Você está na página 1de 55

SUTURA (STITCHING)

Uma peça de ANTHONY NEILSON


Tradução de FELIPE VIDAL (2.º tratamento)

Um
Um homem e uma mulher, em silêncio, até que...

Stu Tá.

(Pausa.)

Posso fazer a pergunta óbvia?

(Pausa.)

Só quero saber o que tá fora de questão.

(Pausa.)

Abby A decisão não é só minha.

(Ele olha para ela em dúvida.)

Stu Não, mas é só que você sempre disse que seria.

Abby Minha decisão?

Stu Decisão da mulher. E é: É seu corpo e é sua decisão, se você


disser não, é o ponto final e nós vamos saber que isso não vai estar
mais em jogo.

(Ela se irrita com a formalidade do termo.)

Eu sei que isso pode parecer frio, mas eu to tentando ser lógico.

(Pausa.)

Abby É isso que você quer?

Stu Não, eu só –

Abby Então vou tirar.

1
(Pausa.)

Stu Tá.

(Pausa.)

Não acho que você tenha refletido mesmo sobre isso.

Abby É isso que você quer?

Stu Não tem a ver com o que eu quero – tem a ver com o que você
quer.

Abby O que eu quero, depende do que você quer.

Stu Eu não sei o que eu quero.

(Em resposta a expressão dela.)

O que foi?

Abby Então isso é uma resposta, não é?

Stu Como isso é uma resposta?


Você sabe o que você quer? Por que se souber o que você quer, então
me diz que a gente parte daí.

Você sabe o que você quer?

(Pausa.)

Abby Não.

Stu Tudo bem! Nenhum de nós dois sabe o que quer. Então talvez nós
possamos entender o que nós não queremos, daí, o que vai sobrar
será...

Abby O que queremos.

Stu (concordando com a cabeça) O que queremos.

(Pausa.)

2
Abby Então, o que nós não queremos?

(Pausa.)

O que você não quer?

Stu Não tem a ver com o que eu não quero – tem a ver com o que
você não quer.

Abby O que eu não quero, depende do que você não quer.

Stu Eu não sei o que eu não quero.

(Eles estão conscientes da estupidez disso tudo.)

Tá bom, olha – tem outra pergunta que eu tenho que te fazer. Eu não
queria perguntar isso, mas eu – tenho, tá?

(Pausa.)

OK?

(Pausa. Ela assente levemente com a cabeça.)

Você tem certeza que é meu?

Abby Vai se fuder!

(Ela sai do quarto.


Ele enterra a cabeça nas mãos.
Pausa.
Ela volta.)

Abby De quem é se não é seu, porra?! Por que eu iria estar falando
com você sobre isso se não é seu, caralho?!

Stu Não é uma pergunta sem propósito...

Abby Foda-se!
Eu não fui a única que andou fazendo putaria – !

Stu Eu não to dizendo que você é –

Abby Você saiu trepando por aí o tanto quanto eu – !

3
Stu Eu sei! Não é essa / a questão - !

Abby Mas eu sou aquela que foi feita pra se sentir uma merda – !

Stu Eu não to tentando fazer você se sentir uma merda –

Abby Então por que você me pergunta uma coisa dessas, se não é pra
me fazer sentir uma merda?!

Stu Por que eu não –

Abby Por que é desse jeito que isso me faz sentir! Uma merda!

Stu Olha, eu não to dizendo que eu não andei fazendo isso – eu fiz –

Abby Então por que você tá me perguntando uma coisa dessas?

Stu Por que você tá grávida!!

Abby Ah, me desculpa por eu ter um útero!


Eu não tava tão nervosa com essa estória, mas agora tô ficando
completamente sufocada!

Stu Isso é loucura. Um de nós é absolutamente louco.

Abby Você!

Stu É. talvez. Não sei mais. Não sei mesmo.

(Pausa.)

Vamos fazer aquela coisa do papel.

Abby Não.

Stu Vamos.

Abby Pra quê?

Stu Por que nós não estamos chegando em lugar nenhum desse jeito.
tá agressivo (litigioso) Demais. Vamos fazer a porra do lance do papel.
Eu pego as coisas, tá?

4
(Pausa. Ele sai.
Ela enterra a cabeça nas mãos.)

Stu (fora de cena) Cadê as canetas?

(Pausa.)

Abby Debaixo do telefone!

(Pausa.)

(Grita.) Debaixo do telefone.

Stu (fora de cena) Debaixo do telefone?

(Pausa.)

(Ele volta com papel e canetas.


Ele estende um lápis pra ela.)

Abby Lápis?

(Bufando profundamente, ele estende a caneta pra ela.)

Não, tá certo –

Stu Não, tudo bem, pega a caneta

Abby Não tem outra caneta?

Stu Eu não me importo de ficar com o lápis. Mesmo.

Abby Não, tudo bem, eu fico com o lápis.

(Ela pega o lápis. Ele senta.)

Stu Certo. Quer começar?

(Ela dá de ombros.)

Tá, eu começo.

(Ele pensa por um momento então escreve. Ele balança a caneta uma
ou duas vezes, para a tinta correr.)

5
Stu (escreve:) Desculpe por perguntar isso, mas tente enxergar do
meu ponto de vista. É possível.

(Ele passa o pedaço de papel para ela.


Ela lê.)

Abby Caralho – !

(Violentamente ela escreve, nós percebemos que ela só está escrevendo


“vai se fuder” então ela joga pra ele.)

(Ele nem pega.)

Stu Isso não é muito construtivo, é?

(Pausa.)

Vamos.

(Pausa.)

(Ela escreveu uma resposta inteira e mostra pra ele):

Isso NÃO é possível porque a) foi há muito tempo atrás b) a não ser
com VOCÊ, eu usei proteção.

(Ele lê, assente, escreve uma resposta inteira) Tá bom – aceito a


resposta. Era tudo que eu queria saber.

(Ele estende pra ela – então pega de volta para escrever um adendo):
Todos os nossos problemas são de comunicação.

(Ele passa pra ela.)

(Pausa.)

Abby O que isso quer dizer?

Stu Todos os nossos problemas são de comunicação.

Abby Isso é babaquice.

(Pausa.)

6
Por que a gente não volta pra terapia de casal?

Stu (bufa profundamente)

Abby Nos ajudou por um tempo.

Stu Por um tempo...

Abby Não, mas a gente não aproveitou o que podia. Você sabe que
sim.

Stu Sim, mas por quê?

(Pausa. Ela percebe que a pergunta dele não é retórica.)

Abby Eu?

Stu Nós...

Abby Não fui eu que não aproveitei.

Stu O que, então fui eu?

Abby No começo sim, acho que foi.

Stu Como fui eu?

Abby Não to negando que eu não aproveitava também, mas foi por
que as vezes eu desistia de tentar.

Stu O que é não aproveitar.

Abby (pausa.) Sim, mas...

Stu O que eu quero dizer é que na verdade não importa quem deixou
de aproveitar primeiro...Por que o que tinha que acontecer, era o outro
“jogar a bola pra frente” e vice-versa. Esse é o ponto. É como você não
deixar de aproveitar.

Abby Você não pode tocar em frente sozinho.

7
Stu Não, mas eu não acho que você teve que tocar em frente sozinha.
E acho que você é que começou a parar de aproveitar.

