Você está na página 1de 65

Lingotamento Continuo

Sumário

1. Lingotamento de Tarugos
2. Insumos Lingotamento Contínuo x Qualidade Fio Máquina
2.1. Areia de Vedação
2.2. Tubo Longo
2.3. Distribuidores
2.4. Válvulas Submersas
3.5. Moldes
2.6. Agitadores Eletromagnéticos
2.7. Pó Fluxante
2.8. Resfriamento Secundário
Lingotamento de Tarugos
Transformar aço líquido em tarugos sólidos para serem vendidos como semi-acabados ou enviados
à laminação.

Contínuo Convencional
Lingotamento de Tarugos
Vantagens Lingotamento Contínuo em relação ao Convencional:

Maior rendimento na ACIARA e na LAMINAÇÃO

Redução do número de operações do processo

Melhores condições de trabalho

Redução no consumo de energia

Redução de custos

Melhor Qualidade Superficial

Maior Produtividade
Lingotamento de Tarugos

Panela

Distribuidor

Molde

Resfriamento Secundário

Raio da Máquina Extratoras Oxicorte


Lingotamento de Tarugos

Distribuidor (Tundish):
Reservatório e Distribuição aço
Distribuidor
líquido entre os veios
Molde Molde: Início da solidificação de
aço (formação de pele de
Resfriamento ~10mm)
Secundário
Resfriamento Secundário:
Aumento da pele solidificada até
155mm
Lingotamento de Tarugos
Raio da Máquina Oxicorte
Extratoras

Raio da Máquina (Zona de


Radiação Livre): Finalização da
solidificação do aço

Extratoras: Controle de velocidade


de lingotamento e endireitamento do
tarugo
Lingotamento de Tarugos
Raio da Máquina Oxicorte
Extratoras

Corte: de acordo com as


necessidades de laminação,
por tesouras ou maçarico e dá
origem ao Tarugo
Lingotamento de Tarugos

Leito de resfriamento: Inspeção com verificação


dimensional (arestas, romboidade, tortuosidade) e
defeitos superficiais (trincas bolhas etc.)
Areia de Vedação
Objetivos da Areia de Vedação:

Garantir Abertura Livre

Reduzir Riscos Operacionais (Abertura com oxigênio)

Evitar Perda de Produção (Quebra de sequência)


Tubo Longo
Objetivos do Tubo Longo:

Proteger o aço contra oxidação (evita formação de inclusões)

Reduzir turbulência do fluxo de aço no distribuidor

Manipulador de Tubo Longo:


 Evitar contato e exposição
dos operadores
 Manuseio da peça (25-30kg)
 Flexibilidade
Tubo Longo

Propriedades requeridas do Tubo Longo:

Resistência ao Choque

Resistência à erosão por aço e escória

Elevada resistência mecânica


Sumário

1. ArcelorMittal Monlevade (Processos e Produtos)


2. Lingotamento de Tarugos
3. Insumos Lingotamento Contínuo x Qualidade Fio Máquina
3.1. Areia de Vedação
3.2. Tubo Longo
Ladle Nozzle
3.3. Distribuidores Shroud Sand

3.4. Válvulas Submersas


3.5. Moldes SEN
3.6. Agitadores Eletromagnéticos
3.7. Pó Fluxante
3.8. Resfriamento Secundário
4. Projetos e Metodologia PDCA
Distribuidor

Distribuir aço líquido entre múltiplos veios

Promover flotação das inclusões

Suprir o molde de fluxo constante de aço

Reservatório durante as trocas de panelas


Distribuidor

Revestimento isolante: refratário poroso, de baixa massa específica operante, com baixa
condutividade térmica. Esta camada de refratário nos distribuidores é aplicada diretamente na
carcaça (espessura 32mm) tem a vantagem de menor tempo na aplicação tempo de reparo.
Revestimento permanente (segurança): concreto monolítico com alto teor de Al2O3 moldado sobre
o revestimento isolante, cuja função é proteger contra vazamentos – no caso de desgaste total do
revestimento de trabalho – e facilitar o cambamento livre (skull), menor tempo de reparo.
Revestimento de trabalho: refratário a base de MgO (aplicado via gunning) que fica em contato
com metal e a escória no distribuidor. A espessura deste refratário é determinante para duração das
seqüências no Lingotamento.
Distribuidor

Troca de Panela: distribuidor


é reservatório de aço para
evitar quebra de sequência
Válvulas Submersas

Peça refratária tubular utilizada para:


Proteger o jato de aço entre
distribuidor e molde, evitando
oxidação do aço;
Assegurar fluxo de aço estável
para o molde.

