Você está na página 1de 6

Data do estudo Lição 1

Texto base: Gênesis 22.1-19

Abraão
Quando na
Adversidade
Confiamos em Deus
Por Ed. Venância Vargas

O contexto desta lição se encon- no. Sendo assim, o nascimento de


tra em Gênesis 22.1-19, situação em Isaque, no livro de Gênesis, é uma
que Abraão, o pai da fé, entrega o ação sobrenatural, que demarcou a
seu filho Isaque em sacrifício a Deus. confissão de fé do povo israelita. Em
O episódio põe em contradição as sentido paralelo, a morte de Isaque
promessas feitas a Abraão (Gn 12.1- contradiz a promessa, exigindo de
3) de que Isaque, o filho da promes- Abraão confiança total em Deus ao
sa, seria o herdeiro das bênçãos. A sacrificar o próprio filho. Uma prova
história se desenvolve entre fé e a de fogo. Como sacrificar aquilo que
crise do patriarca, ao ponto de ques- foi prometido pelo próprio Deus?
tionar a promessa de Deus, uma vez Como confiar num Deus que põe à
que ele não teria filho nem descen- prova os seus filhos amados? Muitas
dência (Gn 15.2,3). Ainda devemos vezes em nossas vidas, as circuns-
ressaltar o fato de que Sara, espo- tâncias são adversas e encontra-
sa de Abraão era estéril (Gn 16.1) mos provas em nossas jornadas. O
e o próprio Abraão tinha noventa e texto de Gênesis 22.1-19 ensina-nos
nove anos de idade (Gn 17.1). Resu- grandes lições através da vida de
midamente, podemos dizer que a Abraão. Nesta lição, vamos ver algu-
promessa de um filho (Isaque) surge mas delas e observar também como
em situações adversas e de impos- Abraão as superou.
sibilidades do ponto de vista huma-

20
1. Reconhecemos que como expectativas: 1) Gênesis 1-11 – apre-
seres humanos, todos nós sentando o caráter de degeneração
passamos por adversidades. da humanidade, a qual se encontra
no caos familiar e social. 2) Gênesis
Gênesis é o primeiro livro da Bí-
12-50 – focando na família patriarcal
blia, pertencente a um grupo maior,
como elemento unificador e restau-
chamado Pentateuco1, cujo signifi-
rador entre Deus e os seres huma-
cado é origem. O conteúdo históri-
nos. A questão que se levanta nos
co e teológico do livro e do penta-
capítulos 1-11 é a seguinte: diante da
teuco mostra o amor e a fidelidade
obstinação do coração humano es-
de Deus por Israel, ainda que em
taria esgotada a paciência de Deus?
situações de adversidades. No con-
Abraão é a resposta para essa per-
junto da obra, numa perspectiva
gunta.
judaico-cristã, o Pentateuco serve
como orientação, demonstrando a Nesse contexto, podemos en-
soberania e o poder de Deus sobre tender as crises, os problemas e as
os povos e sobre as leis das ciên- provações na vida desse homem. As
cias e dos fenômenos da natureza; lutas enfrentadas têm um sentido de
apresentando os desígnios de Deus missão – restaurar o relacionamento
para a sua criação, em que o pecado divino/humano, o que muda a nos-
atrasa a agenda e o propósito divino, sa perspectiva diante do sofrimento.
mas não anula, uma vez que Abraão Nessa direção, ainda que estejamos
aparece como instrumento de Deus cumprindo um chamado divino, não
para abençoar a humanidade; ainda, passaremos pela vida sem expe-
o Pentateuco apresenta o caráter de rimentar provas. O próprio senhor
Deus e os seus padrões éticos – tan- Jesus nos ensina dizendo: “no mun-
to a sua justiça quanto o seu amor. do tereis aflições” (João 16.33), mas
O Deus que providencia o alimento Ele não deixa a luz da esperança e
(Gn 1, 2) é o mesmo Deus que requer confiança no Senhor esquecida, pois
comportamento moral fundamenta- complementa: “mas tende bom âni-
do nos princípios e valores da fé. (Gn mo, eu venci o mundo”. Olhando para
6-9). a experiência de Abraão, aprende-
mos que essa confiança que nos faz
Todavia, ao contrário do que Deus
vencedores, não elimina as adversi-
esperava, o episódio do dilúvio (Gn
dades que enfrentamos em nossas
6-9) e a Torre de Babel (Gn 11) apre-
vidas, mas, paralelamente, nos con-
sentam a humanidade em oposi-
firma um sentido de propósito diante
ção ao governo absoluto de Deus.
do chamado divino.
De modo que a estrutura de Gêne-
sis, em que está inserida a vida de Nesse chamado, as provas são
Abraão, pode ser resumida em duas úteis para identificarmos o nosso ní-
vel de maturidade espiritual. O sacri-
¹- O Pentateuco (gr. “cinco volumes”) consiste nos
fício de Isaque é o ápice do caminho
cinco primeiros livros da Bíblia, de Gênesis a Deute- da fé desse grande homem de Deus,
ronômio. O termo hebraico é Torah (lei ou instrução).