Abby Eu?

Stu Naquele momento, sim.

Abby Olha, isso tudo é uma idiotice –

Stu Pêra aí, não vai dizendo só que ‘isso tudo é uma idiotice’ –

Abby Eu não falei desse jeito –

Stu Você falou sim – ‘isso tudo é uma idiotice!’

Abby Eu não disse – ‘isso tudo é uma IDIOTICE!’

Stu Bom, desse jeito não –

Abby Eu disse, ‘Olha, isso tudo é uma idiotice.’

Stu Porra, você falou; foi e disse ‘isso tudo é uma IDIOTICE!’ E isso
não ajuda nada pois só me emputece mais.

Abby Ah, desculpe por te emputecer!

(Pausa.)

Stu Ok, vamos dizer que fui eu que deixei de aproveitar, tá? Pra
objetivar a discussão, fui eu que não aproveitei. Não importa –

(Pausa.)

Abby Talvez eu tenha começado a parar de aproveitar. De algum


modo eu / provavelmente fiz isso.

Stu Pêra aí, o que é isso? Quando eu digo que fui eu que não
aproveitei, agora você diz que foi você?!!

Abby Eu não estou dizendo que tudo fui eu – !

Stu Não, mas é esse o problema; é só ataque, defesa, ataque ,defesa


8
Abby Você faz isso também!

Stu Eu não to dizendo que é só você! Porra, meu Deus!

(Pausa.)

Abby Eu não quero trazer uma criança ao mundo com os seus pais
brigando o tempo todo.

Stu Você acha que eu quero? (Pausa.) Eu vivi anos da minha vida
assim, meu Deus.

Abby Não, mas eu não quero. E não vou. O que quer que isso
signifique.

(Pausa. Ele assente)

Então a gente tem que resolver isso e tem que ser agora. Temos que
ser honestos com nós mesmos. Concorda?

(Ele dá de ombros e concorda relutantemente. Abby canta:)

We will fix it , we will mend it (Vamos consertar isso, Vamos Ajeitar


isso)

Stu A gente ta precisando de álcool.

(Ele sai. Pausa.)

Abby (canta) We will fix it , we will mend it (Vamos consertar isso,


Vamos Ajeitar isso)

9
Dois
Uma quitinete.

Stuart espera.
Abby entra, cuidadosamente, e dá uma volta perto da porta.

(Pausa.)

Abby Legal.

Stu Não, não é. Mas vamos lá.

(Pausa.)

Pode entrar direito, você não vai pegar nada contagioso, não.

Ela entra. Pausa. Eles se abraçam apaixonadamente. Ele enterra sua


cabeça no pescoço dela. Ela o empurra e dá um tapa na cara dele.

Abby O dinheiro primeiro.

(Pausa.)

Stu Sério? Você quer dinheiro?

Abby Eu tinha dito, não?

Pausa. Ele a toca novamente.

Stu Você disse um monte de coisas.

Ela o esbofeteia novamente, mais forte.

Tá doendo, caralho!

Abby Eu não to brincando.

Stu Quanto?

Abby Cem.

Stu Cem?! E o que eu ganho com isso?

10
Abby Sexo.

Stu Sexo?

Ela asssente.

Abby Penetração.

Stu Só penetração?

Ela asssente.

E sexo oral? Você faz?

Abby (encolhe os ombros) Por que não?

Stu E quanto é?

Abby Hum – cento e vinte.

Stu Cento e vinte? Mas é mais caro do que o sexo.

Abby Não costuma ser assim?

Stu Costuma ser menos por um boquetinho do que por sexo.

Abby Por quê?

Stu Bom, por que - não é uma “grande coisa”.

Abby Não é?

Stu Não demora tanto.

Abby Não tem sido essa a minha experiência.

Stu Mas, não é tão íntimo, é?

Ela pensa.

Stu A vagina é mais íntima do que a boca.

Abby Não, não é. Dentro é dentro. Talvez seja mais secreto; mas não
é mais íntimo.

11
Pause.

Stu Então, quanto é a punheta?

Abby Mesmo preço / que pra qualquer outra pessoa.

Stu que pra qualquer pessoa / tá, OK – Quanto pela bronha?

Abby Cento e cinqüenta.

Stu Cento e cinqüenta?! Mas masturbação é muito menos íntimo do


que penetração ou sexo oral!

Abby É muito mais esforço.

(Pausa.)

Stu Tô achando que você não tem a manha, não.

Abby Sou só uma estudante, tentando me virar.

Stu Uma estudante madura.

Abby Sim. Uma estudante madura.

(Pausa.)

Stu Faz por cinqüenta?

(Pausa.)

Abby OK.

Stu OK??

Ela dá de ombros.

Tá certo.

(Pausa.)

Senta aqui do meu lado então.

12
Pausa. Ela senta do lado dele. Ele toca a mão dela. Ela não corresponde.
Ele repousa a cabeça dele no ombro dela. Ela se levanta.

Abby Não faz isso, por favor.

Stu Desculpe –

Abby Não é pra isso que eu to aqui.

Stu Eu sei. Desculpe.

(Pausa.)

Abby Isso não tem nada a ver com amor. É só uma trepada pra mim –
uma trepada em um enorme oceano de trepadas.

Stu Um oceano de trepadas. Fechei com você, completamente.

(Pausa.)

Então vamos lá.

Abby O dinheiro primeiro.

Ele procura nos bolsos.

Stu Eu vou ter que ir num caixa eletrônico

Abby Caixa eletrônico? Faz direito o seu papel e eu estou fazendo o


meu.

Pausa.

Stu Você vai confiar em mim?

Abby Por que eu deveria fazer isso? Eu nem te conheço.

Stu Eu vou pegar o dinheiro. Eu pego pra você quando você for
embora.

Abby To indo embora agora.

Ela começa a sair.

13
Stu Não, espera –

Ele procura nos bolsos novamente. Cata algumas notas

Eu tenho – uns trinta pounds mais ou menos.

Abby Não é o suficiente.

(Pausa.)

Relógio.

Ela aponta pro punho dele.

Stu Você quer o meu relógio?

Abby Por garantia.

Stu Não vale nada. Não dinheiro, pelo menos. (Pausa.) Era o relógio
do meu pai. (Pausa.) Ele morreu.

(Pausa.)

Abby Sinto Muito.

Ele assente. Pausa.

Stu Ele teve um / ataque cardíaco.

Abby Não me conta essas coisas. Eu não quero saber.

(Pausa.)

Quando você me pagar, eu te devolvo.

Pausa. Ele assente, tirando o relógio e entregando a ela.


Ela olha pra o relógio.

Stu O que foi?

Abby Quatro e quarenta e quatro.

Stu Que horas você pensou que fossem?

14
Abby Não, é que toda vez que eu olho pra um relógio, é sempre uma
hora com números iguais, três e trinta e três, ou quatro e quarenta e
quatro, ou onze e onze. Quase sempre onze e onze.

(Pausa.)

Stu O que você acha que isso significa.

Abby Nada. O que poderia significar?

Ele dá de ombros.

Abby Nada.

Ela põe o relógio na bolsa.

Então o que você quer? Sexo?

Stu Acho que sim.

Ela tira o casaco e pega algo na bolsa.

Camisinhas.

