Você está na página 1de 1

PESSOAS 2

I N F O R M E E S P E C I A L

Mudar para ser feliz
Em palestra interessante e divertida, recheada de boas histórias, consultor Antônio Roberto ensina como ser feliz no processo de mudanças
Felicidade é uma das palavras- crescimento pessoal. O segundo na mesma cadeira, porque a cadei-
chave da nossa época. Todos nós motivo era o tema da palestra, ra já é dele. Se somos assim com
nascemos exclusivamente para ser “mudanças e ser feliz”, pois consi- uma cadeira, imagina com a nossa
felizes. O único objetivo do trabalho, dera que o avanço do processo so- mulher, com os nossos filhos”,
do dinheiro e do prestígio é a felici- cial depende das pessoas e que exemplificou Antônio Roberto.
dade. Trata-se, porém, de um proje- são as relações que fazem hoje o Toda dor psicológica, como an-
to pessoal, no qual não contamos diferencial nas organizações. gústia, depressão e ansiedade, sig-
com ajuda da sociedade. Para reali- nifica que alguma coisa devia ter
zá-lo temos de superar as armadilhas mudado na nossa vida. “As pessoas
que encontramos no caminho, co- conservadoras levam esse compor-
mo o apego ao passado e o compro- “Toda época tem suas tamento para seu ambiente de tra-
misso excessivo com o futuro. E balho”, disse, aconselhando as pes-
compreender o processo de mudan- palavras-chave e quem soas a aproveitar o que têm. “A vida
ças pelo qual estamos passando. é para viver, não é para manter, e o
Estas idéias foram apresenta- compreende seu significado trabalho é para construir”, ensinou.
das pelo consultor em comporta- é vanguarda e tem sucesso. Antônio Roberto explicou que,
mento Antônio Roberto Soares, ao pregar a mudança quer dizer
ao proferir a palestra Ser feliz no A primeira palavra-chave da que as pessoas têm que ser flexí-
processo de mudanças, para exe- nossa época é mudança.” veis. Isto porque até algum tempo
cutivos do Banco Rural. A pales- era possível ter a sensação de per-
tra, realizada no dia 24 de julho, manência, mas de 30, 35 anos para
fez parte do Rural Competências / cá, não é mais. “O mundo está mu-
Pessoas, programa de Desenvolvi- Antônio Roberto explicou que a dando com muita rapidez. Estamos
mento de Executivos do Banco mudança faz parte da natureza hu- no meio do furacão, a instabilidade
Rural. “Só agora as pessoas come- mana, queiramos ou não. “As trans- é muito grande”, disse.
çam a aprender que podem ser formações acontecem em nós, nas Os adultos de hoje foram pre-
felizes dentro da organização, organizações, nas instituições”, dis- parados para um mundo que não
que o trabalho é um meio para se. Não compreender isso nos faz existiu. “Diziam-nos que se estu-
ser feliz”, disse o consultor. sofrer. E não é mesmo fácil com- dássemos, se casássemos, se tivés-
Ao começar sua palestra para preender, porque somos fascina- semos dois filhos – de preferên-
um auditório lotado, Antônio Ro- dos pela permanência, pela estabi- cia um menino e uma menina –,
berto disse que se sentia feliz por lidade e pela segurança. se trabalhássemos, se tivéssemos
dois motivos, o primeiro deles era “Neste auditório, se alguém dinheiro, seríamos felizes. Mas o FELICIDADE
ver pessoas reunidas buscando o sair, quando voltar vai querer sentar mundo mudou”, analisou. Ser feliz é o principal objetivo da vida do ser humano. É preciso tolerar a alegria, mais do que isso: querê-la, ensina Antônio Roberto

