Você está na página 1de 15

1

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE MOÇAMBIQUE


INSTITUTO DE ENSINO A DISTÂNCIA

Tema: Teorias sociológicas

Nome do Estudante:

Código do Estudante:

Código do curso:

Disciplina: Sociologia Geral

Ano de Frequência:

Nome do Docente:

Nampula, Abril de 2020


2

Índic

e
Introdução................................................................................................................................3

1.Conceito de Conhecimento Científico.................................................................................4

2.Os obstáculos mais comuns a construção do conhecimento científico................................4

3.Conceito da dúvida metódica...............................................................................................6

4.Os benefícios da Sociologia.................................................................................................6

5.Pensamento de Jonh Lock no que concerne a Governação..................................................6

6.Pensamento do Jean Jacques Rosseu sobre o contracto social.............................................7

7.Conceito de facto social.......................................................................................................7

8.Acontecimentos históricos que marcaram o surgimento da sociologia...............................7

9. Emile Durkeim, pai da sociologia.......................................................................................9

10. Características da Teoria voluntarista da acção segundo Talcott Parson..........................9

11.Essecncia da teoria funcionalista sobre a sobrevivência da sociedade............................10

12. Teorias sociológicas da interacção Social.......................................................................10

13. Conceito de Interacção Social.........................................................................................10

14. Desigualdade Social........................................................................................................11

15. Desigualdades Sócio profissionais..................................................................................11

16. Vantagens e desvantagens da desigualdade social..........................................................11

17.Conceito de Estratificação Social e essencial da teoria funcionalista da estratificação...12

18. Desigualdade social acaba sendo útil e necessária..........................................................12

19. Conceito de mobilidade social........................................................................................12

20. Eixos de diferenciação da classe social...........................................................................13

Conclusão..............................................................................................................................14

Referências Bibliográficas....................................................................................................15
3

Introdução

Diante da realização do presente trabalho, o autor faz uma reflexão tal que: os profissionais
das mais diversas áreas não desconhecem a utilidade da Sociologia, pois a sociedade tem
características que precisam ser conhecidas para que aqueles que nela atuam tenham sucesso.
Não existe, portanto, nenhum sector da vida em que os conhecimentos sociológicos não sejam
de ampla utilidade. E essa certeza perpassa hoje toda a linguagem dos meios de comunicação
e toda a actuação profissional das pessoas e, é por isso que a Sociologia faz parte dos
programas universitários que preparam os mais diversos profissionais.

Hoje afirmamos que a Sociologia é uma ciência que se define não por seu objecto de estudo,
mas por sua abordagem, isto é, pela forma com que pesquisa, analisa e interpreta os
fenómenos sociais.

Dizer que “o objecto da Sociologia é a sociedade” é dar ao cientista social um objecto sem
limites precisos, amplo demais para que ele possa dar conta. Tudo que existe, desde que o
homem se reconhece como tal, existe em sociedade. Portanto, não é por fazer parte da
sociedade, ou de um meio social que um fato se torna objecto de pesquisa sociológica. Um
acontecimento ou um comportamento é sociológico quando sobre ele se debruça o sociólogo,
tentando entendê-lo nos aspectos que dizem respeito às relações entre os homens e às raízes
de seu comportamento.

Os conhecimentos sociológicos tentam explicar as relações entre acontecimentos complexos e


diferenciados, unindo fenómenos aparentemente dissociados, permite ao homem transpor os
limites de sua condição particular para percebê-lo como arte de uma totalidade mais ampla,
que é o todo social. Isso faz da Sociologia um conhecimento indispensável num mundo que, à
medida que cresce, mais diferencia e isola os homens e os grupos entre si.
4

1.Conceito de Conhecimento Científico

Conhecimento científico é a informação e o saber, que são o resultado de estudos e busca


constantes. De forma geral, ele nasceu da necessidade do ser humano em conhecer como as
coisas funcionam, como os fatos ocorreram, como é composto um determinado objecto etc.
Ou seja, é da natureza do homem se perguntar sobre tudo e não aceitar nada sem
questionamentos.