Abby Claro.

Stu Você tá bem preparada.

Abby Todas as estudantes carregam camisinhas.

(Pausa.)

Stu Devemos ir pro quarto?

Abby Onde você quiser.

Pausa. Ele entra no quarto. Ela o segue.

Música.

As luzes se movem no quarto vazio, como nuvens que passam


atravessando o céu.

Stuart volta, ajeitando as calças. Ele senta acende um cigarro.

15
Abby chega na porta, vestindo a blusa.

(Pausa.).

Abby Bom, podemos ir?

Ele assente. Pausa

Stu Eu lembro que quando eu era criança –

Abby Olha, não enche OK? Eu sei que você acabou de gozar, mas eu
não preciso que você fique todo sentimental comigo

Stu Não é sentimentalismo, eu –

Abby Eu não me importo. Eu caguei pra o que você se lembra.


Tudo que eu quero é o dinheiro que você me deve.

(Pausa.).

Stu Eu pago pra você ficar. Eu pago pra você ouvir.

Abby Você não iria ter dinheiro o suficiente pra isso.

Ele assente. Pausa.

Ele põe o casaco. Ela o assiste.

Abby (Voz Off)

Será que isso vai ser uma memória?


Não sentimos elas, desse jeito? Será que a gente sente quando elas
estão se formando?
Como nós sabemos os momentos que vão ficar marcados em nós?
Talvez eu nunca mais tenha nenhum.
Talvez as minhas memórias todas tenham ficado para trás.

Stu Certo.

Saindo do transe, ela procura as chaves dela na bolsa.

Stu No momento em que eu puser esse dinheiro na tua mão, você vai
se tornar uma puta. Você sabe disso, não sabe? Não tem nenhuma
outra palavra pra isso. Você vai ser uma puta.

16
As chaves dela estão lá.

Abby E se eu não pegar, o que eu vou ser então?

Stu Apenas uma mulher. Uma mulher que encontrou um homem e fez
sexo com ele.

(Pausa.)

Abby Eu acho que eu vou ficar com o dinheiro, por favor.


(Pausa.)

Stu Então, se você é uma puta, eu posso contratar os seus serviços


novamente, não posso?

(Pausa.)

Que tal domingo?

Abby Domingo é dia do Nosso Senhor.

(Pausa.)

Stu Foda-se ele.

Luzes caem em Fade out

17
Três
Stu (fora de cena) Cadê o saca-rolha?

Abby Não tá na gaveta?

Stu Não, óbvio que não...

Abby Tava lá hoje de manhã...

Pausa. Ele entra com uma garrafa de vinho, duas taças e o saca-rolha.
Começa a tirar a rolha do vinho.

Abby Onde tava?

Ele finge não ouvir.

Stu O quê?

Abby O saca-rolha.

Stu (resmungando) Tava na porra do fundo...

Abby Na porra do fundo da GAVETA?

Ele ignora a provocação dela. Estende para ela uma taça de vinho.

Stu Bom...

Abby Bom, o quê?

Stu Sei lá. Parabéns, eu acho.

Abby Parabéns.

Stu Bom, significa que nós somos férteis, né?

Abby Nunca pensei que nós não fossemos.

Stu Eu pensei.

Abby Eu sei. É por isso que eu tô grávida.

Pausa. Ela toca a taça dela na dele.

18
À fertilidade.

Eles bebem. Pausa.

Eu nunca tive a intenção de entrar na tua.

Stu Ih, lá vem você com esse papo.

Abby Você sabe por que eu entrei?

Stu Meu físico avantajado?

Abby Não, foi um sonho que eu tive.

Stu Um sonho?

Abby Nunca te contei isso?

Stu Não lembro.

Abby É bobo, na verdade. Tive um sonho que a gente tava vivendo


um com o outro. E no sonho, a gente se amava, e tava tudo tão bom e
ma sentia tão bem. E aí, quando eu acordei, num instante, eu tava.

Stu Tava o quê?

Abby Amando você. (Pausa.) Tudo bem, não amaaando você, não no
exato momento, mas eu me senti perto de você; e de repente isso
passou a ser uma possibilidade.

(Pausa.)

Isso é ruiml?

Stu O quê? Que o nosso relacionamento inteiro é baseado num sonho?

Abby Não é baseado nisso. Se você virasse um escroto, eu não teria


ficado apegada a isso por causa do sonho.

Stu Eu pensei que eu tinha virado um escroto.

Abby É?

19
Stu Não sei. Mas pelo que eu me lembre você já me chamou de
escroto.

Abby Quando eu te chamei de escroto?

Stu Que dia é hoje?

Abby Terça.

Stu Segunda-feira passada.

Abby É, bom, na segunda-feira passada você foi um escroto.

(Pausa.)

Stu E se você não tivesse tido esse sonho...?

Abby Caralho, eu não devia ter te contado!

Stu Acho bom que você tenha me contado.

Abby Não é nada de mais.

Stu Não, só é um pouco incomodo descobrir que nosso relacionamento


inteiro é baseado num sonho.

Ela suspira (bufa). Pausa.

Abby De qualquer maneira é tudo baseado num sonho. A casa, as


crianças, os cachorros, o felizes-para-sempre. É isso que doi quando
você perde. É isso que você perde; o pequeno sonho que você teve.

Stu Você perde a pessoa.

Abby Não, você não perde.

Stu É perder a pessoa que dói, não os sonhos.

Abby Não, porque você não perde a pessoa. Se a gente se separar,


você não vai me perder. Eu ainda vou estar por aí. O que você perderia
é – o nosso possível futuro.

(Pausa.)

20
Stu E sobre isso que nós estamos falando aqui? Que se não tivermos
essa criança, acabou?

Abby Qual seria o sentido em continuar?

Stu Tá vendo, é você quem perderia um sonho, ou um futuro, não eu.


Por que eu não acho que isso tem a ver com se tivermos um filho, e
ponto. Isso tem a ver com se tivermos um filho agora.

Abby Não, não é assim. Você sabe que não é.

Stu Sei?

Abby Sim, porque eu não tenho mais tempo pra ficar trepando por aí,
Stuart.

Stu Isso não te impediu antes.

(Pausa.)

Abby Você quer leva pra esse lado? Quer? Você quer mesmo levar pra
esse lado?

Stu Não –

Abby Por que eu posso levar pra esse lado se você quiser!

Stu Não, não quero, desculpa. Não quero levar pra esse lado.
Desculpa. Eu entendo o que você tá dizendo a respeito de não ter
tempo, mas acho que você ta exagerando.

Abby Não me diz que eu to exagerando! Eu sei como eu me sinto.

Stu Você só tem trinta...

Abby É, e aí eu fico enrolando por mais quatro anos esperando por


você, é isso? E o que acontece então? Aí eu tenho que encontrar outra
pessoa e então quando eu tiver encontrado, eu tenho que decidir se eu
quero ter filho com ele e então ‘vupt’, tô com quarenta!

Stu Aaah, quarenta!

Abby Bom, talvez eu queira ter mais de um filho. Precisa de muita


energia pra criar filhos- é cansativo – !

21
Stu Você ta levando em consideração que eu vou ficar dizendo não
durante por quatro anos, mas talvez eu não fique, a gente pode estar
um pouco mais organizado, com nossas carreiras mais estabelecidas –

Abby Não fode, nós não temos essa criança, é isso.

