This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www.

equinox-software.com/products/pdf_create_convert.html) To remove this message please register.

OS 50 LIVROS MAIS LIDOS NO MUNDO...
Colaboração: Carlos Henriques

Crime e Castigo, de Dostoiévski O romance que marca dez entre dez adolescentes. Publicado em 1866, conta a história de Raskolnikof, um sujeito atormentado que decide matar uma mulher, é surpreendido pelo acaso, tem de cometer outro crime e passa a viver torturado pela culpa. Todos os conflitos do ser humano estão sintetizados nos pensamentos dessa figura que se espreita sinistramente por São Petersburgo. Qual o limite da racionalização de um indivíduo? Até onde sua justificativa conceitual pode permitir um comportamento socialmente condenado? Depois deste livro, você nunca mais vai ter uma resposta definitiva para essas dúvidas. Dom Quixote, de Miguel de Cervantes O pai de todos os romances. Dom Quixote leu demais as histórias heróicas de cavaleiros que enfrentavam tudo e todos em nome de uma paixão transcendental e decide se tornar um deles. Apanha no livro inteiro. Sempre acompanhado de seu leal e quase sádico Sancho Pança, enfrenta moinhos imaginários em uma Europa que já não existe. Publicado em duas partes, em 1605 e 1615, o livro estabeleceu um padrão de narrativa distanciada, não raro irônica, que todos os grandes romances seguiriam depois. Mas, deturpado de seu sentido original, ainda é visto como uma história de triunfo ou antitriunfo. Não: é uma conversa que está dentro de cada um de nós. A Comédia, de Dante Alighieri Assim como Dom Quixote, trata-se de uma sátira que os resumos convencionais costumam não acentuar. Mais tarde chamada de A Divina Comédia, o livro escrito entre 1306 e 1321 por Dante é uma espécie de vingança contra sua cidade, Florença, cujos habitantes são distribuídos pelo inferno e purgatório;

grandiloqüente. Das peças mais famosas. de Jonathan Swift Nenhum escritor teve tão poucas papas na língua para descrever a pobreza moral humana do que Jonathan Swift. Com provas tão fracas como o fantasma do pai que lhe aparece. quase sem ação. Laputa e Glubdubdrib. de William Shakespeare Quase tudo que Shakespeare (1564-1616) escreveu merece ser lido. Hamlet. E. ao contrário do que ocorre nas peças gregas. um personagem que ninguém construiu igual no mesmo número de páginas.html) To remove this message please register. sujos e degredados e estranhamente semelhantes aos homens. Mais enxuta que Rei Lear e mais regular que Macbeth. Sua vida é a própria morte. sustentada em monólogos inesquecíveis. Hamlet parte para se vingar do tio e.com/products/pdf_create_convert. de León Tolstói Tolstói escreveu Guerra e Paz (1865-69) e Anna Karenina (1875-77). a maior história de guerra e a maior história de amor que o leitor já conheceu. bitolados e falsos. ele põe a nu as pretensões humanas nas viagens de Gulliver a Liliput. Brobdingnag. As Viagens de Gulliver.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www.equinox-software. Ensaísta e panfletário brilhante. mas a descrição do carreirista sem caráter Pedro Ivanovitch se faz nas dez páginas iniciais. contém toda a ambigüidade da própria condição humana. nenhum detalhe. incapaz de ter opinião própria. Swift fundou a prosa inglesa moderna e seu livro é a . Hamlet (1600 ou 1601) acaba sendo a escolhida por ser a mais filosófica. ele publica As Viagens de Gulliver em 1726 com a intenção de "envergonhar o mundo. contando com a falta de tato de sua amada Ofélia. nas quais nada. é redundante. sobretudo. Ivanovitch leva uma vida covarde e representa o homem no que tem ao mesmo tempo de mais mesquinho e presunçoso: a crença de que não vai morrer. é de difícil assimilação pelo leitor moderno. mais do que diverti-lo". apenas alguns merecem o paraíso. O pensamento de Tolstói. imediatistas. Virgílio. atingindo uma unidade complexa que raríssimos tradutores captam. Mas entre nesse mundo exclusivíssimo com A Morte de Ivan Ilitch. divertindo-o como poucos. o autor de A Eneida. Normalmente exaltado por seu imaginário rico em precisão e sentimentos. confrontado entre a palavra e a justiça. sintetizados finalmente nos Yahoos. não há equilíbrio a restabelecer no final: apenas a imperfeição de qualquer verdade proferida pelo homem. Em sua sede de aceitação social. E. A Morte de Ivan Ilitch. moralista. o longo poema toscano também é inigualável em sua capacidade de unir o coloquial e o sofisticado. com seus seres vaidosos. da mãe. Nenhum autor traduziu como ele as angústias do homem de qualquer época. especialmente a amada Beatriz e o guia do narrador.

