Você está na página 1de 26

UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO– ICSC

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

ESTÁGIO CURRICULAR

MAURO FERNANDO SANTOS

RA 1435126

SÃO PAULO
2017
UNIVERSIDADE PAULISTA – UNIP

INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E COMUNICAÇÃO– ICSC

CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS

MAURO FERNANDO SANTOS


RA 1435126

Trabalho de estágio de curso apresentado à


Universidade Paulista – UNIP – Pólo
Cascavel, como requisito básico para a
obtenção do título de Bacharel em Ciências
Contábeis.

Orientador: Profª Ma. Divane Alves da Silva

SÃO PAULO
2017
MAURO FERNANDO SANTOS

RA 1435126

BANCA EXAMINADORA - ESTÁGIO CURRICULAR

Relatório de Estágio Curricular, defendido em Banca Examinadora


para a obtenção do título de Bacharel em Ciências Contábeis da
Universidade Paulista – UNIP, Pólo Cascavel/PR.

Professora Orientadora: Divane Alves da Silva

Banca composta pelos professores:


- Fabio Ricardo Brandão Santos
- Mauro Trubbianelli
- Ailton Galdino de Almeida

_______________________________________________
_______ Coordenadora de Ciências Contábeis – UNIP
Interativa Ma. Divane Alves da Silva

São Paulo
Dezembro de 2017
AGRADECIMENTOS

Aos amigos, pelo incentivo e grande ajuda com o fornecimento de material para a
realização deste trabalho.
“Dedico este trabalho primeiramente а Deus,
por ser essencial em minha vida, autor de mеυ
destino, mеυ guia, socorro presente na hora
da angústia, ао mеυ pai Francisco e a minha
mãe, D. Francisca.”
“Ninguém envelhece simplesmente porque
viveu um número específico de anos. Nós
envelhecemos quando abandonamos nossos
ideais”
(Samuel Ullman)
SUMÁRIO

CAPÍTULO 1: APRESENTAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO..............................................07


1.1 Razão social...........................................................................................................................07
1.2 Origem.......................................................................................................................................07
1.3 Evolução...................................................................................................................................07
1.4 Endereço..................................................................................................................................08
1.5 Ramo de atividade.............................................................................................................08
1.6 Filiais..........................................................................................................................................08
1.7 Missão e objetivos da empresa.................................................................................08
1.8 Principais concorrentes.................................................................................................09
1.9 Principais produtos...........................................................................................................09
1.10 Organograma geral da organização.....................................................................09

CAPÍTULO 2: APRESENTAÇÃO DA ÁREA EM QUE SERÃO


REALIZADAS AS ATIVIDADES (ÁREA ESTAGIADA)..............................................11
2.1 Nome do departamento/setor.....................................................................................11
2.2 Organograma específico do departamento/setor ..........................................11
2.3 Descrição sucinta das funções contidas no organograma do
departamento/setor...................................................................................................................11
CAPÍTULO 3: DESCRIÇÃO DETALHADA DAS ATIVIDADES
REALIZADAS NA FUNÇÃO EXERCIDA............................................................................13

CAPÍTULO 4: CONTEXTUALIZAÇÃO PRÁTICA E TEÓRICA...............................17


4.1 Identificação do problema na empresa................................................................17
4.2 Encaminhamento das soluções para o problema identificado .............17
4.3 Contextualização teórica...............................................................................................19
5. CONSIDERAÇÕES FINAIS...................................................................................................22
6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS.................................................................................23
7. ANEXO.............................................................................................................................................24
8. TERMO DE CONVALIDAÇÃO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO
CONTRATADO.................................................................................................................................25
7

CAPÍTULO 1: APRESENTAÇÃO DA ORGANIZAÇÃO

1.1 Razão social


Construtora Norberto Odebrecht S. A.

