Você está na página 1de 7

Gerenciamento de Risco de Saúde Segurança e Meio Ambiente

EPS 002169 , Rev.: 07- 07/05/2018 - Classificação: Uso Interno, Pág. 1 de 4


Diretoria Corredor Norte

Anexo 03 - Analise de Risco da Tarefa - ART

DATA DA REVISÃO REVISADO POR MOTIVO DA REVISÃO ITENS REVISADOS OBSERVAÇÕES

0 0 0 0 0

Amanda de Melo Pereira,


Rudinei Zancanaro, João Mudança no formulario padrão da
20/08/15 Não se aplica Não se aplica
Paulo. ART- PRO- 010942

Realizar a inspeção visual no


Item 01- Inspeção do assoalho da prancha e comunicar
Revisão devido Ocorrência de um Equipamento- Em causas da a Supervisão imediata caso o
10/09/15 Amanda de Melo
Quase Acidente com potencial situação de risco e medidas de equipamento tenha peças
controle. danificadas, parte pu pontas
cortantes no equipamento;

Revisão geral
Incluindo itm 07- Transporte de
30/01/17 Amanda de Melo Revisão geral
carga
Incerido o EPS 1974, sobre o
transporte de cargas altas.

Revisão de acordo plano de ação Incluido item 05_ Posicionamento


03/08/17 Angell Camilla Incidente Material do Pátio de da carreta no local destinado para Resposta ao Plano de Ação
Montagem em 12/07/2017 carregamento de carga

Revisão do EPS-002169, Revisão


16/05/18 Angell Camilla
07-07/05/2018
Gerenciamento de Risco de Saúde Segurança e Meio Ambiente
EPS 002169 , Rev.: 07- 07/05/2018 - Classificação: Uso Interno, Pág. 2 de 4
Diretoria Corredor Norte

Anexo 03 - Analise de Risco da Tarefa - ART

Notas Técnicas:
Tarefa: Transporte de Cargas com Carreta Prancha
1) Esta ART deve estar disponível para consulta;
2) Caso sejam identificados novos passos da tarefa, novas situações de risco ou novas
medidas de controle (proteção), está ART deverá ser revisada contemplando estas
RAC 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11
situações. Ramal de Emergência: 193 ou 0800 2850 193
Aplicável: X X X X

Data da Reunião inicial de Elaboração da ART: 16/05/2018


Responsáveis pela elaboração Matrícula Gerência Empresa RISCO Região da Matriz Critério de Aceitabilidade
AMANDA MELO 2986 CORREDOR NORTE MAKRO Muito Alto (>140) Vermelho
Quando um determinado risco com nivel estiver elevado, medidas de controle de redução de risco devem ser adotadas,
RUDINEI ZANCANARO 1328 CORREDOR NORTE MAKRO ao menor nivel razoavelemnte alcançavel (ALARA), mas o critério de aceitabilidade deve ser endossado pelo Diretor
responsavel pela diretoria ou da unidade de negócio. Para os cenários de higiene ocupacional faz-se necessária a
adoção de medidas de controle de exposição, acompanhamento médico e a realização da avaliação quantitativa da
Alto (70 a 140) Laranja exposição.
MARKSON FERREIRA CARMO 3674 CORREDOR NORTE MAKRO
17. Exposição a Temperatura Extrem
WELLITON REIS SILVA 2997 CORREDOR NORTE MAKRO 19. Exposição a Ruído;
Quando um determinado risco com nivel estiver elevado, medidas de controle de redução de risco devem ser adotadas,
Médio (25 a 70) Amarela ao menor nivel razoavelemnte alcançavel (ALARA), Para os cenários de higiene ocupacional faz-se necessária a adoção
ANGELL CAMILLA C. DA SILVA 3981 CORREDOR NORTE MAKRO de medidas de controle de exposição, acompanhamento médico e a realização da avaliação quantitativa da exposição.
20. Iluminamento;

Baixo (<25) Verde Devem ser gerenciadas na busca por melhoria contínua
21. Esforço Físico Intenso;

22. Ser atingido por Radiações Ioniza

Matriz de Risco 23. Posição Inadequada;

25. Engolfamento;
NÍVEL DE RISCO MEDIDAS DE CONTROLE 26.Vazamento, Derramamento;

Todos os cenários de riscos clas ifcados como MUITO ALTO (região vermelha da Matriz, > 140), a tarefa NÃO 27. Incêndio / Explosão;
MUITO ALTO >140 deve ser ealizada té que seja discustida com osupervisor, de modo aeliminar ousubsti uir o pas o que oferece
es e nívelderisco. 28. Outros.

