Você está na página 1de 32

Caderno C1201

AVALIAÇÃO DIAGNÓSTICA
2° BIMESTRE
Língua Portuguesa e Matemática
3ª série do Ensino Médio
Nome do Aluno(a):

Orientações
 Você está recebendo um caderno com 52 questões.
 Você dispõe de 2 horas para responder a todas as questões.
 Leia com atenção cada questão antes de respondê-la.
 Cada questão tem uma única resposta correta.
 Em alguns textos, há, na margem esquerda, uma indicação com
a numeração de linhas.
 Ao terminar a prova, passe suas respostas para o Cartão de
Respostas, utilizando caneta esferográfica azul ou preta. Não
rasure seu Cartão de Respostas.
 Depois, passe suas respostas para folha de rascunho. Ela servirá
para você acompanhar as questões junto ao professor.

Boa prova!

2012
FOLHA DE TRANSCRIÇÃO

Caro(a) Aluno(a),

Após transcrever as respostas para o Cartão de Respostas, repasse todas as respostas


também para essa folha. Em outro momento, essa folha será utilizada para que seja
realizada a correção da prova junto ao seu professor.

Língua Portuguesa e Matemática


Ensino Médio

01: A B C D E 14: A B C D E 27: A B C D E 40: A B C D E


02: A B C D E 15: A B C D E 28: A B C D E 41: A B C D E
03: A B C D E 16: A B C D E 29: A B C D E 42: A B C D E
04: A B C D E 17: A B C D E 30: A B C D E 43: A B C D E
05: A B C D E 18: A B C D E 31: A B C D E 44: A B C D E
06: A B C D E 19: A B C D E 32: A B C D E 45: A B C D E
07: A B C D E 20: A B C D E 33: A B C D E 46: A B C D E
08: A B C D E 21: A B C D E 34: A B C D E 47: A B C D E
09: A B C D E 22: A B C D E 35: A B C D E 48: A B C D E
10: A B C D E 23: A B C D E 36: A B C D E 49: A B C D E
11: A B C D E 24: A B C D E 37: A B C D E 50: A B C D E
12: A B C D E 25: A B C D E 38: A B C D E 51: A B C D E
13: A B C D E 26: A B C D E 39: A B C D E 52: A B C D E
C1201

ATENÇÃO, ALUNO!

Agora, você vai responder a questões de Língua Portuguesa.

Leia os textos abaixo.

Texto 1 Texto 2
História natural Canção do dia de sempre

Meu filho agora Tão bom viver dia a dia...


ainda não completou três anos. A vida assim, jamais cansa...
O rosto dele é bonito e os seus olhos repõem
Viver tão só de momentos
Muita coisa da mãe dele e um pouco
Como estas nuvens no céu...
5 de minha mãe.
5 E só ganhar, toda a vida,
Sem alfabeto o sangue relata Inexperiência... esperança...
as formas de relatar: a carne desdobra a carne
mas penso: E a rosa louca dos ventos
que memória me pensará? Presa à copa do chapéu.

Nunca dês um nome a um rio:


10 Vejo meu filho respirando e absurdamente 10 Sempre é outro rio a passar.
imagino
como será a América Latina no futuro. Nada jamais continua,
Tudo vai recomeçar!
CACASO. Disponível em: <http://www.letraselivros.com.br/
index2.php?option=com_content&do_pdf=1&id=806>. Acesso E sem nenhuma lembrança
em: 12 dez. 2011. Das outras vezes perdidas,
15 Atiro a rosa do sonho
Nas tuas mãos distraídas...
QUINTANA, Mário. Disponível em: <http://
pensador.uol.com.br/cancao_do_dia_de_
sempre/>. Acesso em: 12 dez. 2011.
(P120345RJ_SUP)

Questão 01 P120345RJ

Nesses textos, o eu lírico demonstra preocupação com


A) a beleza do filho.
B) a destruição da natureza.
C) a passagem do tempo.
D) a perda da memória.
E) a região em que mora.

Questão 02 P120346RJ

No Texto 2, o trecho “Sempre é outro rio a passar.” (v. 10) sugere


A) angústia.
B) circularidade.
C) expectativa.
D) insatisfação.
E) mutação.
BL01P12
1
C1201

Leia novamente os textos "História natural" e "Canção do dia de sempre" para responder à questão abaixo.

Questão 03 P120347RJ

No Texto 2, o eu lírico mostra-se


A) angustiado.
B) cansado.
C) distraído.
D) esperançoso.
E) saudoso.

Leia o texto abaixo.

