Você está na página 1de 1

Avaliação - Disciplina: Instrumentos de Gestão Urbana

Professores: Rodrigo Lira e Ana Paula Arruda


Data: 11/05/2016

Instruções:
- O aluno deverá escolher duas questões das três disponíveis;
- Cada questão vale 3 pontos;
- Limite de duas laudas por resposta.

Questão 1:

“O Plano Diretor, nos termos dados pela Constituicao Federal e pelo Estatuto da Cidade, é peça chave para o enfrentamento
dos problemas urbanos, contribuindo para a minimizacao do quadro de desigualdade instalado, quando elaborado e
implementado de forma eficaz.”. O trecho citado foi retirado da publicação do Observatório das Metrópoles (2011) que
promove um balanço dos Planos Diretores pós-estatuto da Cidade. Desta forma, disserte sobre esta questão apontando os
problemas urbanos e as desigualdades mencionadas e deixando claro o papel do Plano Diretor para este enfrentamento e as
dificuldades de fazê-lo valer.

Questão 2:

Prefeitura de SP poderia obter terreno do parque Augusta sem uso de verbas

Do UOL, em São Paulo - 10/02/2015

Prefeitura de São Paulo diz não ter recursos para desapropriar o terreno do parque Augusta, mas especialistas afirmam que a
administração municipal poderia obter a área situada na região central da capital paulista sem gastar nada.
"Para que dar R$ 100 milhões pelo terreno se podemos ter o terreno sem ter de dar R$ 100 milhões?", questiona a urbanista
Raquel Rolnik, professora da USP (Universidade de São Paulo) e ex-relatora especial do Conselho de Direitos Humanos da ONU
para o Direito à Moradia Adequada.

O trecho acima, extraído de uma notícia do portal UOL, relata a possibilidade de aplicação de um instrumento de gestão urbana
por parte da prefeitura para benefício da sociedade. Desta forma, disserte sobre esta questão deixando claro qual seria o
instrumento proposto, as possíveis vantagens para a cidade quando bem aplicado e as possibilidades de desvios na aplicação
do mesmo. Dê exemplos.

Questão 3:

“O urbanismo brasileiro (entendido aqui como planejamento e regulação urbanística) não tem comprometimento com a
realidade concreta, mas com uma ordem que diz respeito a uma parte da cidade, apenas. Podemos dizer que se trata de ideias
fora do lugar [...] Para a cidade ilegal não há planos, nem ordem. Aliás ela não é conhecida em suas dimensões e características.
Trata-se de um lugar fora das ideias.”
(MARICATO, 2000:122)

De acordo com Maricato (2000) e Penalva (2006), o urbanismo brasileiro passou por diversas fases e, a cada mudança
contextual, determinados atores protagonizaram sua elaboração e concretização. Disserte sobre pelo menos duas fases do
Planejamento Urbano e seu impacto na configuração das cidades brasileiras.

Você também pode gostar