Você está na página 1de 13

RESUMO: MATRIZES EXISTENCIAL

1899 WUNDT
1962 BRASIL – Antes disso era misturada com a filosofia
Mitologia Grega:
Filosofia grega séc VI ac até 1 dc
Civilização grego-romana
Pré Socrática (Tales, Heráclito, Anaxógoras, Parmênides, Hipócrates)
Protágoras – “O homem como medida de todas as coisas” (1º humanista)
Significa, pois, que o sujeito mediante suas experiências sensíveis, é pedra de toque e
juiz da realidade, e distingue o existente do inexistente por meio de suas sensações, as
quais não obstante não dependem tanto do objeto exterior presente, que pode provocar
sensações opostas em sujeitos diferentes, como o estado subjetivo de cada um, que varia
de um para outro sujeito e de um para outro momento da existência individual.
Quatro elementos: terra, água fogo e ar
Sócrates (1º Filósofo humanista) – Aristóteles – Platão (O homem como centro)
Fase Medieval – 10 séculos (homem foi esquecido) séc VX (poder Igreja)
Filosofia Cristã ou Patristica (Teocêntrica) Séc 1 ao séc. V
Expansão do Cristianismo
Derrubada do Império Romano
Idade Média séc. V ao séc. XV
Formação da Europa/Feudalismo/Cruzadas
As primeiras academias (Universidades)

FILOSOFIA MODERNA
Séc. XV ao séc.XX – 1900
Crise feudalismo transição para capitalismo mercantilista
Séc. VI – Renascimento, Racionalismo, Reforma Protestante séc XVIII As revoluções
Inglesas, Francesas e Americanas, Capitalismo Industrial
FILOSOFIA ROMÂNTICA
Hegel
Sorem Kierkegaard (filosofia da existência)
FILOSOFIA CIENTÍFICA
Renê Descartes, August Comte, Karl Marx, Frederich Nietzsche, Williem James,
Wilhem Delthey eJohn Dewey
IDADE CONTEPORÃNEA 1990
1ª e 2ª Guerra Mundial Revolução Russa e guerra fria – a hegemonia dos EUA
QUESTÕES FILOSÓFICAS
Quem sou eu? De onde vim?
Capacidade de pensar, refletir, criticar, analisar...
Processos Psicológicos Cognitivos

HUMANISMO – FILOSOFIA E PSICOLOGIA


Pré Socrático – Protágoras “O homem como centro e medida de todas as coisas
Sec V ac – ruptura com o pensar religioso da época que subordinava o homem ao poder
de Deus.
SÓCRATES – Conhece-te a ti mesmo
TERÊNCIO – “Nada do que é humano me é estranho”
TIPOS DE HUMANISMO
RENASCENTISTA: 1400 histórico e literário – Leonardo da Vinci “O homem é o
modelo do mundo” – Passam a ser uma reação ao formalismo teológico da
Escolástica, na tentativa de reestruturar os ideais da idade média, tenta reintegrar
o homem ao mundo da natureza - o homem começa a separar-se da grande ordem
do mundo, para se tornar organizador desta ordem: na pintura, nas ciências...
CRISTÃO: Coloca o homem como o Senhor do Universo – São Tomaz de Aquino e
Santo Agostinho.
RACIONALISTA: O primado do pensamento e autonomia do espírito a partir da
consciência criadora – Descartes
EXISTENCIALISTA: O homem colocado no mundo livre e que tem um projetar-se a
partir de suas vivências – Satre
MARXISTAS: As condições socioeconômicas e biográficas como variáveis de
alienação
IDEIAS HUMANISTAS
Valorizar o homem, considera-lo como valor.
O Humanismo passa a ser a valorização do humano, uma atitude de valorização, frente
ao fenômeno humano.
Preservação da Natureza humana
O postulado antropológico (sociocultural e espiritual)
A primazia da experiência (vivência, afetivo, valorativo, marca, corporeidade...
O postulado relação psicólogo/cliente – encontro interpessoal (ir onde ele estiver)
Cautela no emprego das taxionomanias psicopatológicas (nomear doenças)
CIÊNCIA E HUMANISMO: A perda do sentido, a valorização da tecnologia,
experimentação, objetivista, mecanicista, instrumental: Cartesiana, matemática de
Galileu, quantitativas – técnica metódica e objetiva.
A psicologia da necessidade torna-se ciência e separa-se da filosofia e apropria-se
da tecnologia experimental behaviorista Wundt 1879.