entramos na cabeça de Stephen Dedalus. sem heroísmos e mitologias. este é o maior romance do século. A grandeza do romance de Proust pode ser entendida na seguinte equação: há centenas de cenas e figuras memoráveis. Em Busca do Tempo Perdido. de Homero Não há que escolher entre A Ilíada e A Odisséia: os dois livros devem ser lidos. ciúme e inveja. Ulisses. A Odisséia é uma multiplicação ainda maior de histórias dentro da mesma história. trocadilhos e cortes. a inteligência do texto. e a narrativa vai passando do detalhe ao painel e do painel ao detalhe sem fazer projeções definidas. não poderíamos reclamar da literatura. ao mesmo tempo épico e detalhista. de não ser sugado pelo abismo dos sentidos e dos desejos. de James Joyce James Joyce era um sujeito tão excêntrico. Dezenas de personagens se cruzam em histórias de amor. As Flores do Mal. O primeiro é o maior poema sobre uma guerra. sem destinos grandiosos ou mesmo qualquer destino. que testam a grande virtude do navegador: sua capacidade de não perder o bom senso no pico das crises. E de repente nos sentimos num mundo tão deslocado quanto o de Homero.html) To remove this message please register. tão excêntrico. interceptada por seres fascinantes e lugares surpreendentes. demonstração de que o orgulho humano não é tão racional. tal o feitio das frases. e esse livro fosse A Odisséia. a modulação das vozes. num constante reajuste de tudo aquilo que nunca será perfeitamente ajustado. A Odisséia.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. Leopold Bloom e Molly Bloom. três irlandeses aparentemente comuns. E em 1992 ele publicou Ulisses. tanto no tamanho como na complexidade.equinox-software. a grande viagem de retorno de Ulisses (Odisseu) para sua terra. um relato que comprime em 24 horas de um perambular por Dublin os dez longos e atribulados anos que o Ulisses homérico gastou para voltar a Ítaca.com/products/pdf_create_convert. não se pode resumir a história sem prejuízo dela mesma. Numa linguagem repleta de inovações. mas. como se o familiar e o estranho fossem um só. tal como um poema. Se houvesse um só livro para ler. perturbadoramente descontínua. um prodígio de fluência narrativa e invenção melódica. O micro e o macro nunca se relacionaram assim antes. na França da Belle Époque. de Charles Baudelaire . que um dia teve uma idéia tão ambiciosa quanto óbvia: adaptar A Odisséia para nossa pobre vida cotidiana. de Marcel Proust Publicado entre 1913 e 1927 em sete volumes.

