Você está na página 1de 24

Manual básico de

ginecologia
natural
PARA TODAS QUE QUEREM 
CONHECER MAIS A SI, A
SEUS CORPOS, SEUS CICLOS
E SUA SABEDORIA
INTERIOR.

Por Bruna Garrido


Quem sou
Me chamo Bruna Garrido, sou apaixonada pela sacralidade da
natureza e em poder usar meu dom para ajudar pessoas, no
instagram me encontram como @caminhantedaluz, sou mãe do
Ravi, de 1 aninho, doula, fotógrafa, terapeuta integrativa,
facilitadora de circulo de mulheres, trabalhando no resgate e
reconexão do sagrado feminino, estudiosa da saúde feminina,
tenho formação em ginecologia natural, pelo curso de Anna
Sazanoff, e de Medicinas femininas ministrado por Karine
Rodrigues da Natural cacau. Além disso, co criadora da marca
intuitiva de produtos naturais a @venus0lar. 

sinergiascosmicas
Sinergias Cósmicas
Sumário
O que é ginecologia natural?
Influência da Lua
Mulheres cíclicas
Movimento plante sua Lua
Sabedoria Uterina
O poder das ervas sagradas
Vaporização e Banho de assento
Ginecologia sem hormônios
Cólicas menstruais
Secreção vaginal ou corrimento?
Candidíase
Baixa libido
Considerações finais

Importante ressaltar que cada mulher é única e os resultados


podem variar,  o acompanhamento médico é imprescindível para
a segurança do usuário.
O que é ginecologia
natural?
A  Ginecologia  natural, prática ancestral que perdeu força devido  as
sociedades patriarcais tendenciosas a estimular a introdução de
medicamentos e hormônios para que as mulheres percam sua
essência  natural, de ser e existir nessa sociedade, tem ganhado atenção, e
vem ganhando cada vez mais adeptas desde a ascensão do movimento
feminista, movimento esse que tem mudado a percepção de muitos, que
tem dado voz e força as mulheres, apesar da cultura patriarcal ser maioria,
ainda existem pequenos povos que se mantem firmes e preservam o
respeito ao sagrado feminino.
Essa prática  natural  que conta com o conhecimento ancestral de cura
através de ervas medicinais, tem como objetivo principal fazer com que a
sociedade feminina aprenda o autocuidado, a auto observação tanto física
quanto emocional e energética, para que possam assim dispensar os
excessos desnecessários que a medicina convencional nos propõe. Afinal,
como diz o manual da ginecologia natural:   "é por meio do resgate de nossa
ancestralidade que podemos reexistir e reinventar formas de ser mulher.
São esses saberes passados geração após a geração, por bocas de mulheres,
letras, artes, corpos de mulheres, sangue de mulheres que nos devolvem a
vida autônoma, empoderada e prazerosa, a vida mulher. Nosso corpo é
transgressão, nossa mente é magia, nossa vida é revolução.", É necessário
que haja o reconhecimento da natureza sagrada feminina, para que o
resgate de toda essa essência podada retorne a vibrar sobre nosso
arquétipo social."

A Ginecologia Natural é focada no autoconhecimento através do corpo,


uma redescoberta de si mesma e do seu feminino, uma GRANDE conexão
com a sua essência e com saberes ancestrais com o único objetivo que você
possa ser você mesma de forma SEGURA, COMPLETA e CURADA. E não são só
métodos de cura com Plantinhas, é pegar o espelho e olhar sua vagina,
realizar auto exame das mamas, reconhecer os mucos vaginais, tocar o seu
corpo, sentir as emoções que desabrocham com cada toque… Envolve a
observação do seu ciclo menstrual, métodos anticoncepcionais naturais,
plantas essenciais, remédios naturais com base na alimentação, parto
natural, formas de menstruar consciente e ecologicamente… Inicialmente
parece muita coisa né? Mas é tudo muito simples, você apenas vai aprender
a se observar e interpretar seus próprios sinais."
Influência da Lua
A Lua é a regente da imaginação, dos sonhos, do inconsciente, da
fantasia, da fecundidade, dos ciclos, da menstruação, da gestação e da
intuição, entre várias outras coisas. A Lua também é a grande
influenciadora do universo  feminino  e de tudo que faz parte dele. Assim
como a Lua demora cerca de 28 dias para dar uma volta completa na Terra,
o ciclo menstrual da mulher dura em média 28 dias. Por mais que todo esse
processo seja extremamente fisiológico, a Lua tem um papel importante
nessa dança, ela influencia todas as águas do planeta. Nós, somos 70% água,
ou seja, a Lua influência diretamente nossas águas internas.

