Você está na página 1de 15

OS 10 ELEMENTOS DA

AGROECOLOGIA QUE ORIENTAM A


TRANSIÇÃO
PARA ALIMENTOS E SISTEMAS AGRÍCOLAS
SUSTENTÁVEIS
Introdução

Os sistemas alimentares e agrícolas de hoje conseguiram fornecer grandes


volumes de alimentos para os mercados globais. No entanto, sistemas agrícolas
de alto insumos externos e intensivos em recursos causaram desmatamento
maciço, escassez de água, perda de biodiversidade, esgotamento do solo e
altos níveis de emissões de gases de efeito estufa.
Apesar dos progressos significativos nos últimos tempos, a fome e a pobreza
permanecem como desafios globais críticos. Mesmo quando a pobreza foi
reduzida, as desigualdades generalizadas permanecem, dificultando a
erradicação da pobreza.

Integrante da Visão Comum para Alimentação e Agricultura Sustentável 1 da


FAO, a agroecologia é uma parte fundamental da resposta global a esse clima de
instabilidade, oferecendo uma abordagem única para atender a aumentos
significativos em nossas necessidades alimentares do futuro, garantindo que
ninguém fique para trás.

A agroecologia é uma abordagem integrada que aplica simultaneamente


conceitos e princípios ecológicos e sociais à concepção e gestão de sistemas
alimentares e agrícolas. Busca otimizar as interações entre plantas, animais,
seres humanos e meio ambiente, levando em consideração os aspectos sociais
que precisam ser adicionados para um sistema alimentar sustentável e justo.

Agroecologia não é uma invenção nova. Pode ser identificado na literatura


científica desde a década de 1920, e tem encontrado expressão nas práticas dos
agricultores familiares, nos movimentos sociais de base para a sustentabilidade
e nas políticas públicas de vários países ao redor do mundo. Mais recentemente,
a agroecologia entrou no discurso das instituições internacionais e da ONU. 2

Guiando O Transição Para Sustentável Alimentos E Agrícola Sistemas 1


O QUE TORNA A AGROECOLOGIA DISTINTA?
A agroecologia é fundamentalmente diferente de outras abordagens para o
desenvolvimento sustentável. Baseia-se em processos territoriais e de baixo para cima,
ajudando a fornecer soluções contextualizadas para os problemas locais. As inovações
agroecológicas baseiam-se na co-criação do conhecimento, combinando a ciência com o
conhecimento tradicional, prático e local dos produtores. Ao aumentar sua autonomia e
capacidade adaptativa, a agroecologia capacita produtores e comunidades como
principais agentes de mudança.

Em vez de ajustar as práticas de sistemas agrícolas insustentáveis, a agroecologia busca


transformar os sistemas alimentares e agrícolas, abordando as causas básicas dos
problemas de forma integrada e proporcionando soluções holísticas e de longo prazo. Isso
inclui um foco explícito nas dimensões sociais e econômicas de sistemas alimentares. A
agroecologia coloca um forte foco nos direitos das mulheres, jovens e povos indígenas.

QUAIS SÃO OS 10 ELEMENTOS DA AGROECOLOGIA?


Ao orientar os países a transformar seus sistemas alimentares e agrícolas, promover a
agricultura sustentável em grande escala3, e a alcançar a Fome Zero e vários outros ODS, os
seguintes 10 elementos surgiram dos seminários regionais da FAO sobre agroecologia4:

Diversidade; sinergias; eficiência; resiliência; reciclagem; co-criação e


compartilhamento de conhecimento (descrevendo características comuns de
sistemas agroecológicos, práticas fundamentais e abordagens inovadoras de íons)

Valores humanos e sociais; cultura e tradições alimentares (características do


contexto)

Governança responsável; economia circular e solidária (ambiente propício).

Os 10 elementos da Agroecologia são interligados e interdependentes.

POR QUE OS 10 ELEMENTOS SÃO ÚTEIS E COMO SERÃO USADOS?


Como ferramenta analítica, os 10 Elementos podem ajudar os países a operacionalizar a agroecologia.
Ao identificar importantes propriedades de sistemas e abordagens agroecológicas, bem como
considerações fundamentais no desenvolvimento de um ambiente propício para a agroecologia,
os 10 Elementos são um guia para formuladores de políticas, profissionais e stakeholders no
planejamento, manejo e avaliação de transições agroecológicas.

2 OS 10 ELEMENTOS DA AGROECOLOGIA
Diversidade
A diversificação é fundamental para transições agroecológicas
para garantir a segurança alimentar e a nutrição, preservando,
protegendo e melhorando os recursos naturais.