A poesia francesa e mundial. O Vermelho e o Negro. não pertence a grupos e desconhece seus códigos. Numa mesma estrofe. de Honoré de Balzac Personagens tão reais quanto coisas. O segredo de Baudelaire. que rejeita o "crescendo" e o detalhismo.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. a inveja e o ciúme – todos os sentimentos humanos são recriados por Balzac (1799-1850) neste romance inesquecível.html) To remove this message please register. ao mesmo tempo nos expõe suas fraquezas e mediocridades e nos causa empatia irreversível. Mas colocando a mulher como protagonista e pintando uma galeria de homens patéticos. Madame Bovary. Como em todo grande romance. é o grande romance do século 19. é aos poucos que Balzac vai acumulando cenas e observações que vão ganhando sutileza e profundidade. Deixe o ritmo de Stendhal (1783-1842) conduzi-lo. ele vai do sussurro ao grito. Flaubert revolucionaria a prosa de ficção ao defender que cada história tem seu estilo e a jamais se repetir de um livro para outro. Acusada de blasfêmia e obscenidade. e cria uma experiência vital. a busca pela glória. a arte e a própria vida nunca mais foram as mesmas depois que Charles Baudelaire escreveu As Flores do Mal. Flaubert reverteu a retórica e forjou um estilo cuidadosamente despojado. uma historinha de adultério. não sabemos de que lado ficar. de Stendhal Ao lado de Ilusões Perdidas. Flaubert (1821-80) veio criar uma nova forma de contar histórias. o talento provinciano e romântico que tenta se afirmar em Paris. derrubando o mito de que o crítico é um criador frustrado. amor e status. e a recompensa virá no conhecimento de Julien Sorel. Em Madame Bovary ele se ateve ao enredo tradicional. em 1857. de Gustave Flaubert Depois de tantos romances sócio-psicológicos majestosos como os de Balzac e Stendhal. o pobre ambicioso que quer ascender socialmente numa Paris em convulsão. dono de um objetivo só. Respire fundo antes de entrar. a reunião de poemas sobre o tédio e a hipocrisia da vida humana é menos agressiva do que pode parecer. mas nunca é inteiramente "aceito" porque. Ilusões Perdidas. cada um a seu estilo.com/products/pdf_create_convert.equinox-software. o choque das gerações. e a figura de Lucien de Rubempré. que lhe permitiu se apropriar do passado e preparar o futuro da literatura. Baudelaire também foi grande crítico de música e pintura. do doce ao amargo. Mas não se assuste com isso ou com o rótulo de "clássico" e suas mais de 500 páginas. foi juntar a eloqüência clássica com as dissonâncias e imprecisões que seriam marcas da modernidade. . suas relações com dinheiro.

Charles Dickens o é em Londres. o impacto do abandono e dos maus-tratos e o sentimento de revolta que esse impacto vai deixar para sempre. George Eliot ( Middlemarch) e Jane Austen (1775-1817). A riqueza de personagens. Os costumes e suas motivações – sempre em torno de casamentos – são descritos com uma finura insubstituível. Emma. é acentuada pelo encadeamento das ações. Autor de numerosas histórias que passaram ao imaginário ocidental com uma força única.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. mas nos momentos cruciais revelam uma força de caráter e expressão que só se adivinhava em detalhes. de Laurence Sterne O mais heterodoxo dos romances. Agudo e irônico como Swift. Austen é aquilo que se acostumou a chamar de mais "feminina": suas mulheres parecem frágeis ou impotentes em boa parte do tempo. A Vida e as Opiniões do Cavalheiro Tristram Shandy.equinox-software. banquetes – comentadas pelo narrador falível e corajoso. em vez de atenuada em estereótipos.html) To remove this message please register. Das três. Nicholas Nickleby. de Charles Dickens Se Honoré de Balzac é o ápice da criação de personagens na Paris da primeira metade do século 19. com seu amor pela decadência. Ninguém capturou o mundo social que envolve as crianças como Dickens. A "forma livre" de Tristram Shandy (1760-67) traduz o espírito romântico. Um grande feito literário. de Henry Fielding Depois da sátira moral de Jonathan Swift em Gulliver. travessões e acidentes gráficos e fez grande sucesso. como David Copperfield e Bleak House. a tal ponto que influenciou o brasileiro Machado de Assis.com/products/pdf_create_convert. o Graal que Tom persegue. de Jane Austen No romance inglês do século 19 algumas mulheres despontaram com uma capacidade impressionante de observação sintética: Charlotte Brontë (Jane Eyre). apesar de discursivo e metafísico. Tom Jones. é cheio de reticências. pelo picaresco e pelo . o romance inglês nunca mais seria o mesmo. duelos. meio e fim claramente discerníveis – e criou um estilo que. Sterne abandonou o formato linear – sua história não tem início. Dickens atingiu em Nicholas Nickleby (1839) uma energia que não se repetiria nas obras mais maduras e controladas. especialmente da virtuosa Sofia. uma trama realista que envolve pela sensual seqüência de peripécias – amores. Fielding (1707-54) veio lhe retirar o moralismo e dar um alcance social em Tom Jones.

