Você está na página 1de 24

Design Gráfico

Design Digital 

Sociologia II
Lucas Massimo T A de Souza

sessão 13 – Encerramento
26/11/2010
10:00 – 11:40

Referências Bibliográficas

CASSINO, João Cidadania Digital: os telecentros do município de São Paulo IN SILVEIRA,
Sérgio Amadeu Software Livre e Inclusão Digital São Paulo: Conrad Editora do Brasil,
2003, cap 02 pp 49-62

Unidade 4 – O que Fazer? Dilemas e
desafios na sociedade informacional

Sessão 4: Ciberativismo – soluções e
disputas

Objeto da aula
Telecentros,  AI 5 Digital, Análise dos 
trabalhos

Último encontro Desafios que a cibercultura coloca ao  exercício do design na contemporaneidade tModelo de Software Livre: tipo específico  de regulação que conjuga a produção coletiva  no ciberespaço com o papel do autor tAutor em questão: de que forma a pós‐ modernidade reposiciona a própria atividade  autoral .

Objetivo da Aula tExercício de cidadania: telecentros e AI5 digital tAnálise retrospectiva: revistando curso a partir dos trabalhos .

Telecentros e PL 84/99 tNão estão diretamente ligadas ao  design  tQuestões de natureza política: a  agenda de debate público hoje .

PL 84/1999 e PL98/2003 Lei Azeredo .AI 5 Digital tProjeto de lei que altera o código penal de 1940 tCriação de novos delitos: tipificar novas condutas  criminosas ‐Acesso indevido a meio eletrônico ‐Difusão de vírus ‐Clonagem de celular ‐Falsificação de cartão de crédito ‐Invasão de servidores de instituições financeiras ‐ Divulgação de material indevido (pornografia Infantil) .Lei dos Crimes na Internet .

 Cada requisição de acesso aos dados negada pode  implicar em multa de até 100 mil reais para o provedor .Lei dos Crimes na Internet .AI 5 Digital tMecanismos previstos na lei: Provedores de acesso: transformados em entidades  policialescas ‐serão obrigados a manter os registros de acesso dos  usuários por até 3 anos ‐Acesso à navegação:  provedores devem "informar de maneira sigilosa à autoridade competente denúncia da qual tenham tomado conhecimento que contenha indícios da prática de crime. PL 84/1999 e PL98/2003 Lei Azeredo .

.. considerando-se a natureza. independentemente do ressarcimento por perdas e danos ao lesado.00 (dois mil reais) a R$ 100.000.000." . à autoridade competente. cuja perpetração haja ocorrido no âmbito da rede de computadores sob sua responsabilidade. a gravidade e o prejuízo resultante da infração. estará sujeito ao pagamento de multa variável de R$ 2. § 2º O responsável citado no caput deste artigo.. denúncia da qual tenha tomado conhecimento e que contenha indícios da prática de crime sujeito a acionamento penal público incondicionado.Lei dos Crimes na Internet . aplicada em dobro em caso de reincidência.00 (cem mil reais) a cada requisição. O responsável pelo provimento de acesso a rede de computadores é obrigado a: . maneira sigilosa. III – informar.AI 5 Digital Texto da lei (PL 89/2003) "Art. que será imposta pela autoridade judicial desatendida.. 22. assegurada a oportunidade de ampla defesa e contraditório. Lei Azeredo . .

 ou seja. não reeleito – declarou a constitucionalidade da lei) Motivo da Polêmica tO que muda: privacidade dos usuários tHoje para ter acesso aos dados da navegação é preciso  uma autorização judicial.AI 5 Digital tSituação (06/10/2010): parecer favorável do relator na  CCJ (relator  Régis de Oliveira – PSC‐SP. PL 84/1999 e PL98/2003 Lei Azeredo .Lei dos Crimes na Internet . as autoridades (polícia ou  ministério público) tem de convencer um juiz que a quebra  de privacidade é necessária .

AI 5 Digital Consequências da Lei tDiminuição drástica dos gastos das instituições  bancárias na proteção contra invasão de hackers.  Ips seriam rapidamente identificados tCriminalização de massa no uso da rede: o  projeto diz que “transferência ou fornecimento não  autorizado” de dado informação pode resultar em  detenção de até 3 anos . PL 84/1999 e PL98/2003 Lei Azeredo .Lei dos Crimes na Internet .

 sob o controle do tráfico de  drogas. Telecentros tModelo de política de inclusão digital na cidade de  São Paulo (coordenadoria de projetos especiais de  governo eletrônico da prefeitura) tO que é: unidades de acesso público com cerca de 10  a 20 computadores rodando em Linux com acesso à  banda larga tLocalização: os telecentros são implantados em área  de IDH negativo. com péssima qualidade de vida t1º Telecentro: Cidade Tiradentes. que foi revitalizado pela comunidade e nos  primeiros dias recebeu mais de 5 mil pessoas . junho de 2001. num  prédio abandonado.