O medo do amor

Medo de amar? Parece absurdo, com tantos outros medos que temos que enfrentar:
medo da violência, medo da inadimplência, e a não menos temida solidão, que é o que
nos faz buscar relacionamentos. Mas absurdo ou não, o medo de amar se instala entre as
nossas vértebras e a gente sabe por quê.
5 O amor, tão nobre, tão denso, tão intenso, acaba. Rasga a gente por dentro, faz um corte
profundo que vai do peito até a virilha, o amor se encerra bruscamente porque de repente
uma terceira pessoa surgiu ou simplesmente porque não há mais interesse ou atração, sei
lá, vá saber o que interrompe um sentimento, é mistério indecifrável. Mas o amor termina,
mal-agradecido, termina, e termina só de um lado, nunca se encerra em dois corações
10 ao mesmo tempo, desacelera um antes do outro, e vai um pouco de dor pra cada canto.
Dói em quem tomou a iniciativa de romper, porque romper não é fácil, quebrar rotinas é
sempre traumático. Além do amor existe a amizade que permanece e a presença com que
se acostuma, romper um amor não é bobagem, é fato de grande responsabilidade, é uma
ferida que se abre no corpo do outro, no afeto do outro, e em si próprio, ainda que com
15 menos gravidade.
E ter o amor rejeitado, nem se fala, é fratura exposta, definhamos em público, encolhemos
a alma, [...]. Sem o amor, nada resta, a crença se desfaz, o romantismo perde o sentido,
músicas idiotas nos fazem chorar dentro do carro.
Passa a dor do amor, vem a trégua, o coração limpo de novo, os olhos novamente secos,
20 a boca vazia. Nada de bom está acontecendo, mas também nada de ruim. Um novo amor?
Nem pensar. Medo, respondemos.
Que corajosos somos nós, que apesar de um medo tão justificado, amamos outra vez e
todas as vezes que o amor nos chama, fingindo um pouco de resistência, mas sabendo que
para sempre é impossível recusá-lo.
MEDEIROS, Martha. Disponível em: <http://www.patriciaximenes.com/2010/11/o-medo-do-amor-martha-medeiros.html>.
Acesso em: 26 set. 2011. (P120348RJ_SUP)

Questão 04 P120352RJ

Segundo esse texto, o amor pode acabar, porque


A) falta coragem para as pessoas amarem novamente.
B) há a superação de todos os medos.
C) há rejeição da pessoa amada.
D) rasga as pessoas por dentro.
E) surge uma terceira pessoa no relacionamento.

BL01P12
2
C1201

Leia novamente o texto "O medo do amor" para responder às questões abaixo.

Questão 05 P120348RJ

Por suas características, esse texto pertence ao gênero


A) artigo de opinião.
B) crônica.
C) diário íntimo.
D) relato.
E) reportagem.

Questão 06 P120349RJ

No trecho “... para sempre é impossível recusá-lo.” (ℓ. 24), o pronome destacado refere-se a
A) romantismo.
B) sentido.
C) coração.
D) medo.
E) amor.

Questão 07 P120351RJ

Nesse texto, o trecho que apresenta um fato é:


A) “... o medo de amar se instala entre as nossas vértebras e a gente sabe por quê.”. (ℓ. 3-4)
B) “... sei lá, vá saber o que interrompe um sentimento, é mistério indecifrável.”. (ℓ. 7-8)
C) “... romper não é fácil, quebrar rotinas é sempre traumático.”. (ℓ. 11-12)
D) “E ter o amor rejeitado, nem se fala, é fratura exposta,...”. (ℓ. 16)
E) “Que corajosos somos nós, que apesar de um medo tão justificado,...”. (ℓ. 22)

Questão 08 P120350RJ

No trecho “Mas absurdo ou não,...” (ℓ. 3), o termo destacado exprime circunstância de
A) alternância.
B) conclusão.
C) explicação.
D) finalidade.
E) oposição.

BL01P12
3
C1201

Leia o texto abaixo.

CASTRO, E. M. de Melo. Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/fichaTecnicaAula.html?aula=27764>. Acesso em: 3 dez. 2011.


(P120353RJ_SUP)

Questão 09 P120353RJ

Esse texto insere-se na estética Concretista, principalmente, por apresentar


A) decomposição das palavras.
B) exploração semântica dos vocábulos.
C) presença de termos estrangeiros.
D) uso de neologismos.
E) utilização de rimas.

Questão 10 P120354RJ

Nesse texto, a disposição das letras transmite ideia de


A) entusiasmo.
B) harmonia.
C) liberdade.
D) movimento.
E) sonoridade.

BL01P12
4
C1201

Leia o texto abaixo.