Aprendendo a não olhar para trás É inútil tentar mudar o outro
Há, fundamentalmente, três ques para negar as mudanças, o feitos, os conflitos e ofensas O segundo comportamento o outro. A mudança é um desejo in- mas das organizações estão mudan-
comportamentos diante das mu- primeiro deles é olhar para trás. acontecem, as pessoas as guar- diante da mudança é: tem que ha- terno”, ensinou o consultor. do, as empresas estão mudando e eu
danças, segundo Antônio Rober- “Nós adoramos olhar pelo retro- dam e não resolvem. Da mesma ver mudança, mas quem tem de mu- Ele observou que as discussões in- quero mudar. “Não quer dizer que
to. O primeiro deles, o mais radi- visor, adoramos coisa que já aca- forma, acontece com a culpa. As dar é o outro. “Nós gastamos muita termináveis em mesas de reuniões, as tem de concordar com tudo, pode dis-
cal, é o alienado. “A pessoa se ins- bou”, disse. Mas o passado é fon- pessoas ficam guardando o que energia tentando mudar o outro. brigas entre marido e mulher são sem- cordar. Mas resistir não é discordar”,
talou em sono profundo, não te do sofrimento. As pessoas sen- fizeram de errado, as oportuni- Nas empresas, todas as áreas sabem pre para cada um mostrar que tem ra- explicou. Ele disse que o grande cha-
quer nem enxergar a mudança”, tem saudade, mágoa, culpa, tris- dades que perderam. em que a outra está errada. Sempre zão. Antônio Roberto revelou que 90% mado do mundo hoje é: “mude!”.
descreveu o consultor. As frases teza, remorso. Ele frisou que a função do pas- se pode esconder a resistência à mu- das consultas que recebe são sobre re- Antônio Roberto observou que a
típicas desse indivíduo são: “casa- Esse tipo de comportamento sado é possibilitar que aprenda- dança tentando mudar o outro”, lacionamento afetivo e sexual. “Esta é comunidade se estabelece a partir
mento é assim mesmo”, “meu fi- afeta também as empresas. “Nas mos com ele, não que nos torne- disse Antônio Roberto. Ele ressaltou a relação mais importante, a relação do aprendizado e que temos de co-
lho está assim porque é aborre- empresas, quanta coisa se guar- mos seus escravos. “O passado não que toda competição humana vem primária, a mais prazerosa. Por que meçar aceitando nossa ignorância,
cente”, “não mexe com isso não”, da!”, comentou o consultor, cor- é para a gente sofrer. Quer dizer de se tentar mudar o outro. então o casal se trata tão mal? Por que tendo humildade para isso. “Quem
“já vi esse filme”. rigindo um ditado famoso: “Em que temos de esquecê-lo? Não, te- “Qual é o problema dessa postu- há tanta briga? Por causa da intole- disse que sabe ser pai? Tem que
Tal comportamento, no entan- time que está ganhando tem que mos de resolvê-lo”, ensinou. ra? É que ninguém consegue mudar rância com as diferenças”, explicou. aprender”, ensinou. Para o consul-
to, tem certo apoio da sociedade, mexer, sim”, advertiu, esclarecen- A terceira postura diante da mu- tor, a pior coisa é quando uma pes-
porque ela dá ênfase à conserva- do que, se a empresa bem-suce- dança, segundo Antônio Roberto, é: o soa está num cargo em que não po-
ção. As pessoas sentem orgulho de dida não muda, seu concorrente mundo está mudando, os paradig- de perguntar, porque tem que saber.
dizer coisas como “tenho trinta muda e toma sua posição.
anos casado” ou “tenho vinte e cin- Ele citou a saudade como
co anos de banco” – e a sociedade um sentimento usado para não
valoriza isso. O tempo, porém, não se mudar o presente. Explicou Quem é Antônio Roberto
quer dizer nada, é preciso ver a que as pessoas devem sofrer
qualidade dos anos de casado ou quando acontece um infortúnio. Antônio Roberto Soares é
no emprego. Segundo o consultor, “Depois que passou um dia, consultor de empresas, espe-
essa postura alienada faz sofrer as uma semana, um ano, têm que cialista em comportamento,
pessoas que estão em volta. ressuscitar”, ensinou. A mágoa é profissão que vem desempe-
Antônio Roberto explicou outro sentimento contrário à nhando há mais de trinta anos.
que a sociedade nos ensinou tru- mudança. Como não somos per- Publica artigos aos domingos
no jornal Estado de Minas, no
caderno Bem Viver. Tem tam-
Viver é resolver problemas bém programas de aconselha-
mento na TV Alterosa, na TV
MUDANÇA Horizonte e na Rádio Itatiaia.
Para mudar, é preciso saber em ques para sofrer. Pensamos que as coi- Consideramos inimigo quem pensa diferente de nós, mas é na discordância que se evolui
qual direção. Numa organização isso sas têm que estar todas certinhas para Nascido há sessenta anos
é consensado internamente, mas e nas que estejamos felizes, se houver um em Montes Claros, município