1.2 Origem
O site da Organização Odebrecht nos revela a origem desta grande empresa,
que se deu no ano de 1856, quando da chegada da família Odebrecht ao Brasil. O
patriarca, engenheiro alemão, por conta do fluxo imigratório daquela época, chega
ao Brasil, fixando-se no Vale do Itajaí, em Santa Catarina, constituindo família no
Brasil e, como fruto, tiveram 15 filhos. Um de seus netos toma gosto pela
Construção Civil, evidenciando o empreendedorismo da família Odebrecht.
Surge a Construtora Isaac Gondim e Odebrecht Ltda. Foi a primeira empresa
de Emílio Odebrecht. Em 1923, fundou a Emílio Odebrecht & Cia., empresa esta que
foi responsável por várias obras de edificações no período entre guerras, no
Nordeste brasileiro. Com o início da 2ª Guerra Mundial, os materiais de construção
vindos da Europa tornaram-se caros e escassos, deflagrando uma crise no setor.
Emílio retirou-se dos negócios e coube a seu filho, Norberto, substituí-lo, em 1941.
Fundada em 1944, na cidade de Salvador, Bahia, o jovem engenheiro
Norberto Odebrecht inicia o empreendimento que deu origem à Organização
Odebrecht. Desde sua a inauguração, tinha uma ideia simples que é: identificar,
integrar e desenvolver jovens com talento e disposição para o empresariado.

1.3 Evolução
Inicialmente, entre 1945 e 1968, a empresa iniciou suas atividades
executando obras de construção civil para entes públicos no Nordeste, tais como
edifícios, pontes, hidrelétricas, ferrovias, obras de saneamento e urbanização. A
partir de 1969, a Organização expande-se para o Sudeste brasileiro. Constrói, no
Rio de Janeiro, o edifício-sede da Petrobrás, o campus da Universidade Federal do
Rio de Janeiro, o Aeroporto Internacional do Galeão e a Usina Termonuclear Angra
I. Em 1973 a Odebrecht torna-se uma empresa de atuação nacional, com obras na
maioria dos estados brasileiros, como a construção da Ponte Colombo Salles, em
Florianópolis (SC), e a restauração do Teatro Amazonas, em Manaus (AM).
8

Em 1979, vem a internacionalização: são assinados os primeiros contratos


fora do país, no Peru (Hidrelétrica Charcani V) e no Chile (obras de desvio do Rio
Mau Le para a Hidrelétrica Colbún Machicura). Em 2004, a Organização comemorou
60 anos de fundação, com presença em 16 países e 40 mil integrantes. Hoje, com
72 anos, a Organização diversificou seus negócios em infraestrutura, petroquímica,
soluções ambientais, mobilidade urbana, industrial naval, energia, defesa,
agronegócio, investimentos, entre outros, além de projetos sociais para
desenvolvimento de comunidades onde atua e, com o efetivo de mais de 30 mil
integrantes, em todo o mundo.

1.4 Endereço
Apesar de ter nascido em Salvador, a sua sede oficial hoje está localizada na
Av. Cidade de Lima, 86, Sala 201, Santo Cristo, Rio de Janeiro/RJ. A filial, base de
produção deste trabalho, está localizada na BR 163, Km. 106, s/n, Zona Rural,
Capanema/PR.

1.5 Ramo de atividade


O ramo de atividade da Construtora Norberto Odebrecht, conforme
informação extraída do site da Receita Federal é a Construção Civil.

1.6 Filiais
Hoje, a empresa possui filiais espalhadas em todo o mundo. Porém, neste
trabalho, serão relatadas as atividades desenvolvimentos na filial situada na cidade
de Capanema/PR.

1.7 Missão e objetivos da empresa

Missão
Tendo como base os princípios da TEO (Tecnologia Empresarial Odebrecht),
a missão da empresa é alcançar a excelência nas suas áreas de atuação como fator
de diferenciação, promovendo compromissos de longo prazo com as comunidades
onde atua baseado na confiança, na melhoria das condições de vida das pessoas,
na redução dos impactos ambientais e na conservação dos recursos naturais.
9

Objetivo
A Odebrecht é uma organização formada por pessoas de conhecimento,
capacitadas e focadas na satisfação dos seus clientes, desenvolvendo soluções
inovadoras, no âmbito da Engenharia, que contribuam para um mundo melhor.

1.8 Principais concorrentes


 Construções e Comércio Camargo Correa;
 Construtora Andrade Gutierrez;
 OAS.

1.9 Principais produtos


Obras de infraestrutura em geral: usinas hidrelétricas, ferrovias, rodovias,
portos, aeroportos, etc.