e foi em Huckleberry Finn. que ele melhor resumiu essas qualidades.equinox-software. seriam reformulados por Mann (1875-1955) 150 anos mais tarde. e que a segunda parte do poema seja mais lembrada por sua variedade infernal do que por sua redenção final é sinal de como Goethe encarnou a contradição de seu tempo. voltada à relação do homem com a natureza.html) To remove this message please register. Nostromo e Lord Jim ele colocou um vigor narrativo extraordinário. entre a razão apolínea e os sentimentos dionisíacos. Fausto é tentado pela sede do conhecimento total. de Johann Wolfgang von Goethe Depois do grandioso poema vingativo de Dante e da caudalosa prosa irônica de Cervantes. a literatura européia teria no Fausto de Goethe (1749-1832) a mais perfeita tradução dos anseios de uma época. pleno de humor. Uma era mais relacionada com a tradição européia.com/products/pdf_create_convert. de Joseph Conrad Depois de três séculos mergulhada no romance moral-urbano. Fausto. As Aventuras de Huckleberry Finn. e teve Herman Melville (Moby Dick) e Mark Twain (1835-1910). Em suas histórias os dramas morais e as forças naturais se combinam e dissociam. grávido de uma sublimação das imperfeições da razão pela festa dos sentidos. A outra era mais individual. lirismo e movimento. e teve Nathaniel Hawthorne (A Letra Escarlate) e Henry James ( O Vaso de Ouro). Joseph Conrad (1857-1924). Twain é escolhido pela intensa liberdade de seu estilo. Na passagem do mundo renascimental e barroco para o mundo romântico e profano.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. ele formularia o drama europeu entre a grandeza do passado clássico e a necessidade da construção moderna. de Thomas Mann Os conflitos que há em Goethe. de Mark Twain A América tem duas linhagens literárias. de cunho social. E foi em O Coração das Trevas que ele provou que esse vigor narrativo poderia estar em perfeita síntese com uma visão da natureza humana. como era seu autor. O Coração das Trevas. Mas agora o mundo que era encarnado continha bem menos pretensão . a história de dois amigos que viajam pelo Mississípi em fuga das repressões cotidianas. num jogo contínuo de dúvidas e fascínios. a literatura de língua inglesa recebeu um sopro de renovação com o surgimento de um marinheiro polonês. sentimental. Doutor Fausto. Em histórias como Juventude.

com/products/pdf_create_convert. Novelas como A Metamorfose. no entanto. As Três Irmãs e O Jardim das Cerejeiras. Às vezes parece que estamos diante de uma vida convencional. existe entre Humbert e Lolita. O Teatro de Sabbath.equinox-software. repleto de mordacidade. foi em Dr. e uma aventura ao mesmo tempo lingüística e humana.html) To remove this message please register. e essa imobilidade parece estranhamente responsável por tal injustiça. ao lado de outra obra-prima de Roth (1933). Roth. como a impossibilidade que.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. A Metamorfose é a mais emblemática dessas histórias porque começa como alegoria – a transformação de Gregor Samsa em inseto – e termina como um relato da vida de todos nós. Lolita. de um personagem convencional que reage a uma situação convencional. Operação Shylock parece um delírio: o autor. um tom acima ou abaixo. de Franz Kafka Um mundo semelhante ao de Tchecov. A Gaivota. napoleônica: continha. como os contos de Tchecov. lirismo e conhecimento. vivos. O Processo e O Castelo. mas ainda menos agitado. é o de Franz Kafka (1883-1924). Na leitura direta: um dos mais brilhantes livros modernos. isso sim. Aqui já não se trata de identificação com os personagens. como Morte em Veneza e A Montanha Mágica. Entre tantas obras-primas. de Anton Tchecov Os dramas de Tchecov (1860-1904) tiram sua força de uma curiosa construção de cenas e diálogos. e de repente essa reação vem de um jeito atravessado. mas de uma análise sensível que desmonta qualquer possibilidade de identificação total. Um Artista da Fome. A tetralogia A Gaivota. embora não o dissuada. um "heroísmo da fraqueza" que redundaria no orgulho preconceituoso da Alemanha moderna. mostram sempre o homem entre a imobilidade e a injustiça. têm todos essa maneira sutil e oblíqua de mostrar a insuficiência em que vivemos. Operação Shylock. incapazes de encontrar sentido na vida e. como se sempre fugisse ao ser humano a expressão exata. além de contos e cartas. Fausto que Mann mais marcantemente esmiuçou as relações entre um complexo de inferioridade social e uma ideologia estética totalitária. de Wladimir Nabokov No resumo vulgar: a história de um quarentão que se apaixona pateticamente por uma garota púbere e cai sob seu poder de manipulação que nunca sabemos se voluntário ou natural. Tio Vânia. A Metamorfose. . de Philip Roth O grande romance do mundo pós-ideologia.

