Você está na página 1de 9

Prof.

Gabriel Cremona Parma

EQUIVALÊNCIAS TRANSFORMAR
180⁰ =π(rd) Graus/minutos/ segundos para graus decimais:
1⁰ = 60’=3600” 30⁰16’46” = 30,2794445⁰
= =

eixo das tangentes


X’ 1’ = 60” Processo:
= 30 + 16/60 + 46/3600 =
á í .
30 + 0,2666667 + 0,0127778 = 30,2794445⁰

eixo dos senos


TRANSFORMAR
Graus decimais para graus/minutos/segundos:
= =
X’
30,2794445⁰ = 30⁰16’46”
= Processo:
á í . eixo dos cossenos
graus: parte inteira do número
g = parte inteira do número = int(30,2794445)
g = 30⁰
tan(X)
Minutos:
= TA= m = int(0,2794445x60) = int(16,7666700)
X’
= m = 16’
Segundos:
s = int(0, 7666700x60) = int(46,0002000)
Raio do círculo trigonométrico sempre o raio unitário (igual á uma unidade).
s = 46” (nunca usar decimais para os seg.)
Simulação online das Funções Trigonométricas: http://alexsanderam.brinkster.net/geogebra/2.html Finalmente o valor transformado é:
30⁰16’46

180 − α 180 + α 360 − α

α α α α
α α

sen(α)=cos(90-α) sen(α)=sen(180-α) sen(α)=-sen(180+α) sen(α)=-sen(360-α)


cos(α)=sen(90-α) cos(α)=-cos(180-α) cos(α)=-cos(180+α) cos(α)=cos(360-α)
Prof. Gabriel Cremona Parma

A A
      180        180    90 
α   90 
se :   90   α
    90    90 
b
c c
b γ
Area  base  altura 2 C
raio circunf. inscrita  r a
β
raio circunf. circunscrita  R B
β γ abc
B a C s
2
Teorema Seno
Funções Básicas ( s  a )( s  b )( s  c )
r a b c
a cat .op . s    2R
sen    cos  sen sen sen
c hip . Area  rs  s ( s  a )( s  b )( s  c )
b cat .adj Teorema cosseno
cos     sen  Area  2 R 2  sen  sen   sen a 2  c2  b 2  2  c  b  cos
c hip .
Area  a  b  sen 2
a cat .op . b2  c2  a 2  2  c  a  cos 
tan     cot 
c cat .adj c 2  a 2  b2  2  a  b  cos
b cat .adj Teoerma Tangentes
cot     tan   r  r  r
a cat .op . tan  ; tan  ; tan 
2 ( s  a) 2 ( s  b) 2 ( s  c)  
Teorema Pitágoras tan
2  a  b ;     90  
c2  a2  b2     a b 2 2
 ( s  b)( s  c )   tan
a2  c2  b2 ; b2  c2  a2 sen  ; sen  ...; sen  ... 2
2 bc 2 2 Teorema projeções
Relações Fundamentais
a  sen a  b  cos   c  cos 
sen 1 tan   ; tan   ...; tan   ...
tan  = , cot   c  a  cos 
cos  tan  b  a  cos   c  cos 
2 2
 sen    cos    1 c  b  cos   a  cos 
Prof. Gabriel Cremona Parma

A Caso 2: dois lados e o ângulo compreendido. Dados: a; b; γ


Método A: Método B:
α = + −2 × = × → =
×
b   90  = +
= 90 − =
  90  c = 180° − −
2 2
= + ; β= =
  90  ×
c=
C γ       180 
Caso 3: 2 lados e o ângulo oposto. Dados: a; b; α (Caso duvidoso)
a β × Solução básica
B Calcular primeiro: = = 180° − −
×
Caso 1: um lado e dois ângulos c=
Verificação da Solução: Segunda Solução
adjacentes. Dados: c; α; β
a) Se : × > → ã ℎ çã . = 180 −
= 180° − − b) Se: ≥ → < 90°: çã ú : = 180° − −
× ×
b= =
c) Se:< →verificar possível segunda solução
× −Se: × < → çã : çã
a= −Se: × = → uma única çã : = 90°
= 90° − ; c= ×

Caso 4: três lados. Dados: a; b; c


Método A: = ; = ; = 180° − −

+ + ( − )( − )( − )
Método B: = ; = ; = ; = ; = 180° − −
2 − −
Prof. Gabriel Cremona Parma

ORIGEM ORIENTAÇAO NO EIXO HORIZONTAL +Y (NORTE)

=
é
; ;
; ;

çõ /
= −
= −
= −
.
( )
ç :
= ; ;
ℎ :
= ℎ ;

â ℎ
ℎ = +
= ℎ +
= + +

 çã :
= ; = ; =

 çã ℎ :
= ; = ; =
ARREDONDAMENTO DE NÚMEROS

X
• Medidas lineares com precisão de milímetros:
– Três casas decimais depois da vírgula. CERTO: 234,233m ERRADO: 234,233441214m
– Exemplos de arredondamentos ao milímetro (a três casas decimais):
• 15,6232m → 15,623m
• 15,6237m → 15,624m No caso do “5” arredondar
• 15,6235m → 15,624m para o par mais próximo!
• 15,6245m → 15,624m

