Você está na página 1de 9

________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida

MATÉRIA E MEDIDAS

As substâncias e elementos químicos são reconhecidos por suas propriedades físicas. Por exemplo,
elementos como o ferro e o enxofre, ambos sólidos à temperatura ambiente, têm cores nitidamente diferentes,
e o bromo líquido e o iodo sólido diferem não só pelo estado físico, mas também pelas respectivas cores. As
propriedades físicas nos permitem classificar e identificar as substâncias do mundo material. A Tabela 1
relaciona algumas propriedades físicas da matéria que os químicos utilizam correntemente.

Tabela 1- Algumas propriedades físicas da matéria

Propriedade Comentário
Cor
Estado físico É sólido, líquido ou gás?
Ponto de fusão A temperatura em que há fusão do sólido
Ponto de ebulição A temperatura em que o líquido ferve.
Calor de vaporização O calor necessário para a passagem do líquido a vapor.
Calor de fusão O calor necessário para a passagem do sólido a líquido.
Densidade Expressa-se, usualmente, nas unidades gramas por mililitro ou
gramas por centímetro cúbico.
Solubilidade A quantidade da substância que pode ser dissolvida numa certa
massa, ou volume, de água ou outro solvente.
Caráter metálico
Condutividade elétrica
Condutividade térmica
Propriedades magnéticas
Forma dos cristais de um
sólido
Maleabilidade A facilidade de deformação de um sólido.
Ductilidade A facilidade de um sólido ser estirado num fio.
Viscosidade A capacidade de um líquido escoar.

Exercício:
Identifique tantas propriedades físicas da tabela 1 quanto puder, nas seguintes substâncias comuns: a) ferro;
b) água; c) sal de cozinha (cloreto de sódio); d) oxigênio.

Estados da Matéria

Uma propriedade da matéria facilmente observável, e de muita utilidade, é o estado físico ou fase. A
substância é sólida, líquida ou gasosa na temperatura ambiente ou em outra temperatura? Um sólido pode
ser reconhecido por ter forma rígida e volume constante, que muda muito pouco com a alteração da pressão
ou da temperatura. Um líquido, como um sólido, tem volume constante mas é um fluido – toma a forma do
vaso que o contém, e não tem forma própria. Os gases são também fluidos, mas se expandem para encher
qualquer vaso que ocupem, e o respectivo volume varia consideravelmente com a temperatura e a pressão.
Para a maioria das substâncias, o volume da fase sólida é ligeiramente menor que o volume da mesma massa
da fase líquida, mas o volume da mesma massa de gás é muitíssimo maior. Praticamente toda matéria se
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida

encontra no estado sólido em temperaturas muito baixas. Quando a temperatura se eleva, os sólidos em geral
se fundem para formar líquidos. Se a temperatura for suficientemente elevada, os líquidos se evaporam e
formam gases.
Todas as propriedades físicas que acabamos de mencionar podem se observadas pelos sentidos
humanos desarmados, e refere-se a amostras da matéria suficientemente grandes para serem vistas, medidas
e manuseadas. Essas amostras são macroscópicas, em contraste com as amostras microscópicas, como
células e microorganismos biológicos, que são tão pequenas que só podem ser vistas ao microscópio. A
estrutura da matéria que interessa realmente aos químicos, porém está na escala submicroscópica dos
átomos e moléculas.

¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡ ¡
¡¡¡¡¡ ¡¡¡¡ ¡

Os três estados da matéria: na fase gasosa, os átomos ou moléculas movem-se rapidamente, cobrindo distâncias maiores
que as dimensões dos próprios átomos ou moléculas. O resfriamento converte a matéria ao estado líquido onde os átomos
ou moléculas estão muito mais próximos uns dos outros, havendo interação entre si. O movimento das partículas ainda é
evidente mas as partículas movem-se sobre distâncias muito pequenas. Se continuarmos o resfriamento o material torna-
se sólido, as partículas encontram-se ainda mais próximas e quase completamente confinadas a certos sítios específicos.
Estão organizadas com elevado grau de regularidade.