está vivíssimo em cada uma de suas páginas póstumas. de Euclides da Cunha Mistura de ensaio. é também o livro de ruptura da literatura brasileira. de José Guimarães Rosa A estranheza deste livro já começa no dois-pontos do título. entramos no drama contemporâneo da identidade. Roth é o grande examinador da atual incerteza da individualidade. e é esse combate moral que Lima torna crível e patético ao mesmo tempo. Seus personagens não têm a sutileza machadiana. Mas Brás Cubas. que usa seu nome para propagar a idéia de diáspora como a verdadeira vocação judaica. mas suburbano e menosprezado pela elite. a literatura brasileira veria personagens tão marcantes quanto os de Lima Barreto (1881-1922).com/products/pdf_create_convert. de Lima Barreto Só antes. O livro é a denúncia do massacre e da arrogância violenta que vem da ignorância de nossas elites. como no livro seguinte Mickey Sabbath vai sentir na ultrapassagem dos limites mais convencionais. Mulato como Machado. reportagem e narrativa dramática. Os Sertões mudou a história da literatura brasileira e a história da visão que o Brasil tem de si mesmo. encontra um sósia. com seu sonho ocioso de consagração social. Memórias Póstumas de Brás Cubas. Em Dom Casmurro e Quincas Borba Machado enxertaria essa forma de ainda mais sutilezas psicológicas e filosóficas.html) To remove this message please register. o imaginário nacional nunca mais veria paz entre os dois brasis.equinox-software. Rosa (1908-67) está . em Machado. o autor (1866-1909) foi ao "De Profundis" nordestino para entender por que sua tão idolatrada República se mostrava incapaz de submeter um bando de fanáticos atrasados. E o que encontrou foi a força moral dos deserdados. Até hoje sua recusa dos estereótipos românticos e seu estilo que encontra um terceiro estágio entre a ordem e a desordem – uma forma de complexidade feita de derivações breves e cortes irônicos – não tiveram herdeiros na literatura nacional. Entre os contornos políticos. dividida entre a vitimização e o escapismo. que já começa na própria realidade física. um "Doppelgänger" (duplo avesso). Os Sertões. Militar positivista.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. Triste Fim de Policarpo Quaresma. Depois disso. mas seus contornos sociais são inesquecivelmente marcados porque assim se encontram na vida real. Policarpo é o militar de pijama que alimenta um ideal de redenção nacionalista. Lima construiu uma literatura cuja intensidade revoltosa nunca teve igual. de Machado de Assis Brás Cubas (1880-1) não é só o livro de ruptura na carreira de Machado (1839-1908). Grande Sertão: Veredas.

This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. São poemas impecáveis." Se há uma questão sobre o país e sua inserção no mundo ocidental. Como uma tragédia grega. dominado por máquinas e preconceitos.equinox-software. sem as promessas de Gilberto Freyre ou as desculpas de Caio Prado. a poesia brasileira se dividiria entre os partidários da construção e os da expressão. coloquial. Numa linguagem condensada. que vêm do coração e não da razão). e uma visão crítica do mundo industrial. numa travessia sem fim. é essa. Poesia Completa. marcado por relações familiares. Foi em João Cabral de Melo Neto (1920-99) que esses pólos encontraram uma combinação única e riquíssima. apresentando um mundo. sem clareiras duradouras. a natureza indomável. de Sérgio Buarque de Holanda Até hoje a generalização mais persuasiva sobre as inclinações históricas do Brasil. elipses e cortes. Cabral pinta imagens expressivas. corporativistas e cordiais (isto é. a cultura fabular e machista – vai ao mesmo tempo aproximando e afastando o casal. socialmente preocupado e existencialmente desencantado. econômica. de João Cabral de Melo Neto Na esteira do Modernismo. a história conta o amor impossível entre um homem que acredita estar apaixonado por outro homem e uma mulher que se disfarça de homem para vingar seu pai. Em nome dos códigos biológico e moral. um mundo grande e labiríntico. antiparnasiana. a realidade do sertão – a guerra entre os jagunços. "jamais se naturalizou entre nós. Angústia. de Graciliano Ramos A discussão sobre qual é o melhor livro de Graciliano (1892-1953) continua aberta. Raízes do Brasil. colorida pela mistura de registros.html) To remove this message please register. diz ele. Poesia Completa. Vidas Secas é um marco no realismo descritivo.com/products/pdf_create_convert. Cabral transcende o regionalismo e fala a qualquer indivíduo. "A ideologia impessoal do liberalismo democrático". em volumes como A Educação pela Pedra e Uma Faca só Lâmina. quebrando a fluência dos versos com rimas toantes. e cujo personalismo é incompatível com a modernidade. de Carlos Drummond de Andrade A poesia moderna brasileira almejou em especial dois pontos do programa internacional da arte moderna: o despojamento da linguagem. Nenhum poeta brasileiro conseguiu como Drummond (1902-87) expressar esse estado de espírito: seus versos não têm o menor traço de grandiloqüência e afirmam a voz de um indivíduo que está. mas não sentimental como o dos . consoantes e conectivos imprevistos. habitado por homens que nele só enxergam veredas sem destino certo. ao mesmo tempo. Sérgio Buarque (1902-82) mostra um país de tradição ibérica. Como Rosa.