X
• Medidas angulares com precisão de segundos.
– Sem decimas de segundos. CERTO: 124° 23' 34“ ERRADO: 124° 23' 34,23“
– Exemplos de arredondamento ao segundo:
• 20⁰30’16,32” → 20⁰30’16”
• 20⁰30’16,73” → 20⁰30’17” No caso do “5” arredondar
• 20⁰30’16,50” → 20⁰30’16” para o par mais próximo!
• 20⁰30’15,50” → 20⁰30’16”
• Cálculos/valores intermediários
– Usar a precisão total da calculadora e usar a capacidade da calculadora de fazer cálculos complexos de
uma só vez. Porém, nunca use menos de seis casas decimais nos resultados parciais;
• Recomenda-se não copiar resultados intermediários/parciais da calculadora na folha dos cálculos.
• Matematicamente só deve-se indicar o modelo matemático, os valores das variáveis e o resultado final, sem
os resultados parciais (faça os cálculos de uma única vez na calculadora!)

Estas condições de precisões e formalismos serão cobradas nos resultados numéricos das
provas, descontando-se nos cálculos (precisões) e no método (formalismos matemáticos)
Tecla “GRAUS” para trabalhar com graus, minutos e segundos
sexagesimais nos dois formatos usuais (ggg/mm/ss ou g.ddddddd)
Exemplo: calcular o cosseno de 30⁰16’46”:
cos 3 0 ⁰’” 1 6 ⁰’” 4 6 ⁰’” ) =
No ecrã da calculadora resulta:
No mínimo, trabalhar com 6 casas
decimais nas funções trigonométricas, se
necessário valores intermediários. Neste
caso seria: 0,833576

Exemplo: calcular o arco cosseno de 0.923456 (descobrir o ângulo):


SHIFT cos 0 . 9 2 3 4 5 6 ) = ⁰’”
No ecrã da calculadora resulta:
Neste caso, o resultado deve ser
considerado como 22°33’48”
Nunca usar decimas de segundos

Exemplo: calcular a raiz quadrada de 5,32 menos 32 (metros):


• ( 5 . 3 2 - 3 ) =
No ecrã da calculadora resulta:
Nos resultados finais de comprimento de
Observação: os parênteses iniciais nas funções segmentos de retas, usar só três casas
trigonométricas dependem do modelo de CASIO: decimais: 4,369m neste caso.
se apertar a função e aparecer a abertura de
parêntese, lembre-se de fechá-lo antes da tecla “=“
Classificações dos ângulos
Com relação às suas medidas
• Giro:
– ângulo que mede 360° (também pode ser chamado de Ângulo de uma volta ou
completo).
– Um ângulo de 360 graus é aquele que completa o círculo.
– A volta completa coincide com o ângulo de 0° mas possui a grandeza de 360°.
– Tal identificação se assemelha à do ângulo negativo com o ângulo positivo que tem como
medida exatamente aquele (negativo) somado com a volta completa.
• Consecutivos:
– dois ângulos são chamados consecutivos se um dos lados de um deles coincide com um
dos lados do outro ângulo;
• Adjacentes:
– Ângulos adjacentes são aqueles que possuem um lado em comum, mas as regiões
determinadas não possuem pontos em comum;
• Opostos:
– Dois ângulos são opostos pelo vértice quando os lados de um deles são semirretas
opostas aos lados do outro.
• Congruentes:
– Dois ângulos são congruente (ou coincidentes) se quando sobrepostos os lados de um
deles são as mesmas semirretas dos lados do outro.
Classificações dos ângulos
Com relação às suas medidas
• Nulo:
– um ângulo nulo mede 0°;
• Agudo:
– ângulo cuja medida é maior do que 0° e menor do que 90°;
• Reto:
– um ângulo reto é um ângulo cuja medida é exatamente 90°; assim os
seus lados estão localizados em retas perpendiculares;
• Obtuso:
– é um ângulo cuja medida está entre 90° e 180°;
• Raso:
– ângulo que mede exatamente 180°, os seus lados são semirretas
opostas;
• Côncavo ou reentrante:
– ângulo que mede mais de 180°e menos de 360°;
Classificações dos ângulos
Quanto a suas complementações
• Complementares:
– dois ângulos são complementares se a soma de suas medidas é
igual a 90°. Neste caso, cada um é o complemento do outro.
• Suplementares:
– dois ângulos são Suplementares quando a soma de suas medidas
é igual a 180°. Neste caso, cada um é o suplemento do outro.
• Explementares:
– Dois ângulos são Explementares quando a diferença de suas
medidas é igual a 180. Neste caso, cada um é o explemento do
outro.
• Replementares:
– dois ângulos são Replementares quando a soma de suas medidas
é igual a 360°. Neste caso, cada um é o replemento do outro.