Antigamente o ritmo natural de toda mulher era menstruar durante a


lua nova e ovular durante a lua cheia. Sabemos disso graças a nossos
antepassados, aqueles para os quais a única forma de marcar o  tempo  era
por meio da observação das fases  lunares.  Hoje em dia, com tanta luz
artificial, o uso constante de computadores, luzes acesas por toda a noite
nas ruas, é quase impossível viver sob a luz natural.  A luz artificial afeta o
ritmo natural feminino e faz com que a sensibilidade e o ritmo biológico se
confundam, levando a ciclos irregulares e fazendo com que a menstruação
venha em outra lua que não seja a nova.O ciclo da Lua remete à  ideia  de
nascimento, crescimento, morte e renascimento e é considerada a regente
dos ritmos da vida e por isso também controla vegetação, marés, chuva e
fertilidade (dos animais, dos homens, da natureza). Astrologicamente, A Lua
é também a mãe, a família, nossas origens. Ela tem a ver com nossas
emoções e instintos.
Mulheres cíclicas
O feminino é cíclico como é a natureza, as estações do ano, as marés, as
fases lunares. Assim é o corpo da mulher, que mês a mês cicla, mudando sua
fase, energia e movimentando todo o interior.  Da mesma forma, na nossa
"lua interna", assim chamada nosso ciclo menstrual, vivem-se mês a mês o
movimento contínuo de vida-morte-vida onde se sente intensamente o
crescer, e o expandir, a plenitude e a tempestade. Aos poucos chega o
momento do recolher, observar e intuir as necessidades do corpo. A cada
fim de ciclo tudo que não serve mais sangra por meio de uma dádiva
sagrada.

As mulheres têm quatro fases marcantes em seu ciclo, e sendo assim,


elas são, pelo menos, quatro mulheres diferentes ao longo do mês que se
alternam regularmente. Cada uma dessas mulheres e os arquétipos do
feminino que carregam trazem uma habilidade, e uma expressão que são
completamente únicas.
LUA NOVA / INVERNO / ARQUÉTIPO DA BRUXA-ANCIÃ

O ciclo começa a ser contado quando a lunação chega, ou seja, a mulher


menstrua, independente de qual fase a Lua presente no céu realmente
esteja, esta é a nossa lua nova INTERNA.

Nesta fase, encontra-se um feminino mais internalizado, retraído,


reflexivo e com baixa de energia, atenção e disposição. É momento de se
recolher para dentro. É um momento em que a mulher tende a desejar uma
pausa, descanso e solitude. Isso pode ser desafiador na nossa sociedade, que
sempre incentiva o excesso de extroversão, o fazer constante e estar no
mundo. Desaprendemos a observar, silenciar e parar. E é nesta fase, que
pode aprender sobre o que existe realmente no universo particular. E
muitas vezes, quanto mais desrespeitamos as vontades e necessidades do
nosso corpo, mais dor em forma de cólicas ou não, pode vir a surgir. Este é o
momento de ofertarmos ao feminino sagrado uma nutrição profunda,
acolhimento e silêncio. É hora de acessar a sábia interior. Por isso esta fase é
relacionada com as energias do feminino da bruxa, da anciã ou da senhora.
LUA CRESCENTE / PRIMAVERA / ARQUÉTIPO DA DONZELA

O ciclo segue fluindo, conforme esse lugar de reclusão se vai, para mais
uma vez, uma nova aventura se inicia, junto com novas possibilidades.
Assim, como também é a primavera e a lua crescente. Nesta fase, a mulher
está mais enérgica, disposta, com mais fluidez e pronta para ir atrás daquilo
que deseja conquistar. É hora de mexer o corpo e fazer acontecer. Perceba,
que todo o descanso e recolhimento que foi feito na fase interior, agora vão
ser aproveitados. A Bateria está recarregada e pode ser usada como bem
entender. É hora de confiar em si mesma.