São Bernardo é o diálogo de Graciliano com Machado de Assis. portanto. há Memórias do Cárcere. Poesia Completa de John Keats Keats (1795-1821) fez alguns dos versos mais memoráveis da língua inglesa. Angústia . egoísta. ciumenta. o relato de uma relação íntima marcada pelo desencontro. incapaz de ver com olhos livres. um fluxo da consciência oprimida pelas limitações não só do exterior (naturais e sociais). mas também pela própria natureza humana. sons e conceitos criativos. que uniram a forma clássica e a energia romântica em obras definitivas. Keats não prega o transporte a uma Xanadu acima da realidade. há Infância. Poesia Completa de Arthur Rimbaud Depois dos românticos Keats e Baudelaire. acima de tudo. lançando faíscas inesperadas. Poesia Completa de William Butler Yeats . busca apenas a serenidade possível em meio às ruínas. outros "regionalistas". invejosa. A narrativa das expedições marítimas da Era de Ouro portuguesa é revertida num fatalismo que pode ser resumido nos versos: "O mar com fim será grego ou romano / O mar sem fim é português. Ao contrário de outros românticos do idioma.equinox-software. não com algum de suas dezenas de heterônimos. repleto de imagens. Há uma boa versão para português feita por Péricles Eugênio da Silva Ramos. em que se rompe com a história linear. O Barco Bêbado é a mais perfeita expressão dessa nova e imprecisa percepção da realidade. a modernidade poética veio da mente de um adolescente ao mesmo tempo estudioso e rebelde chamado Rimbaud (1854-91). assinado com seu nome verdadeiro. de Fernando Pessoa O único livro publicado em vida por Fernando Pessoa (1888-1935).com/products/pdf_create_convert. Só assim se ouve o que Keats dizia ser sua "música da consciência".html) To remove this message please register. Essa descontinuidade passou a ser a marca da arte moderna.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. Mensagem. ajudá-lo a ler no original. sem fazer concessão à ingenuidade. os momentos em que a noite pode ser suave e trazer uma brisa de beleza. até mesmo o ultra-romântico Alberto Caeiro. Mas Mensagem é um livro fabuloso para quem escrevia no idioma de Camões. mas a grande vantagem é que a edição é bilíngüe e pode. o verso redondo e o contorno definido." O maior poeta moderno da língua. Há os contos. E há. como Coleridge e Wordsworth. Todos os "Pessoas" são interessantes. Rimbaud dizia que sua poesia tinha o efeito de um sopro na brasa da lareira tradicional.