Os sistemas agroecológicos são altamente diversos. Do Pastagem mista por várias espécies de ruminantes
ponto de vista biológico, os sistemas agroecológicos reduz o risco à saúde por parasitas, enquanto diversas
otimizam a diversidade de espécies e recursos espécies ou raças locais tem chances maiores de
genéticos de diferentes formas. Por exemplo, sistemas sobreviver, produzir e manter níveis de reprodução em
agroflorestais organizam culturas, arbustos e árvores ambientes adversos.
de diferentes alturas e formas em diferentes níveis ou
estratos, aumentando a diversidade vertical. Por sua vez, ter uma variedade de fontes de renda de
mercados diferenciados e novos, incluindo produtos
A intercultura combina espécies complementares para
diversos, processamento de alimentos locais e
aumentar a diversidade espacial. 5 Rotações de
agroturismo, ajuda a estabilizar a renda das famílias.
culturas, muitas vezes incluindo leguminosas,
aumentam a diversidade temporal. 6 Os sistemas de Consumir uma variedade diversificada de cereais,
cultivo dependem da diversidade de raças locais frutas, legumes e produtos de origem animal
adaptadas a ambientes específicos. 7 No mundo contribui para melhores resultados nutricionais. Além
aquático, a agricultura tradicional de policultura de disso, a diversidade genética de diferentes
peixes, a cultura Aquática Multi-Trófica Integrada variedades, raças e espécies é importante na
(IMTA) ou os sistemas rotacionais de peixes-culturas contribuição de macronutrientes, micronutrientes e
seguem os mesmos princípios para maximizar a outros compostos bioativos para dietas humanas.
diversidade. 8 Para exemplo, na Micronésia, reintroduzir uma
variedade tradicional subutilizada de banana de
O aumento da biodiversidade contribui para
uma gama de produção, socioeconômica, carne laranja com 50 vezes mais betacaroteno do
nutrição e benefícios ambientais. Ao planejar que a banana comercial de carne branca amplamente
e gerenciar a diversidade, as abordagens disponível provou-se fundamental para melhorar a
agroecológicas potencializam o saúde e a nutrição. 9
provisionamento de serviços ecossistêmicos, No nível global, três culturas de cereais fornecem cerca
incluindo polinização e saúde do solo, sobre os de 50% de todas as calorias consumidas, 10, enquanto a
quais a produção agrícola depende. A diversidade genética de culturas, gado, animais
diversificação pode aumentar a produtividade aquáticos e árvores continua a ser rapidamente
e a eficiência do uso de recursos, otimizando a perdida.
biomassa e a água.
A agroecologia pode ajudar a reverter essas
A diversificação agroecológica também fortalece a tendências, gerenciando e conservando a
resiliência ecológica e socioeconômica, inclusive agrobiodiversidade, e respondendo à crescente
criando novas oportunidades de mercado. Por demanda por uma diversidade de produtos
exemplo, a diversidade de culturas e animais reduz o ecologicamente corretos. Um exemplo é "amigo dos
risco de fracasso diante das mudanças climáticas. peixes": arroz produzido a partir de ecossistemas
irrigados, com fados de chuva e arroz em águas
profundas, que valoriza a diversidade de espécies
aquáticas e sua importância para os meios de
subsistência rurais. 11

Guiando O Transição Para Sustentável Alimentos E Agrícola Sistemas 3


A agroecologia depende de conhecimentos específicos Educação – formal e não-formal – tem papel
do contexto. Não oferece prescrições fixas – as fundamental no intercambio de inovações
práticas agroecológicas são adaptadas para se agroecológicas que surgem de processos de co-criação.
adequarem ao contexto ambiental, social, econômico, Por exemplo:
cultural e político. A co-criação e compartilhamento
de conhecimento tem um papel central no processo Há mais de 30 anos, o movimento campesino tem
de desenvolvimento e implementação de inovações desempenhado um papel fundamental no
agroecológicas para enfrentar desafios em sistemas compartilhamento de conhecimento agroecológico,
alimentares, incluindo adaptação amudançasclimáticas. conectando centenas de milhares de produtores na
América Latina. 12 Em contraste, os modelos de primeira
Por meio do processo de co-criação, a agroecologia
linha de transferência de tecnologia tiveram sucesso
mistura conhecimentos práticos e conhecimentos
limitado.
tradicionais e indígenas, conhecimentos práticos de
produtores e comerciantes e conhecimento Promover processos participativos e inovações
científico global. institucionais que constroem confiança mútua permite
co-criação e compartilhamento de conhecimento,
O conhecimento do produtor sobre biodiversidade
contribuindo para processos de transição agroecologia
agrícola e experiência de gestão para contextos
relevantes e inclusivos.
específicos, bem como seus conhecimentos
relacionados a mercados e instituições são
absolutamente centrais nesse processo.