Não ter medo de arriscar e ousar. Aproveite também para exercitar-se.


Se impor. Realizar! Por que esta é a fase onde as energias do sagrado
feminino,  trazem as forças da donzela e da guerreira, que podem mover
montanhas! É o renascimento, a fase de preparação do solo e plantio das
novas sementes e das novas energias. É permitir que um padrão positivo, e
criativo se enraíze, fase marcada pelo aumento da libido, sexualidade
extrovertida, a natureza sexual é renovada e vívida.
LUA CHEIA / VERÃO / ARQUÉTIPO DA MÃE

Chega a hora da lua cheia, da natureza exibir a abundância feminina e


riqueza do verão. É uma fase de confiança emocional, intuição, de poder e
sedução, força, intensidade, compaixão e empatia, alta habilidade de
socializar, ouvir e fazer-se ser ouvida e estabelecer vínculos.

Conforme a ovulação chega, nos conectamos com as energias do feminino


da amante e da mãe, que nos mostra da nossa habilidade de gestar nossos
filhos, projetos, sonhos ou de simplesmente, usufruir e vivenciar o prazer da
nossa sexualidade, sensualidade fertilidade e criatividade. É hora de
compartilhar. Celebre tudo que vem fazendo até agora! Curta suas
conquistas! Curta as bênçãos da sua vida! Curta a si mesma – dance, receba
ou faça uma massagem, desenhe, cozinhe ou esteja com aqueles que são
importantes para você.
LUA MINGUANTE / OUTONO / ARQUÉTIPO DA FEITICEIRA

O ciclo vai chegando mais uma vez ao fim. Conforme deixamos o máximo
da nossa disposição e capacidades, vamos minguando, outonando e
deixando as coisas irem. Desapegando do que não serve. Fazendo uma
limpeza de tudo que é tóxico em nossas vidas. Liberando espaço para o
velho ir e o novo chegar. É a fase mais especial para nós mulheres, pois
temos o privilégio de encontrar com nós mesmas, e corrigir
comportamentos, trazendo a liberdade de infelicidades e possíveis doenças.
É hora de liberar padrões desconfortáveis.

Conforme vai chegando ao período pré-menstrual, chegamos as energias


do feminino da feiticeira e da ceifadora. Para algumas mulheres pode ser
uma fase difícil, o ápice energético pode causar dores de cabeça por falta de
movimentação e transmutação de energia. A tensão acontece quando
estamos vivendo o fluxo contrário das nossas vontades e propósitos.
Momentos de frustração, raiva, autoanálise destrutiva, culpa e auto rejeição
são muito comuns nesse período. Os sintomas emocionais são sinais de que
não estamos mergulhando no que é preciso dentro do nosso interior.
 
Movimento plante sua
Lua
Durante muito tempo as mulheres foram podadas, e ensinadas que o
sangue menstrual é nojento, fedido, precisa ser escondido. Quando na
verdade nosso sangue é ouro, sangue esse, cheio de nutrientes capazes de
gerar vida. Aos poucos vamos nos reconectando com nossa verdadeira
essência, com a intensidade da força que habita em cada uma de nós. E
devolver o sangue a Terra que tanto nos nutre, em forma ritualística
particular, em forma de gratidão e conexão, é um ato nobre de amor! Amor
ao nosso corpo, templo sagrado, amor a nossa maior morada, o planeta
Azul, amor a todos os seres vivos. O despertar das mulheres trás consigo a
paz para a Mãe Terra, assim diz uma antiga profecia. " Quando todas as
mulheres passarem a devolver seu sangue á Terra, conheceremos a
verdadeira paz".