1.10 Organograma geral da organização


Abaixo, estão exibidas as estruturas hierárquicas da Odebrecht, em modo
macro e micro. Por trazer em sua cultura a descentralização, cada obra, ou contrato,
como é designado internamente, funcionando como empresas independentes,
tendo, o Diretor de Contrato, autonomia no empresariamento do negócio.
10
11

CAPÍTULO 2: APRESENTAÇÃO DA ÁREA EM QUE SERÃO


REALIZADAS AS ATIVIDADES (ÁREA ESTAGIADA)

2.1 Nome do departamento / setor


Contabilidade

2.2 Organograma específico do departamento/setor

2.3 Descrição sucinta das funções contidas no organograma do


departamento/ setor
O setor contábil da empresa realiza as seguintes atividades:

Fiscal/Tributação: a função da área fiscal é realizar a classificação e o


lançamento de suas notas fiscais de vendas, compras ou prestação de serviços;
apuração dos tributos e preenchimento das guias de pagamento; elaboração e
entrega de obrigações acessórias; assessoria na apuração e registro do lucro
tributável e assessoria no registro contábil das provisões tributárias.
Tesouraria: tem a função de controlar os numerários da empresa.
12

Contas a pagar: tem a função de receber as solicitações de pagamentos;


validar os documentos tais como, notas fiscais, recibos, ordem de serviços,
contratos, e, estando validado, programar o efetivo pagamento.
Escrituração: tem a função de conferir e validar os lançamentos contábeis e
financeiros, verificando se estão nas devidas contas, tendo em vista que a maior
parte dos lançamentos escriturados no sistema contábil é proveniente de processos
anteriores e de outros sistemas, tais como folha de pagamento, almoxarifado,
suprimentos, entre outros, ou seja, sistemas que formam o ERP. Em último caso,
não havendo conformidade no lançamento, será feita a retificação no setor de
escrituração.
13

CAPÍTULO 3: DESCRIÇÃO DETALHADA DAS ATIVIDADES


REALIZADAS NA FUNÇÃO EXERCIDA

No setor de contabilidade da Construtora Norberto Odebrecht, pude


acompanhar de como são desenvolvidas algumas atividades, dentre as quais,
descrevo:
Pude acompanhar a preparação, a organização e análise de documentos
gerenciais que serviam para informar os gestores dos indicadores econômicos e
financeiros do empreendimento, tais como custo de mão de obra, custo de materiais
aplicáveis na construção da Usina Hidrelétrica Baixo Iguaçu, balancetes que traziam
os lançamentos contábeis e que serviam de auxilio à confecção do Balanço
Patrimonial e também à Demonstração do Resultado do Exercício. Tais documentos
são disponibilizados mensalmente à gerencia administrativa e financeiro do negócio
para acompanhamento da evolução econômica e financeira da obra, demonstrando
o seu faturamento com a prestação do serviço de engenharia e construção e os
dispêndios para a execução do projeto.

Na contabilidade são recebidas também as notas fiscais emitidas pelos


fornecedores de insumos e serviços. Quando tais documentos são recebidos, é feita
a análise do documentos, verificando se as informações contidas estão adequadas
com as legislação vigente. A título de exemplo, é verificado se o Código Fiscal de
Operações e de Prestações das Entradas de Mercadorias e Bens e da Aquisição de
Serviços – CFOP está devidamente informado de acordo com a natureza da
operação e a discriminação dos produtos fornecidos ou serviços prestados. De
acordo com o CFOP é definido se haverá ou não a incidência de impostos daquela
transação. Outro aspecto importante que também verificamos na nota fiscal é se ela
se enquadra no regime de substituição tributária, ou seja, saber se a empresa será
responsável pelo recolhimento do Imposto de Circulação de Mercadorias e Serviços
– ICMS.
De modo geral, no setor fiscal, são recebidos os documentos fiscais, confere-
se suas características, procedendo com o lançamento no sistema. Depois do
lançamento das notas, procede-se o cálculo dos impostos. Destaca-se aqui que, a
Odebrecht está enquadrada no regime tributário pelo lucro real. Após a apuração, a
guia é enviada para o setor de contas a pagar, que irá proceder com o devido
14

recolhimento da obrigação principal. Ainda dentro da rotina deste setor, têm-se as