relutou muito em lançar suas idéias. não é uma crença darwinista. com saltos.com/products/pdf_create_convert. que vê a Evolução como um processo em mosaico. da percepção de que todo o progresso material é insuficiente para eliminar o hiato entre um ser humano e outro. vendo que outros como Alfred Wallace o fariam. surpresas e densidades. a incomunicabilidade.S. Em 1859. e Yeats faria em poemas como A Segunda Vinda – neste mundo em que "a cerimônia da inocência se afogou" – o mais marcante testemunho de uma civilização em queda. foi o que chocou as convenções. Mas Darwin escrevia bastante bem e. decidiu publicar A Origem das Espécies. Ezra Pound. responsável pela teoria do "equilíbrio pontuado". a visão da história biológica como uma superposição de períodos que produz mutações das quais as espécies se originam. é mais um lamento por nossa incapacidade de viver sem pensar no que os outros pensam de nós e por nossa descarga em generalizações pretensiosas. que brigou pelo darwinismo na arena pública européia. O mundo não seria mais o mesmo. mesmo assim. Yeats (1865-1939) abriria uma grande era para a poesia de língua inglesa – a modernidade de T. de Charles Darwin Darwin (1809-82) escrevia quase tão bem quanto seu "buldogue". e não um desenvolvimento linear e gradual. de Stephen Jay Gould A melhor introdução possível ao mundo darwinista. Eliot. com superioridade "moral" sobre os outros animais. Eliot Mais uma vez. O Mal-Estar da Civilização.H. mas suas idéias compõem nossa vida . mas pretensão antropocêntrica. A "fascinação do que é difícil" começaria a dominar o alto repertório. Desde Keats a poesia de língua inglesa não conhecia tal força de melodias e imagens. O irlandês W. de Sigmund Freud Freud (1856-1939) está um tanto fora de moda. Auden – com sua dicção rica em andamentos. The Waste Land (1922) – não exatamente "A Terra Devastada". submetidas à seleção natural. mas "do desperdício" – é o poema mais representativo da angústia moderna. o biólogo Thomas Huxley. Wallace Stevens e W. A Origem das Espécies.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. B.equinox-software. Darwin e os Grandes Enigmas da Vida. S. mas se esforce em ler no original. The Love Song of Alfred Prufrock está longe de ser uma canção de amor. Poems.html) To remove this message please register. Gould é leitura fundamental também porque demonstra que a noção de que o homem está no topo da escada evolutiva. Mais que a afirmação de que o homem descende dos primatas. assim como sua melhor adaptação ao conhecimento moderno. de T. há versões em português. Gould é um dos maiores biólogos vivos.

ainda que muitas vezes seu nome tenha sido usado para doutrinas autoritárias que ele jamais assinaria. Bertrand Russell (1872-1970). o mais equilibrado. Voltaire e Nietzsche. Demasiado Humano. autor de ensaios importantes sobre temas como educação e sexo e de livros revolucionários sobre lógica matemática. Voltando aos pré-socráticos. de Bertrand Russell Antes de entrar na leitura de clássicos da filosofia como Platão. Seis Lições de Física. cotidiana e seus livros são leitura fundadora. ao lado do talvez maior intelectual do século 20. Russell expõe com seu estilo claro e charmoso o conjunto das idéias de cada pensador e depois emite suas opiniões com uma capacidade de argumentação que marca qualquer leitor. Humano. com todo um extenso glossário particular. desprezando a falsa humildade cristã e pregando uma ética da resistência.com/products/pdf_create_convert. reverteram muitos dos conceitos sobre a natureza humana. Foi ele quem pegou as descobertas de Planck. de Friedrich Nietzsche O melhor livro de Nietzsche (1844-1900). da qual Feynman (1918-88) foi um dos maiores formuladores de segunda geração. Aristóteles. ou de abrir um novo campo magnético em seu cérebro com a leitura de heterodoxos como Montaigne. A arte e o pensamento modernos vêm de Nietzsche. antes de o autor abraçar a cosmogonia oriental e enlouquecer de verdade. Kant ou Hegel. mostrando que os instintos de prazer e agressão estão em constante conflito. de Richard Feynman O melhor livro para descobrir o mundo estranho e maravilhoso da Física Quântica. tensionando a psique e induzindo alternativas nas formas de transferência. mania e doença.equinox-software. faça o melhor passeio possível por esta história. Mas os livros em que realiza um pensamento cultural. O problema foi ele ter tentado criar uma ciência baseada em classificações fixas e verificações insuficientes. Nietzsche formulou uma das maiores reversões do pensamento ocidental. Feynman também é autor do indispensável (mas um pouco mais . Bohr. ABC da Relatividade.html) To remove this message please register. Russell também é autor da explicação mais didática da Teoria da Relatividade. Schrödinger e Paul Dirac e lhes deu.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. compatibilidade explicativa com os fenômenos do mundo visível. Pascal. Agostinho. com seus famosos diagramas. Descartes. Nietzsche chamou a atenção para o divórcio entre conhecer e viver – uma observação ainda viva. como O Mal-Estar da Civilização. que busca assimilar o mal como revigorante. História da Filosofia Ocidental.