Como plantar a lua: Deixar o absorvente de pano ou calcinhas


menstruais, de molho com um pouco d'água, e devolver a terra
intencionando o que for intuído. Para aquelas que usam coletor, só misturar
o sangue com um pouco de água e devolver a terra. Pode-se escolher um
vasinho com uma plantinha específica para receber o sangue em toda
lunação, ou variar entre plantas! é importante frisar que o sangue só pode
ser devolvido a terra sem misturar com água, se for direto no solo.

 
Sabedoria uterina
As mulheres detêm o poder da Lua no seu interior, em seus ventres.
Como a Lua, a nossa energia e emoções crescem e diminuem através de
nosso ciclo mensal, lembrando-nos que o curso natural da vida é um
movimento fluido e cíclico, não linear, como somos condicionadas a
acreditar. Para nos sentirmos verdadeiramente  empoderadas como
mulheres, e deixar a nossa marca no mundo, temos de operar a partir de
uma base forte. Precisamos saber como voltar para casa, nos voltarmos
para nós mesmas e saber nutrir nossas necessidades instintivas, a fim de
ouvir os sussurros de nossa intuição.

A única maneira saudável de realmente ter sucesso como mulher, mãe,


profissional, chefe, sócia, líder, exemplo, etc., é atender ao apelo do nosso
dispositivo de lar interno - nossa sabedoria Uterina. A sabedoria do útero
nos lembra de "voltar para casa", nutrindo nosso ser cíclico, criativo,
intuitivo, emocional, sensual e instintivo. Então, podemos encontrar formas
criativas e saudáveis para viver em alinhamento com todos os aspectos de
nosso ser e realizar nossas tarefas sem nos sentir drenadas
energeticamente. Cada uma de nós tem um estilo único em que a nossa
sabedoria do Ventre se comunica e necessidades únicas que devem estar no
lugar para nós ouvirmos os sussurros de nossa intuição e impulsos criativos.
O Útero é a sede de nossos desejos, emoções, instintos e nutrição.

 
O poder das ervas
sagradas
Desde a antiguidade, as ervas são consideradas  excelentes remédios
naturais. Além de trazer a cura de várias doenças, podem auxiliar no bem-
estar físico, emocional e espiritual. Todos os medicamentos farmacológicos
possuem nas suas formas brutas, alguma planta base. Geralmente, as
pessoas de mais idade são as maiores adeptas do uso das ervas e chás
medicinais, isso porque desde a antiguidade, desde os primeiros povos que
habitaram o planeta, as plantas eram utilizadas como medicina. Valorizando
a sabedoria ancestral, conosco não poderia ser diferente!

As plantas, são seres sagrados, evoluídos, complexos e curadores. Nos


ensinam a lei do amor incondicional, do equilíbrio entre o dar e o receber.
Nos curam o tempo todo, fornecendo frutos, oxigênio, flores, folhas, raízes,
fungos, micro-organismos e ervas. Medicinas em forma de ar puro,
alimentos, chás, óleos essenciais, defumações, florais, fitoterápicos,
aromam, vitalidade, vibrações energéticas e beleza. Cada planta é única,
com um propósito só seu, preservado em seu DNA e disponível para
compartilhar com os seres humanos. As plantas nos fornecem os nutrientes
e vitaminas, através das quais, trazem vitalidade, alegria, saúde e ensinam
nosso corpo a se nutrir e amar. Cada erva tem sua finalidade, seu propósito
e sua cura!
Algumas ervas e suas propriedades para a ginecologia natural

