Você está na página 1de 5

CAPA Acricorte 2019

Carne de qualidade:
como será o amanhã?
por Mara Ramos

FOTOS: REVISTA NELORE


Acricorte reúne 1500 pecuaristas do Mato Grosso e outros estados para discutir o futuro da pecuária

O futuro da pecuária bra-


sileira foi o tema da
Acricorte/2019, dias 9
– com a necessária busca por
qualidade e os caminhos para
perenizar os negócios – o evento
de, que também é pecuarista,
essa provocação é importante e já
vem ocorrendo há tempos. “Não
e 10 de maio em Cuiabá, MT, contou com onze palestras, três é de hoje que estamos atentos a
numa realização da Acrimat – painéis e uma plateia de 1.600 isso, o Mato Grosso tem o maior
Associação dos Criadores do pecuaristas atentos. rebanho do país e é o maior
Mato Grosso. De acordo com “Está passando da hora do exportador, temos obrigação de
Marco Túlio Duarte Soares, o produtor enxergar além da curva. sair na frente e agregar valor à
evento foi uma provocação para É muito expressivo o movimento nossa carne”, afirmou reforçando
que o pecuarista saia da zona de para buscar outras fontes de prote- que a tecnologia genética para
conforto e comece a pensar seria- ína no mundo todo. Mais do que carne de qualidade já está dispo-
mente no futuro da atividade. nunca, temos que nos unir e pen- nível ao produtor há tempos.
Com um time de palestrantes sar nosso negócio daqui a cinco ou O evento trouxe informações
capazes que fermentar e fomen- dez anos”, afirmou Marco Túlio. do que está sendo desenvolvido
tar os novos rumos do setor Para o presidente da entida- de maneira mais progressista no

020 www.revistanelore.com.br
mercado em termos de manejo,
nutrição, qualidade, avaliação
genética, avaliação de qualidade de
carne, varejo, comercialização e, o
melhor, permitiu o acesso a este
conhecimento. Segundo a zootéc-
nica Liliane Suguisawa, da DGT
Brasil. “A Acricorte democratizou
a informação, saindo do circuito
dos criadores que são realmen-
te ávidos, que são os primeiros
a testarem essas tecnologias, para O futuro em pauta no debate da Acricorte
aqueles que nunca pensaram e, tal-
vez, nem tinham ideia de que isso
existia, mas começam a enxergar mundo contemporâneo levam rer riscos de perder por deficiên-
que já está no mercado”, afirmou. o consumidor a buscar novas cias de manejo. “A rastreabilidade
Foi unânime entre palestran- opções, inclusive de alimentação. total das fases da cadeia passa a ser
tes a visão de que a pecuária de “A comunicação com o consumi- responsabilidade de todos, não só
corte mudou e a palavra de ordem dor de carne deve ser educadora e do frigorífico que emite o certifi-
não é mais a quantidade de bois no constante, carne é saúde, é sabor e cado de origem, cada um tem que
pasto, mas a quantidade e qualida- a carne do Mato Grosso não é para fazer a sua parte e bem”, destacou.
de de carne produzida. Também poucos, mas para todos”, afirmou De olho no mercado, Barcellos
foi um discurso comum o fato já deixando um slogan de campa- afirmou enfaticamente a necessi-
de que o Brasil tem hoje 60% das nha publicitária e convocando a dade de ampliar a produção para
florestas preservadas, teve grande iniciativa privada a destinar parte evitar que o mercado de carne de
evolução no processo produtivo, das verbas publicitárias às ações qualidade entre em colapso. O
faz uma pecuária sustentável e, educativas sobre os benefícios dos consultor reforçou que para pro-
portanto, a próxima barreira é a consumo da carne. E fez um aler- duzir qualidade é preciso produzir
genética do gado. ta: “O Brasil registrou queda de marca, porém, sem padronização
Para o professor José Luiz consumo de carne de 40 para 32 não existe marca. “Raça é rastre-
Tejon, considerado uma das maio- quilos/anos. É urgente virar esse abilidade. Nível de gordura é o
res autoridades em marketing jogo, é um deve da cadeia produ- que dá maciez e sabor que o con-
para o agronegócio, outra barreira tiva da carne”, enfatizou. sumidor deseja, a genética para o
é a comunicação e a necessidade varejo já mudou e o processo de
urgente de uma ação articulada Novos caminhos mudança continua”. Barcelos lem-
entre entidades e empresas para brou que o processo produtivo,
alinhar o discurso e promover a O professor Roberto Roça e na forma como está estruturado
carne como o alimento saudável o consultor de projetos para car- hoje, não dispõe de produtos para
que é. “Atualmente o consumidor nes especiais, Roberto Barcellos, todos. “Ou o pecuarista produz
entende que a carne de qualidade definiram a carne de qualidade e commodity ou produz qualidade,
deve ser consumida apenas nos puderam expor os principais gar- a indústria frigorífica está produ-
finais de semana e estamos diante galos da produção e do mercado. zindo marca de carne e por isso
de uma grande oportunidade de Para Roça cuidar com extremo já melhorou a remuneração para
reeducar o consumidor” afirmou. cuidado de todo o processo pro- quem produz qualidade. As car-
Para o pesquisador as gran- dutivo é fundamental para quem nes especiais, antes encontradas
des transformações ocorridas no quer produzir qualidade sem cor- somente nas boutiques, hoje estão

