Você está na página 1de 9

Tentativa de Resumo para Histologia 1.

O epitélio é um agrupamento laminar de células semelhantes e fortemente unidas


entre si, sendo um tecido de revestimento de superfícies (internas e externas). Além
disso, esse tecido formam glândulas.
Funções: Proteção, Deslizamento, Secreção, Absorção, Sensorial e Trocas
funcionais.
Suas características gerais são:
1) Origem dos três folhetos embrionários (ectoderme, mesoderme e endoderme).
2) Células Justapostas, aderidas por conta das Junções celulares (Zônula de oclusão,
Zônula de adesão, Desmossomos, Hemidesmossomos e Junção comunicante (GAP). O
complexo Juncional é formado pelas junções em negrito. Existem duas vias:
Paracelular: Rota extracelular em que os íons atravessam as Junções das células.
Transcelular: Rota em que os íons atravessam as membranas apicais e basolaterais das
células para entrar na corrente sanguínea.
3) Pouca Matriz Extracelular (MEC).
4) As células se organizam em lâminas.
5) É um tecido Avascular, nutrido pelo Tecido Conjuntivo Subjacente.
6) Revestem superfícies internas (mucosas) e externas (serosas) do corpo.
7) Possuem Polaridade, isto é, uma lâmina própria e uma superfícies livre. Sendo que na
superfície livre podem conter especializações, estas em epitélios simples ou
pseudoestratificado, sendo Microvilosidades (Borda estriada), cílios e estereocílios.
8) Possui uma Lâmina basal, formada por 3 partes, tendo como principais funções:
Barreira limitante entre trânsito de macromoléculas do Tc. Conj para o Epitélio;
Filtração de moléculas; Influência na polaridade celular.
Ademais os epitélios possuem outros aspectos, tais como:
Estes sofrem Renovação.
E Metaplasia (Capacidade de um tecido se transformar em outro).

Glandulares - Estrutura e função.


O epitélio glandular provem da proliferação das células epiteliais, e sua
consequente penetração no tecido conjuntivo subjacente.
Glândula exócrina: Com DUCTO.
Glândula endócrina: Sem DUCTO.
Pâncreas: Glândula mista.
Glândulas endócrinas (Dois tipos)
1) Glândula endócrina vesicular: Revestida por uma única camada de células (Epitélio
simples cúbico) limitando o espaço cheio de substância (colóide). Exemplo: Tireóide.
2) Glândula endócrina cordonal: As células se organizam em cordões maciços que se
ligam por canais.
Glândulas exócrinas
Adenômero: Porção secreto + ducto.
Em relação aos tipos de secreção:
Mucosa
Secreção viscosa, com base em glicoproteínas, citoplasma vacuolizado e
basófilo, polarização, núcleo achatado, basal e hipercromático
Serosa
Secreção clara e aquosa, base em enzimas, célula piriforme, citoplasma acidófilo
na parte apical e basófilo na parte basal (por conta do retículo endoplasmático granular
ou rugoso).
Epitélio grandular unicelular (Sistema neuroendócrino difuso)
Exócrina
Célula caliciforme, distingue-se das demais apenas quando ativa e possui o ápice
preenchido com vesículas
Endócrina
Células endoendócrinas

Em relação aos métodos de secreção:


Exócrina:
Holócrina: O produto da secreção é liberado com toda a célula.
Merócrina: O produto da secreção é liberado por exocitose.
Apócrina: O produto da secreção é liberado com o citoplasma apical da célula.
Em relação aos processos de sinalização:
Autócrina: A célula produz mensageiros que se combinam com ela mesma,
estimulando-a.
Parácrina: As células (vizinhas) produzem mensageiros que se combinam e as
estimulam entre si.
Endócrina: Estímulo produzido por outras células que percorrem a corrente sanguínea
até chegar na célula alvo.
Neurócrina: Células nervosas liberam suas secreções na corrente sanguínea que é
transportada para as células alvo.

Existem outros tipos de células epiteliais.


1) Células que transportam por pinocitose.
2) Células que transportam íons.
3) Células secretoras de esteroides.
4) Células mioepiteliais (Abraçam as células secretoras e as comprimem para
liberar a secreção).