Progredir ou preservar: uma questão de opinião

Cidade pacífica, localizada no noroeste fluminense, habitada por gente humilde e


acolhedora, esta é Itaocara, também conhecida como “Princesinha do Paraíba”. A vida
por aqui é tranquila, crianças brincam pelas ruas, idosos batem papo nas praças, tudo
típico de uma pacata cidade do interior. Mas uma polêmica vem ganhando a atenção
5 dos itaocarenses: a construção de uma usina hidrelétrica no Rio Paraíba do Sul, entre as
localidades de Porto Marinho e Batatal, o que poderá alterar toda essa harmonia, custo
muito alto para um progresso duvidoso.
Uma pesquisa realizada por alunos da Turma 2002 do CIEP 245 revelou que 56% dos
entrevistados são favoráveis à construção da barragem, 13% são contrários e 1% não
10 soube opinar, num total de 425 pessoas questionadas. Biólogos e pescadores do Projeto
Piabinha fazem frente ao empreendimento, alegando que o impacto ambiental causado
pelo alagamento da região é irreversível. Na opinião do secretário municipal de Meio
Ambiente, [...], o projeto de construção necessita de mais estudos de minimização dos
impactos porque, embora a área alagada seja grande, precisamos do progresso.
15 Diante de todos esses fatos, sou contra a implantação da usina porque, em tempos de
aquecimento global e poluição desordenada, não podemos virar as costas para o nosso meio
ambiente, representado por uma fauna e flora riquíssimas. São 186 espécies de vegetais
e inúmeros animais, seis deles – lagosta-de-são-fidélis, piabanha, surumbim-do-paraíba,
cascudo-barbudo, cágado-do-paraíba e lontra – correm risco de extinção. Segundo o biólogo
20 Guilherme Souza, as escadas construídas próximo às represas para que os peixes desovem
rio acima não são eficazes, pois apenas 0,01% deles conseguem transpô-las.
O progresso não pode nos levar a um futuro de fome e miséria.
Oponho-me também à ideia adotada pelo povo de que a usina gerará muitos empregos.
Dados divulgados pelo Projeto Piabanha indicam que os empregos gerados pela pesca, cerca
25 de 1.200, superam os que serão criados na barragem, no máximo 80. Além disso, a receita
obtida pela atividade pesqueira supera os royalties oferecidos pela companhia ao município.
Sei que Itaocara precisa arregaçar as mangas para progredir e que tudo tem seu preço,
no entanto, a “Princesinha do Paraíba” deve estar sempre de braços abertos e louvar o que
sempre teve de melhor: a vida!
SILVA JÚNIOR, Elson de Souza. In: Olimpíada de Língua Portuguesa: escrevendo o futuro. Ministério da Educação e Fundação Itaú Social,
2008. p. 58. *Adaptado: Reforma Ortográfica. (P120355RJ_SUP)

Questão 11 P120355RJ

Qual é a ideia defendida pelo autor desse texto?


A) A construção da hidrelétrica contribuirá para a degradação do meio ambiente.
B) A harmonia da cidade será afetada pela construção da usina hidrelétrica.
C) A implantação da usina hidrelétrica será prejudicial para a cidade de Itaocara.
D) Os moradores de Itaocara precisam tomar partido sobre a construção da usina.
E) Os recursos para amenizar os impactos ambientais gerados pela obra são ineficazes.

BL01P12
5
C1201

Leia novamente o texto "Progredir ou preservar: uma questão de opinião" para responder às
questões abaixo.

Questão 12 P120357RJ

Em relação à construção da usina hidrelétrica, o autor mostra-se


A) controverso.
B) duvidoso.
C) esperançoso.
D) favorável.
E) preocupado.

Questão 13 P120356RJ

No segundo parágrafo desse texto, para conferir autoridade ao seu discurso, o autor faz uso de
A) descrições da cidade e da obra da usina.
B) enumeração de causas e efeitos.
C) opiniões de especialistas e dados estatísticos.
D) referência a fatos históricos.
E) relatos de experiências pessoais.

BL01P12
6
C1201

ATENÇÃO, ALUNO!

Agora, você vai responder a questões de Matemática.

Questão 14 M110060D3

Em um estado brasileiro todas as escolas da rede estadual seguem um calendário único. O gráfico abaixo
mostra o número de dias letivos de cada mês do ano de 2011 nesse estado.

Quantos dias letivos esse estado teve durante o ano de 2011?


A) 118
B) 124
C) 189
D) 192
E) 203

Questão 15 M110031D3

Josiane anotou o tempo que dormiu de segunda a sábado em uma determinada semana. Ela registrou
que dormiu 7 horas na segunda-feira; 8,5 horas na terça-feira; 6,5 horas na quarta-feira; 6 horas na
quinta-feira; 5 horas na sexta-feira e 6 horas no sábado.
Em média, quantas horas Josiane dormiu diariamente, nesses dias registrados por ela?
A) 6,50
B) 6,25
C) 6,00
D) 5,50
E) 4,50

BL01M12
7
C1201

Questão 16 M121014RJ

Observe abaixo a reta numérica desenhada por Luciana. Ela dividiu essa reta em segmentos congruentes
e marcou sobre ela vários pontos.

R Q P S T U V

Entre quais pontos se localiza o número racional – 2,7?


A) P e Q.
B) P e S.
C) Q e R.
D) S e T.
E) U e V.

Questão 17 M120494D3

Felipe separou 10 livros de acordo com o assunto. Desses livros, 4 são de Matemática, 2 de Língua
Portuguesa e 4 de História.
De quantas maneiras diferentes Felipe pode arrumar esses livros numa estante, de forma que livros do
mesmo assunto fiquem lado a lado?
A) 32
B) 56
C) 96
D) 1 152
E) 6 912

BL01M12
8
C1201

Questão 18 M121016RJ

Uma loja de automóveis classificou os veículos de seu estoque de acordo com o tipo de combustível
utilizado no motor: álcool, gasolina, diesel, bicombustível. A tabela abaixo apresenta o número de
automóveis classificados por essa loja em um determinado mês.