Via de regra, as válvulas submersas


possuem várias camadas refratárias:
 Região Estrutural = Alumina + C
 Região de trabalho = Zircônia + C
Válvulas Submersas

Características de Válvulas Submersas:


Resistência à erosão e corrosão química
Não deve reagir com o aço
Alta refratariedade (resistência a alta temperatura)
Moldes
Conjunto equipado com lingoteiras, agitador magnético, fontes de cobalto para
monitoramento do nível de aço e circuitos de água de resfriamento.

Função básica é início da solidificação do aço, formando casca sólida espessa


suficiente para suportar a pressão ferrostática na saída da lingoteira, sem que
sofra ruptura ou trincas superficiais.
Moldes – Lingoteiras

Formatos de Lingoteiras
VAZAMENTO DE ÁGUA NO MOLDE
Moldes

GAP

Cuidados nos Moldes:


Controle dimensional rigoroso molde e lingoteira
GAP (Jaqueta metálica – lingoteira) perfeito
Desgaste uniforme durante lingotamento
Moldes – Solidificação

Solidificação:
Início da Solidificação
ocorre dentro do molde,
pelo contato do aço
líquido com as paredes
do molde resfrigerado

Na saída do molde a
espessura solidificada
deve estar > 10 mm para
suportar pressão
ferroestática interna e
evitar rompimento
(perfuração)
Moldes – Perfuração
Vazamento de aço

Conseqüências da Perfuração:
Riscos graves a Segurança Operacional
Perda de Produção (~3h parada/ocorrência)
Aumento Custos
INFLUÊNCIA DA AGITAÇÃO ELETROMAGNÉTICA NO MOLDE
AgitadorEM
Eletromagnético
TARUGO EM FIO MÁQUINA

Funções dos Agitadores Eletromagnéticos:


Agitador Eletromagnético

M EMS S EMS F EMS

(Molde) (Veio) (Final)

Dentro da zona
Molde Abaixo do Molde
pastosa
Posição
Preferencial parte Acima da zona
superior pastosa
(20% de sólido e M-EMS
80% líquido)

Tipo Rotativo Rotativo Rotativo

Freqüência Baixa Freqüência da rede


Desenho Alta potência
Potência Alta Potência baixa

1) Redução de
Breakouts
F-EMS
2) Aumento velocidade Segregação central
Aspecto
de lingotamento Qualidade Interna em aços baixo C e
Metalúrgico alta liga
3) Qualidade
interna,superficial e sub-
superficial
Agitador Eletromagnético

M-EMS

F-EMS
5.4 - MECANISMOS DE SOLIDIFICAÇÃO DOS AÇOS
Agitador Eletromagnético

Agitadores Eletromagnéticos reduzem vazios e aumentam


homogeneidade estrutural no centro dos tarugos
Agitador Eletromagnético
Agitadores Eletromagnéticos reduzem segregação e
vazios no centro do fio-máquina

1,0 2,0 3,0

Fratura em Cone (Fio Máquina)


Pó Fluxante

Funções:
1. Isolamento Térmico
2. Prevenção de Reoxidação
3. Absorção de Inclusões
4. Lubrificação
5. Controle da taxa de extração de calor
ETAPAS DE FORMAÇÃO DO GAP INTERMITENTE
Pó Fluxante
O comportamento metalúrgico no molde varia
de acordo com %C no aço

