[Na paginação original 38/39]
nidos da América haviam deixado os me-
todistas de lá como “pobres ovelhas no
ministério “extraordinário” (profético).
deserto, sem ter ninguém entre eles para
Embora a segunda forma seja a mais pe-
batizar ou ministrar-lhes a Ceia do Se-
culiar no metodismo, a primeira é tam-
nhor”. Assim, Wesley chegou a ordenar
bém essencial para uma adequada com-
dois presbíteros e um superintendente
preensão da eclesiologia Wesleyana.
para atender a essas necessidades.
Esse dramático e decisivo ato de-
(a) O ministério ordinário
monstra que, para Wesley, o ministério
A leitura do Livro de Peter King, A I-
do presbítero é uma ordem essencial pa-
greja Primitiva, no dia 20 de janeiro de
ra a vida da Igreja, cuja vocação seria
1746 (Journal), convenceu Wesley de
assegurar a unidade, a sucessão apostóli-
que, na Igreja Primitiva, bispo e presbíte-
ca, a boa pregação da Palavra e a correta
ro foram essencialmente uma mesma or-
ministração dos sacramentos. Convém
dem, contrariando suas antigas convic-
assinalar que cabia somente ao ministro
ções como presbítero da Inglaterra. Suas
ordinário, ou seja, ordenado, ministrar os
leituras do Novo Testamento confirma-
sacramentos, já que não faltavam prega-
ram a posição de King, como deixa evi-
dores leigos entre os metodistas norte-
dente seu comentário sobre a frase “com
americanos
os bispos e diáconos” (Fp 1.1): aqueles
propriamente cuidavam do estado inter-
[Na paginação original 39/40]
no; estes, das coisas externas da igreja
(1Tm 3.2-8); embora aqueles não fossem pregadores leigos. Wesley deixou isso
totalmente restritos ao estado interno, bem claro na liturgia que preparou para
nem estes ao externo. O termo bispos os metodistas na América, a Sunday Ser-
abarca todos os presbíteros de Filipos, vice, na qual, no Rito do Batismo, o cele-
bem como os presbíteros regentes, sendo brante é o “Ministro” e, no da Ceia do
os nomes bispo ou presbítero ou ancião Senhor, é “o presbítero”.

26 Duncan Alexander REILY. A eclesiologia de John Wesley.


(b) O ministério extraordinário lica e apostólica”. Dessa convicção John
A história da aceitação de Thomas Wesley participa integralmente. Eis o
Maxfield como pregador já foi contada cerne do que ele escreveu sobre Ef 4.3-6
muitas vezes. Wesley, frente ao fato da nas suas Notas Explicativas:
pregação leiga, consultou a “lei e os tes-
temunhos”, nos quais encontrou, no An- [Na paginação original 40/41]

tigo Testamento, além do ministério ordi-


nário e do sacerdotal, um outro ministé- • Ef 4.3. Procurando guardar a unidade
rio extraordinário, ou seja, o profético. do Espírito — Aquela união mútua e
Wesley creu que Deus estava levantando, harmonia que se constituem num fru-
na Inglaterra dos seus dias, um ministé- to do Espírito. O vínculo da paz é o
rio extraordinário, leigo, para proclamar a amor . (N.E. – a parte grifada é o tex-
boa nova do Reino. to bíblico; o restante é o comentário
Os jovens que se apresentavam a de Wesley).
Wesley como vocacionados para tais mi- • Ef 4.4. Há um só corpo — A igreja u-
nistérios deviam dar evidência de “graça” niversal, todos os crentes ao redor do
(uma experiência pessoal e transforma- mundo. Um Espírito, um Senhor, um
dora da fé em Cristo), de “dons” para Deus e Pai — a Trindade sempre ben-
compreender e comunicar a boa nova de dita. Uma esperança — o Céu.
redenção e de “frutos” na forma de pes- • Ef 4.5. Um batismo exterior.
soas despertadas e/ou convertidas. Pas- • Ef 4.6. Um Deus e Pai de todos que
sando por esses “testes”, iniciava-se um crêem. O qual é sobre todos — presi-
período de experiência e de educação dindo sobre todos os seus filhos e fi-
teológica mediante leitura de cinqüenta lhas, operando por todos mediante
tomos teológicos selecionados pelo pró- Cristo e habitando em todos por seu
prio Wesley. Com cautela e relutância, Espírito.
Wesley aceitava a colaboração feminina Como pudemos perceber no item an-
em muitas das atividades nas sociedades terior, essa unidade se expressa na co-
locais e, em alguns casos especiais, como munidade local pelo culto e sacramento e
pregadoras. Alguns grupos, notadamente vincula-se ao presbítero, que é o liturgo
os “Cristãos da Bíblia”, que foram se se- por excelência.
parando do metodismo wesleyano, acei- Apesar das divisões da Igreja existen-
tavam plenamente a pregação feminina. te, Wesley continuou a crer que, na es-
sência, a Igreja era uma só e a orar pelo
seu bem estar e pela plena manifestação
A Igreja é essencialmente una da unidade que Cristo concedera à sua
Igreja.
Os Credos da Igreja Antiga atestam a Assim, o protestante Wesley compar-
sua convicção de que a Igreja de Cristo é tilhou ao anônimo Católico Romano sua
uma só. Encontra-se no Credo Apostólico, crença sobre a Igreja universal:
Creio que Cristo, pelos seus apóstolos,
“Creio na Santa Igreja Católica” e, no Ni-
ajuntou para si uma Igreja, à qual con-
ceno, “Creio numa só Igreja, santa, cató-