Tipo de Combustível
Número de veículos
utilizado no motor
Álcool 9
Óleo diesel 21
Gasolina 15
Bicombustível 5

O gráfico que melhor representa os dados apresentados nessa tabela é


A) Quantidade de automóveis em estoque por B) Quantidade de automóveis em estoque por
tipo de combustível tipo de combustível

álcool álcool

óleo diesel óleo diesel

gasolina gasolina
bicombustível bicombustível

C) Quantidade de automóveis em estoque por D) Quantidade de automóveis em estoque por


tipo de combustível tipo de combustível

álcool álcool
óleo diesel óleo diesel
gasolina gasolina
bicombustível bicombustível

E) Quantidade de automóveis em estoque por


tipo de combustível

álcool
óleo diesel

gasolina
bicombustível

BL01M12
9
C1201

Questão 19 M121007RJ

No quadro abaixo está registrado a distribuição do número de pessoas presentes em cada uma das
15 apresentações de uma peça de teatro.

29 31 22 44 50 22 26 25 27 30 31 18 55 20 20

Qual é a mediana dessa distribuição?


A) 18
B) 25
C) 27
D) 30
E) 55

Questão 20 M121015RJ

Observe os números reais apresentados no quadro abaixo.

3 7
2 2, , 3 2, , 15
5 9

Qual é a ordem crescente desses números?


3, 7, 2 2, 15 , 3 2
A)
5 9
7, 15 , 3 , 3 2 , 2 2
B)
9 5
7, 3, 2 2, 15 , 3 2
C)
9 5
3 15 , 7
D) 2 2 , 3 2 , ,
5 9

E) 3 2 , 15 , 2 2 , 7 , 3
9 5

BL01M12
10
C1201

Questão 21 M121011RJ

Observe no desenho abaixo a representação de um leito hospitalar, cuja cabeceira foi erguida a um
ângulo de 30°.

Dado:

1
sen 300 = 2
º

3
cos 300 = 2

3
tg 300 = 3

Qual é a medida x da distância entre o ponto mais alto da cabeceira e o leito?


A) 96 cm
B) 48 3 cm
C) 24 3 cm
D) 16 3 cm
E) 24 cm

Questão 22 M121018RJ

O gerente do setor de vendas de uma sapataria sorteou um de seus vendedores para participar de uma feira
municipal de divulgação de negócios. Sabe-se que a probabilidade de ele ter sorteado uma mulher é de 3 .
8
Qual é a probabilidade desse gerente ter sorteado um homem para participar dessa feira?
3
A)
8
3
B)
5
5
C)
8
5
D)
3
8
E)
3

Questão 23 M121009RJ

Uma comissão de 8 membros foi nomeada pela prefeitura para analisar a ocupação do solo em um
município. Entre esses 8 membros devem ser escolhidos um presidente, um vice-presidente e um relator
para a comissão.
De quantas maneiras distintas essas escolhas podem ser feitas?
A) 24
B) 48
C) 56
D) 336
BL01M12
E) 360 11
C1201

Questão 24 M110092A9

A taxa de fecundidade é o número médio de filhos que uma mulher tem ao final de sua idade reprodutiva.
O gráfico a seguir mostra a taxa de fecundidade das mulheres no Brasil de 1940 a 2000.

Taxa de fecundidade no Brasil - 1940/2000

7
6,2 6,2 6,3
5,8
6

5 4,4
4
2,9
3
2,3
2

0
1940 1950 1960 1970 1980 1991 2000
Fonte: Censo Demográfico 2000, Fecundidade e Mortalidade Infantil, Resultados Preliminares da Amostra. IBGE, 2002.

A tabela que representa os dados contidos nesse gráfico é


A)
Taxa de fecundidade no Brasil – 1940/2000
Ano 1940 1950 1960 1970 1980 1991 2000
Número médio de filhos por
2,3 2,9 4,4 5,8 6,3 6,2 6,2
mulher brasileira
B)
Taxa de fecundidade no Brasil – 1940/2000
Ano 1940 1950 1960 1970 1980 1991 2000
Número médio de filhos por
6,2 6,2 6,3 5,8 4,4 2,9 2,3
mulher brasileira
C)
Taxa de fecundidade no Brasil – 1940/2000
Ano 1940 1950 1960 1970 1980 1991 2000
Número médio de filhos por
6,3 6,2 6,2 5,8 4,4 2,9 2,3
mulher brasileira
D)
Taxa de fecundidade no Brasil – 1940/2000
Ano 1940 1950 1960 1970 1980 1991 2000
Número médio de filhos por
6,2 6,3 6,2 5,8 4,4 2,9 2,3
mulher brasileira
E)
Taxa de fecundidade no Brasil – 1940/2000
Ano 1940 1950 1960 1970 1980 1991 2000
Número médio de filhos por
2,3 2,9 4,4 5,8 6,2 6,2 6,3
mulher brasileira

BL01M12
12
C1201

Questão 25 M120876ES

Em uma propriedade rural, os tomates são colhidos e acondicionados em caixas com 80 tomates cada uma.
O dono da propriedade retirou, ao acaso, um tomate de uma caixa com 10 tomates estragados e 70 tomates
bons para consumo.
A probabilidade de esse tomate retirado estar bom para consumo é igual a
1
A)
80
1
B)
70
1
C)
10
1
D)
8
7
E)
8

Questão 26 M110090A9

Carlos tem um fábrica de embalagens. Observe abaixo o desenho de uma embalagem em forma de
prisma triangular reto, criada por Carlos para uma fábrica de chocolates caseiros.