(~%C)
Pó Fluxante

Presença de efeito solda, riscos e,


em casos mais críticos, trinca de
face

Marcas de Oscilações bem


definidas, homogêneas e pouco
profundas
Resfriamento Secundário

Zonas de Resfriamento

Pulverização Água

Pulverização Água + Ar
Resfriamento Secundário
No resfriamento secundário objetiva-se a solidificação final do poço líquido no
interior do tarugo ou bloco, antes da região de corte.
PRINCIPAIS MECANISMOS DE TROCA DE CALOR NO
RESFRIAMENTO SECUNDÁRIO
Resfriamento Secundário

Parâmetros no Resfriamento Secundário:


Diâmetro abertura dos bicos de spray (Gotas grandes ou pequenas)
Tamanho e intensidade do cone pulverizado
Pressão, vazão e velocidade de água de processo
Distância entre bicos (controle de temperatura e qualidade dos tarugos)
INFORMAÇÕES LINGOTAMENTO CONTÍNUO DE PLACAS
BÁSICAS

LAYOUT
TORRE

TECNOLOGIAS DISTRIBUIDOR

MOLDE
MODELOS

SEGMENTOS

RAMP UP

M. CORTE

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE BARRA FALSA

QUALIDADE ÁREA RUNOUT

35
INFORMAÇÕES LINGOTAMENTO CONTÍNUO III
BÁSICAS

LAYOUT
PANELA

TECNOLOGIAS
TORRE

MODELOS

RAMP UP

DISTRIB.
Carro
distribuidor
INSUMOS
MOLDE

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

PANELA DE
QUALIDADE EMERGÊNCIA
PLACAS

36
INFORMAÇÕES
BÁSICAS
PANELA DE AÇO
LAYOUT

TECNOLOGIAS

DISTRIBUIDOR
MODELOS

RAMP UP

INSUMOS
VEIOS DE LINGOTAMENTO

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

37
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT
Vertical curva (raio= 10 m) → dobramento e
Tipo de Máquina
desdobramento progressivos

TECNOLOGIAS
Capacidade de produção 3.000.000 t /ano (Single)

Número de veios 2
MODELOS Comprimento das placas 5.000 a 12.500 mm

Espessura das placas 200, 225 e 250 mm

Largura das placas 1050 a 2325 mm


RAMP UP
Comprimento metalúrgico 32.972 mm

200 = 2 m/min; 225= 1,80 m/min


INSUMOS
Máxima velocidade lingotamento 250 = 1,45 m/min
Máximo K= 27 mm. (min) -1/2

SEGURANÇA Índice de disponibilidade 92,5%


MEIO AMBIENTE
Assinatura de contrato 29/07/2004
Fornecedor Steel Plantech Co (SPCO)
QUALIDADE
Start Up 19 Julho 2007

38
PLATAFORMA DE LINGOTAMENTO
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

39
INFORMAÇÕES AREA DE RUNOUT
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

40
TORRE DE PANELA
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INCLINAÇÃO PANELA
INSUMOS

SEGURANÇA CAPACIDADE = 45O t


MEIO AMBIENTE
 TIPO “BUTTERFLY”
INCLINAÇÃO DA PANELA NO FIM DE LINGOTAMENTO DE 2o (+ 0,20% NO
QUALIDADE RENDIMENTO).
INJEÇÃO DE ARGÔNIO NA PANELA (BRAÇO EXTERNO).
EMERGÊNCIA DE GIRO COM AR OU ARGÔNIO
41
MANIPULADOR DE VÁLVULA LONGA
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP LIMPEZA AUTOMÁTICA DA


VÁLVULA LONGA

INSUMOS

VÁLVULA TIPO SINO


SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE
 EQUIPAMENTO OPERADO REMOTAMENTE
 LIMPEZA AUTOMÁTICA DA VÁLVULA LONGA
QUALIDADE
 FORÇA DE CLAMP = 1000 kg (EVITAR OVER FLOW E PICK-UP NITROGÊNIO)
 UTILIZAÇÃO DE VÁLVULA LONGA TIPO SINO (VOLUME INTERNO +68% EM
RELAÇÃO MLC#2)
42
INFORMAÇÕES
SLAG DETECTION - AMEPA
BÁSICAS