Revista Caminhando, v. 4, n. 1 [6], p. 24-32, 2010 [2ª ed. on-line; 1ª ed. 1993] 27
tinuamente acrescentava aqueles que Os escritos de Wesley, como a Carta
iam sendo salvos; que esta Igreja Ca- a um Católico Romano e seus Sermões
tólica (isto é, Universal), estendendo-
sobre o “Espírito Católico” (no 39) e a
se em todas as nações e todas as eras,
“Advertência contra o Sectarismo” (no
é santa em todos os seus membros
que têm comunhão com os santos an-
39).
jos, que constantemente ministram A doutrina wesleyana – que focaliza a
aos herdeiros da salvação. (cf. Carta a justificação pela fé, grande afirmação
um Católico Romano, p. 9). protestante, e a santidade, grande ênfase
Também na Sunday Service encontra- católica – é essencialmente ecumênica.
se mui reveladora oração “para o estado A junção do amor prático com a sin-
da Igreja de Cristo militante na terra”, cera busca pela verdade propiciam um
contendo as seguintes petições: clima de serenidade não só para o indis-
... rogando-Te a inspirar continuamen- pensável diálogo ecumênico como tam-
te a Igreja Universal com o fruto da
bém para a sua prática.
verdade, unidade e concórdia; e dá
A unidade, na percepção wesleyana,
que todos quantos confessam teu
não nega ou elimina a diversidade.
[Na paginação original 41/42]

Santo Nome possam concordar na ver- 4. A Igreja é uma comunidade de


dade da tua Santa Palavra e viver em
adoração
unidade e santo amor (Sunday Servi-
ce, p. 130).
É iluminador recordar que as primei-
Assim, Wesley cria que a unidade que
ras publicações de Wesley foram um livro
Cristo havia concedido à Sua Igreja pode-
de orações para seus alunos na Universi-
ria se manifestar, primeiro, pela busca da
dade de Oxford (1733) e uma coleção de
verdade, como ela fora revelada por Deus
Salmos e Hinos para a sua congregação
na Sua Palavra. É claro que tal busca não
de Savana, Geórgia (1737), o que nos
deve dispensar nenhum elemento que a-
chama a tenção para a importância da
jude na compreensão da Revelação, co-
vida devocional individual e também no
mo a sabedoria da Igreja ao longo dos
culto público, sendo que os dois mutua-
tempos, da razão, da experiência religio-
mente se completam no pensamento de
sa e da criação. A pretensa unidade que
Wesley. Apontaremos, a seguir, alguns
despreza a verdade revelada de Deus é
dos pontos principais do pensamento e
espúria. Mas, em segundo lugar, essa
prática de Wesley sobre o culto e os sa-
busca da verdade tem necessariamente
cramentos.
de ser conduzida em amor, que é o vín-
culo da paz.
[Na paginação original 42/43]
Essa ênfase na unidade da Igreja for-
nece a base da vocação ecumênica do
• Wesley estabeleceu, como no 13 dos
metodismo no mundo e, mui especifica-
Artigos de Religião, o seguinte: “A I-
mente, no Brasil. Eis alguns destaques:
greja ... é uma congregação de fiéis
na qual se prega a pura palavra de