obrigações acessórias, que são as declarações que deverão ser enviadas ao fisco,
sendo elas:
Sintegra - Sistema Integrado de Informações sobre Operações Interestaduais
com Mercadorias e Serviços; o envio de arquivos pelo SPED - Sistema Público de
Escrituração Digital, que engloba a Escrituração Contábil Digital – ECD e a
Escrituração Fiscal Digital – EFD e também a DCTF – Declaração de Débitos e
Créditos Tributários Federais. Para o envio destas declarações, a empresa utilizada
o sistema Oracle2 Contábil, onde após o fechamento da competência, são gerados
os arquivos txt para posterior validação e envio do SPED.
Ainda no departamento da contabilidade da Construtora Norberto Odebrecht,
foi oportunizado acompanhar outro processo executado no setor: a contabilização
da folha de pagamento.
A folha de pagamento é um documento elaborado mensalmente pela
empresa, no qual são apresentados os valores decorrentes das obrigações
trabalhistas.
Os valores pagos em folha de pagamento, basicamente, se dividem em
proventos e descontos.
Como exemplo de proventos, pode-se citar:
Remuneração bruta – é a soma de todos os rendimentos devidos ao
empregado por um período de trabalho. Na Odebrecht, esse período é mensal,
apurado entre o dia 16 do mês corrente e o dia 15 do mês posterior. Na
remuneração bruta são pagos, além do salário devido, as horas extras, adicional por
trabalho noturno, adicional de insalubridade, adicional de periculosidade, eventuais
gratificações por chefia, coordenação, entre outros.
Férias e adicional de gratificação - é a remuneração devida ao empregado
após 12 meses de trabalhos contínuos. Por ocasião das férias, o empregador
também paga a gratificação de férias que corresponde ao valor equivalente a 1/3 da
remuneração de férias. Este valor será pago de forma proporcional em caso de
demissão sem justa causa.
Décimo terceiro salário – é uma gratificação também devida ao empregado e,
conforme a lei, paga em duas parcelas: a primeira é paga até o dia 30 do mês de
novembro e a segunda, paga até o dia 20 de dezembro. Este valor será pago de
forma proporcional em caso de demissão sem justa causa.
15

Participação nos Lucros e Resultados – fruto do acordo coletivo entre a


empresa e o sindicato da categoria, é pago o valor anual equivalente a um salário e
meio do empregado, proporcional aos meses trabalhados, em parcelas semestrais.
Aviso prévio indenizado – é o valor pago ao empregado, com mais de 60 dias
de contrato, que, pode variar de um salário até três salários, a título de indenização
por dispensa imotivada.
Como exemplo de descontos, podemos citar:
Contribuição previdenciária ao Instituto Nacional do Seguro Social -INSS, que
é um percentual suportado tanto pelo empregado quando pelo empregador. Em
geral, o empregado tem descontado do seu salário um percentual que varia entre
8% e 11%, limitando-se ao desconto de R$ 608,44. Já a empresa, contribui com a
cota patronal de 20% sobre o salário bruto do empregado. A cota patronal é
suportada pela empresa e, por isso, aumenta o custo da mão de obra.
Fundo de Garantia por Tempo de Serviço – FGTS é uma obrigação do
empregador. Não é descontado do salário do empregado. Este encargo, também
onera no custo final da mão de obra, pois, além de pagar o salário devido ao
empregado, o empregador também tem que contribuir com o percentual de 8%
sobre a remuneração bruta do empregado para o FGTS.
Imposto de Renda Retido Na Fonte – é o imposto descontado do empregado
quando o mesmo aufere rendimentos que venham ultrapassar o valor de R$
1.903,99. A alíquota de desconto atende a determinadas faixas de incidência e pode
variar de 7,5% a 27,5%.
Ainda, a cargo do empregador e, atendendo ao princípio da prudência, o
empregador provisiona mensalmente, à razão de 1/12 avos, os pagamentos a título
de Férias, 13º Salário, Aviso Prévio Indenizado e os encargos incidentes sobre estas
verbas.
Após toda a rotina de fechamento de apuração, conferência e fechamento da
folha de pagamento, feita pelo Departamento de Pessoal, são gerados os arquivos
bancários e enviados ao setor “contas a pagar”, para que haja o devido depósito nas
contas dos empregados.
Cabe salientar aqui que, mensalmente, é feita a programação financeira
trimestral pelo departamento de pessoal para que seja possível contingenciar os
valores que serão disponibilizados pela empresa ao pagamento de pessoal.
16