relações pessoais? A direção da mu-
dança, segundo Antônio Roberto, é a
problema, atrapalha. Dizemos: “se
não fosse por isso”. Queremos um
Cultivar o perdão e a esperança do Norte de Minas, Antônio
Roberto teve infância muito
Paralelamente, estudou fi-
losofia, direito, administração
da felicidade, outra palavra-chave da mundo ideal. “Ser feliz é ser feliz ape- Outra palavra-chave do proces- mos nos cumprimentar. Mas emo- pobre; perdeu o pai cedo e sua de empresas e fez vários cursos
nossa época. “O único objetivo do tra- sar de, é um projeto pessoal, só você so de mudança, segundo Antônio cionalmente somos muito infantis”, mãe trabalhava como servente de psicologia organizacional e
balho, do dinheiro, do prestígio e do pode conseguir”, ensinou. Roberto, é emocionalidade. Somos comparou. em um grupo escolar. Aos de- do comportamento. Trabalhou
status é a felicidade. Toda pessoa nas- Ele disse que o grande pecado nossas emoções, nossos sentimen- Ele observou que é preciso tra- zoito anos veio para Belo Hori- também na Mannesmann, co-
ce absolutamente feliz, depois é que das teorias americanas de motivação tos. “Vocês vão levar desta palestra tar das pessoas emocionalmente zonte, onde reside. Foi locutor mo gerente, e na Acesita, como
vão nos ensinando macetes para so- é pretender que uma pessoa motive o que sentiram, não o que entende- para que tenham abertura para a de rádio, vendedor de enciclo- diretor. Ele é casado com a psi-
frer”, disse o consultor. outra. “Motivação tem que ser auto- ram”, explicou. O pensamento não mudança. Isto significa resolver pédia, escrevente de cartório e cóloga Noemi Gelape e tem se-
“Precisamos, primeiro, saber motivação, é preciso permitir que a liga ninguém, o sentimento liga. O dois fantasmas: o passado e o futu- funcionário no Instituto de Ad- te filhos, quase todos atuando
que a sociedade não quer que seja- alegria que está dentro de cada um consultor observou que a idéia da ro. “Como resolver o passado? Pelo ministração Pública. na área de psicologia.
mos felizes, e sim que sejamos obe- apareça”, explicou. “Todos estamos inteligência emocional, tão falada perdão. Eu me perdôo pelas mi-
dientes; a felicidade é um projeto com problemas. É sempre assim. Viver há alguns anos, pode ser resumida nhas imperfeições, e de quebra
pessoal”, explicou. Quando protege- é resolver problemas, até morrer. Te- em duas frases. “Primeiro: eu sou perdôo o que fizeram comigo. E o
mos a nossa alegria, passamos a nos mos que aprender a ter humildade minhas emoções. Segundo: tenho futuro, como resolvê-lo? Desenvol- O que é o Rural Competências
preocupar com a alegria do outro, com as imperfeições”, disse. de gerenciá-las.” vendo o sentimento da esperança”,
porque ela nos dá alegria. Assim como o passado, o com- Antônio Roberto ressaltou que ensinou Antônio Roberto. Rural Competências é um programa de desenvolvimento
Antônio Roberto criticou os am- promisso excessivo com o amanhã é não tratamos dos nossos sentimen- Ele explicou que a esperança de executivos do Banco Rural que promove regularmente pa-
bientes organizacionais que não outra fonte de infelicidade. Ele ob- tos negativos e temos muitos pre- não é um sentimento passivo. “É lestras de especialistas em gestão de pessoas, processos e ne-
permitem a alegria, não permitem servou que fomos treinados para o conceitos contra emoções. Consi- preciso fazer a mudança agora e gócios, liderança, finanças e economia. Por acreditar que o
que se brinque, onde há apenas se- amanhã e para o ontem, e que isso deramos que o homem maduro é deixar o futuro para quando ele principal capital do século XXI é o conhecimento, o Banco Ru-
riedade. Segundo ele, o grande obje- gera ansiedade e medo de perder; racional, embora não o seja no ínti- chegar. Quando chegar, é óbvio ral, em parceria com o jornal Estado de Minas, disponibiliza
tivo das organizações é contribuir pessoas ansiosas são extremamente mo, o que é um erro, pois somos o que vou dar conta”, analisou. “Vai para seus clientes e leitores o conteúdo das palestras.
para felicidade de alguém. beligerantes. “A gente pode planejar, que somos e não o que aparenta- sobrar alegria no coração, vou estar O conteúdo das palestras está disponível pela internet
Um dos motivos pelos quais não mas faz as coisas hoje. Só se vive no mos. “Socialmente somos adultos: apto para ser feliz e ser capaz nas no seguinte endereço: www.rural.com.br
somos felizes é que nos ensinaram tru- presente”, disse. sabemos combinar roupas, sabe- organizações”, concluiu.

w w w. r u r a l . c o m . b r