45 c
m

cmm
195 c
5
6 cm

Para caber nessas embalagens, qual deve ser, no máximo, a medida do volume desse chocolate?
A) 192 cm3
B) 180 cm3
C) 150 cm3
D) 90 cm3
E) 24 cm3

BL01M12
13
C1201

ATENÇÃO, ALUNO!
Agora, você vai responder a questões de Língua Portuguesa.

Leia os textos abaixo.


Texto 1
Internet ameaçada: as inúmeras investidas para controlar a rede mundial
Vivemos uma onda mundial de tentativa de controle sobre a internet. Para entender
como a liberdade e os direitos civis na rede estão ameaçados, é preciso conhecer quem
e quais são os interesses das grandes corporações do capitalismo global que atuam na
rede. O primeiro bloco, e talvez o pior, avalia-se, é o da indústria do copyright, referente
5 aos direitos autorais das indústrias fonográfica, cinematográfica e das grandes editoras,
explica o sociólogo Sérgio Amadeu, representante da sociedade civil no Comitê Gestor da
Internet e professor da Universidade Federal do ABC. “Elas [as indústrias] querem evitar o
compartilhamento de arquivos digitais numa rede que é basicamente de compartilhamento.
Ou seja, adoram as novidades tecnológicas, mas odeiam o que as pessoas podem fazer
10 com elas”, explica.
[...] a indústria do copyright tenta impor legislações que legalizem a vigilância e o grampo
na internet, “com quebra de privacidade e criminalização das práticas de compartilhamento”,
explica Marcelo Branco, da Associação Software Livre.org. “Os exemplos são as legislações
Pipa, Sopa e Acta – que é a lei mãe de todas –, e, no Brasil, a lei do cybercrimes [...]”,
15 aponta. “As indústrias fonográfica e cinematográfica estão tentando transformar a internet
num espaço legalmente vigiado; os indivíduos da rede terão a privacidade quebrada sem
nenhum mandado judicial”.
MERLINO, Tatiana. Caros Amigos. ed. 180. Disponível em: <http://carosamigos.terra.com.br/index2/index.php/component/
content/article/165-edicao-180/2631-internet-ameacada-as-inumeras-investidas-para-controlar-a-rede-mundial>. Acesso em:
15 abr. 2012. Fragmento.

Texto 2
G8 discute regulação e controle da internet
SÃO PAULO – O primeiro dia de debates do e-G8, evento que reúne representantes
das oito maiores economias do mundo, países emergentes e executivos de empresas de
tecnologia, concentrou as discussões em torno da liberdade de uso da internet no mundo.
Sediado em Paris, o e-G8 foi aberto pelo presidente francês, Nicolas Sarkozy, na tarde
5 de hoje. Além de chefes de Estado, executivos como o conselheiro do Google, Eric Schmidt,
o CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, e representantes de companhias como Twitter e
Wikipedia participam das discussões.
Todas as conclusões e propostas dos dois dias do encontro eletrônico serão apresentadas
ao G8 tradicional, a reunião dos governantes dos Estados Unidos, Japão, Inglaterra,
10 França, Itália, Canadá, Alemanha e Rússia, que acontecerá nos dias 26 e 27 deste mês, no
balneário francês de Deauville. [...]
De acordo com analistas, é de grande interesse das companhias do Vale do Silício que
os governantes entendam que uma internet moderada será obstáculo para a inovação.
[...] O presidente francês é conhecido por defender e criar severas leis para garantir os
15 direitos de copyright na internet. Os debates podem ser acompanhados ao vivo pela página
do evento no Facebook.
LEMOS, Aline Monteiro. Info. Exame. Disponível em: <http://info.abril.com.br/noticias/mercado/g8-discute-regulacao-e-
controle-da-internet-24052011-43.shl>. Acesso em: 24 maio 2011.
(P120358RJ_SUP)
BL02P12
14
C1201

Questão 27 P120358RJ

Sobre o controle da internet, Sérgio Amadeu e Nicolas Sarkozy apresentam posicionamentos


A) complementares.
B) conservadores.
C) contrários.
D) idênticos.
E) inconsistentes.

Questão 28 P120359RJ

No Texto 1, no trecho “Para entender como a liberdade e os direitos civis na rede estão ameaçados,...” (ℓ. 1-2),
foi empregada a linguagem
A) científica
B) coloquial.
C) jornalística.
D) padrão.
E) regional.

Questão 29 P120360RJ

De acordo com o Texto 1, a indústria do copyright é


A) criadora da legislação de vigilância.
B) detentora dos direitos autorais.
C) formada por grupos de países emergentes.
D) gestora do comitê da internet.
E) rede de compartilhamento de arquivos.