o tempo de cada usuário. 2003. Todo conselho possui um conselho gestor.54 . bem como do controle e fiscalização do uso das tecnologias da informação. João Cassino. a grade de cursos e outros usos do equipamento público. O fator principal de sucesso tem sido a participação das comunidades na definição dos usos do equipamento. Esse conselho aprova as regras de uso livre. Telecentros tFUNCIONAMENTO A estratégia de utilizar os Telecentros para a recuperação e qualificação das área degradadas foi bem sucedida. p.

Cassino. demonstraram que os usuários não levam. em média. mais que dez minutos para começar a usar o sistema operacional tranquilamente. planilha eletrônica. pois apenas estaríamos disponibilizando o acesso a quem já trabalha com o computador. 2003. internet. p.56 . p. uma das primeiras unidades a trabalhar exclusivamente com o GNU/Linux.55 tCursos: sistema operacional. webmail. 2003. e editor de  desenhos digitais tDificuldade do Linux: preconceito derrubado Experiências desenvolvidas no Telecentro de Sapopemba.  processador de texto. Cassino. Telecentros tFoco no Analfabeto digital:  a pessoa que chega no  telecentro com medo de ligar o computador Se não nos preocuparmos em ensinar as pessoas. os índices de exclusão digital não cairão.

com jovens da periferia desenvolvendo programas livres.00 ‐Gasto médio por telecentro: 25 mil reais tSoftware livre: uma vez vencida a barreira do  analfabetismo. entre outras noções de design digital. 57 . Telecentros tRecurso ao software livre: necessidade econômica ‐Preço de mercado do Windows: R$ 600 ‐Pacote do office: R$ 660. João Cassino. 2003.  os alunos aprendem a codificar em HTML. é uma das idéias mais ousadas da coordenadoria de governo eletrônico.  a tratar imagens no Gimp (equivalente ao adobe  photoshop). voltados para as suas próprias comunidades. p. Transformar o telecentro em uma agência de produção de software brasileira.

 unidade de cd‐rom e periféricos (som.   processador de 600 Mhz. 64 mb de ram.  teclado e monitor) ‐Clientes: boot remoto (sem hd). 2 HDs 40 GB. conectado em rede e com todos os programas  intalados tVantagem: chances mínimas de desconfiguração do  software (as falhas normalmente são de hardware) tMáquinas ‐Servidor Local: 1 GB ram. unidade de disquete e  . processador Atlhon de 1. mouse. Telecentros tConfiguração dos equipamentos ‐ Telecentro: cerca de 20 terminais clientes.3 GHz. sem disco rígido ‐Um servidor ‐ local.

 p. 61 Pós-Gradução 0% .323 tUsuários frequentes: 62 mil tUsuários que completaram o curso básico: 23.  Superior (completo e incompleto) 2% 2003.318 Usuários por gênero Usuários por renda familiar Masculino 51% Sem renda/até 1 salário 9% mínimo Femino 49% 1 a 2 salários mínimos 34% 2 a 5 salários mínimos 36% Usuários por renda escolaridade 5 a 10 salários mínimos 6% Sem escolaridade 4% Mais de 10 mínimos 1% Fundamental incompleto 43% Fundamental completo 7% Médio Incompleto 20% Médio completo 22% Fonte: João Cassino. Telecentros Estatísticas (PARA 20 CENTROS) entre 05/2001 e 12/2002 tTotal de pessoas cadastradas: 91.

Comentários sobre os TRABALHOS Anonimato como REGRA :  evitar gabarolices e/ou constrangimentos Objetivo do exercício: Fixar conteúdos através da reflexão coletiva  sobre os resultados do curso Resultados esperados: Relacionar a habilidade de escrever com a  clareza de formular idéias .

podemos dizer que o fator histórico determinante para a grande mudança foi a reestruturação e expansão do sistema econômico capitalista sendo. tPergunta:  “o que muda. com idéias claras e uso  adequado da língua portuguesa tTrabalho livre sobre a 1ª unidade: Na medida em que o trabalhador tem renda ininterrupta propiciada pelo seguro desemprego e aposentadorias garantidas. o modelo do capitalismo informacional. neste momento. Comentário sobre os TRABALHOS tUnidade 1: antecedentes históricos tExemplos de um texto bem  redigido. o seu endividamento se torna possível. . tornando-o consumidor dos bens duráveis por ele mesmo produzidos e. quando muda e como muda” Desta forma. conseqüentemente estimulando essa produção.