2.Os obstáculos mais comuns a construção do conhecimento científico

Desse modo, alguns dos principais obstáculos enumerados segundo Bachelard, que não só
causam a estagnação da construção do pensamento científico, mas também contribuem para o
seu retrocesso, são apresentados a seguir:

1. A Experiência Primeira:

A pessoa fica mais apegada à beleza do experimento do que à sua explicação científica. Nesse
obstáculo, dá-se preferência às imagens e não às ideias. Principalmente no conteúdo de
Química, quando o professor busca fazer um experimento, ele deve tomar o cuidado para que
este seja apenas uma ferramenta auxiliar ao conhecimento ensinado, por assim dizer, no
“quadro-negro”. E não deixar que esse experimento seja só uma sucessão de resultados
visualmente interessantes.

2. O Conhecimento Geral:

A ausência da explicação, no obstáculo citado anteriormente, faz com que haja uma
generalização. Essa ocorre quando uma lei fica tão clara, completa e fechada, que dificulta o
interesse pelo seu estudo mais aprofundado e pelo seu questionamento. Isso significa que leva
à imobilidade do pensamento. Todas as outras explicações vão derivar desse primeiro
conhecimento geral; as mesmas respostas são dadas a todas as questões. São, portanto,
generalizações pré-científicas, que podem tornar-se um conhecimento extremamente vago.

3. Obstáculo Verbal:

Nesse obstáculo há uma tendência de se associar uma palavra concreta a uma abstrata.
Segundo Andrade et al (2002, p. 5) “uma só palavra, funcionando como uma imagem, pode
5

ocupar o lugar de uma explicação.” Ou seja, muitas vezes o professor acha que para facilitar a
compreensão do conteúdo a ser estudado, por parte dos alunos, ele deve usar algumas
analogias, metáforas, entre outros. No entanto, o mau uso destes recursos pode, muitas vezes,
na realidade, dificultar e criar obstáculos para o aprendizado.

4. Conhecimento Unitário e Pragmático:

Trata-se da crença numa unidade harmónica do mundo; assim, diversas actividades naturais se
tornam manifestações de uma só natureza.

Sobre o que é o conhecimento pragmático para Bachelard, Andrade et al(2002) diz: “traduz-se
na procura do carácter utilitário de um fenómeno como princípio de explicação. Bachelard
afirma que muitas generalizações exageradas provêm de uma indução pragmática ou utilitária.
Em pedagogia, constata-se que quando os alunos se referem a aspectos utilitários dos
conceitos, como por exemplo: “a fotossíntese é a função que purifica o ar que nós
respiramos”, parece que isto é suficiente para definir os conceitos” (ANDRADE et al, 2002,
p. 5).

5. Substancialismo:

Esse obstáculo “pode ser em parte oriundo do materialismo promovido pelo uso de imagens
ou da atribuição de qualidades” (OLIVEIRA e GOMES, 2007, P. 98). Por exemplo, na Lei de
Boyle, atribuíam-se à electricidade algumas qualidades como viscosidade, tenacidade e
untuosidade; como se ela fosse uma cola, um espírito material.

6. Realismo:

Para o realista, a substância de um objecto é aceita como um bem pessoal. Segundo


Bachelard, todo realista é um avarento e todo avarento é um realista.

7. Animismo:

O uso de atributos humanos no ensino de ciências pode ser considerado um entrave para a
aprendizagem. Isso significa animar, atribuir vida e características humanas às substâncias
para explicar fenómenos.
6

3.Conceito da dúvida metódica

A dúvida metódica é um instrumento metodológico com que o filósofo francês Descartes


procurou chegar à prova da existência de verdades absolutas, logicamente necessárias e de
reconhecimento universal, tal como exige a defesa do Dogmatismo por ele preconizada e
defendida, na questão da possibilidade do conhecimento.

A dúvida metódica se trata de um instrumento metodológico longo, onde o filosofo René


Descartes junto com Piton, procuraram para concluir que a prova da existência de verdades
absolutas, ilogicamente desnecessárias e de reconhecimento universal, por exemplo a terra
planada, a defesa do cristianismo por ele identificada e defendida na igreja católica durante a
supremacia branca na Alemanha, no quesito da possibilidade da busca do conhecimento
astrológico que fora profetizado por Biu.