21
pois amadurecemos nas adversida- zão nem sempre dialogam. Abraão,
des e, nestas surgem as oportuni- quando diante da pergunta do pró-
dades de experimentar o cuidado, prio filho sobre o cordeiro para o ho-
o amor e a proteção de Deus, pro- locausto, responde: “Deus proverá
movendo o nosso desenvolvimento para si o cordeiro para o holocausto,
espiritual e existencial. meu filho” (Gn 22. 8). Loucura para
Sendo assim, os episódios ocor- a razão, orientação para mente de
ridos na vida de Abraão trazem em quem crê, conforme (1 Co 2.14).
si o elemento de provação e não Para tanto, é preciso escolher
tentação. A provação mostra o ca- viver para Deus e obedecer, ainda
ráter pedagógico de Deus em sua que não entendamos todos os pro-
intenção de nos fazer crescer e nos pósitos e desígnios, e jamais envere-
aproximar dele. A tentação, advinda darmos pelos caminhos das trevas,
da nossa natureza pecaminosa, mo- atraindo as maldições. Quando faze-
tivada pelos maus desejos e incli- mos escolhas equivocadas, trocan-
nações (Tg 1.12-15), tem o propósito do as escolhas do Espírito pelas da
de nos afastar da fé. Deus não tenta carne, trocando o certo pelo errado,
ninguém, devemos nas experiências o bem pelo mal, o justo pelo injus-
da vida, diferenciar as palavras ten- to, o espiritual pelo carnal, o amor
tações e provações. No grego, a pa- altruísta pelo egoísmo, incorremos
lavra tentação (gr. peirazo) é a forma no risco de passar por várias adver-
verbal do substantivo traduzido por sidades advindas de nossas próprias
provação (gr. peirasmos) em Tiago más decisões (Gl 5.16-21). As provas,
1.12, mas que apresenta sentidos di- porém, são adversidades que nos
ferentes. Desse modo, Deus traz as fazem crescer. Lembremos sempre
provações a fim de fortalecer a fé que “todas as coisas contribuem
dos cristãos, diferente de tentação, para o bem daqueles que amam a
que é a sedução para o mal 2. Deus” (Rm 8.28).
Entendendo as provações no con- Dessa forma, Abraão é um grande
texto de missão, indagamos: Qual exemplo de que as provações fazem
seria o sentido, por exemplo, do fato parte da experiência humana. Veja-
de Abraão esperar 25 anos por um mos as difíceis provas pelos quais o
filho? Qual a razão de Deus dar um pai da fé passou cumprindo a mis-
filho a Abraão e, depois, pedir para são de restaurar o relacionamento
sacrificá-lo em um altar, como se de Deus com o povo:
fosse um cordeiro? As respostas não a) Orientado por Deus, foi prova-
devem ser dadas à luz da racionali- do, tendo que deixar sua família para
dade ou da lógica humana, mas na ir a um lugar que nem ele mesmo
perspectiva da fé, do lançar-se sob sabia, uma terra desconhecida (Gn
as lentes do sobrenatural. Fé e ra- 11.27-12.5).
b) A provação diante da fome:
² BÍBLIA de Estudo NAA. Notas da carta de Tiago
1.12-15. Barueri, SP: Sociedade Bíblica do Brasil. 2018.
Abraão foi reprovado, pois deixou a