A “enormidade” do que ela disse fica no ar, chocando até mesmo ela.

Eu vou jogar isso na sua cara. Eu sei que eu vou.

Stu Isso é chantagem.

Abby Chama do que você quiser. Teve que ser. Pra mim foi assim e é
isso.

Pausa. Ela sai. Ele serve outro drinque para si mesmo.

Stu (em off)

É você, então?
É a sua a última boca que eu vou beijar, a última buceta que eu vou
tocar, o último mamilo que eu vou chupar?
Você é tudo que está entre mim e o túmulo?
Tô errado de sentir medo; sou fraco, sou raso?
Isso significa que eu não te amo?
Você não sente isso também?

22
Quatro
Abby entra, carregando seu casaco.

Stu Tá atrasada.

Abby Eu sei.

Stu Isso é um pedido de desculpa?

Abby Não, não é. Só tô atrasada.

(Pausa.)

Stu Por que você tá atrasada?

Abby Nenhum motivo. Tô só atrasada.

(Pausa.)

Stu Você nunca se atrasou antes.

Abby Então por que você tá fazendo um cavalo de batalha?

Stu Não tô, eu só – Não tô.

(Pausa.)

Abby Tá bêbado?

Stu Não, não tô bêbado – só tô bebendo. Quer se juntar a mim?

Ele oferce a garrafa a ela. Pausa


Ela toma um longo gole, e devolve.

Stu Uhn, eu gosto de você. Você é uma figura.

(Pausa.)

Stu Como tá a faculdade?

Abby Educativa.

Ele balança algum dinheiro para ela. Sorrindo, ela vem.

23
Ele simula surpresa.

Abby Que foi?

Stu Que é isso na tua boca?

Abby Onde?

Stu Abre a boca.

Ela abre a boca. Ele enfia o dinheiro dentro dela. Ela cospe.

Abby Babaca. Você não sabe por onde isso andou.

Stu Sei sim. William Hill’s.

Ela toma outro drink.

Eu tenho mais uma coisinha pra você. Um presente.

Abby Não quero presente / nenhum.

Stu Uns lances que acho que podem ajudar na sua nova carreira.

Ele dá pra ela uma pasta cheia de folhas de papel.

Ela folheia. É pornografia baixada da internet.

É uma coisa maravilhosa a internet, você não acha?


Quer dizer, quando eu era criança, a gente tinha a esperança de
encontrar alguma coisa escondida numa moita. Agora tá tudo aí; todas
as perversões conhecidas pelo homem, bem ao alcance dos dedos. Você
põe um nome, e alguém em algum lugar fez e pôs as fotos na net.

Abby Isso devia me chocar?

Stu Não. Só pensei – você sabe – sem querer ofender, mas você é
amadora. Essas aí são as profissionais –

Ela joga a pasta de lado.

Eu sei, você não é uma puta. Você é só uma estudante madurona,


tentando se virar.

24
Abby O que quer que eu seja, não sou uma estrela pornô.

Ele cata as folhas.

Stu Não, mas precisa da mesma habilidade – saber o que os homens


querem –

Abby Eu sei o que os homens querem.

Stu Não acho que você saiba. Quer dizer, olha pra você.

Abby Quê que tem?

Stu Começando pelos sapatos.

Abby O que tem de errado com eles?

Stu Bom, tenho certeza que eles são bastante atraentes pra
estudantes, mas se você quer levar seu trabalho a sério, tem que ser
salto. Bota, salto agulha – alguma coisa que deixe a perna mais
longilínea. Você sabe por que? Por que as pernas de uma garota ficam
mais longas quando ela atinge a maturidade sexual. Então, pernas
compridas significam plena maturidade e... você nunca aprendeu isso
em psicologia?

(Pausa.)

Eles também afetam sua postura, empurrando os peitos pra frente e


empinando a bunda. Falando nisso você tá magra demais: o que você
anda comendo?

Abby Porra, na maior parte do tempo. E às vezes granola.

Stu Come mais gorduras e carboidratos, bota um pouco de carne pra


dentro de você. Sempre saia – nunca calça – tá me ouvindo?

Abby Sim, senhor. Vou arranjar uma saia de couro, senhor, se é isso
que tenho fazer.

Stu Não tem que ser uma coisa mais tipo “garota de escola”

Abby Os homens querem trepar com a as garotas da escola. Que


revelação!

25
Stu Não a gente não quer trepar com as garotas de escola. Nós
queremos trepar com mulheres vestidas de garota de escola. Porque a
gente lembra delas com carinho – lembra das coxas pequenas delas, os
decotes e os seus mamilos tímidos nos seus maiôs de banho...

Abby Parece que você quer trepar com elas.

Stu É, mas é ilegal. Então você tem que fazer isso. Daí você tem que
calçar meias também – até a coxa é melhor -

Abby Essas são 7/8.

Stu Isso –

Abby Garotas de escola não usam meias 7/8.

Stu Não, tá – bom, até o joelho também rola. São todas boas. Todo
esse negócio de meia e sapato é ótimo. Maquiagem também. Você tem
que usar maquiagem.

Abby Eu tô usando maquiagem.

Stu OK, mas batom –

Abby Eu tô de batom!

Ela mostra pra ele. Pausa.

Stu Muito sutil. Batom tem que ser vermelho brilhante, por que é sua
vagina –

Abby Não fala merda.

Stu Ah, “isso é merda”, é?

Abby Eu não to tentando fazer com que minha boca pareça com
minha buceta.

Stu Tá, não é esse o ponto; eu tô te dizendo o que os homens


querem; e eles querem lábios úmidos, vermelhos e brilhantes.

Abby Minha buceta não é vermelha e brilhante: o que você acha que
eu sou, uma babuína?

26
Stu Liga, espartilho, com isso não tem como errar. A cor é importante
também; eu pessoalmente não gosto muito de cores primárias. Preto é
bom mas a melhor de todas e branco por que é... clean e –

Abby Virginal.

(Pausa.)

Stu Desculpa.

(Pausa.)

Despir: Todo despir deve ser bem lento, especialmente o tirar a


calcinha. Deve ser feito com suas costas curvadas, então sua bunda vai
ficar proeminente e apontando pra mim. Só deve usar calcinha pequena,
nada de calçolão. Os polegares devem enganchar nas laterais e irem
escorregando devagar pra baixo, num gesto suave, revelando, ao
mesmo tempo, seus grandes lábios.

Abby Jawohl, mein Kapitan!

Stu Beijo –

Abby Eu não beijo.

Stu Não, nem elas, não propriamente. Porque beijo não fotografa
bem. Não dá pra ver o que tá acontecendo e você deve lembrar que
homens são muito visuais. Eles gostam de ver. Então o que se faz é
lamber a língua um do outro. Põe a língua pra fora.

Ela põe a língua pra fora. Pra ele.

Stu Não, direito. Vem aqui.

Abby Eles lambem a língua um do outro, entendi.

Stu Não, mas vem aqui.

Abby Pra quê?

Stu Você não quer ser boa no que você faz?

Abby Eu não sou boa o suficiente?

27
Stu Boa o suficiente não é o suficiente.

Abby O mercado é livre. Procura outra.