Tecido Conjuntivo
O tecido conjuntivo possui continuidade com os demais tecidos, sendo os
principais constituintes estruturais e, sua maioria, origina o mesoderma.
1) Células de todos os tipos, fixas e migratórias.
2) Matriz extracelular abundante.
Suas principais funções são: Preenchimento, Sustentação, Nutrição, Transporte,
Armazenamento, Defesa, Proteção e Reparação.
A Matriz extracelular, é composta por Proteínas fibrosas e pela substância
fundamental.
Proteínas fibrosas
1) Colágenas.
São as principais e mais abundantes, no estado fresco são brancos (tendões), estão
presentes em todos os tipos de tecido conjuntivo, variando em quantidade. Possuem
grande força tênsil e comprimento inderminado, assim como são sinuosas e sem
ramificações. Possuem 3 cadeias polipeptídicas alpha, enroladas entre si em hélice
da esquerda para direita (tropocolágeno). Podem corar azuis ou verdes (Tricoma de
Gomori).
Formação do tropocolágeno.
1) Transcrição do RNAm de cada tipo de cadeia polipeptídica.
2) Síntese das cadeias de procolágeno com os peptídios de registro.
3) Hidroxilação das prolinas e lisinas.
4) Glicosilação (Galactosil e Glicosil)
5) Formação da tripla hélice alinhada com os peptídios de registro (procolágeno)
no RER (Retículo endoplasmático rugoso).
6) Finalização e empacotamento do procolágeno em vesículas.
7) Transporte das vesículas em diração a MEC.
8) Descarga de moléculas de procolágeno na MEC.
9) Procolágeno peptidase quebra os peptídios de registro formando o
Tropocolágeno.
10) Agregação do tropocolágeno nas fibrilas.

Proteínas fibrosas
2) Reticulares.
Finas e delicadas, ramificam-se e possuem uma delicada rede ou malha de
sustentação. Não são bem visíveis em Hematoxilina-eosina (H.E), se coram em
Impregnação por prata (aparecem em negro).

3) Elásticas.
Tipicamente finas, sem estriações longitudinais, a fresco são amarelas. Possuem
uma disposição desordenada, ramificam-se e ligam-se entre si, estiram 150% e são
pouco evidentes em H.E. Colorações especiais: Fucsina-Resorcina (Púrpura) e Orceína
(Marrom). Possuem dois tipos:
Oxitalânicas (Exclusivas fibrotúbulos, ligamento periodontal e tendões)
Elaunínicas (Muitos microtúbulos, dispostos em feixes no interior de pequenas
quantidades de elastina). Por exemplo, a pele.

Substância fundamental
É um gel semi-sólido incolor e transparente, composto por líquido intersticial
(água + sais minerais), glicosaminoglicanas e proteoglicanas. Apresenta um complexo
bioquímico, sendo altamente hidratado e circunda as células e fibras do tecido
conjuntivo. Despercebido em cortes corados por H.E, distorcido e sofre colapso durante
os estágios de desidratação. Corado por PAS (Carboidratos, vermelho) e Azul de
Toluidina (Metacromasia). Possui funções como: Hidratação, transporte de
substâncias dissolvidas, barreira à penetração de partículas estranhas.
Classificação dos tecidos conjuntivos:

    Frouxo    

  Propriamente   Não-modelado
Adulto Dito Denso   Colágeno
      Modelado Elástico

Tecido Conjuntivo Propriamente Dito


1) Frouxo
É o mais comum, encontrado com maior frequência. É uma trama fina de fibras
colágenas, reticulares e elásticas, desordenadas e frouxamente dispostas. Possuem
fibroblastos, numerosas células, variam quanto à localização e fisiologia. Ocorrem na
região subepitelial, mesentélio, entre múscos e nervos.
2) Denso
Relacionado ao tecido conjuntivo frouxo. Possui um elevado número de fibras, redes
grosseiras de fibras colágenas com algumas reticulares e elásticas. Possuem
fibroblastos, porém com demais células reduzidas.
2.1) Não modelado
Ocorre na derme e cápsulas de órgãos.
2.2) Modelado
Feixes paralelos e com organização fixa.
3) Denso Modelado
3.1) Colágeno
Pouquíssimas células, fibrócitos dispostos longitudinalmente. Fibras colágenas espessas
e onduladas. Presente em tendões, ligações e aponeuroses.
3.2) Elástico
Fibras elásticas e ramificadas. Fibroblastos, demais tipos são raros. Presente no
ligamento da nuca, ligações dorsais da coluna vertebral e na parede das artérias.