ALTO (70 a 140)


Todos os cenários deriscos clas ifcados comomédioealto(região amarela eabobora daMatriz, riscos entre 25
MÉDIO (25 a 70)
e140) devem ser propostas medidasmit gadorasoude controlepara eliminação oureduçãodos riscos.

BAIXO (<25) Devemser propostas medidas de controle paraeliminação oureduçãodo risco.

Página 3 de 7
Classificação
do Risco
Situação de

Item
Passo da Tarefa Causas de cada situação de risco Medida de Controle dos Riscos Conseqüências / Efeitos Classificação dos Riscos
Risco
Piso desnivelado;

Atentar para objetos que possam causar tropeços;


Objetos espalhados na área; Retirar os
obstáculos da área; Realizar a inspeção visual no

Médio
Queda de mesmo nivel,

40
1 Inspeção do equipamento assoalho da prancha e comunicar a Supervisão imediata caso o equipamento tenha peças danificadas, parte ou Incidente que demanda primeiros socorros (FAC) 5 8
tropeços, Escoriações.
Peças pontas cortantes no equipamento;
danificadas: como o assoalho de madeira da prancha danificado; Usar corretamente os EPI´s para atividade: capacete com jugular, óculos de proteção, luvas de vaquetas,
calçado de seguranaça.
Atentar para objetos que possam causar tropeços;
Partes e pontas soltas do equipamento. Retirar os
Queda de mesmo nível,

Baixo
Piso desnivelado; obstáculos da área;
2 Inspeção da área tropeços e batida Incidente que demanda primeiros socorros (FAC) 3 4

12
Objetos espalhados na área; Usar
contra
corretamente os EPI´s para atividade: capacete com jugular, óculos de proteção, luvas de vaquetas, calçado de
seguranaça.
Piso desnivelado; Atentar para objetos que possam causar tropeços;
Queda de mesmo nível;
Retirar os obstáculos da área;

Baixo
Corte e escoriações
3 Isolamento da área de trabalho Incidente que demanda primeiros socorros (FAC) 5 4

20
Objetos espalhados na área;
nos membros
Realizar inspeção diaria nos materiais de isolamento, comunicar a supervisão
superiores
Execesso deMaterial de isolamento
velocidade na via; danificado, tipo cones imediatamente caso seja necessário a troca dos materiais; Usar corretamente os EPI´s para atividade: capacete
quebrados que possam causar cortes e escoriações. com jugular, óculos de proteção, luvas de vaquetas, calçado de seguranaça.

Não guardar a distância correta entre os veículos a frente;

Não respeitar a sinalização da via.


Cruzamento de vias fora da faixa de pedestre
Respeitar a velocidade estabelecida pela via, obedecendo o alerta sonoro do AutoTrac;
Falha na sinalização da via / estacionamento
Manter a Acidentes
Deslocamento em estacionamentos fora dos locais definidos
distancia correta entre os veículos; incapacitantes

Médio
Colisão com pessoas e Falha humana (desatenção, imperícia e pressa)

40
4 Trajeto permanentes 5 8
veículo, atropelamento; Condição inadequada de estacionamento e acesso
Observar a presença de pessoas proxímas a manobra do equipamento; ou 01 (uma)
Iluminação deficiente
fatalidade.
Baixa visibilidade por Intempéries
Obedecer a sinalização de trânsito.
Estar sob efeito de Drogas e Medicamentos
Falha mecânica
Não utilização de colete reflexivo em áreas mapeadas como
obrigatório o uso( exemplo pátio de estocagem e mina)
Desembarque de veículos;
Conduzir o veículo: fumando ou passando mensagem utilizando
Impacto contra ao celular, utilizando aparelhos de imagem (DVD ,TV, GPS), radio
pessoas; de comunicação e som com fones de ouvido
Sonolência / Fadiga;
Condição climática desfavorável (chuva forte, neblina intensa)
Manobras de ré com o equipamentos sem sinalização; Acidentes
Pneus descalibrados; Inspecionar locais de manobras afim da verificação de espaço físico suficiente ou de quaisquer interferências de lay
incapacitantes

Médio
out para realização das mesmas; solicitar a retirada imediata de obstáculos que gerem riscos eminentes na