HUMANISMO E CIÊNCIA: Resgate do significado – retomada da techné grega: a


verdade (ciência e vivência) – atitude de escuta (Heidegger) Humanismo ´e
retomada da subjetividade, do significado do ser humano naquilo que ele tem de
mais particular, a sua relação intersubjetiva. É retomada do cartesiano numa
vertente mais aberta.
Do cogito solipsista cartesiano sueje um sujeito transcedental
O humanismo Buberiano é marcado pela sua recusa em aceitar a ideia de que a
humanidade do homem se baseia na sua racionalidade

PILARES DA PSICOLOGIA HUMANISTA


 SUBJETIVIDADE: sensibilidade, afetividade singular... o que sinto? (retoma
Sócrates)
 IDENTIDADE PESSOAL: o que me identifica como o eu que sou? (é corpóreo)
 HISTORICIDADE: meu passado, e meu futuro (ser, não ser e vir a ser) raízes,
pessoal e familiar...
 VALORES: Juízos e categorias axiológicas (igreja, escola...)

O agir puramente tecnológico dá lugar ao encontro entre dois seres.

CARACTERÍSTICA MOVIMENTO HUMANISTA


 O homem e sua totalidade (sistêmico) x visão partitiva
 Visão otimista e positiva nas potencialidades e possibilidades; tendências a
autorrealizações e liberdade de devir.
 Intencionalidade – o homem constrói-se (liberdade e escolha)
 O homem como ser consciente
 A importância da subjetividade
 O homem como ser social (interacionista)
 Enfatiza as qualidades do homem – criatividade, crescimento, afeto, autonomia e
potencialidades
 O conceito de SELF – principio unificador da potencialidade – autoimagem,
auto estima, autoconceito e autoconfiança.

PSICOLOGIA HUMANISTA HOJE


Psicologia compreensiva - Wilhelm Dilthey, Psicologia Centrada Cliente/Pessoa –
Carl Rogers, Psicologia Humanista Americana – Maslow, May, Yalow Mahler,
Ericson Gestalt Terapia – Pers Fenomenologia – Satre e Heidegger e KK,
Logoterapia – W.Frankl
O CONCEITO DE PESSOA
Buber – 1ª ação fala
2ª reação a quem fala
3ª de quem se fala; impessoalidade (tratar o outro como objeto)
Eu – Tu
Eu – somente ascende a consciência através da relação estabelecida com a segunda
pessoa, o Tu (com o Ser, com a pessoa)
Eu – ISSO (relação com os objetos)
Pessoa – persona – máscara
Pessoa – personare – ressoa a voz do personagem
Pessoa – moral – pessoa física, jurídica (cpf, título, Rg)

O PENSAMENTO CARL ROGERS


Revolucionário (porque antes era behaviorismo e psicanálise)
Redimensionamento da relação dos objetivos e dos papeis terapeuta e cliente
Procura tornar o próprio sujeito expert de sua vida
Abordagem centrada na pessoa
Fonte do conhecimento autêntico reside numa experiência (por isso é um processo
experimental consigo mesmo)
NOÇÃO DE HOMEM ROGERS
Tem uma natureza digna de confiança, tem valor positivo
“É um membro espécie humana, um ser digno de confiança, com tendência a
desenvolver-se, de um estado de dependência à independência, tendendo ainda, à
harmonizar seus impulsos e não ficar eternamente sujeitos a eles e evoluir”
 Um ser concreto, situado historicamente, criador e transformador da
natureza e de si mesmo, através das relações que estabelece com os outros
homens.