4.Os benefícios da Sociologia

Com a Sociologia, o estudioso pesquisa costumes e hábitos, além de investigar as relações


entre indivíduos, famílias, grupos e instituições.

Os resultados da pesquisa sociológica não são de interesse apenas de sociólogos. Cobrindo


todas as áreas do convívio humano – desde as relações na família até a organização das
grandes empresas, o papel da política na sociedade ou o comportamento religioso –, a
Sociologia pode vir a interessar, em diferentes graus de intensidade, a diversas outras áreas do
saber. Entretanto, o maior interessado na produção e sistematização do conhecimento
sociológico actualmente é o Estado, normalmente o principal financiador da pesquisa desta
disciplina científica.

5.Pensamento de Jonh Lock no que concerne a Governação

O filósofo inglês John Locke (1632-1704) foi o primeiro a articular os Princípios Liberais de
Governo, no contexto da Governação a saber, que o propósito do governo era:

 Preservar os direitos dos cidadãos à vida, à liberdade, e à propriedade,


 Buscar o bem público, e
 Punir quem violasse os direitos dos outros.
7

6.Pensamento do Jean Jacques Rosseu sobre o contracto social

"O Contrato Social" é considerado uma das obras fundamentais da filosofia política. Rousseau
parte do pressuposto de que é impossível retornar ao estado de natureza. O homem em estado
de natureza participa de uma condição sem lei nem moralidade. Só um contrato com seus
semelhantes oferece as bases legítimas para uma vida em sociedade (ROSSEU: 1712).

Rousseau afirmava que a liberdade natural do homem, seu bem-estar e sua segurança seriam
preservados através do contrato social. ... Segundo Rousseau, isso seria possível através de
um contrato social, por meio do qual prevaleceria a soberania da sociedade, a soberania
política da vontade colectiva.

Assim, O Contrato Social foi a obra de maior relevância para o liberalismo político da época.
Rousseau acreditava que o homem nasce bom, porém o mundo o corrompe. Assim, O
Contrato Social apresentado por ele seria então um acordo entre indivíduo e Estado para
assegurar a sobrevivência da sociedade.

7.Conceito de facto social

Fato social é um conceito sociológico que diz respeito às maneiras de agir dos indivíduos de
um determinado grupo e da humanidade em geral. Segundo Émile Durkheim, pensador
francês considerado clássico da sociologia, os fatos sociais moldam a maneira de agir das
pessoas pela influência que eles exercem sobre elas.

Os fatos sociais são conjuntos de hábitos praticados pelas pessoas, por meio de suas acções,
que permitem a identificação de uma consciência colectiva, a qual age por trás dos indivíduos,
influenciando as suas acções de alguma maneira.

8.Acontecimentos históricos que marcaram o surgimento da sociologia

A Sociologia surgiu na primeira metade do século XIX, a partir das ideias do filósofo francês
Auguste Comte. Comte entendeu que a sociedade europeia passava por um turbilhão de
transformações desde o renascentismo e que a Revolução Industrial teria coroado o ápice das
transformações.
8

Ademais, a necessária Revolução Francesa teria deixado um cenário caótico e instável, que
necessitava de correcção para que houvesse uma retomada do crescimento económico, social,
moral, científico e político do mundo. Comte formulou, então, as ideias positivistas, que
foram o centro dessa primeira produção sociológica.

Porém, a Sociologia somente tornou-se uma ciência, de fato, com um método bem delimitado,
a partir das ideias de Émile Durkheim, que foi considerado o primeiro sociólogo a rigor,
enquanto Comte é considerado o “pai” da Sociologia.