Junho, 2019 021


CAPA Acricorte 2019

em gôndolas nas grandes redes de incentivar e perenizar os negó- Ainda sobre o tema da “Carne
supermercado”, enfatizou. cios”, afirmou. de Qualidade como a nova
Eduardo Pedroso, dire- Nas linhas como a Maturata, demanda da Pecuária Brasileira”,
tor executivo de originação da as carcaças que cumprem os pré Liliane contou que a tecnologia
JBS confirmaou a firmação de -requisitos podem chegar a R$ da ultrassonografia foi testada nos
Barcellos ao explicar que consu- 10,50 a mais por arroba, infor- EUA na década de 90 e alterou
midor e produtor vem se quali- mou Pedroso. Em 2018, a marca de maneira agressiva o rebanho
ficando e valorizando a qualida- cresceu 33% no mercado interno, norte americano, que aumentou
de, cada vez mais. “Temos hoje fidelizando clientes das grandes a produção de carne por animal e
uma integração maior entre redes varejistas de todo o Brasil, também a qualidade. “Essa tecno-
o produtor e a indústria para segundo informações da própria logia fez com que os EUA tenha o
atender essa demanda crescen- JBS, que comercializa mais de 2 maior valor agregado no merca-
te. Esse relacionamento ajuda a mil tonelada/mês desta linha. do internacional do mundo. No

Confraria presente
Alguns membros da Confraria animais por ultrassonografia em de atividades foi provar que o
Carcaça Nelore estiveram pre- busca das características ideias no Nelore poderia apresentar
sentes na Acricorte/2019 e Nelore Baiano, para a produção qualidade de carcaça e carne.
se animaram com a difusão, de carne de qualidade. “A US proporcionou identificar
cada vez maior, das tecnologias O circuito é uma iniciativa esses indivíduos da raça Nelore,
melhoradoras da carcaça para a da ABCN e conta com o apoio com alta característica de
produção de carne de qualidade de entidades como Sebrae, que herdabilidade para promover
e disponibilidade desta genética estabeleceu a norma técnica para aumento do ganho de peso,
para o mercado. o programa. “Com essa norma da conversão alimentar, da
Formada em junho/18, a criada pelo Sebrae-Bahia que precocidade de abate, marmoreio
Confraria conta com 70 membros, disponibiliza as US de Carcaça, (que confere suculência e sabor)
entre pecuaristas, técnicos e o modelo está disponível para e usar esses indivíduos para
jornalistas de todo o Brasil, além qualquer Sebrae do país, por promover a mudança no padrão
de Paraguai e Equador, na busca isso nosso objetivo é divulgar da carne e da raça”, disse.
de fomento para a produção o projeto para ser adotado em Os criadores, membros da
do Nelore de qualidade. O outros estados”, informou o Confraria, desenvolvem projetos
relacionamento é constante, por criador que vê no modelo do inovadores e alguns já tem
meio da rede social waths app e as Circuito e nos programas de oferta de carne de Nelore, fruto
atividades também são divulgadas avaliação por US a grande saída do trabalho de ultrassonografia
mensalmente na Revista Nelore. para o pecuarista. e dos programas oficiais de
Membro da Confraria, Para a zootecnista Liliane melhoramento que participam.
o criador Paulo Wildberger Suguisawa, que utiliza a Para o grupo esse melhoramento
apresentou na Acricorte o projeto tecnologia Ultrassonografia no do Nelore é necessário para que
do Circuito Baiano Nelore de Brasil há treze anos e também é o Brasil consiga ter consistência
Qualidade que pretende avaliar membro da Confraria, o maior e padrão de qualidade de carne
em um ano pelo menos 12,5 mil paradigma rompido nesses anos para o mundo. Sendo assim,