TEORIA DA PERSONALIDADE ROGERS


Rogers não consegue determinar claramente uma teoria da personalidade, mas
antes uma “teoria da mudança da personalidade”
Teoria do conhecimento
Teoria do olhar, contemplar, examinar, especular...
Teoria forma de pensar e entender algo
Teoria é também uma hipótese, uma conjectura, opinião formada diante de um fato
Uma teoria tenta explicar algo de difícil concretização
1ª fase: desenvolvimento/organização da personalidade – tendência atualizante
2ª fase: desorganização, vulnerabilidade da personalidade (percepção condicional)
3ª fase: reorganização da personalidade (percepção incondicional do Terapeuta)

O QUE DETERMINA CRESCIMENTO ORGANISMOS


Tendência atualizante: tendência ao crescimento, é inerente ao homem – ela delimita
uma confiança no potencial criador humano, considerando que o homem é seu próprio
arquiteto. Designa uma tendência direcional a realizações das potencialidades
construtivas do ser humano, o elemento motivador, a tenacidade da vida, ou a força
vital.
Esta tendência atualizante configura um dos pressupostos principais da teoria rogeriana,
que sugere que há um impulso inato dentro de cada ser humano voltado para o
desenvolvimento pleno de suas potencialidades. É este impulso que conduz todo o
organismo a desenvolver-se, tornar-se autônomo, amadurecer a tendência a expressar-se
e ser responsável por ativar todas as capacidades do organismo, na medida em que tal
ativação valoriza o organismo ou o self.
Rogers compreende o impulso em direção à saúde como força motriz numa pessoa que
está funcionando de modo livre, não paralisada por eventos passados ou por crenças
correntes que mantinham incongruência.
Auto organização e Auto poieses – auto fazer-se
NOÇÃO DE DESENVOLVIMENTO

O objetivo final do desenvolvimento da personalidade seria a congruência entre o


campo fenomenológico e a estrutura do Self, o que representaria um alto grau de
adaptação.
Ênfase na mudança da personalidade, perspectiva dinâmica de desenvolvimento
O organismo tem tendências a auto desenvolver-se a crescer...
Hipótese de crescimento GROWTH (processo de percepção) Os organismos são
capazes de auto direção.
 1º Capacidade de perceber aspectos ocultos da experiência, que estão em
contradição com o EU.
 2º Capacidade de reorganização tornando-a compatível com a totalidade da
experiência.

GROWTH – Sistema motivacional unificado (tira a pessoa do passivo)


Sistema de avaliação da experiência, regulador do 1º
Tendência atualizante: é o sistema impulsionador, motivador em direção
ao movimento.
A terapia será então um processo que consiste em liberar estas
capacidades latentes dos indivíduos.

CONCEITO DE SELF
Self: É a consciência que o indivíduo tem sobre a própria identidade Noção de si a partir
do outro. O self compreende o que somente cada um de nós conhece e, por vezes,
escondemos dos outros.
Self - visão que a pessoa tem de si própria, baseada em experiências passadas,
estimulações presentes e expectativas futuras.
• Self Ideal – conjunto de características que o indivíduo mais gostaria de poder possuir
como descritivas de si mesmo.
• O “self” é uma entidade organizada num constante processo de mutação em busca de
melhoras. Aspectos saudáveis do organismo
Auto imagem, auto estima, auto conceito e auto confiança.
POSTULADOS DA PERSONALIDADE

