Você está na página 1de 13

2.

6 Equações Exatas e Fatores Integrantes


EXEMPLO 1 Resolva a equação diferencial

A equação não é linear nem separável. Entretanto, note que a


função ψ(x, y) = x2 + xy2 tem a propriedade

Portanto, a equação diferencial pode ser escrita como

Supondo que y é uma função de x e usando a regra da cadeia,


podemos escrever a expressão à esquerda do sinal de igualdade
na Eq. (3) como dψ(x, y)/dx. Então a Eq. (3) fica na forma

Integrando a Eq. (4), obtemos


em que c é uma constante arbitrária.
Uma equação diferencial

(6)
é EXATA se uma função ψ(x, y) tal que

(7)

e tal que ψ(x, y) = c define y = ϕ(x) implicitamente como uma função


diferenciável de x. Então

e a equação diferencial (6) fica


(8)

Soluções da Eq. (6), ou da equação equivalente (8), são dadas


implicitamente por ψ(x, y) = c em que c é uma constante arbitrária.
Teorema 2.6.1
Suponha que as funções M, N, My e Nx, em que os índices denotam
derivadas parciais, são contínuas em uma região retangular
R: α < x < β, γ < y < δ. Então a Eq. (6)
M(x, y) + N(x, y)y′ = 0
é uma equação diferencial exata em R se, e somente se,
(10)
em cada ponto de R. Ou seja, existe uma função ψ satisfazendo as Eqs.
(7),

se, e somente se, M e N satisfazem a Eq. (10).

Resolução
1. Integra em relação a x e obtem
ψ(x, y) =  M(x, y) dx + h(y).
2. Deriva a expressão acima e substitui em .
3. Solução ψ(x, y) = c.
EXEMPLO 2 Resolva a equação diferencial

M(x, y) N(x, y)
Teste – Equação (10) My = Nx ?
My = 1cos x + 2xey = cos x + 2xey
Nx = cos x + 2xey + 0 = cos x + 2xey
Portanto, as expressões são iguais e a ED é exata!

Resolução:
1. Integra em relação a x e obtém

𝜓 𝑥, 𝑦 = 𝑦 cos 𝑥 + 2𝑥𝑒 𝑦 𝑑𝑥 + ℎ 𝑦

𝜓 𝑥, 𝑦 = 𝑦 sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 + ℎ 𝑦 .
2. Deriva a expressão acima e substitui em

𝜕
𝑦 sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 + ℎ 𝑦 = sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 − 1
𝜕𝑦
sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 + ℎ′ (𝑦) = sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 − 1
ℎ′ 𝑦 = −1 ⇒ ℎ 𝑦 = −𝑦 + 𝐾

3. Solução: y(x, y)= c


𝑦 sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 − 𝑦 + 𝐾 = 𝑐
𝑦 sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 − 𝑦 = 𝐶
em que C = c – K.

EXEMPLO Resolva a equação diferencial


(2e2x+3y + ln y) + (3e2x+3y + x/y) y′ = 0.
M(x, y) N(x, y)
Teste – Equação (10) My = Nx ?
My = 3  2e2x+3y + 1/y = 6e2x+3y + 1/y
Nx = 2  3e2x+3y + 1/y = 6e2x+3y + 1/y
Portanto, as expressões são iguais e a ED é exata!
Resolução:
1. Integra em relação a x e obtém

𝜓 𝑥, 𝑦 = 2e2x+3y + ln y 𝑑𝑥 + ℎ 𝑦

𝜓 𝑥, 𝑦 = 𝑒 2𝑥+3𝑦 + 𝑥 ln 𝑦 + ℎ 𝑦 .
2. Deriva a expressão acima e substitui em
𝜕 2𝑥+3𝑦
𝑒 + 𝑥 ln 𝑦 + ℎ 𝑦 = sen 𝑥 + 𝑥 2 𝑒 𝑦 − 1
𝜕𝑦
3𝑒 2𝑥+3𝑦 + 𝑥/𝑦 + ℎ′ (𝑦) = 3𝑒 2𝑥+3𝑦 + 𝑥/𝑦
ℎ′ 𝑦 = 0 ⇒ ℎ 𝑦 = 𝐾
3. Solução: y(x, y)= c
𝑒 2𝑥+3𝑦 + 𝑥 ln 𝑦 + 𝐾 = 𝑐
𝑒 2𝑥+3𝑦 + 𝑥 ln 𝑦 = 𝐶
em que C = c – K.