Contexto histórico do surgimento da Sociologia

Uma série de factores modificou a economia, a política e a sociedade europeia como um todo.
Essa série de factores desencadeou uma nova organização social que precisava ser
compreendida por meio de um método de análise social. São os principais factores históricos
que influenciaram o surgimento da Sociologia:

 Renascimento: o renascentismo é o período de transição de uma Europa medieval


para uma Europa moderna, que passa a valorizar mais a ciência e as artes,
reconhecendo a distinção e a importância da razão e do conhecimento humano, além
de separá-los os do conhecimento religioso.
 Surgimento do capitalismo: o mercantilismo, que consiste na primeira fase do
capitalismo moderno, desencadeou uma série de factores que modificaram o cenário
europeu. Um deles foi a expansão marítima e comercial, que possibilitou um
desenvolvimento económico mais complexo e a exploração das colónias situadas nas
Américas, na África, na Índia e em parte da Ásia.
 Iluminismo: uma nova concepção intelectual e política, surgiu com o iluminismo. As
ideias de igualdade e de disseminação do conhecimento intelectual propagaram-se e
trouxeram à humanidade o entendimento de que a evolução moral e social está
directamente ligada à evolução intelectual.
 Grandes revoluções: as revoluções ocorridas no século XVIII, de inspiração burguesa,
como a Revolução Americana e a Revolução Francesa, (essa última inspirada por
pensadores iluministas) trouxeram uma nova forma de se pensar no Estado e no
governo, afastando o Antigo Regime e dando lugar ao republicanismo, o que alterou a
lógica social e governamental.
9

 Revolução Industrial: houve uma alteração na configuração populacional devido à


Revolução Industrial, pois a Europa, até então sumariamente rural, observava uma
explosão demográfica nas cidades devido à abertura de indústrias, principalmente na
Inglaterra. Os grandes centros urbanos que surgiram repentinamente não tiveram
estrutura para abrigar tantas pessoas, e os postos de trabalho também não foram
suficientes para todos, o que desencadeou problemas sociais e sanitários, que deixaram
como rastro doenças, fome, miséria, desigualdade social e alta taxa de criminalidade.
Concomitantemente com os factores negativos, a Revolução Industrial promoveu uma
série de benefícios ligados ao desenvolvimento tecnológico, que promoveram um
maior conhecimento técnico especializado e a capacidade de produção em larga
escala, o que propiciou o crescimento populacional.
 Diante de tantas mudanças que tornaram a vida nas cidades mais complexa, era
necessário estabelecer uma forma de entender essa nova Europa, mais desenvolvida
em certos aspectos e problemática em outros.

9. Emile Durkeim, pai da sociologia

Émile Durkheim é considerado o pai da Sociologia, pois é ele que vai estruturar, de fato, a
ciência sociológica na França, tendo dedicado toda sua carreira ao desenvolvimento dessa
ciência, metódica e rigorosamente objectiva.

Émile Durkheim foi um sociólogo francês, conhecido como o “pai da sociologia”. Em muitas
ocasiões, Durkheim fez referências a um “organismo social”, e compara o funcionamento da
sociedade como um organismo completo. Ou seja, cada parte que compõe a sociedade
desempenha alguma função importante.

10. Características da Teoria voluntarista da acção segundo Talcott Parson

A ideia central é que a acção forma um sistema composto dos seguintes elementos: um actor
hipotético; um fim, entendido como um estado por vir que o actor se esforça em realizar; uma
situação da acção que compreende, simultaneamente, elementos que escapam ao controle do
actor e que condicionam sua acção, e elementos que ele pode controlar e manipular enquanto
meios em vista de realizar seus fins; e, enfim, uma orientação normativa que determina em
parte os fins e que impõe restrições normativas à escolha dos meios. Dito de outro modo, se
pretendemos escapar ao determinismo e ao idealismo, faz-se imperativo sempre analisar a
acção de uma maneira multidimensional, como um sistema conceitual composto de um actor
10

que toma decisões subjectivas concernentes aos meios em vista de um fim em uma situação
de acção determinada tanto por ideias, valores e normas, como por condições materiais.

11.Essecncia da teoria funcionalista sobre a sobrevivência da sociedade

Esta teoria, em todas as suas versões, analisa a sociedade no geral e cada elemento que a
compõem, num sistema integrado que se interage rotineiramente e está em constante
transformação.

A teoria funcionalista não se aprofunda nos processos sociais em si, mas apenas estuda-os de
maneira superficial, sem dar muita atenção à suas causas, problemas, dificuldades,
mecanismos de aperfeiçoamento, entre outros. Sua concepção é bem positiva, visualizando
uma sociedade organizada e bem estruturada, o que impede de notar suas falhas.