Ainda, dentro da rotina do departamento de pessoal, através do sistema de


folha de pagamento Peoplesoft, é feita a integração contábil das movimentações do
mês, ou seja, a integração é a classificação eletrônica das verbas pagas e
provisionadas em suas devidas contas contábeis, de acordo com o plano de contas
do balanço patrimonial.
17

CAPÍTULO 4: CONTEXTUALIZAÇÃO PRÁTICA E TEÓRICA

4.1 Identificação do problema na empresa

Nas rotinas vivenciadas dentro da contabilidade, observou-se que os


integrantes da equipe, no desempenhar de suas atividades, demonstraram certo
grau de insegurança na aplicação da legislação e de técnicas contábeis. Um
exemplo observado foi na contabilização dos encargos gerados pela movimentação
da folha de pagamento onde se constatou que a empresa estava deixando de
compensar o crédito oriundo de contribuições previdenciárias. Dado este fato, faz-se
o seguinte questionamento:

De que forma é possível melhorar o desempenho de uma equipe


contábil, evitando prejuízos econômicos e financeiros ao negócio e que
também venha resultar em qualidade no trabalho do profissional da
contabilidade?

O questionamento foi levantado por se ter verificado que a empresa estava


deixando de compensar créditos Previdenciários. A empresa estava sendo
beneficiada pela Lei 12.844/2013, que trata da desoneração da folha de pagamento.
Por haver uma estrutura descentralizada, cada filial da empresa tem
autonomia na gerência e condução do seu negócio. Levantou-se a hipótese do
motivo da não observância e aplicação do referido benefício fiscal por esta filial.

4.2 Encaminhamento das soluções para o problema identificado

O primeiro passo foi se aprofundar no conhecimento da Lei Federal de nº


12.546/2011 e suas alterações, incluídas pela Lei Federal nº 12.844/2013, artigo 7º,
§ 9º, inciso I; II; III e IV e seus anexos, para se ter a certeza de que a filial da
Odebrecht em Capanema possuía o referido benefício. Neste momento, reuniu-se a
equipe contábil da empresa juntamente com o responsável do Departamento de
Pessoal e foi levantada a discussão acerca do problema. Após a análise da referida
Lei, constatou-se que a empresa atendia aos requisitos indicados pela legislação, ou
seja, conforme artigo 7º, inciso VII: “as empresas de construção de obras de
18

infraestrutura, enquadradas nos grupos 421, 422, 429 e 431 do Código Nacional de
Atividade Econômica - CNAE 2.0.” Concluiu-se, assim, que a Lei era aplicável ao
negócio.
Após a reunião dos responsáveis por estes departamentos, constataram a
necessidade de haver momentos em se que pudesse trazer aos membros da equipe
contábil formas de atualizações dos conhecimentos pertinentes a área contábil. A
proposta seria a empresa oferecer meios para que seus profissionais pudessem se
atualizar nos que diz respeito às legislações, ferramentas e técnicas contábeis
contemporâneas, dada a volatilidade das informações na atualidade. Promover
reuniões periódicas com a equipe, incentivar e propiciar a participação dos
integrantes em treinamentos internos e externos objetivando capacitação continuada
dos profissionais envolvidos com a área contábil.
Após a identificação desta necessidade, promoveu-se o primeiro treinamento
voltado para a análise e a aplicação da Lei Federal nº 12.844/2013, de forma a
nivelar o conhecimento entre os membros da equipe contábil, visando aprimorar o
planejamento tributário.
Depois do momento do treinamento, iniciou-se o levantamento das
competências em que foram feitos os recolhimentos de contribuições previdenciárias
a maior. Para tanto, foi necessário resgatar todas as Guias de Recolhimento do
Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e de Informações à Previdência Social -
GFIP’s informadas no período de 01/2014 a 08/2017, para que pudesse refazer os
cálculos das contribuições previdenciárias devidas. A partir da ferramenta “Microsoft
Excel”, foi desenvolvida uma planilha para auxiliar no levantamento dos valores
devidos, valores efetivamente pagos e o objetivo final, o valor pago a maior para que
se pudesse proceder à devida compensação, através das retificações das Guias de
Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e de Informações à
Previdência Social - GFIP’s enviadas. Após a apuração mês a mês, verificou-se o
seguinte um valor bastante significativo de contribuição previdenciária recolhida à
maior e que deve ser compensado.
Assim, após todo o levantamento, iniciaram-se os procedimentos de
retificação das Guias de Recolhimento do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço e
de Informações à Previdência Social - GFIP’s para que se pudesse de fato registrar
os valores a serem compensados. Porém, cabe ressaltar que, os valores somente
iniciaram as compensações a partir da competência 09/2017, a partir da apuração
19