Diversidad
e

COCRIAÇÃO E
COMPARTILHAMENTO DE
CONHECIMENTO

4 OS 10 ELEMENTOS DA AGROECOLOGIA
A agroecologia presta atenção ao desenho de sistemas No nível microrregional, a sincronização das atividades
diversificados que combinam seletivamente culturas produtivas no tempo e no espaço é necessária para
anuais e perenes, pecuária e animais aquáticos, melhorar as sinergias. O controle de erosão do solo
árvores, solos, água e outros componentes em usando linhas de Calliandra é comum em sistemas
fazendas e paisagens agrícolas para melhorar as agroecológicos integrados nas Terras Altas da África
sinergias no contexto de um clima cada vez mais em Oriental.16 Neste exemplo, a prática de manejo da poda
mudança. periódica reduz a concorrência das árvores com as
culturas cultivadas entre as linhas e, ao mesmo tempo,
Construir sinergias em sistemas alimentares oferece
fornece ração para os animais, criando sinergias entre os
múltiplos benefícios. Ao otimizar as sinergias biológicas,
diferentes componentes. Pastoralismo e extensos
as práticas agroecológicas melhoram as funções
sistemas de pastagem pecuária gerenciam interações
ecológicas, levando a maior eficiência e resiliência ao
complexas entre pessoas, rebanhos de várias espécies e
uso de recursos. Por exemplo, globalmente, a fixação
condições ambientais variáveis, construindo resiliência e
biológica de nitrogênio por pulsos em sistemas de
contribuindo para serviços ecossistêmicos como
intercropping ou rotações gera cerca de USD 10 mil de
dispersão de sementes, preservação de habitats e
economia em fertilizantes nitrogenados a cada ano,13
fertilidade do solo.17,18
enquanto contribui para a saúde do solo, mitigação das
mudanças climáticas e adaptação. Além disso, Enquanto abordagens agroecológicas se esforçam
cerca de 15% do nitrogênio aplicado às culturas vem do para maximizar as sinergias, as trocas também
estrume da pecuária, destacando sinergias resultantes ocorrem em sistemas naturais e humanos. Por
da integração entre a cultura e a pecuária. 14 Na Ásia, exemplo, a alocação de direitos de uso de recursos ou
sistemas integrados de arroz combinam cultivo de arroz acesso muitas vezes envolve compensações. Para
com a geração de outros produtos, como peixes, patos promover sinergias dentro do sistema alimentar mais
e árvores. Ao maximizar as sinergias, os sistemas amplo e melhor gerir trade-offs, a agroecologia
integrados de arroz melhoram significativamente os enfatiza a importância de parcerias, cooperação e
rendimentos, a diversidade alimentar, o controle de governança responsável, envolvendo diferentes
pragas, a estrutura do solo e a fertilidade, além de atores em múltiplas escalas.
fornecer habitat de biodiversidade e controle de
pragas. 15

Diversidad
e

COCRIAÇÃO E
COMPARTILHAMENTO DE
CONHECIMENTO

Guiando O Transição Para Sustentável Alimentos E Agrícola Sistemas 5


menos recursos

O aumento da eficiência do uso de recursos é uma Em última análise, a redução da dependência de


propriedade emergente de sistemas agroecológicos recursos externos capacita os produtores aumentando
que cuidadosamente planejam e gerenciam sua autonomia e resiliência a choques naturais ou
diversidade para criar sinergias entre diferentes econômicos.
componentes do sistema. Por exemplo, um desafio
Uma forma de medir a eficiência dos sistemas
chave de eficiência é que menos de 50 por cento
integrados é utilizando as Relações Equivalentes de
de fertilizantes nitrogenados adicionados
Terra (LER). 20 LER compara os rendimentos do cultivo
globalmente às terras agrícolas é convertido em
de dois ou mais componentes (por exemplo, culturas,
produtos colhidos e o resto é perdido para o
árvores, animais) juntamente como rendimento do
ambiente causando grandes problemas
cultivo individualmente dos mesmos componentes.
ambientais.19
Sistemas agroecológicos integrados frequentemente
Sistemas agroecológicos melhoram o uso de recursos demonstram LERs mais elevados.
naturais, especialmente aqueles abundantes e livres,
A agroecologia promove assim os sistemas agrícolas
como radiação solar, carbono atmosférico e
com os necessários sistemas biológicos,
nitrogênio.
socioeconômicos e diversidade institucional e
Ao melhorar os processos biológicos e a reciclagem alinhamento no tempo e espaço para apoiar maior
da biomassa, nutrientes e água, os produtores eficiência.
podem utilizar menos recursos externos, reduzindo
custos e os impactos ambientais negativos de seu
uso.