1. Todo indivíduo existe num mundo de experiência em constante mutação da


qual ele é o centro. Dimensão meio-sócio-histórico-cultural
2. O organismo reage ao campo da maneira como é experimentado e percebido, o
campo perceptivo é para o indivíduo realidade.
3. O organismo reage ao campo fenomenológico como um todo organizado.
Ênfase na totalidade e não na visão partitiva.
4. O organismo tem uma tendência e um impulso básico – concretizar, manter e
aperfeiçoar o organismo que experimenta.
5. O comportamento é basicamente a tentativa dirigida para uma meta que o
organismo utiliza para satisfazer as necessidades que ele experimenta, no campo
que ele percebe – Pirâmide de Maslow
6. A emoção acompanha e em geral facilita o comportamento para uma meta,
sendo que o tipo de emoção se relaciona com os aspectos de buscas versos
consumação de comportamento e a intensidade da emoção relaciona-se com a
importância percebida do comportamento para a preservação e o
aperfeiçoamento do organismo.
7. O melhor ponto de observação para compreender o comportamento é a
estrutura de referência interna do próprio indivíduo.
8. Uma parte do campo de percepção total torna-se gradualmente diferenciada
como self. Desenvolvimento infantil (aconteceu lá na infância...não nada
erotizante...)
9. Como resultado da interação com o ambiente e particularmente como resultado
da interação avaliatória com os outros, é formada a estrutura do self. (O outro
tem importância grande em minha vida)
SELF -.... Um padrão conceitual, organizado fluido e coerente de percepções de
características e relações do EU ou do MIM, juntamente com valores ligados a
esses conceitos.
FAMÍLIA – 1º modo de relação (relações identitárias)
ESCOLA – 2º Matriz identitária

VALORES: INTROJETADOS (tomado do outro)


NEGADOS (incoerentes com meu mundo)
SIMBOLOZADOS experienciados diretamente
DISTORCIDOS (incongruentes no falar e agir)
12. A maior parte dos modos de comportamentos adotados pelo organismo são os que
apresentam coerência com o conceito SELF.
13. A conduta pode surgir em alguns casos de experiências orgânicas e de necessidades
que não foram simbolizadas (traumas, houve falhas...)
14. O DESAJUSTAMENTO PSICOLÓGICO existe quando o organismo nega à
consciência experiências sensoriais e viscerais significativas, que
consequentemente, não são simbolizadas e organizadas na Gestalt da estrutura do
self. Quando esta situação ocorre, há uma tensão psicológica básica ou potencial.
15. O AJUSTAMENTO PSICOLÓGICO existe quando o conceito self é tal que
todas as experiências sensoriais e viscerais dos organismos são, ou podem ser
simbolicamente assimiladas para formar uma relação coerente com o conceito self.
16. Qualquer experiência incoerente com a organização ou estrutura do Self pode ser
percebida como uma ameaça, e quanto mais numerosas forem essas percepções, mais
rigidamente a estrutura do Self é organizada para preservar-se (Mecanismos de
defesas) (choro, medo, fuga, agressividade ou de segunda ordem: racionalização,
deslocamento...)
17. Sob certas condições, principalmente na ausência completa de qualquer ameaça à
estrutura do Self experiências incoerentes com essa estrutura podem ser percebidas ou
examinadas, e a estrutura do Self pode ser revista para assimilar ou incluir
experiências. (qq relação pode potencializar novas vivências)
18. Quando o indivíduo percebe e aceita, num único sistema coerente e integrado, todas
as suas experiências sensoriais e viscerais, ele adquire necessariamente uma
compreensão e uma aceitação maior dos outros como indivíduos diferenciados.
19. E a medida que percebe e aceita em sua estrutura de Self uma maior experiência
orgânica, o indivíduo descobre que está substituindo seu sistema de valores atual
baseado em grande parte em introjeções simbolizadas de forma distorcidas – por
processo contínuo de apreciação organísmica

TEORIA DA TERAPIA

 Psicoterapia
 Encontro existencial – interpessoal, onde a qualidade do encontro é que
determinará a eficácia da relação
 Caráter ontológico da relação é mais importante que a técnica
 Os sentimentos são mais valorizados do que a racionalidade (resgate da
sensibilidade)