Ele agarra ela pelos cabelos

Stu Não me diz pra eu procurar outra! Se eu tenho que te pagar como
uma puta, então é isso que eu vou querer, a puta dos meus sonhos, a
mãe de todas as putas, não uma idiota de sapatos confortáveis!

Abby Solta meu cabelo.

Pausa. Ele solta.

Pausa. Ela chega perto dele, e recoloca a mão dele atrás de sua cabeça.

Abby Faz de novo.

Ele torce os cabelos nas mãos.

Mais forte.

Ele torce mais e o rosto dela se contorce de dor.

Stu Você ta gostando disso, né?

Ele torce ainda mais

Ta gostando disso, sua putinha?

Eles caem de joelhos.

Abby Me diz o que você vai mandar eu fazer.

Stu A gente não vai trepar mais. Nem vai usar camisinha. Você vai
chupar meu pau. E lamber meu saco. E você vai ficar olhando pra mim
enquanto faz isso.

Abby Tá.

Stu Você vai chupar meu pau como se sua vida dependesse disso.

Abby Tá.

28
Stu E você vai abrir a boca e botar a língua pra fora e vai implorar pra
que eu goze na tua boca –
E aí eu vou gozar na tua garganta e você vai engolir e vai babar como a
putinha que você é.
Não vai?

Abby Vou.

Stu E se eu ficar com vontade de mijar, eu vou mijar em você, na tua


cara nos teus peitos e você vai engolir também, não vai?

Ele sacode as fotos da pasta.

Você não quer ser uma puta? Eu vou te mostrar o que as putas fazem.

Ele encontra uma foto, mostra pra ela.

Você acha que pode fazer isso? Acha que pode chupar um cavalo? Acha
que agüenta o pau de um cavalo dentro de você?

Ele mostra outra pra ela.

Olha essa – acha que pode fazer isso? Acha que pode comer a merda de
outra mulher? Isso é chocante o suficiente pra você?

Ele mostra outra pra ela.

Acho que pode enfiar uma garrafa no cu? Ou essa; acha que pode fazer
isso?

Ele pega um pedaço de papel amassado do bolso e mostra pra ela.


A partir daí, ela recua.

Abby Para!

Pausa. Ele a deixa. Ela se afasta dele. Pausa

Abby Por que você me mostrou isso?

(Pausa.)

E assim que você passa seu tempo? Baixando fotos de mulheres se


mutilando?

29
Stu Encontramos os seus limites, né?

Ela pega a foto novamente e olha pra ela.

Abby Por que você me mostrou isso? Isso te excita? Uma mulher
costurando a buceta?

Ela joga o papel nele. Pausa.

Espero que não. Pro seu bem.

Stu Tenho certeza que ela foi paga pra fazer isso.

Abby Ninguém tá te forçando a fazer isso. Você não quer me pagar,


tudo bem. Eu vou embora. Se você sente que isso é triste e inadequado.
Eu vou embora.

Se você tá muito duro pra me pagar, tranquilo. Eu vou embora.


(Pausa.)

Só diz uma palavra que eu vou embora.

(Pausa.)

Só diz uma palavra. Apenas diz uma palavra.

Stu Vai embora, então.

(Pausa.)

Abby Falou.

Ela vai até a porta: mas pára lá.

Stu Não. Não vai.

Ele não vê, mas ela está aliviada.

(Pausa.)

A primeira vez que eu gozei, sabe pra que eu tava olhando?


Um livro sobre Auchwitz. Todas aquelas mulheres nuas na fila,
esperando pra ir pra câmara de gás. Eu me lembro de pensar de como
as bucetas delas eram peludas.

30
Cinco
Toca música: uma balada exageradamente melosa.
A música vai sumindo.

Stu Abby?!

Ela re-entra.

Por que você fez isso?

Abby Por que isso é besteira.

Ela pega o caderno e uma caneta.

Ok: vantagens de ter um filho, desvantagens de ter um filho.

Ela desenha uma linha no centro da página.

Desvantagens... o relacionamento tá um desastre. Que mais?

(Pausa.)

Stu Falta de espontaneidade.

Abby Espontaneidade?

Stu É, quer dizer você não vai poder simplesmente acordar e sair pra
gandaia quando tiver vontade; vai ter que ter babá e essas bobagens
todas.

Abby Mais quando a gente faz isso, quer me dizer?

Stu Sim, mas a gente podia ter feito se a gente quisesse.

Abby Tá, então a gente não vai poder mais fazer nada espontâneo
mesmo nuca tendo feito nada espontâneo?

Stu E tem o custo dessas coisa; babás etc. Então a gente não iria
poder ter dinheiro pra fazer nada espontâneo mesmo que a gente
quisesse. Ou iria?

Abby Bom, isso faz sentido.

31
Stu Então, outra desvantagem – o custo disso tudo: carrinho de bebê,
roupa e fraldas...

Abby Nós dois trabalhamos.

Stu Mas não vamos poder continuar, vamos?


Podemos trabalhar os dois. Mas não no começo.

Abby Tenho certeza que a gente pode dar um jeito.

Stu Eu não posso tirar folga, Abby. Não agora.

Abby Não agora...

Stu No próximo ano pelo menos, você sabe que eu não posso Se eu
foder com aquele contrato nenhum de nós vai ficar na boa, vai?

Abby Tá, então basicamente o q você ta dizendo é que você não quer
ter esse filho, então por que você não diz isso apenas?

Stu Eu não to dizendo que eu não quero ter...

Abby Bom, você só vem com negativas, quer dizer, você não pode
pensar em pelo menos uma vantagem de ter esse filho?

Stu Claro que eu posso pensar em vantagens –

Abby Tipo qual?

Stu Tipo simplesmente – ter um filho; ter alguma coisa que você ama
e que te ama de volta, isso seria – Legal.

Abby Legal?

Stu Ótimo. Maravilhoso. Sensacional. Tá certo?


Não é isso, a questão é se nós estamos prontos pra isso agora.

Abby Se algum dia estaremos prontos pra isso.

Stu Não é isso que tamos tentando descobrir?

Ela volta para a outra página

32
Abby Sim – Onde nós erramos, fomos precipitados de mais, fizemos
sexo rápido de mais. Você não tinha nem terminado com sua outra
namorada. Tavamos fudidos demais pra encararmos um relacionamento

Stu Olha, nós podemos passar por cima dessas coisas, mas você sabe
qual é o problema, o problema são todas as traições, todas as
infidelidades, desde que a gente dê nome aos bois...

Pausa.

Basicamente nós teríamos que limpar a memória, esquecer o passado.


Começar de novo. Talvez ter um filho nos force a fazer isso.

Abby Deveria fazer.

Pausa.

Stu OK, sejamos positivos. Nós poderemos lidar com isso. nós
poderíamos ter uma babá e eu poderia tirar alguma folga; não muita. As
pessoas fazem isso, só uma questão de administrar o tempo.

Abby Ah, então, fudeu... O máximo de administração de tempo que


você pode chegar é mijar na pia enquanto escova os dentes.

