Você está na página 1de 4

Data do estudo Lição 11

Texto base: Lamentações 3.1-26

Jeremias
Quando a
Adversidade
é o Sofrimento
Por Ed. Marlene Baltazar

No dia 4 de agosto de 2020, o sofrimento. Em Beirute, desobede-


mundo foi surpreendido com uma ceram aos homens; em Jerusalém,
grande explosão que abalou Beiru- desobedeceram a Deus. O estudo
te, capital do Líbano, deixando mais de hoje vai tratar do sofrimento
de uma centena de mortos, mais como resultado da desobediência a
de 5.000 feridos e mais de 300.000 Deus pelo Reino de Judá, com base
desabrigados. Apesar de o diretor no capítulo 3 do livro de Lamenta-
geral da alfândega e o gerente do ções.
porto alertarem, repetidas vezes, Quanto à autoria, este livro não
sobre o perigo de se manter o ni- apresenta o nome do seu autor,
trato de amônio sem as medidas mas tanto judeus como cristãos,
de segurança exigidas, o alerta foi desde tempos antigos, considera-
ignorado. O motivo da explosão foi ram-no como escrito por Jeremias,
o mal armazenamento do nitrato de não muito tempo depois da queda
amônio, que é usado como fertili- de Jerusalém que aconteceu em
zante e na fabricação de explosivo. 586 a.C. Há vários paralelos entre as
Comparando o que aconteceu profecias de Jeremias e o livro de
com as cidades de Beirute e de Je- Lamentações que deixam isso evi-
rusalém, vemos que ambas foram dente (2Cr 35.25).
avisadas do perigo, ambas ignora- O livro foi escrito em forma poé-
ram o alerta e ambas enfrentaram o tica. Não se pode interpretar a poe-

70
sia com as mesmas regras que se ruas. Queimaram e destruíram a
interpretam os livros históricos, os cidade. Quando os babilônicos ata-
Evangelhos ou as cartas de Paulo. caram Judá, os seus vizinhos, que
A forma poética usada é o acrósti- antes o encorajavam a se unir a eles
co, ou seja, cada verso começa com para atacarem Babilônia, agora o
uma letra do alfabeto hebraico, em abandonaram e alguns até mesmo
sua ordem, nos capítulos 1, 2 e 4. se uniram para saquear Jerusa-
Já no capítulo 3, cada três versos lém. O povo levado ao cativeiro se
começam com a mesma letra. No assenta a chorar e dependurar as
capítulo 5 não é usado o acróstico, harpas. Tudo o que estava aconte-
mas o estilo comum do poema he- cendo era castigo de Deus. Não é
braico. O livro está estruturado em de se admirar que este livro tenha
cinco poemas, formando os cinco um tom melancólico, de angústia,
capítulos. de tristeza, de sofrimento. A razão
desse sofrimento estava no peca-
1. O sofrimento como castigo do dos profetas e na iniquidade dos
de Deus sacerdotes (Lm 4.13). A atitude dos
Lamentações corresponde aos líderes religiosos propiciou uma
dias finais do Reino de Judá e a des- profunda crise na fé e esperança
truição de Jerusalém com todos os do povo. Quando o povo de Deus
males que acompanharam o final é derrotado, a causa principal nun-
do cerco à cidade. Por muitos anos, ca é o poder do inimigo, mas a sua
o povo de Judá havia sido instado a própria fraqueza produzida pelo
se arrepender dos pecados, a mu- pecado.
dar de vida, foi alertado da certeza Uma das lições mais evidentes
da destruição que viria, se a nação desse livro é o caráter justo e sobe-
continuasse nos maus caminhos. rano de Deus. Da mesma maneira
Lamentações fala do cumprimen- que Deus é santo, é misericordio-
to do juízo prometido por Deus. so, é amoroso, Ele é justo e fiel em
Praticamente, toda população de todos os seus propósitos. Os poe-
Judá foi arrasada pelos babilôni- mas mostram Deus como a figura
cos, somente os mais pobres foram central do drama da história, e não
deixados, espalhados por todas as o homem. É a partir do caráter de
cidades e regiões rurais, para tra- Deus que o povo é julgado e puni-
balhar, cultivando a terra. O templo do.
foi destruído, o povo ficou sitiado,
as jovens eram forçadas, a comida 2. Deus não nos permite
tornou-se tão escassa que as crian- escolher as consequências
ças desfaleciam nas ruas e corriam Nos primeiros sete versículos do
o risco de serem feitas alimentos capítulo 3, vê-se que o sofrimento
pelas próprias mães. Muitos foram por que passava o povo era conse-
mortos e os corpos jogados pelas