Fatores Integrantes
Algumas vezes é possível converter uma equação diferencial que não é
exata em uma exata multiplicando-se a equação por um fator integrante
apropriado. Para investigar a possibilidade de usar essa ideia em um
contexto geral, vamos multiplicar a equação
M(x, y) + N(x, y)y′ = 0
por uma função μ e depois tentar escolher μ de modo que a equação
resultante
m(x, y) M(x, y) + m(x, y) N(x, y)y′ = 0
seja exata. Pelo Teorema 2.6.1, a Eq. (24) é exata se e somente se
(m M)y = (m N)x. (25)
Como M e N são funções dadas, a Eq. (25) diz que o fator
integrante μ tem que satisfazer a equação diferencial parcial de
primeira ordem
(m M)y = (m N)x
my M + m My = mx N + m Nx
my M – mx N + (My – Nx) m = 0. (26)

Casos Particulares:
𝑀𝑦 −𝑁𝑥
• m depende só de x: – m′ N + (My – Nx) m = 0  𝜇 𝑥 = 𝑒 𝑁
𝑑𝑥

Depende só de x
𝑀𝑦 −𝑁𝑥
• m depende só de y: m′ M + (My – Nx) m = 0  𝜇 𝑦 = 𝑒 −𝑀
𝑑𝑦

Depende só de y
EXEMPLO 4 Encontre um fator integrante para a equação

e depois a resolva.
Teste – Equação (10) My = Nx ?
My = 3x +2y Nx = 2x + y
Como as expressões são diferentes, a ED não é exata!
Terá fator integrante?
My – Nx = 3x +2y – (2x + y) = x + y
𝑀𝑦 − 𝑁𝑥 𝑥+𝑦 𝑥+𝑦 1
= 2 = =
𝑁 𝑥 + 𝑥𝑦 𝑥(𝑥 + 𝑦) 𝑥
𝑀𝑦 −𝑁𝑥 1
𝑑𝑥
𝜇 𝑥 =𝑒 𝑁 𝑑𝑥 =𝑒 𝑥= 𝑒 ln 𝑥 = 𝑥
Então, temos que multiplicar a ED original por m(x) = x para
torná-la exata!
[ ]×x
3𝑥 2 𝑦 + 𝑥𝑦 2 + 𝑥 3 + 𝑥 2 𝑦 𝑦 ′ = 0
M N
Teste – Equação (10) My = Nx ?
My = 3x21+ x  2y = 3x2 + 2xy Nx = 3x2 +2xy
Portanto, as expressões são iguais e a ED é exata!
Resolução:
1. Integra em relação a x e obtém

𝜓 𝑥, 𝑦 = 3𝑥 2 𝑦 + 𝑥𝑦 2 𝑑𝑥 + ℎ 𝑦

𝑥 2𝑦2
𝜓 𝑥, 𝑦 = 𝑥 3 𝑦 + +ℎ 𝑦 .
2
2. Deriva a expressão acima e substitui em
𝜕 𝑥 2𝑦2
𝑥 3𝑦 + +ℎ 𝑦 = 𝑥3 + 𝑥2𝑦
𝜕𝑦 2
𝑥 3 + 𝑥 2 𝑦 + ℎ′ (𝑦) = 𝑥 3 + 𝑥 2 𝑦
ℎ′ 𝑦 = 0 ⇒ ℎ 𝑦 = 𝐾

3. Solução: y(x, y)= c


𝑥 2𝑦2
𝑥3𝑦 + +𝐾 =𝑐
2
𝑥 2𝑦2
𝑥3𝑦 + =𝐶
2
em que C = c – K.

EXEMPLO Encontre um fator integrante para a equação


y + (3 + 3x – y) y′ = 0.
e depois a resolva.
Teste – Equação (10) My = Nx ?
My = 1 Nx = 3
Como as expressões são diferentes, a ED não é exata!
Terá fator integrante?
My – Nx = 1 – 3 = –2
𝑀𝑦 − 𝑁𝑥 −2 2
= =
−𝑀 −𝑦 𝑦
𝑀𝑦 −𝑁𝑥 2
𝑑𝑦 2
𝜇 𝑦 =𝑒 −𝑀 𝑑𝑦 =𝑒 𝑦 = 𝑒 2 ln 𝑦 = 𝑒 ln 𝑦 = 𝑦 2

Então, temos que multiplicar a ED original por m(y) = y2 para


torná-la exata!
[y +(3 + 3x – y) y′ = 0] × y2
y3 + (3 y2 + 3x y2 – y3) y′ = 0
M N

Teste – Equação (10) My = Nx ?


My = 3y2 Nx = 0 + 31y2 – 0 = 3y2
Portanto, as expressões são iguais e a ED é exata!
Resolução:
1. Integra em relação a x e obtém

𝜓 𝑥, 𝑦 = 𝑦 3 𝑑𝑥 + ℎ 𝑦 = 𝑥𝑦 3 + ℎ 𝑦 .

2. Deriva a expressão acima e substitui em


𝜕
𝑥𝑦 3 + ℎ 𝑦 = 3 y2 + 3x y2 – y3
𝜕𝑦
𝑥 ∙ 3𝑦 2 + ℎ′(𝑦) = 3y2 + 3x y2 – y3
ℎ′(𝑦) = 3 y2 – y3
𝑦 4
ℎ 𝑦 = 𝑦3 − +𝐾
4
3. Solução: y(x, y)= c
𝑦 4 𝑦 4
𝑥𝑦 3 +𝑦 3 − + 𝐾 = 𝑐 ⇒ 𝑥𝑦 3 +𝑦 3 − =𝐶
4 4
em que C = c – K.

Você também pode gostar