Camomila (Matricaria chamomilla) - Trata candidíase, inflamações


vaginais, coceira, assaduras e infecção urinária, interrompe proliferação
de fungos e bactérias, além disso acalma, traz leveza e equilibrio, alegria
e cura memórias da infância.
Lavanda (Lavanda officinallis) - Combate infecção urinária, tem
propriedades anti inflamatórias, trata candidíase e herpes, prepara o
útero para maternidade.
Orégano (Origanum vulgare) - Previne cólicas, traz limpeza uterina,
tirando todo sangue velho de menstruações antigas, trata infecções por
fungos, como a candidíase e alivia coceira.
Malva (Malva sylvestris) - Trata fungos, inflamações e infecções vaginais,
tem efeito calmante, analgésico, e prepara o útero para gestação.
Alecrim (Rosmarinus officinalis)  - Promove a menstruação, equilibra o ph
vaginal, trás alegria e leveza, 
Arruda (Ruta graveolens) - Propriedades analgésicas, indicada em casos de
supressão da menstruação. Limpeza profunda física e espiritual, limpa
memórias uterinas (indicada para casos de abuso, desequilíbrios,
cirurgias e cesáreas).
Artemísia (Artemisia sinensis e Artemisia vulgaris) - Equilibra hormônios
femininos, combate cólicas, trata sintomas relacionados a TPM.
Anticancerígena e anti inflamatória. Erva da mulher selvagem, traz
intuição, e conexão com o sagrado feminino.
Tanchagem (Plantago major) - Cicatrizante, cura feridas, limpeza uterina,
cura vaginite, trata cólicas e inflamações, problemas na bexiga, estanca
hemorragias, combate endometriose, feridas no útero e HPV.
Unha de Gato (Ficus pumila) - Anti inflamatória, cicatrizante,
antibiótica  natural, é um importante imunoestimulante. É ótimo para
quem quer engravidar e nos casos de inflamação uterina. Usado em
conjunto com o Uxi Amarelo promove a limpeza do útero e ajuda a
reduzir miomas que podem dificultar a gravidez.
Salvia (Salvia officinalis) - auxilia no equilíbrio hormonal, ajuda a controlar
o corrimentos, estimula a menstruação e alivia  TPM e cólicas menstruais.
Vaporização e banho de
assento
Tanto as vaporizações como os banhos de assento, são práticas
milenares super benéficas a saúde da mulher. Os tratamentos precisam ser
feitos em momentos meditativos, particulares, resgatando o auto cuidado, e
o auto amor. Os processos são relativamente simples, em ambos o preparo é
igual, escolhemos uma ou mais ervas com as propriedades necessárias para
atender nossa necessidade, e fazemos um chá. Podendo ou não adicionar
poucas gotas de óleos essenciais, com muita cautela e estudo. Durante o
momento muitos insights, memórias, emoções, ideias e tomadas de
decisões podem vir a tona. As ervas são lindas aliadas para a cura natural. O
processo em sua maioria das vezes é sutil e suave.

Vaporização uterina

As vaporizações uterinas são tratamentos ancestrais, consistem em


deixar que o vapor das plantas medicinais alcancem a vulva, adentre a
vagina, atingindo o colo do útero e as partes mais profundas do útero
também, trazendo acolhimento por todo o ventre. O vapor e o calor fazem
com que o processo seja bem profundo. Para um aproveitamento melhor
dessa imersão, é sugerido ouvir músicas, mantras, e que seja colocada
intenção na vaporização, mas o processo pode levar os pensamentos para
outra direção, e tudo bem! Vai ser trabalhado o que for preciso naquele
momento. Confia!
As fases lunares indicadas para fazer o processo são as minguantes e
novas, mas como é um processo intuitivo, fica a critério de quem vai fazer.
Vai ser incrível e maravilhoso se qualquer forma. Para preparar é necessário
fazer um chá concentrado, com média de 400 ml de água e um punhado de
ervas, se a planta for de predominância de flores e folhas, fazer em forma de
infusão, ferver a água, apagar o fogo e ai sim adicionar a erva, deixar a
panela tampada por 5 minutos. Se a planta tiver mais raízes, sementes e
cascas, no momento que a água levantar a fervura, adicionar a erva e ferver
por 5 minutos, desligar o fogo e deixar tampado por mais 5 minutos. O
RECIPIENTE USADO PRECISA SER DE VIDRO, INOX, CERÂMICA, PEDRA OU
BARRO. NUNCA USAR PLÁSTICO. Para as mulheres que estão começando
nessa jornada de autoconhecimento, é indica usar apenas uma planta por
vez, para que seja sentida a energia da planta em sua totalidade.