Questão 30 P120361RJ

No Texto 1, há presença de ironia no trecho:


A) “Vivemos uma onda mundial de tentativa de controle sobre a internet.”. (ℓ. 1)
B) “Para entender como a liberdade e os direitos civis na rede estão ameaçados,...”. (ℓ. 1-2)
C) “O primeiro bloco, e talvez o pior, avalia-se, é o da indústria do copyright,...”. (ℓ. 4)
D) “‘... adoram as novidades tecnológicas, mas odeiam o que as pessoas podem fazer com elas’,...”. (ℓ. 9-10)
E) “‘As indústrias fonográfica e cinematográfica estão tentando transformar a internet num espaço
legalmente vigiado;...’”. (ℓ. 15-16)

Questão 31 P120362RJ

Qual é o argumento que sustenta a tese defendida pelo autor do Texto 1?


A) A recusa das indústrias de compartilhar material pela internet.
B) A tentativa judicial de controle da internet no mundo.
C) As novidades tecnológicas facilitam o compartilhamento de dados.
D) O capitalismo global ameaça a segurança da rede mundial.
E) Os interesses das grandes corporações devem ser conhecidos.

Questão 32 P120363RJ

Qual é a informação principal do Texto 2?


A) A abertura dos debates do e-G8 pelo presidente francês.
B) A apresentação das propostas do e-G8 no G8 tradicional.
C) A liberdade de uso da internet discutida no e-G8.
D) A participação de países emergentes nos debates do e-G8.
E) A possibilidade de acompanhamento do e-G8 pelo Facebook.
BL02P12
15
C1201

Leia o texto abaixo.

Múltipla escolha

Os homens primitivos não filosofavam: inventavam deuses. Depois tentavam aplacar com
sacrifícios esses chamados mitos, que tinham criado para explicar o enigma das forças da
natureza, nascimento e morte. Nós, ditos modernos, se já não cultuamos esses mitos arcaicos
(a ciência tirou o véu de mistério da maioria deles), inventamos novos, não menos poderosos.
5 Se não os enfrentarmos, todo dia ao acordar estaremos homenageando com uma mesura o
seu desejo de sangue e tempo: o sangue da nossa alma e o tempo da nossa vida.
Eles pairam como figuras emblemáticas na paisagem do que chamamos “cultura”, que,
no sentido aqui assumido, é esse caldo em que estamos mergulhados, do qual somos
produtores e produtos, que nos forma e que influenciamos. Ela nos envia mensagens óbvias
10 ou subliminares, que têm a ver com nossos usos, costumes, história e histórias, tragédias
e anedotas, modelos bons ou impossíveis, ordens e contraordens. Assim se determina o
nosso caminho de indivíduos, cidadãos, grupos maiores e menores, sociedades enfim. [...]
Mas conceitos podem ser infundados, enganosos. Conceitos são as roupagens dos
valores ou a careta dos preconceitos, portinhas que dão para lugar nenhum, ou paisagens
15 desenhadas por algum grande gozador que nos quis pregar uma peça. Às vezes caímos nela.
Vidas inteiras se guiam por alguns deles, e só o velho bom-senso e o arcaico instinto nos
ajudam a escapar e a escolher.
Na verdade estamos pouco exigentes. [...]
Mas se almejamos algum tipo de liberdade – seja o que for que isso queira dizer para
20 cada um –, é preciso arriscar: trazer esses nossos enganos até o chão da realidade, remover
suas máscaras e sua mística, e escolher, com audácia se for preciso, que portas vamos
abrir ou ignorar.
LUFT, Lya. Múltipla escolha. São Paulo: Record, 2010. Fragmento. (P120364RJ_SUP)

Questão 33 P120364RJ

A finalidade desse texto é


A) debater os mitos desvendados pela ciência.
B) descrever a evolução humana.
C) explicar o significado do termo cultura.
D) fazer uma reflexão de ordem filosófica.
E) transmitir conselhos sobre a vida.

Questão 34 P120365RJ

No trecho “... do que chamamos ‘cultura’,...” (ℓ. 7), as aspas foram empregadas para
A) ressaltar uma inadequação.
B) nomear um conceito.
C) marcar um coloquialismo.
D) destacar um estrangeirismo.
E) assinalar uma ironia.

BL02P12
16
C1201

Leia o texto abaixo.


Cafezinho
Leio a reclamação de um repórter irritado que precisava falar com um delegado e lhe
disseram que o homem havia ido tomar um cafezinho. Ele esperou longamente, e chegou
à conclusão de que o funcionário passou o dia inteiro tomando café. 
Tinha razão o rapaz de ficar zangado. Mas com um pouco de imaginação e bom humor
5 podemos pensar que uma das delícias do gênio carioca é exatamente esta frase: 
A vida é triste e complicada. Diariamente é preciso falar com um número excessivo de
pessoas. O remédio é ir tomar um “cafezinho”. Para quem espera nervosamente, esse
“cafezinho” é qualquer coisa infinita e torturante. Depois de esperar duas ou três horas dá
vontade de dizer:
10 – Bem cavaleiro, eu me retiro. Naturalmente o Sr. Bonifácio morreu afogado no cafezinho.
Ah, sim, mergulhemos de corpo e alma no cafezinho. Sim, deixemos em todos os lugares
este recado simples e vago:
– Ele saiu para tomar um café e disse que volta já.
Quando a Bem-amada vier com seus olhos tristes e perguntar:
15 – Ele está? – alguém dará o nosso recado sem endereço. Quando vier o amigo e quando
vier o credor, e quando vier o parente, e quando vier a tristeza, e quando a morte vier, o
recado será o mesmo:
– Ele disse que ia tomar um cafezinho...
Podemos, ainda, deixar o chapéu. Devemos até comprar um chapéu especialmente para
20 deixá-lo. Assim dirão:
– Ele foi tomar um café. Com certeza volta logo. O chapéu dele está aí...
Ah! Fujamos assim, sem drama, sem tristeza, fujamos assim. A vida é complicada demais.
Gastamos muito pensamento, muito sentimento, muita palavra. O melhor é não estar.
Quando vier a grande hora de nosso destino nós teremos saído há uns cinco minutos
25 para tomar um café. Vamos, vamos tomar um cafezinho.
BRAGA, Rubem. In: O conde e o passarinho & Morro do isolamento. Rio de Janeiro: Record, 2002. p. 156-157. (P120366RJ_SUP)

