Você está na página 1de 36

SEMIOLOGIA

VETERINÁRIA
Profa. Maiara Pinheiro
SEMIOLOGIA DO
SISTEMA
LOCOMOTOR

BOVINOS
A tendência natural
durante o crescimento do
casco é o deslocamento
do centro de gravidade
Formação de queratina
da região abaxial da Composição: queratina, água,
e subsequente
muralha em direção aos minerais e ácidos graxos.
crescimento do casco
bulbos do casco. Alterações dessa composição
podem predispor a fissuras
verticais ou horizontais.

Frequentemente
acometida
pelo acúmulo de
sujidades, corpos
estranhos e
rachaduras.
ENFERMIDADES DOS CASCOS EM BOVINOS
Alto impacto sobre os gastos nas fazendas leiteiras

Classificado juntamente com os problemas de glândula mamária e reprodutivos


• Como as principais perdas econômicas na pecuária leiteira

A claudicação causada por lesão nos dígitos


• Perdas consideráveis sobre a produção de leite O diagnóstico das enfermidades é
• Comprometimento de até 20% sobre produção feito de forma clinica por meio da
• Diminuição da eficiência reprodutiva inspeção dos dígitos e pelos sinais
clínicos, que podem variar desde
• Aumentam a incidência de mastite
uma claudicação sutil até uma
• Gastos com tratamentos incapacidade de permanecer em
• Taxa de descarte estação ou relutância em se
• Morte do animal locomover!
EXAME CLÍNICO - BOVINOS
• Identificação do animal
• Raça
• Idade
• Sexo
• Procedência
ANAMNESE
Sistema de produção utilizado na propriedade

Produção diária de leite de vaca

Quantidade e qualidade da alimentação fornecida

Tipo de manejo

Ocorrência de doenças infecciosas

Duração da claudicação

Tipo e intensidade da claudicação

Tratamentos realizados

Resultados obtidos com os tratamentos


EXAME FÍSICO GERAL

• Frequência cardíaca
• Frequência respiratória
• Coloração das membranas
mucosas
• Turgor da pele
• Auscultação pulmonar,
cardíaca e do trato digestório
• Palpação de linfonodos
EXAME FÍSICO
ESPECÍFICO
Inspeção em posição quadrupedal

Inspeção em movimento

Contenção física e/ou medicamentosa

Limpeza dos dígitos

Inspeção e palpação do espaço interdigital

Pinçamento dos cascos

Palpação dos ossos, articulações, tendões e


músculos
Hemograma

Líquido sinovial
EXAMES
COMPLEMENTARES
Radiografia

Ultrassonografia
SEMIOLOGIA DO
SISTEMA
LOCOMOTOR

EQUINOS
ANATOMIA COMPARADA – EQUINO E HUMANO
IDENTIFICAÇÃO E ANAMNESE
Nome, número e/ou registro

Início da claudicação

Duração dos sinais clínicos

Se a claudicação teve aparecimento súbito ou gradativo

Se a causa da claudicação é conhecida ou se há relato de


trauma
Evolução da claudicação

Se o grau de claudicação se altera durante o período de


trabalho
Se o proprietário notou aumento de volume ou alteração
na postura do animal
Se o animal foi casqueado ou ferrado recentemente
• Pedra entre a ferradura e a sola
• Cravo mal pregado (principalmente por
dentro da linha branca)
• Trauma
PRINCIPAIS • Excesso de exercício
CAUSAS DE • Alteração nervosa
CLAUDICAÇÃO • Necrose da ranilha ou casco com
EM EQUINOS broca;
• Laminite (aguamento);
• Estiramento de tendões e ligamentos
• Feridas em geral.
Observar assimetrias de conformação e
aprumos

Deformações

INSPEÇÃO Aumentos de volume

EM
REPOUSO Atrofias musculares

Soluções de continuidade

Cicatrizes ou posturas Visualizadas de frente, de


anormais ambos os lados e de trás.
70% das afecções
que causam
claudicações em
equinos têm origem
na região distal (pé)
Claudicação de membro torácico. A cabeça
é elevada quando o membro afetado toca
o solo e é abaixada quando o membro são
toca ao solo.

Claudicação de membro pélvico. A garupa


INSPEÇÃO EM do lado afetado se eleva ao apoio do
membro lesado e desce ao apoio do
MOVIMENTO membro são.

Claudicação bilateral. Movimentação da


cabeça é mínima ou quando pesos iguais
são colocados em membros igualmente
doloridos. Produzindo assim um andar
arrastando a pinça do casco.
Graduação das claudicações de
acordo com a sua gravidade
• Grau 1: A claudicação é vista quando o
cavalo está ao trote, mas não quando
INSPEÇÃO EM está ao passo.
• Grau 2: A claudicação é percebida ao
MOVIMENTO passo, mas não há movimento óbvio da
cabeça.
Fraturas, luxações, • Grau 3: A claudicação é óbvia ao passo,
abscessos subsolares, e há movimentação óbvia da cabeça.
tendinites e artrites
graves • Grau 4: Impotência funcional do
membro.
EXAMES COMPLEMENTARES
• Radiografia
• Ultrassonografia
• Artrocentese
• Biopsia da membrana sinovial
• Artroscopia
• Termografia
SEMIOLOGIA DO
SISTEMA
LOCOMOTOR

CÃES E GATOS
músculos, juntamente com suas
inervações;

Tendões e ligamentos

ANATOMOFISIOLOGIA
Ossos

Articulações
IDENTIFICAÇÃO
IDENTIFICAÇÃO
ANAMNESE
Hábitat

Frequência de exercícios

Alimentação

Doenças sistêmicas

Queixa principal
• Claudicação
• Impotência funcional
• Decúbito

Tratamento prévio
Quadrupedal

Em movimento

INSPEÇÃO • Desvios ortostáticos


• Desvio cranial de ossos longos
• Varo e valgo
• Desvio das vértebras
• Alterações posturais
• Impotência funcional
Avaliar primeiramente o membro
contralateral sadio.

Realizar o exame sem sedação.

PALPAÇÃO Palpação superficial

• Tumefações
• Flutuações
• Sinal de Godet positivo
• Consistência
• Reparação ou processo neoplásico
• Crepitação
Temperatura local

Proeminências ósseas

• Ossos longos

PALPAÇÃO • Pelve
• Vértebras

Específica de articulações

• Articulação coxofemoral
• Articulação femorotibial
• Articulação Umerorradioulnar
• Articulação Escapuloumeral
EXAMES
COMPLEMENTARES
• Ultrassonografia
• Radiografia (mínimo 2 projeções)
• Tomografia computadorizada
• Ressonância magnética
• Artroscopia e artrocentese
• Biopsia
Dúvidas?

Você também pode gostar