Como fazer? Sem calcinha, de saia longa ou um pano grande envolvido


no corpo, sentar na beirada de uma cadeira, com o recipiente no meio da
saia, indicamos uma vestimenta assim para que o vapor não se dissipe no
ambiente e seja assim melhor aproveitado. As posições podem variar,
ajoelhada com o recipiente embaixo da vulva, sentada, em posição de
reverência, isso pouco importa! o que vale é que esteja confortável. O
processo dura de 20 a 30 minutos, o tempo que demora para esfriar.
Aquecer o ventre após o término do processo. Interessante se manter em
um lugar calmo, e aconchegante, mantendo a vibração com mantras e
musicas. O processo de repetição é intuitivo, pode fazer em dias seguidos,
ou dar um tempo de descanso. Durante a menstruação, a vaporização
podem ser usadas para amenizar cólicas, mas caso aumente, é indicado
parar imediatamente, buscar ervas que não causam espasmos musculares
para esse período.

Contra indicações: Gestantes, mulheres que estejam com feridas abertas


na vagina, pós-operatório. Para mulheres que usam DIU não é indicado, pois
o calor causa relaxamento da musculatura, e pode ocorrer algum
deslocamento. 
Banho de assento

O banho de assento é mundialmente conhecido para tratar desequilíbrios da


região íntima, um conhecimento ancestral usado para manter e promover a
saúde. É um método simples mais voltado para limpeza física, que trata doenças
instaladas, mesmo simples, é muito eficaz, mas também trabalha no campo
energético, trazendo limpeza.

Essa prática é bastante indicada para casos de candidíase, corrimentos,


hemorróidas, coceiras, infecção urinária, e herpes genital. Para uma eficácia
maior, é interessante que a bacia seja grande ao ponto da água chegar até a
altura do umbigo. Para cada litro de água duas colheres de sopa bem cheias de
erva, fazer um chá bem forte, e diluir com o restante da água. Permanecer na
imersão em torno de 20 minutos.

Para prevenir problemas digestivos, é indicado terminar o banho de assento


pelo menos 30 minutos antes da refeição, ou duas horas após alguma refeição.
É contra indicado, durante a gravidez e menstruação.
Ginecologia sem
hormônios
Vamos falar primeiro sobre os métodos contraceptivos hormonais, seja
progesterona com e estrogênio ou apenas um deles, os mais comuns são as
pílulas, injeções, DIU Mirena entre outros. O uso dos anticoncepcionais pode
causar efeitos colaterais seríssimos, variando de mulher para mulher, como
por exemplo: Inchaço, retenção de líquido, dores de cabeça, náuseas,
enxaquecas, acne, queda de cabelo, alterações de humor, diminuição
drástica da libido, trombose, sangramentos de escape, inibição da ciclicidade
da mulher, que é algo muito importante na vida das mulheres. Por esses e
outros infindáveis motivos, muitas mulheres estão buscando formas mais
naturais de contracepção.

A percepção da Fertilidade é uma ferramenta fortíssima na contracepção


natural, conhecer o seu corpo e o seu ciclo e se previna de forma natural,
além do mais existem algumas alternativas livres de hormônios que ajudam
a evitar a gravidez sem interferir no ciclo e que são seguras. Alternativas
como espermicidas naturais como óleo de rícino, em conjunto com
diafragma, possuem uma eficácia bem grande, medição de temperatura
basal, conhecer os mucos vaginais, entender quando está perto de ovular,
entre outras formas possíveis. Tomar chá de hibisco regularmente também
diminui as possibilidades de gravidez indesejada.