das contribuições que devem ser recolhidas no referido mês e a conseqüente


compensação do saldo remanescente de competências anteriores.
Em síntese, pode-se afirmar que o adequado conhecimento das normas e da
legislação vigente é imprescindível à gestão de qualquer organização, podendo
trazer resultados muito satisfatórios, que maximizam a rentabilidade do negócio.
Após todas estas etapas, foi executado um treinamento com a equipe
envolvida para repassar as informações sobre este caso e também simulações a fim
de nivelar o conhecimento da equipe de contabilidade, para que todos pudessem
estar aptos a conduzir situações semelhantes.

4.3 Contextualização teórica

Para praticamente todas as empreitas da vida cabe o planejamento, que traz


solidez e segurança para as ações que se pretende implementar. “Planejamento é o
ato ou o efeito de planejar, e planejar significa fazer um plano ou roteiro”.
(FERREIRA, apud MACHADO, 2014, p. 78). Nesse viés, o planejamento tributário
torna-se imprescindível às organizações para que seja possível amenizar a carga
tributária nos negócios.
Esse processo de diminuição legal da carga tributária é denominado
tecnicamente de “elisão”. De acordo com Tenório e Motta (apud MACHADO, 2014,
p. 70), trata-se do “processo mediante o qual se reduz, total ou parcialmente, o custo
de produção de mercadorias, em função do volume do imposto”.
A contabilidade é uma ciência que, a fim de atingir seus objetivos e
desempenhar suas atividades com sucesso, exige do profissional o domínio de
conhecimentos teóricos e práticos, o que a torna bastante complexa. Há inúmeras
conseqüências negativas para o desempenho da organização, que podem ocorrer
devido à falta de conhecimento técnico, seja por desconhecimento das normas, leis
e procedimentos, seja por falta de atualização no que diz respeito às alterações que
acontecem no dia-a-dia, fator este de suma importância ao profissional da área
contábil no desenvolvimento de suas atividades.

Teoria é um corpo de conceitos sistematizados que nos permite conhecer


um dado domínio da realidade. A teoria não dos dá um conhecimento direto
e imediato de uma realidade concreta, mas nos proporciona os meios (os
conceitos) que nos permitem conhecê-la. E os meios ou instrumentos que
nos permitem conhecer um dado domínio da realidade são justamente os
20

conceitos que, sistematizados, formam a teoria. Daí a definição da teoria


como um corpo de conceitos sistematizados que nos permite conhecer um
dado domínio da realidade. (ROCHA, 2002 apud MACHADO, 2014, p. 8).

No campo profissional da contabilidade, deter o conhecimento teórico é


imprescindível para que se possa executar um trabalho com qualidade, o que
resultará em ganhos de tempo e dividendos para a empresa. A atualização do
profissional propicia a perfeita aplicação prática dos seus deveres nas mais diversas
rotinas contábeis.
Consubstanciado o levantamento desta problemática, Oliveira et al (2015, p.
185) enfatizam que:

A partir de 2013, algumas empresas do setor de construção civil serão


integradas na política governamental de desoneração da folha de
pagamento, que compreende a substituição às contribuições previdenciárias
de 20% sobre o total da folha de pagamento de empregados, avulsos e
contribuintes individuais pela contribuição com alíquota de 2% sobre o valor
da receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos
concedidos. Essa decisão do governo visa à ampliação do corte de
impostos trabalhistas, sendo que algumas empresas vão pagar menos
taxas, para reduzir os cursos de funcionários.