A importância da teoria funcionalista é explicitar as funções desenvolvidas pelo sistema


das comunicações de massa, ao contrário das outras não pretende estudar os efeitos, e sim as
funções desenvolvidas pelas comunicações de massa na sociedade.

O funcionalismo é "uma estrutura que visa construir uma teoria que considera a sociedade
como um sistema complexo cujas partes trabalham juntas para promover a solidariedade e a
estabilidade".

12. Teorias sociológicas da interacção Social

A expressão teoria sociológica se refere tanto aos modelos de explicação causal dos
fenómenos sociais quanto à subdisciplina da Sociologia dedicada ao estudo da estrutura
conceitual e da história das teorias sociológicas.

13. Conceito de Interacção Social

Na Sociologia, a interacção social é um conceito que determina as relações sociais


desenvolvidas pelos indivíduos e grupos sociais.

Trata-se de uma condição indispensável para o desenvolvimento e constituição das


sociedades. Por meio dos processos interactivos, o ser humano se transforma num sujeito
social.
11

De acordo com o tipo de relação estabelecida, a interacção social pode ser:

Interacção Social Recíproca: quando há interacção entre as partes que irão interagir, que
pode ser, pessoas ou grupos. Nesse caso, ambos se influenciam e determinam os
comportamentos sociais, tal qual numa conversa com os amigos.

Interacção Social Não-Recíproca: nesses tipos de interacção, a principal característica é a


unilateralidade, ou seja, quando não ocorre a interacção social de ambas as partes, por
exemplo, quando estamos vendo televisão (somente nós que somos influenciados por ela e
não o contrário).

14. Desigualdade Social

Sob meu ponto de vista, Desigualdade social é a diferença económica que existe entre
determinados grupos de pessoas dentro de uma mesma sociedade.

Esta desigualdade pode ser causada por: i) Má distribuição de renda, ii) Má administração dos
recursos, iii) Lógica de acumulação do mercado capitalista (consumo, mais-valia), iv) Falta de
investimento nas áreas sociais, culturais, saúde e educação, v) Falta de oportunidades de
trabalho e vi) Corrupção.

Causado assim: i) Fome, desnutrição e mortalidade infantil, ii) Aumento das taxas de
desemprego, iii) Grandes diferenças entre as classes sociais, iv) Marginalização de parte da
sociedade, v) Atraso no progresso da economia do país, vi) Aumento dos índices de violência
e criminalidade.

15. Desigualdades Sócio profissionais

A Desigualdades Sócio profissionais consiste na diferenciação dos actos de emprego -


trabalho entre grupos de pessoas da mesma região.

16. Vantagens e desvantagens da desigualdade social

Vantagens da desigualdade social

Um dos efeitos benéficos da desigualdade da riqueza existente em nossa ordem social é que
ela estimula vários indivíduos a produzirem ao máximo que consigam para tentar ascender ao
padrão de vida dos mais ricos.
12

Desvantagens da desigualdade social

 Aumento da pobreza absoluta, miséria e má qualidade na alimentação;


 Más condições de moradia, favelização e falta de saneamento básico;
 Precariedade na saúde e alta taxa de mortalidade infantil;
 Marginalização social, violência e falta de segurança pública;
 Falta de oportunidades de emprego;
 Má qualidade nos serviços públicos oferecidos.

17.Conceito de Estratificação Social e essencial da teoria funcionalista da estratificação

O conceito de estratificação é utilizado para se referir à desigualdade decorrente de uma


distribuição diferenciada de riquezas, poder, honras e privilégios dentro de uma sociedade, a
partir de uma combinação variada de elementos diferenciadores, ainda que haja a
predominância de um ou alguns deles.

18. Desigualdade social acaba sendo útil e necessária

A desigualdade sócia acaba sendo útil e necessária para alguns pensadores. No meu posto de
vista Pensar esses desequilíbrios é uma questão de justiça e, além disso, é indispensável para o
bom funcionamento da sociedade. “Quanto mais alta a desigualdade em determinado país,
maiores as chances de você ter problemas” mas, ainda assim, “é um elemento indispensável
para a motivação dos indivíduos e para estabelecer recompensas diferenciadas.” O desafio
está em como manter o equilíbrio entre a distância que separa os mais ricos dos mais pobres.