LAYOUT Slag

TECNOLOGIAS
Steel

MODELOS

Primary Current
RAMP UP

Secondary Voltage

INSUMOS
Sensor

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE
 EQUIPAMENTO INTEGRADO COM O NÍVEL 2
QUALIDADE
 FECHAMENTO AUTOMÁTICO OU SEMI AUTO DA VÁLVULA GAVETA EM
FUNÇÃO DO TIPO DE AÇO

43
CARRO DISTRIBUIDOR
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

Controle da
INSUMOS imersão
Braço do controle de nível válvula submersa

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE  CAPACIDADE MÁXIMA DO DISTRIBUIDOR= 70 t (VISADO= 60 t)
CONTROLE AUTOMÁTICO DO DESGASTE DA VÁLVULA SUBMERSA,
ATRAVÉS DO SISTEMA DE ELEVAÇÃO DO DISTRIBUIDOR
QUALIDADE
 CURSO DE ELEVAÇÃO = 800 mm (FACILITA O USO DE CHAPA MISTURA)
 TROCA AUTOMÁTICA DE DISTRIBUIDOR

44
OSCILADOR DO MOLDE
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP
 Ns 
1000  Vc    1
f   100 
INSUMOS
2  H 
 PRINCÍPIO DE OSCILAÇÃO: ELETRO HIDRÁULICO
SEGURANÇA  PARÂMETROS: AMPLITUDE= 2~8 mm;
MEIO AMBIENTE
FREQÜÊNCIA= 20 ~ 400 CPM non- sin wave
 CURVA DE OSCILAÇÃO (SENOIDAL OU NÃO
QUALIDADE SENOIDAL) EM FUNÇÃO DA FAMÍLIA DE AÇO λ=B /A
B
 PERÍODO DE MANUTENÇÃO: CILINDRO: 2 ANOS;
sin wave
MESA: 5 ANOS
A

45
ROBÔ DE ADIÇÃO DE PÓ FLUXANTE
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS
Distribuição do fluxante

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS
Flux feeder

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE
 QUATRO SILOS POR VEIO COM 500 kg DE CAPACIDADE
QUALIDADE  DISTRIBUIÇÃO UNIFORME DO FLUXANTE NO MOLDE
 CONTROLE DO CONSUMO DE FLUXANTE POR SEÇÃO DE PLACA
(REGISTRO NÍVEL 3)
46
CARRO DE BARRA FALSA
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

SEM MOVIMENTO AXIAL


INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE
INSERÇÃO AUTOMÁTICA ATÉ A POSIÇÃO DE SELAGEM COM
DOUBLE TRACKING
QUALIDADE TEMPO PREVISTO DE PREPARAÇÃO DE MÁQUINA= 15 MIN (ATUAL
MÁQUINAS 1 E 2= 45 MIN)

47
INFORMAÇÕES PROJETO DE VÁLVULA SUBMERSA
BÁSICAS

LAYOUT

Annular step
TECNOLOGIAS

Straight
bore SEN Front Back Front Back
MODELOS
Suppression
Powder of biased
Annular slag sucking flow condition
Step -1992
RAMP UP
Biased
outlet flow Even
Shallow bubble outlet flow
Deep bubble penetration
Mogul Mogul SEN penetration
2002 Balanced flow
INSUMOS Unbalanced flow
【 Straight SEN】 【 Mogul SEN】

High flow velocity Suppression


SEGURANÇA Suction flow of high flow velocity
MEIO AMBIENTE

 REDUZIR A TURBULÊNCIA NA REGIÃO DO MENISCUS


QUALIDADE
 MANTER TEMPERATURA UNIFORME NO MENISCUS
 REDUZIR OCORRÊNCIAS DE ESFOLIAÇÃO EM BOBINAS

48
VÁLVULA GAVETA DISTRIBUIDOR E TAMPÃO
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

Área interna da
RAMP UP
válvula submersa tipo
“Mogul”, sem ocorrência
de alumina
INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE Válvula submersa