Diversidad
e

COCRIAÇÃO E
COMPARTILHAMENTO DE
CONHECIMENTO

6 OS 10 ELEMENTOS DA AGROECOLOGIA
O desperdício é um conceito humano – não existe em O ciclo de nutrientes representa 51% do valor
ecossistemas naturais. Ao imitar ecossistemas econômico de todos os serviços ecossistêmicos não
naturais, práticas agroecológicas apoiam processos provisionamento, e a integração da pecuária
biológicos que impulsionam a reciclagem de desempenha um grande papel nisso.22 Da mesma
nutrientes, biomassa e água dentro dos sistemas de forma, nos sistemas arroz-peixe, os animais aquáticos
produção, aumentando assim a eficiência do uso de ajudam a fertilizar a cultura do arroz e reduzir as
recursos e minimizando desperdícios e poluição. pragas, reduzindo a necessidade de insumos externos
de fertilizantes ou pesticidas.
A reciclagem pode ocorrer tanto em escala agrícola
quanto dentro de paisagens, através da diversificação A reciclagem proporciona múltiplos benefícios ao
de uma construção de sinergias entre diferentes fechar ciclos de nutrientes e reduzir o desperdício que
componentes e atividades. Por exemplo, sistemas se traduz em menor dependência de recursos externos,
agroflorestais que incluem árvores de raízes profundas aumentando a autonomia dos produtores e reduzindo
podem capturar nutrientes perdidos além das raízes sua vulnerabilidade a choques de mercado e clima. A
das culturas anuais.21 Os sistemas de cultivo-pecuária reciclagem de materiais orgânicos e subprodutos
promovem a reciclagem de materiais orgânicos usando oferece grande potencial para inovações
estrume para compostagem ou diretamente como agroecológicas.
fertilizante, e resíduos de culturas e subprodutos como
ração animal.

Diversidad
e

RECICLAGEM

COCRIAÇÃO E
COMPARTILHAMENTO DE
CONHECIMENTO

Guiando O Transição Para Sustentável Alimentos E Agrícola Sistemas 7


Sistemas agroecológicos diversificados são mais Em escala microrregional, paisagens agrícolas
resistentes – eles têm uma maior capacidade de se diversificadas têm maior potencial para contribuir para
recuperar de distúrbios, incluindo clima extremo, as funções de controle de pragas e doenças. 24
mesmo como seca, inundações ou furacões, e para
Abordagens agroecológicas podem igualmente melhorar
resistir a ataques de pragas e doenças.
resiliência socioeconômica. Por meio da diversificação
Após o furacão Mitch na América Central em 1998, e integração, os produtores reduzem sua
fazendas biodiversas, incluindo agrofloresta, agricultura vulnerabilidade caso uma única cultura, espécie de
de contorno e cultivo de cobertura, retiveram 20-40% gado ou outras mercadorias falhem.
mais o máximo, sofreram menos erosão e
Ao reduzir a dependência de insumos externos, a
experimentaram perdas econômicas menores do que
agroecologia pode reduzir a vulnerabilidade dos
as fazendas vizinhas que praticavam monoculturas
produtores ao risco econômico. O aumento da
convencionais.23
resiliência ecológica e socioeconômica anda lado
Ao manter um equilíbrio funcional, os sistemas a lado – afinal, os seres humanos são parte
agroecológicos são capazes de resistir a pragas e integrante dos ecossistemas.
ataques de doenças. As práticas agroecológicas
recuperam a complexidade biológica dos sistemas
agrícolas e promovem a necessária comunidade de
organismos interagindo para autorregular surtos de
pragas.

Diversidad
e

COCRIAÇÃO E
COMPARTILHAMENTO DE
CONHECIMENTO

8 OS 10 ELEMENTOS DA AGROECOLOGIA
A agroecologia coloca forte ênfase nos valores Agroecologia pode ajudar mulheres rurais na
humanos e sociais, como dignidade equidade, agricultura familiar a desenvolver níveis mais
inclusão e justiça todos contribuindo para a melhoria elevados de autonomia construindo conhecimento,
da dimensão dos meios de subsistência dos ODS. Ela através da ação coletiva e criando oportunidades
coloca as aspirações e necessidades daqueles que de comercialização. A agroecologia pode abrir
produzem, distribuem e consomem alimentos no espaços para que as mulheres se tornem mais
coração dos sistemas alimentares. Construindo autônomas e capacitá-las em níveis domésticos,
autonomia e capacidades adaptativas para gerenciar comunitários e além – por exemplo, através da
suas agroecossistemas, abordagens agroecológicas participação em grupos de produtores. A
capacitam pessoas e comunidades para superar participação das mulheres é essencial para a
pobreza, fome e desnutrição, ao mesmo tempo em agroecologia e as mulheres são frequentemente
que promove os direitos humanos, como o direito à líderes de projetos de agroecologia.
comida e à administração do meio ambiente para
Em muitos lugares ao redor do mundo, os jovens rurais
que as gerações futuras também possam viver em
enfrentam uma falta de emprego. A agroecologia
prosperidade.
fornece uma solução promissora como fonte de
A ecologia agropecuária busca enfrentar as empregos decentes. A agroecologia baseia-se em uma
desigualdades de gênero, criando oportunidades para forma diferente de produção agrícola que é intensiva
as mulheres. Globalmente, as mulheres compõem em conhecimento, ambientalmente amigável,
quase metade da força de trabalho agrícola. Também socialmente responsável, inovadora e que se gasta com
desempenham um papel vital na segurança alimentar mão-de-obra qualificada. Enquanto isso, jovens rurais
doméstica, na diversidade alimentar e na saúde, bem em todo o mundo possuem energia, criatividade e um
como na conservação e no uso sustentável da desejo de mudar positivamente seu mundo. O que eles
diversidade biológica. Apesar disso, as mulheres precisam é de apoio e oportunidades.
permanecem economicamente marginalizadas e Como um paradigma de baixo para cima, o
vulneráveis a violações de seus direitos, enquanto suas paradigma de base para o desenvolvimento rural
contribuições muitas vezes permanecem não sustentável, a agroecologia capacita as pessoas a
reconhecidas.25 se tornarem seus próprios agentes de mudança.

DIVERSITY

RESILIÊNCIA DA EFICIÊNCIA DE RECICLAGEM SINERGIA RESILIÊNCIA

CO-CREATION AND
VALORES SHARING OF KNOWLEDGE
HUMANOS E
SOCIAIS

Guiando O Transição Para Sustentável Alimentos E Agrícola Sistemas 9


Tradições Culturais e Alimentares
Ao apoiar dietas saudáveis, diversificadas e culturalmente
adequadas, a agroecologia contribui para a segurança alimentar e
nutrição, mantendo a saúde dos ecossistemas.

Agricultura e alimentos são componentes fundamentais A agroecologia desempenha um papel importante no


da herança humana. Assim, as tradições culturais e reequilíbrio da tradição e dos hábitos alimentares
alimentares desempenham um papel central na modernos, unindo-os de forma harmoniosa que
sociedade e na formação do comportamento humano. promova a produção e o consumo de alimentos
No entanto, em muitos casos, nossos sistemas saudáveis, apoiando o direito à alimentação adequada.
alimentares atuais criaram uma desconexão entre Dessa forma, a agroecologia busca cultivar uma relação
alimentos saudáveis e cultura. Essa desconexão saudável entre pessoas e alimentos.
contribuiu para uma situação em que a fome e a
A identidade cultural e o senso de lugar de pessoas
obesidade existem lado a lado, em um mundo que
são intimamente ligadas a paisagens e sistemas
produz alimentos suficientes para alimentar toda a sua
alimentares. À medida que as pessoas e os
população.
ecossistemas evoluíram juntos, as práticas culturais e
Quase 800 milhões de pessoas em todo o mundo estão o conhecimento indígena e tradicional oferecem uma
cronicamente famintas e 2 bilhões sofrem de riqueza de experiência que pode inspirar soluções
deficiências de micronutrientes.26 Enquanto isso, houve agroecológicas. Por exemplo, a Índia abriga cerca de
um aumento desenfreado da obesidade e das doenças 50.000 variedades indígenas de arroz28 – criadas ao
relacionadas à dieta; 1,9 bilhão de pessoas estão com longo de séculos por suas propriedades específicas de
sobrepeso ou obesas e doenças não transmissíveis sabor, nutrição e resistência a pragas, e sua
(câncer, doenças cardiovasculares, diabetes) são a adaptabilidade a uma série de condições. Tradições
causa número um da mortalidade global.27 culinárias são construídas em torno dessas diferentes
variedades, fazendo uso de suas diferentes
Para enfrentar os desequilíbrios em nossos
propriedades. Tomando esse corpo acumulado de
sistemas alimentares e avançar em direção a um
conhecimento tradicional como guia, a agroecologia
mundo de fome zero, aumentar a produção
pode ajudar a perceber o potencial dos territórios
sozinho não é suficiente.
para sustentar seus povos.

Diversidad
e

10 OS 10 ELEMENTOS DA AGROECOLOGIA
Governança Responsável
Alimentos e agricultura sustentáveis exigem mecanismos de
governança responsáveis e eficazes em diferentes escalas – do
local ao nacional e global.

A agroecologia exige uma governança responsável e A agroecologia depende do acesso equitativo à terra e
eficaz para apoiar a transição para sistemas aos recursos naturais – uma chave para a justiça
alimentares e agrícolas sustentáveis. Mecanismos de social, mas também na concessão de incentivos para
governança transparentes, responsáveis e inclusivos os investimentos de longo prazo necessários para
são necessários para criar um ambiente propício que proteger o solo, a biodiversidade e os serviços
apoie os produtores a transformar seus sistemas ecossistêmicos.
seguindo conceitos e práticas agroecológicas. Exemplos
A agroecologia é mais bem apoiada por mecanismos
bem-sucedidos incluem programas de alimentação
de governança responsável em diferentes escalas.
escolar e compras públicas, regulamentações de
Muitos países já desenvolveram legislação, políticas
mercado que permitem a marca de produtos
e programas de nível nacional que recompensam a
agroecológicos diferenciados, subsídios e incentivos
gestão agrícola que melhoram a biodiversidade e a
para serviços ecossistêmicos.
prestação de serviços ecossistêmicos. A governança
A governança da terra e dos recursos naturais é um territorial, paisagística e comunitária, como modelos
exemplo primordial. A maioria das populações rurais tradicionais e habituais de governança, também é
pobres e vulneráveis do mundo depende fortemente extremamente importante para promover a
de serviços terrestres e aquáticos de biodiversidade e cooperação entre as partes interessadas,
ecossistema para sua sobrevivência e qualidade de maximizando as sinergias e, ao mesmo tempo,
vida, mas não têm acesso seguro a esses recursos. reduzir ou gerenciar as compensações.

Diversidad
e

Guiando O Transição Para Sustentável Alimentos E Agrícola Sistemas 11


Economia Circular e
Solidária
Economias circulares e solidárias que reconectam produtores e
consumidores fornecem soluções inovadoras para viver dentro de
nossas fronteiras planetárias, garantindo a base social para o
desenvolvimento inclusivo e sustentável.

A agroecologia busca reconectar produtores e denominação de rotulagem de origem, agricultura


consumidores por meio de uma economia circular e apoiada pela comunidade e esquemas de comércio
solidária que priorize os mercados locais e apoie o eletrônico. Esses mercados inovadores respondem a
desenvolvimento econômico local, criando ciclos uma demanda crescente dos consumidores por dietas
virtuosos. mais saudáveis.
Abordagens agroecológicas promovem soluções justas A reformulação dos sistemas alimentares com base
baseadas em necessidades, recursos e capacidades nos princípios da economia circular pode ajudar a
locais, criando mercados mais equitativos e enfrentar o desafio global do desperdício de
sustentáveis. O fortalecimento de curtos circuitos alimentos, tornando as cadeias de valor dos
alimentares pode aumentar a renda dos produtores de alimentos mais curtas e mais eficiente em recursos.
alimentos, mantendo um preço justo para os Atualmente, um terço de todos os alimentos
consumidores. Estes incluem novos mercados produzidos é perdido ou desperdiçado, deixando de
inovadores,29, 30 paralelo a mercados territoriais mais contribuir para a segurança alimentar e nutrição, ao
tradicionais, onde a maioria dos pequenos agricultores mesmo tempo em que exacerba a pressão sobre os
comercializa seus produtos. recursos naturais. 31
As inovações sociais e institucionais A energia usada para produzir alimentos perdidos ou
desempenham um papel fundamental no desperdiçados é aproximadamente 10% do consumo
incentivo à produção e ao consumo total de energia do mundo,32, enquanto a pegada de
agroecológicos. Exemplos de inovações que resíduos alimentares equivale a 3,5 Gt CO2 de emissões
ajudam os produtores e consumidores de links de gases de efeito estufa por ano. 33
incluem esquemas de garantia participativa,
mercados de produtores locais,

DIVERSITY

RECYCLING EFFICIENCY SYNERGIES RESILIENCE


GOVERNANÇA ECONOMIA CIRCULAR E
RESPONSÁVEL SOLIDÁRIA

H MANOS E SOCIAIS
VALORES U

12 OS 10 ELEMENTOS DA AGROECOLOGIA
Notas
1 11
A Visão Comum para Alimentação e Agricultura Sustentável da FAO Halwart, M. & Bartley, D.M. 2007. Aquatic biodiversity in rice-based
equilibra as dimensões sociais, econômicas e ambientais da ecosystems, pp. 181-199. In: Jarvis, D., Padoch, C. & D. Cooper (eds.),
sustentabilidade em toda a paisagem agrícola e mosaicos marítimos. Ele Managing biodiversity in agricultural ecosystems. British Columbia Press.
traça princípios gerais para sistemas alimentares e agrícolas sustentáveis 492p.
altamente produtivos, economicamente viáveis e ambientalmente 12
corretos, contribuindo para a equidade e justiça social. Os cinco princípios Holt-Giménez, E. 2008. Campesino a campesino: Voces de Latinoamérica
da FAO para alimentação e agricultura sustentável são: 1) melhorar a Movimiento Campesino para la Sustenta Agriculturable. Simas: Manágua.
eficiência no uso dos recursos; 2) conservar, proteger e melhorar os 13
FAO. 2016. Solos e Pulsos: Simbiose para a vida. Rome.
ecossistemas naturais; 3) proteger e melhorar os meios de subsistência 14
rural, a equidade e o bem-estar social; 4) aumentar a resiliência das FAO. 2017. Agricultura Sustentável para a Biodiversidade – Biodiversidade
pessoas, comunidades e ecossistemas; 5) promover uma boa governança para Agricultura Sustentável. Em Roma.
tanto dos sistemas naturais quanto humanos. 15
FAO. 2016. Dimensionamento de sistemas integrados de peixe-arroz –
2
Exemplos incluem: a Avaliação Internacional do Conhecimento Agrícola, Tocando antigo know-how chinês . Cooperação Sul-Sul (disponível em:
Ciência e Tecnologia para t o Desenvolvimento, que pediu o aumento e o www.fao.org/3/a-i4289e. pdf).
fortalecimento das ciências agroecológicas em 2008; o Relatório de 2011 16
Angima, S.D., Stott, D.E., O'Neill, M.K., Ong, C.K. & Weesies, G.A. 2003.
sobre a oecologia da Agroecology e o direito à alimentação, apresentada Previsão de erosão do solo usando RUSLE para as condições das terras altas
pela Relatora Especial sobre o direito à alimentação ao Conselho de do Quênia central. Agricultura, Ecossistemas e Meio Ambiente, 97: 295-
Direitos Humanos da ONU; a Iniciativa de Agricultura Orgânica Ecológica da 308.
União Africana e a Comunidade dos Estados da América Latina e do Caribe 17
Krätli, S. & Shareika, N. 2010. Vivendo da incerteza: a produção animal
(CELAC) têm promovido práticas e políticas agroecológicas em nível
inteligente de pastores da terra seca. Eur. J. Dev. Res., 22: 605-622.
regional; a Abordagem Ecossistêmica (incluindo pilares de bem-estar
18
ecológico, bem-estar humano e governança), endossada pela Convenção FAO. 2014. Serviços Ecossistêmicos Prestados por Espécies e Raças
sobre Diversidade Biológica e aplicada pela FAO por meio de sua Pecuárias, com Especial Consideração às Contribuições de Pecuaristas e
Abordagem Ecossistêmica da Pesca e da Aquicultura desde 2000. Pastores de Pequena Escala. Comissão de Recursos Genéticos para
3 O Alimentos e Agriculture Background Study Artigo nº 66, Rev. 1 (disponível
programa Fome Zero do Brasil dá um exemplo revelador. Fome Zero
em: www.fao.org/3/a- at598e.pdf).
mostrou-se fundamental na redução do poverty extremo (de 17,5% em
19
2003 para menos de 3% em 2013) e na erradicação da fome. O programa Ladha, J.K., Pathak, H., Krupnik, T.J., Six, J. & van Kessel, C. 2005. Eficiência
envolveu um grande número de instrumentos de política e do nitrogênio fertilizante na produção de cereais: retrospectivas e
desenvolvimento, incluindo apoio à produção e consumo de alimentos perspectivas. Avanços na Agronomia, 87: 85-156.
agroecológicos (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). 2013. 20
Mead, R. & Willey, R.W. 1980. O Conceito de "Razão Equivalente de Terra"
Pesquisa nacional por amostra de domicílio: segurança alimentar e vantagens em rendimentos da Intercropping. Agricultura Experimental,
(disponível em: www.ibge.gov.br/home/estatistica/ populacao/). 16(3): 217-228.
4
Os 10 Elements de Agroecologia foram desenvolvidos por meio de um 21