FASES ELEMENTOS – A Psicoterapia como processo

1º Momento: Experienciação (experiência de algo nesse momento)


2º Momento: Vivência integradora (não tem barreiras, machucado, ferida, dor...)
3º Momento: Integração do vivido (vivencias algo na sua totalidade)
4º Momento: Aceitação interna pessoal (esta experiência tem a qualidade de ser aceita,
é uma parte aceitável de mim...)
6 CONDIÇÕES NECESSÁRIAS (Para ocorrer os processos de mudança)
1. Contato
2. O cliente estar experimentando estado angústia ou desacordo interno
3. O Terapeuta deve experimentar sentimento aceitação positiva, prospectiva e
incondicional (suspender pré conceitos), respeito, atitude calorosa, aceitação do
outro como pessoa merecedora de confiança, de capacidade e de créditos. É o
reconhecimento da alteridade.
4. Compreensão empática, escutar de modo ativo e sensível, é a capacidade de
entrar no mundo do outro e de buscar sentir o que o outro está sentindo com
sensibilidade e suavidade
5. Importante cliente perceber compreensão empática e a aceitação positiva
6. O Terapeuta estar estado acordo interno..congruência, sinceridade, o cliente se
sentirá em segurança, o terapeuta se mostra “transparente” para o outro.

CONGRUÊNCIA – Acordo interno, pensar, sentir e se comportar em


coerência...
Autenticidade – integralidade – ser o que realmente se é.

QUESTÕES: ESTUDO DIRIGIDO


1. Analise o que significa a palavra humanismo (história, cultura e
filosofia)

O Humanismo pode ser definido como um conjunto de ideais e


princípios que valorizam as ações humanas e valores morais
(respeito, justiça, honra, amor, liberdade, solidariedade). Para os
humanistas, os seres humanos são os responsáveis pela criação e
desenvolvimento destes valores.
O humanismo se desenvolveu e se manifestou em vários momentos
da história e em vários campos do conhecimento e das artes.
Humanismo na antiguidade clássica Sócrates (Grécia e Roma):
manifestou-se principalmente na filosofia e nas artes plásticas. As obras
de arte, por exemplo, valorizavam muito o corpo humano e os
sentimentos.
Humanismo no Renascimento: nos séculos XV e XVI, os escritores e
artistas plásticos renascentistas resgataram os valores humanistas da
cultura greco-romana. O antropocentrismo (homem é o centro de
tudo) norteou o desenvolvimento intelectual e artístico desta fase.

O que é Humanismo:

Humanismo, no sentido amplo, significa valorizar o ser humano e a


condição humana acima de tudo. Está relacionado com
generosidade, compaixão e preocupação em valorizar os atributos
e realizações humanas.
O humanismo foi um movimento intelectual iniciado na Itália no século
XIV com o Renascimento e difundido pela Europa, rompendo com a
forte influência da Igreja e do pensamento religioso da Idade Média.
O teocentrismo (Deus como centro de tudo) cede lugar ao
antropocentrismo, passando o homem a ser o centro de interesse.
O humanismo procura o melhor nos seres humanos e para os seres
humanos sem se servir da religião.
A filosofia humanista oferecia novas formas de reflexão sobre as artes,
as ciências e a política, revolucionando o campo cultural e marcando a
transição entre a Idade Média e a Idade Moderna.
Questão central: quem é o homem?!!!.

5- quais as criticas que o movimento humanista faz as ciências e o


que este movimento tenta resgatar e valorizar?
Quando a ciência se separa da filosofia passa a existir várias áreas de
estudos (na medicina por exemplo: ortopedista, oftalmologista, etc) e
consequentemente cada uma dessas áreas estuda uma parte do ser
humano; o humanismo considera isso sendo uma ciência partitiva que
não vê o ser humano como um todo. Além de partitiva a ciência se torna
tecnicista, ou seja, fere o homem com instrumentos de medida técnicos
deixando de olhar para a subjetividade do homem.
O humanismo busca resgatar o ser humano em sua totalidade.