 TROCA AUTOMÁTICA DA V. SUBMERSA COM V. LINGOTAM.= 0,8 m/min


QUALIDADE
 USO DO TAMPÃO PARA PARTIDA, TROCA DE TD E EXTRAÇÃO (AUMENTO
DA QUALIDADE DAS PRIMEIRAS PLACAS, REDUÇÕES DE OBSTRUÇÃO DO
VEIO NA PARTIDA E VORTEX)
49
PURGA DE ARGÔNIO NO DISTRIBUIDOR
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

Time = 1 minuto
LAYOUT

Time = 2 minuto TEMPO DE INJEÇÃO Argonio


280
TECNOLOGIAS t

Time = 3 minuto
MODELOS
60t

Time = 4 minuto
RAMP UP

Time = 5 minuto
INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE
 EQUIPAMENTO INTEGRADO COM NÍVEL 2 E 3.
 CONTROLE AUTOMÁTICO DA VAZÃO DE ARGÔNIO ANTES DA TROCA
QUALIDADE
 DE DISTRIBUIDOR (MÁXIMO OXIGÊNIO RESIDUAL= 4 PPM)
 SATURAÇÃO DO TOPO DO TD COM ARGÔNIO DURANTE O
LINGOTAMENTO
50
SENSOR CORRENTE PARASITA
INFORMAÇÕES CONTROLE NÍVEL DO AÇO NO MOLDE
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
 SENSOR INSTALADO NO CARRO DISTRIBUIDOR (NKK)
MEIO AMBIENTE  LÓGICA FUZZY PARA CONTROLE DO NÍVEL DE AÇO NO MOLDE
 PARTIDA AUTOMÁTICA DA MÁQUINA (RANGE DO SENSOR
ATÉ 200 mm)
QUALIDADE

51
SEGMENTO
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT Amostra de Baumann (250 x 1880 mm


→ Carbono= 0,16%)

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE
 ROLOS NÃO ACIONADOS COM TRÊS SPLITS (SEGMENTOS 1 ~1 4)
 DIÂMETRO DE ROLO= 230 mm (SEGMENTOS 1 ~ 14)
QUALIDADE

52
CÂMERA DE EXAUSTÃO
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE CÂMARA TIPO TÚNEL QUE POSSIBILITA A INSPEÇÃO DOS


SEGMENTOS DURANTE O LINGOTAMENTO
PARTE SUPERIOR DOS SEGMENTOS (MANGUEIRAS, CABOS ETC)
FORA DE ATMOSFERA AGRESSIVA 53
SOFT REDUCTION
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

Pequena deformação da placa cria um


refluxo no aço líquido que o efeito é
MODELOS similar a um agitador
Promove estrutura equiaxial
Reduz tamanho de grão

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

SEM SOFT REDUCTION COM SOFT REDUCTION 54


SOFT REDUCTION
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

DEFINIÇÃO DO TAPER DA MÁQUINA


DEPENDE: FAMÍLIA DE AÇO, APLICAÇÃO,
TECNOLOGIAS ESPESSURA, LARGURA E VELOCIDADE DE LINGOTAMENTO

SOFT REDUCTION: APLICAÇÃO CHAPA GROSSA, SERIE API,


HIC, ALTO FÓSFORO.
MODELOS

RAMP UP

O NÍVEL 3 ENVIA PARA O


INSUMOS NÍVEL 2 O CÓDIGO DA CURVA
DE TAPER DA MÁQUINA

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE O NÍVEL 1 AJUSTA


AUTOMATICAMENTE
O TAPER DA MÁQUINA ANTES
DE INSERIR A BARRA FALSA
55
PROCESSO DE FORMAÇÃO DE TRINCAS POR INDUÇÃO
INFORMAÇÕES DE HIDROGÊNIO (HIC)
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