28 Duncan Alexander REILY. A eclesiologia de John Wesley.


Deus e se ministram devidamente os los irmãos Wesley, a partir do célebre
sacramentos” (em comum com o pro- Hinário de Charlestown, de 1737. Os
testantismo em geral, ele define, nos muitos hinos de Charles Wesley eram
Artigos 17 e 18, que os Sacramentos parte integral das celebrações meto-
são o Batismo e a Santa Ceia). distas, fazendo deles um povo que
• Embora vendo Palavra e Sacramento cantava a sua fé.
como marcas da Igreja, de acordo
com Lutero, Wesley não concluiu que [Na paginação original 43/44]

o culto sem eucaristia era essencial-


mente incompleto. Era tão legítimo • A 3a Regra Geral visava garantir que
um culto de proclamação por um pre- os metodistas tivessem uma intensa
gador leigo, sem a Ceia do Senhor, prática devocional, por meio da ora-
como tinha sido legítima a proclama- ção, da meditação, da leitura e estudo
ção dos profetas do Antigo Testamen- da Bíblia, do jejum e da abstinência.
to. Mas, a participação dos metodistas Assim, a adoração pública e a vida da
na vida de adoração e do sacramento, piedade pessoal mutuamente se com-
na Igreja da Inglaterra, lhes era exigi- pletavam.
da pela 3ª Regra Geral, como, aliás, a • A adoração e a vida devocional visa-
assistência semanal ao culto e sacra- vam a uma caminhada em direção à
mento tinha sido requerida aos mem- santidade e à maturidade cristã, pois a
bros do “Clube Santo”. comunidade de adoração é um ambi-
• O Batismo era o meio de graça que i- ente propício para a edificação dos
niciava o infante (ou outra pessoa) na seus membros na prática da santida-
comunidade de fé. Negligência dessa de, no crescimento, na graça e na so-
graça, ou da vida cristão, porém, re- lidariedade com os que lutam pela jus-
sultaria na sua perda em idade adulta. tiça.
• A Santa Ceia era meio de graça, po-
dendo efetuar a conversão, dar certe-
za da salvação e levar à santidade. 5. A Igreja é uma comunidade mis-
Sendo dádiva de Deus, a preparação sionária
exigida do/a comungante era a mão e
o coração abertos para receber, confi- A Igreja, conforme o Credo Niceno, é
antemente, tal dádiva. apostólica. Isso é verdade pelo fato de
• Nas sociedades metodistas havia que Jesus enviou os primeiros apóstolos
grande variedade de celebração cúlti- para “discipular todas as nações” (Mt
ca, tais como: a pregação ao amanhe- 28.19 – versão de Wesley nas Notas Ex-
cer, a festa do amor, a vigília mensal, plicativas). Mas, é também verdade por-
a renovação anual do pacto com Deus que, como Cristo enviou seus primeiros
etc. discípulos ao mundo (Jo 17.18), ele con-
• O cântico de hinos, tão comum na A- tinua a enviar sua Igreja ao mundo. Des-
lemanha desde Lutero, foi praticamen- tacaremos abaixo quatro maneiras pelas
te introduzido, no meio anglicano, pe-

Revista Caminhando, v. 4, n. 1 [6], p. 24-32, 2010 [2ª ed. on-line; 1ª ed. 1993] 29
quais Wesley e seus seguidores entende- exemplo, o uso de ouro e de vesti-
ram sua parte na missão de Deus: menta cara, o ajuntar tesouros sobre
(a) A Igreja como comunidade missioná- a terra etc. Aliás, o cumprimento da
ria, carece de constante renovação e primeira regra era essencial ao cum-
reforma. Os grandes reformadores primento da segunda, que exigia a
do século XVI reconheciam que uma prática do bem a todos, em primeiro
Igreja Reformada era uma Igreja em lugar aos seus corpos, “dando ali-
perpétua reforma. É nesse contexto mento aos famintos, vestindo os
que devemos compreender a auto- nus, visitando ou ajudando os que
imagem dos metodistas no século estão doentes ou na prisão”. Assim,
XVIII. Já por ocasião da primeira os metodistas se envolviam em toda
Conferência na Inglaterra, em 1744, espécie de serviço social, de reforma
Wesley e um seleto grupo de colabo- educacional, reforma carcerária, e-
radores concluíram que Deus havia ducação popular, luta contra a es-
levantado o movimento para “refor- cravidão etc.
mar a nação, particularmente a Igre- (c) Já vimos que, além do local, os me-
ja (da Inglaterra) e espalhar a santi- todistas se viam como chamados por
dade bíblica por toda a terra”. A Deus para “reformar a nação” e a
mesma visão foi retomada pelos “espalhar a santidade bíblica” por to-
pregadores metodistas reunidos em da parte. Assim, os metodistas foram
Baltimore, Maryland, em fins de desfiados a descobrir os meios para
1784, quando, em resposta à per- atingir seu alvo, por exemplo:
gunta “que podemos racionalmente • Pregação ao ar livre.
crer ser o desígnio de Deus em le- • Ministério itinerante, pelo qual os
vantar os pregadores chamados me- pregadores buscavam as pessoas
todistas?”, disseram da seguinte onde quer que elas se encontras-
forma: “Reformar o continente (a- sem.
mericano) e • Pregação leiga, para aumentar o
quadro daqueles e daquelas que
[Na paginação original 44/45] anunciavam a boa nova do Reino.
• Larga distribuição de literatura
espalhar a santidade bíblica sobre adequada etc.
estas terras” (Methodist Discipline, Também descobriram meios adequa-
1785, p. 4). dos para edificar o povo despertado pelo
(b) A missão de Jesus sempre é vista em seu trabalho de proclamação e para ori-
conexão com o anúncio do Reino e é entá-lo na sua caminhada em direção à
sinalizada pelos atos de misericórdia perfeição cristã, por meio de sociedades,
(Cf. Lc 4.18-19, 9.2; Mt 25.31-46 classes, bands (círculos, pequenos gru-
etc). A compreensão metodista des- pos), cultos e celebrações adequadas a
sa missão pode ser claramente vista essas finalidades.
nas Regras Gerais. A Primeira Regra (d) Mas, o sentido da missão não se
proibia a prática do mal, como, por confinava à Inglaterra, pois Wesley