022 www.revistanelore.com.br
Brasil produzimos commodity, Confirmando tendências Para o criador, quem não se
temos animais abatidos velhos e adequar a um sistema de pro-
sem gordura de acabamento, o Para o pecuarista Celso dução para atender às neces-
que deixa a carne cinco vezes mais Bevilaqua, de Alta Floresta, sidades do mercado, em dez
dura. A tecnologia está à disposi- MT, o evento escreveu histó- anos estará fora da atividade.
ção para que os pecuaristas pos- ria na pecuária brasileira. “O Bevilaquia fez um alerta
sam aumentar a produção, dimi- nível dos temas e a possibilida- aos pequenos produtores: “Os
nuir a idade ao abate que favorece de de integração com outros grandes criadores vão continuar
a maciez, garantir um acabamen- produtores foi fundamental e produzindo commodity, mas o
to e talvez marmoreio, para que muito positiva. A abertura de pequeno, se quiser sobreviver,
no futuro possamos atender esse mercado para a produção de terá que apostar em genética,
mercado internacional de carne carne de qualidade é o melhor em buscar animais melhorado-
de qualidade à pasto” afirmou. caminho a seguir”, afirmou. res para ter padrão e produzir

atuam no sentido de apresentar


e divulgar a tecnologia e
mostrar que o Nelore é capaz
de padronizar um rebanho todo
para AOL, EGS e MAR.
A dinâmica da rede social
favorece a troca constante e o
compartilhamento de informações.
Animais que se destacam,
Membros da Confraria
resultados de provas, novidades se reúnem na Acricorte
sobre melhoramento genético,
avanços da ultrassonografia,
performances de destaque em Com o olhar à frente do seu
MAR, AOL e EGS, inovações tempo, o criador Shiro Nishimura
e dados em genômica e DEPs, entende esse momento como
mercado para carnes de qualidade ímpar para a pecuária. “Eu
e outros temas, fazem parte das consigo ter a visão do que vem
cerca de cinquenta mensagens pela frente e estou convicto
diárias compartilhadas. que investir na qualidade é Shiro e Liliane - a divulgação das
tecnologias são fundamentais para
O grupo busca fortalecer o melhor caminho para a alicerçar o futuro da pecuária
e se preparar para o crescente pecuária brasileira”. Membro e
mercado de carne de qualidade, fundador da Confraria Carcaça
para o qual o Nelore tem Nelore, Shiro é um dos maiores cinco anos na sua propriedade
demonstrado perfeitas condições incentivadores dos processos em Jaciara, MT, alcançando
de disputar espaço, de igual para de avaliação por US, tendo resultados que comprovam a
igual, com as raças europeias. implantado o processo há tendência.