Células do tecido conjuntivo


1- Células Residentes (Estáveis e de longa vida)
Macrófago, Plasmócido e Mastócito.
2- Células transitórias (Migratórias e de vida curta)
Neutrófilo, Eusinófilo, Monócito e Linfócito.
Essas células possuem duas origens primárias:
Célula mesenquimal indiferenciada (Forma Osteoblasto, osteócito, condrócito,
condroblasto, célula adiposa e fibroblasto).
Célula-tronco hematopoiética (Forma as células de defesa).

A diferença entre Fibroblasto e Fibrócito.


Fibroblasto: Possui o núcleo exuberante, é uma célula jovem, possui prolongamentos
citoplasmáticos, e um citoplasma basófilico.
Fibrócito: Célula fusiforme, é uma célula velha, madura, possui núcleo compacto e é
menos basófilico.

O fibroblasto possui função de: Produção da MEC, Síntese de procolágeno,


Produção de glicosaminoglicanas, proteoglicanas e tropoelastina.
Para a cicatrização um fibrócito pode voltar a ser um fibroblasto.

Células de defesa
1) Macrófago (Sistema fagocitário mononuclear)
Possui morfologia variável, núcleo excêntrico, oval ou em forma de rim, cromatina
condensada. Com funções de: Limpeza (Fagocitam células velhas, danificadas e
mortas), Defesa (Fagocitose), Apresentação de antígenos aos linfócitos T, Síntese de
protéinas de complemento, Síntese de reguladores de crescimento hematopoiético.
2) Plasmócito
Célula grande, citoplasma basofílico, núcleo esférico, excêntrico. Possui função de
produzir anticorpos.
Macrófago fagocita corpo estranho e passa a informação para o linfócito T, linfócito T
transmite isso ao Linfócito T helper que ativa o Linfócito B em Plasmócito o qual
produz anticorpos.
3) Mastócito
Célula grande e globulosa, com núcleo esférico, pequeno e central, e com o citoplasma
repleto de grânulos metacromáticos compostos por (Heparina, Histamina,
Proteoglicanas, ECF-A, NCF-A e Leucotrienas). Possui função de promover reações
alérgicas, anafilaxia.
4) Leucócitos
Granulócitos e Agranulócitos
Grânulos específicos
5) Neutrófilo
É a primeira linha de defesa celular do organismo, faz a fagocitose de microorganismos
e pequenas partículas que invadem o organismo.
6) Eusinófilo
Possui função de fagocitar o complexo antígeno-anticorpo, fagocitam lentamente
bactérias, aumentam em número em verminoses e processos alérgicos, limitam e
circunscrevem os processos inflamatórios.

7) Linfócitos B e T

Linfócito B: 25% Vida curta e com imunidade humoral.

Linfócito T: 75% Vida longa e com imunidade celular.

Principais tipos de linfócitos e suas funções na resposta imunitária

Linfócito Natural Killer ( MATA TUDO! )

Tecidos Conjuntivos Embrionários

1) Mucoso ou amorfo

Presente no cordão umbilical, na região subepidérmica do embrião, possuem


fibroblastos. E sua matriz é composta por feixes colágenos grosseiros, com grande
substância fundamental. No adulto é um tecido de transição durante a reparação.

2) Mesenquimatoso

Tecido mesodérmico, possui células mesenquimais e fibroblastos. Matriz composta por


fibras colágenas e reticulares esparsas e delicadas.

Tecidos conjuntivos Especiais


1) Reticular
Fina malha/rede de fibras reticulares/ argirófilas. Possui fibroblastos e macrófagos.
2) Pigmentado
Tecido conjuntivo frouxo que apresenta células pigmentadas, íris e coroide, tecido
conjuntivo associado à pele pigmentada.
3) Adiposo
Tecido conjuntivo especial composto por população homogênea adiposa (Adipócitos)
Associado a todo tecido conjuntivo frouxe, com algumas predileção.
Origem e desenvolvimento da célula adiposa

Célula mesenquimal indiferenciada forma o Lipoblasto que irá formar ou um adipócito


unilocular ou multilocular.

1) Tecido adiposo unilocular ou Branco


São grandes, com citoplasma ocupado por uma grande gota lipídica, e com o núcleo na
borda. Possui função de: Reserva energética, Modelador da superfície, Isolante
mecânico, Termorregulação, Preenchimento de espaços entre tecidos e Atividade
secretora.
2) Tecido adiposo multilocular ou Marrom
Possuem numerosas gotículas de gordura, com um núcleo arredondado, possui maior
vascularização e aparência de glândula endócrina. Possui função de: Especialização na
produção de calor, Distribuição específica, Permite que animais jovens não sofram
bruscamente com o frio e Auxilia os mamíferos hibernadores.