48
permanentes 3 16
manobra , realizar manobras com auxilio de uma pessoa durante manobras rés e acionar o alarme de ré, durante
Acessos obstruidos ; Não definição de ou 01 (uma)
manobra ultilizar retrovisores
área especifica ; realizar manobra sem ultilizar retrovisor fatalidade.
Colisão com
estruturas.; Batida
Posicionamento da carreta no local Contra;
5
destinado para carregamento de carga Queda de nivél Acidentes
Realizar inspeção/analise de risco no local onde será realizado a movimentação com objetivo de detectar possíveis
diferente, Prensamento incapacitantes

Médio
Movimentação da peça, queda de objeto proximo ao isolamento, interferências; a carreta deverá ficar em local que não atrapalhe o fluxo de movimentação; O trajeto por onde

48
ou esmagamento,ser permanentes 3 16
obstaculos, objetos e equipamentos proximo passará a carreta deve estar desobstruído e isolado; Retirar ou solicitar á retirada do material /objeto ou
atingido por objeto, ou 01 (uma)
equipamento próximo do local destinado para a carreta.
batida contra. fatalidade.

Carga mau dimensionada na prancha;


Tombamento da carga;
O motorista prancha deverá informar a equipe que realizará o carregamento, qual o melhor dimensionado da carga
Caso a prancha tenha Queda da rampa ao manusea-la; na prancha, para que não haja transtornos durante o transporte; Acidentes
rampa, pode ocorrer incapacitantes
Médio

Carregamento da carga por guindaste,

48
6 sua queda, O manuseio da rampa deverá ser realizado por duas ou mais permanentes 3 16
caminhão munck ou empilhadeira
esmagamento de Rompimento dos acessórios de pessoais; Realizar a inspeção nos acessórios de amaração da rampa; ou 01 (uma)
membros; Exforço amarração da rampa; Usar corretamente os EPI´s para atividade: fatalidade.
exessivo; Torções na capacete com jugular, óculos de proteção, luvas de vaquetas, calçado de seguranaça.
coluna devido o peso.
Peso exessivo da rampa.

Atentar para objetos que possam causar tropeços;


Piso desnivelado;
Retirar os
Queda do mesmo nivel,
obstáculos da área;
Médio

Rompimento do
7 Verificação da armarração da Carga Incidente que demanda primeiros socorros (FAC) 8 4

32
acessório de Objetos espalhados na área;
Inspecionar os acessorios, descartando os que estão sem condição de uso; Não amarrar carga metálica com cabos
amarração. Acessorios inadequado para
de aço. Devem-se ser utilizados cintras-catracas e usar borracha entre o lastro da prancha e a carga para diminuir
amarração da carga.
o atrito.

Cruzamento de vias fora da faixa de pedestre


Falha na sinalização da via / estacionamento
Deslocamento em estacionamentos fora dos locais definidos
Diminuir a velocidade em terrenos desnivelados, rampas, curvas, cruzamentos e em superfície molhada e
Falha humana (desatenção, imperícia e pressa)
escorregadia.
Condição inadequada de estacionamento e acesso
Observar presença de pessoas e veículos .
Iluminação deficiente
Ser treinado no Regulamento e Plano de trânsito Carajás.
Atropelamento ; Baixa visibilidade por Intempéries
Somente pessoas habilitadas e autorizadas devem conduzir o equipamento. Alarme sonoro e visual (luz branca) de
Veículos ou Estar sob efeito de Drogas e Medicamentos
marcha a ré;
equipamentos Falha mecânica Acidentes
Sistema de Registro de velocidade nos veículos;
automotores; Não utilização de colete reflexivo em áreas mapeadas como incapacitantes
Sistema de alerta sonoro de velocidade;
Alto