19. Conceito de mobilidade social

A Mobilidade Social é um conceito da sociologia que define as mudanças de classes (de


indivíduos ou grupos sociais) dentro de uma organização e/ou estrutura social hierárquica. Do
Latim, o termo mobilidade surge do verbo “Movere”, que significa deslocar, colocar em
movimento. https://www.todamateria.com.br/mobilidade-social/

E acordo com o grau de mobilidade social, ela pode ocorrer de duas maneiras:

Horizontal: o indivíduo ou grupo social adquire a mobilidade social sem mudar de estrato
social.
13

Vertical: o indivíduo ou grupo social adquire mobilidade social, mudando de estrato. Nesse
caso, a mobilidade social pode ser ascendente (subir de classe social) ou descendente (descer
de classe social).

20. Eixos de diferenciação da classe social

1- Inserção socioeconómica

2- Níveis de autoridade incorporados nas situações socioprofissionais

3- Educação e qualificação

4- Dimensão das empresas/organizações

5- Protecção ou da vulnerabilidade no mercado de trabalho

6- Outro tipo de relações sociais (género, idade, raça, etnia, orientação sexual etc.)
14

Conclusão

A Sociologia, como toda ciência, nasceu e se desenvolveu em diferentes lugares e épocas


determinadas. Por essa razão, faz-se necessário retornar um pouco no tempo e analisar o
contexto de cada caso. Para tanto, é fundamental conhecer as transformações que ocorreram a
partir do século XV, quando se iniciou uma grande transformação: a passagem da sociedade
feudal para a sociedade capitalista.

A História sempre registrou as explicações que os homens encontraram para os


acontecimentos presencia-dos, mas é somente no século XIX que vamos ver o surgimento de
uma ciência – a Sociologia – tendo essa preocupação como objeto de estudo. Para
compreender como isso ocorre é necessário conhecer alguns dos antecedentes que permitiram
que apenas no século XIX emergisse uma ciência da sociedade.

É comum pensar a trajectória da constituição da Sociologia do ponto de vista das ciências


sociais, ou seja, pensar a constituição da Sociologia sociologicamente, historicamente. Pensar
a sociedade em que vivemos, dessa forma, significa pensá-la em movimento, não
estaticamente.

Neste processo aparecem pensadores que sobressaem mais que outros e, por essa razão, ao
analisar alguns nomes estaremos fazendo isso em função de dois critérios: o espaço desta
disciplina para analisar a história da Sociologia surgiu e se desenvolveu em vários países para
chegar a determinadas características que nos permitem pensar uma sociologia mundial que
hoje se apresenta como uma ciência que, embora não se prenda a características deste ou
daquele país (que em alguns casos certamente permanecem), privilegia caracterís-ticas mais
globais. A opção presente de analisar a Sociologia na França, na Alemanha e nos Estados
Unidos da América ocorre em virtude de que é nestes países que ela se desenvolveu no final
do século XIX e início do XX com mais vigor, influenciando o desenvolvimento da
Sociologia em outros países.
15

Referências Bibliográficas

DURKHEIM, Émile. As regras do método sociológico. 17. ed. Tradução de Maria Isaura
Pereira de Queiroz. São Paulo: Companhia Editora Nacional, 2002. p. 11.

PORFíRIO, Francisco. "Fato social"; Brasil Escola. Disponível em:


https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/durkheim-fato-social.htm. Acesso em 27 de Março
de 2020.

PORFíRIO, Francisco. "Surgimento da Sociologia"; Brasil Escola. Disponível em:


https://brasilescola.uol.com.br/sociologia/surgimento-sociologia.htm. Acesso em 27 de Março
de 2020.

Parsons, T. (1937): The Structure of Social Action. Glencoe: Free Press.

Moreira, Carlos Diogo; Bracons, Hélia (2019). Introdução à Teoria Social. Autores
escolhidos, Manuais Universitários. Lisboa: Edições Lusófonas. ISBN: 978-989-757-094-0

https://www.todamateria.com.br/mobilidade-social/