33
Seis
...Agora eles estão rolando no chão, mas dessa vez com espasmos de
violenta paixão.
Eles se separam, ofegantes. Pausa.
Ele abre abre uma caixa e tira um consolo (dildo). Ele enfia na boca dela
e empurra pra frente e pra trás, ela engasga.Ela tira o dildo da mão dele
e enfia na boca dele. Ele engasga e a empurra pro chão, e abre as
pernas dela. Ele torce os mamilos dela. Ela agarre ele pelas orelhas e as
torce. Para ambos a dor fica muito grande e eles se soltam.
Pausa.
Ele tenta tirar os jeans dela mas ela o chuta.
Eles mal conseguem falar de falta de ar.

Stu Quero raspar sua buceta.

Abby Vai se fuder.

Stu Por favor.

Abby Por quê?

Stu Daí eu posso ver melhor seu clitóris.

Abby Tem certeza?

Stu O que você quer dizer com isso?

Abby Talvez você se sinta inseguro com uma mulher. Talvez você me
queira como uma menininha. Talvez você seja pedófilo.

Stu Talvez. O que isso significa pra você?

Abby E o que vem depois?

Stu O que, quando?

Abby Depois de raspar minha “buceta”. Pra onde nós vamos depois?

Stu Você faria isso?

Pausa.

Abby Duzentos.

34
Stu Vamos negociar.

Abby Me mostra o dinheiro.

Stu Posso fazer um cheque.

Abby Não vai ter fundos.

Stu Vai. Eu te prometo que vai.

Abby Me dá o cheque, e quando ele bater na minha conta eu faço isso.

Stu Ele vai ter fundos, eu prometo.

Abby Faço isso na próxima vez.

Stu Não, mas eu quero fazer isso.

Abby Você acha que eu ia deixar você perto da minha xoxota com
uma gilete?

Pausa.

Stu O que você quer dizer com isso?


Você acha que eu te machucaria? Você acha que eu faria alguma coisa
pra te machucar?

Pausa.

Abby Eu ia gostar. Eu ia gostar se você me machucasse. Eu ia gostar


se você enfiasse uma gilete na minha cara, na minha garganta, nos
meus peitos –

Stu Para de falar merda.

Abby Eu ia gostar que você enfiasse um revólver na minha buceta e


puxasse o gatilho.

Stu Pára de ser idiota!

Ele levanta, verdadeiramente chocado.


Ela levanta também e o persegue.

35
Abby Sabe o que mais eu queria? Eu queria que nós machucássemos
uma pessoa juntos. E depois a gente assassinasse ela.
Podíamos ser os novos Mickey e Mallory, os dois assassinos daquele
filme –

Stu Ta, tudo bem, muito chocante, ótimo –

Abby Sabe o que mais eu queria?

Stu Um valium?

Abby Eu queria ver você colocando alguém dentro de uma pilha de


pneus encharcando de gasolina e colocand fogo –

Stu Cala a porra da boca, Abby –

Abby Sabe o que eles chamam de microondas, a pessoa some


completamente, não deixa nem –

Stu Abby, você só ta falando merda! Por que você ta agindo assim? O
que você ganha com isso? Por que você tá falando essa porrada de
merda?!!

Ela morde a mão dele; com um berro ele se solta.

Stu Sua vaca!

Abby Não diz pra mim que eu to falando merda.

Pausa.

Stu Olha, eu não quero continuar com esse jogo. Foi até divertido no
começo, mas agora ta ficando muito entediante.

Abby Você não parece entediado.

Stu Bom, mas eu tô. Tô de saco cheio de bancar essa sua fantasia
estúpida.
Tô de saco cheio de fingir que eu não sinto nada por você, quando eu
sinto. E tô de saco cheio de fingir que o que aconteceu, não aconteceu –

Ela o esbofeteia novamente, com muita força. Pausa.

36
E tô de saco cheio desses tapas.

Abby Se você quiser me ver de novo, guarda os seus pensamentos


pra você!

Ela põe o casaco.

Stu Abby, espera –

Ela sai. Ele segue.

Abby!

37
Sete
Stuart anda sonâmbulo. Ele está sorrindo, mais o seu sorriso é falso e
fixo.
Abby entra.

Abby Stuart? O que você ta fazendo de pé?

(Pausa.)

Volta pra cama.

Stu Não posso. Tá na hora de ir ver o Daniel.

Pausa.

Abby O quê?

Stu Onze e onze.

Abby Ele tá aqui?

Pausa.

Stuart, ele tá aqui?!

Stu Ele fugiu pela escada de incêndio.

Abby Não, mas – como pode ser? Eu pensei que ele estivesse morto?

Stu Não, não.

Abby Tá, mas nós deixamos ele cair no chão.

Stu Não, não, foi um engano. Ele tá bem agora.


Se ele for suturado, ele vai ficar bom.

Abby Suturado?

Stu A gente pode fazer isso, não pode?

Pausa.

Abby Sim, claro. Vai ser ótimo – Cadê ele?

38
Stu Ele tá com a sua mãe, perto do forno. Você tá feliz?

Abby Sim, claro! Graças a Deus!

Stu Parabéns.

Abby Obrigado.

Pausa.

Daniel? Vem com a mamãe, neném. Vem ver a mamãe meu anjo. A
gente pode andar de trenzinho. Pode andar de trenzinho na praia.

39
Oito
Stuart está gritando no telefone.

Stu ALÔ?!! ALÔ?!!

Pausa.

ATENDE O TELEFONE!! ATENDE A PORRA DO TELEFONE!!

Abby entra agarrada a um questionário. Ela olha pra ele.

Stu ATENDE A PORRA DO TELEFONE!!

Abby Deixa, uma hora eles vão notar.

Stu Mas quem é, caralho! Vê se você ouve alguma coisa...

Abby Alguém andando. Na rua; ouço alguns carros. Tá na bolsa de


alguém.

Ele pega o telefone de volta.

Stu ALÔ?!! ATENDE O TELEFONE!!!

Abby Você vai ter um derrame, assim. Desliga isso.

Stu Mas como isso aconteceu?

Abby Alguém discou pra nós por engano. E quem vai pagar vai ser ele.

Stu É o que eu espero, porra.

Abby Quer fazer isso aqui.

(Pausa. Ele concorda.)

Tá.
Quando sua parceira discorda de você, é mais importante pra você:
a) achar uma solução em comum, ou
b) agir do seu próprio modo?

Stu concorda (assente). Pausa.

40
Abby Qual?

Stu ‘a’.

Abby ‘a’? (Pausa.) Achar uma solução em comum?

Stu E você?

Abby Bom, eu também diria ‘a’.

Ele concorda, sorrindo.

Abby O quê?

Stu Nada.

Abby Você acha que eu ia agir do meu próprio modo?

Stu Bom, é o que eu ia dizer; não tem sentido dar nossas próprias
respostas. Eu devia responder pra você e você devia responder pra
mim.

Abby Daí teríamos o mesmo problema, só que ao contrário.

Stu Não, eu colocaria o que eu acho, honestamente.

Abby Eu escolhi o que eu acho honestamente. Eu honestamente acho


que é mais importante pra mim achar uma solução em comum..

Stu Bom, eu também. Então nós dois achamos mais importante


encontrar uma solução em comum. Então por que nós nunca
encontramos uma solução em comum?

Abby Então, se você respondesse por mim, você colocaria ‘b”, que eu
agiria do meu próprio modo?

Stu O que você escolheria pra mim?