22
dúvida ocupar o lugar da confiança Gênesis 22.3-4, Abraão acordou mui-
em Deus e foi para o Egito buscar to cedo, preparou as provisões ne-
ajuda, mentindo sobre sua esposa cessárias à viagem longa e difícil em
(Gn 12.10-13.4). obediência estrita à ordem de Deus.
c) A provação da renúncia de pri- No terceiro dia de viagem, avistou
vilégios ou vantagens: quando ele e de longe o Monte Moriá. Não sabe-
seu sobrinho resolveram separar-se, mos e sequer podemos imaginar os
dando a Ló a oportunidade de fazer sentimentos e pensamentos de um
a escolha do melhor lugar (Gn 13.5- pai que está levando seu filho para
18). o sacrifício. Podemos deduzir que,
d) A provação da coragem, quan- embora sabendo de sua fé e con-
do precisou lutar contra vários reis, fiança no Deus Todo Poderoso, em
pois Ló fora sequestrado e Abraão sua humanidade já demonstrada
lutou para libertar o sobrinho (Gn pela insegurança em momentos do
14.1-16). passado, ele estava com o coração
apertado e triste.
e) A provação diante dos bens
materiais, dizendo não às riquezas É importante ressaltar que esse
de Sodoma, colocando as pessoas ato de obediência e fé teve implica-
acima das coisas (Gn 14.17-24). ções profundas na vida do seu povo
e, Abraão foi elogiado para todo o
f) A provação da paciência, na
Israel por sua atitude de fé. Ademais,
qual foi reprovado, pois, cedeu às
propagou-se, na época, a necessi-
pressões de Sara, tendo um filho
com a Agar, a escrava de Sara (Gn dade da “substituição” como parte
16.1-16). dos sacrifícios expiatórios, prática
recorrente nas celebrações israeli-
g) A provação mais dura que tas (Gn 22.13; Lv 1-7). Logo, nunca é
Abraão teve que vencer (Gn 22.1-2): demais salientar que o sacrifício de
entregar em sacrifício o filho da pro- Isaque deve nos servir de símbolo
messa. Ele foi provado e aprovado! para outras manifestações de obe-
Em todas as circunstâncias, en- diência que não coloquem em risco
tre fé e crise, Abraão foi provado e a vida alheia.
aprovado, constando na lista como
Entendendo isso, o que fica pa-
aqueles que, mesmo tendo bom
tente pelo registro da Palavra de
testemunho por meio da fé, figuram
Deus é que, mesmo com sua fragi-
no rol dos heróis da fé, conforme (Hb
lidade humana, que nos é também
11). Como você tem agido diante das
peculiar, Abraão estava simples-
provações?
mente obedecendo rigorosamente
2. Vencemos as provações às ordens do Senhor. Aprendemos
pela obediência por seu exemplo que, quando obe-
incondicional decemos ao Senhor, sabemos que o
melhor ocorre em nossas vidas, pois
De acordo com os versículos de Deus deseja sempre o melhor para

23
seus filhos. A obediência é tão im- Deus).
portante que Jesus enfatizou: amigo Você tem adorado ao Senhor
de Deus é quem o obedece: “Vós através da obediência incondicio-
sois meus amigos, se praticardes o nal?
que Eu vos mando” (João 15.14).
Abraão creu nas promessas de 3. Vencemos pela fé no Deus
Deus e caminhou na direção que da provisão.
Deus lhe orientou sem murmurar e A narrativa do texto básico desta
sem perguntar nada. Ele simples- lição foi escrita com graça especial,
mente obedeceu! A obediência é sendo um dos mais belos e envol-
um requisito fundamental da fé, pois ventes testemunhos do Antigo Tes-
a própria bíblia nos ensina que “obe- tamento. A fé leva-nos a crer no im-
decer é melhor do que sacrificar” (I possível. Relembramos a fé imensa
Sm 15.22). Pela Bíblia, aprendemos que Abraão tinha, pois foi revelada
que Abraão obedecia a Deus, mes- quando do diálogo que teve com
mo sem saber: a) para onde ir (Hb seus servos dizendo: “havendo ado-
11.8); b) quando a promessa iria se rado, voltaremos” (Gn 22.5). Ele não
cumprir (Hb 11.9-10, 13-16); c) como sabia como, mas sabia que ambos
o milagre aconteceria (Hb 11. 11-12); voltariam após a adoração a Deus.
e d) o porquê de tamanha provação Abraão agia assim porque ele co-
(Hb 11.17-19). nhecia Deus e sabia que de alguma
A obediência é fruto de um co- forma Deus faria algo especial na-
ração adorador e grato. O texto de quela situação.
Genesis 22.5-8 narra toda aquela ex- Abraão e Isaque seguiram para o
periência dolorosa como expressão local designado com quase todos os
de adoração, obedecendo em to- aparatos necessários ao holocaus-
dos os detalhes a vontade de Deus, to. Quando Isaque perguntou “Onde
agradando-o, reinterpretando a sua está o cordeiro?”, respondeu Abraão:
própria história, tendo Deus como “o cordeiro para Si, Deus proverá” (Gn
autor de sua vida e do seu filho. Em 22.7,8). O que sabemos é que Abraão
seu coração, colocou-se como um não duvidou em sua fé, nem mesmo
ofertante a Deus, demonstrando quando Isaque lhe fez essa pergun-
que reconhecia Deus como o dono ta. Ele dependia integralmente da
de nossas vidas por direito de cria- provisão de Deus, pois sabia que, se
ção. Ele recebeu Isaque de Deus e necessário, Deus o ressuscitaria (Hb
estava pronto a demonstrar a sua in- 11.18).
teira gratidão, dando Isaque de volta
para Deus. Isaque era um presente Quando chegou ao local, amar-
que Abraão não colocou no lugar rou Isaque e levantou o cutelo para o
de quem o havia presenteado. A sua sacrificar, sendo impedido pelo anjo
obediência mostra que a dádiva não que disse: “Não lhe faças nada; por-
tomou o lugar do doador (o próprio quanto agora sei que temes a Deus”