Junho, 2019 023


CAPA Acricorte 2019

qualidade”, disse. do negócio. Infelizmente ainda agro trilhou até aqui é admirado
Para ele o merca- produzimos um grande volu- em todo o mundo”, enfatizou.
do já não aceita me com baixa qualidade”, afir- A consultora destacou a
quem não traba- mou. Membro da Confraria da expressiva cota de exportações
lha com inovação, Carcaça Nelore, Ingrácia lem- do mercado halal. “O Brasil se
com tecnologia e brou que o objetivo do grupo é especializou nisso e não pode-
com técnicas de fazer com que a carne brasileira mos esquecer que 25% da popu-
bem estar animal. tenha ganho de qualidade. lação do mundo é muçulmana,
Em sua opinião portanto, busca esse tipo de pro-
João Paulo Schneider da Silva o setor tem assi- Bem-vindos ao futuro duto. Somos o maior produtor
do RS disse que evento abriu
os olhos sobre a necessidade de milado bem esses de carne halal do mundo”, disse.
ações conjuntas conceitos. A consultora Andréa Veríssimo Márcia Barcelos lembrou
João Paulo e a professora da UFRG, Márcia que o mundo passa por uma
Schneider da Silva veio de Dutra Barcelos protagonizaram grande transformação com
Uruguaiana, RS, para acom- os momentos mais contunden- revisões de conceitos e valores,
panhar o evento. Presidente da tes do evento, com os temas “O especialmente nas questões liga-
Associação Brasileira da Raça Futuro das Proteínas: ameaças das a segurança alimentar. “O
Brangus, o criador considerou o e oportunidades para a carne comportamento do consumidor
evento de alto nível de informa- bovina” e “Mato Grosso, vis- está mudando, desperdiçamos
ções com muita credibilidade. lumbrando o mundo da carne no mundo 1/3 de tudo o que
“O Brasil tem um dos melhores hoje e no futuro”, as palestran- produzimos, 85% da população
produtos. Enaltecer as qualidades tes mostraram dados reais dos mundial vive nas cidades e a
da carne brasileira vai beneficiar novos caminhos da tecnologia geração milenium está em todas
a todos. Eu trabalho com cruza- no mundo e, em especial no as áreas, inclusive nas start ups
mento na base nelore há 35 anos agronegócio. de inovação e produção buscan-
e este evento me abriu os olhos De pesquisas que buscam do substitutos para a carne a
sobre a necessidade de uma ação proteínas oriundas de inse- base de plantas, fungos, algas e
conjunta. O consumo da proteína tos, aos aplicativos capazes insetos”, explicou.
animal contribuiu para o desen- de gerenciar e monitorar os Entre os fatores que influen-
volvimento da raça humana, nós negócios no campo, as novas ciam os novos tempos estão os
precisamos divulgar que somos tendências são irreversíveis. impactos ambientais, o bem
tudo de bom”, afirmou. Segundo Andrea o Brasil ainda estar animal, a eficiência da pro-
Renato Ingrácia é criador tem um caminho a percorrer no dução, vantagens dos substitu-
na cidade de quesito exportação. “O mundo tos da carne e pessoas dispos-
Ariquemes, RO, e quer e precisa dos alimentos tas a experimentar coisas novas.
disse que sempre produzidos no Brasil, porém, “Todos os mercados que atuam
procura estar pre- só exportamos 20% do que na cadeia da carne estão vendo
sente neste tipo de produzimos pois ainda esbar- esse movimento, então, vale lem-
evento, em busca ramos em questões sanitárias. brar que uma desrupção é sem-
de atualização e Por outro lado a projeção para pre precedida de sinais, e esses
conhecimento. 2028 é que o Brasil será o país são os sinais”, alertou. A profes-
“A visão da pecu- do mundo que mais vai aumen- sora explicou que uma desrupção
ária está mudan- tar as exportação, o que deve pode ter sinais fracos e imper-
Renato Ingrácia é criador do e quem não se gerar 41% a mais de produção. ceptíveis, mas ela ocorre quando
em Rondônia e já desenvolve
programa para carne de atentar, em pouco Temos que nos preparar mais esses sinais ganham força e se
qualidade tempo estará fora e mais. O caminho que o nosso convergem naturalmente.

024 www.revistanelore.com.br

Você também pode gostar