Muitas mulheres perguntam do Diu de cobre, eu particularmente não sou


adepta a ele, pois causa uma inflamação constante no útero, e possui muitos
efeitos colaterais a longo prazo, que não é muito comentado, por diversos
interesses.
Cólicas menstruais
Cientificamente chamado de dismenorréia, as cólicas menstruais pode
ter causas físicas (quando os níveis de hormônios estão alterados, ou
causados por inflamações na região pélvica, tumores, miomas, cistos, e o
uso do DIU), ou emocionais (a partir do momento que começa a observar o
ciclos aos passar dos meses, é visto que naqueles que temos mais
preocupações, angústias, raivas, ou qualquer sentimento mais denso, as
cólicas se manifestam de forma mais intensa, durante aquele ciclo). É
preciso parar para observar os sinais que nosso corpo dá! Muitas vezes ele
pede pausa, recolhimento, e quando esse pedido não é aceito, nosso corpo
manifesto com sintomas físicos muitas vezes desconfortáveis. Na
ginecologia natural existem várias formas de resolver esse desconforto, que
para muitas mulheres é muito forte. A dismenorréia pode ser um sinal de
que você não está totalmente conectado com seu ciclo e não está
respeitando seus ritmos internos. A cólica está ligada ao apego, a não
realização de transições necessárias. A menstruação é um momento de
limpeza, tanto no campo físico quanto no campo psíquico. É hora de deixar o
velho ir para dar espaço para o novo chegar, e muitas vezes isso pode soar
desafiador, importante avaliar o nível de apego que pode ter evitado alguma
renovação.

Como cada ser humano é único, cada um se adapta melhor a um método


diferente, então vamos passar algumas dicas para aliviar esse desconforto
que muitas sofrem todos os meses.

Observar os sinais do corpo, silenciar, parar, se recolher;


Honrar e amar seu corpo, sangue e útero são passos importantes para
curar a origem da dor;.
Proteger e manter o ventre aquecido;
Compressa quente;
Alguns chás como camomila, calêndula, orégano, e gengibre são ótimos
aliados para combater a dismenorreia;
Aplicar gotas de óleo essencial de gerânio na região externa referente a
útero e ovários, e aquecer;
Secreção vaginal
ou corrimento?
Todas as mulheres sem exceção, especialmente aquelas que se encontram
em período fértil apresentam secreção vaginal, nesse momento a secreção é
transparente, como clara de ovo, e bem elástica, sem cheiro. Fora desse
período as secreções podem variar de transparentes a esbranquiçadas
dependendo da fase do ciclo, mas sempre sem odor marcante e na maioria
dos casos vem em pouca quantidade, esse fluxo vaginal fisiológico protege
nossa vagina contra infecções e desarmonias, além de manter a lubrificação
natural saudável, evitando lesões. Já o corrimento, é um fluxo anormal, que
pode ser causado por inflamações, ou infecções provenientes de bactérias,
fungos ou protozoários.

O corrimento vem quase sempre acompanhado com outros sintomas,


como ardência, coceira, irritação, feridas ou mau cheiro, e em quantidade
considerável, com a sensação parecida como a da menstruação, chega a
molhar a calcinha. A melhor forma de distinguir o corrimento da secreção
natural, é se conhecendo bem. Cada condição patológica precisa ser
observada e tratada de forma particular, para cada caso especifico um tipo
de tratamento.
Candidíase
Causada por um fungo chamado Cândida albicans, é uma desarmonia
patológica que pode ser encontrada tanto nas mulheres como em homens
também, sendo mais comum em mulheres, pelo ambiente interno da vagina
estar sempre quente e úmido. Pode se causada por fatores físicos como
alteração de PH vaginal, queda do sistema imunológico, alimentação
inadequada, excesso de carboidratos e açúcares (os carboidratos propiciam
a proliferação dos fungos, e a glicose serve de alimento para eles),  mas
também pode ser provocada por questões psicológicas, instabilidade
emocional, stress, preocupação, raiva, cansaço, tristezas, frustração sexual,
insegurança. Mulher que sofrem com candidíase recorrente, geralmente a
causa está bem enraizada nas questões psicossomáticas.

Os principais sintomas são, corrimento branco, grosso, parece com leite


talhado, coceira excessiva, irritação, e ardência, dores durante ou após a
relação sexual.