24
(Gn 22.12). “Então Abraão viu um car- implicasse a própria morte (Gn 22.3).
neiro preso pelos chifres entre os ar- • Abraão diz a Isaque que o sacri-
bustos e o pegou para o sacrificar” fício será um cordeiro que Deus pro-
(Gn 22.13). Deus não queria que o ato verá (Gn 22:8); Jesus foi identificado
fosse concluído, mas os protagonis- como o “Cordeiro de Deus, que tira o
tas, Abraão e Isaque não sabiam dis- pecado do mundo” (Jo 1.29).
so, ressalta ao nosso entendimento
a grande fé de Abraão e a submissão Uma maravilhosa substituição
de Isaque. ocorrera: o Cordeiro no lugar de Isa-
que, e Jesus em nosso lugar!
A partir daquele momento Abraão
chamou aquele lugar de “O Senhor Você tem confiado na provisão do
Proverá”, pois Deus provê nas nos- Senhor?
sas necessidades as soluções para Para pensar e agir:
os que nele confiam. A provisão de
Deus nunca chega atrasada. O que a. As adversidades fazem parte
era menos provável para Abraão da experiência humana, entretanto o
foi o que aconteceu. A provisão de mais importante é pensarmos: como
Deus vem na hora certa. As adver- temos reagido diante das adversida-
sidades vêm, mas a provisão do Se- des e provações da vida?
nhor supre as nossas necessidades, b. Deus sempre orienta nossas
mas precisamos dar passos de fé. vidas e nos direciona para o lugar
Deus não abandona seus filhos na certo. Temos obedecido incondicio-
adversidade. Creia e confie! Ele nos nalmente?
acompanha em todo o tempo.
c. Aprendemos sobre Deus como
Algo importante a ressaltar nessa aquele que nunca nos faltará. Temos
história é que ela exemplifica a ex- dúvidas e inseguranças dominando
periência do sacrifício de Jesus, pois nossos corações ou estamos con-
Gênesis 22 aponta para Jesus como fiando no Deus da provisão?
o filho que é sacrificado. Podemos
traçar um paralelo entre essa narra-
tiva e a história de Jesus:
Leitura Diária
• Jesus e Isaque são “filhos ama-
dos”, esperados há muito tempo e SEG Salmos 91
nascem como fruto de um milagre TER Salmos 18.1-6
(Gn 22.1).
QUA Hebreus 11.1-3
• Tanto Jesus como Isaque carre-
gam a madeira que seria usada em QUI 1 João 5.13-15
seu sacrifício (Gn 22.6). SEX 2 Coríntios 3.4-5
• Tanto no caso de Jesus como no SÁB Hebreus 11:8-9
de Isaque, ambos foram obedientes
DOM 1 Pedro 1.8-9
à orientação do pai, mesmo que isso

25