71
quência das suas escolhas. Deus ouve”.
estava usando uma nação incrédu- Abandono – “...me despedaçou e
la, a Babilônia, para punir o pecado. me abandonou” (v. 11). Não há senti-
Essa nação é chamada de “a vara mento mais desolador que se sentir
do seu furor”. Para mostrar o sofri- abandonado e ainda mais quando o
mento do povo, o autor usa expres- motivo é a infidelidade. De um lado,
sões como: “fez andar em trevas” (v. o povo de Judá tinha a lembrança
2), “esmagou os meus ossos” (v. 4), dos atos de Deus em buscar e sal-
“me cobriu de amargura e aflição” var; do outro lado, um futuro incer-
(v. 5), “cercou-me com um muro” to, tenebroso, por causa da deso-
e “prendeu-me com correntes” (v. bediência.
7). Porque Deus não muda, nele
não há nem sombra de variação, o Vergonha – “Transformou-me em
que diz Ele cumpre. O profeta avi- alvo de zombaria para todo o meu
sou, mas o povo não abandonou a povo e para suas canções o dia todo”
idolatria. Deus requer fidelidade e (v. 14). A vergonha é um sentimento
não nos permite escolher as con- que ocorre quando a pessoa vê que
sequências. Os judeus acreditavam seus valores são negados por um
na cidade perene, porque Deus ha- ato errado. Se eu passo minha vida
via feito promessa da segurança e pregando integridade, verdade, e,
da indestrutibilidade da cidade de de repente, faço algo que contraria
Jerusalém. Deus falhou? É claro a minha pregação, passo a sentir
que não! Toda vez, no Antigo Testa- vergonha e ser motivo de escárnio.
mento, que Deus faz uma promes- Falta de paz – “Afastou a paz de
sa a seu povo, essa promessa está mim; esqueci-me do que seja a fe-
condicionada à obediência. Haven- licidade” (v. 17). A paz é uma expe-
do obediência, há bênção; havendo riência que só aquele que vive em
desobediência, há maldição. comunhão com Deus pode explicar.
Vejamos o preço que o povo de Podemos comparar a falta de paz
Judá pagou por afastar-se de Deus. interior com a situação de tempo de
guerra, quando reina a incerteza.
Suas orações não eram mais
respondidas – “Mesmo quando gri- Falta de esperança – “A minha
to e clamo por socorro, ele ignora força já se esgotou, como também a
a minha oração” (v. 8). Isaías 59.1,2 minha esperança no Senhor” (v. 18).
declara: “A mão do Senhor não está Que tristeza, que desolação! O pes-
encolhida para que que não possa simismo tomou conta de muitos. O
salvar; nem o seu ouvido está sur- que o futuro reservava a um povo
do, para que não possa ouvir, mas que experimentou grandes bên-
as vossas maldades fazem separa- çãos de Deus, mas não conseguiu
ção entre vós e o vosso Deus; e os manter o padrão espiritual exigido
vossos pecados esconderam o seu por Ele? Esse é um dos preços do
rosto de vós, de modo que não vos pecado: falta de esperança.

72
3. Mesmo em meio ao pazes de buscar em Deus suas mi-
sofrimento, é possível ter sericórdias. Deus age por meio do
esperança sofrimento para nos ensinar lições
preciosas.
Nem todo sofrimento acontece
por causa do pecado daquele que Para pensar e agir
está sofrendo. A paixão de Cristo
mais do que comprova essa verda- 1. A certeza do cumprimento das
de. No entanto, muitos sofrimentos ameaças de Deus, sobre a desobe-
acontecem por causa do pecado, diência, deveria levar o povo ao ar-
como é o caso do nosso estudo. Em rependimento.
meio ao sofrimento, é importante 2. O problema é que Judá come-
que o cristão faça uma profunda e teu adultério espiritual e cometeu
séria autoanálise diante de Deus: Eu adultério quando buscou seus vizi-
estou longe do Senhor? Tenho des- nhos pagãos, em vez de obedecer a
prezado a sua Palavra? Tenho vivido Deus e clamar a Ele por segurança.
uma vida de pecado? Buscou segurança em mãos huma-
Deus está sempre pronto a per- nas.
doar. Ele foi misericordioso e não 3. Que triste situação de um povo
destruiu por completo o povo de que poderia ter vitória! Colheu os
Judá. É preciso tomar uma decisão. resultados de suas escolhas erra-
O texto de Lamentações 3.21-23 das. Afastou-se do Senhor e perdeu
mostra isso: “Quero trazer à memó- a sua proteção.
ria o que me pode dar esperança.
4. Muitos são infelizes, porque o
As misericórdias do Senhor são a
lugar de Deus em sua vida é ocu-
causa de não sermos consumidos,
pado por valores secundários. Mas
porque as suas misericórdias não
ainda há tempo de se voltar para o
têm fim; renovam-se a cada manhã.
Senhor. Ainda há esperança.
Grande é a tua fidelidade”.
O profeta declara que é melhor
pensar no que traz esperança. Ago-
ra, diz ele, nossa esperança é a mi- Leitura Diária
sericórdia do Senhor. Ele confia em
que Deus terá ainda misericórdia do SEG Lamentações 3.1-7
seu povo. O sofrimento do povo era TER Lamentações 3.8-11
consequência do seu pecado, pois QUA Lamentações 3.12-16
se tratava de um castigo, por isso
não havia do que se queixar; havia, QUI Lamentações 3.17-26
sim, o que ser mudado, porque o SEX Lamentações 3.27-31
Senhor não castiga de bom grado
SÁB Lamentações 3.32-36
(3.33). Se não reconhecermos nos-
sas transgressões, não seremos ca- DOM Lamentações 3.37-39

73

Você também pode gostar