Você está na página 1de 5

lOMoARcPSD|5852089

Métodos de observação em psicologia

MÉTODOS DE OBSERVAÇÃO EM PSICOLOGIA (Universidade Estácio de Sá)

A StuDocu não é patrocinada ou endossada por nenhuma faculdade ou universidade


Baixado por Lusineide Ferreira Martins (lusineide@ucdb.br)
lOMoARcPSD|5852089

Observação
O ato de observar: ter a atenção voltada para algo específico, com intuito de
posteriormente julgar, analisar ou investigar alguma coisa ou alguém.

Tipos de observação

Observação laboratorial: utilizada pelo método experimental.


- Realização da experiência em condições controladas. A situação observada é
artificial e controlada.
- Sistematização prévia: define-se o que se pretende observar a, constrói formas de
registro.
- Presença de instrumentos de observação, como entrevistas questionários e testes.
- Há a possibilidade de condicionamento, após o sujeito observado está ciente da
observação, podendo alterar o seu comportamento. Nesse caso O observador pode
recorrer a meios técnicos para contornar a situação, como observar sem ser notado.

Observação naturalista (ecológica): elaborada no meio natural em que se desenrola a


situação. Fundamenta-se na necessidade de observar as condições reais de uma situação.
- Observe as condições reais de uma situação. O observador pode ocupar dois
papéis:
A) Dissimulado: permanece exterior a situação de modo a disfarçar sua presença.
B) participativa dos pontos participa da situação sem o estatuto do observador. É o
único modo em que não há necessidade de controle das variáveis.

Observação invocada: realizada a partir de situações ocasionais que não são controladas
nem previstas.
- Tem menor grau de objetividade. Estuda nas condições reais de uma situação
extremamente prática.
- possibilita meios diretos e satisfatórios de estudar uma ampla variedade de
fenômenos, como comportamentos não intencionais o inconscientes.
- exige menos do observado que outras técnicas. Permite a coleta de dados sobre um
conjunto de atividades comportamentais típicas, e que dificilmente poderiam ser
estudados de outra forma.
- Permite a secagem de respostas verbais e confrontá-las com a observação.
- Permite a evidência de dados não roteirizados.
- Obtenha a informação no momento espaço onde ocorre.
- Não depende do grau de instrução do observado.

Baixado por Lusineide Ferreira Martins (lusineide@ucdb.br)


Metodologia

a metodologia científica é o estudo dos métodos ou dos instrumentos necessários para a


elaboração de um trabalho científico. Emprega-se um conjunto de técnicas e processos
para a pesquisa e a formulação de uma pesquisa científica. O método é a parte mais
importante da pesquisa pois garante validade é o conhecimento descoberto. A verificação
empírica consiste em trabalhar com teste da observação e com constructos que sejam
observaveis.

Técnicas de observação e mensuração

1. Gravar frequência de um intervalo com que o fenômeno ocorre dentro de um


intervalo específico de tempo.
2. Gravar duração do fenômeno, por exemplo, a quantidade de tempo que um
determinado sujeito se engaja em uma determinada tarefa durante um intervalo de
tempo.
3. A observação do tempo de amostra se refere a ocorrência ou não do fenômeno
durante um determinado período de tempo.

Tipos de observação

Observação sistemática "estruturada”


- É minuciosamente planejada e Visa atender critérios pré-estabelecidos.
- É realizado em condições controladas da forma mais objetiva possível, por isso, é
considerada uma técnica científica
- Pode ser feita de modo direto (aplicando imediatamente os sentidos aos fenômenos a
se observar) ou indireto, utilizando instrumentos para registrar/medir a informação a ser
obtida.

Observação assistemática (não estruturada)


- O pesquisador atua como mero espectador.
- é simples, espontânea e informal ponto por isso não é recomendada para testagem
de hipóteses.
- recolhe registra dados da realidade sem a utilização de meios técnicos especiais ou
realização de perguntas diretas. É utilizada durante estudos exploratórios, servindo
como planejamento para pesquisa.