128
8 Transporte de cargas Colisão com outros obrigatório o uso( exemplo pátio de estocagem e mina) permanentes 8 16
Aplicar o EPS 1974- Movimentação de Carga, sobre o transporte de cargas alta- Dispositivo Limitador de Altura:
veículos; Colisão da Desembarque de veículos; ou 01 (uma)
Dispositivo a prova criado para eliminar ocorrencia de batida contra em interferencia áreas (redes elétricas ,
carga em estruturas; Conduzir o veículo: fumando ou passando mensagem utilizando fatalidade.
estruturas, postes , transportadores , árvores, etc) que impeçam o transporte da carga;
Queda da carga da ao celular, utilizando aparelhos de imagem (DVD ,TV, GPS), radio
O operador/motorista do guindauto, caminhão e da carreta é obrigado atender a sinalização de placas (Altura
pracha. de comunicação e som com fones de ouvido
Limite), toda vez que for transportar no túnel da usina de Carajás, não ultrapassando o limite de 4,50m durante o
Sonolência / Fadiga;
transporte de quaisquer cargas, além de qualquer outro trecho da área de Carajás. Sempre o operador deverá
Condição climática desfavorável (chuva forte, neblina intensa)
solicitar ao executante da frente de serviço para que meça a carga e assim comprovar se é possível realizar o
Pneus descalibrados;
transporte., preencher o CHECK LIST ANÁLISE DE RISCO NA LOGISTICA DA CARGA.
Transporte de cargas com altura superior a cabine do cavalo
mecanico;
Amarração inadequada ou acessorios danificados.

Página 4 de 7
Manobras com o equipamentos sem sinalização;

Impacto contra Somente realizar manobras com auxilio de uma pessoa, principalmente durante manobras rés e acionar o alarme

Baixo
Acessos obtruidos;
9 Estacionamento Incidente que demanda primeiros socorros (FAC) 3 4

12
pessoas; Colisão de ré; Após parar o equipamento para estacionar, devem-se puxar o freio de estacionamento e utilizar os calços nos
com estruturas. pneus.
Deslocamento do
equipamento após o estacionamento.

Página 5 de 7
Gerenciamento de Risco de Saúde Segurança e Meio Ambiente
EPS 002169 , Rev.: 07- 07/05/2018 - Classificação: Uso Interno, Pág. 3 de 4
Diretoria Corredor Norte

Anexo 03 - Analise de Risco da Tarefa - ART

Níveis de Risco (*)


Gerenciamento de Risco de Saúde Segurança e Meio Ambiente
EPS 002169 , Rev.: 07- 07/05/2018 - Classificação: Uso Interno, Pág. 4 de 4
Diretoria Corredor Norte