Abby Pra você? Colocaria... provavelmente ‘a’.

Stu Você colocaria ‘a?! Pra mim?

Abby Provavelmente.

41
Stu Que idiotice!

Abby Ah, tá porque tudo que eu falo é uma porra de uma IDIOTICE,
NÃO É?!!

Stu Eu não disse PORRA de uma idiotice –

Abby É a sua idéia de achar uma solução em comum? Dizer que tudo
que eu falo é uma porra de uma IDIOTICE?!

Stu Eu duvido que você colocaria ‘a’ se respondesse por mim.

Abby Não, por que eu acho que pra você é mais importante encontrar
uma solução em comum –

Stu Claro que você acha.

Abby Não, mas eu não acho que você encontre, então eu acabo
cedendo e você acaba agindo do seu próprio modo –

Stu Beleza, vamos então concordar pra discordar, é isso? Segue em


frente.

Abby Para de mandar eu seguir em frente.

Stu Faz a pergunta seguinte.

Pausa. Ela balança a cabeça. Pausa.

Abby Então, a gente tá respondendo um pro outro ou pra nós


mesmos?

Stu dá de ombros

Tá, vamos responder um pro outro.

Stu Não, vamos fazer do seu jeito.

Abby Não, tá legal assim.

Stu Não, eu não ia querer ouvir você dizendo que eu agiria do meu
próprio modo.

Abby Para de ser mesquinho!!

42
Stu Eu não tô sendo mesquinho, é o que eu tô tentando evitar.

Abby Quando você é responsável por um problema no seu


relacionamento você vai rapidamente a)ficar na defensiva , ou b) pedir
desculpas?

Pausa.

Stu ‘a’.

Abby Ficar na defensiva.

Stu Bom você faz isso – !

Abby Beleza. Quando seu parceiro é responsável por um problema no


seu relacionamento –

Stu Péra aí – o que você colocou pra mim?

Abby ‘a’. Quando seu parceiro é responsável por um problema no seu


relacionamento – você acha mais fácil a) culpa-lo, ou b) perdoa-lo?

Stu Eu adoraria colocar ‘b’ –

Abby Ah, não enche - se eu achasse tão difícil perdoar, então eu não
ia estar sentada aqui agora, ia?

Stu Eu não tô dizendo que seria diferente pra mim –

Abby Não, mas alguns de nós têm um pouquinho mais que perdoar –

Stu Bom, esse é o jeito que você vê –

Abby Você fudeu com a minha prima!!! Eu acho que qualquer um


veria desse jeito –

Stu Eu não fudi com ela –

Abby Engraçado, por que ela também não vê desse seu jeito. Parece
que tem uma porção de gente que não enxerga as coisas do mesmo
jeito que você.

Pausa.

43
O que marca mais pra você a) o que o seu parceiro fez de bom ou b) o
que o seu parceiro fez de ruim?

Pausa. Eles se olham.


Ela põe o papel de lado.

Isso não tem sentido.

Pausa.

Nós não podemos ter um filho juntos. Meu Deus, nós nem conseguimos
fazer esse jogo estúpido de perguntas juntos.

Longa pausa.

Stu Eu te amo, Abby.

Abby E eu amo você. Mas não é o suficiente, é? Deveria, mas não é.

Pausa.

Stu Nós só precisamos de um pouco de tempo pra nos curarmos.

Abby Mas nós não confiamos um no outro, Stuart. Não tem um pingo
de confiança entre nós e nós dois somos culpados, nós dois somos
culpados – mas eu não sei como curar isso. Como nós curamos isso?

Pausa.

Stu Também não sei.

Pausa.

Então é isso, não é? Nada mais a ser dito.

Pausa.

Stu Não vamos ter esse filho?

Abby Eu não quero ser uma mãe solteira. Eu não ia suportar isso.
Então não – eu não vou ter.

Pausa.

44
Eu teria que achar algum lugar pra morar.

Eles convivem com pensamento por um tempo

Stu Não, você pode ficar aqui. Eu saio.

Ela concorda. Pausa.

Abby Obrigada.

Pausa. Ela sai. Pausa.

45
Nove
Abby sentada na quitinete. Ela está usando uma minissaia e salto alto.
Stuart entra. Ele pára na porta olhando para ela.

Abby Oi Stuart.

Pausa.

Stu Oi.

Pausa.

Abby Espero que você não se importe. Tomei a liberdade de entrar.

Pausa.

Stu Onde você esteve?

Abby Por aí.

Pausa.

Stu Não na faculdade.

Abby Como você sabe?

Stu Por que eu liguei pra lá.

Abby Por que você fez isso?

Stu Por que eu fiz isso? Bom, deixa eu ver nós tivemos uma briga,
você ficou que nem uma maluca. Você me disse que se eu quisesse te
ver de novo, eu deveria guardar a porra dos meus pensamentos pra
mim. Você saiu que nem uma bala do apartamento e eu não ouvi falar
de você por três semanas. Ah tá, me lembrei: eu tava
enlouquecidamente preocupado.

Abby Não tinha por que se preocupar, eu tô bem. Como a muito


tempo não me sentia.

Stu Fico feliz por você.

46
Abby Obrigada.

Pausa.

Que horas são?

Stu Onze, mais ou menos.

Abby Não, exatamente.

Stu Onze e três, onze e quatro. Por quê?

Pausa.

Abby Quando eu era pequena, eu peguei catapora e meu pai me


trouxe um presente. Era uma merdinha de uma escovinha de plástico e
eu odiei. Eu tava doente e odiei aquilo e quando ele me deu, eu joguei
longe.

Pausa.

E a única coisa que eu lamento mais do que isso é ter matado o Daniel.

Stu A gente não matou ele.

Abby Nós não socorremos ele, não é? Estávamos muito ocupados


brigando pra escutar que ele tava morrendo.

Stu Crianças caem, quantas vezes você caiu quando era criança?

Pausa.

Tivemos azar.

Abby Mas nós crescemos, não é? Não saímos pra jantar. Demos o
primeiro beijo no ponto de ônibus. Nós fizemos amor.

Pausa.

Stu Ele não ia querer isso, Abby. Ele amava a gente e sabia que
amávamos ele. Ele iria querer que nós ficássemos juntos.

Abby Bom, aqui estamos nós.

47
Stu Mas não assim. Não nesse jogo; fingindo que nós somos
estranhos, fingindo que ele nunca existiu – nunca viveu, nunca morreu.
Não está certo.

Pausa.

Eu sei que você tá assustado. Com o passado, com o futuro. Eu


também. A gente pensou que perder o Daniel iria romper a ligação entre
nós, Mas aí eu te vi de novo; e todo o tempo que nós passamos
separados simplesmente desapareceu, como se tudo tivesse sido um
terrível pesadelo. E eu percebi que, claro que não tinha sido. Como
poderia? O que aconteceu é que isso nos deixou ainda mais próximos do
que antes. E de repente – pela primeira vez em Deus sabe quanto
tempo – eu sabia pra onde eu tava indo.
E se você tinha que fingir que era uma puta e eu tinha que fingir que
era teu cliente – se era esse o jogo que você precisava jogar pra poder
enfrentar tudo isso, tudo bem – por um tempo. Mas agora a gente tem
que seguir em frente. A gente tem que fazer alguma coisa nova. Nós
não podemos ser o que não somos. E não podemos ser o que éramos.