Que protege a liberdade de expressão e a preservação do senso-comum . O compromisso da Globo é noticiar a notícia . Antes de ser escrito o texto foi bem “projetado” Existe uma essencial diferença entre o Google e a Rede Globo. É a neutralidade que garante que a informação será ponto de vista. Eis a tarefa de um Mediador: neutralidade.) O serviço da Google é o de cães farejadores. possuem propósito. uso adequado de  metáforas. O compromisso da Google é direcionar a informação: não filtrá-la. aplausos).. não contá-la.são repórteres. mas não vontade. . (. são o inimigo. Comentário sobre os TRABALHOS tUnidade 2: teoria da cibercultura tComentário Livre sobre um tema da 2ª unidade (o papel dos  mediadores): articulação das idéias.. Cães farejadores encontram coisas.que não é o caso da China porque eles comem cachorros (risos. não encontrá-la.

Criticar o Determinismo Tecnológico não é descartar a importância do fato de que aspectos tecnológicos de diferentes tecnologias de comunicação possibilitam diferentes tipos de uso. tComentário: texto perfeito. numa sociedade onde o grau de interação com outros fatores está evidentemente presente. Logicamente. pena que foi copiado da rede  ( ainda que com os créditos mantidos logo abaixo) . Comentário sobre os TRABALHOS tUnidade 2: teoria da cibercultura tPergunta: De que maneira o determinismo tecnológico  implica em uma visão pueril acerca das novas tecnologias da  informação? Tecnologia é um dos numerosos fatores das mudanças sociais e do comportamento humano. é difícil justificar uma insistência na tecnologia ou mídia como o fator fundamental das transformações sociais. ainda que as aplicações potenciais das tecnologias não sejam necessariamente realizadas.

Logicamente. numa sociedade onde o grau de interação com outros fatores está evidentemente presente. ainda que as aplicações potenciais das tecnologias não sejam necessariamente realizadas. tComentário: texto perfeito. Comentário sobre os TRABALHOS tUnidade 2: teoria da cibercultura tPergunta: De que maneira o determinismo tecnológico  implica em uma visão pueril acerca das novas tecnologias da  informação? Tecnologia é um dos numerosos fatores das mudanças sociais e do comportamento humano. é difícil justificar uma insistência na tecnologia ou mídia como o fator fundamental das transformações sociais. pena que foi copiado da rede  ( ainda que com os créditos mantidos logo abaixo) . Criticar o Determinismo Tecnológico não é descartar a importância do fato de que aspectos tecnológicos de diferentes tecnologias de comunicação possibilitam diferentes tipos de uso.

Comentário sobre os TRABALHOS tUnidade 2: teoria da cibercultura tPergunta: Porque a cultura oral não é universal? E porque essa cultura oral não é universal? Justamente pelo fato de não ter um registro do conhecimento ao qual todos pudessem adquirir. que sintetiza um argumento que eu levei ao menos  30 minutos para desenvolver . tendo em vista que cada um escuta e interpreta a mesma historia de formas diferentes o conhecimento variava constantemente. com idéias  claras. tComentário: trecho muito bem redigido.

Um download realizado diretamente de uma entidade fantasma. O arquivo do BitTorrent é fragmentado.devido às matrizes de proximidade e rota. Não é possível rastrear qual fragmento foi enviado por qual pessoa. Comentário sobre os tUnidade 3: cibercultura e sociedade TRABALHOS tPergunta: Explique com suas palavras porque o download via  protocolo BitTorrent não configura um ato ilícito Acredito que o download via protocolo BitTorrent é. de forma que uma pessoa raramente ou nunca envia 100% de um arquivo para um próximo . Observem como ela está atenta ao enunciado  da questão. tornando impossível identificar a quem se envia e quem recebe – configurando o que foi dito acima: um servidor invisível. hipotética. que é a rede. que não existe e. não constitui quebra de legislação ao enviar pequenos fragmentos de arquivos. um download sem servidor. . hipoteticamente. Uma entidade coletiva. tComentário: este trecho desenvolve uma resposta clara  e objetiva. essencialmente.

permeando as comunidades carentes com instrumentos de cidadania e mobilização. Ao contrário dos projetos que visam apenas proporcionar condições de vida melhor e dignidade. o viés digital transporta e irriga o direito à cultura. com  idéias claras e objetivas. um trabalho bem escrito. Comentário sobre os TRABALHOS tUnidade 4: desafios da cibercultura tPergunta: Porque a inclusão digital não é uma consequência  natural da ampliação do mercado consumidor. temos diante de nós talvez o maior desafio da pos modernidade: levar a inclusão digital às camadas mais pobres da população. . à informação. Por outro lado. tComentário: de novo. à socialização.  Este excerto vai na mesma linha  do que procurei demonstrar com os telecentros.