8- principais criticas da psicologia humanista as duas matrizes de


pensamento e psicologia.
Behaviorismo- por ter tendência determinista e explicativa.
Psicanálise- por ser explicativa e interpretativa.

11- segundo Rogers como se desenvolve a personalidade do


homem?
Tendência atualizante - Trata-se de uma capacidade inerente em todo
ser vivo de buscar o que é melhor para si, é um constante movimento
que da continuidade à vida. Nem sempre é algo positivo e bom, afinal, o
que é bom para um ser pode ser ruim para o outro, uma pessoa pode
buscar sua atualização através de um ato violente e outra pode buscar
mediante a uma atitude solidária. São pilares que desenvolvem a
personalidade.
 Como nos desenvolvemos/ como crescemos
 Movimento em direção a uma realização construtiva da natureza
do organismo.
 Realização no sentido de potencialidade e completude.
 Auto organização
 Delimita uma confiança no potencial, considerando que o homem
é seu próprio arquiteto.
Self- contínuo processo de reconhecimento. Autoimagem, auto estima,
autoconceito, autoconfiança.
Valores- introjetados, negados, distorcidos e simbolizados.

12- o que pode levar a desorganização da personalidade?


Rogers acreditava que o desajuste acontece quando o sujeito nega as
experiencias sensoriais e viscerais, ou seja, desajustes das relações
psíquicas sociais e fisiológicas, como na pirâmide de Maslov.

13- o que é preciso para que a personalidade volte a reorganizar-


se?
O olhar deve ser voltado para dentro de si; sua subjetividade. Para haver
processo de reorganização é necessário que tenha:
 Congruência de acordo interno- abertura da pessoa do terapeuta
para a pessoa do cliente.
 Consideração positiva incondicional: maneira de peceber o outro;
aceitação e interesse pelo ser do outro.
 Capacidade de compreensão empática: capacidade de se imergir
no mundo subjetivo do outro e de participar na sua experiência,
na extensão em que a comunicação verbal ou não verbal o
permite. É a capacidade de se colocar verdadeiramente no lugar
do outro, de ver o mundo como ele o vê.

EXISTENCIALISMO

Soren Kierkkegaard 1813 – 1855


Dinamarques
Pai do Existencialismo Moderno

Existencialismo Moderno 1945 – O que é o existir?

Só o homem existe, as outras coisas são! (é fechado)


Porque só o homem é capaz de mudança
Ser, não ser, vir a ser – só o homem tem essa angústia (boa)

Toda a obra de KK é pura expressão de sua própria vida. Seu pensamento surgiu da luta
de consciência perante sua condição de existir – Foi o primeiro representante da
filosofia existencial e a se preocupar em compreender a existência.
A contribuição mais importante desta escola é sua ênfase na responsabilidade do
homem sobre seu destino e no seu livre-arbítrio.
Foi este filósofo que legou ao existencialismo a ideia central da liberdade do homem,
bem como de sua eterna aflição perante a falta de um projeto que regeria a caminhada
humana, o que deixa o indivíduo à mercê de suas próprias decisões e atitudes. Ele vê a
realidade como um feixe de possibilidades diante das quais o ser, com sua liberdade de
escolha, pode optar pelas que mais lhe convém. Estes caminhos podem ser englobados,
para ele, em três opções primordiais – o estilo estético, no qual cada um busca
aproveitar ao máximo cada momento; o estilo ético, dentro do qual o homem procura
viver com atitudes corretas e morais; e o estilo religioso, que se apoia sobre a fé.