Abby Não podemos?

Stu Não. Não podemos.

Pausa.

Abby Gosta do meu visual novo?

Pausa.

Stu Não sei.

Abby Mas era isso que você queria, não era?

Pausa.

Que tal a saia? É ‘garota de escola’ o suficiente? É branca, como você


queria. Clean e virginal. É isso que os homens querem, não é? Virginal.

Pausa.

Stu Talvez eles só gostem dessa ‘ideia’.

48
Abby Sim, a idéia de virgindade. Eu sei. Então eles podem ser
especiais. Então você pode ser especial novamente. Então nós podemos
ser o que éramos. Então o Daniel pode ficar; como você disse no sonho.

Stu Como eu disse – no sonho?

Abby Foi por isso que eu fiz isso.

Stu Fez o que?

Abby Você sabe – o que você queria que eu fizesse.

Ela aponta pra própria vagina. Pausa. Ele nota.

Stu Ah – aquilo. Eu não tava falando sério... de qualquer maneira você


tava certa, o cheque não ia ter fundos.

Abby Não mas eu quis fazer. Eu fiquei pensando nisso o tempo todo.
Fiquei brotando na minha cabeça como uma semente.

Pausa.

Quer ver?

Pausa.

Stu Mais tarde, talvez.

Abby Não, mas eu fiz pra você. Dá só uma olhada.

Pausa. Ele concorda, e ajoelha em frente a ela.

Não, espera –

Ela segura o pulso dele olha pra seu relógio.

OK.

Ela vira de frente pra ele e levanta a saia. Ele olhas entre as pernas
dela.

Pausa.

Stu O que é isso?

49
Abby Toca.

Ele toca. Pausa.

Stu Que é isso? Tá áspero.

Ele retira os dedos. Eles estão ensangüentados.

Abby Toda suturada, como nova. Agora ele vai poder ficar.

Ele olha novamente e então se encolhe de choque.

Stu Meu Deus, Abby – O que você fez...

Abby (canta) We will fix it, we will mend it...

Ele cai de joelhos horrorizado. Ele abraça ela.

Stu Baby, por que você fez isso?

50
Dez
Stu A última vez que eu a vi foi no verão seguinte.
E ironicamente eu tava comprando presente pra minha namorada da
época.
Abby estava tava olhando pra uma vitrine, seu rosto tava iluminado
pelas luzes de natal. Nós fomos tomar uma xícara de café.
Ela parecia saudável. Tinha ganhado peso apesar dela dizer que era um
efeito colateral. Ela tava com um emprego de meio expediente em uma
floricultura, e tava bem acomodada. Ele me disse que poderia me dar
um desconto nas flores quando eu quisesse.
Ela disse que Deus nos amava, e que o Daniel tava com ele.
Ela disse que ele tava feliz lá e que tinha perdoado nosso egoísmo.
Daniel. Danny. Nosso filho. (Pausa.) Meu filho.
Daí, nós dissemos que íamos manter contato, e eu realmente tinha a
intenção. Mas tinha algo de estranho na maneira como ela se despediu.
Não fala desse jeito, eu disse.
Que jeito? Ela disse.
“Tchau, Stuart’ como se fosse para sempre.
Eu não falei desse jeito, ela disse.
Você falou, eu disse.
Não falei.
É, eu falei.
Você Falou.

51
Onze
Abby volta pro palco.

Stu É isso, então?

Abby Acho que sim.

Stu Então, é desse jeito que aquilo te faz sentir.

Pausa.

Aquilo te fez sentir assim?

Abby Não sei. Não me lembro exatamente do que aquilo me fez


sentir.

Pausa.

Stu Não se sentiu nada bem, de qualquer maneira.

Abby Não.
Você vai ficar bem. Homens estão sempre bem.

Stu O que você quer dizer com isso?

Abby Homens superam rompimentos mais rápido.

Stu Isso é besteira.

Abby Superam sim.

Stu Não, as pessoas sempre dizem isso, mas não é verdade; sabe por
quê?

Abby Por quê?

Stu Masturbação.

Abby Claro.

52
Stu Não, sério, na verdade é o homem é que lamenta por mais tempo.
Por que a necessidade da masturbação o força a manter a memória da
parceira anterior viva para fins eróticos.

Abby Quem te disse isso?

Stu Eu. E é verdade.

Abby Só se você for tarado.

Pausa.

Stu Eu acho que ter um filho – faz a gente ver o mundo de outra
forma, não é?

Abby É o que dizem.

Stu O sol, a lua, as árvores. Todas essas coisas que nó temos de


graça. Nós enxergaríamos através dos olhos do bebê, como novas.

Pausa.

Você acha que seria o mesmo pra nós dois? Você acha que nós
enxergaríamos um ao outro de uma outra forma, como novos?

Pausa.

Como nós chamaríamos ele?

Abby Se tivermos?

Ele concorda.

Eu gosto de Rachel – ou Amy é bom –

Stu Se for menina...

Abby Eu sei que pode parecer estranho – mas eu sinto isso.

Stu E se não for?

Abby Se for menino? Eu gosto de Rupert...

Stu Rupert??? De jeito nenhum...

53
Abby Por que era o nome do meu avó. Tem Daniel também – eu gosto
de Daniel.

Stu Daniel. Danny.

Pausa.

Melhor do que Rupert.

Pausa.

Abby Stuart, sobre o que você tá falando?

Stu Sobre o que eu tô falando?

Pausa.

Eu tô falando que acho que nossa estória não acabou. Sinto que tem
mais; que temos que ir mais longe. Você não sente isso?

Abby Não sei. Tem sido tanta dor e sofrimento...

Stu Mas é isso que eu quero dizer; pra que tudo isso? Se isso terminar
aqui – se isso for tudo – então teríamos passado por toda essa dor e
sofrimento por nada.

Pausa.

Você acha que devemos ter esse filho? É isso que você quer?

Pausa.

Abby Sim. É o que eu quero. Deus sabe por que, mas eu quero. Mas
eu preciso que você queira também.

Pausa.

Stu Vai em frente, então.

Abby ‘Vai em frente, então?’

54
Stu Pó: nossos pais eram fodidos. Olha como eles ficaram super
normais hoje em dia.

Pausa.

Foda-se. Vamos ter.

Abby Stuart – você tem certeza disso? Porque você não pode ficar
mudando de idéia tudo dia. Eu não posso agüentar isso. Não posso
mesmo.

Pausa. Ele pensa realmente sobre isso.

Stu Olha, Abby, eu te amo. Não quero amar ninguém mais.


É muito cansativo.

Pausa.

Eu quero que você seja a última pessoa que eu vou amar.

Pausa. Ele vai até ela e a abraça.

Abby Sabia que você pode até ser bem romântico com essa porra
dessa sua maneira torta e perversa.

Stu Adoro quando você fala baixaria pra mim.

Música.

Eles se beijam: Um longo e apaixonado beijo – da maneira que as


pessoas que não podem escapar uma da outra fazem.
Então eles dançam, da maneira que as pessoas que não sabem dançar
fazem: Rindo, felizes.
A música termina abruptamente. Eles se separam.

E Abby nota algo.

Abby Olha; já escureceu.

55

Você também pode gostar