Existem vários tratamentos naturais para esse problema, o primeiro e


mais importante, é buscar se há uma raiz psicossomática, e trabalhar em
cima da resolução dele, segundo passo diminuir ou cortar totalmente a
ingestão de açúcares e carboidratos durante o tratamento, manter a região
sempre ventilada e seca, dormir sem calcinha, não usar roupas apertadas, se
usar calcinha, dar preferência as de puro algodão, não ficar muito tempo de
biquíni molhado, lavar a vulva com duas colheres de sopa de vinagre de
maçã diluídas em um copo de água,  fortalecer o sistema imunológico, evitar
relações sexuais, fazer banhos de assento frios com barbatimão, camomila,
calêndula e vinagre de maça (não precisa ser tudo junto), acrescentar alho
macerado ao banho de assento, pode ser feito por dias seguidos durante
uma semana. Em casos mais severos pode-se inserir um dente de alho na
vagina antes de dormir, e tirar ao acordar, repetindo durante 7 dias. Em
mulheres que possuem candidíase recorrente, o tratamento com alho pode
ser feito 1x por mês, durante 3 dias, para prevenção.
Baixa libido
Libido, é um termo que significa, vontade ou desejo, e a falta de libido,
pode ter significados bem mais profundos do que uma simples falta de
vontade de fazer sexo, abrange diferentes áreas da nossa vida, a maioria das
pessoas acredita que a sexualidade está ligada apenas a genitália, ou aos
momentos íntimos, o que é um grande equivoco, pois usamos a energia
sexual para realizar quase tudo na nossa vida, e o sexo é apenas uma
pequena fração de tudo isso, toda essa energia é espalhada por todo
potencial criativo, na ação de trabalho, estudo, e nada disso pode estar
sendo reprimido de alguma forma, para que tudo seja fluido, muitas
mulheres só percebem que tem algo errado, quando a vida sexual é atingida
pela falta de interesse, e muitas doenças psicossomáticas (depressão, stress,
ansiedade...) podem estar diretamente ligadas com a falta de libido,
entendendo tudo isso, podemos começar a trabalhar em cima de resolver
essa questão.

A falta ou ausência de libido pode se manifestar de diferentes formas,


sendo elas, falta de desejo sexual, incapacidade de chegar ao orgasmo,
excesso de sono, desânimo e cansaço, procrastinação, não sentir satisfação
nas coisas que faz, falta de alegria na vida. Para resolver essas situações,
pode-se usar alguns afrodisíacos naturais, dentre eles temos:
Maca peruana, pode ser consumida em pó nas refeições ou em vitaminas,
ou em foma de capsulas ; Não é recomendado para mulheres que fazem o
uso de hormônios sintéticos.
Abacaxi, comer a fruta fresca, ou preparar uma mistura com pimenta em
pó, com mel e rum branco, um copo de dose por dia é suficiente para dar
aquele upgrade na libido.
Ferver canela e cravo da índia com vinho tinto, tomar um copo por dia;
Feno grego, uma colher de sopa para cada litro de água, tomar um como
todas as noites antes de dormir;
Chá de gengibre;
Vaporização de útero com Damiana;
Chá de anis estrelado, uma xícara por dia.
Considerações finais
Esse material foi feito com muito amor e carinho, cheio de dedicação e
intenção de cura e resgate do auto conhecimento, baseado nos saberes
ancestrais! Estou muito feliz em poder compartilhar um pouco do meu
conhecimento com você!

Estou produzindo um curso completo de ginecologia natural autônoma, e


logo mais vai estar disponível na plataforma da Hotmart, vou postando
tudo, nas minhas redes sociais, fique por dentro!

Ah, e o melhor de tudo, quem adquiriu esse material, vai ter um desconto
especial na adesão do curso completo! Ansiosa para estarmos juntas
novamente na cura do sagrado feminino, nossa cura é coletiva, vamos
juntas!

Até logo!

Bruna Garrido, Sinergias cósmicas.