Anexo 03 - Analise de Risco da Tarefa - ART


Instrução para realização de ART:
Para a realização da ART, será utilizada a planilha "Planilha ART" deste documento. O cabeçalho desta planilha identifica o serviço/atividade a ser
realizada assim como os participantes da análise e da execução da terefa.
Esta planilha contém 7 colunas, as quais são preenchidas conforme a descrição apresentada a seguir:
-      1ª coluna: ITEM
Esta coluna contém um número de identificação do passo básico, sendo preenchida seqüencialmente para facilitar a consulta a qualquer passo de interesse.
-      2ª coluna: PASSO DA TAREFA
Esta coluna contém os passos executados para a tarefa analisada. Os passos são definidos pelas equipes participantes com base em procedimentos
existentes e/ou levantamento e observação in locco.
Descrever de forma clara e especifica os principais passos sempre iniciando a redação com uma palavra de ação (um verbo na forma infinitiva). Exemplo:
remover, colocar, ligar, abrir, fechar, apertar, folgar,etc.
ATENÇÃO: Se um passo importante da tarefa for omitido pode resultar em exposição dos executantes ao risco potencial ou acidente .
-      3ª coluna: SITUAÇÃO DE RISCO
Esta coluna contém as possíveis situações de riscos identificadas para a tarefa analisada. De uma forma geral, estas situações de riscos estão
relacionadas a eventos acidentais que têm potencial para causar danos à integridade das pessoas envolvidas na execução da tarefa. Portanto, essas
situações de riscos referem-se a eventos tais como:
Bater Contra
Soterramento
Colidir
Queda ou tropeço
Ser atingido por objeto
Prensamento ou esmagamento
Atropelamento
Ser atingido por produto Químico
Desmoronamento
Choque Elétrico
Contato com superfície cortante ou perfurante
Contato com partes móveis ou rotativas
Contato com partes Quentes
Baixa/Alta Concentração de Oxigênio
Ser atingido por descargas atmosféricas
Ataque de animais
Exposição a temperatura extrema (elevada ou baixa)
Exposição a agentes químicos: gases, poeira, fumos
Exposição a Ruído
Iluminamento
Esforço físico intenso
Ser atingido por Radiações Ionizantes
Posição Inadequada
Jornada prolongada
Outros
Quando um único passo está relacionado a mais de uma situação de risco, este deve ser repetido num número de linhas correspondente ao número de
situações de riscos. Cada situação de risco está relacionada a conseqüências e recomendação especifica.
4ª coluna: CAUSAS / DESCRIÇÃO DOS CENÁRIOS DE RISCO
As causas genéricas de cada situação de risco são discriminadas nesta coluna. Estas causas envolvem tanto falhas intrínsecas de equipamentos (falhas
mecânicas, falhas de instrumentação, vazamentos e outras) como erros humanos de operação e manutenção. Estas causas são avaliadas separadamente
para etapa da tarefa.
-      5ª coluna: Conseqüência/ EFEITO
Os possíveis tipos de efeito relacionados à Saúde e Segurança sendo divididos em:
·         Demandam somente primeiros socorros
·         Acidente sem afastamento
·         Acidente com afastamento
·         Acidentes incapacitantes permanentes ou (1) Uma Fatalidade
·         Mais de uma fatalidade
-      6ª coluna: CLASSIFICAÇÃO DO RISCO
CATEGORIA DE FREQÜÊNCIA
Em uma ART, um cenário de acidente é definido como o conjunto formado pelo desvio identificado, suas possíveis causas e cada um dos seus efeitos. De
acordo com a metodologia adotada neste trabalho, cada cenário de acidente identificado é classificado de acordo com a sua categoria de freqüência, a
qual fornece uma indicação qualitativa da freqüência esperada de ocorrência. Cada categoria de freqüência tem um peso associado, conforme
apresentado na Instrução de Análise e Gerenciamento de Riscos.
CATEGORIA DE SEVERIDADE
Os cenários de acidente são classificados em categorias de severidade, as quais fornecem uma indicação qualitativa do grau de severidade das
conseqüências de cada um dos cenários identificados. Cada categoria de severidade possui um peso associado, conforme apresentado na INS-0037
(Instrução de Análise e Gerenciamento de Riscos).
CATEGORIA DE RISCO
Combinando-se as categorias de freqüência com as de severidade, obtém-se a Matriz de Riscos. Ao todo são 5 categorias de risco, representadas pelas
diferentes regiões na matriz, variando de risco muito baixo até risco muito alto. Dentro de cada categoria existem níveis de risco, com valores numéricos
associados, que variam de um valor menor para um maior, escalonando os riscos dentro de cada categoria, de acordo com PGS – 003123 - Diretrizes
para o gerenciamento de riscos em Saúde, Segurança e Meio Ambiente.
Para todos os cenários de riscos classificados como médio e alto (região amarela e abobora da Matriz, riscos entre 26 e 128) devem ser propostas
medidas mitigadoras ou de controle para eliminação ou redução dos riscos.
Atenção: Para todos os cenários de riscos classificados como muito alto (região vermelha da Matriz de Riscos, riscos entre 160 e 416), a tarefa
não deve ser realizada até que seja feita uma discussão com o supervisor, de modo a eliminar ou substituir o passo ou etapa que ofereça esse
nível de risco.
-      7ª coluna: MEDIDAS DE CONTROLE
Esta coluna contém medidas mitigadoras de risco propostas pelos executantes.
Escrever forma clara e especifica que promovam a eliminação ou redução das situações de risco identificados na segunda etapa.
Estabelecer os Procedimentos Seguros para executar os passos da tarefa de maneira segura, evitando situações indesejáveis e prevenindo a ocorrência
de acidentes.
Descrever as recomendações com clareza e objetividade, evitando generalizações como, por exemplo: “ esteja alerta”, “tome cuidado”. A cada passo da
tarefa, devemos ser específicos, descrevendo exatamente o que o executante deve fazer, e que recursos devem utilizar. Iniciar a redação com
uma palavra de ação (um verbo na forma imperativa) “isole, bloqueie e sinalize a válvula”, “use máscara semi-facial com filtro para vapores
orgânicos/contra pó”, “use chave de boca ¾ de polegada”, “use luvas tipo vaqueta/de PVC”, ”use bota de PVC”.

Identifique a tarefa

Divida a tarefa em passos

Defina o passo a ser analisado, de acordo com a seqüência definida

Identifique a situação de risco a ser


analisada

Avalie suas causas

Defina as conseqüências/efeitos

Classifique

Freqüência Severidade Risco

Complete a análise com base na Matriz de


Risco

Estabeleça ações e medidas de controle e prevenção e


remediação