Questão 35 P120366RJ

Quem é o narrador desse texto?


A) O delegado.
B) O repórter.
C) Um observador distante dos fatos.
D) Uma pessoa que ouviu a história de terceiros.
E) Uma pessoa que recebeu a história escrita.

Questão 36 P120367RJ

Nesse texto, há um exagero de ideias no trecho:


A) “... é preciso falar com um número excessivo de pessoas.”. (ℓ. 6-7)
B) “... Sr. Bonifácio morreu afogado no cafezinho.”. (ℓ. 10)
C) “Fujamos assim, sem drama, sem tristeza, fujamos assim.”. (ℓ. 22)
D) “Quando vier a grande hora de nosso destino...”. (ℓ. 24)
E) “Vamos, vamos tomar um cafezinho.”. (ℓ. 25)

Questão 37 P120368RJ

O termo em destaque no trecho “Para quem espera nervosamente, esse ‘cafezinho’...” (ℓ. 7-8) expressa
uma ideia de
A) intensidade.
B) lugar.
C) modo.
D) ordem.
E) tempo. BL02P12
17
C1201

Leia o texto abaixo.

Audiência da palavra

O impacto da TV na linguagem cotidiana dá muito o que falar. Nem te conto. Não é mais
papo de vizinha aderir a uma novela, [...] e nenhum torcedor liga muito para as mudanças
de regras esportivas feitas para atender aos caprichos da televisão.
Não percebemos, mas a TV nos garante um fornecimento diário de influências sobre a língua.
5 Com a TV, nossa linguagem se atualiza e se renova, mas também se pasteuriza. Sotaques
são padronizados e reproduzidos, bordões viram moeda de troca de audiência, formas de
comunicar se encaixam em parâmetros palatáveis à transmissão por satélite e cabo. [...]
Turbinada pela mídia e pelos novos aparatos da ciência e da tecnologia, a linguagem
avança e, com ela, é testada a própria autonomia dos falantes do português. [...]
10 Os brasileiros são tão familiarizados com TV que não é possível mais traçar cenários
apocalípticos que pintem céus e infernos do veículo. Mas não custa apontar alguns
momentos em que sua influência se legitima e prolifera. Porque ingenuidade dá ibope,
saber um pouquinho mais sobre ela antes mesmo de ligá-la pode fazer diferença.
PEREIRA JUNIOR, Luiz Costa. Carta ao leitor. Língua Portuguesa, ano I, n. 4, 2006, p. 6. Fragmento. (P120369RJ_SUP)

Questão 38 P120369RJ

Qual é o assunto desse texto?


A) A autonomia dos falantes da Língua Portuguesa.
B) A influência da televisão na forma de falar das pessoas.
C) A ingenuidade das pessoas ao escolher programas de TV.
D) O descaso dos torcedores com as regras esportivas.
E) O hábito das pessoas de reproduzir sotaques.

Questão 39 P120370RJ

No trecho “O impacto da TV na linguagem cotidiana dá muito o que falar.” (ℓ. 1), a expressão destacada
quer dizer o mesmo que
A) alterar o tom da voz.
B) falar coisas difíceis.
C) falar sem interrupção.
D) gerar muitas discussões.
E) usar muitas gírias.

BL02P12
18
C1201

ATENÇÃO, ALUNO!

Agora, você vai responder a questões de Matemática.

Questão 40 M121017RJ

A treinadora de um time de futebol feminino apresentou em um gráfico, a velocidade média, em km/h,


atingida pela bola quando chutada da marca de pênalti por suas melhores jogadoras. Veja o gráfico abaixo.

Jogadoras

A tabela que melhor representa os dados desse gráfico é


A) Velocidade média B) Velocidade média
Jogadora Jogadora
da bola em km/h da bola em km/h
Áurea 70 Áurea 85
Cleide 80 Cleide 80
Luana 75 Luana 70
Lúcia 85 Lúcia 75
Paola 65 Paola 65

C) Velocidade média D) Velocidade média


Jogadora Jogadora
da bola em km/h da bola em km/h
Áurea 65 Áurea 80
Cleide 70 Cleide 70
Luana 75 Luana 85
Lúcia 80 Lúcia 65
Paola 85 Paola 75

E) Velocidade média
Jogadora
da bola em km/h
Áurea 75
Cleide 65
Luana 85
Lúcia 70
Paola 80
BL02M12
19
C1201

Questão 41 M121019RJ

Uma empresa fez uma pesquisa para saber o número de filhos de cada um de seus 15 funcionários.
Observe no quadro abaixo as respostas dadas por esses funcionários.