W. Dois complementos importantes ao livro são Civilização. Atravessar essas imagens pelo texto culto de Janson é ter uma noção muito clara do que significa civilização. no fim do século 16. de observador quase impassível. Aí fica difícil não respeitar o que mereceu pertencer à tradição. o ceticismo. de H. em especial a ironia. contos como o extraordinário Cândido. onde as leis da gravitação não se aplicam. a eloqüência e a franqueza. um homem que lutou pelo conhecimento e pela justiça com todas as armas ao dispor. complexo) QED. técnica e recepção numa escrita sensata e objetiva. Montaigne (1533-92) alegava despretensão no alinhamento não-sistemático de suas idéias e opiniões a respeito dos mais diversos assuntos. e Arte Moderna.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. abraçou a causa da tolerância religiosa (enfrentando a Igreja Católica.html) To remove this message please register. milhares de cartas saborosas. Volume enorme.equinox-software. de Kenneth Clark. é mais um tom do que uma realidade. foi uma era. mas também de uma nova postura existencial e mental. mas o tom aristocrático. J. Taylor Taylor foi um dos maiores historiadores no século e do século. Foi mais que um filosófo. P. que dá devido peso a todos os artistas importantes e mistura história. Janson A mais famosa história da arte ocidental. mas o resultado de um choque . participou da Enciclopédia. poemas. o ensaio. Em seu Dicionário Filosófico criou verbetes mordazes e perspicazes sobre todos os assuntos pertinentes a qualquer ser humano. de Giulio Carlo Argan. História da Arte. Escreveu peças. que chamou de "infame"). Montaigne criticava o teatro do mundo. de Voltaire Voltaire (1694-1778) foi o maior homem do século 18. mas também nas entrelinhas. de A. O conflito deflagrado em 1939 não foi um caos provocado por uma doutrina totalitária (o nazismo). Ensaios. isto é. uma explicação do comportamento de partículas e antipartículas no universo subatômico. Seu Origens da Segunda Guerra Mundial não é só uma introdução excelente ao jogo de forças políticas e econômicas que se seguiu à Primeira Guerra. um processo de aproximação e adaptação à realidade não só em seus aspectos visíveis. tal sua variedade e ousadia. Dicionário Filosófico. não deixando escapar nenhum tema sequer – e isso fez dos Ensaios um livro que nunca terminamos de ler. de Michel de Montaigne Não só a invenção de um gênero moderno. De dentro de seu castelo.com/products/pdf_create_convert. mas um marco de interpretação da Segunda Guerra. Origens da Segunda Guerra Mundial.

que transformariam a crítica nos EUA e no mundo. Mencken escrevia magistralmente e gerou herdeiros como Edmund Wilson e Robert Hughes. na sucessão de guerras que marcaram a Europa desde o século 19. O Estilo Clássico mais tarde seria complementado por A Geração Romântica. Schubert. Mozart.html) To remove this message please register. O Livro dos Insultos. encontrando uma terceira via e muito bem fundamentada. Da linhagem de críticos culturais pretensiosos como William Hazlitt. e os dois volumes contêm todas as questões que podemos nos fazer sobre a música de Bach. além de pianista respeitado. Beethoven. Poucos criticaram tão bem o otimismo e o provincianismo dos EUA do que ele. Karl Kraus e Bernard Shaw. de nacionalismos cujas tensões jamais foram enfrentadas claramente. O Estilo Clássico. Rosen é o maior musicólogo e crítico de música contemporâneo.equinox-software. de Henry Louis Mencken Crítico feroz e divertido da hoje hegemônica América. de Charles Rosen Exemplo de maturidade máxima no exercício crítico.This document has been created with a DEMO version of PDF Create Convert (http://www. O mundo de hoje é um produto disso. Chopin e outros. . mas poucos foram tão americanos em seu modo de vida e tão interessados em seu próprio país. vencendo o conflito da crítica do século 20 entre a análise mais objetiva e a mais subjetiva. inclusive na Europa. Mencken (1880-1956) marcou presença tão grande no jornalismo dos anos 20 que se tornou amplamente lido.com/products/pdf_create_convert. Suas análises mesclam conhecimento da estrutura e honestidade das impressões.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful