Você está na página 1de 2

Lista de exercícios do Capitulo 12

A que eventos o clínico analítico-comportamental deve estar atento nos encontros


iniciais?

1 – De acordo com o texto de Marmo, o que se faz necessário para se tornar um


bom terapeuta clinico? Somente a formação acadêmica é o bastante? Argumente
sua resposta.

Não é apenas a formação acadêmica que se faz necessária para se tornar um terapeuta
clinico, é necessária também uma formação constante, tanto pessoal, quanto conceitual,
visto que, os desafios da clínica são vários e conforme as vivências com os clientes são
desenvolvidas há de ser perceber isso. Para estar minimamente preparado(a) para as
adversidades diárias da clínica é necessário estudo diário, troca de experiências com
outros terapeutas clínicos e sem sombra de dúvidas a vivência de campo para aplicação
e adaptação de toda teoria estudada.

2 – “O Inicio do processo clinico é um momento sui generis (único em sua vida), em


que duas pessoas que não se conhecem se encontram e uma delas deve se expor
para a outra a fim de conseguir ajuda.” Como devemos nos posicionar para que
realmente esse momento seja reforçador para o cliente?

De forma receptiva e acolhedora, tentando nos abster de comportamentos aversivos ao


que é relatado pelo cliente, colocando entre “parênteses” nossas crenças, valores e
interpretações que possam se apresentar de forma punitiva a escuta feita.

3 – O texto ainda nos traz que dar inicio a um processo analítico não é tarefa fácil,
é preciso discriminar para si mesmo que há um problema e que sozinho não está se
conseguindo lidar. Porem na atualidade, a psicoterapia é cada vez mais aceita
pelas pessoas como uma ferramenta de auxilio. Discorra sobre essa afirmação.

Primeiramente muitas vezes o que faz o cliente buscar ajuda terapêutica é o fato de um
problema se perdurar sem solução. Ao encontro dessa busca pode estar ligado a
indicação de um médico, opinião que historicamente é mais aceita que a de um
psicólogo, para que se busque esse auxílio e nisso pode vir em conjunto a avaliação de
um amigo, ou conhecido que pode mostrar os benefícios atingidos com a terapia.

4 – A indicação para se iniciar um processo terapêutico pode ocorrer de diversas


formas, explique quais seriam essas possibilidades?

Pode se acontecer ao acaso, de modo que nem o cliente e nem o terapeuta sabem nada
um do outro, isso pode acontecer através de uma lista de plano de saúde por exemplo,
ou uma lista qualquer de que o terapeuta faça parte.

Pode acontecer por uma indicação que o terapeuta conhece ou não, mas não manteve
contato, sendo assim, o terapeuta não sabe nada sobre aquele cliente, mas não podemos
afirmar o mesmo de quem o procura, pois pode ser que o cliente tenha buscado essa
indicação com um ex cliente do terapeuta e assim por parte do cliente podem haver
expectativas em relação a terapia e ao psicólogo.

E por último a possibilidade menos neutra, que seria a de alguém com que o terapeuta
mantém contato, podendo ser um parente de um ex colega de turma, alguém que admira
o trabalho do terapeuta em questão e que em alguns casos já trará um breve relato do
caso que lhe indica.

5 – “A psicoterapia é uma agencia de controle especial, na qual o clinico, ao se


colocar desde o inicio em uma posição diferentes dos demais membros da
sociedade, estabelece uma relação diferente de todas as outras que o cliente
experimento.” (Skinner, 1953/2003). Discorra sobre essa afirmação discutindo que
diferencia o psicólogo clinico das demais relações as quais o sujeito possui.

Se diferencia no sentido de o cliente presumir que essa escuta será livre de julgamentos,
que geralmente o cercam em uma conversa habitual, que será escutada através de uma
escuta clínica e analítica, o que implica em uma escuta que o auxiliará na
“desmistificação” de seus comportamentos, auxiliando-o em uma nova busca de
repertório de comportamentos e ações para lidar com o/os problema(s) em questão.