Densidade e Temperatura

É possível classificar a matéria por suas propriedades físicas, como cor ou estão físico – sólido,
líquido ou gás – em condições normais. Diversos minerais e gemas, por exemplo, são parcialmente
identificados pelas respectivas cores. Além disso, medições quantitativas importantes como as da densidade
dos sólidos, líquido sou gases, ou as da temperatura de fusão ou de ebulição, também caracterizam as
substâncias.
A propriedades quantitativas podem ser divididas em propriedades extensivas (massa, volume) que
dependem da quantidade de matéria presente na amostra, ou propriedades intensivas (densidade,
temperatura, cor) que não dependem da quantidade de matéria.
A densidade, razão entre a massa de um corpo e o seu volume, é a propriedade física útil para
identificar as substâncias.
massa

Densidade =
volume
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida

Nosso cérebro avalia inconscientemente a densidade de um corpo que se quer levantar, estimando
visualmente o volume e preparando os músculos do corpo para agüentar o peso esperado. A densidade pode
ser medida precisamente pela medição da massa do corpo e do seu volume. Por exemplo, o níquel, elemento
3
que dá o nome a muitas moedas, tem a densidade de 8,9 g/cm (gramas por centímetro cúbico), ou seja, 1,00
3
cm (ou 1 mL) de níquel tem a massa de 8,90 g. O titânio, por outro lado, muito utilizado devido à resistência
3
que oferece à corrosão, tem densidade muito baixa, apenas 4,5 g/cm . Pedaços desses metais são brilhantes
e cinzentos, mas é possível distinguir um do outro pela medição das densidades ou pela pesagem de dois
pedaços que tenham volumes quase iguais.
Se quaisquer duas das três grandezas – massa, volume e densidade – for conhecida, para uma
mesma amostra de matéria, será possível calcular a terceira. A densidade é igual à massa dividida pelo
volume; portanto,
massa
volume x densidade = massa ou volume =
densidade

Através dessas variações da fórmula para a densidade podemos encontrar, por exemplo, a massa de
3
25 cm (ou 25 mL – mililitros) de mercúrio medidos em uma proveta. Um manual de laboratório de química
3 o
fornece que a densidade do mercúrio é 13,534 g/cm (a 20 C). Assim calculamos:

3 3
massa de mercúrio = 25 cm x 13,534 g/cm = 340 g

Observe que este volume muito pequeno de mercúrio tem massa muito grande (cerca de um terço de

quilograma).

A Temperatura - Escala Celsius

Outra propriedade física muito útil dos elementos e compostos puros é a temperatura em que o sólido
se funde (o ponto de fusão) ou a que o líquido ferve (o ponto de ebulição). A temperatura é a propriedade da
matéria que determina se o calor (energia) pode ser transferido de um corpo para outro e também determina o
sentido da transferência: a energia calorífica só se transfere espontaneamente de um corpo quente para outro
frio. O número que se associa à temperatura de um corpo depende da escala escolhida para a medida.
São três as escalas para a medida da temperatura que se usam comumente: Fahrenheit, Celsius e
Kelvin. A escala Celsius é a que se adota, em geral, nas medições de laboratório. Quando se fazem cálculos
com a temperatura, porém, é necessário, em geral exprimi-la em kelvins.
Nos Estados Unidos (e nos países de língua inglesa) as temperaturas do quotidiano são dadas na
escala Fahrenheit, mas a escala Celsius é a adotada na maioria dos outros países e nos trabalhos científicos.
Esta escala foi proposta por Anders Celsius (1701 – 1744), astrônomo sueco, e, como a escala Fahrenheit, é
baseada nas propriedades da água. O tamanho do grau Celsius se define admitindo-se zero como o ponto de
o o
congelamento da água pura (0 C) e 100 como o seu ponto de ebulição (100 C).
O tamanho do grau Fahrenheit também é arbitrário. Daniel Gabriel Fahrenheit (1686 – 1736), médico
alemão, definiu o 0 oF como o ponto de congelamento de solução aquosa na qual havia dissolvido a maior
quantidade de sal possível (esta era a temperatura mais baixa que podia reproduzir com confiança) e
o
pretendia fazer o 100 F corresponder à temperatura normal do corpo humano (o que acabou correspondendo
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida
o o o
a 98,6 F). Nos dias de hoje os pontos de referência são 32 F e 212 F, respectivamente os pontos de
congelamento e de ebulição da água pura. O número de unidades entre estes pontos é 180 graus Fahrenheit
(observe figura com as escalas).
o o
Para ter familiaridade com a escala Celsius, é bom saber que a água congela a 0 C e ferve a 100 C,
o o
que uma temperatura ambiente confortável é de 22 C (72 F), que a temperatura normal do corpo é cerca de
o o
37 C (98,6 F)) e que a água mais quente que se pode suportar nas mãos, sem queimadura séria, está a
o o
cerca de 60 C (140 F).