Não se pode pensar em resultados positivos na execução de trabalhos sem


esquecer-se de quão é importante treinar e desenvolver os recursos humanos
envolvidos na execução dos processos. De acordo com Chiavenato (apud SANTOS,
2013, p. 24) treinamento “é um processo educacional de curto prazo e aplicado de
maneira sistemática e organizada, por meio do qual as pessoas aprendem
conhecimentos, atitudes e habilidades em função de objetivos definidos”.
Compreende-se que a educação deve ser aplicada de forma contínua na será
profissional, pois ela resultará em ganhos técnicos, intelectuais, comportamentais e
em aumento de produtividade qualitativa no ambiente empresarial
Para Abreu(2006, p. 15),
A capacitação, a educação e o desenvolvimento de pessoas funcionam
como um dos meios para a retenção, a preservação e a atualização do
capital humano das organizações, sem dúvida alguma o seu maior
patrimônio.

Quando existe a troca de conhecimentos, as tarefas são realizadas de forma


mais completa e com mais qualidade. É por isso que o espaço empresarial, além de
outras situações relevantes, deve também ser reconhecido como didático, ou seja,
apropriado para o processo ensino-aprendizagem.
21

Abreu (2006) destaca que, dentre os resultados que as organizações que


capacitam e desenvolve pessoas, estão o aumento dos padrões de qualidade e a
redução de erros, retrabalhos, devoluções e reclamações.
22

5. CONSIDERAÇÕES FINAIS

Eterno aprendiz sempre em busca de atualização: é assim que podemos


resumir a característica de um profissional da contábil.
A legislação hoje é muito dinâmica e o profissional da contabilidade deve
estar sempre em busca de atualização profissional. São notórias as mudanças que a
área contábil sofre no seu cotidiano, principalmente no que tange às leis e normas
que afetam diretamente as empresas, pelo que se faz necessária a atualização
constante do conjunto normativo, como leis, normas, procedimentos, entre outros.
Certamente a informação de qualidades gerada pela contabilidade será de
suma importância para a sobrevivência de um negócio, pois é com base nessas
informações geradas pela área contábil que o corpo diretivo de uma empresa poderá
subsidiar suas decisões quanto ao futuro da empresa. Hoje, sabemos que o
conhecimento é que move as empresas, os negócios, os empreendimentos e a
própria sociedade de modo geral. O profissional contábil tem o dever de estar
atualizado, participando de cursos, se informando diariamente através das mídias
disponíveis e, além de tudo, compartilhando o conhecimento, visto que o trabalho
envolve uma cadeia de pessoas que, juntas, trarão o resultado almejado pela
Organização.
Fica bastante evidente essa necessidade de conhecimento das legislações
pertinentes aos interesses das organizações empresariais, quando se verificou que a
Construtora Norberto Odebrecht, objeto de estudo deste trabalho, estava deixando
de compensar créditos de INSS durante vários anos, mesmo sendo beneficiária da
Lei 12.844/2013, que desonera a folha de pagamento.
Diante do fato identificado, a proposição feita à empresa, de promover
momentos para os profissionais da área de contabilidade, como rodas de discussões
e treinamentos mostraram-se como ferramentas eficazes para o aperfeiçoamento
das técnicas contábeis e para atualização das informações essenciais ao
desempenho das atividades do profissional de contabilidade e que trouxe ganho na
qualidade do trabalho da equipe e, neste caso específico, retorno financeiro à
Organização, cumprindo-se dessa forma um dos objetivos buscados pela empresa:
geração de lucros para a satisfação dos seus sócios e acionistas.
23

6. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ABREU, Romeu Carlos Lopes de. Treinamento e Desenvolvimento de Recursos


Humanos: uma abordagem organizacional, por Gerenciamento de projetos. Rio
de Janeiro: Qualitymark, 2006.

MACHADO, Hugo de Brito. Introdução ao Planejamento Tributário. São Paulo:


Malheiros Editores, 2014.

OLIVEIRA, L. M. Et al. Manual de Contabilidade Tributária. 14 ed. São Paulo:


Atlas, 2015.

SANTOS, Livaldo dos. Treinamento e Desenvolvimento. São Paulo: Editora Sol,


2013.
24

7. ANEXO

Comprovante de inscrição e situação cadastral


25

8. TERMO DE CONVALIDAÇÃO DE ATIVIDADES DE ESTÁGIO


CONTRATADO

Você também pode gostar