1 1 0 2 0 1 2 0 0 1 0 4 2 2 4

Qual é a moda das respostas apresentadas por esses funcionários?


A) 0
B) 1
C) 2
D) 4
E) 5

Questão 42 M121013RJ

Antes de promover uma excursão para uma gincana, um professor fez uma pesquisa na classe para
saber a qual partida, dentre 4 esportes, os alunos gostariam de assistir. Na tabela abaixo está registrado
o resultado obtido nessa pesquisa da qual todos os alunos da classe participaram e cada um deu uma
única resposta ao ser consultado.

Esporte Número de alunos


Basquete 9
Futebol de salão 14
Tênis 12
Voleibol 9

Quantos alunos estudam nessa classe?


A) 26
B) 35
C) 44
D) 140
E) 176

Questão 43 M110032D3

De acordo com o Censo, em 2010, viviam em Vitória 35 mulheres e 8 homens com 100 ou mais anos de idade.
Qual era, aproximadamente, a porcentagem de mulheres na população com 100 ou mais anos de idade,
em Vitória, no ano de 2010?
A) 19
B) 27
C) 35
D) 63
E) 81

BL02M12
20
C1201

Questão 44 M121008RJ

Foi feita uma pesquisa entre os alunos da 3a série de uma escola para saber quantas vezes eles haviam
viajado no ano anterior. As respostas obtidas estão representadas no gráfico abaixo.

Quantas viagens você fez?

25

20
Número de alunos

15

10

0 1 2 3 4 5
Número de viagens

Quantos desses alunos viajaram mais de 3 vezes no ano anterior?


A) 15
B) 20
C) 35
D) 45
E) 50

Questão 45 M100144C2

Rafaela efetuou o pagamento de uma prestação, cujo valor era de R$ 140,00 com um atraso de 12 dias.
A taxa de juros, no regime de capitalização simples, praticada pela loja é de 0,2% ao dia.
Qual foi o valor pago por Rafaela?
A) R$ 142,40
B) R$ 143,36
C) R$ 173,60
D) R$ 336,00
E) R$ 476,00

BL02M12
21
C1201

Questão 46 M120894ES

Sérgio possui uma caixa com 70 varetas coloridas. Desse total, 40 são amarelas, 20 são vermelhas e
10, verdes. Sérgio retirou uma vareta da caixa aleatoriamente.
Qual é a probabilidade da vareta retirada por Sérgio ser verde ou vermelha?
1
A)
7
2
B)
7
3
C)
7
4
D)
7
3
E)
4

Questão 47 M121012RJ

Uma escada rolante de 12 m de comprimento é usada para ligar o primeiro ao segundo piso de uma loja
de departamentos como representado no desenho abaixo.

Dado:

1
sen 300 = 2

3
h cos 300 = 2

3
30º tg 300 = 3

Qual é, em metros, a medida h da altura do primeiro piso dessa loja?


A) 6
B) 4 3
C) 6 3
D) 12 3
E) 24

BL02M12
22
C1201

Questão 48 M120861ES

Laura foi a uma festa de formatura. Ela possui 3 vestidos, 5 sandálias e 3 colares e, entre eles, escolheu
ao acaso um vestido, uma sandália e um colar.
O número de conjuntos distintos que puderam ser formados combinando um vestido, uma sandália e um
colar para que Laura fizesse sua escolha foi igual a
A) 3
B) 10
C) 11
D) 45
E) 165

Questão 49 M121021RJ

O poliedro desenhado abaixo é um prisma pentagonal reto.

Qual é a planificação desse prisma?


A) B)

C) D)

E)

BL02M12
23
C1201

Questão 50 M121010RJ

Uma estagiária anotou o número de visitantes de uma biblioteca pública durante os quatro dias que acompanhou
os trabalhos nesse estabelecimento. O gráfico abaixo apresenta os resultados obtidos por essa estagiária.

5ª feira

4ª feira

3ª feira

2ª feira

0 10 20 30 40 50 60

Número de visitantes

Quantas pessoas visitaram a biblioteca no período observado por essa estagiária?


A) 45
B) 50
C) 90
D) 130
E) 180

Questão 51 M120870ES

Em um restaurante, o cliente escolhe um tipo de carne e mais 3 acompanhamentos para montar um prato.
Nesse restaurante há 15 tipos de acompanhamentos diferentes.
De quantas maneiras diferentes é possível escolher esses 3 acompanhamentos para montar um prato
nesse restaurante?
A) 15
B) 45
C) 455
D) 2 730
E) 3 375

Questão 52 M121020RJ

A reta numérica abaixo está dividida em segmentos de mesma medida. Sobre essa reta foram marcados
alguns pontos.

Qual é o ponto que melhor representa o número irracional 11 ?


A) P.
B) Q.
C) R.
D) S.
E) T. BL02M12
24