A Unidade Kelvin
o
As temperaturas em muitos lugares podem cair abaixo de 0 C, isto é, temperaturas que são dadas
por números negativos na escala Celsius. No laboratório, temperaturas ainda mais baixas podem ser atingidas
com facilidade, e os números correspondentes ficam cada vez maiores negativamente. Há, porém um limite
o
para esses números, e milhares de experiências mostram que a temperatura mais baixa é –273,15 C (ou –
o
459,67 F).
William Thomson, conhecido como Lorde Kelvin (1824 – 1907), foi o primeiro a sugerir uma escala de
temperatura sem números negativos. A escala Kelvin, adotada como a escala internacional padrão para a
ciência, tem o grau com o mesmo tamanho que o da escala Celsius, mas toma a temperatura mais baixa
possível como o seu zero, um ponto denominado zero absoluto. Como as unidades das escalas Kelvin e
Celsius têm o mesmo tamanho, o ponto de congelamento da água é atingido a 273,15 graus acima do ponto
o
zero, ou seja, 0 C é o mesmo que 273,15 kelvins, ou 273,15 K. As temperaturas em unidades Celsius são
facilmente convertidas em kelvins e vice-versa, pela relação:

t (K) = 1 K / 1 oC (t oC + 273,15 oC)


o
Assim, a temperatura ambiente de 23,5 C é dada por:

o o o
t (K) = 1K / 1 C) (23,5 C + 273,12 C) = 296,7 K

Unidades de Medidas

Para fazer-se química é necessário observar reações químicas e transformações físicas. Ao


aquecermos açúcar para fazermos um pudim, por exemplo, observamos o escurecimento da cor da
substância e a evolução de vapor de água pela mistura aquecida. Essas são observações qualitativas. Não
envolvem medidas nem números, mas é claro que alguma coisa aconteceu, possivelmente uma reação
química, e é possível descrever a mudança em palavras.
Para entender mais completamente uma reação química, os químicos fazem, em geral, medições
quantitativas. Por exemplo, se dois compostos reagem um com o outro, ficou sobrando um pouco de um
deles? Quanto de produto foi formado? Foi preciso aquecer os reagentes para provocar as mudanças, e em
caso afirmativo, que quantidade de calor foi necessária e durante quanto tempo se aqueceu? Se houve
emissão de luz, a luz foi vermelha, azul, verde ou estava fora do espectro visível (infravermelho ou
ultravioleta)? Se uma nova molécula se formou, qual sua identidade?
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida

Estas perguntas exigem que pensemos em termos de medições físicas de comprimento, volume,
temperatura e tempo, por exemplo. Como cada medida é constituída por um número e uma unidade de
medida, a realização de uma medida é a contagem do número de unidades (digamos, quantos centímetros)
que correspondem à grandeza medida (digamos, um comprimento).
Uma área de fronteira da química, onde a compreensão das medidas e das suas unidades é decisiva,
é a nanotecnologia, a construção de dispositivos construídos com moléculas ou átomos, com as dimensões
-9
entre 1 e 100 nanômetros. Um nanômetro (nm) é 10 m, dimensão muito pequena no mundo dos
engenheiros, muito grande no dos químicos, mas trivial no dos biólogos – uma bactéria tem cerca de 1000 nm
de comprimento, enquanto uma molécula típica tem apenas 0,1 nm de diâmetro.
Para saber mais sobre as nanoestruturas – ou sobre boa parte da ciência e da engenharia – é
essencial ter familiaridade com as dimensões dos objetos estudados, as unidades de medidas adotadas e as
relações entre elas. A comunidade científica escolheu uma versão modificada do sistema métrico como o
sistema padrão para registrar e comunicar medições. É um sistema decimal em que todas as unidades são
potências de 10 multiplicadas por uma unidade básica. O sistema resultante, aplicado internacionalmente em
ciência, é o Système International d’Unités (Sistema Internacional de Medidas), simbolizado por SI.