Buresh, R.J., Rowe, E.C., Livesley, S.J., Cadisch, G. & Mafongoya, P. 2004.
processo de síntese. Baseiam-se na literatura científica seminal sobre Oportunidades de captura de nutrientes profundos soi l, pp. 109-125. Em
agroecologia – em particular, os cinco princípios da agroecologia de Altieri e van Noordwijk, M., Cadisch, G., Ong, C.K. (eds.), Interações Belowground
de Gliessman (2015) cinco níveis de transitio agroecológico. ns. Essa base em Agroecosistemas Tropicais, CABInternational, Wallingford (Reino
científica foi complementada por discussões realizadas em ambientes de Unido).
oficinas durante os encontros regionais multi-atores da FAO sobre 22
agroecologia de 2015 a 2017, que incorporaram valores da sociedade civil FAO. 2017. Agricultura Sustentável para a Biodiversidade – Biodiversidade
sobre agroecologia e, posteriormente, várias rodadas de revisão por paraAgricultura Inável susta. Em Roma.
23
especialistas internacionais e da FAO. experts. Altieri, M.A. 1995. Holt-Giménez, E. 2002. Medindo a resistência agroecológica dos
Agroecologia: A Ciência da Agricultura Sustentável . CrC Press. Gliessman agricultores após o furacão Mitch na Nicarágua: Um estudo de caso em
2015. Agroecologia: A Ecologia dos Sistemas Alimentares Sustentáveis . 3rd monitoramento de impacto participativo e sustentável da gestão da terra.
Edição. Boca Raton, FL, EUA, CRC Press, Taylor & Francis Group. Agricultura, Ecossistemas e Meio Ambiente,93: 87-105.
5 24
Prabhu, R., Barrios, E., Bayala, J., Diby, L., Donovan, J., Gyau, A., Graudal, L., Perfecto, I. & Vandermeer, J. 2010. A matriz agroecológica como
Jamnadass, R., Kahia, J., Kehlenbeck, K., Kindt, R., Kouame, C., McMullin, S., alternativa ao modelo de intensificação da terra/agricultura. Processo da
van Noordwijk, M., Shepherd, K., Sinclair, F., Vaast, P., Vågen, T.-G. & Xu, J. Academia Natural de Ciências 107(13): 5786-5791.
2015. Agrofloresta: concretizando a promessa de uma abordagem 25
FAO & Asian Development Bank. 2013. Igualdade de gênero e segurança
agroecológica. In: FAO. Agroecologia para Segurança Alimentar e Nutrição:
alimentar, o empoderamento das mulheres como ferramenta contra a
Procedimentos do FAFaO Simpósio Internacional, pp. 201-224. Em Roma.
fome. ADB: Mandaluyong City, Filipinas.
6
FAO. 2011. Salve e Cresça – Um guia de formuladores de políticas para a 26
FAO. 2017. O futuro da alimentação e da agricultura – Tendências e
intensificação sustentável da produção agrícola de pequenos agricultores.
desafios. Em Roma.
Em Roma.
27
7 OMS. 2015. Obesidade e sobrepeso (disponível em:
FAO. 2014. Serviços Ecossistêmicos Prestados por Espécies e Raças
factsheets/fs311/en/).
Pecuárias, com Especial Consideração às Contribuições de Pecuaristas e
28
Pastores de Pequena Escala. . Comissão de Recursos Genéticos para Estudo Agência Nacional de Recursos Genéticos Vegetais (ICAR). 2013. Por que
de Fundo alimentar e agrícola Artigo nº 66, Rev. 1 (disponível em: conservamos recursos genéticos vegetais? (disponível em:
www.fao.org/3/a- at598e.pdf). www.nbpgr.ernet.in).
29
8
Ridler, N., Wowchuk, M., Robinson, B., Barrington, K., Chopin, T., FAO/INRA. 2016. Mercados inovadores para a agricultura sustentável –
Robinson, S., Page, F., Reid, G., Szemerda, M., Sewuster, J. & Boyne-Travis, Como as inovações nas instituições de mercado incentivam a agricultura
S. 2007. Multimátnico Integrado − Aquicultura Trófica (IMTA): Uma sustentável nos países em desenvolvimento. Em Roma.
potencial escolha estratégica para os agricultores. Aquicultura Economia e 30
FAO/INRA. 2018. Construindo mercados para agroecologia – Uma análise
Gestão,11: 99-110. de diversos options para comercialização de produtos da agroecologia. Em
9
FAO. 2010. Dietas Sustentáveis e Biodiversidade: Direções e Soluções para Roma.
Política, Pesquisa e Ação. Em Roma. 31
FAO. 2017. O futuro da alimentação e da agricultura – Tendências e desafios
10
FAO. 2017. Agricultura Sustentável para a Biodiversidade – Biodiversidade de Roma.
para Agricultura Sustentável. Em Roma. 32
ibid.
33
FAO. 2014. Pegada de desperdício de alimentos Contabilidade de custo total:
Relatório Final. Em Roma.
www.fao.org/agroecology | agroecology@fao.org

© FAO, 2018 - I9037EN/1/04.18

Você também pode gostar