Técnica de coleta de dados: busca coletar informações de forma observacional, formal ou


informalmente, de um indivíduo ou grupo em um determinado ambiente sobre um
determinado fato ou situação.

Observação direta: é realizada pelo próprio pesquisador sem a interferência de terceiros.

Observação participativa: envolve uma relação dinâmica entre o pesquisador e o


pesquisado. Por sofrer interferência do observador, pode se tornar artificial.
Observação direta: pode ser realizada por terceiros, desde que treinados para processar a
observação.

Observação não participativa: O observador atua como mero espectador, permanecendo


alheio aos dados colhidos e se posicionando de forma neutra.

Tipos de observação participante:


- Observação periférica: se mantém fora do campo observado e recebe os dados
por meio de um informante chave.
- Observação ativa: O observador assume um papel mais central e participativo no
grupo.
- Observação completa: O observador pode já fazer parte do grupo (oportunidade)
ou se inserir no grupo (conversão). Tem acesso irrestrito ao ambiente observado, o
que possibilita uma coleta de dados completa e detalhada.

Condições da observação:
- Laboratorial: condições controladas.
- Naturalista: meio natural em que se desenrola o fato.
- Invocada: realizada a partir de condições não previstas ou controladas.

Observação individual: realizada por uma única pessoa. Os dados são colhidos de acordo
com a subjetividade do observador que se projeta sobre observado.

Observação em equipe: cada um observa aspectos da situação. Cada observador pode


adotar técnicas específicas.

Comportamentos

Comportamento verbal
É modelado e mantido por um ambiente verbal (pessoas que respondem ao comportamento
de certo modo por causa das práticas do grupo do qual são parte).
- É estabelecido e mediado pelo reforçamento.
- O reforçamento é mediado pelo comportamento do ouvinte.
- falante ouvinte devem ter sido treinado sobre os mesmos tipos de estímulos e
respostas de uma comunidade verbal.

A linguagem se refere há várias práticas de uma comunidade linguística, não se restringindo


apenas a fala.

Tato
É uma resposta verbal ocasionada por objetos ou eventos. Nele, o falante "descreve" ao
ouvinte e os estímulos que ocasionaram a resposta. Exemplo: dizer "A caneta está sobre a
mesa" diante de uma caneta sobre a mesa.
Comunicação não verbal
devido à ausência de palavras, a mensagem é decifrada por meio das imagens de signos.
O receptor pode manifestar agrado, desagrado e atenção através de suas expressões
faciais, postura, gestos e etc.

- Paralinguagem: é uma forma de comunicação não verbal que acompanha a fala e


revela a situação atual e características do falante (idade, gênero, origem). Além de
transmitir emoções, pode também modificar sentidos.
- Aparência: através do vestuário, maquiagem, postura, etc, normalmente projetam
que imagem gostaria de passar e de como querem ser tratados.
- Sistema de crenças: é adquirido por meio da família, cultura e comunidade. Reúne
valores e crenças que definem o modo de perceber o mundo social, físico e
psicológico.
- Efeito Halo: tendência julgar e tirar conclusões precipitadas a respeito de alguém
apenas pelas suas características mais marcantes. Fórmula-se o esteriótipo global
sobre a pessoa, que influencia a todos os demais fatores avaliativos.

Observação sistemática
É um método criado por um objeto definido, utilizado para compreender o funcionamento de
algo. geralmente utiliza um protocolo de observação, onde se registra os dados coletados.
Esse documento fornece informações gerais e as condições em que ocorre a observação,
bem como o registro de comportamento e circunstâncias ambientais.
- Ambiente físico: descreve as características de local (de coração, iluminação,
temperatura, etc).
- Ambiente social: identificar pessoas presentes e o sujeito observado (idade, sexo
função), descrever as atividades e características comum entre as pessoas.