30 Duncan Alexander REILY. A eclesiologia de John Wesley.


percebia o mundo inteiro como sua te? O Colégio Episcopal? O conjunto
paróquia; uma visão, aliás, pouco de pastores e pastoras? O corpo de fi-
compartilhada pelo cristianismo em éis? Uma instituição com normas e es-
geral no século XVIII. As conseqüên- tatutos? Um refúgio para os aflitos e
cias dessa visão não tardaram em sobrecarregados? A comunidade dos
aparecer. Eis apenas uma amostra: eleitos? O povo de Deus que caminha
na história? O que é a Igreja?
[Na paginação original 45/46]
2. No curso da história do cristianismo,
aos poucos foi sendo firmada uma rí-
• Freqüentes viagens do próprio
gida separação entre os clérigos e o
Wesley, notadamente à Irlanda
laicato. Ainda hoje há quem defenda,
e também à Escócia. Da Irlanda
em nome da ordem necessária, a ma-
também iriam partir homens e
nutenção de severa disciplina a distin-
mulheres que tiveram uma par-
gui-los. Assim, enquanto aos primeiros
te significativa na implantação
são designadas as tarefas de governo,
do metodismo na América, tais
ensino, administração dos sacramen-
como Bárbara Heck, Philip Em-
tos e direção da comunidade, ao “povo
bury e Roberto Strawbridge.
comum” caberia apenas a responsabi-
• O estabelecimento da Sociedade
lidade de ouvir, aprender, auxiliar e
Missionária Metodista, liderada
atender passivamente ao que lhe é so-
pelo Dr. Thomas Coke, tendo o
licitado. Essa visão é compatível com o
próprio Coke perdido sua vida
ensino do Novo Testamento e a práti-
no esforço de implantar o meto-
ca wesleyana?
dismo no distante Ceilão (Sri
Lanka).
[Na paginação original 46/47]
• A missão mundial do metodis-
mo, hoje atuante em todos os Qual seria o papel do ministério orde-
continentes do globo. nado na vida e na missão da Igreja?
À guisa de conclusão, podemos dizer 3. Você acredita que o modo de ser Igre-
que a Eclesiologia de Wesley concebe a ja configurado em “dons e ministérios”
Igreja essencialmente como Povo de expressa adequadamente a compre-
Deus, devidamente orientado por um mi- ensão wesleyana da Igreja? Por quê?
nistério tanto ordinário quanto extraordi- 4. A vida da Igreja se esgota no culto?
nário, una no mundo inteiro e sendo uma Nas atividades devocionais? Nas cele-
comunidade cujas finalidades se resu- brações litúrgicas? Nos estudos dou-
mem em adoração e missão. trinários? Qual é o alvo das atividades
eclesiais? Como se relacionam adora-
ção e atividade missionária? O que é
Questões para reflexão missão?
5. É impossível conceber prática missio-
1. Quando você pensa na Igreja, qual é a nária sem se preocupar com a unidade
primeira imagem que lhe vem à men- da Igreja? A busca da unidade é obs-

Revista Caminhando, v. 4, n. 1 [6], p. 24-32, 2010 [2ª ed. on-line; 1ª ed. 1993] 31
táculo ou elemento essencial para o
cumprimento da missão? Fundamente
a sua resposta em termos da tradição
wesleyana!

[Na paginação original 47/48]

3 páginas vazias

[Na paginação original 50/51]

32 Duncan Alexander REILY. A eclesiologia de John Wesley.