Defendia a ideia de que existia uma verdade subjetiva, “uma verdade que seja para
mim encontrar uma ideia pela qual eu possa viver ou morrer”

Escreveu Diário de um Sedutor – Afirmava que a vida não podia ser objetivo de saber.
Trata-se de uma subjetividade que transcende a própria linguagem. Ocupou-se então em
construir um filosofar sobre a existência – opondo a sistemas racionais de Hegel.

Pensar não é existir, mas tornar-se um espectador dessa vivência – “sinto, portanto,
existo! ”

FONTES ANGÚSTIA EXISTENCIAL:

RESPONSABILIDADES –

O HOMEM É SER POSSIBILIDADES - LIBERDADE

A ESCOLHA constitui uma das noções mais importantes de sua filosofia (núcleo da
existência humana) ela é desprovida de lógica, mas não de uma psicológica. O que o
indivíduo faz, depende do que ele quer, do que escolhe, não do que compreende
(raciona). Entretando, nenhuma opção se realiza sem angústia. Cada escolha é um risco
pela sua própria incerteza. Existir é escolher-se. Sendo artífice de si mesmo, realizando
a sua essência. A escolha é necessária e livre: o indivíduo é obrigado a fazer opções
para existir, embora não sejam constrangedoras.

Analisando existência humana percebe que esta se processa em 3 estágios:

ESTÉTICO: imediatismo, impulso, prazer, satisfação, alívio, necessidades básicas ou


psicossociais, hedonismo, onde impera a dor e o tédio. Buscando um sentido para a sua
existência. Nesse estágio não se encontra plenitude, apenas realizações transitórias. A
ameaça do tédio pode conduzi-lo ao desespero.
ÉTICO: Ligado ao DEVER, as regras, as exigências, moral, familiar, valores
introjetados. A liberdade está agora limitada ao social. Com a ideia do pecado, essa
etapa fracassa, pois surge o arrependimento, sentimento supremo nesse momento,
profunda contradição ética.
RELIGIOSO: Neste caso a escolha independe de critérios pulsivos, racionais, ou ainda
de regras universais. Entretanto o desespero e a ansiedades são fortes sinais que ajudam
o indivíduo a escolher. É pela religiosidade que o indivíduo atinge uma relação com o
Absoluto e encontra a existência que tanto almeja.

Todas essas escolhas são permeadas de um sentimento que é a ANGÚSTIA (sufoco,


opressão, aperto)
KK – Angústia da finitude, da Solidão, Sentido da Vida

A angústia existencial vai sinalizar o grau de importância da escolha: depois da escolha


1. Culpa (leva p aprendizado)
2. Arrependimento
3. Remorso (Alma – Nada pode ser feito-impregnada)

O QUE É ANGÚSTIA EXISTENCIAL?


LER – Liberdade, Escolha, Responsabilidade

O DIAGNÓSTICO nunca vai dar conta da singularidade do homem, cada um é


um ser singular. O diagnóstico é muito segregador.

QUESTÕES:
1. Caracterize o Existencialismo (história e objetivo central)
Considerado o “Pai do Existencialismo”, Sören Kierkegaard (1813-1855) foi um
filósofo dinamarquês. Fez parte da linha do existencialismo cristão, no qual defende,
sobretudo, o livre-arbítrio e a irredutibilidade da existência humana. Morreu 100 anos
antes. Depois vieram Jean Paul Sartre, Simone de Beauvoir e também influências do
marxismo – o movimento moderno bebeu as águas das fontes de Sócrates (Grécia
antiga)
Características extremamente sociais e políticas, vai resgatar a importância do homem e
os dilemas. Para os filósofos adeptos dessa corrente, a essência humana é construída
durante sua vivência, a partir de suas escolhas, uma vez que possui liberdade
incondicional.
Em outras palavras, a corrente existencialista prega que o homem é um ser que possui
toda a responsabilidade por meio de suas ações. Assim, ele granjeia durante sua vida
um significado para sua existência.

Você também pode gostar