A TÉCNICA DE SOFT REDUCTION REDUZ A OCORRÊNCIA DE TRINCAS


QUALIDADE POR INDUÇÃO DE HIDROGÊNIO, DEVIDO A MENOR PRESENÇA DE
PRECIPITADOS E POROSIDADES NO CENTRO DA PLACA

56
REBARBADOR
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS LÂMINA OSCILATÓRIA

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE
 EQUIPAMENTO COM LÂMINA OSCILATÓRIA (FORNECEDOR BWG)
 ÍNDICE DE PLACAS SEM REBARBAS: > 98% (C < 0,70%)
 INSTALADO APÓS O MARCADOR (01 EQUIPAMENTO POR VEIO)
QUALIDADE  TROCA DA LÂMINA DURANTE O LINGOTAMENTO

57
MODELOS
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS
 Thermal Tracking System Tracking da Placa a Cada 200 mm
 Static Soft Reduction Modelo Otimização Comprimento Placa
RAMP UP  Troca Automática de Espessura Otimização da Velocidade Lingotamento
 Retirada de Segmento Sob Plataforma Modelo de Temperatura no Distribuidor
 Logica Fuzzy para Controle de Nível Troca Automática Largura
 Resfriamento Secundário integrado Modelo de Predição de Defeitos na Placa
INSUMOS Mapeamento Automático da Placas
com Thermal Tracking
 Modelo Dinâmico para Cálculo de
SEGURANÇA Zona de Mistura
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

58
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

 MODELO BASEADO NA DIFERENÇA DE DIFUSÃO DOS ELEMENTOS


QUALIDADE QUÍMICOS

59
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT PANELA DE AÇO - DISTRIBUIDOR:


- Válvula refratária tipo “longa”

DISTRIBUIDOR:
TECNOLOGIAS - Pó de cobertura ou palha de arroz
- Sistema válvula gaveta (valv. superior
– placas – valv. Inferior)

MODELOS - Válvula refratária tipo “submersa”

MOLDE:
- Placas de cobre
RAMP UP
- Material de selagem (cunhas de
selagem)
- Pó fluxante
INSUMOS PLATAFORMA DE LINGOTAMENTO:
- Aquecedores (oxigênio – gás natural)
- Tubos de oxigênio
SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE - Vergalhões
ÁREA DE CORTE:
- Maçaricos – bicos – mangueiras
QUALIDADE - Oxigênio – gás natural

60
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

Panela de
aço
Tijolo sede
TECNOLOGIAS de válvula

Válvula
superior
MODELOS
Placa superior

Placa deslizante
RAMP UP
Placa inferior

Válvula
inferior
INSUMOS

Válvula
SEGURANÇA submersa
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE Fluxante no
molde

61
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT
MATERIAL DE SELAGEM

CUNHA DE SELAGEM COM


TECNOLOGIAS TEMPERATURA DE FUSÃO > 1400 OC)
MOLDE
MODELOS

RAMP UP

INSUMOS
FOOT ROLL
SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

62
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

63
INFORMAÇÕES
BÁSICAS

LAYOUT

TECNOLOGIAS

MODELOS

RAMP UP

INSUMOS

SEGURANÇA
MEIO AMBIENTE

QUALIDADE

64
ORIGEM DOS DEFEITOS DO LINGOTAMENTO CONTÍNUO

INFORMAÇÕES 1- PRESENÇA DE TENSÕES DE TRAÇÃO


BÁSICAS
2- FRAGILIZAÇÃO DOS AÇOS A ALTAS TEMPERATURAS
panela
LAYOUT
Panela 3- ARESTAS DE CONCENTRAÇÃO PARA TENSÕES
4- TURBULÊNCIA NO MOLDE
distribuidor Defeitos Superficiais
TECNOLOGIAS

Resfriamento menisco •Trincas, outros


primário
1 molde refrigerado a defeitos
MODELOS água

2 Resfriamento
secundário
Defeitos Internos
RAMP UP desencurvamento
Resfriamento por
3 radiação
spray
INSUMOS corte a gás

Defeitos
QUALIDADE Superficiais
Defeitos de corte
•Trincas
65

Você também pode gostar