Unidades SI
Todas as unidades derivam de sete unidades básicas, listadas na Tabela 2. Grandezas maiores ou
menores exprimem-se pelo prefixo apropriado oposto à unidade (Tabela 3). Por exemplo, as distâncias numa
3
estrada são dadas em quilômetros, e 1 km (quilômetro) é exatamente igual a 1000 ou 10 m (metros). Em
química, o comprimento é medido, a maioria das vezes, em submúltiplos do metro, como centímetros (cm) ou
milímetros (mm). O prefixo centi significa 1/100, e então 1 centímetro é igual a 1/100 de um metro (1 cm = 1 x
-2 -3
10 m); 1 milímetro é 1/1000 de um metro (1 mm = 1 x 10 m). Em escala atômica, as dimensões são dadas
-9 -12
freqüentemente em nanômetros (nm) onde 1 nm = 1 x 10 m) ou picômetros (1 pm = 1 x 10 m). Na Tabela 4
aparecem diversos fatores de conversão que permitem passar das unidades SI para outras unidades.
Tabela 2- Unidades básicas do SI
Grandeza medida Nome da Unidade Símbolo
Massa quilograma kg
Comprimento metro m
Tempo segundo s
Temperatura kelvin K
Quantidade de substância mol mol
Corrente elétrica ampère A
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida

Tabela 3- Alguns prefixos do sistema métrico


Prefixo Símbolo Significado Exemplo
6 6
mega- M 10 1 megaton = 1 x 10 tons
3 3
quilo- K 10 1 quilograma (kg) = 1 x 10 g
-1 -1
deci- D 10 1 decímetro (dm) = 1 x 10 m
-2 -2
centi- C 10 1 centímetro (cm) = 1 x 10 m
-3 -3
mili- M 10 1 milímetro (mm) = 1 x 10 m
-6 -6
micro- µ 10 1 micrômetro (µm) = 1 x 10 m
-9 -9
nano N 10 1 nanômetro (nm) = 1 x 10 m
-12 -12
pico- P 10 1 picômetro (pm) = 1 10 m

Tabela 4- Alguns fatores comuns de conversão


Comprimento: unidade SI = metro (m)
1 quilômetro = 1000 m
= 0,62137 milhas
1 metro = 100 cm
1 centímetro = 10 mm
-9
1 nanômetro = 1 x 10 m
-12
1 picômetro = 1 x 10 m
1 polegada (in.) = 2,54 cm (exatamente)
-10
1 Angstron = 1 x 10 m
3
Volume : Unidade SI = metro cúbico (m )
-3 3
1 litro (L) = 1 x 10 m
3
= 1 dm
3
= 1000 cm
= 1,056710 quartas
1 galão = 4,00 quartas
Massa: Unidade SI = quilograma (kg)
1 quilograma = 1000 g
1 grama = 1000 mg
1 libra (lb) = 453,59237 g = 16 onças
1 tonelada curta = 2000 lb
Temperatura: Unidade SI = kelvins (K)
o
0K = -273,15 C
o o o
K = (1K/1 C) ( C + 273,15 C)
o o o o o
? C = 5 C/9 F ( F - 32 F)
? oF = 9 oF/5 oC (oC) + 32 oF
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida

Para a resolução de um problema qualquer em química, você deverá, provavelmente, utilizar


diversos parâmetros de medidas e, por vezes, realizar algumas conversões. Por exemplo, suponhamos que
você receba uma folha retagular de alumínio e se peça que determine a densidade em gramas por
centímetros cúbicos. Como a densidade é a razão entre a massa e o volume, você vai ter que medir a massa
e determinar o volume da folha. Os dados obtidos em laboratório são então mostrados a seguir:

Medida Dados Obtidos


Massa do alumínio 13,56 g
Comprimento 6,45 cm
Largura 2,50 cm
Espessura 3,1 mm
Para encontrar-se o volume do alumínio em centímetros cúbicos basta multiplica o comprimento
pela largura e pela espessura, sendo que todas as medidas devem estar na mesma unidade, então a
espessura deve ser convertida a centímetros, o se significa dizermos que é igual a 0,31 cm. Em seguida,
calculamos o volume da folha de alumínio:
3
comprimento x largura x espessura = 6,48 cm x 2,50 cm x 0,31 cm = 5,0 cm
Finalmente, a densidade do material pode ser encontrada:

13,56 g
3
Densidade = --------------- = 2,7 g/cm
3
5,0 cm

O Conceito de “Porcentagem”
Os químicos exprimem freqüentemente a composição da matéria em termos de porcentagem. Por
exemplo, dizemos que 88,81 % de uma dada massa de água são de oxig6enio, que a sacarose tem 42,11 %
de carbono, ou que numa moeda de níquel apenas 25 % são de níquel (o restante e cobre).
Exemplo: As placas da bateria de chumbo (do tipo utilizada em automóveis) são constituídas por mistura de
dois elementos químicos: chumbo (Pb, 94,0 %) e antimônio (Sb, 6,0 %). Se uma amostra da placa da bateria
tiver a massa de 25,0 g, quais as massas de chumbo e antimônio (em gramas) presentes?
Solução: a massa de chumbo é calculada a partir da percentagem conhecida do material na amostra:
94,0 g de chumbo
25,0 g placa da bateria x ------------------------------- = 23,5 g de chumbo
100 g placa da bateria

Como a placa tem uma massa total de 25,0 g, a massa de antimônio pode ser calculada ou ela
diferença entre a massa total e a massa de chumbo calculada, como também utilizando sua percentagem
conhecida (assim como calculada para chumbo)
6,0 g de antimônio
25,0 g placa da bateria x ------------------------------- = 1,5 g de antimônio
100 g placa da bateria
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida

Exercícios:
1) Em cada caso seguinte, decida se a propriedade sublinhada é uma propriedade física ou química.
a) A cor normal do bromo é vermelho-alaranjado.
b) O ferro se transforma em ferrugem na presença de ar e de água.
c) A dinamite pode explodir.
3
d) A densidade do urânio metálico é 19,07 g/cm .
e) O alumínio metálico, do “papel de alumínio” que se usa na cozinha funde a 933 K.
2) Em cada caso a seguir, decida se a mudança ocorrida é química ou física:
a) Uma colher de água sanitária altera a cor da sua camisa de verde para rosa.
b) Os combustíveis numa nave espacial (hidrogênio e oxigênio) combinam-se para formar água e
proporcionar energia para a decolagem da nave.
c) A fusão de um cubo de gelo em um copo de limonada.
3) Acende-se um fósforo e se mantém a chama sob uma peça metálica fria. Observa-se o seguinte: (a) o
fósforo queima; (b) o metal da peça se aquece; (c) há condensação de água na superfície do metal; (d) há
deposição de fuligem (carbono) na superfície do metal. Quais, entre esses efeitos, são fruto de mudanças
físicas e quais de mudanças químicas? Justifique suas respostas.
4) Um estudante encontrou, procurando em uma enciclopédia, a seguinte lista com algumas propriedades do
iodo elementar (I2): (a) grão negros-acinzentados, (b) brilho metálico; (c) não-combustível; (d) odor
-
característico; (e) possui vapor de coloração púrpura; (f) forma íons [I3 ] em soluções aquosas; (g) densidade =
3 o
4,93 g/cm ; (h) solúvel em álcool; (i) insolúvel em água; (j) venenoso; (k) ponto de vaporização = 113,5 C.
Classifique as propriedades citadas como físicas ou químicas.
5) Na seguinte descrição do elemento bromo, diga quais as propriedades físicas e quais as químicas. “O
o o
bromo é um líquido vermelho-acastanhado, que ferve a 58,9 C e congela-se a -7,2 C. A densidade do
o
líquido, a 20 C, é 3,12 g/mL. O líquido corrói com facilidade muitos metais. Reage energicamente com o
-
alumínio e forma o brometo de alumínio. Pode também oxidar o cloreto, Cl , a cloro elementar, que é um gás
esverdeado.
6) Você recebe um frasco com 2,36 mL de um líquido amarelo. A massa do frasco com o líquido é 5,26 g e a
massa do frasco vazio é 3,01 g. Qual a densidade do líquido?
7) Num balão de 25,0 mL coloca-se uma amostra de 8,47 g de um sólido. O volume restante do balão é cheio
com benzeno (um solvente orgânico), no qual o sólido não se dissolve. O sólido e o benzeno, em conjunto,
pesam 24,54 g. A densidade do benzeno é 0,879 g/mL. Qual é a densidade do sólido?
3
8) Suponha que você tem 225 cm (isto é 225 mL) de etanol (o álcool comum das bebidas alcoólicas;
3 o
conhecido também por álcool etílico). Se a densidade do etanol é 0,789 g/cm (a 20 C), qual a massa, em
gramas, da amostra de álcool?
2 3
9) Uma lamínula de platina tem 2,50 cm e a massa de 1,656 g. A densidade da platina é 21,45 g/cm . Qual a
espessura da lamínula de platina, em milímetros?
10) O etilenoglicol, C2H6O2, é um líquido que constitui a base do fluido que se adiciona à água do radiador dos
3 o
carros. A sua densidade é 1,1135 g/cm a 20 C. Se você precisa de 500 mL do líquido, qual a massa
necessária do composto em gramas?
________ Profa Dra Maria Cristina de Almeida
3
11) Uma medalha de prata tem a massa de 2,365 g. Se a densidade da prata é 10,5 g/cm , qual o volume da
prata?
12) Um químico precisa de 2,00 g de um composto líquido.
3
a) Qual o volume do composto do composto se a densidade do líquido é 0,718 g/cm ?
b) Se o composto custar $ 2,41 por mililitro, quanto custarão 2,00 g?
13) Um “copo” é uma unidade de volume muito usada na cozinha. Um copo é equivalente a 225 mL. Se a
massa de um copo de azeite for 205 g, qual a densidade do azeite (em gramas por centímetro cúbico)?
14) Uma amostra de metal desconhecido é colocado numa proveta que contém água. A massa da amostra é
37,5 g e o nível de água na proveta passa de 7,0 mL para 21 mL quando se mergulha o metal. Qual é o metal,
entre os seguintes que provavelmente constitui a amostra? (d é a densidade do metal)
3
(a) Mg d = 1,74 g/cm
3
(b) Fe d = 7,87 g/cm
3
(c) Ag d = 10,5 g/cm
3
(d) Al d = 2,70 g/cm
3
(e) Cu d = 8,96 g/cm
3
(f) Pb d = 11,3 g/cm
15) A prata dos joalheiros é, na realidade, mistura de prata e cobre. Se um bracelete com a massa de 17,6 g
contiver 14,1 g de prata, qual a porcentagem da prata? De cobre?
16) Você dispõe de uma proveta de 100 mL com 50,0 mL de água. Dentro da proveta coloca-se uma amostra
3
de latão de 154 g (densidade 8,56 g/cm ) mergulhada inteiramente na água. A que altura sobe o nível da água
na proveta? Em relação ao volume final, qual a percentagem do volume inicial?
17) A turmalina cristalina (que contém os elementos alumínio, oxigênio e silício, além de outros) tem a
3 3
densidade de 3,26 g/cm . Qual a massa, em miligramas, de um cristal com volume de 1,00 cm ? Qual é a
densidade do cristal em quilograma por metro cúbico? Qual é o volume (em centímetros cúbicos) de um cristal
com a massa de 4,56 g?
18) Uma moeda de prata tem 26,73 g. Ela deve conter 90% de prata e o restante é cobre. Quando a moeda foi
cunhada, a prata valia $ 1,18 por onça (1 onça = 31,1 g). Qual o valor da prata na moeda? (b) Tempos depois,
o valor da prata subiu para $3,70 por onça. Quantas moedas são necessárias para interar $25,00 de prata
pura?
19) Uma antiga moeda de ouro tem 2,2 cm de diâmetro e 3,0 mm de espessura. É um disco cujo volume é
2 3
dado pela expressão matemática: [(π).(raio) .(espessura)]. Se a densidade do ouro é 19,3 g/cm , responda: a)
qual a massa da moeda em gramas? b) admita que o ouro seja comercializado a $410 por onça troy. Quanto
vale a moeda? Dado: 1 onça troy = 31,10 g e 1 cm = 10 mm.
20) a) qual é a massa de ouro num brinco de 15,0 g confeccionado com ouro de 14 quilates? O ouro de 14
quilates tem 58% de ouro e o restante é de cobre e prata.
b) um container tem a massa de 68,31 g quando vazio e 93,34 g quando preenchido, completamente, com
3
água destilada. b1) Utilizando a densidade da água como 1,00 g/cm , calcule o volume do container; b2) Este
mesmo container preenchido com um líquido desconhecido tem a massa de 88,42 g. Calcule a densidade do
líquido desconhecido.